Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Seleção Brasileira"

Brasil x França será o 15º jogo da Seleção em Porto Alegre: confira a lista completa

03 de junho de 2013 0

Brasil x França, no próximo domingo na Arena do Grêmio, será o décimo quinto jogo da Seleção Brasileira em Porto Alegre. Foram dez jogos no Beira-Rio e quatro no Olímpico, e o Brasil só perdeu uma única vez, em 1972 contra a Argentina. São onze vitórias e apenas dois empates, curiosamente ambos contra a Seleção Gaúcha, um deles (curiosamente também em 1972), o maior público da história de Porto Alegre, mais de 100 mil torcedores.

Até hoje foram três jogos oficiais e 11 amistosos, e a última vez que o selecionado nacional jogou na capital dos gaúchos foi em 2009. Na ocasião treinada por Dunga, o Brasil venceu fácil o Peru por 3×0 no estádio Beira-Rio. Luís Fabiano, duas vezes, e Felipe Melo marcaram os gols do Brasil, que saiu do Rio Grande do Sul vice-líder das Eliminatórias Sul-Americanas para o Mundial de 2010. Felipão também retorna à Porto Alegre, foi o treinador do Brasil na vitória dificílima de 2×0 sobre o Paraguai, em um momento terrível do Brasil, realmente ameaçado de ficar fora da Copa do Mundo de 2002 (que acabou saindo campeão).

Brasil venceu o Peru em 2009, dois gols de Luís Fabiano - Foto: Fernando Gomes, ZH

Será também a quarta partida contra um selecionado europeu, antes jogos contra a Bulgária, Alemanha e Iugoslávia, todos terminados em vitórias da Seleção Brasileira.

VEJAM TODOS OS JOGOS
01°) 07/04/1969 – Amistoso – Beira-Rio – Brasil 2×1 Peru – Jairzinho, Gérson (Brasil); Gallardo (Peru)
02°) 04/03/1970 – Amistoso – Beira-Rio – Brasil 0×2 Argentina – Más, Conigliaro (Argentina)
03°) 26/04/1972 – Amistoso – Beira-Rio – Brasil 3×2 Paraguai – Carlos Alberto Torres, Tostão, Dirceu Lopes (Brasil), Escobar, Jiménez (Paraguai)
04°) 17/06/1972 – Amistoso – Beira-Rio – Brasil 3×3 Seleção Gaúcha – Jairzinho, Paulo César Caju, Rivellino (Brasil), Tovar, Carbone, Claudiomiro (Sel. Gaúcha)
OBS: Maior público da história de Porto Alegre, mais de 100.000 torcedores.
05°) 25/05/1978 – Amistoso – Beira-Rio – Brasil 2×2 Seleção Gaúcha – Toninho, Nelinho (Brasil); Lúcio, Éder (Sel. Gaúcha)
06°) 28/10/1981 – Amistoso – Olímpico – Brasil 3×0 Bulgária – Roberto Dinamite, Zico, Leandro
OBS: Primeiro jogo no Olímpico.
07°) 08/06/1985 – Amistoso – Beira-Rio – Brasil 3×1 Chile – Zico (2), Leandro (Brasil); Nuñez (Chile)
08°) 24/06/1987 – Amistoso – Olímpico – Brasil 1×0 Paraguai – Valdo
09°) 16/12/1992 – Amistoso – Beira-Rio – Brasil 3×1 Alemanha – Luís Henrique, Jorginho, Bebeto (Brasil); Sammer (Alemanha)
10°) 23/12/1994 – Amistoso – Olímpico – Brasil 2×0 Iugoslávia – Viola, Branco
11°) 07/09/1999 – Amistoso – Beira-Rio – Brasil 4×2 Argentina – Rivaldo (3), Ronaldo (Brasil); Ayala, Ortega (Argentina)
12°) 15/08/2001 – Eliminatórias – Olímpico – Brasil 2×0 Paraguai – Marcelinho Paraíba, Rivaldo
13°) 05/06/2005 – Eliminatórias – Beira-Rio – Brasil 4×1 Paraguai – Ronaldinho (2), Zé Roberto, Robinho (Brasil); Roque Santacruz (Paraguai)
14º) 01/04/2009 – Eliminatórias – Beira-Rio – Brasil 3×0 Peru – Luís Fabiano (2), Felipe Melo

Destes jogos todos, eu vi o de 1994 e 1999 no estádio e trabalhei no de 2005. Experiência única e inesquecível!
Total: 11V, 2E, 1D – 35GP, 15GC

OBSERVAÇÕES:

Em 19/12/1976, uma “Seleção do Brasileirão” enfrentou o então bicampeão brasileiro Internacional, vencendo por 4×1 no Beira-Rio. Algo semelhante ocorreu em 1983, quando um combinado de jogadores Eleitos pela imprensa enfrentou a Seleção Gaúcha no Beira-Rio, divulgado como sendo “Seleção Brasileira” mas sem nenhum escudo nem representatividade oficial, vencendo o jogo por 4×1. Este jogo já foi tema aqui no Almanaque Esportivo em 2011: http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2011/03/12/tunel-do-tempo-selecao-brasileira-goleia-selecao-gaucha-em-1983/?topo=13,1,1,,10,13

Postado por Perin, com dados do I.P.E.

DIA DO GOLEIRO: Parabéns para meus ídolos Taffarel, Schmeichel e Van der Sar

26 de abril de 2013 6

Hoje, 26 de abril é o “Dia do Goleiro” aqui no futebol brasileiro. A data foi escolhida para comemorar o aniversário do histórico goleiro Manga, nascido em 26 de abril de 1937. E o Almanaque Esportivo fará uma homenagem aos seus três ídolos de infância: Taffarel, o dinamarquês Peter Schmeichel e o holandês Edwin van der Sar.

Dia do Goleiro em homenagem à "Manguita Fenômeno" - Foto: Genaro Joner / Agencia RBS

  • TAFFAREL – BRASIL – INTERNACIONAL, PARMA, REGGIANA, ATLÉTICO-MG, GALATASARAY

Difícil falar sobre o jogador mais importante em minha vida como torcedor de futebol. Taffarel é especial para mim. Um goleiro que nunca foi muito alto, mas sempre se posicionou de maneira espetacular, com uma inteligência e firmeza indiscutível.

Depois de se tornar o primeiro goleiro brasileiro com status de estrela no futebol mundial, virou ídolo em quase todos os times que passou. Na Seleção Brasileira é uma lenda. Então, fica minha homenagem com dois vídeos, cenas raras de defesas pouco lembradas:

E as mais clássicas:

  • PETER SCHMEICHEL – DINAMARCA – GLADSAXE-HERO, HVIDOVRE – MANCHESTER UNITED – SPORTING LISBOA – ASTON VILLA – MANCHESTER CITY

Peter Schmeichel me chamou a atenção no inverno de 1992. Com atuações assombrosas pela Dinamarca, me fez procurar saber que time ele atuava e mais detalhes sobre o atleta. Dali iniciou-se uma relação de 20 anos com o Manchester United, mas hoje o assunto é Schmeichel. Gigantesco, o dinamarquês era um líder dentro e fora de campo, mas sua suprema técnica e a explosão muscular eram imbatíveis. Com uma firmeza impressionante, se tornou um dos maiores goleiros da história do futebol mundial. Vejam grandes momentos de Peter, The Dane.

EDWIN VAN DER SAR – AJAX – JUVENTUS – FULHAM – MANCHESTER UNITED

O goleiro Edwin van der Sar é um misto das duas lendas anteriores. Gigante como Schmeichel, ágil como Taffarel. Um goleiro que aos 40 anos estava em plena forma, com atuações espetaculares por um dos maiores times do mundo. Ícone do Ajax, se tornou quase ao final de carreira um dos mais brilhantes jogadores recentes do Manchester United.

Grandes defesas de Van der Sar até chegar ao Manchester United:

E sua fase gloriosa em Old Trafford:

Futebol olímpico - Histórias de Los Angeles, Seul, Atlanta e Sydney!

10 de agosto de 2012 0

No próximo sábado, a Seleção Brasileira entrará em campo no lendário estádio de Wembley contra o México em busco do topo.  O time treinado por Mano Menezes tentará a inédita medalha de ouro olímpica no futebol. O Brasil, pentacampeão mundial, só obteve duas medalhas de prata e outras duas de bronze.

Apesar do futebol irregular, a campanha brasileira é perfeita: 3×2 contra o Egito, 3×1 contra Belarus, 3×0 na Nova Zelândia (todos na primeira fase), 3×2 em Honduras  (quartas-de-final) e 3×0 na Coréia do Sul, garantindo vaga nas semifinais e a medalha de prata. Leandro Damião é o artilheiro da competição com seis gols.

Em 2008, o Almanaque Esportivo contou quatro histórias do futebol olímpico brasileiro. As boas campanhas dos anos 80 em Los Angeles e Seul, e as dramáticas derrotas para os africanos em 96 e 2000. O Brasil ainda obteve a medalha de bronze em 2008, na última edição dos jogos. Confiram estas histórias:

Seleção Olímpica 2012 - Meu palpite dos 18 convocados de Mano Menezes

04 de julho de 2012 1

Analisando as últimas convocações, não acredito que a lista final do técnico Mano Menezes de 18 jogadores para os Jogos Olímpicos de 2012 seja muito diferente da que eu vou apresentar abaixo. Será mais uma tentativa de buscar a medalha de ouro olímpica, inédito no futebol brasileiro. Até hoje, o máximo que o Brasil obteve foram duas medalhas de prata, em 1984 (Los Angeles) e 1988 (Seul). Em 1996 (Atlanta) e 2008 (Beijing), o Brasil ficou com a medalha de bronze.

Para mim, os três jogadores acima de 23 anos estão praticamente garantidos: o lateral-esquerdo Marcelo e os zagueiros Thiago Silva e David Luiz. Por ser um grupo muito restrito, de apenas 18 jogadores, o treinador tem que levar atletas o mais polivalente possíveis. O técnico Mano Menezes vai divulgar a lista final de jogadores amanhã, dia 5 de julho, às 15h (de Brasília), em evento no Hotel Sheraton, Rio de Janeiro.

Mano Menezes, sob pressão para as Olimpíadas - Foto: Rafael Ribeiro / CBF

GOLEIROS

  • Rafael (Santos) – As boas atuações na ronda de amistosos tiraram as chances de Jefferson ir para Londres.
  • Neto (Fiorentina) – É reserva em Florença, mas tem algumas convocações.

LATERAIS

  • Danilo (Porto) – Titular de Mano nos últimos amistosos, não fez bons jogos. Corre risco de perder para Rafael, do Manchester United.
  • Marcelo (Real Madrid) – Um dos jogadores acima de 23 anos. Joga muito, mas tem temperamento explosivo.

ZAGUEIROS

  • Thiago Silva (Milan) – Simplesmente o melhor do mundo, será o esteio de qualidade e capitão do time.
  • David Luiz (Chelsea) – Apesar da irregularidade, é melhor que o convalescente Dedé. Em forma, o vascaíno provavelmente seria convocado.
  • Juan (Internazionale) – Palpite que ganhará a vaga de Bruno Uvini porque pode também jogar na lateral-esquerda.

VOLANTES

  • Sandro (Tottenham Hotspur) – Titular nos últimos jogos, dificilmente perderá a vaga.
  • Rômulo (Spartak Moscou) – O ex-vascaíno se afirmou na ronda de amistosos na América do Norte e parece ter assegurado a vaga olímpica.
  • Casemiro (São Paulo) / Fernando (Grêmio) – O são-paulino era favorito, mas a má-fase em 2012 pode pesar contra si. Já o gremista mostra justamente o oposto: vive ótima fase e pode roubar a vaga.

MEIAS

  • Giuliano (Dnipro) – O ex-colorado é polivalente, pode jogar em 3 das 4 funções do meio-campo e é um ótimo definidor. Nome certo.
  • Oscar (Internacional) – O colorado foi um dos melhores, senão o melhor jogador na última sequência de jogos da Seleção. Será titular.
  • Paulo Henrique Ganso (Santos) – Eterna promessa, o santista vive uma fase tenebrosa, longe do potencial apresentado em 2010. Mas será convocado.
  • Lucas (São Paulo) – Em boa fase no Tricolor, Lucas é mais um que preza pela polivalência, podendo facilmente jogar no meio ou no ataque, substituindo Neymar.

ATACANTES

  • Neymar (Santos) – Grande jogador brasileiro da atualidade, único com status de superestrela internacional atuando no futebol nacional, é a referência técnica do time. Candidato à estrela dos Jogos Olímpicos.
  • Leandro Damião (Internacional) – Mesmo após uma péssima série de amistosos, com nenhum gol marcado em quatro jogos, segue marcando gols regularmente no clube.
  • Alexandre Pato (Milan) – Sem lesões, o milanista tem grandes chances de assumir a titularidade, até porque consegue jogar nas duas funções do ataque.
  • Wellington Nem (Fluminense) – Por ser um jogador baseado na velocidade, tem ótimas chances de ser um dos convocados, como opção de contra-ataque.

VEJA TAMBÉM

Messi se iguala a Paolo Rossi: 3 gols no Brasil em um mesmo jogo! Confira a lista completa

12 de junho de 2012 7

A atuação exuberante de Lionel Messi no último sábado, no amistoso em que a Argentina bateu o Brasil por 4×3, deixou uma impressão incrível.  Foi a primeira vez que o Brasil levou 3 gols de um mesmo jogador desde o distante ano de 1982. Na ocasião, o atacante Paolo Rossi marcou 3 vezes em Valdir Peres e selou a dramática eliminação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1982, derrota de 3×2 para a Itália.

Ninguém consegue parar Messi - Foto: Emmanuel Dunand / AFP

É bem verdade que os três gols do ‘carrasco‘ italiano foram infinitamente mais importantes, em uma Copa do Mundo, que os do argentino, um amistoso em Nova Jérsei contra a base do time olímpico brasileiro. Porém o fato é significativo por si só. Vejam os gols de Messi e também de Rossi:

LIONEL MESSI – ARGENTINA 4X3 BRASIL – AMISTOSO INTERNACIONAL – 2012

PAOLO ROSSI – ITÁLIA 3X2 BRASIL – COPA DO MUNDO – 1982

Messi completou 82 gols em 2011/12, com 73 em jogos oficiais pelo Barcelona e mais 9 pela Seleção Argentina. Em 72/73, o alemão Gerd Muller fez 67 gols pelo Bayern de Munique e Alemanha Ocidental. Já em 1958, o gênio Pelé marcou 77 vezes (9 gols pela Seleção Brasileira e 68 gols pelo Santos).

Vale ressaltar ainda que outros nove jogadores marcaram três gols no Brasil. Foram 4 argentinos (5 com Messi), um polonês, um iugoslavo, um paraguaio, um belga e um tchecoslovaco. Alguns foram em amistosos, outros em torneio oficiais e três deles em Campeonatos Sul-Americanos, a competição precursora da atual Copa América. Confiram a lista completa abaixo:

  • 1925 – Seoane - Brasil 1×4 Argentina – Campeonato Sul-Americano
  • 1934 – Marjanovic - Brasil 4×8 Iugoslávia - Amistoso Internacional
  • 1938 – Willimowski - Brasil 6×5 Polônia – Copa do Mundo (correção feita por Marcos Coimbra, obrigado)
  • 1945 – Mendez - Brasil 1×3 Argentina – Campeonato Sul-Americano
  • 1955 – González - Brasil 3×3 Paraguai - Taça Oswaldo Cruz
  • 1959 – Sanfilippo – Brasil 1×4 Argentina - Campeonato Sul-Americano
  • 1960 – Peucelle - Brasil 1×6 Argentina - Copa Roca
  • 1963 – Stockman – Brasil 1×5 Bélgica - Amistoso Internacional
  • 1968 – Adamec - Brasil 2×3 Tchecoslováquia - Amistoso Internacional
  • 1982 – Paolo Rossi - Brasil 2×3 Itália - Copa do Mundo
  • 2012 – Messi - Brasil 3×4 Argentina - Amistoso Internacional

Seleção Brasileira: quem já jogou em Grêmio e Internacional?

18 de agosto de 2011 10

Quem já foi convocado para a Seleção Brasileira e defendeu os maiores times do RS? Resolvi fazer uma lista de jogadores, todos ainda em atividade, que já passaram por Grêmio e Internacional e, em ao menos uma convocação, defenderam a Seleção Brasileira. Separei em quatro grupos: Grêmio e Inter; pratas-da-casa ou não.

Os recordistas em jogos são Lúcio, ex-Inter com 98 jogos, e Gilberto Silva, atualmente no Grêmio com 93 partidas. Ronaldinho Gaúcho, formado no Tricolor, tem 88 jogos mas foi convocado hoje e pode aumentar esta marca. Curiosamente, os três foram campeões mundiais em 2002 pelo Brasil.

Muitos jogadores foram chamados pouquíssimas vezes… Vale ressaltar ainda que Michel Bastos jogou também pelo Pelotas, enquanto Fernando Menegazzo, Naldo, Thiago Silva e Éderson jogaram pelo Juventude. Thiago Silva e Éderson também jogaram profissionalmente pelo RS Futebol Clube, hoje extinto.

  • Contratados pelo Grêmio com passagens pela Seleção Brasileira antes ou depois de jogar no Tricolor:
  • Victor, Jonas, Douglas, Gilberto Silva(*), Gabriel, Diego Souza, Felipe Melo(*), Michel Bastos(*), Gilberto(*), Fernando Menegazzo(*), Réver, Marcelinho Paraíba, Grafite, Roger Flores, Fábio Rochemback
  • Formados no Grêmio com passagens pela Seleção Brasileira:
  • Carlos Eduardo, Tinga, Anderson(*), Lucas Leiva, Cássio, Léo, Ronaldinho Gaúcho(*), Anderson Polga(*), Eduardo Costa
  • Contratados pelo Internacional com passagens pela Seleção Brasileira antes ou depois de jogar no Colorado:
  • Kléber(*), Alex, Jô, Ilsinho, Éderson, Tinga, Adriano Gabiru, Ilan, Magrão, Gil, Fabiano Eller
  • Formados no Internacional com passagens pela Seleção Brasileira:
  • Lúcio(*), Daniel Carvalho, Sandro, Nilmar(*), Alexandre Pato(*), Leandro Damião, Fábio Rochemback, Rafael Sóbis, César Prates

OBS: jogadores com (*) ganharam um título importante pela Seleção Brasileira

OBS2: jogadores em negrito jogaram mais de 10 partidas pela Seleção Brasileira

ANTES E DEPOIS DE RONALDO - Nike homenageia seu maior ídolo no esporte

07 de junho de 2011 4

Próximo a se despedir oficialmente dos gramados, Ronaldo Nazário de Lima recebe uma bela homenagem de seu grande patrocinador. A Nike, multinacional de material esportivo, montou um comercial que mostra o mundo do futebol antes e depois do superastro do futebol brasileiro. Nesta quarta-feira, Ronaldo, também conhecido como R9, jogará pela Seleção Brasileira uma última vez, contra a Romênia em um amistoso no Pacaembu em São Paulo.

A importância de Ronaldo na globalizada mídia do esporte transcende o aspecto esportivo. Ele alavancou os superastros do futebol, como a si próprio, David Beckham, Zinedine Zidane, Ronaldinho e outros a um patamar superior. O comercial da Nike, veiculado em seu canal oficial de vídeos no You Tube, é apenas a síntese disto.

Sensacional, vale a pena ver:

TÚNEL DO TEMPO: Seleção Brasileira goleia Seleção Gaúcha em 1983

12 de março de 2011 2

Em 1983, o jornal Zero Hora de Porto Alegre promoveu um jogo entre a Seleção Brasileira, que ainda se recuperava do trauma da Copa do Mundo de 1982, e um combinado de atletas da Seleção Gaúcha. O jornal fez uma promoção no qual os participantes enviavam cupons com nomes para participar de um amistoso da Seleção Brasileira contra a Seleção Gaúcha. Esta partida não conta nas estatísticas oficiais da Seleção Brasileira. A dica deste post foi do leitor Rodrigo, muito obrigado!

Os mais votados, desde que disponíveis (ou seja, não lesionados ou jogando), foram convocados para participar da partida no Beira-Rio. Porém o técnico indicado para a competição, Paulo César Carpegianni, resolveu escalar um time-base parecido com o que disputou o Mundial da Espanha e perdeu na histórica partida contra a Itália no Sarriá.

No dia 19 de janeiro em um Beira-Rio lotado,Éder, Sócrates, Roberto Dinamite e Júnior fizeram os gols do Brasil e Róbson marcou o gol do combinado gaúcho. Foi o primeiro jogo do Brasil desde a eliminação no Mundial de 1982.

o Brasil jogou com: Valdir Peres (Acácio), Leandro (Nelinho), Oscar (Casagrande), Luisinho (Marinho) e Júnior (Wladimir); Toninho Cerezo (Andrade), Sócrates (Tita) e Zico (Renato Sá) e Pedrinho (Mário Sérgio); Roberto Dinamite (Reinaldo( e Éder (Zé Sérgio).Técnico: Paulo César Carpegianni.

A Seleção Gaúcha jogou com: Leão, Edevaldo (Paulo Roberto), Mauro Galvão (Mauro Pastor), De León (André Luiz), Casemiro (Beretta); Batista (Osvaldo), Cléo (Ademir), Rúben Paz (Róbson); Renato Gaúcho (Sílvio), Geraldão (Baltazar), Silvinho (Lambari). Técnico: Ênio Andrade.

REPORTAGEM SOBRE O JOGO:

http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM949756-7824-EM+O+BRASIL+GOLEIA+A+SELECAO+GAUCHA+EM+AMISTOSO+NO+BEIRARIO,00.html

Copa 2002: Ataque do Penta está jogando no futebol brasileiro

24 de janeiro de 2011 1

Com os retornos de Rivaldo e Ronaldinho, praticamente todo o sistema ofensivo da Seleção Brasileira campeã mundial de 2002 está jogando no futebol nacional. A dica foi do amigo e leitor fiel Marcelo Duro. Ronaldo e Roberto Carlos voltaram a jogar no Brasil nos últimos anos, e ainda existe a possibilidade da volta de Gilberto Silva (pretendido por Atlético-MG e Grêmio).

São seis ainda jogando aqui no Brasil: Marcos, Roberto Carlos, Kléberson, Ronaldinho, Rivaldo, RonaldoCafú e Roque Júnior já se aposentaram. Do time que entrou em campo contra a Alemanha na final, apenas Lúcio, Edmílson e Gilberto Silva não atuam no futebol brasileiro.

Além disto, quatro reservas jogam aqui no Brasil: Rogério Ceni, Belletti, Ricardinho e Júnior. Cinco estão aposentados (Juninho Paulista, Denílson, Edílson, Luizão e Vampeta), Polga ainda joga na Europa (Sporting Lisboa) assim como Kaká (Real Madrid), enquanto Dida está semi-aposentado (sem time).

TIME CAMPEÃO MUNDIAL

Marcos – Palmeiras
Roberto Carlos – Corinthians
Kléberson – Flamengo
Ronaldinho – Flamengo
Rivaldo – São Paulo
Ronaldo – Corinthians

RESERVAS CAMPEÕES MUNDIAIS

Rogério Ceni – São Paulo
Belletti – Fluminense
Júnior – Goiás
Ricardinho – Atlético-MG

Resumão das quartas, os melhores e piores do Mundial

06 de julho de 2010 1

As quartas-de-final da Copa do Mundo 2010 terminaram no último sábado. Quatro times seguiram adiante no Mundial da África do Sul, e outras quatro equipes voltaram para casa. Para decepção nacional, mais uma vez caímos nas quartas-de-final, sina brasileira que ocorreu nos Mundiais de 82, 86, 2006 e 2010.

A Holanda, time preconizado por mim em 2003, virou sobre o time brasileiro e passou para as semifinais quando enfrentará o Uruguai. Sneijder, o astro da Internazionale, foi o autor de dois gols no confronto contra o time de Dunga. Detalhes sobre a derrocada e uma análise para o futuro serão feitos em um post complementar.

No maior ‘milagre’ do Mundial até agora, a “Celeste Olímpica” reviveu um momento histórico ao bater Gana nos pênaltis depois de um 1×1 no tempo normal e de escapar de um pênalti aos 121 minutos de jogo, ou 16 do 2º tempo da prorrogação. Para desespero de todo um continente, Asamoah Gyan chutou no travessão a primeira oportunidade de um time africano chegar às semifinais de uma Copa do Mundo. Gana se iguala à Camarões (1990) e Senegal (2002) como melhor resultado da África em um Mundial.

Já a Alemanha, superando os prognósticos de um placar tão elevado mas confirmando a eficiência de seu jogo veloz e ofensivo, enfiou uma goleada de 4×0 sobre a Argentina de Diego Maradona. Messi, de novo, foi apagado e não fez gols. O técnico alemão Joachim Loew mostrou que sabia anular os pontos fortes argentinos, explorando a fragilidade do time mal-treinado pela lenda da Villa Fiorito.

Finalizando, a Espanha confirmou as expectativas e superou o Paraguai por 1×0 em um jogo muito duro para a atual campeã européia. Porém, mais importante que isto, foi a atuação soberba da equipe paraguaia, que finalmente fez um jogo de muita qualidade no Mundial. Desespero para o jovem Óscar Cardozo, que errou um pênalti no tempo normal que poderia ter dado a classificação em um jogo tão equilibrado. A Espanha errou também, mas no final do jogo David Villa decidiu a partida e, de quebra, se tornou artilheiro da Copa com 5 gols.

Tudo que de melhor, e pior, ocorreu nas quartas-de-final da Copa 2010 - Crédito: fotos AFP

Melhor time das quartas-de-final: Alemanha, que patrolou a Argentina

Pior time das quartas-de-final: Argentina, goleada pelso alemães

Melhor defesa das quartas-de-final: Para mim, o Paraguai, que mesmo perdendo segurou um time absurdamente superior

Pior defesa das quartas-de-final: Argentina, que falhou conforme todos esperavam

Melhor ataque das quartas-de-final: Alemanha, que goleou em uma fase decisiva.

Pior ataque das quartas-de-final: Paraguai e Argentina, que ficaram em branco.

Surpresas positivas das quartas-de-final: Paraguai, que fez um inesperado ótimo jogo contra a Espanha depois de sucessivas partidas abaixo da crítica.

Surpresas negativas das quartas-de-final: A péssima atuação defensiva do Brasil, justo nosso ponto forte.

Zebra das quartas-de-final: A Holanda, que fez um péssimo 1° tempo mas virou sobre o Brasil com autoridade

Craque das quartas-de-final: Sneijder (Holanda), melhor em campo contra os brasileiros e autor de dois gols.

Revelação das quartas-de-final: Khedira (Alemanha), atuação espetacular contra os argentinos, anulando Messi & Cia

Golaço das quartas-de-final: O 3° gol da Alemanha, quando Schweinsteiger entrou a dribles na defesa argentina

Gol heróico das quartas-de-final: Villa (Espanha), no finalzinho na duríssima vitória da Espanha sobre o Paraguai.

‘Quase golaço’ das quartas-de-final: Jogadaça brasileira, com toques de primeira e que terminou em um chute de longe de Kaká para milagre do goleiro holandês Stekelenburg.

Defesa das quartas-de-final: Stekelenburg (Holanda), em chutaço de Kaká quando a Holanda perdia por 1×0. Menção honrosa para a defesa de Casillas no pênalti mal-batido de Oscár Cardozo. Menção honrosa para a ‘defesa’ de Luís Suárez (Uruguai)

Frango das quartas-de-final: Júlio César (Brasil), que falhou feio no 1° gol da Holanda. Contra do Felipe Melo, mas erro do brasileiro.

Burrice das quartas-de-final: Felipe Melo (Brasil), sendo merecidamente expulso após um pontapé em Robben.

Mico das quartas-de-final: O pênalti perdido pelo ganês Gyan aos 16 minutos do 2° tempo da prorrogação, que classificaria o seu time para a semifinal.

Melhor técnico das quartas-de-final: Gerardo Martino (Paraguai), que mexeu em seis posições e acertou o time paraguaio

Pior treinador das quartas-de-final: Diego Maradona (Argentina), que errou no planejamento tático e nas substituições. Dunga merece menção, pois não tirou Felipe Melo antes deste ser expulso

Melhor árbitro das quartas-de-final: Olegário Benquerença (Portugal), muito bem nos 120 min de Gana 1×1 Uruguai.

Pior árbitro das quartas-de-final: Carlos Batres (Guatemala) e seus bandeirinhas no jogo Espanha 1×0 Paraguai por não mandar bater de novo a penalidade paraguaia de Cardozo (os espanhóis invadiram) e porque não deu pênalti para Espanha no rebote do pênalti desperdiçado por Xabi Alonso

Melhor jogo das quartas-de-final: Alemanha 4×0 Argentina

Pior jogo das quartas-de-final: Espanha 1×0 Paraguai

Top das quartas-de-final: Alemanha, Holanda e Espanha

Bottom das quartas-de-final: Argentina, Brasil

Seleção das quartas-de-final: Stekelenburg (Holanda); Lahm (Alemanha), Da Silva (Paraguai), Mertersacker (Alemanha) e Boateng (Alemanha); Khedira (Alemanha), Schweingsteiger (Alemanha), Sneijder (Holanda) e Iniesta (Espanha); Villa (Espanha) e Klose (Alemanha)

VEJA TAMBÉM:

Copa 2010: Resumão da 1º rodada, os melhores e piores do Mundial