Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Tênis"

Gustavo Kuerten entra para o 'Hall da Fama' do Tênis, confira o ESPECIAL GUGA

14 de julho de 2012 2

Gustavo Kuerten, o maior tenista masculino da história do país está entrando neste sábado no Hall da Fama do Tênis Mundial. Tricampeão de Roland Garros. Número 1 do mundo em 2000. E um dos principais símbolos do esporte brasileiro.

Guga no Internacional Tennis Hall of Fame & Museum Foto: Kate Whitney Lucey / Divulgação

Guga no Internacional Tennis Hall of Fame & Museum Foto: Kate Whitney Lucey / Divulgação

Nascido na individualidade, sem um projeto organizado, sem apoio governamental ou das Federações. Que ralou muito mas conseguiu chegar no topo.

Guga, com seu carisma incomparável, é o símbolo do esporte brasileiro: que só depende de si mesmo, pois as políticas educacionais e esportivas estão muito longe de gerar um projeto permanente.

No dia em que Kuerten é imortalizado ao lado de outros monstros sagrados do tênis mundial, vale a pena rever o especial feito em maio de 2009, na época de sua aposentadoria, para o grande tenista catarinense:

  • ESPECIAL GUGA: Um mito brasileiro no tênis
  • ESPECIAL GUGA: O bi em Roland Garros
  • ESPECIAL GUGA: Líder do ranking da ATP!
  • ESPECIAL GUGA: O início do fim
  • Postado por Perin, que saúda o grande GUGA!

    Os maiores tenistas de todos os tempos - Títulos no Masculino

    10 de julho de 2012 1

    Neste último domingo, o lendário Roger Federer bateu o escocês Andy Murray e conquistou o heptacampeonato na centenária quadra de Wimbledon. Por sugestão do amigo Daniel Machado, resolvi atualizar um post de 2008 sobre o assunto, no qual dissequei estatísticas sobre este tema: os maiores vencedores da história do Tênis. Vamos à elas?

    Roger Federer beija, pela sétima vez, o troféu em Wimbledon

    Roger Federer beija, pela sétima vez, o troféu em Wimbledon

    Lembrando que são 4 os títulos de ‘Grand Slam’: Aberto da Austrália, Torneio de Roland Garros, Torneio de  Wimbledon e Aberto dos Estados Unidos.

    • RECORDE TÍTULOS NOS QUATRO ‘GRAND SLAM’

    Em setembro de 2008, quando do post original, a situação era distinta. Hoje, Roger Federer é o recordista de todos os tempos em títulos de Grand Slam: são 17 conquistas, três a mais que o norte-americano Pete Sampras, e cinco sobre Rod Emerson, australiano que jogou nos anos 60. O rival Rafael Nadal já tem 11 conquistas, enquanto Novak Djokovic tem ‘meras’ 5 conquistas. Mas é o mais novo deles…

    • RECORDE DE TÍTULOS EM UM ÚNICO ‘GRAND SLAM’

    Com a vitória de domingo, Federer chegou a sete conquistas em Wimbledon, empatando com Sampras. Federer também é o líder de conquistas na Austrália (4) e Estados Unidos (5). Já Nadal estava empatado em seis conquistas com Bjorn Borg em Roland Garros, mas superou a lenda sueca nesta temporada ao obter seu sétimo troféu.

    • RECORDES DE TÍTULOS NA CARREIRA

    O primeiro é o australiano Rod Laver, com 185 conquistas(mas só 40 na Era Profissional). Bem atrás, o norte-americano Jimmy Connors com 148 (109 pela ATP) e o tchecoslovaco naturalizado norte-americano Ivan Lendl, com 144 conquistas (94 da ATP). Para título de comparação, Federer tem 75 títulos, Nadal 50 e Djokovic 30 títulos.

    #WimbledonForever terminou, tá? O último set foi 70 a 68 para Isner!

    24 de junho de 2010 0

    Terminou hoje, enfim, depois de três dias e mais de ONZE HORAS de jogo, o jogo entre Nicolas Mahut (FRA) e John Isner (EUA), pela primeira rodada do lendário Torneio de Wimbledon e que entrou na história como jogo mais longo de todos os tempos do tênis mundial.

    Mahut e Isner do lado do histórico placar da Quadra 18 - Alaistair Grant/AP

    A vitória foi do norte-americano Isner, cabeça-de-chave número 23 por 3 sets a 2, com inacreditáveis 70 a 68 no 5º set (em games, não pontos!), totalizando 11h05min. Isner bateu o recorde de aces, com 112 contra 103 de Mahut.

    Só o quinto set durou 8h11min, superando com larga vantagem a partida (inteira!) mais longa do tênis, quando Fabrice Santoro venceu Arnaud Clement em 2004 no torneio de Roland Garros, jogo que durou 6h35min. Foram ainda 7h06min ontem, na mais longa disputa em um único dia.

    Foram ainda 183 games, superando os 112 games do jogo entre Pancho Gonzales e Charlie Pasarell na 1º rodada do Torneio de Wimbledon em 1969.

    Wimbledon tem jogo mais longo da história do tênis, e ele ainda não terminou!

    23 de junho de 2010 0

    tênis mundial chegou a diversos novos recordes nesta quarta-feira. A partida entre Nicolas Mahut (FRA) e John Isner (EUA-23º cabeça-de-chave) em Wimbledon acaba de se tornar o mais longo jogo da história do tênis mundial. De quebra ainda bateu o recorde de segmento de partida mais longa disputada em um único dia, de número de games em uma partida e ainda de aces em um único jogo.

    O jogo dura mais de dez horas, sendo iniciado ontem e encerrado no 4º set por falta de luminosidade. Recomeçou hoje e só no 5º set superou 118 games. E o mais importante: ele NÃO TERMINOU! De novo por falta de iluminação natural, o jogo será continuado amanhã. Ele está empatado em 59 a 59 games no 5ºset!Isner (EUA) vs. Mahut (FRA) - Jogo mais longo da história do tênis  mundial em Wimbledon - Crédito: http://www.wikipedia.org

    E como isto é essencial para um tenista vencer, normalmente os jogos de tênis são demorados em Wimbledon. A partida deve causar enorme discussão, pois os tenistas já estão reclamando há tempos da ausência de limites no 5º set em jogos de Grand Slam. Hoje todos os limites foram superados.

    Isto tem uma explicação: em disputas na rapídissima grama ocorrem poucas quebras de saque. A chance do jogo se tornar uma monótona confirmação de serviços é real e ocorre frequentemente. A estranha recente mudança sobre o 5º set, acabando com o tie-breaker no mesmo, causa esta distorção.

    A frase do técnico de Isner, Craig Boynton, resume tudo: “Se estiver 65×65 eu acho que vão decidir na moedinha…”

    • Primeiro set: Isner 6/4 Mahut – 32 minutos
    • Segundo set: Mahut 6/3 Isner – 29 minutos
    • Terceiro set: Isner 7/6 Mahut – 49 minutos
    • Quarto set: Mahut 7/6 Isner – 64 minutos
    • Quinto set: Mahut 59/59 Isner – 413 minutos – Total de 598 minutos

    RECORDES SUPERADOS

    Jogo mais longo da história do tênis – 9h58min (ainda em progresso) – Recorde anterior era de 6h33min, vitória de Fabrice Santoro sobre Arnaud Clement na 1º rodada de Roland Garros em 2004.

    Maior número de games da história do tênis -  165 games (ainda em progresso) – Recorde anterior era de 112 games, quando Pancho Gonzales superou Charlie Pasarell na 1º rodada de Wimbledon em 1969. Neste em apenas um SET se superou a marca.

    Maior sequência de partida da história do tênis – 7h04min disputados em 23/06 – Recorde anterior era de 6h33min no jogo completo entre Vicki Nelson-Dunbar e Jean Hepner, disputado em 1984 no Aberto dos EUA.

    Maior número de aces em um único jogo – 94 aces de John Isner (ainda em andamento)  – Recorde anterior era do croata Ivo Karlovic com 78 aces em um jogo da Copa Davis de 2009.

    Rafael Nadal vs. Fernando Verdasco: mais um "Jogos para Sempre" no Aberto da Austrália

    30 de janeiro de 2009 0

    Nadal, após mais um jogo inacreditável!!!!
    Que jogo hoje no Aberto da Austrália envolvendo Rafael Nadal e Fernando Verdasco pelas semifinais do primeiro Grand Slam de 2009. O espanhol número 1 do mundo penou para vencer seu compatriota, número 15 do ranking e sensação do torneio, em uma partida monumental na tradicional quadra de Melbourne Park. Agora parte para decidir o título contra o suíço Roger Federer, que atropelou a maioria dos adversários no torneio até agora.

    Estes números já poderiam indicar a qualidade (ou a dramaticidade do jogo). Mas são injustos, frios e insensíveis com relação ao espetáculo que podemos presenciar nesta sexta-feira.

    Verdasco simplesmente fez o melhor jogo de sua vida, enquanto Nadal teve que subir seu tênis ao máximo, algo que parecia impossível desde a histórica final de Wimbledon, ano passado contra o arquirrival Roger Federer. Este jogo foi devidamente descrito em um post de julho aqui no Almanaque Esportivo.

    O show de Verdasco sobretudo no tie-breaker do 4º set vai entrar para a história. A incrível marca de 95 winners (contra 52 de Nadla) em 193 pontos no total já deixa claro sobre como foi boa a partida do espanhol, 15º no ranking.

    Já Nadal venceu em sua especialidade: o jogo defensivo que resulta em um número ínfimo de erros não-forçados (25 a 76). O atual líder do ranking da ATP ainda se mostrou estar em ótima forma física, algo que será imprescindível contra Federer, dois sets a menos e um dia a mais de descanso antes da decisão de domingo.

    Até mesmo no placar houve alternância: Verdasco, Nadal, Nadal, Verdasco, Nadal. Um jogo histórico, de 5h14min de duração (recorde do torneio). Confiram alguns números deste jogo inesquecível:

    Parciais: 6/7(4), 6/4, 7/6(2), 6/7(1) e 6/4

    Duração do jogo: 5h14min (recorde anterior era de 5h11min entre Boris Becker e Omar Camponese em 1991)

    Aces: 12 para Nadal, 20 para Verdasco

    Erros não-forçados: 25 para Nadal, 76 para Verdasco

    Winners: 52 para Nadal, 95 para Verdasco

    Total de pontos: 192 para Nadal, 193 para Verdasco

    Que jogo… Que jogo…

    E domingo tem mais, vem aí: FEDERER X NADAL!!!!

    Postado por Perin, que adora tênis!

    Os maiores tenistas da história - Masculino e Feminino

    29 de setembro de 2008 0

    Levantamento com os dados dos maiores tenistas da história, incluindo total de títulos, recordes e curiosidades.

    MASCULINO

    Os maiores tenistas de todos os tempos, parte I

    FEMININO

    Os maiores tenistas de todos os tempos, parte II

    ESPECIAL GUGA: o maior tenista brazuca da história

    10 de setembro de 2008 0

    No dia 10 de setembro, há 32 anos nasceu Gustavo Kuerten. Guga. “O Manézinho da Ilha”.

    Tricampeão de Roland Garros. Número 1 do mundo em 2000. E um dos principais símbolos do esporte brasileiro. Nascido na individualidade, sem um projeto organizado, sem apoio governamental ou das Federações. Que ralou muito mas conseguiu chegar no topo.

    No dia que comemoramos seu aniversário, vale a pena rever o especial feito em maio, na época de sua aposentadoria, para o grande tenista catarinense:

    Postado por Perin, que saúda o grande GUGA!

    Os maiores tenistas de todos os tempos, parte II

    10 de setembro de 2008 2

    Continuando a série iniciada ontem sobre estatísticas históricas no tênis mundial, vamos abordar hoje o tênis feminino e dados consolidados ao longo da história, especialmente em torneios “Grand Slam“.

    Uma década sem uma liderança dominante, com períodos com as irmãs Williams (Serena e Venus), a belga Justine Henin (já aposentada) e as musas Maria Sharapova (russa) e Ana Ivanovic (iugoslava). Bem diferente do passado recente no qual vimos nomes como Martina Navratilova (tchecoeslovaca naturalizada norte-americana), depois Steffi Graf (Alemanha), Monica Seles (Iugoslávia) e Martina Hingis (Suíça) dominando de maneira quase absoluta o circuito feminino mundial.

    A tenista australiana Margaret Smith Court lidera todas as estatísticas individuais, masculino e feminino. Ela conquistou inacreditáveis 62 títulos de Grand Slam, contando 24 de simples, 19 de duplas e 19 de duplas mistas. Foi também a primeira mulher a conquistar os quatro títulos de Grand Slam em um só ano (1968), feito que só seria igualado vinte anos depois pela alemã Steffi Graf.

    Graff, atual esposa de André Agassi, tem 22 títulos de Grand Slam e é a segunda colocada em títulos de simples. Em terceiro, a antiquíssima norte-americana Helen Wills Moody (que competiu nas décadas de 20 e 30) com 19 títulos de Grand Slam, seguida pelas yankees com 18 Chris Evert e Martina Navratilova.

    Uma de suas maiores adversárias foi a brasileira Maria Esther Bueno, que venceu Margaret Court no Aberto dos EUA de 1963 e de Wimbledon em 1964. Bueno perdeu as finais de 1964 no Aberto dos EUA, e de Roland Garros e Wimbledon em 1965. Juntas, Maria Esther Bueno e Margaret Smith Court venceram o torneio de duplas do Aberto dos EUA em 1968.

    Aliás, a pioneira brasileira conquistou 19 títulos de Grand Slam, incluindo sete de simples, 11 títulos de duplas e 1 de duplas mistas. Algo praticamente ignorado na nossa paupérrima memória esportiva nacional. Mas digno de extremo orgulho, sobretudo para esta paulistana de muita elegância e talento.

    Graff também ficou 337 semanas na liderança do ranking da ATP, recorde absoluto no masculino e feminino. Deste período, foram 186 semanas seguidas entre 1987 e 1991, e outras alternadas nos períodos subsequentes.

    Em totais de títulos, Navratilova tem 168 títulos (recorde no masculino e feminino), seguido pela compatriota Chris Evert com 154 conquistas. Graf tem 107 títulos, ficando em terceiro lugar e muito longe das outras duas.

    Isto pode ser facilmente explicado pelo fato do tênis feminino da época ser menos desgastante fisicamente. Assim super

    Postado por Perin, que realmente gosta de esportes…

    Os maiores tenistas de todos os tempos, parte I

    09 de setembro de 2008 6

    Por sugestão do grande amigo Sérgio Braz, e influenciado pelo fantástico pentacampeonato do suíço Roger Federer no Aberto dos Estados Unidos, vamos falar hoje sobre os maiores tenistas da história, tanto no masculino quanto no feminino.

    O suíço Roger Federer, atual número dois do mundo, liderou o ranking da ATP por 237 semanas consecutivas, recorde individual e absoluto, desde 2004 até o mês passado. É, sem dúvida, o sucessor do norte-americano Pete Sampras no domínio do tênis mundial na década atual.

    Porém Federer tem tido dificuldades nos últimos tempos, e mais uma vez fracassou em sua busca pelo “Career Grand Slam” (conquistar os quatro títulos de Grand Slam em um mesmo ano) ao perder em Roland Garros para o espanhol Rafael Nadal, atual número 1 do mundo, pela terceira vez consecutiva.

    Após perder em Wimbledon, de novo para Nadal em uma fabulosa final (analisada aqui no Almanaque Esportivo), Federer viu o rival conquistar o título de simples nos Jogos Olímpicos de Pequim. Porém o suíço não esmoreceu e deu a volta por cima nesta segunda-feira, ao derrotar o escocês Andy Murray por categóricos 3 sets a 0. É um reinado em Flushing Meadows que começou em 2004 e continua até hoje, repetindo o que Federer havia obtido entre 2003 e 2007 em Wimbledon.

    Assim, Federer superou o australiano Rod Emerson e possui agora 13 títulos de Grand Slam. O líder histórico é Pete Sampras com 14 conquistas, feito que pode ser igualado no Aberto da Austrália, em 2009.

    No total, são cinco títulos em Wimbledon, outros cinco no Aberto dos Estados Unidos e mais três no Aberto da Austrália. Nomes consagrados como o sueco Bjorn Borg e o também australiano Rod Laver possuem 11 títulos.

    Já os norte-americanos André Agassi, Ivan Lendl (este tchecoeslovaco de nascimento) e Jimmy Connors estão bem mais para trás, com oito Grand Slam. O brasileiro Gustavo Kuerten tem três, todos em Roland Garros: 1997, 2000 e 2001.

    Em títulos na carreira, Federer está longe dos primeiros com seus 56 títulos. O primeiro é o australiano Rod Laver, com 185 conquistas(mas só 40 na Era Profissional). Bem atrás, Connors com 148 (109 pela ATP) e Lendl, com 144 conquistas (94 da ATP).

    Amanhã, dados do tênis feminino e principais tenistas de todos os tempos!

    Postado por Perin, que gosta muito de tênis

    Wimbledon 2008, Nadal vs. Federer: um jogo imortal

    07 de julho de 2008 2

    Nadal e Federer, no maior jogo de todos os tempos

    Quem assistiu ontem a final do torneio de Wimbledon viu um jogo que entrará na história. Depois de 4h48min e 66 games (recordes na história de finais masculinas em Wimbledon), o espanhol Rafael Nadal fez o que parecia ser quase impossível: destronar o suíço Roger Federer em uma quadra de grama. O placar de 6/4, 6/4, 6/7(5/7), 6/7 (8/10) e 9/7 diz muito sobre como foi o jogo, com dois sets decididos no “tie-breaker” e repleto de alternativas.

    E assim acabou uma invencibilidade de 65 jogos no templo do tênis mundial para um dos maiores tenistas de todos os tempos. A partida de ontem, interrompida duas vezes por causa da chuva, tem tudo para ser lembrada por décadas. Os mais de 13 mil espectadores presentes ao All England Club, viram jogadas excepcionais de dois tenistas no auge da forma física e técnica. Maravilhados, viram Nadal abrir dois sets de vantagem, Federer se recuperar nos dois sets seguintes. No set decisivo, Nadal superou o próprio nervosismo e bateu Federer em 9 a 7.

    Vice-campeão do torneio nos últimos dois anos, Nadal impediu um inédito hexacampeonato de Federer, número 1 do ranking da ATP desde 2004. De quebra, diminuiu a diferença entre ambos e manteve a supremacia em decisões: são 10 vitórias do espanhol em 14 finais.

    A derrota foi particularmente dolorosa para Federer, que já havia sido derrotado em 2008 no saibro de Roland Garros (a especialidade de Nadal). Ele aliás é o primeiro, desde o sueco Bjorn Borg em 1980, a conquistar Roland Garros e Wimbledon no mesmo ano. Fato especialmente singular devido às características diametralmente opostas do saibro lento francês para a rápida grama inglesa.

    O SPORTV tem uma série de documentários especiais, que sempre vai ao ar no final de ano, chamada “Jogos para Sempre”. Nela, jogos épicos de futebol envolvendo times ou seleções são “escarafunchados” em detalhes. Se isto for feito para o tênis, temos mais um jogo para jamais esquecer.

    O duelo está sendo comparado com a mítica final de Wimbledon em 1980, do sueco Bjorn Borg contra o polêmico norte-americano John McEnroe, vencida pelo primeiro que então conquistava o pentacampeonato. No ano seguinte, McEnroe deu o troco, acabando com a invencibilidade de 5 anos de Borg em Londres e impedindo o hexa do sueco.

    O inesquecível jogo, em uma época que o também norte-americano Jimmy Connors era um dos principais tenistas, ficou marcado também pelo 4º set. Chamado de “o maior tie-breaker” de todos os tempos, este set foi vencido por McEnroe por 19 a 17. Um compacto do jogo, com sete match points salvos por McEnroe antes da vitória de Borg: