Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Acidente"

Ex-modelo canadense estreia na NASCAR e quase provoca acidente grave

26 de agosto de 2011 1

Maryeve Dufault, ex-modelo canadense, estreou neste final de semana na NASCAR Nationwide Series, a Segunda Divisão da principal categoria do automobilismo americano. De 29 anos, a ex-pilota de motocross, kart e categorias menores, disputou o GP de Montreal, no Canadá, depois de uma boa temporada pela ARCA Series.

Na volta 14, ela (com o carro 81) rodou após leve toque em sua traseira e ficou com o carro parado em uma curva perigosa no traiçoeiro circuito Gilles Villeneuve. Atrapalhada por um erro dos fiscais de pista, que não sinalizaram bandeira amarela, Dufault girou o carro e ficou na contra-mão, mas fora da pista. Não satisfeita, errou no cálculo do ‘cavalo de pau‘ e, aí sim, quase provou um desastre de graves proporções.

Confiram:

Querem saber mais sobre a moça (bonita sim), então confiram: http://maryeveracing.com/

Grave acidente assusta nas 24 horas de Le Mans; escocês sai ileso

11 de junho de 2011 1

O piloto escocês Alan McNish saiu ileso de um grave acidente neste sábado, ainda na primeira das 24h de Le Mans. O piloto da Audi tocou em Shaun Lynn e ambos saíram da pista em alta velocidade. Ao tocar na barreira de pneus, o carro de McNish decolou e capotou, com destroços quase acertando membros da imprensa e comissários de pista atrás da barreira.

Apesar da violência do impacto, que destruiu completamente o carro, McNish nada sofreu. Ele participava da prova, que ficou interrompida por mais de uma hora, com o dinamarquês Tom Kristensen e ainda o italiano Rinaldo Capello, em um dos carros favoritos à vitória. A prova segue em andamento.

VEJA TUDO QUE JÁ SAIU SOBRE AS 24 HORAS DE LE MANS NO ALMANAQUE ESPORTIVO

Venezuelano sofre acidente fortíssimo na Indy Lights em Indianápolis

27 de maio de 2011 2

O venezuelano Jorge Gonçalves escapou ileso de uma batida violenta na corrida desta sexta-feira pela Indy Lights em Indianápolis. Faltando sete voltas para o final, Gonçalves  disputava posição com Anders Krohn e Bryan Clauson, quando Krohn perdeu o controle e rodou. Para desviar do companheiro de equipe, Gonçalves reduziu e desviou, perdendo o controle do carro e batendo espetacularmente no muro interno do circuito.Por algum milagre, Gonçalves não se machucou. A prova foi vencida pelo norte-americano Josef Newgarden.  Vejam as imagens:

Minha memória recordou outro acidente, este de triste lembrança. Nas 500 milhas de Indianápolis de 1973, o piloto Swede Savage perdeu o controle e bateu na mureta interna da pista, tal qual ocorreu com Gonçalves.Porém o resultado foi catastrófico, o carro explodiu no choque e se desintegrou. Um mecânico de sua equipe, Armando Teran, saiu correndo para ajudar mas foi atropelado por um caminhão de bombeiros e morreu imediatamente.

Savage liderava a prova naquele momento. Milagrosamente, ele saiu da pista consciente mas com várias lesões. No hospital, recebeu uma transfusão de plasma contaminado e desenvolveu Hepatite-B. Savage, de 27 anos, morreu de falência do fígado 33 dias depois do acidente.

O lado engraçado da Fórmula-1

12 de maio de 2011 0

A sequência de vídeos abaixo mostra momentos mais bizarros e engraçados da Fórmula-1 em todos os tempos.  Tem de tudo no vídeo 1: acidentes estúpidos, os famosos “F1 fingers” (impublicáveis), momentos de bastidores, gafes de pilotos (duas do campeão mundial Kimi Raikkonen), a famosa briga de Nélson Piquet com Eliseo Salazar a socos no GP da Alemanha em Hockenheim, 1983. Pit-stops desastrados

No vídeo dois, seguem as bobagens: a sequência de aquaplanagens em Nurburgring, mais gafes de bastidores. Piquet e Alain Prost em divertidas provocações, etc.

E este com momentos mais recentes:

Spa-Francorchamps: Acidente grave causa lesões em piloto britânico

11 de maio de 2011 1

Um violento acidente causou lesões no piloto britânico Joey Foster em treinos preparatórios para os 1.000km de Spa Francorchamps, na Bélgica. O piloto perdeu o controle de sua na lendária Eau Rouge, decolou na zebra, bateu na proteção de pneus  e foi parar do lado de fora da pista. Foster, de 28 anos,  sofreu lesões na coluna, fraturando uma vértebra, mas não corre risco de vida. Ele está sendo tratado em um hospital belga.

O acidente é bem parecido com os ocorridos em 1999 envolvendo o canadense Jacques Villeneuve e o brasileiro Ricardo Zonta:

O primeiro deles foi com Jacques Villeneuve, que perdeu o controle do carro na segunda perna da curva e bateu violentamente na barreira de pneus. O treino foi interrompido e Villeneuve nada sentiu.

Porém logo após o reinício do treino, foi a vez do brasileiro Ricardo Zonta, também da BAR, bater na mesma curva, saindo quase do mesmo jeito. O acidente foi mais violento, mas Zonta igualmente não se machucou. Vejam a cena:

Opinião: até quando pilotos vão morrer para algo ocorrer na CBA

04 de abril de 2011 2

A trágica morte de Gustavo Sondermann, aos 29 anos em uma corrida de Copa Montana ontem em Interlagos explodiu uma revolta que já ocorria há algum tempo no meio do automobilismo brasileiro. O que era silencioso ficou evidente e, acima de tudo, cristalino nos comentários de pilotos e jornalistas brasileiros especializados no assunto.

É evidente que o acidente é inerente ao esporte automotor, e que uma batida especificamente em “T”, ou seja, quando um piloto fica atravessado na pista e recebe um choque de outro carro em alta velocidade, é a mais mortífera de todas. Exatamente como a de ontem com Sonderman, e igualzinha à morte de Rafael Sperafico em 2007 na mesma curva.

O problema é que não foi o primeiro e nem será o último acidente na Curva do Café e não se vê definições da Confederação Brasileira de Automobilismo, uma entidade encastelada em si só (CBF), muito longe do esporte o qual se diz representante (na FIA, inclusive) e, principalmente, dos anseios da comunidade esportiva.

Isto é um reflexo do descaso no qual a entidade está mergulhado desde os nefastos anos sob comando de Paulo Scaglione, entre 2001 e 2009. A atual gestão de Cleyton Pinheiro recebe igualmente as mesmas críticas. Hoje um piloto de Stock Car paga 40 mil reais só para se inscrever na categoria máxima do automobilismo brasileiro, e o mesmo ocorre em todas as demais divisões e níveis.

Não existem critérios técnicos e o interesse financeiro impera absoluto em todas as categorias, cmo disse o jornalista Victor Martins em um longo desabafo “A Hora da Mudança. Ou seja, com dinheiro qualquer um pode correr em qualquer categoria. Para piorar, nada deste dinheiro vai para os esportes de base ou condições de segurança das pistas, como a ultrapassada Tarumã.

Sobre Interlagos, palco da Fórmula-1 desde 1990, o primeiro comunicado do presidente Cleyton Pinheiro foi colocar a culpa na FIA. Duvidam? Então leiam por vocês mesmos. Enquanto isto, ano passado o vice-presidente da CBA, Antonio dos Santos Neto, foi preso em setembro por fraude na Secretaria de Saúde do Pará. O ex-presidente da Federação Paraense (que não faz nada pelo esporte), segue no site oficial da entidade.

Hoje, o jornalista e acima de tudo amante do automobilismo Galvão Bueno fez uma “Carta Aberta” pedindo providências ali. Bruno Senna, Rubens Barrichello e Felipe Massa (amigo de infância de Sondermann) mostraram irritação e tristeza com o acidente que vitimou Sondermann.

Todos estes acidentes terem ocorrido na “Curva do Café” em Interlagos parecem ser sintomáticos. Falta coragem de mudar aquela pista, recuando as arquibancadas e aumentando a área de escape, ou simplesmente colocando uma chincana ali. Os pilotos que atuam no Brasil se mostraram profundamente tristes e revoltados, acusando a CBA de absoluto descaso com o esporte no país.

Felipe Maluhy, da Stock Car,  informou que desde 2008, após o acidente de Sperafico, se cogitam mudanças. A mais simples é a criação da chincana móvel utilizada em provas de motociclismo, e a outra é o já especificado recuo da arquibancada. Na primeira, os pilotos reclamaram e na segunda as questões financeiras rechaçaram.

Sérgio Jimenez, da veloz categoria GT3, chutou o balde: “Vão esperar quantos pilotos se fuderem pra fazer área de escape ali? Pagamos impostos pra quê? O templo do automobilismo brasileiro, custa afastar o muro? Custa quanto? É muito difícil ou vamos esperar morrer mais um piloto?”

Se vocês acham que pilotos não fazem nada pela categoria, vejam o que Émerson Fittipaldi e Jackie Stewart fizeram pela seguranças nas pistas do mundo inteiro na inesquecível série “Segurança nas Pistas”, do Almanaque Esportivo

VEJA TAMBÉM – OUTROS ACIDENTES NA CURVA DO CAFÉ

Rafael Sperafico morreu em 2007 na Stock Car:

Este ano, o fotógrafo João Lisboa, de 52 anos, morreu ali em um ‘track day’, com a pista aberta ao grande público. Ali também ocorreu o gravíssimo acidente de 2003 na Fórmula-1, envolvendo Mark Webber, Fernando Alonso e Giancarlo Fisichella.


Mais um acidente em 1999, quando o francês Stephane Sarrazin bateu e ricocheteou para dentro da pista no GP Brasil de F-1, mas felizmente ninguém o acertou:


SÉRIE COMPLETA – SEGURANÇA NA FÓRMULA-1


Há algo de muito podre no Reino da Confederação Brasileira de Automobilismo.

E não é de agora.

Com informações do site Grande Prêmio – http://www.grandepremio.com.br

Alambrado cai na Espanha; confira outros acidentes semelhantes no Brasil e Mundo

22 de janeiro de 2011 0

O jogo Granada 2×1 Recreativo Huelva, pela Segunda Divisão da Espanha, quase terminou em tragédia. Emocionados com a vitória de virada com 1 jogador a menos desde o primeiro tempo, torcedores do Granada foram comemorar com os atletas e o alambrado cedeu. Cinco ficaram feridos, sem gravidade.

O Huelva vencia por 1×0 desde o primeiro tempo, quando Roberto fez pênalti e foi expulso. Muñoz fez 1×0 para os visitantes. Em um jogo emocionante, os dois times perderam vários gols até que Orellana empatou aos quinze do segundo tempo. Faltando dois minutos para o término da partida, Mainz virou o jogo para o Granada e foi comemorar com a torcida. O alambrado cedeu, vejam imagens:

O curioso é que o acidente lembra muito outro fato igualmente ocorrido em gramados espanhóis. Foi com o atacante Martin Palermo, então no Villarreal. Em um jogo contra o Levante pela Copa do Rey, Palermo foi comemorar com a torcida um gol e o alambrado cedeu, exatamente como hoje. Porém na ocasião, Palermo sofreu uma lesão grave e quebrou a perna. Vejam as imagens:

Certa vez Marcelinho Carioca foi jogar a camisa para a torcida em um estádio do interior paulista quando o muro cedeu e vários torcedores do Corinthians tiveram lesões graves. Foi em um amistoso contra o Taubaté em 1995

Outro fato histórico ocorreu em 1964, em um jogo do Santos de Pelé contra o Corintihans pelo Campeonato Paulista. Absurdamente, mais de 33 mil torcedores foram na acanhada Vila Belmiro. Supelotado, o alambrado cedeu ao peso dos torcedores e caiu. Mais de 180 feridos naquele acidente:

O mais grave ocorreu na final do Campeonato Brasileiro de 2000, a Copa João Havelange. O Vasco da Gama recebia o São Caetano, quando uma confusão acabou causando a queda do alambrado do estádio de São Januário, causando quase 200  feridos:

Acidente nos boxes em Monza: vejam a gravidade do incidente!

13 de setembro de 2010 4

Todos que acompanharam o GP da Itália de Fórmula-1, disputado em Monza no último domingo, souberam que algo errado aconteceu nos boxes e que um mecânico da Hispania saiu ferido pelo carro do japonês Sakon Yamamoto.

A multa de 20 mil dólares para a Hispania GP por causa do incidente foi pouco perto da gravidade do ocorrido.Hoje o circuito interno do autódromo divulgou as imagens. O mecânico passa bem.

Neste caso, a culpa é sempre do mecânico e não do piloto. Foi o mecânico que tirou o ‘pirulito’ enquanto o responsável pelo abastecimento (vários avisaram, ÓBVIO que não tem reabastecimento. Ele deve ter ido verificar algo na saída de ventilação do motor) estava ainda na frente da roda, causando o acidente:

Isto me lembrou o grave acidente envolvendo o Michael Andretti na Fórmula-Indy. Lembro da cena mas não lembro ano, pista, nada. Sei que o mecânico não ficou seriamente ferido.

Batida na Fórmula Superliga lembra gravíssimo acidente de 1988 na F-3000 em Brands Hatch

01 de agosto de 2010 0

Recebi via Twitter (@perin1979) a imagem do acidente impressionante envolvendo o neozelandês Chris van der Drift na Fórmula-Superliga em Brands Hatch (Inglaterra), neste domingo. A dica foi do amigo português Paulo Teixeira, do excepcional blog Continental Circus

Ele, que defende as cores do time grego Olympiacos, decolou ao tocar na roda de Julien Jousse (Roma), e acertou o barranco, acima do guard-rail.Depois do acidente, van der Drift quebrou o tornozelo, teve lesões no ombro e ainda escoriações, mas passa bem.

Vejam as cenas:

O impressionante é que a batida de hoje imediatamente me lembrou do acidente de 1988 na F-3000 nesta mesma pista, neste mesmo local. Na ocasião, o suíço Gregor Foitek (que já tinha jogado o brazuca Roberto Moreno no muro um pouco antes) jogou violentamente o inglês Johnny Herbert para fora.O que sobrou do carro de Johnny Herbert

Este voltou após acertar o guard-rail e levou uma pancada violenta do francês Olivier Grouillard, envolvendo acertou mais cinco carros, incluindo os futuros pilotos da F-1 Claudio Langes e Aguri Suzuki. O resultado foi catastrófico: Foitek desmaiou, Grouillard quebrou o tornozelo e Herbert quebrou as duas pernas e quase teve um pé amputado.

Vejam as cenas:


No hospital, os pais de Foitek e Herbert saíram no soco. Foitek tomou uma pesada suspensão e ainda ficou com a carreira marcada para sempre por causa deste acidente em Brands Hatch. Herbert, de contrato assinado com a Benetton, quebrou as duas pernas e quase encerrou a carreira, voltando a correr com confiança apenas em 1990.

A corrida foi reiniciada com apenas seis pilotos, vencida por Martin Donnelly. Curiosamente este viria a sofrer um acidente dramático na F-1 em Jerez de la Frontera dois anos depois em um carro idêntico, fisicamente falando, ao de Herbert. Outros pilotos da F-1 que correram aquele dia: o carismático Jean Alesi, os medianos Pierluigi Martini, Mark Blundell e Eric Bernard e os menos conhecidos Paolo Barilla, Wolker Weidler, Marco Apicella e Andrea Chiesa.

Foitek correu na F-1, mas não fez nada. Grouillard teve alguns mínimos momentos, enquanto Herbert depois de um contrato encerrado na Benetton sem condições físicas, foi para a Lotus aonde correu ao lado de um novato Mika Hakkinen. Ele mais veterano, com um estilo cerebral e de poucos erros, acabou vencendo corridas na Benetton (muitos anos depois, já em 1995) e na Stewart.

Sem dúvida, foi o piloto de maior sucesso na categoria dos envolvidos naquele final de semana dramático em Brands Hatch.

O que você faria se dois caminhões de 4 toneladas viessem em sua direção?

28 de julho de 2010 2

Este aí continuou filmando! Vejam as imagens do acidente de domingo na Fórmula Truck em Interlagos, filmadas por um cinegrafista amador:

Por isto que eu repito o que eu disse para minha esposa SEGUNDOS antes do acidente: não gostaria de depender da segurança dos autódromos brasileiros para escapar ileso em uma batida da Fórmula Truck.