Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Atlético-MG"

Desempenho: Corinthians liderou por 27 rodadas, vejam outras curiosidades

06 de dezembro de 2011 0

Nada mais justo que o título brasileiro de 2011 para o Corinthians. O time de Parque São Jorge liderou o Brasileirão por 27 de 38 rodadas, um aproveitamento realmente espetacular.  Só uma rodada abaixo do G5 (naquela rodada o Vasco não estava entre os melhores), então absolutamente merecido.

Quem realmente bobeou foi o São Paulo, que ficou 29 das 38 rodadas na zona da Libertadores, mas acabou de fora, assim como Botafogo (31 rodadas) e Palmeiras (13 rodadas). Já o Internacional ficou apenas 3 rodadas no G5, e acabou obtendo a vaga. Em uma campanha absolutamente média, o Grêmio ficou 11 rodadas na insossa 12º colocação, posição aliás que acabou encerrando a competição.

Na ponta de baixo, o Atlético-MG ficou 15 rodadas no Z4 e escapou, assim como o Atlético-GO (6 rodadas) e o Cruzeiro (4 rodadas). O Avaí ficou todo o Brasileirão na zona de rebaixamento, sendo rebaixado merecidamente em último lugar. Outro que jamais saiu do Z4 foi o Atlético-PR. Porém foi o América-MG, também rebaixado (e 34 rodadas no Z4), quem ficou mais tempo na lanterna: 21 jogos.

Confira a relação completa (tabela NACOPA.NET):

Mapa do Desempenho - Brasileirão 2011 - Foto: Arquivo Pessoal

A "Maldição dos oito anos" vai rebaixar o 6º time: o Cruzeiro! Será?

23 de novembro de 2011 1

Os ‘números‘ são incontestáveis: o Cruzeiro será rebaixado! Ao menos é o que indica a já conhecida “Maldição dos oito anos” para deleite dos arquirrivais atleticanos.Campeão brasileiro em 2003, há exatos oito anos, a Rap0sa vive um momento desesperador no atual Brasileirão de 2011

Até hoje quatro CINCO (valeu Augusto Faber Flores!) campeões brasileiros tiveram o desprazer de serem rebaixados oito anos depois. O primeiro foi o Coritiba, campeão em 1985 e rebaixado em 1993. Depois, o Palmeiras, em 1994 e rebaixado em 2002. Depois o Grêmio, campeão em 1996 e rebaixado em 2004. A próxima vítima foi o Corinthians, campeão em 1999 e rebaixado em 2007. E o último amaldiçoado foi o Vasco da Gama, campeão em 2000 e rebaixado em 2008.

OBS: O curioso é que o Atlétic0-MG foi rebaixado em 2005 mas não foi campeão em 1997, caindo na fase semifinal da Série A.

OBS2: Os meus amigos cruzeirenses (Lincolm, Thiago) vão me matar…

Futebol do interior gaúcho se afunda atrás de MG no cenário nacional

05 de novembro de 2011 1

Acreditem: em Santiago do Chile estão discutindo o Gauchão 2012! Lamentavelmente, temos outra reunião da Federação Gaúcha de Futebol para discutir o Estadual 2012 no exterior, repetindo o que já aconteceu em outras duas oportunidades, com tudo bancado para os dirigentes dos clubes. Enquanto se vê um mundo de fantasia com a alta cota 650 mil reais de cotas distribuídas aos times do interior do RS, caminhamos para trás no cenário nacional.

Sim, é evidente que Grêmio e Internacional seguem protagonistas no cenário de elite, mas estou falando dos demais times. Caiu para a metade a representatividade do interior gaúcho no cenário nacional.Existe um abismo financeiro entre a Primeira Divisão gaúcha e o resto, brilhantemente analisado por Iuri Müller e Maurício Brum no artigo: Interior gaúcho: os longos caminhos de um futebol sem dinheiro. Em competições nacionais há pouco apoio financeiro para as viagens longas.

No início do ano, fiquei escandalizado com a Série “Los de Abajo” no magnífico “Impedimento.org“, em especial com a penúria do Gaúcho de Passo Fundo.

Wolmar Salton, estádio do Gaúcho de Passo Fundo, preciso falar algo? - Foto: Sport Club Gaúcho

Nesta entrevista ao site Peleia FC, o presidente Novelletto diz: “Eu vou te dar o exemplo de Santa Catarina. Lá são pólos, aqui nós temos Grêmio e Internacional. Em Santa Catarina cada cidade tem seu pólo regional e por isso eles são fortes em séries C e B. Aqui não, eles torcem para o Inter de Porto Alegre e o Grêmio. Você vai a Joinville e lá não tem  ninguém torcendo para Avaí e Figueirense. Já aqui tudo flui para lado de Grêmio e Inter, por isso temos dois grande clubes supercampeões mundiais, que por um lado é bom, mas em contra partida, temos um futebol do Interior bastante fraco.”

Esta análise está correta, porém parte de uma premissa errada: a comparação não pode ser feita com o futebol catarinense e sim com o futebol mineiro, que também tem 2 grandes clubes de massa no estado dividindo as atençõees. E olha que Minas Gerais é tradicionalmente muito fraco nos clubes do interior, mesmo considerando o América-MG desta maneira.

  • Em 2002, quando Novelleto substituiu Emídio Perondi e assumiu a FGF, o RS tinha 3 times na Série A (Grêmio, Internacional e Juventude), 1 na B (Caxias) e 2 na Série C (Brasil de Pelotas e Ulbra).
  • Em 2012 terá : 2 times na Série A (Grêmio e Internacional), nenhum na Série B há 5 anos, Caxias na Série C.
  • Em 2002, MG tinha 2 times na Série A (Atlético-MG e Cruzeiro), 1 na Série B (América-MG) e 2 na Série C (Ipatinga e Tupi).
  • Em 2012, o futebol mineiro terá (considerando a indefinição do rebaixamento na Série A): 5 times nas Séries A e B (América-MG, Atlético-MG, Cruzeiro, Boa e Ipatinga), mais o Tupi na Série C.

Enquanto o RS caiu de 6 para 3 times, MG subiu de 5 para 6 nas mesmas divisões. E Ipatinga e América-MG foram promovidos para a Primeira Divisão, algo que não esteve nem perto de ocorrer com nenhum time gaúcho.

Um dos grandes problemas é o calendário do Gauchão. O que na tese de Novelletto é bom, 16 times na Série A com um regulamento que exige muitos jogos, na prática se torna um tiro no pé. A Dupla Gre-Nal joga muitas vezes com time reserva, especialmente se estão na Libertadores, e isto afugenta o público e cria desinteresse da opinião pública. O Campeonato Mineiro tem apenas 12 times e muitas datas a menos: 15 contra 21 23 (valeu, André pela correção).

Mudanças urgentes deveriam estar sendo tomadas por clubes do interior.

Mas quem está na Primeira Divisão não pensa em mudar.

E quem comanda não consegue ver outras soluções.

Pobre futebol gaúcho.

Libertadores 2011 - Ranking de participações de times brasileiros

09 de dezembro de 2010 13

Com a vitória do Independiente na final da Copa Sul-Americana, a última vaga brasileira na Copa Libertadores 2011 ficou com o Grêmio. Sendo assim, os seis times brasileiros na competição serão: Internacional (atual campeão), Santos (campeão da Copa do Brasil), Fluminense (campeão brasileiro), Cruzeiro (vice-campeão), Corinthians (3º colocado) e Grêmio (4º lugar).

Até hoje, 27 times brasileiros disputaram a principal competição continental, com 14 conquistas. Pela primeira vez desde 2003, o São Paulo não irá disputar a competição, na qual é o maior campeão brasileiro (3 conquistas) e time que mais disputou (15 participações). O Palmeiras, que disputou 14 vezes o torneio, também está de fora. Já o Grêmio vai para sua 13º participação, quatro a mais que o Internacional (9 disputas).

Confiram o ranking completo:

  1. São Paulo – 15 disputas – 3 títulos
  2. Palmeiras – 14 disputas – 1 título
  3. Grêmio – 13 disputas – 2 títulos
  4. Cruzeiro – 13 disputas – 2 títulos
  5. Santos – 11 disputas – 2 títulos
  6. Flamengo – 10 disputas – 1 título
  7. Internacional – 9 disputas – 2 títulos
  8. Corinthians – 9 disputas
  9. Vasco da Gama – 7 disputas – 1 título
  10. Atlético-MG – 4 disputas
  11. Atlético-PR – 3 disputas
  12. São Caetano – 3 disputas
  13. Fluminense – 3 disputas
  14. Botafogo – 3 disputas
  15. Guarani – 3 disputas
  16. Bahia – 3 disputas
  17. Sport – 2 disputas
  18. Coritiba – 2 disputas
  19. Criciúma – 1 disputa
  20. Paysandú – 1 disputa
  21. Paraná – 1 disputa
  22. Goiás – 1 disputa
  23. Santo André – 1 disputa
  24. Paulista – 1 disputa
  25. Náutico – 1 disputa
  26. Bangu – 1 disputa
  27. Juventude – 1 disputa

Grêmio e Cruzeiro 'lideram' tabela do returno na Série A, Avaí é apenas o 18º

30 de setembro de 2010 0

O Grêmio lidera a tabela do segundo turno do Campeonato Brasileiro 2010 ao lado do Cruzeiro. Em sete jogos, os dois times obtiveram 16 pontos em 21 possíveis, com vantagem tricolor no saldo de gols (+8 contra +6). Palmeiras e Atlético-PR estão logo atrás com 14 pontos, comprovando a recuperação de ambos nas últimas rodadas.

O líder Fluminense é o 5º com 13, o Corinthians tem 11 pontos em 8º lugar e o Internacional é o 9º com 10. O último colocado é o Grêmio Prudente, com apenas quatro pontos, ele que é também o lanterna do Brasileirão. Seguido de perto pelo Atlético-MG, com cinco, e o Avaí com iguais cinco pontos em 18º lugar.

Confiram a tabela completa, cortesia da planilha do http://tabelasdefutebol.blogspot.com

Returno do Brasileirão - Arquivo Pessoal

Antecipação da janela beneficia mais da metade dos times da Série A

19 de julho de 2010 5

Fiz esta pesquisa rápida e achei todos estes jogadores que foram beneficiados com a antecipação da janela de transferências. Pouca gente notou que o tamanho da mesma segue o mesmo, 30 dias. Vai abrir dia 19/07 e fechar no dia 19/08.

Isto significa que um time, por exemplo o Grêmio, pode contratar um jogador do exterior até o dia 19 de agosto. Mas poderá vender um jogador até o dia 31/08. Vale lembrar o princípio básico da janela de transferências: ela vale para quem compra e não para quem vende.

São pelo menos 11 times da Série A beneficiados, e diversos outros da Série B (que normalmente repatria brasileiros de mercados menores). Dia destes o pai de um deles me procurou para tirar dúvidas, um garoto que vai atuar na Série B. A FGF fala em até 60 jogadores.

A lista deve ser bem maior, estes são os 100% confirmados:

Ranking da Copa do Brasil - proposta de ranking diferente

17 de março de 2010 8

Para se elaborar um ranking histórico da Copa do Brasil, somar pura e simplesmente todos os resultados da história não é mais o critério mais adequado. IMPORTANTE:Lembrando que isto é apenas um levantamento histórico, para discussão de boteco.

Somando os títulos, o resultado é simples. Neste caso o Grêmio e o Cruzeiro dominam amplamente a competição com quatro títulos. O Grêmio tem dois vices a mais, então fica à frente do time mineiro. O Corinthians é o terceiro com três conquistas, o Flamengo tem dois títulos e todos os demais times levaram uma vez. 

Mas o somatório pura e simples não é legal. Isto porque desde 2002 os times brasileiros na Taça Libertadores não disputam a Copa do Brasil. Ou seja, um time que disputa todos os anos a Copa do Brasil significa que não disputa a Libertadores há muito tempo, e tem sido insuficiente. Vasco da Gama, Atlético-MG e Botafogo seriam beneficiados nesta análise. 

Manter o critério antigo, mais simples e correto, seria prejudicar quem conquista a chance de disputar a Libertadores. Então o amigo gremista Edison Klein, louco por estatísticas e grande colaborador do Almanaque Esportivo, bolou outra maneira de analisar os times. Ela leva em conta o desempenho de cada time na competição e também quantas participações o time teve. 

É o melhor ranking? Não sei, acho que não existe resposta para esta pergunta. Mas certamente é mais justo. No Campeonato Brasileiro, eu prefiro o somatório de pontos pelo simples fato de que, se um time não disputa o Brasileiro, é por demérito seu e não por prêmio, como ocorre na Copa do Brasil. 

No primeiro critério (premiação analisado com número de disputas), o líder é o Paulista de Jundiaí: disputou uma vez e levou o título. o Santo André tem 1 título em 2 anos. O Flamengo é o terceiro e o Grêmio é o quarto, certamente prejudicado por ter sido eliminado precocemente nas últimas participações.

Outro time pequeno presente é o 15 de Novembro de Campo Bom, que foi às semifinais e 3º fase em dois anos seguidos. De longo histórico de micos na competição apesar de um título e um vice-campeonato, o Inter é apenas o 13º colocado.

Já no segundo, como era de se esperar, o líder é o Grêmio, seguido de perto pelo Flamengo e Corinthians. Neste, os times brasileiros mais tradicionais são a maioria e apenas o Atlético-MG nunca conquistou uma Copa do Brasil.

Grêmio Campeão da Copa do Brasil 2001 - Crédito: Reprodução site http://www.torcedor.gremista.non.br

CRITÉRIOS

CAMPEÃO – 16 PONTOS
VICE    - 12 PONTOS
ELIMINADO NAS SEMIFINAIS – 8
ELIMINADO NAS QUARTAS    - 4
ELIMINADO NAS OITAVAS    - 2

O ÍNDICE DE PARTICIPAÇÃO LEVA EM CONTA A SOMA DE PONTOS DIVIDIDO PELO NRO DE PARTICIPAÇÕES
O ÍNDICE GERAL LEVA EM CONTA A SOMA DE PONTOS DIVIDIDO PELO NRO DE EDIÇÕES DO TORNEIO

10 PRIMEIROS NO ÍNDICE DE PARTICIPAÇÃO

EQUIPE              PTOS   PART     INDICE

1°) PAULISTA              16     1     16,0000
2°) SANTO ANDRÉ           16     2      8,0000
3°) FLAMENGO             120    15      8,0000
4°) GRÊMIO               124    17      7,2941
5°) CRUZEIRO             100    15      6,6666
6°) CORINTHIANS          110    17      6,4705
7°) PALMEIRAS             72    14      5,1428
8°) XV DE NOVEMBRO – RS   10     2      5,0000
9°) SÃO PAULO             50    11      4,5454
10°) FLUMINENSE            68    15      4,5333

10 PRIMEIROS NO ÍNDICE GERAL

1°) GRÊMIO               124    17      5,9047
2°) FLAMENGO             120    15      5,7142
3°) CORINTHIANS          110    17      5,2380
4°) CRUZEIRO             100    15      4,7619
5°) VASCO DA GAMA         84    19      4,0000
6°) PALMEIRAS             72    14      3,4285
7°) FLUMINENSE            68    15      3,2380
8°) INTERNACIONAL         64    18      3,0476
9°) ATLÉTICO-MG           64    18      3,0476
10°) SPORT RECIFE          54    15      2,5715

Neste ranking, o Inter está em 13.lugar, com 64 pontos,   em 18 participações, com um índice de 3,5555

Time escocês não ganha nada há 119 anos. E do Brasil, quais são os maiores jejuns de títulos?

26 de fevereiro de 2010 17

O levantamento de hoje irá indicar os maiores períodos sem conquistas de títulos nacionais e internacionais. Lendo o sempre instrutivo blog Futebol e História, do meu amigão Carlos Henrique Oliveira, soube que o Dumbarton Football Club. é o time sem títulos há mais tempo no planeta, considerando-se apenas títulos de primeira divisão e copas nacionais.

OBS: para alguns que não entenderam, vou desenhar: o critério de jejuns nacionais é o mesmo e considera Copa do Brasil e Brasileirão! Já para as conquistas internacionais vale o critério competição oficial.

Dos clubes em atividade, a equipe escocesa é a que está há 119 anos sem conquistas nacionais ou internacionais. Foi bicampeão escocês na temporada 1890/91 e 1891/92, curiosamente os dois primeiros da história daquele país. Desde então, necas de pitibirbas e mais detalhes no blog do CH. O pobre Dumbarton, que jogou mais de 120 anos no mesmo estádio, hoje está na Terceirona Escocesa…

Porém e no Brasil? Deixando claro os critérios idênticos ao levantamento do CH, o que exclui títulos estaduais e regionais, o campeão no jejum nacional é o Atlético-MG. São 39 anos sem conquistas do clube mineiro desde o Campeonato Brasileiro de 1971 (também curiosamente o primeiro por aqui). Em segundo lugar, o Guarani-SP, que não ganha desde 1978 um título nacional, seguido pelo Coritiba, hoje na Série B e que não vence um título nacional há 24 anos.

Internacionalmente falando, a questão é diferente porque todos os times brasileiros com conquistas continentais ganharam títulos desde 1993. O maior jejum é justamente do Botafogo, única equipe que só venceu uma competição: a Copa CONMEBOL de 1993. Aliás este torneio representa a última conquista do Santos (1998) e do Atlético-MG (1997), que venceu também a competição em 1992.



TOP 5 JEJUM NACIONAL ENTRE TIMES DA SÉRIE A/SÉRIE B
1º) Atlético-MG – 1971 (Brasileirão) – 38 anos
2º) Guarani-SP – 1978 (Brasileirão) – 31 anos
3º) Coritiba – 1985 (Brasileirão) – 24 anos
4º) Bahia – 1988 (Brasileirão) – 21 anos
5º) Internacional – 1992 (Copa do Brasil) – 17 anos

TOP 5 JEJUM INTERNACIONAL ENTRE TIMES DA SÉRIE A/SÉRIE B

1º) Botafogo – 1993 (Copa CONMEBOL) – 16 anos
2º) Grêmio – 1996 (Recopa Sul-Americana) – 13 anos
3º) Atlético-MG – 1997 (Copa CONMEBOL) – 12 anos
4º) Cruzeiro – 1997 (Copa Libertadores) – 12 anos
5º) Santos – 1998 (Copa CONMEBOL) – 11 anos
5º) Palmeiras – 1999 (Copa Mercosul Libertadores) – 11 anos 10 anos

Dívidas dos grandes clubes brasileiros: Tamanho vs. Perfil

09 de fevereiro de 2010 10

O sempre ótimo blog Olhar Crônico Esportivo fez uma bela análise sobre as dívidas dos principais clubes brasileiros. O blogueiro Émerson Gonçalves, que assim como eu sofre para ler alguns balanços fiscais de times da Série A, deixa bem claro como o TAMANHO da dívida importa, mas não é fundamental. O PERFIL da mesma é que muda tudo.

Isto fica exemplificado no caso do Internacional em comparação com o Palmeiras. A dívida do time paulista é menos da metade da dívida colorada (a Parmalat zerou as dívidas nos anos 90), porém quase 30% da dívida é de antecipações fiscais e empréstimos, de curto e médio prazo. É interessante ainda o fato do Palmeiras não ter nenhuma dívida trabalhista. Já no caso do time gaúcho, quase 95% da dívida está equacionada via Timemania, sendo paga em suaves prestações. 

Também fica claro o problema do Grêmio com as dívidas trabalhistas, que assola ainda Vasco da Gama, Botafogo, Fluminense, Náutico e Paraná. No Atlético-MG, Atlético-PR, Vasco da Gama, Corinthians, Santos, São Paulo e Coritiba são os adiantamentos de receitas e empréstimos particulares que pesam no conjunto deficitário.

Curiosidade: no Galo o empréstimo é do ex-presidente Ricardo Guimarães, em dívida já equacionada, e no Santos também do ex-presidente Marcelo Teixeira.

As dívidas fiscais de quase todos os times com a União estão equacionadas ou regularizadas via Timemania ou acertos individuais com o Governo. Então uma análise mostra que todos os times do Rio, o Santos, o Corinthians, o Atlético-MG e os dois paranaenses estão em uma situação financeira delicada.

Vale também destacar que alguns times, como o Grêmio e o Botafogo, conseguiram reduzir significativamente suas dívidas nos últimos anos. Ou seja, esta mesma análise ano que vem pode mostrar valores bem mais favoráveis a alguns clubes, complicando outros como o Corinthians que encerrou 2009 com um enorme déficit.

DEFINIÇÕES:

- Fiscais: as dívidas com o governo federal (quase que exclusivamente), referentes ao não pagamento de tributos diversos, inclusive INSS e IR; a  maior parte desses débitos está com seus pagamentos negociados no acordo da Timemania.

- Contingências: compreende as dívidas trabalhistas – a grande maioria nesse item – e dívidas cíveis.

- Empréstimos: dinheiro tomado nos bancos ou adiantado via Clube dos 13 e federações; no caso, como já explicado neste e no velho OCE, a parcela a receber futuramente sai via empréstimo bancário, devidamente aprovada pelo Clube dos 13 e Rede Globo e GLOBOSAT; grande parte da dívida do Clube Atlético Mineiro com seu ex-presidente, Ricardo Guimarães, está nesse item.

A próxima tabela é a mais interessante e que merece um olhar mais atento de cada torcedor. Ela mostra como é a composição dessas dívidas em cada clube:

Legenda: Passivo Total, Dívidas Fiscais, Dívidas Contingenciais e Dívidas em Empréstimos estão com valores em reais. Os percentuais são as relações entre a dívida total (Passivo) e o ítem analisado.

Clube

Passivo Total

(em reais)*

Dívidas Fiscais

(em reais)*

%

Dívidas Contingenciais/ Trabalhistas

(em reais)*

%

Dívidas em Empréstimos

(em reais)*

%

Vasco

308,1

99,2

32,2

111,1

36,1

97,8

31.7

Flamengo

278,3

201,5

72,4

36,5

13,1

40,3

14,5

Fluminense

272,9

140,3

51,4

132,6

48,6

0,02

0

Atlético MG

267,8

138,3

51,6

23,5

8,8

106,0

39,6

Botafogo

219,0

132,8

60,6

71,8

32,8

14,4

6,6

Corinthians

118,3

48,6

41,1

17,2

14,5

52,5

44,4

Palmeiras

55,1

39,5

71,7

0

0

15,6

28,3

Internacional

126,7

120,1

94,8

2,4

1,9

4,2

3,3

Santos

134,3

90,8

67,6

2,2

1,6

41,3

30,8

Grêmio

108,5

76,7

70,7

17,9

16,5

13,9

12,8

São Paulo

143,3

95,9

66,9

2,5

1,8

44,9

31,3

Cruzeiro

84,7

65,7

77,5

1,4

1,7

17,6

20,8

Coritiba

54,6

35,6

65,2

5,0

9,2

14,0

25,6

Náutico

44,9

28,9

64,4

14,1

31,4

1,9

4,2

Atlético PR

23,1

7,8

33,7

4,5

19,5

10,8

46,8

Paraná

26,2

16,6

63,4

9,3

35,5

0,3

1,1

Figueirense

9,3

8,4

90,3

0,9

9,7

0

0

São Caetano

2,1

0,3

14,2

0,1

4,8

1,7

81,0

Barueri

0,5

0,001

0

0,5

100,0

0

0

Totais

2.277,7

1.347,0

59,1

453,5

19,9

477,2

21,0

OBS: obrigado a todos que me mostraram que não tinha revisado o texto. Fiz correndo ontem à noite e ficou ruim. Agora tá bem melhor.

Em casa e fora: as melhores campanhas desde 2003 na Série A

21 de dezembro de 2009 3

Encerrando a temporada 2009, vamos mostrar um levantamento com as melhores e piores campanhas de mandantes e visitantes no Campeonato Brasileiro desde o início da era ‘pontos-corridos’, em 2003.

Na ocasião, o Cruzeiro foi o melhor time em casa e também como visitante, confirmando sua avassaladora campanha naquela temporada. Somente em 2007 outro time foi o melhor como mandante e visitante: o São Paulo, que conquistaria o pentacampeonato nacional.

No Brasileirão 2009, a melhor campanha em casa evidentemente foi do Grêmio, único invicto da história dos pontos corridos em casa e aproveitamento de 82,46% no Olímpico. Já como visitante, o melhor foi o Cruzeiro, invicto há 12 jogos fora do Mineirão. O time mineiro conquistou 56,14% dos pontos como visitante.

O pior aproveitamento da história de um mandante foi do América-RN em 2007, com pífios 15,78% de aproveitamento. O time potiguar era o único a ter pior campanha em casa e como visitante até o Sport igualar esta marca, na atual temporada.

Apesar de ser o único invicto como mandante de um Brasileirão de pontos corridos, o Grêmio divide a primazia de ter o melhor aproveitamento da história ao lado do Cruzeiro (2008) e do Santos (2006), todos com 47 pontos em 19 jogos, perfazendo 82,45% de aproveitamento.

Como visitante, o melhor de todos é o Cruzeiro de 2003, com 63,76% de aproveitamento. O pior é o Ipatinga, com míseros 8,77% de aproveitamento ano passado.

MANDANTE

2003 – MELHOR: CRUZEIRO – 81,15 %
– PIOR: PONTE PRETA – 44,92 %
2004 – MELHOR: SANTOS e SÃO PAULO – 81,15 %
– PIOR: GRÊMIO – 42,02 %
2005 – MELHOR: PALMEIRAS – 73,01%
– PIOR: ATLÉTICO-MG – 34,92 %
2006 – MELHOR: SANTOS – 82,45 %
– PIOR: FORTALEZA – 35,08 %
2007 – MELHOR: SÃO PAULO – 73,68 %
– PIOR: AMÉRICA-RN – 15,78 %
2008 – MELHOR: CRUZEIRO – 82,45 %
– PIOR: VASCO DA GAMA – 43,85 %
2009 – MELHOR: GRÊMIO – 82,46%
– PIOR: SPORT – 42,11%

Classificação do time mandante - http://tabelasdefutebol.blogspot.com

VISITANTE

2003 – MELHOR: CRUZEIRO – 63,76 %
– PIOR: BAHIA – 10,14 %
2004 – MELHOR: PALMEIRAS – 55,07 %
– PIOR: VITÓRIA – 10,14 %
2005 – MELHOR: CORINTHIANS – 61,90 %
– PIOR: PAYSANDÚ – 14,28 %
2006 – MELHOR: INTERNACIONAL – 57,89 %
– PIOR: SANTA CRUZ – 10,52 %
2007 – MELHOR: SÃO PAULO – 61,40 %
– PIOR: AMÉRICA-RN – 14,03 %
2008 – MELHOR: SÃO PAULO – 50,87 %
– PIOR: IPATINGA – 8,77 %
2009 – MELHOR: CRUZEIRO – 56,14%
– PIOR: SPORT – 12,28%

2009 - Visitantes no Brasileirão