Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Botafogo"

Antecipação da janela beneficia mais da metade dos times da Série A

19 de julho de 2010 5

Fiz esta pesquisa rápida e achei todos estes jogadores que foram beneficiados com a antecipação da janela de transferências. Pouca gente notou que o tamanho da mesma segue o mesmo, 30 dias. Vai abrir dia 19/07 e fechar no dia 19/08.

Isto significa que um time, por exemplo o Grêmio, pode contratar um jogador do exterior até o dia 19 de agosto. Mas poderá vender um jogador até o dia 31/08. Vale lembrar o princípio básico da janela de transferências: ela vale para quem compra e não para quem vende.

São pelo menos 11 times da Série A beneficiados, e diversos outros da Série B (que normalmente repatria brasileiros de mercados menores). Dia destes o pai de um deles me procurou para tirar dúvidas, um garoto que vai atuar na Série B. A FGF fala em até 60 jogadores.

A lista deve ser bem maior, estes são os 100% confirmados:

SELEÇÃO BRASILEIRA: São Paulo lidera ranking de convocações

18 de maio de 2010 35

O São Paulo Futebol Clube é o time brasileiro com o maior número de atletas convocados e efetivamente para jogos da Seleção Brasileira. O time do Morumbi tem 932 escalações de atletas para jogos oficiais do Brasil. Ele é seguido, de longe, pelo Flamengo com 840 convocados. O Botafogo é o terceiro com 805, o Corinthians o quarto com 747 e o Santos em quinto com 742.

Brasil pentacampeão em 2002: três jogadores do São Paulo - Reprodução ZH

Curiosamente, para o Mundial de 2010 não temos nenhum são-paulino convocado. Se o Brasil for hexacampeão, será a primeira vez que não terá no elenco nenhum jogador do Morumbi.

O Internacional ocupa apenas o 11° lugar com 296 e o Grêmio vem logo abaixo, com 266 escalações. Interessante o fato da Roma ser o 1° time estrangeiro, já que o clube italiano aposta nos brasileiros desde os tempos de Falcão. Inclusive teve três convocados para o Mundial, dois deles RESERVAS da própria Roma (Doni e Júlio Baptista), enquanto Juan é titular absoluto.

Vejam o ranking com os 20 primeiros (levantamento feito pelo internauta ‘assimquetabom‘):

1. São Paulo – 932 participações

2. Flamengo – 840

3. Botafogo – 805

4. Corinthians – 747

5. Santos – 742

6. Palmeiras – 730

7. Vasco – 700

8. Fluminense – 544

9. Cruzeiro – 389

10. Atlético-MG – 376

11. Internacional – 296

12. Grêmio – 266

13. Roma – 244

14. Real Madrid – 226

15. Milan – 211

16. Internazionale – 183

17. Barcelona – 178

Portuguesa – 178

19. Bayer Leverkusen – 174

20. Bayern München – 129

Veja também em participações de atletas em jogos oficiais e não-oficiais

1. Botafogo – 1.078 participações

2. São Paulo – 1009

3. Flamengo – 945

4. Corinthians – 877

5. Santos – 867

6. Palmeiras – 833

7. Vasco – 825

8. Fluminense – 675

9. Cruzeiro – 446

10. Atlético-MG – 425

11. Internacional – 335

12. Grêmio – 291

13. Roma – 253

14. Real Madrid – 238

15. Milan – 222

16. Portuguesa – 194

17. Internazionale – 190

18. Barcelona – 187

19. Bayer Leverkusen – 182

20. Bayern Munique – 134

Loco Abreu, Djalminha e Zidane? Que nada: PANENKA NELES

19 de abril de 2010 0

Zidane, Loco Abreu, Djalminha, Clemer? Negativo, o nome é ANTONIN PANENKA!

O pênalti convertido ontem por Sebastian “El Loco” Abreu na vitória de 2×1 do seu Botafogo sobre o Flamengo, na decisão da Taça Rio também garantiu o título do Carioca ao time alvinegro. Vejam o lance aqui:

É verdade que o lance é muito parecido com a cobrança de Zinedine Zidane na final da Copa do Mundo de 2006 contra a Itália, quando a cobrança de Zidane igualmente tocou no travessão antes de entrar.

Eu lembro que na Copa América 2007, quando o Brasil superou o Uruguai nos pênaltis em uma noite de altos e baixos do goleiro Júlio César, Loco Abreu cobrou do mesmo jeito.  Vejam:

Porém vi, equivocadamente, muitos alegarem que esta cobrança foi inventada por Djalminha, ex-estrela do Flamengo, Palmeiras e Deportivo La Coruña. Aqui no RS, o Clemer fez esta gracinha sobre o goleiro Michel Alves no  8×1 do Internacional sobre o Juventude, que garantiu o título gaúcho de 2008.

Na verdade, o tchecoeslovaco Antonin Panenka, estrela da equipe campeã européia de 1976, foi o primeiro a cobrar assim em um jogo decisivo. Foi dele a quinta cobrança.

EDITADO – Sobre esta história, olhem o que o meu velho amigo Odilon Araújo, torcedor do Fortaleza, me contou hoje:

“Lembrei do Panenka ontem quando vi o pênalti. Vi um um documentário de um jogador tchecoeslovaco que era companheiro de quarto do Panenka. Na véspera da decisão, o Panenka, antes de dormir, disse que iria bater daquele jeito.

E o Panenka disse: “eu vou ser o último a bater”. E dormiu.

O cara, na entrevista, disse que o Panenka era meio doido. Então ele não acreditou muito.

No outro dia, na hora da decisão, o cara nem lembrou da história. Só lembrou quando o Panenka partiu em direção ao gol e piscou pra ele…”

Antonin Panenka, autor da histórica cobrança de 1976 contra a Alemanha Ocidental - Fonte: reprodução TV

Vejam um dos meus primeiros posts aqui no Almanaque Esportivo:

Segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Pênalti a la Djalminha? Não!!!!

Ontem, pelo Campeonato Brasileiro, o ruguaio Acosta marcou o 3º gol do Náutico no 4×1 sobre o Botafogo batendo pênalti com estilo (aliás, ele fez 4 gols no jogo!). Vocês lembram de Zidane batendo pênalti com estilo na final da última Copa do Mundo? Foi exatamente o que Acosta fez nos Aflitos.

A maioria dos brasileiros dirá sobre o lance: “Bateu a “la Djalminha”, quando o cobrador só dá uma ‘cavadinha’ na hora de bater e desloca o goleiro.

Porém poucos aqui no Brasil sabem que o verdadeiro inventor do lance foi o tcheco Antonin Panenka na final da Eurocopa de 1976, na Iugoslávia. Na cobrança decisiva da disputa entre Alemanha Ocidental e Tchecoeslováquia em Belgrado, Panenka bateu deste mesmo jeito e garantiu o campeonato europeu para os tchecos por 5×3.

Antes, o craque alemão Uli Hoeness havia perdido uma das cobranças, após o jogo terminar em 2×2 em uma reação heróica dos alemães, que perdiam por 2×0 e empataram no penúltimo minuto de jogo.

Veja a cobrança de Zidane no último Mundial:



Agora olhem Panenka decidindo o título da Eurocopa de 1976:



Time escocês não ganha nada há 119 anos. E do Brasil, quais são os maiores jejuns de títulos?

26 de fevereiro de 2010 17

O levantamento de hoje irá indicar os maiores períodos sem conquistas de títulos nacionais e internacionais. Lendo o sempre instrutivo blog Futebol e História, do meu amigão Carlos Henrique Oliveira, soube que o Dumbarton Football Club. é o time sem títulos há mais tempo no planeta, considerando-se apenas títulos de primeira divisão e copas nacionais.

OBS: para alguns que não entenderam, vou desenhar: o critério de jejuns nacionais é o mesmo e considera Copa do Brasil e Brasileirão! Já para as conquistas internacionais vale o critério competição oficial.

Dos clubes em atividade, a equipe escocesa é a que está há 119 anos sem conquistas nacionais ou internacionais. Foi bicampeão escocês na temporada 1890/91 e 1891/92, curiosamente os dois primeiros da história daquele país. Desde então, necas de pitibirbas e mais detalhes no blog do CH. O pobre Dumbarton, que jogou mais de 120 anos no mesmo estádio, hoje está na Terceirona Escocesa…

Porém e no Brasil? Deixando claro os critérios idênticos ao levantamento do CH, o que exclui títulos estaduais e regionais, o campeão no jejum nacional é o Atlético-MG. São 39 anos sem conquistas do clube mineiro desde o Campeonato Brasileiro de 1971 (também curiosamente o primeiro por aqui). Em segundo lugar, o Guarani-SP, que não ganha desde 1978 um título nacional, seguido pelo Coritiba, hoje na Série B e que não vence um título nacional há 24 anos.

Internacionalmente falando, a questão é diferente porque todos os times brasileiros com conquistas continentais ganharam títulos desde 1993. O maior jejum é justamente do Botafogo, única equipe que só venceu uma competição: a Copa CONMEBOL de 1993. Aliás este torneio representa a última conquista do Santos (1998) e do Atlético-MG (1997), que venceu também a competição em 1992.



TOP 5 JEJUM NACIONAL ENTRE TIMES DA SÉRIE A/SÉRIE B
1º) Atlético-MG – 1971 (Brasileirão) – 38 anos
2º) Guarani-SP – 1978 (Brasileirão) – 31 anos
3º) Coritiba – 1985 (Brasileirão) – 24 anos
4º) Bahia – 1988 (Brasileirão) – 21 anos
5º) Internacional – 1992 (Copa do Brasil) – 17 anos

TOP 5 JEJUM INTERNACIONAL ENTRE TIMES DA SÉRIE A/SÉRIE B

1º) Botafogo – 1993 (Copa CONMEBOL) – 16 anos
2º) Grêmio – 1996 (Recopa Sul-Americana) – 13 anos
3º) Atlético-MG – 1997 (Copa CONMEBOL) – 12 anos
4º) Cruzeiro – 1997 (Copa Libertadores) – 12 anos
5º) Santos – 1998 (Copa CONMEBOL) – 11 anos
5º) Palmeiras – 1999 (Copa Mercosul Libertadores) – 11 anos 10 anos

Dívidas dos grandes clubes brasileiros: Tamanho vs. Perfil

09 de fevereiro de 2010 10

O sempre ótimo blog Olhar Crônico Esportivo fez uma bela análise sobre as dívidas dos principais clubes brasileiros. O blogueiro Émerson Gonçalves, que assim como eu sofre para ler alguns balanços fiscais de times da Série A, deixa bem claro como o TAMANHO da dívida importa, mas não é fundamental. O PERFIL da mesma é que muda tudo.

Isto fica exemplificado no caso do Internacional em comparação com o Palmeiras. A dívida do time paulista é menos da metade da dívida colorada (a Parmalat zerou as dívidas nos anos 90), porém quase 30% da dívida é de antecipações fiscais e empréstimos, de curto e médio prazo. É interessante ainda o fato do Palmeiras não ter nenhuma dívida trabalhista. Já no caso do time gaúcho, quase 95% da dívida está equacionada via Timemania, sendo paga em suaves prestações. 

Também fica claro o problema do Grêmio com as dívidas trabalhistas, que assola ainda Vasco da Gama, Botafogo, Fluminense, Náutico e Paraná. No Atlético-MG, Atlético-PR, Vasco da Gama, Corinthians, Santos, São Paulo e Coritiba são os adiantamentos de receitas e empréstimos particulares que pesam no conjunto deficitário.

Curiosidade: no Galo o empréstimo é do ex-presidente Ricardo Guimarães, em dívida já equacionada, e no Santos também do ex-presidente Marcelo Teixeira.

As dívidas fiscais de quase todos os times com a União estão equacionadas ou regularizadas via Timemania ou acertos individuais com o Governo. Então uma análise mostra que todos os times do Rio, o Santos, o Corinthians, o Atlético-MG e os dois paranaenses estão em uma situação financeira delicada.

Vale também destacar que alguns times, como o Grêmio e o Botafogo, conseguiram reduzir significativamente suas dívidas nos últimos anos. Ou seja, esta mesma análise ano que vem pode mostrar valores bem mais favoráveis a alguns clubes, complicando outros como o Corinthians que encerrou 2009 com um enorme déficit.

DEFINIÇÕES:

- Fiscais: as dívidas com o governo federal (quase que exclusivamente), referentes ao não pagamento de tributos diversos, inclusive INSS e IR; a  maior parte desses débitos está com seus pagamentos negociados no acordo da Timemania.

- Contingências: compreende as dívidas trabalhistas – a grande maioria nesse item – e dívidas cíveis.

- Empréstimos: dinheiro tomado nos bancos ou adiantado via Clube dos 13 e federações; no caso, como já explicado neste e no velho OCE, a parcela a receber futuramente sai via empréstimo bancário, devidamente aprovada pelo Clube dos 13 e Rede Globo e GLOBOSAT; grande parte da dívida do Clube Atlético Mineiro com seu ex-presidente, Ricardo Guimarães, está nesse item.

A próxima tabela é a mais interessante e que merece um olhar mais atento de cada torcedor. Ela mostra como é a composição dessas dívidas em cada clube:

Legenda: Passivo Total, Dívidas Fiscais, Dívidas Contingenciais e Dívidas em Empréstimos estão com valores em reais. Os percentuais são as relações entre a dívida total (Passivo) e o ítem analisado.

Clube

Passivo Total

(em reais)*

Dívidas Fiscais

(em reais)*

%

Dívidas Contingenciais/ Trabalhistas

(em reais)*

%

Dívidas em Empréstimos

(em reais)*

%

Vasco

308,1

99,2

32,2

111,1

36,1

97,8

31.7

Flamengo

278,3

201,5

72,4

36,5

13,1

40,3

14,5

Fluminense

272,9

140,3

51,4

132,6

48,6

0,02

0

Atlético MG

267,8

138,3

51,6

23,5

8,8

106,0

39,6

Botafogo

219,0

132,8

60,6

71,8

32,8

14,4

6,6

Corinthians

118,3

48,6

41,1

17,2

14,5

52,5

44,4

Palmeiras

55,1

39,5

71,7

0

0

15,6

28,3

Internacional

126,7

120,1

94,8

2,4

1,9

4,2

3,3

Santos

134,3

90,8

67,6

2,2

1,6

41,3

30,8

Grêmio

108,5

76,7

70,7

17,9

16,5

13,9

12,8

São Paulo

143,3

95,9

66,9

2,5

1,8

44,9

31,3

Cruzeiro

84,7

65,7

77,5

1,4

1,7

17,6

20,8

Coritiba

54,6

35,6

65,2

5,0

9,2

14,0

25,6

Náutico

44,9

28,9

64,4

14,1

31,4

1,9

4,2

Atlético PR

23,1

7,8

33,7

4,5

19,5

10,8

46,8

Paraná

26,2

16,6

63,4

9,3

35,5

0,3

1,1

Figueirense

9,3

8,4

90,3

0,9

9,7

0

0

São Caetano

2,1

0,3

14,2

0,1

4,8

1,7

81,0

Barueri

0,5

0,001

0

0,5

100,0

0

0

Totais

2.277,7

1.347,0

59,1

453,5

19,9

477,2

21,0

OBS: obrigado a todos que me mostraram que não tinha revisado o texto. Fiz correndo ontem à noite e ficou ruim. Agora tá bem melhor.

29/04/94: Flu 7x1 Bota. SETE anos depois, em 29/04/2001: Vasco 7x0 Bota!!

25 de janeiro de 2010 13

Pode um time levar SETE em um clássico e, exatos sete anos depois, levar novamente SETE em um clássico? Se for o Botafogo, pode! A humilhante goleada de 6×0 do Vasco da Gama sobre o Botafogo neste domingo me fez relembrar uma histórica coincidência do futebol carioca.

E curiosamente, as duas muito negativas sobre o time de General Severiano. O Botafogo levou duas goleadas de sete gols separadas exatamente por… SETE ANOS. Na mesma data: 29 de abril!

No dia 29 de abril de 1994, um forte time do Fluminense enfiou 7×1 no forte time do Botafogo, jogo válido pela Taça Rio. Ézio, Luís Henrique, Ézio, Luís Antônio fazem 4×0 ainda no primeiro tempo, Grizzo descontando para o Botafogo. Mário Tilico, novamente Luís Antônio e Branco fecham a histórica atuação: Fluminense 7×1. O curioso é o patrocinador do Botafogo: a marca de refrigerante SEVEN-UP (‘sete‘ em inglês)

Curiosamente, exatamente sete anos depois, no dia 29 de abril de 2001, o ainda fraco Botafogo levou 7×0 do Vasco da Gama, então campeão brasileiro e com uma constelação de craques: Romário, Juninho Paulista, Juninho Pernambucano, Euller, etc. Os goleadores daquela tarde: Romário (2x), Juninho Paulista (3x), Euller e Pedrinho.

Em casa e fora: as melhores campanhas desde 2003 na Série A

21 de dezembro de 2009 3

Encerrando a temporada 2009, vamos mostrar um levantamento com as melhores e piores campanhas de mandantes e visitantes no Campeonato Brasileiro desde o início da era ‘pontos-corridos’, em 2003.

Na ocasião, o Cruzeiro foi o melhor time em casa e também como visitante, confirmando sua avassaladora campanha naquela temporada. Somente em 2007 outro time foi o melhor como mandante e visitante: o São Paulo, que conquistaria o pentacampeonato nacional.

No Brasileirão 2009, a melhor campanha em casa evidentemente foi do Grêmio, único invicto da história dos pontos corridos em casa e aproveitamento de 82,46% no Olímpico. Já como visitante, o melhor foi o Cruzeiro, invicto há 12 jogos fora do Mineirão. O time mineiro conquistou 56,14% dos pontos como visitante.

O pior aproveitamento da história de um mandante foi do América-RN em 2007, com pífios 15,78% de aproveitamento. O time potiguar era o único a ter pior campanha em casa e como visitante até o Sport igualar esta marca, na atual temporada.

Apesar de ser o único invicto como mandante de um Brasileirão de pontos corridos, o Grêmio divide a primazia de ter o melhor aproveitamento da história ao lado do Cruzeiro (2008) e do Santos (2006), todos com 47 pontos em 19 jogos, perfazendo 82,45% de aproveitamento.

Como visitante, o melhor de todos é o Cruzeiro de 2003, com 63,76% de aproveitamento. O pior é o Ipatinga, com míseros 8,77% de aproveitamento ano passado.

MANDANTE

2003 – MELHOR: CRUZEIRO – 81,15 %
– PIOR: PONTE PRETA – 44,92 %
2004 – MELHOR: SANTOS e SÃO PAULO – 81,15 %
– PIOR: GRÊMIO – 42,02 %
2005 – MELHOR: PALMEIRAS – 73,01%
– PIOR: ATLÉTICO-MG – 34,92 %
2006 – MELHOR: SANTOS – 82,45 %
– PIOR: FORTALEZA – 35,08 %
2007 – MELHOR: SÃO PAULO – 73,68 %
– PIOR: AMÉRICA-RN – 15,78 %
2008 – MELHOR: CRUZEIRO – 82,45 %
– PIOR: VASCO DA GAMA – 43,85 %
2009 – MELHOR: GRÊMIO – 82,46%
– PIOR: SPORT – 42,11%

Classificação do time mandante - http://tabelasdefutebol.blogspot.com

VISITANTE

2003 – MELHOR: CRUZEIRO – 63,76 %
– PIOR: BAHIA – 10,14 %
2004 – MELHOR: PALMEIRAS – 55,07 %
– PIOR: VITÓRIA – 10,14 %
2005 – MELHOR: CORINTHIANS – 61,90 %
– PIOR: PAYSANDÚ – 14,28 %
2006 – MELHOR: INTERNACIONAL – 57,89 %
– PIOR: SANTA CRUZ – 10,52 %
2007 – MELHOR: SÃO PAULO – 61,40 %
– PIOR: AMÉRICA-RN – 14,03 %
2008 – MELHOR: SÃO PAULO – 50,87 %
– PIOR: IPATINGA – 8,77 %
2009 – MELHOR: CRUZEIRO – 56,14%
– PIOR: SPORT – 12,28%

2009 - Visitantes no Brasileirão

Os melhores ataques e defesas da história do Brasileirão

15 de dezembro de 2009 8

Hoje falaremos dos melhores ataques e defesas da história do Campeonato Brasileiro desde seu início, em 1971. Dos times que tiveram a melhor média de gols da história, e aqueles que tiveram o sistema defensivo menos vazado de cada competição, dados cortesia do sempre participante leitor Edison Klein.

O time que mais marcou gols em uma só edição foi o Cruzeiro, de 2003, que marcou 102 gols. Porém não é dele a melhor média, e sim do Guarani, autor de 53 gols em apenas 20 partidas na temporada de 1982, média de 2,65. Algo esperado para um time com ataque de Capitão, Careca e municiado pelo sempre talentoso, mas já veterano Jorge Mendonça.

O “pior melhor ataque”, ou seja, a menor média de gols de um “melhor ataque” foi do Flamengo de 1990, uma competição de horrorosa lembrança, que teve apenas 1,2 gols por partida. A síntese de um ano fraquíssimo que viu ainda o Olímpia campeão da América, o horrível Corinthians campeão brasileiro e uma Copa do Mundo lamentável, com meia dúzia de bons jogos na Itália.

Já a melhor defesa da história é do super Palmeiras de 1973, que sofreu míseros 13 gols em 40 partidas. Em compensação, a “pior melhor defesa” é do Internacional de 2005, vice-campeão no polêmico Brasileiro do “Zveitaço”, que sofreu 1,16 gols por partida.

Ao longo da história, o Grêmio foi quatro vezes a melhor defesa  e duas vezes o melhor ataque, incluindo a atual temporada. Já o Internacional foi uma vez o melhor ataque, e duas vezes a melhor defesa. Vejam os números.

ANO  MELHOR ATAQUE    MEDIA / JOGOS  MELHOR DEFESA   MEDIA / JOGOS
1971 ATLETICO-MG      1,4444 / 27    SANTOS         0,6400 / 25
1972 SÃO PAULO        1,7500 / 28    PALMEIRAS      0,6333 / 30
1973 SANTOS           1,5135 / 37    PALMEIRAS      0,3250 / 40
1974 ATLETICO-MG/FLAMENGO 1,7083 / 24 GREMIO         0,4583 / 24
1975  FLUMINENSE      1,8214 / 28    INTERNACIONAL  0,4000 / 30
1976  INTERNACIONAL   2,5652 / 23    PALMEIRAS      0,5238 / 21
1977  ATLETICO-MG     2,6190 / 21    CORINTHIANS    0,3684 / 19
1978  VASCO DA GAMA   2,0333 / 30    PALMEIRAS      0,5937 / 32
1979  PALMEIRAS       3,2000 /  5    CAMPINENSE-PB  0,5000 / 16
1980  CORINTHIANS     2,3888 / 18    SANTOS         0,6666 / 18
1981  VASCO DA GAMA   2,1578 / 19    SAO PAULO      0,6521 / 23
1982  GUARANI         2,6500 / 20    PONTE PRETA    0,6428 / 14
1983  PALMEIRAS       2,2000 / 20    BOTAFOGO-SP    0,5000 /  6
1984  PALMEIRAS       2,1428 / 14    FLUMINENSE     0,5000 / 26
1985  SAO PAULO       1,8000 / 20    SPORT RECIFE   0,5714 / 28
1986  SAO PAULO       1,8235 / 34    GUARANI        0,5294 / 34
1987  SPORT               1,4500 / 20    CRUZEIRO       0,4117 / 17
1988  VASCO DA GAMA   1,4400 / 25    VASCO DA GAMA  0,7200 / 25
1989  NAUTICO         1,5000 / 18    PALMEIRAS      0,7222 / 18
1990  FLAMENGO        1,2631 / 19 GREMIO         0,6956 / 23
1991  ATLETICO-MG     1,4285 / 21    SAO PAULO      0,6521 / 23
1992  BOTAFOGO        1,7037 / 27    BRAGANTINO     0,6800 / 25
1993  CORINTHIANS     1,9000 / 20    PARANA         0,7500 / 16
1994  PALMEIRAS       1,8709 / 31    PORTUGUESA     0,8000 / 25
1995  SANTOS          1,9259 / 27    PALMEIRAS      0,8260 / 23
1996  GREMIO          1,7931 / 29    GUARANI        0,6800 / 25
1997  VASCO DA GAMA   2,0909 / 33    PALMEIRAS      0,8484 / 33
1998  PALMEIRAS       1,9615 / 26    VASCO DA GAMA  1,0434 / 23
1999  CRUZEIRO        2,1739 / 23    PONTE PRETA    0,9583 / 24
2000  SAO CAETANO     2,2500 /  8    PARANA         1,0000 /  4
2001  ATLETICO-PR     2,1935 / 31    SAO CAETANO    1,0000 / 31
2002  SAO PAULO       2,1851 / 27    GREMIO         1,1034 / 29
2003  CRUZEIRO        2,2173 / 46    SAO CAETANO    0,8043 / 46
2004  SANTOS          2,2391 / 46    SAO PAULO      0,9347 / 46
2005  CORINTHIANS     2,0714 / 42    INTERNACIONAL  1,1666 / 42
2006  SÃO PAULO       1,7368 / 38    SAO PAULO      0,8421 / 38
2007  CRUZEIRO        1,9210 / 38    SAO PAULO      0,5000 / 38
2008  FLAMENGO        1,7631 / 38    GREMIO         0,9210 / 38
2009  GREMIO          1,7631 / 38    SAO PAULO      1,1052 / 38

COMPARANDO A DUPLA GRENAL.
MELHOR ATAQUE : GREMIO          2 VEZES, EM 1996 E 2009
INTERNACIONAL   1 VEZ, EM 1976

MELHOR DEFESA : GREMIO          4 VEZES, EM 1974, 1990, 2002 E 2008
INTERNACIONAL   2 VEZES, EM 1975 E 2005

INTERESSANTE OBSERVAR, TAMBÉM, QUE SOMENTE UMA EQUIPE FOI CAMPEÃ, POSSUINDO MELHOR ATAQUE E DEFESA (SÃO PAULO, EM 2006), E QUE APENAS UMA VEZ UM TIME FOI MELHOR ATAQUE, MELHOR DEFESA E NÃO FOI CAMPEÃO (VASCO DA GAMA, 1988)

Internacional foi o time que mais gols fez em 2009 no Brasil

07 de dezembro de 2009 19

O Internacional, a despeito de ter sido frustrantemente vice no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil, pode comemorar uma marca invejável no ano de seu Centenário. O clube de Porto Alegre foi a equipe que mais gols fez em todo o Brasil no ano de 2009, considerando-se jogos de Primeira Divisão e competições estaduais, nacionais e internacionais.

Foto:Taison marcando mais um contra o Caxias, na história goleada de 8×1 (Daniel Marenco/RBS)
No site oficial colorado se diz que o Inter foi o time que mais fez gols no mundo, mas não tive paciência de fazer a pesquisa contando gols marcados nos grandes centros do planeta. No Brasil eu tenho certeza. O Internacional também foi o time que mais fez jogos oficiais: 76, seguido por Fluminense (74) e Corinthians (71).

No total, em 75 partidas, foram 152 gols marcados, média de 2, 02 gols por partida. O segundo colocado foi o Cruzeiro, vice-campeão da Libertadores e campeão mineiro, com 130 gols em 69 jogos. Depois, o Grêmio com 126 gols em 69 jogos. O campeão brasileiro Flamengo fez 108 gols em 66 jogos.

  1. Internacional: 156 gols em 76 jogos na temporada 2009
  2. Cruzeiro: 130 gols em 69 jogos
  3. Grêmio: 126 gols em 69 jogos
  4. Goiás: 119 gols em 68 jogos
  5. Botafogo: 116 gols em 69 jogos
  6. Palmeiras: 109 gols em 69 jogos
  7. Flamengo: 108 gols em 66 jogos
  8. Avaí: 108 gols em 64 jogos
  9. Corinthians: 106 gols em 71 jogos
  10. Fluminense: 105 gols em 74 jogos
  11. Atlético-MG: 104 gols em 62 jogos
  12. São Paulo: 101 gols em 67 jogos

As bobagens de Djalma Beltrami desde 2005

22 de junho de 2009 14

Djalma Beltrami: escudinho da FIFA? Fala sério!/Reprodução

A inacreditável lambança de ontem no jogo Santos 2×3 Atlético-MG poderia ter sido um incidente isolado na carreira do árbitro Djalma Beltrami. Mas não o foi. O ex-árbitro da FIFA (quem foi o louco que deu o escudinho pra ele), Tenente-Coronel da PM fluminense, já tem um histórico rol de confusões no futebol brasileiro. É o legítimo “pára-raios”.

Ontem ele, instantes depois de não expulsar Werley que deu uma entrada assassina no joelho de Maikon Leite (ganhou só amarelo, ridículo). O garoto felizmente não sofreu nada de mais grave, no máximo uma lesão nos meniscos…

A mais famosa confusão do pavoroso árbitro fluminense foi, é claro, a “Batalha dos Aflitos” na Série B de 2005. Foi quando inventou de forma ridícula um pênalti para o Náutico em uma falta fora da área e que foi claramente “bola na mão” e não mão na bola”. Isto minutos após não dar um pênalti escandaloso para o time pernambucano (de Gallatto sobre Miltinho).

Como resultado,  expulsou dois gremistas na confusão (Patrício e Nunes, e ainda levou um chute de Marcelo Costa, que não foi expulso), depois expulsou Domingos que fazia cera na cobrança do pênalti. Gallatto pegou a cobrança de Ademar, o alvirrubro Batata foi expulso e o jovem Anderson tratou de colocar o jogo na história do futebol brasileiro…

O curioso é que a “banca paga e recebe”. O mesmo Vágner Mancini que estava revoltado ontem foi o treinador beneficiado em 2005 nas quartas-de-finais da Copa do Brasil quando, na disputa de pênaltis entre Paulista e Internacional, o árbitro Djalma Beltrami errou. Perdigão bateu uma penalidade, a bola tocou no travessão e entrou, o bandeirinha assinalou gol mas o árbitro, que afobadamente já tinha encerrado o confronto, não teve a humildade de voltar atrás. Paulista, que seria campeão do torneio, estava nas semifinais e o Inter eliminado. Mas naquele dia, Mancini não quis comentar…

Confiram as principais trapalhadas do pior árbitro da primeira divisão brasileira:

2005 – Copa do Brasil – Paulista (4)1×0 (3) Internacional – Para o bandeirinha João Luiz Magalhães o gol de Perdigão havia sido legal, mas, depois da invasão da torcida, Djalma Beltrami não voltou atrás.

2005 – Campeonato Brasileiro Série B – Náutico 0×1 Grêmio – Não deu pênalti claro para o Náutico aos 32 minutos, aí inventou uma penalidade ridícula para o time da casa em uma falta inexistente e fora da área. Na confusão resultante, expulsou três gremistas em sequência na famosa “Batalha dos Aflitos“. Ademar, Gallatto e Anderson completariam a história…

2007 – Campeonato Carioca – Flamengo 2×2 Botafogo – Marca impedimento equivocado de Dodô, anulando o gol do título botafoguense quase nos acréscimos. De quebra, expulsa o principal batedor de penalidades alvinegro. Flamengo campeão estadual nos pênaltis.

2007 – Campeonato Brasileiro – Goiás 2×1 Internacional – Beltrami manda o Goiás cobrar três vezes uma penalidade, finalmente convertida por Élson após duas defesas do goleiro colorado Clemer. Neste lance ele acertou, mas o Corinthians reclamou muito pois o resultado rebaixou o time paulista.

Postado por Perin, dizendo: a CONAF é uma piada de mau gosto!