Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Brasileirão"

Inter completa 50 jogos sem pênaltis marcados em partidas do Campeonato Brasileiro!

11 de agosto de 2013 8

Após o decepcionante empate em 2×2 com o Atlético-PR, que fez o Internacional marcar passo e ficar fora do G4, uma marca intrigante acabou se confirmando. O Colorado não tem uma penalidade marcada a seu favor há exatos 50 jogos de Campeonato Brasileiro, ou 21 meses. São 12 jogos na Série A 2013 e mais toda a Série A 2012.

D'Alessandro comemora último gol de pênalti do Inter em Brasileiros, 2011 - Foto: Alexandre Lops, site oficial do Internacional

D’Alessandro comemora último gol de pênalti do Inter em Brasileiros, 2011 – Foto: Alexandre Lops, site oficial do Internacional

 

O último pênalti em favor do Colorado foi 2011, ainda sob comando de Dorival Júnior na rodada final do Campeonato Brasileiro em um Gre-Nal. Na ocasião, Oscar foi derrubado por Fábio Rochemback, penalidade batida e convertida por D’Alessandro e que garantiu a vitória por 1×0 contra o Grêmio e o Internacional na Libertadores 2012. Confiram o lance:

Inter não vencia 3 partidas seguidas há 76 rodadas no Campeonato Brasileiro

22 de julho de 2013 5

A dramática vitória de 1×0 sobre o Flamengo foi o terceiro triunfo consecutivo do Internacional nesta Série A. Ela ocorreu após triunfos de 5×3 sobre o Vasco da Gama e 3×2 no Fluminense, fora de casa. Há exatos 76 jogos o Colorado não obtinha uma série tão positiva na competição. Foram 30 jogos em 2011, os 38 de 2012 e mais os 8 primeiros na atual edição.

06 de julho de 2011, 8º rodada do Campeonato Brasileiro. Com uma suada vitória de 1×0 sobre o Atlético-PR, gol de Oscar o Internacional vencia o terceiro jogo consecutivo naquele Brasileirão. Treinado por Paulo Roberto Falcão, o Inter vinha de vitórias sobre o Figueirense por 4×1 e 4×0 sobre o Atlético-MG (fora de casa), e entrava no G4. Na sequência, perderia 3 jogos e Falcão seria demitido. Reveja o gol daquela vitória:

Em competições nacionais e internacionais, descontando jogos do Estadual, o Inter não ganhava três seguidas desde este mesmo jogo, mas o jejum havia sido superado no último sábado, quando bateu o Fluiminense por 3×2, contando ainda com o 3×1 no América-MG pela Copa do Brasil.

EXCLUSIVO - Todos os estádios de futebol já utilizados no Campeonato Brasileiro desde 1971!

24 de maio de 2013 1

Com exclusividade, o Almanaque Esportivo publica a lista de todos os estádios de futebol já utilizados no Campeonato Brasileiro desde 1971. São 131 estádios divididos em quase todos os estados do país, exceto Rondônia, Tocantins, Acre, Roraima e Amapá. Todo o extenso levantamento foi feito pelo pesquisador Edison Klein ao longo das últimas quatro décadas em seus arquivos pessoais.

O Rio Grande do Sul está representado por nove estádios de seis cidades diferentes: Beira-Rio e Olímpico (Porto Alegre), Centenário e Alfredo Jaconi (Caxias do Sul), Aldo Dapuzzo (Rio Grande), Santa Rosa (Novo Hamburgo), Baixada Melancólica (Santa Maria), Colosso da Lagoa (Erechim) e Bento Freitas (Pelotas). A Arena do Grêmio será o décimo estádio gaúcho no Campeonato Brasileiro.

Maracanã, Mineirão e Morumbi - Estádios mais usados no Brasileirão - Foto: Montagem sobre Arquivo Grupo RBS

O Beira-Rio é o quinto estádio mais utilizado, com 570 jogos e 1395 gols, e certamente será superado pelo Serra Dourada (também com 570 jogos) nesta temporada, já que não irá sediar jogos do Brasileirão (salvo mudança radical nos planos). Já o Olímpico terminou sua história no Brasileirão com 537 jogos e 1316 gols, mas não será superado por ninguém. Os líderes de utilização são, como eu imaginava, Maracanã, Mineirão e Morumbi. Dos cinco primeiros, o Beira-Rio é o que mais foi utilizado por um único time, pois tivemos ainda um jogo do Brasil de Pelotas no Beira-Rio.

Vejam a lista completa nos meus arquivos públicos disponibilizados via Google Drive: 1971 – 2012 – Estádios utilizados no Campeonato Brasileiro

# Estádio/Cidade/Estado Jogos % do Total Gols % do Total Média de Gols
1 Maracanã/Rio de Janeiro-RJ 1.282 8,26% 3.212 8,30% 2,5055
2 Mineirão/Belo Horizonte-MG 1.034 6,66% 2.730 7,05% 2,6402
3 Morumbi/São Paulo-SP 775 4,99% 2.004 5,18% 2,5858
4 Pacaembu/São Paulo-SP 639 4,12% 1.591 4,11% 2,4898
5 Beira-Rio/Porto Alegre-RS 570 3,67% 1.395 3,60% 2,4474
6 Serra Dourada/Goiânia-RJ 570 3,67% 1.512 3,91% 2,6526
7 Couto Pereira/Curitiba-PR 552 3,56% 1.302 3,36% 2,3587
8 Fonte Nova/Salvador-BA 543 3,50% 1.244 3,21% 2,291
9 Olímpico/Porto Alegre-RS 537 3,46% 1.316 3,40% 2,4507
10 Arruda/Recife-PE 419 2,70% 1.065 2,75% 2,5418
11 São Januário/Rio de Janeiro-RJ 415 2,67% 1.170 3,02% 2,8193
12 Vila Belmiro/Santos-SP 400 2,58% 1.142 2,95% 2,855
13 Palestra Itália/São Paulo-SP 347 2,24% 998 2,58% 2,8761
14 Brinco de Ouro/Campinas-SP 346 2,23% 866 2,24% 2,5029
15 Ilha Do Retiro/Recife-PE 312 2,01% 724 1,87% 2,3205
16 Orlando Scarpelli/Florianópolis-SC 262 1,69% 627 1,62% 2,3931
17 Castelão/Fortaleza-CE 260 1,68% 659 1,70% 2,5346
18 Moisés Lucarelli/Campinas-SP 258 1,66% 718 1,86% 2,7829
19 Arena da Baixada/Curitiba-PR 255 1,64% 717 1,85% 2,8118
20 Canindé/São Paulo-SP 241 1,55% 590 1,52% 2,4481
21 Alfredo Jaconi/Caxias do Sul-RS 220 1,42% 529 1,37% 2,4045
22 Machadão/Natal-RN 205 1,32% 491 1,27% 2,3951
23 Barradão/Salvador-BA 203 1,31% 611 1,58% 3,0099
24 Vivaldo Lima/Manaus-AM 196 1,26% 418 1,08% 2,1327
25 Rei Pelé/Maceió-AL 179 1,15% 418 1,08% 2,3352
26 Engenhão/Rio de Janeiro-RJ 178 1,15% 487 1,26% 2,736
27 Pedro Pedrossian/Campo Grande/MS 165 1,06% 360 0,93% 2,1818
28 Batistão/Aracajú-SE 156 1,01% 348 0,90% 2,2308
29 Engenheiro Araripe/Vitória-ES 151 0,97% 295 0,76% 1,9536
30 Pinheirão/Curitiba-PR 149 0,96% 377 0,97% 2,5302
31 Aflitos/Recife-PE 146 0,94% 356 0,92% 2,4384
32 Baenão/Belém-PA 141 0,91% 326 0,84% 2,3121
33 Caio Martins/Niterói-RJ 140 0,90% 364 0,94% 2,6
34 Presidente Vargas/Fortaleza-CE 138 0,89% 281 0,73% 2,0362
35 Albertão/Teresina-PI 137 0,88% 296 0,76% 2,1606
36 Mangueirão/Belém-PA 135 0,87% 388 1,00% 2,8741
37 Durival de Brito/Curitiba-PR 129 0,83% 298 0,77% 2,3101
38 Heriberto Hülse/Criciúma-SC 122 0,79% 294 0,76% 2,4098
39 Independência/Belo Horizonte-MG 121 0,78% 332 0,86% 2,7438
40 Anacleto Campanella/São Caetano-SP 119 0,77% 283 0,73% 2,3782
41 Nhozinho Santos/São Luís-MA 105 0,68% 202 0,52% 1,9238
42 José Fragelli/Cuiabá-MT 102 0,66% 268 0,69% 2,6275
43 Marcelo Stefani/Braganca Paulista-SP 97 0,63% 203 0,52% 2,0928
44 Raulino de Oliveira/Volta Redonda-RJ 94 0,61% 241 0,62% 2,5638
45 Alacid Nunes/Belém-PA 86 0,55% 196 0,51% 2,2791
46 Ernestão/Joinville-SC 82 0,53% 168 0,43% 2,0488
47 Ernani Satiro/Campina Grande-PB 76 0,49% 165 0,43% 2,1711
48 Mané Garrincha/Brasilia-DF 66 0,43% 159 0,41% 2,4091
49 Arena do Jacaré/Sete Lagoas-MG 65 0,42% 185 0,48% 2,8462
50 Pelezão/Brasília-DF 65 0,42% 141 0,36% 2,1692
51 Moca Bonita/Rio de Janeiro-RJ 64 0,41% 133 0,34% 2,0781
52 Almeidão/João Pessoa-PB 63 0,41% 146 0,38% 2,3175
53 Santa Cruz/Ribeirão Preto-SP 61 0,39% 162 0,42% 2,6557
54 Ressacada/Florianopolis-SC 60 0,39% 181 0,47% 3,0167
55 Café/Londrina-PR 58 0,37% 151 0,39% 2,6034
56 Pituacu/Salvador-BA 55 0,35% 112 0,29% 2,0364
57 Laranjeiras/Rio de Janeiro-RJ 53 0,34% 130 0,34% 2,4528
58 Godofredo Cruz/Campos-RJ 52 0,34% 110 0,28% 2,1154
59 Major Levy Sobrinho/Limeira-SP 49 0,32% 116 0,30% 2,3673
60 Bento Freitas/Pelotas-RS 41 0,26% 99 0,26% 2,4146
61 Centenario/Caxias do Sul-RS 41 0,26% 104 0,27% 2,5366
62 Cerejão/Taguatinga-DF 40 0,26% 111 0,29% 2,775
63 Willie Davids/Maringá-PR 40 0,26% 109 0,28% 2,725
64 Pedro Ludovico/Goiânia-GO 39 0,25% 71 0,18% 1,8205
65 Herminio Ometto/Araras-SP 38 0,24% 86 0,22% 2,2632
66 Ipatingão/Ipatinga-MG 38 0,24% 113 0,29% 2,9737
67 Uberabão/Uberaba-MG 38 0,24% 85 0,22% 2,2368
68 Arena Barueri/Barueri-SP 37 0,24% 94 0,24% 2,5405
69 Luso Brasileiro/Rio de Janeiro-RJ 36 0,23% 110 0,28% 3,0556
70 Parque Do Sabia/Uberlândia-MG 28 0,18% 64 0,17% 2,2857
71 Prudentão/Presidente Prudente-SP 28 0,18% 77 0,20% 2,75
72 Bruno Jose Daniel/Santo André-SP 27 0,17% 61 0,16% 2,2593
73 Jonas Duarte/Anápolis-GO 26 0,17% 65 0,17% 2,5
74 João Castelo/São Luis-MA 25 0,16% 60 0,16% 2,4
75 Barão de Serra Negra/Piracicaba-SP 24 0,15% 48 0,12% 2
76 Bezerrão/Gama-DF 24 0,15% 54 0,14% 2,25
77 Luis Viana Filho/Itabuna-BA 24 0,15% 54 0,14% 2,25
78 Municipal/Juiz de Fora-MG 22 0,14% 54 0,14% 2,4545
79 Juca Ribeiro/Uberlândia-MG 19 0,12% 42 0,11% 2,2105
80 Marechal Hermes/Rio de Janeiro-RJ 19 0,12% 51 0,13% 2,6842
81 Martins Pereira/São José-SP 19 0,12% 34 0,09% 1,7895
82 Jóia da Princesa/Feira de Santana-BA 18 0,12% 30 0,08% 1,6667
83 Italo Del Cima/Rio de Janeiro-RJ 17 0,11% 29 0,07% 1,7059
84 Lacerdão/Caruaru-PE 17 0,11% 44 0,11% 2,5882
85 Kleber Andrade/Cariacica-ES 16 0,10% 39 0,10% 2,4375
86 Aldo Dapuzzo/Rio Grande-RS 15 0,10% 28 0,07% 1,8667
87 Indio Conda/Chapecó – SC 15 0,10% 32 0,08% 2,1333
88 Palma Travassos/Ribeirão Preto-SP 15 0,10% 25 0,06% 1,6667
89 Fonte Luminosa/Araraquara-SP 14 0,09% 35 0,09% 2,5
90 Alfredo de Castilho/Bauru-SP 13 0,08% 24 0,06% 1,8462
91 Ari de Oliveira/Campos-RJ 13 0,08% 24 0,06% 1,8462
92 Caldeirão do Diabo/São José do Rio Preto-SP 13 0,08% 27 0,07% 2,0769
93 Teixeirão/São José do Rio Preto-SP 12 0,08% 36 0,09% 3
94 Arthur Marinho/Corumbá-MG 11 0,07% 28 0,07% 2,5455
95 Vila Olimpica/Curitiba-PR 11 0,07% 22 0,06% 2
96 Zezinho Magalhães/Jaú-SP 10 0,06% 29 0,07% 2,9
97 Coaracy da Mata Fonseca/Arapiraca-AL 8 0,05% 18 0,05% 2,25
98 Ibirapuera/São Paulo-SP 8 0,05% 22 0,06% 2,75
99 Presidente Vargas/Santa Maria-RS 7 0,05% 18 0,05% 2,5714
100 Ronaldo Junqueira/Pocos de Caldas-MG 7 0,05% 11 0,03% 1,5714
101 Colina/Manaus-AM 6 0,04% 8 0,02% 1,3333
102 Edson Passos/Rio de Janeiro-RJ 6 0,04% 20 0,05% 3,3333
103 Leonardo Nogueira/Mossoró-RN 6 0,04% 9 0,02% 1,5
104 Romildo Ferreira/Mogi Mirim-SP 6 0,04% 25 0,06% 4,1667
105 Gávea/Rio de Janeiro-RJ 5 0,03% 11 0,03% 2,2
106 JK/Itumbiara-GO 5 0,03% 11 0,03% 2,2
107 Justiniano Mello e Silva/Colatina-ES 5 0,03% 4 0,01% 0,8
108 Melão/Varginha-MG 5 0,03% 7 0,02% 1,4
109 Parque São Jorge/São Paulo-SP 5 0,03% 12 0,03% 2,4
110 Presidente Medici/Brasilía-DF 5 0,03% 11 0,03% 2,2
111 Rua Bariri/Rio de Janeiro-RJ 5 0,03% 7 0,02% 1,4
112 Santa Rosa/Novo Hamburgo-RS 5 0,03% 6 0,02% 1,2
113 Walter Ribeiro/Sorocaba-SP 5 0,03% 13 0,03% 2,6
114 Germano Kruger/Ponta Grossa-PR 4 0,03% 6 0,02% 1,5
115 Jose Lancha Filho/Franca-SP 4 0,03% 6 0,02% 1,5
116 Moacyrzão/Macaé-RJ 4 0,03% 10 0,03% 2,5
117 Colosso da Lagoa/Erechim-RS 3 0,02% 12 0,03% 4
118 Jayme Cintra/Jundiai-SP 3 0,02% 5 0,01% 1,6667
119 Olímpico/Cascavel-PR 3 0,02% 6 0,02% 2
120 Curuzu/Belém-PA 2 0,01% 7 0,02% 3,5
121 Pajuçara/Maceió-AL 2 0,01% 8 0,02% 4
122 Teixeira de Castro/Rio de Janeiro-RJ 2 0,01% 10 0,03% 5
123 Eduardo Guinle/Nova Friburgo-RJ 1 0,01% 1 0,00% 1
124 Joaquinzão/Taubaté – SP 1 0,01% 3 0,01% 3
125 Junco/Sobral-CE 1 0,01% 1 0,00% 1
126 Municipal/Mirassol-SP 1 0,01% 3 0,01% 3
127 Nogueirão/Mogi das Cruzes-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
128 Primeiro de Maio/São Bernardo do Campo-SP 1 0,01% 3 0,01% 3
129 Socrates Stamato/Bebedouro-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
130 Tancredo Neves/Jataí – GO 1 0,01% 4 0,01% 4
131 Toca Do Leão/Santa Bárbara D’Oeste-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
15.518 Total de Jogos 38.702 Total de Gols

Disputa de pênaltis na história - Grêmio (com vídeos!)

13 de maio de 2013 3

A derrota para o Juventude há duas semanas encerrou uma boa sequência de vitórias consecutivas nas penalidades para o Grêmio, que já somava 2 sucessos na temporada 2013. Repetindo 2011, quando perdeu o título estadual também em uma disputa de penalidades, o Tricolor ficou alijado da competição desta maneira.

Grohe defendendo o pênalti da LDU - Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Ao longo da história, foram 35 disputas de pênaltis, contabilizando-se apenas jogos oficiais e divididos assim: Campeonato Gaúcho (15), Copa do Brasil (4), Campeonato Brasileiro (5), Copa CONMEBOL (2), Supercopa da Libertadores (3), Copa Mercosul (1), Copa Libertadores (4) e Copa Intercontinental (1).

O Grêmio venceu em 15 oportunidades: Campeonato Gaúcho (8), Copa do Brasil (1), Campeonato Brasileiro (1), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (1)  e Copa Libertadores (3). As derrotas: Campeonato Gaúcho (7), Copa do Brasil (3), Campeonato Brasileiro (4), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (2), Copa Mercosul (1) e Copa Intercontinental (1).

VITÓRIAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

DERROTAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

ALGUMAS CURIOSIDADES

  • No Brasileiro de 1988 e no Gauchão de 1989, jogos terminados em empate eram decididos em disputas de pênaltis. Por isto tantas repetições nestas duas competições.
  • O Grêmio foi campeão gaúcho de 1989 na disputa de pênaltis, com cobranças decisivas defendidas pelo veteraníssimo Mazaropi. O curioso é que o Inter tinha chegado na decisão invicto, com seis vitórias em seis disputas. Perdeu no jogo mais importante.
  • Em 1993, o Grêmio eliminou o Palmeiras nas quartas-de-final da Copa do Brasil. O curioso desta disputa é que o atacante Gílson errou duas vezes: no tempo normal e na disputa de pênaltis.
  • Em 1995, contra o Ajax, e em 2011, contra o Internacional, a disputa de pênaltis gerou não só a eliminação do Grêmio como a perda do título em disputa.
  • Em 1997, Grêmio e Brasil de Pelotas protagonizaram uma série de 22 pênaltis (Mauro Galvão tinha sido expulso, e o Brasil retirou um atleta da cobrança). Na primeira repetição, o melhor batedor Luizinho errou e o Grêmio se garantiu na final.
  • A mais bizarra foi em 1997, na Libertadores contra o Guarany de Assuncíon. O Grêmio converteu as duas primeiras, assim como o time paraguaio converteu a sua 1º cobrança. Dali em diante foram sete erros consecutivos até o erro derradeiro dos visitantes e a classificação tricolor.

VEJA TAMBÉM

Brasileirão 2012: Dupla Gre-Nal supera e muito o aproveitamento do ano passado

08 de junho de 2012 1

Começa bem o Brasileirão 2012 para Grêmio e Internacional. Com sete pontos, o Colorado é vice-líder da competição após três rodadas. Já o Grêmio é o 4º colocado com duas vitórias. Além de ser o melhor início nos pontos-corridos para os dois times, fato destacado hoje no ZH Esportes em levantamento especial, outro aspecto deve ser comemorado: o retrospecto é animador em comparação com 2011, contra os mesmos adversários nos mesmos locais.

Em 2011, nas partidas contra Coritiba (C), Flamengo (F) e São Paulo (C), o desempenho do Internacional foi pífio: apenas 1 pontos obtido. Empatou com o Coxa em 1×1, com direito a Kléber errando pênalti no 1º tempo. Levou 1×0 do Flamengo em Macaé na penúltima rodada, gol de Ronaldinho após falha de Rodrigo Moledo. E foi goleado por 3×0 pelo São Paulo no Beira-Rio, derrota que causou a queda do técnico Paulo Roberto Falcão e do vice-de-futebol Roberto Siegmann.

Dupla Gre-Nal começa bem em 2012 - Editoria Arte ZH

Já o aproveitamento do Grêmio não foi muito melhor não. O Tricolor também só fez 1 ponto nos jogos contra Vasco da Gama (F), Palmeiras (C) e Atlético-GO (F). Contra o Vasco, levou 4×0 em uma atuação ridícula no São Januário. Do Palmeiras, empate em 2×2 arrancado no último lance do jogo em um golaço de Fernando. Já contra o Atlético, foi o oposto: derrota de 1×0 no lance final da partida, gol de Diogo Campos nos acréscimos.

"Era Pontos Corridos": Inter melhora, Grêmio não ganha há 4 anos em estréias

21 de maio de 2012 0

Desde 2003 o Campeonato Brasileiro é disputado em pontos corridos, todos contra todos em turno e returno. Desde então o aproveitamento da dupla Gre-Nal não é dos melhores nas partidas inaugurais.  O Inter só venceu 3 vezes, com 3 empates e 4 derrotas.

O Internacional, que desde os anos 90 se especializou em arrancadas ruins, chegou a ficar cinco anos sem vencer na primeira rodada. Foi ganhar pela primeira vez apenas em 2008, um chorado 1×0 no Vasco com gol do zagueiro Sídnei. No ano seguinte, o momento mais marcante: 1×0 sobre o Corinthians no Pacaembu, com direito ao gol antológico de Nilmar, driblando meio time alvinegro. Já o pior momento foi a derrota de 3×2 para o Botafogo em 2007, em um jogo que seria a tônica da má-campanha colorada naquela competição.

ESTRÉIAS COLORADAS

  • 2003: Internacional 1×1 Ponte Preta – EMPATE
  • 2004: Figueirense 1×0 Internacional – DERROTA
  • 2005:  Internacional 0×2 Botafogo – DERROTA
  • 2006: Vasco da Gama 1×1 Internacional – EMPATE
  • 2007: Internacional 2×3 Botafogo – DERROTA
  • 2008: Internacional 1×0 Vasco da Gama – VITÓRIA
  • 2009: Corinthians 0×1 Internacional – VITÓRIA
  • 2010: Internacional 0×1 Cruzeiro – DERROTA
  • 2011: Santos 1×1 Internacional – EMPATE
  • 2012: Internacional 2×0 Coritiba – VITÓRIA

O retrospecto do Grêmio é ainda pior: duas vitórias, três empates e quatro derrotas na primeira rodada. O Tricolor não vence desde 2008, quando surpreendeu o São Paulo em pleno Morumbi e venceu por 1×0, em uma atuação de luxo do time que dominaria totalmente o primeiro turno daquele Campeonato Brasileiro. Mas, na minha opinião, o momento emblemático ocorreu em 2006: no primeiro jogo após o retorno da Série B, um Olímpico lotado viu o Grêmio jogar muita bola e bater o Corinthians, então campeão brasileiro e com Tévez no ataque, por 2×0.

ESTRÉIAS TRICOLORES

  • 2003: Atlético-PR 2×0 Grêmio – DERROTA
  • 2004: Grêmio 0×0 Flamengo – EMPATE
  • 2006: Grêmio 2×0 Corinthians – VITÓRIA
  • 2007: Paraná 3×0 Grêmio – DERROTA
  • 2008: São Paulo 0×1 Grêmio – VITÓRIA
  • 2009: Grêmio 1×1 Santos – EMPATE
  • 2010:  Atlético-GO 0×0 Grêmio – EMPATE
  • 2011: Grêmio 1×2 Corinthians – DERROTA
  • 2012: Vasco da Gama 2×1 Grêmio – DERROTA

Grêmio segue catastrófico no Rio: 20 derrotas e apenas 1 vitória desde 2003!

20 de maio de 2012 2

A derrota de 2×1 sobre o Vasco da Gama na 1° rodada do Brasileirão manteve uma triste sina para os gremistas na competição nacional. Desde o início da “Era Pontos Corridos” em 2003, o retrospecto do Grêmio na capital do Rio de Janeiro é nada menos que desastroso.

Em 31 jogos disputados ao longo de nove Campeonatos Brasileiros, o Tricolor Gaúcho obteve uma única vitória. Foi em 2006, 2×1 sobre o Fluminense em Volta Redonda.  Foram 20 derrotas em 31 jogos, com outros 10 empates desde então.

Alecsandro comemora o gol da vitória - Foto: Marcelo Sadio, divulgação Vasco da Gama

Os números ruins são ainda piores: o Grêmio perdeu os últimos seis jogos no Rio: o de hoje, os quatro de 2011 e o último de 2010, 2×0 pro Fluminense no Engenhão. Aliás, o Tricolor nunca venceu desde a inauguração deste estádio em 2007. O mais perto que chegou foi em 2009, quando vencia por 3×2 e levou o empate do Botafogo nos acréscimos, gol de Leandro Guerreiro (obrigado ao Adriano pela correção!).

Campeonato Brasileiro: Recordes e maiores goleadas desde 1971

17 de maio de 2012 5

Em 41 anos de história (não vou considerar a unificação dos títulos), o Campeonato Brasileiro teve muitos campeões: 17 equipes. A principal competição nacional também já teve um número quase insano de fórmulas, bizarras em sua maioria (uma delas tinha como critério de classificação a média de público, em 1974!) até a estabilização com os pontos corridos desde 2003. Mas e as goleadas? E os recordes? Todas as infos estatísticas foram obtidas com o sempre atento colaborador Edison Klein.

No Campeonato Brasileiro foram 2011 goleadas em 15.250 jogos desde 1971, totalizando 13,18%. Na “era pontos corridos” (isto é de 2003 em diante), a frequência de goleadas aumenta: 14,45% de goleadas, 556 em 3846 jogos. Sempre considerando goleada por 3 gols ou mais.

O time que mais goleou neste período é o Santos. A equipe paulista sapecou 113 goleadas até o momento, superando por muito pouco o São Paulo, que tem 112. Na sequência, o Cruzeiro com 107 goleadas, o Internacional com 103 e três times empatados com 95: Flamengo, Vasco da Gama e Atlético-MG. Em casa, o recordista de surras também é o Santos com 85, à frente de Cruzeiro e São Paulo com 81. Já como visitante, o São Paulo tem 31 goleadas, o Santos tem 28 e o Palmeiras 27.

No quesito negativo, o inglório líder das estatísticas é o Vitória com 67 goleadas sofridas, à frente de Goiás (61), Flamengo (57), Botafogo (54) e Cruzeiro (52). Em casa o time mais goleado da história é o Corinthians, com 20 derrotas. Depois, o Vitória com 19 e, empatados, Cruzeiro e Goiás com 14 derrotas por goleada. Já fora de seus domínios, o ‘líder’ é o Vitória com 48, à frente de Goiás com 47, Flamengo e Paysandú com 45.

As maiores goleadas de todos os tempos no Brasileirão:

  1. 09/02/1983 – Corinthians 10×1 Tiradentes/PI
  2. 14/02/1984 – Vasco da Gama 9×0 Tuna Luso/PA
  3. 02/10/1986 – Guarani 8×2 Piauí/PI
  4. 05/12/1993 – Guarani 8×2 Remo/PA
  5. 16/09/1976 – Flamengo 8×1 Sampaio Corrêa-MA
  6. 23/03/1980 – Vitória/BA 8×1 América/RN
  7. 07/02/1982 – Guarani 8×1 Ceará
  8. 04/02/1982 – Guarani 8×0 River/PI
  9. 04/02/1981 – Flamengo 8×0 Fortaleza
  10. 08/11/1997 – Internacional 7×0 Bragantino (OBS: valeu, Otávio!)

Brasileirão em POA: Grêmio terá 300% de jogos a mais que o Inter no meio de semana!

16 de maio de 2012 0

A CBF, talvez em algum século ainda não catalogado nos calendários universais de tempo, um dia conseguirá organizar decentemente uma tabela do Campeonato Brasileiro por dois anos consecutivos. Assim, terá cumprido o objetivo de igualar a cada time o número jogos no meio e finais de semana.

Repetindo os anos de 2008 e 2009 (quando o Internacional foi prejudicado), e 2010 (quando o Grêmio levou a pior), ocorre um desequilíbrio nos jogos como mandante nos finais de semana, normalmente datas com públicos superiores

Ano passado ocorreu até uma surpreendente correção do péssimo Departamento Técnico da entidade, mas este ano voltou à estaca zero… Além disto, a maioria dos jogos noturnos ocorre no rigoroso e chuvoso inverno, prejudicando gaúchos, catarinenses e paranaenses.

Todas estas questões referentes à confecção da tabela do Brasileirão em outras temporadas já foram abordadas no Almanaque Esportivo (links ao final da página).

No caso específico da Dupla Gre-Nal em 2012, quem se dá mal nesta confecção de tabela é o Grêmio. Quem me alertou disto foi o leitor Clademir Guielcer de For, que me forneceu os dados.  Parece que a FGF segue fazendo escola.

GRÊMIO

  • 8 JOGOS EM CASA NO MEIO DE SEMANA
  • 11 JOGOS EM CASA NO FINAL DE SEMANA
  • 2 JOGOS FORA DE CASA NO MEIO DE SEMANA
  • 17 JOGOS FORA DE CASA NO FINAL DE SEMANA

INTERNACIONAL

  • 2 JOGOS EM CASA NO MEIO DE SEMANA
  • 17 JOGOS EM CASA NO FINAL DE SEMANA
  • 8 JOGOS FORA NO MEIO DE SEMANA
  • 11 JOGOS FORA NO FINAL DE SEMANA

VEJA TAMBÉM

Jogos do Passado, 09/05: duelos entre gaúchos e cariocas na C. Brasil

09 de maio de 2012 0

Inaugurando a série “Jogos do Passado”, vamos falar sobre alguns jogos ocorridos na data de hoje, 09 de maio, desde 1971 em Campeonatos Brasileiros e Copas do Brasil. Os dados são repassados pelo amigo Edison Klein. Este espaço será interativo: os leitores poderão incluir comentários sobre os jogos.

09/05 na História - Foto: arquivo Edison Klein

OBS: Cliquem na foto para obter a imagem em tamanho ampliado

COPA DO BRASIL

  • 09/05/1996 - Internacional 3×2 Flamengo – Um jogo épico no Beira-Rio, com duas viradas e uma atuação espetacular do obscuro reserva Márcio Tigrão, que anulou Romário naquela noite. Válido pelas quartas-de-final daquela Copa do Brasil
  • 09/05/2001 – Juventude 2×1 Flamengo – Time de Caxias do Sul devolve placar de ida, mas perde nos pênaltis para o time carioca.
  • 09/05/2001 – Fluminense 0×0 Grêmio – Em um jogo muito travado, o Grêmio segurou a vantagem de 1×0 e se classificou para as quartas-de-final da Copa do Brasil, na qual se sagraria campeão meses depois.

CAMPEONATO BRASILEIRO

  • 09/05/2010 - Avaí 6×1 Grêmio Prudente-SP – Time catarinense estréia em alto estilo no Brasileirão, depois de uma magnífica campanha no ano anterior. Porém a maionese ‘desandaria’ ao longo da competição e o time catarinense só escaparia do rebaixamento na penúltima rodada.
  • 09/05/2010 – Internacional 1×2 Cruzeiro – Atuação horrorosa do colorado de Jorge Fossati, com muitos reservas. Kléber, hoje no Grêmio, marcou um belo gol ainda no primeiro tempo.