Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Copa 2010"

Copa 2010: Resumão da 2º rodada, os melhores e piores do Mundial

21 de junho de 2010 1

Encerrada a segunda rodada e os times sul-americanos seguem brilhando intensamente na Copa do Mundo 2010. Brasil, Argentina e Chile venceram as duas partidas, enquanto Paraguai e Uruguai lideram seus respectivos grupos com 1 vitória e 1 empate.

O Brasil é o único classificado matematicamente, mas só um desastre absoluto tira Paraguai, Uruguai e Argentina. O Chile terá parada duríssima, contra a Espanha, ou terá que torcer por um tropeço da Suíça contra Honduras.

Enquanto isto, europeus pioraram sua situação com relação à primeira rodada. As potências Itália, Inglaterra e França seguem muito mal e com um futebol ridículo, sobretudo os dois últimos. Mesmo o bom time da Alemanha tropeçou, teve Klose expulso no primeiro tempo, perdeu pênalti e acabou derrotada pela Sérvia por 1×0. A Holanda foi o primeiro time matematicamente classificado e segue bem, apesar de não brilhar como em outros Mundiais.

Alguns destaques individuais merecem ser destacados: o golaço de David Villa que abriu a vitória sobre Honduras e a recuperação espanhola. A atuação soberba de Diego Forlán contra a África do Sul. O caos francês e a surra portuguesa sobre os norte-coreanos.

Copa 2010 - Melhores e Piores da 2º rodada - Fotos: Agência AFP

PRÊMIOS ALMANAQUE ESPORTIVO PARA A 2º RODADA DO MUNDIAL

Melhor time: Argentina, goleada sobre um adversário de qualidade. Menção para Uruguai e Portugal

Pior time: Coréia do Norte, tomou sete. Mas Inglaterra e França merecem ser citadas.

Melhor defesa da segunda rodada: México, que não deu a mínima chance para a França. Menções honrosas para a Argélia e para a Sérvia.

Pior defesa da segunda rodada: Coréia do Norte e os seis gols sofridos no 2º tempo resumem tudo.

Melhor ataque da segunda rodada: Portugal, arrasou a fraca Coréia do Norte com seis gols em um único tempo.

Pior ataque da segunda rodada: França (virtualmente eliminada) e Inglaterra (seis jogos sem gols de atacantes em Copas)

Surpresas positivas da segunda rodada: Sérvia, México, Nova Zelândia

Surpresas negativas da segunda rodada: Inglaterra, Itália e França

Zebra da segunda rodada: Inglaterra 0×0 Argélia e Itália 1×1 Nova Zelândia

Craque da segunda rodada: Diego Forlán (Uruguai)

Revelação da segunda rodada: Madjid Bougherra (Argélia)

Golaço da segunda rodada: David Villa (Espanha) entrando a dribles na área hondurenha e fazendo 1×0 para a “Fúria”

‘Quase golaço’ da segunda rodada: Chute de longe de Cristiano Ronaldo (Portugal), no travessão contra os norte-coreanos.

Defesa da segunda rodada: Vladimir Stojkovic pegando penalidade de Lucas Podolski e garantindo a vitória sérvia.

Frango da segunda rodada: Kawashima (Japão), que falhou no gol da vitória da Holanda por 1×0.

Burrice da segunda rodada: Expulsão absurda do volante Sani Kaita (Nigéria), ainda no 1° tempo com o jogo 1×0 para seu time. A Grécia virou com 1 jogador a mais.

Mico da segunda rodada: Caos na seleção francesa, atual vice-campeã mundial, com Anelka cortado após ofender o treinador, preparador físico brigando com Evra, dirigente se demitindo.

Melhor técnico da segunda rodada: Marcelo Bielsa e suas espetaculares substituições no 1×0 sobre a Suíça. Menção honrosa para Pim Verbeek, da Austrália, que reorganizou o time com 10 jogadores por 65 minutos, e para Radomir Antic, que anulou a Alemanha.

Pior treinador da segunda rodada: Raymond Domenech (França), deixando Henry no banco até o final fazendo apenas duas substituições e não ter nenhum comando no vestiário. Menção (des)honrosa para Capello e sua nula ofensivamente Inglaterra

Melhor árbitro da segunda rodada: Jorge Larrionda (Uruguai), em uma brilhante atuação técnica no jogo Camarões 1×2 Dinamarca

Pior árbitro da segunda rodada: Koman Coulibaly (Mali), anulando absurdamente o gol da vitória dos EUA sobre a Eslovênia em uma inexistente falta ofensiva. O jogo terminou 2×2.

Melhor jogo da segunda rodada: Dinamarca 2×1 Camarões

Pior jogo da segunda rodada: Inglaterra 0×0 Argélia

Top 3 da segunda rodada: Uruguai, Argentina, Portugal

Bottom 3 da segunda rodada: Inglaterra, Coréia do Norte, Itália

Seleção da segunda rodada: Paston (Nova Zelândia); Miguel (Portugal),Kjaer (Dinamarca), Nelsen (Nova Zelândia) e Salcido (México); Gilberto Silva (Brasil), Tiago (Portugal), Rommedahl (Dinamarca) e Raul Meirelles (Portugal); Higuaín (Argentina) e Forlán (Uruguai).

VEJA TAMBÉM:

Copa 2010: Resumão da 1º rodada, os melhores e piores

Suíça supera recorde da Itália de 550 minutos sem levar gols em Mundiais

21 de junho de 2010 1

Nada melhor que a expressão “Ferrolho Suíço” para demonstrar o recorde da Suíça sem tomar gols em Copas do Mundo. .A Suíça saiu derrotada hoje por 1×0 pelo Chile, e perdeu a liderança do grupo H da Copa do Mundo 2010. Porém pode comemorar que entrou na história do futebol mundial ao completar 559 minutos sem levar um mísero gol.

O recorde contemplava ainda alguns minutos da Copa de 1986, totalizando 550 minutos. Já a Suíça somou 559 minutos de 1994, 2006 e 2010 para superar a marca da Itália, talvez o maior feito deste país pouco tradicional no futebol. Giovanni Galli e Walter Zenga foram os arqueiros italianos, enquanto Marco Pascolo, Pascal Zuberbuhler e Diego Benaglio defenderam o gol suíço nestas duas marcas.

Ferrolho Suíço de 550 minutos sem gols em Mundiais: Benaglio (esq), Zuberbuhler (alto) e Pascolo (baixo)

O total de tempo que a Itália não sofreu gols em Mundiais deve considerar os 33 minutos finais do jogo França 2×0 Itália, pelas oitavas-de-final do Mundial de 1986 no México. Isto somado aos 517 minutos de 1990 totalizou 550 minutos sem levar um único gol.

OBS: para fins de simplificação não consideramos os minutos de acréscimos em nenhuma das partidas.

ITÁLIA

COPA DO MUNDO 1986

  • França 2×0 Itália – Yannick Stopyra faz aos 12 do segundo tempo na eliminação da então campeã mundial do Mundial do México de 1986. 33 minutos sem levar gols, último gol sofrido por Giovanni Galli nas oitavas-de-final.

COPA DO MUNDO 1990

  • Itália 1×0 Áustria – Walter Zenga é o titular – 123 minutos sem levar gols
  • Itália 1×0 Estados Unidos – 213 minutos sem levar gols
  • Itália 2×0 Tchecoslováquia -303 minutos sem levar gols
  • Itália 2×0 Uruguai – 393 minutos sem levar gols
  • Itália 1×0 Irlanda - 483 minutos sem levar gols
  • Itália 1×1 Argentina – Claudio Caniggia marca aos 22 do segundo tempo da semifinal, totalizando mais 67 minutos. Total 550 minutos sem tomar gols.

SUÍÇA

COPA DO MUNDO DE 1994

  • Espanha 3×0 Suíça – Anton Beguiristáin marca aos 41 do segundo tempo no final da goleada espanhola nas oitavas de final – 4 minutos sem tomar gols. Gol sofrido por Marco Pascolo.

COPA DO MUNDO DE 2006

  • Suíça 0×0 França – Pascal Zuberbühler é o goleiro titular e tem uma ótima Copa. Total 94 minutos sem tomar gols.
  • Suíça 2×0 Togo – 184 minutos sem levar gols.
  • Suíça 2×0 Coréia do Sul – 274 minutos sem levar gols.
  • Suíça 0×0 Ucrânia – Tempo normal + prorrogação, total 394 minutos sem levar gols.

COPA DO MUNDO DE 2010

  • Suíça 1×0 Espanha – Goleiro Diego Benaglio defende com brilho a meta helvética. 484 minutos sem tomar gols.
  • Suíça 0×1 Chile – Mark González marca aos 30 minutos do segundo tempo e acaba com a invencibilidade suíça (no report oficial o minuto do gol é sempre arredondado para cima, ou seja, gols aos 15 segundos são registrados como 1 minuto).  Total de 559 minutos sem tomar gols.

Participação no Blog Coletivo da Copa

18 de junho de 2010 1

Repetindo a Eurocopa 2008 (a melhor competição de seleções que eu vi na vida), o clicRBS criou um blog coletivo, no qual cada um escolhe um time.

Desta vez escolhi a Inglaterra, pela simpatia que tenho pelo futebol inglês (não necessariamente da Seleção Inglesa). Se fosse por parentada, ia de Itália (Perin), ou mesmo a Alemanha.

Os Negreiros estão fora (Angola). Sim, sou descendente de negros por parte de avô materno. Parecido, né? hehe

Bom, confirma minhas opiniões. Já postei 3x, vejam sempre pela tag:

http://wp.clicrbs.com.br/coletivodacopa/category/inglaterra/?topo=2,1,1,,,2

Inglaterra: agora vai!!! Ou não…
12 de junho de 2010

Volta Banks!! Imagens que valem por mais do que mil palavras!

12 de junho de 2010 

Capello: um treinador refém de sua própria soberba

18 de junho de 2010

Copa 2010: Resumão da 1º rodada, os melhores e piores

16 de junho de 2010 3

Bom, com o surpreendente Espanha 0×1 Suíça encerramos os primeiros 16 jogos da Copa do Mundo de 2010. O primeiro Mundial em continente africano mostrou uma quantidade ínfima de gols (a menor média da história das Copas em uma primeira rodada) e alguns jogos muito ruins.

Porém sobre isto tenho uma opinião definitiva: primeira rodada todos estão travados e com medo de entregar, então arriscam pouco. Com os resultados ocorrendo naturalmente, os times se soltam ou se desesperam por vitórias e acabam abrindo espaços. Normalmente a terceira rodada é repleta de gols.

Além disto, por coincidência tivemos confrontos entre os dois times mais forte (Itália x Paraguai, Inglaterra x EUA) e também dos dois times fracos de um mesmo grupo (exemplo do jogo entre Argélia x Eslovênia, Eslováquia e Nova Zelândia).

Suíça comemora zebra sobre Espanha/Green levando frangaço e Valladares fazendo milagre - Destaques da 1º rodada na Copa do Mundo 2010

Melhor time: Alemanha, única goleada e jogo com mais de 3 gols
Pior time: Austrália, único a levar goleada
Melhor defesa: Suíça, sem levar gols há 454 484 minutos em Copas do Mundo (esqueci da prorrogação de Suíça x Ucrânia em 2006)
Pior defesa: Austrália
Pior ataque: Sérvia
Surpresas positivas: Japão e Coréia do Sul
Surpresas negativas: França e Camarões
Zebra da primeira rodada: Suíça 1×0 Espanha

Craque da primeira rodada: Mesul Ozil (Alemanha)
Revelação da primeira rodada:
Jong Tae-Se (Coréia do Norte)
Golaço da primeira rodada:
Siphiwe Tshabalala (África do Sul)
‘Quase golaço’ da primeira rodada: Eren Derdiyok (Suíça) que driblou quatro adversários e acertou a trave de Iker Casillas
Defesa da primeira rodada:
Noel Valladares (Honduras) em conclusão de Waldo Ponce (Chile)
Frango da primeira rodada:
Robert Green (Inglaterra) em chute de Clint Dempsey (EUA)
Mico da primeira rodada:
gol contra duplo de Simon Poulsen e Daniel Agger (Dinamarca)
Burrice da primeira rodada:
pênalti infantil de Zdravko Kuzmanovic (Sérvia) que custou a derrota para Gana
Melhor técnico da primeira rodada:
Ottmar Hitzfeld (Suíça), anulando a “Fúria” Espanhola
Pior treinador da primeira rodada: Wladimir Weiss (Eslováquia), que recuou o time para segurar um 1×0 contra a pífia Nova Zelândia e levou castigo nos acréscimos
Melhor árbitro:
Carlos Simon (Brasil) no jogo Inglaterra 1×1 EUA
Pior árbitro: Benito Archundia (México) no jogo Itália 1×1 Paraguai.

Melhor jogo da primeira rodada: Alemanha 4×0 Austrália.
Pior jogo da primeira rodada: Argélia 0×1 Eslovênia e Gana 1×0 Sérvia
Top 3 da primeira rodada: Alemanha, Coréia do Sul, Suíça
Bottom 3 da primeira rodada: Argélia, Camarões, Espanha

Seleção da primeira rodada: Enyeama (Nigéria); Maicon (Brasil), John Mensah (Gana), Grichting (Suíça) e Ziegler (Suíça); Mascherano (Argentina), Toure (Costa do Marfim), Muller (Alemanha) e Ozil (Alemanha); Messi (Argentina) e Robinho (Brasil)

Vale a pena ver: comercial do último gol de Pelé e comerciais argentinos

15 de junho de 2010 2

Muitos me perguntaram porque não citei os comerciais da Quilmes mais famosos no meu post de algumas semanas sobre grandes comerciais de futebol. O motivo foi simples: só iria colocar os fabulosos comerciais argentinos se visse um comercial sobre futebol de qualidade feito pela extremamente criativa indústria publicitária brasileira, mas habitualmente medíocre em comerciais de futebol. Basta ver as últimas campanhas de cervejarias, repletas de clichês de mau gosto…

Até que enfim isto ocorreu. A Vivo fez um comercial extremamente bonito envolvendo o maior jogador da história do futebol e um fictício “gol final pela Seleção Brasileira”. Pois sim, é do moço de Três Corações que falamos!

Pelé em um fictício jogo contra a Argentina no Morumbi, com 70 anos, repleto de participações especiais. Fernando Meirelles, o premiado diretor de “Central do Brasil” e “O Jardineiro Fiel“, assina a produção deste comercial de oito minutos, bem feito até nos detalhes mais singelos.

Vejam e se emocionem com “1284 – O último gol de Pelé”:

Impressiona a dramaticidade do “Bendito Seja“, talvez o melhor e mais famoso de todos (e já copiado por quase todas as torcidas do Brasil). Comercial da Quilmes para o Mundial de 2006 (feito antes da eliminação nas penalidades contra a Alemanha):

Com a criatividade do “Argentinos“, também da Quilmes para o Mundial de 2010:

E eu nem vou citar o discutível (no ponto de vista não-argentino) “Gentes del Mondo”, também da Quilmes:

Jogador ruim não se machuca: Teoria da Seleção Natural no futebol

04 de junho de 2010 11

Existe um princípio básico do futebol: jogador ruim quase nunca se machuca. E por não se machucar, ele entra em campo sempre que não pode. E que justamente por isto deve ser dispensado, sob risco de deixar o time na mão.

Eu levo isto mais além. Para mim é um exemplo claro da “teoria das espécies” do cientista inglês Charles Darwin, que mudou completamente a maneira de ensinar a evolução humana no mundo ocidental. É a seleção natural aplicada no mundo do futebol.

Imagina se um jogador ruim se machuca? O bom pode passar dois anos machucado que ainda terá espaço em algum lugar, como ocorreu com Ronaldo e Nilmar após sucessivas lesões no joelho. Mesmo jogadores eternamente lesionados como Pedrinho tiveram ampla e irrestrita possibilidade de se recuperar.

Agora e o ruim? Este não pode se machucar nunca, senão não ‘sobrevive’ na carreira. Perde o espaço, é dispensado, ninguém quer contratá-lo, justamente por ser ruim. Também por ser ruim, é uma opção no elenco atrás dos considerados ‘bons’. Então não pode estar lesionado quando a oportunidade surgir, e ela irá surgir.

Estamos vendo isto na dupla Gre-Nal. O contestadíssimo Bruno Collaço, a quinta opção da lateral-esquerda, tem jogado sistematicamente no Grêmio. Afinal o titular Lúcio, o reserva Fábio Santos, o improvisado zagueiro Neuton e até mesmo o novo contratado Uendel estão machucados.Até pode ser que o muito jovem Bruno Collaço se recupere na carreira, mas agora não serve para o Tricolor.

No Internacional não é muito diferente, a não ser pelo fato de que o segundo jogador mais contestado pela torcida ser titular, Alecsandro. Só sofreu uma lesão desde que veio para o Inter e foi justamente em seu melhor jogo, quando marcou 3x contra o Santos na Vila Belmiro. O contestado-mor é Edú, claro. E que, aliás, só se machucou quando ainda era visto como solução para o ataque.

Mas o maior exemplo ocorre sempre antes da Copa do Mundo. Temos reservas machucados e que ficaram fora da Copa, claro. Mas a Alemanha, Inglaterra, Costa do Marfim, Gana, Paraguai, Portugal e até mesmo a Eslováquia estão perdendo seus principais jogadores.

Brasileiros, argentinos e italianos estão incólumes, até agora. Nestes países, ironicamente os torcedores pedem por lesões dos menos populares como Camoranesi, Josué e Kléberson. Mas há pouco li que Andrea Pirlo sente dores musculares e sua situação é ‘preocupante’, segundo o departamento médico italiano

Os casos históricos mais famosos envolvem a Itália, que perdeu o goleiro titular Angelo Peruzzi antes da Copa de 1998 e da Eurocopa 2000, vendo o sortudo reserva Gianluca Pagliuca atuar. E a Alemanha, que perdeu o talentoso Mehmet Scholl antes de DUAS Copas do Mundo. Melhor jogador de sua geração, Scholl brilhou apenas na Eurocopa de 1996.

Alemanha: Michael Ballack, principal meia alemão.E seu reserva imediato Christian Traesch.

Inglaterra: David Beckham e Rio Ferdinand, o capitão de 2002 e 2006 e quem seria o capitão de 2010.

Costa do Marfim: Didier Drogba, maior jogador da história do país. Vejam o lance:

Eslováquia: Miroslav Karhan, principal defensor do time.

Gana: Michael Essien, melhor jogador do time

Paraguai: Salvador Cabañas, artilheiro do time nas Eliminatórias e que levou um tiro na cabeça em boate.

Portugal: José Bosingwa, lateral-esquerdo titular.

A Seleção Brasileira ainda não teve nenhuma lesão, apesar dos sustos de Júlio César e Michel Bastos, e da situação um tanto preocupante de Juan e Kaká.

Apenas em 2006 não tivemos um corte por lesão nas vésperas do Mundial. (Como lembrou o Fernando nos comentários, o Edmílson foi cortado em 2006 e convocado o Mineiro em seu lugar)

Será?

OPINIÃO: Carta de repúdio à CBF e ao Governo do Zimbábue. O Haiti podia ter sido aqui...

02 de junho de 2010 13

Carta fictícia ao Governo do Zimbábue e à Confederação Brasileira de Futebol sobre o jogo de hoje, Zimbábue 0×3 Brasil. Endereçada para o ‘presidente eleito’ do Zimbábue (há mais de 30 anos) Robert Mugabe e para o presidente da CBF, Ricardo Teixeira:

“Esta é uma missiva aberta do povo zimbabuano para o mundo, endereçada aos comandantes do Zimbábue e da CBF. Estou usando este espaço para repudiar o pagamento de uma cota milionária para a CBF pelo amistoso-treino de hoje da Seleção Brasileira de Futebol contra a amadora seleção de nosso país. Serão 1.3 milhões de dólares para enfrentar o Zimbábue.

Entendo que nossa gente realmente necessite de um pouco de alegria e diversão em uma vida tão difícil. A alegria de nosso povo foi genuína. Tivemos feriado nacional hoje!

A emoção de ver os ídolos que só se vê nas televisões dos vizinhos (1 em cada 20 zimbabuanos tem tevê, sabiam?) não tem preço.O jogo era o que menos importa. Kaká, aqui em Harare? O Lúcio, o Maicon! Que coisa fantástica!

Porém… E esta cota? Nossa economia era uma das mais pobres do planeta em 2000. Hoje é a pior. Os índices ‘sociais’ são os piores do planeta em quase todos os quesitos.

Recentemente a segunda maior hiperinflação da história da humanidade registrada, de 6.5 x 10108% ao ano (acumulados até abril de 2009, quando nossa inútil moeda local dólar zimbabuano foi extinta. Os outros indicadores são igualmente desesperadores:

  • Mortalidade infantil de 102 por mil nascidos
  • Taxa de desemprego de 94%
  • 25% da população contaminada pela AIDS
  • Expectativa de vida de 37 anos para mulheres, 34 para homens
  • População decrescente: entre 2002 e 2006, o país perdeu 3,4 milhões de pessoas, a maioria absoluta refugiada na África do Sul.

A CBF recebe mais de 500 milhões de reais POR ANO de patrocínios e cotas comerciais, não precisaria desta ‘migalha’.

De nosso governantes não esperamos nada. Já tivemos várias guerras e muita miséria. Mais uma vez, preferimos violentar as finanças de nosso país miserável, governado por um ditador há décadas, para encher de trocados os bilionários cofres da CBF. 

Não compreendo porque não fazer isto de maneira gratuita. Porque a CBF não fez um gesto de grandiosidade, jogando apenas por hospedagem e com o valor ingressos destinados a obras sociais que beneficiem alguns dos milhões de miseráveis de nossa antiga Rodésia?

Pois perdemos uma oportunidade de repetir o Haiti, 2004. Afinal, o Haiti É aqui…

Atenciosamente,

Povo do Zimbábue”

Haiti, 2004, “O Jogo da Paz” – Brasil 6×0 Haiti

COPA 2010: Italianos baseiam-se nas coincidências para repetir 1982

28 de maio de 2010 0

Os Italianos apostam mais nas curiosidades do que no (mau) futebol recente apresentado por sua seleção. Isto porque o calendário gregoriano repete sua configuração a cada 28 anos. Ou seja, em 2010 temos a mesma configuração de dias de 1982, ano que a Itália foi tricampeã mundial. Mais curioso ainda: a final da Copa do Mundo está marcada para o mesmo dia, 11 de julho.

Lembrando disto, uma empresa italiana está ‘reciclando’ calendários, com um carimbo de data e vendendo na Itália para os colecionadores. Calendário 1982 recauchutadoVejam a reprodução ao lado com os dizeres “Happy Old Year” (“Feliz Ano Velho”, em inglês)

Naquela ocasião, a Itália bateu a Alemanha Ocidental com facilidades por 3×1, viu o veteraníssimo capitão Dino Zoff levantar a taça de campeã mundial pela terceira vez no estádio Santiago Bernabéu, em Madrid. Depois da histórica vitória sobre o Brasil no Sarriá, em Barcelona por 3×2, os italianos chegaram empolgados e com extrema força na decisão.

Brincadeiras à parte, a Itália não tem sido bem cotada nas casas de apostas do Mundial. Atual campeã, a equipe de Marcello Lippi vai com um time antigo, repleto de jogadores em decadência técnica e física, e pouco capaz de repetir os momentos de brilho de 2006. Os principais jogadores ofensivos do time, os veteranos Francesco Totti e Alessandro del Piero, estão fora da Copa do Mundo da África do Sul.

Para relembrar os bons momentos, o compacto da final de 1982, apitada pelo árbitro brasileiro Arnaldo César Coelho:

Copa 2010: Tanta festa... Para nada!

19 de novembro de 2009 0

Na disputa por uma vaga no Mundial 2010, as eliminações de Bahrein, Irlanda e Egito doeram em especial para seus torcedores. Afinal, estes times fizeram o mais difícil antes de serem finalmente despachados por Nova Zelândia, França e Argélia. 

A eliminação do Bahrein, que nunca disputou um Mundial, deve estar sendo comemorada na Arábia Saudita. Na repescagem asiática, os sauditas fizeram 2×1 aos 45 do 2º tempo e estavam se classificando quando levaram o empate do Bahrein, em pleno estádio nacional de Riad. Vejam o texto sobre isto.

Mas não adiantou nada, pois na repescagem final contra a Nova Zelândia, representante da Oceania, os árabes levaram 1×0 fora de casa depois de um 0×0 em casa. Fim do sonho.

Já a Irlanda deve estar ainda mais possessa. Ainda na primeira fase, vencia a Itália com um gol aos 42 do 2º tempo, quando levaram o empate nos acréscimos, resultado que tirou todas as chances de uma vaga direta para o Mundial.

Foi para a repescagem e perdeu em casa para a França com um gol de ‘xiripa‘ em um chute de longe que desviou na zaga. Na raça e bravura, venceu a França em pleno estádio Saint Denis e levou o confronto para a prorrogação.

Então, um escandaloso gol de William Gallas, ajudado por uma mão absurda do craque francês Thierry Henry, classificou os franceses e eliminou a heróica equipe irlandesa. Eu sou favorável de uma suspensão de sete jogos do Henry em jogos internacionais (exatamente a duração de uma Copa do Mundo), justamente para evitar que coisas assim voltem a ocorrer.

Finalizando, o Egito. Precisava vencer por 3×0 a Argélia na última rodada das Eliminatórias para se garantir no Mundial, e um 2×0 levaria para um jogo extra depois de empatar em todos os critérios. Vencia por 1×0 até 49 do 2º tempo quando Meteab fez um gol dramático que levou a disputa para o jogo-extra em campo neutro (no Sudão). Vejam o gol

Mas no jogo-extra, os egípcios (atuais bicampeões continentais) fizeram uma atuação ridícula e perderam para os argelinos, aumentando para no mínimo 24 anos o período de ausência em Mundiais.

Vale ainda lembrar a Costa Rica, que esteve classificada para o Mundial até os 50 minutos do 2º tempo quando levaram o empate dos Estados Unidos, na rodada final das Eliminatórias da CONCACAF. Foi para a repescagem, perderam em casa para os uruguaios e no jogo de volta, mesmo com muita raça, apenas empataram em 1×1, ficando fora da Copa do Mundo. Ou seja, por um minuto a mais, ficaram fora do Mundial. Vejam a comemoração incrível dos hondurenhos.

Para estes três países e torcedores, Copa do Mundo na África do Sul somente pela TV…

Copa 2010 terá todos os campeões mundiais

19 de novembro de 2009 0

A Copa do Mundo de 2010 na África do Sul terá todos os campeões mundiais, algo que não ocorreu na edição da Alemanha. Apesar de muito sufoco, Argentina, Uruguai e França conseguiram suas vagas na rodada final das Eliminatórias ou repescagem, e estarão no Mundial do ano que vem.

Sendo assim, o pentacampeão Brasil, a tetracampeã Itália, a tricampeã Alemanha, os bicampeões Argentina e Uruguai, e ainda os campeões França e Inglaterra participarão desta Copa. A última vez que isto ocorreu foi em 2002, quando todos os vencedores de um Mundial estavam presentes. Normalmente os lapsos de presença são causados por uruguaios e ingleses.

Além de 2010 e 2002, nos Mundiais de 1990, 1986, 1970, 1966, 1962, 1954 e 1950 todos os campeões mundiais de então estiveram presentes. O contraponto é a Copa de 1958, na Suécia, quando somente a Alemanha Ocidental (campeã mundial da época) estava presente, contra as ausências de Uruguai e Itália.

Em 1998, o Uruguai ficou de fora, assim como em 1994, no que foi acompanhado pela Inglaterra (a França ainda não era campeã mundial).

Já em 1982, o Uruguai novamente ficou de fora. Em 1978, ingleses e uruguaios repetiram o mico, algo que só ocorreu para os ingleses em 1974.

Em 1970 estavam todos lá (lembrando que a Argentina não era campeã mundial), assim como em 1966 e 1962. Em 1958, o Uruguai e a Itália ficaram de fora.

Finalizando, em 1938 e 1934 o campeão mundial Uruguai não esteve presente na Copa da Itália.