Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Copa Libertadores"

Primeiro título do Grêmio na Libertadores completa 30 anos - Veja detalhes desta história

28 de julho de 2013 1

Neste 28 de julho, o Grêmio comemora 30 anos de sua primeira grande conquista internacional: o título da Copa Libertadores de 1983, vencendo o campeão mundial Peñarol na decisão no estádio Olímpico por 2×1. O Almanque Esportivo, há exatos 5 anos, fez um post especial sobre esta conquista. Como não poderíamos deixar de lembrar, faço o convite para rever esta história contada há tanto tempo e que teve o atual presidente do Grêmio, Fábio Koff, como grande líder daquela jornada. Divirtam-se:

Há 25 anos: Grêmio conquista a América!

28 de julho de 2008

No dia 28 de julho de 1983, o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense conquistou a sua maior conquista até então.

Em uma gélida noite de inverno em Porto Alegre, o Tricolor Gaúcho bateu o então campeão mundial Peñarol por 2×1 e se sagrou campeão da Libertadores de 1983. Detalhes sobre toda a campanha foram publicados aqui no ClicRBS no Especial: Libertadores 1983, a conquista da América. Então vou enfocar outros pontos daquela campanha que achei interessante.


VEJA TAMBÉM:

  • Há 15 anos: Grêmio conquistava o bicampeonato da América! Parte I
  • Há 15 anos: Grêmio conquistava o bicampeonato da América! Final
  • Ronaldinho e mais seis: confira lista de campeões da Copa Libertadores e também da Liga dos Campeões da Europa!

    25 de julho de 2013 0

    Ronaldinho entrou para a história do futebol mundial nesta semana. Ele se tornou o sétimo jogador da história do futebol a ter conquistado títulos continentais em dois continentes: Europa e América do Sul. O título desta temporada da Copa Libertadores pelo Atlético Mineiro se aliou à conquista da Liga dos Campeões em 2006 pelo Barcelona.

    Outros três brasileiros também conquistaram esta glória incomum: Roque Júnior, Cafú e Dida. O zagueiro e volante Roque Júnior foi campeão sul-americano pelo Palmeiras em 1999 e pelo Milan em 2003. Já Cafú em 1991 e 1992 pelo São Paulo, 2007 pelo Milan impressionantes 16 anos depois de sua primeira conquista. Finalmente Dida, campeão sul-americano pelo Cruzeiro em 1997 e pelo Milan em 2003 e 2007.

    Além destes, outros três argentinos conquistaram esta glória: Juan Pablo Sorín, Carlos Tévez e Walter Samuel. O caso curioso é o de Sorín: foi campeão da Libertadores em 1996 pelo River Plate, curiosamente após jogar pela Juventus na Liga dos Campeões daquele mesmo ano. Na real, Sorín estava presente nas duas finais, mas seu nome está registrado.

    Tévez é mais simples: campeão no Boca Juniors em 2003, e no Manchester United em 2008. Finalizando, Walter Samuel foi campeão no Boca Juniors em 2000 e na Internazionale em 2010.

    Dois casos ficaram “sob júdice”, mas o Comitê Executivo deste blog (leia-se: eu) vetou a inscrição: Edmílson (que teria vencido a Libertadores em 1993 pelo São Paulo e depois em 2006 pelo Barcelona), e Santiago Solari (em 1996 pelo River Plate e em 2002 pelo Real Madrid). O brasileiro não jogou e não estava inscrito naquela Libertadores, o mesmo ocorrendo com Solari no título argentino. Por isto ficaram de fora da listagem.

    A dica deste post é do amigo Ricardo Gullo(@gullofilho)

    Disputa de pênaltis na história - Grêmio (com vídeos!)

    13 de maio de 2013 3

    A derrota para o Juventude há duas semanas encerrou uma boa sequência de vitórias consecutivas nas penalidades para o Grêmio, que já somava 2 sucessos na temporada 2013. Repetindo 2011, quando perdeu o título estadual também em uma disputa de penalidades, o Tricolor ficou alijado da competição desta maneira.

    Grohe defendendo o pênalti da LDU - Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

    Ao longo da história, foram 35 disputas de pênaltis, contabilizando-se apenas jogos oficiais e divididos assim: Campeonato Gaúcho (15), Copa do Brasil (4), Campeonato Brasileiro (5), Copa CONMEBOL (2), Supercopa da Libertadores (3), Copa Mercosul (1), Copa Libertadores (4) e Copa Intercontinental (1).

    O Grêmio venceu em 15 oportunidades: Campeonato Gaúcho (8), Copa do Brasil (1), Campeonato Brasileiro (1), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (1)  e Copa Libertadores (3). As derrotas: Campeonato Gaúcho (7), Copa do Brasil (3), Campeonato Brasileiro (4), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (2), Copa Mercosul (1) e Copa Intercontinental (1).

    VITÓRIAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

    DERROTAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

    ALGUMAS CURIOSIDADES

    • No Brasileiro de 1988 e no Gauchão de 1989, jogos terminados em empate eram decididos em disputas de pênaltis. Por isto tantas repetições nestas duas competições.
    • O Grêmio foi campeão gaúcho de 1989 na disputa de pênaltis, com cobranças decisivas defendidas pelo veteraníssimo Mazaropi. O curioso é que o Inter tinha chegado na decisão invicto, com seis vitórias em seis disputas. Perdeu no jogo mais importante.
    • Em 1993, o Grêmio eliminou o Palmeiras nas quartas-de-final da Copa do Brasil. O curioso desta disputa é que o atacante Gílson errou duas vezes: no tempo normal e na disputa de pênaltis.
    • Em 1995, contra o Ajax, e em 2011, contra o Internacional, a disputa de pênaltis gerou não só a eliminação do Grêmio como a perda do título em disputa.
    • Em 1997, Grêmio e Brasil de Pelotas protagonizaram uma série de 22 pênaltis (Mauro Galvão tinha sido expulso, e o Brasil retirou um atleta da cobrança). Na primeira repetição, o melhor batedor Luizinho errou e o Grêmio se garantiu na final.
    • A mais bizarra foi em 1997, na Libertadores contra o Guarany de Assuncíon. O Grêmio converteu as duas primeiras, assim como o time paraguaio converteu a sua 1º cobrança. Dali em diante foram sete erros consecutivos até o erro derradeiro dos visitantes e a classificação tricolor.

    VEJA TAMBÉM

    Brasileiros na Libertadores - Confiram os principais recordes

    14 de março de 2013 1

    Não tem sido lá grandiosa a participação brasileira até o momento na Copa Libertadores 2013. O único invicto é o Atlético-MG, e times como São Paulo e Palmeiras fazem campanhas tenebrosas. Porém historicamente os números são bem melhores.

    Selecionei os nove brasileiros campeões da Libertadores (pela ordem de títulos: Santos, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, São Paulo, Vasco, Palmeiras, Internacional e Corinthians) e tirei alguns números interessantes. Vamos à eles (dados atualizados até o início da Libertadores 2013, exclusive)?

    O São Paulo, tricampeão e tri-vice campeão, é o recordista em jogos e vitórias, mas cabe ao Palmeiras o maior número de gols pelos brasileiros. O melhor aproveitamento é do Cruzeiro, e o pior é do Vasco da Gama. Campeão invicto, o Corinthians tem a maior sequência sem derrotas: 16 partidas, na última edição. Já o Vasco tem o recorde negativo: 10 jogos sem vencer nas edições de 1985 e 1990, consecutivamente.

    Os dados completos estão nesta planilha do Excel, compartilhada no Google Drive

    • Maior número de títulos: São Paulo e Santos, 3 títulos cada
    • Maior número de participações entre os campeões: São Paulo, 15 disputas
    • Menor número de participações entre os campeões: Vasco da Gama, 8 disputas
    • Maior número de jogos: São Paulo, 149 jogos
    • Maior número de vitórias: São Paulo, 77 vitórias
    • Maior número de gols: Palmeiras, 255 gols
    • Melhor aproveitamento entre os brasileiros campeões: Cruzeiro, 65%
    • Pior aproveitamento entre os brasileiros campeões: Vasco da Gama, 51%
    • Maior goleada: Santos 9×1 Cerro Porteño, 1962
    • Pior derrota: Santos 0×5 Flamengo, 1984 e Grêmio 5×0 Palmeiras, 1995

    Fiz um levantamento também envolvendo os confrontos nacionais: ou seja contra que países cada time brasileiro campeão da Libertadores já atuou na história. Entraram as 10 Federações da CONMEBOL mais o México, que participa desde 1998.

    O Inter jamais enfrentou times chilenos, enquanto o Corinthians nunca jogou contra peruanos. Já o Vasco da Gama não enfrentou times bolivianos. O Grêmio é o único a perder para todos os países. O Inter só se escapa pois nunca perdeu para bolivianos.

    Confrontos dos brasileiros campeões versus adversários por países - Arquivo Pessoal

    Entrada criminosa em Ronaldinho lembra lances de Dinho e Bolívar

    27 de fevereiro de 2013 10

    Nesta terça-feira, no massacre de 5×2 do Atlético-MG contra o Arsenal de Sarandí, tivemos um legítimo Tributo ao Carrinho(alô Richard Ducker!). Diego Braghieri acertou uma entrada inaceitável sobre Ronaldinho, com o placar já em 5×2, aos 43 do 2º tempo. O juiz marcou pênalti mas não deu o mais que merecido cartão vermelho. E R10 ainda errou a cobrança… Vejam o lance:

    Em 1995, o volante Dinho desferiu uma entrada criminosa no meia Negretti, do Bragantino, na derrota de 2×0 pelo Campeonato Brasileiro.  Depois de levar uma bola no meio das pernas, já perdendo o jogo, Dinho acertou no atleta do time paulista.

    Dinho foi expulso, e o jogador adversário ficou fora do Campeonato Brasileiro por ter sofrido uma lesão nos ligamentos do joelho. Alguns meses depois, até como gratidão, Negretti seria contratado pelo Grêmio e fez gol na estréia, vitória contra o São Luiz de Ijuí pelo Gauchão.

    Dinho x Negretti em 1995 - Arquivo Zero Hora

    Em 2012, o zagueiro colorado Bolívar fez algo muito semelhante no Beira-Rio, vitória de 1×0 contra o Bahia. Ele deu um carrinho no joelho do jovem Dodô, que teve rompimento dos ligamentos do joelho. Bolívar, ao contrário de Dinho e assim como Bragheri, não foi expulso:

    ESPECIAL: Estádio Olímpico e suas estatísticas finais de 58 anos de história!

    03 de dezembro de 2012 13

    Ontem encerrou-se o capítulo oficial da história do estádio Olímpico Monumental. Palco de 58 anos dos jogos do Grêmio Foot-Ball Portoalegrense, a velha casa Tricolor deixará de existir em 2013.

    Se despediu com um 0×0 tumultuado, contra seu arquirrival Internacional em um jogo decisivo do Campeonato Brasileiro, depois de ter iniciado a sua trajetória em um 2×0 sobre o Nacional de Montevidéu, Torneio de Inauguração do estádio em 1954

    O Almanaque Esportivo compilou as mais significativas (ou não) estatísticas da história do Grêmio.  Foram  1764 jogos, 1156 vitórias, 382 empates e e sofreu 226 derrotas. Marcou 3498 gols e sofreu 1303 (dados do @tribunagremista, o grande Bruno Coelho).

    Em Gre-Nais foram 123 jogos, 41 vitórias, 48 empates e 34 derrotas, 152 gols marcados e 132 gols sofridos.


    Primeiro jogo: Grêmio 2×0 Nacional-URU, torneio de inauguração do estádio em 19/09/1954
    Primeira vitória: Grêmio 2×0 Nacional-URU, torneio de inauguração do estádio em 19/09/1954
    Primeiro gol: Vítor (Grêmio), em Grêmio 2×0 Nacional-URU, torneio de inauguração do estádio em 19/09/1954
    Primeiro gol gremista: Vítor (Grêmio), em Grêmio 2×0 Nacional-URU, torneio de inauguração do estádio em 19/09/1954
    Primeira derrota: Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro gol sofrido: Jerônimo (Inter), em Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeira vitória em Gre-Nais: Grêmio 2×1 Internacional, Campeonato Citadino 1955 em 24/07/1955
    Primeira derrota em Gre-Nais: Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro gol marcado em Gre-Nais: Sarará (Grêmio),em Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro gol gremista em Gre-Nais: Sarará (Grêmio),em Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro gol colorado em Gre-Nais: Jerônimo (Inter), em Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Maior público oficial: Grêmio 0×1 Ponte Preta, Brasileiro de 1981 – 98.421 (85.751 pagantes) em 26/04/1981- OBS: sobre este jogo existe uma polêmica, já que nas sociais era necessário 4 ingressos dos ditos “normais” e todos foram contabilizados como torcedores individuais. A prova da confusão é que o segundo maior público do Olímpico é de simplesmente 24 mil torcedores a menos, 74,238 torcedores em Grêmio 0×0 Flamengo pela final do Brasileiro de 1982. Quem quiser contribuir, informe. O Renato Rangel Torres fez um ótimo comentário, olhem mais abaixo.
    Primeiro título no estádio: Internacional, campeão do torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro título do Grêmio na “Era Olímpico”: Campeonato Gaúcho de 1956, batendo o Pelotas fora de casa na final
    Primeira finalíssima do Grêmio em seu próprio estádio: Grêmio 3×0 Guarany-Bagé, Campeonato Gaúcho 1958 em 11/03/1959
    Primeiro jogo internacional oficial: Grêmio 0×0 São Paulo, Copa Libertadores 1982 em 03/09/1982
    Primeiro jogo de Copa Libertadores: Grêmio 0×0 São Paulo, Copa Libertadores 1982 em 03/09/1982
    Primeiro jogo da Seleção Brasileira: Brasil 3×0 Bulgária, amistoso em 28/10/1981
    Último jogo: Grêmio 0×0 Internacional, Campeonato Brasileiro em 02/12/2012
    Última vitória: Grêmio 2×1 São Paulo, Campeonato Brasileiro 20120 em 12/11/2012
    Último gol: Marcelo Moreno (Grêmio), Grêmio 2×1 São Paulo, Campeonato Brasileiro 2012 em 12/11/2012
    Último gol gremista: Marcelo Moreno (Grêmio), Grêmio 2×1 São Paulo, Campeonato Brasileiro 2012 em 12/11/2012
    Última derrota: Grêmio 1×2 Portuguesa, Campeonato Brasileiro 2012 em 13/08/2012
    Último gol sofrido: Rogério Ceni (São Paulo), Grêmio 2×1 São Paulo, Campeonato Brasileiro 2012 em 12/11/2012
    Último gol marcado em Gre-Nais: Bolívar (Inter), Grêmio 2×2 Internacional, Campeonato Gaúcho 2012 em 05/02/2012
    Último gol gremista marcado em Gre-Nais: Marcelo Moreno, Grêmio 2×2 Internacional, Campeonato Gaúcho 2012 em 05/02/2012
    Último título no estádio: Internacional, Campeonato Gaúcho 2011 em 15/05/2010
    Último título gremista da “Era Olímpico”: Grêmio, Campeonato Gaúcho 2010 em 02/05/2010
    Último título gremista no estádio: Grêmio, Campeonato Gaúcho 2010 em 02/05/2010
    Último gol colorado em Gre-Nais: Bolívar (Inter), Grêmio 2×2 Internacional, Campeonato Gaúcho 2012 em 05/02/2012
    Menor público do Olímpico: 55 pagantes em Juventude 2×1 Portuguesa, Campeonato Brasileiro 1997 em 03/12/1997 - OBS: O menor público do Grêmio foi de 271 pagantes no jogo Grêmio 2×0 Esportivo, Campeonato Gaúcho em 07/07/1994
    Último jogo internacional oficial: Grêmio 1×0 Millionários-COL, Copa Sul-Americana 2012 em 30/10/2012
    Último jogo de Copa Libertadores: Grêmio 1×2 Universidad Católica-CHI, Copa Libertadores 2011 em 26/04/2011
    Último jogo da Seleção Brasileira: Brasil 2×0 Paraguai, Eliminatórias para o Mundial 2002 em 15/08/2001
    Observações finais: em caso de erros ou omissões, mandem e-mail ou deixem  comentários!

    Adeus, velho Olímpico! - Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

    DRAMA EM BOGOTÁ: Grêmio aumenta sina de fracassos em território colombiano

    16 de novembro de 2012 9

    A dramática, e polêmica, eliminação na Copa Sul-Americana contra o Millionários-COL deixou a torcida do Grêmio com um sabor amargo. Se existe algum lugar no qual o Tricolor gaúcho não tem muita sorte é na Colômbia em competições sul-americanas.

    Rentería elimina Grêmio e segue a sina na Colômbia - Foto: AFP PHOTO/Luis Acosta

    É verdade que conquistou a Libertadores de 1995 contra o Nacional de Medellín em um empate de 1×1, após 3×1 no jogo de ida no estádio Olímpico. Mas o retrospecto global contra times colombianos é catastrófico fora de casa: 8 derrotas, 1 empate e 1 única vitória, em 2009 contra o Boyacá Chicó.

    Foram três eliminações em competições de mata-mata, a mais dramática nas semifinais de 1996 contra o América de Cali e igualmente de virada por 3×1 após um 1×0 em casa no jogo de ida. Na ocasião, o zagueiro Bermúdez, que marcou era no Boca Juniors de Carlos Bianchi, fez dois gols:

    No Olímpico, em compensação, o Grêmio jamais perdeu: foram 7 vitórias e 2 empates.

    VEJA TODOS OS CONFRONTOS

    Copa Libertadores 1983 – Triangular semifinal
    • América de Cali 1 x 0 Grêmio, Grêmio 2 x 1 América de Cali
    Copa Libertadores 1995 – Finais
    • Grêmio 3 x 1 Atlético Nacional, Atlético Nacional 1 x 1 Grêmio

    Copa Libertadores 1996 – Semifinais

    • Grêmio 1 x 0 América de Cali, América de Cali 3 x 1 Grêmio
    Supercopa 1997 – Primeira fase
    • Grêmio 2 x 2 Atlético Nacional, Atlético Nacional 3 x 1 Grêmio
    Copa Libertadores 2003 – Quartas-de-finais
    • Grêmio 2 x 2 Independiente Medellín, Independiente Medellín 2 x 1 Grêmio

    Copa Libertadores 2007 – Primeira fase

    • Grêmio 0 x 0 Cucuta, Tolima 1 x 0 Grêmio, Grêmio 1 x 0 Tolima, Cucuta 3 x 1 Grêmio
    Copa Libertadores 2009 – Primeira fase
    • Boyacá Chicó 0 x 1 Grêmio, Grêmio 3 x 0 Boyacá Chicó

    Copa Libertadores 2011 – Primeira fase

    • Atlético Júnior 2 x 1 Grêmio, Grêmio 2 x 0 Atlético Júnior

    Copa Sul-Americana 2012 – Quartas-de-finais

    • Grêmio 1×0 Millionários, Millionários 3×1 Grêmio

    SÉRIE B: Goleiro dá uma voadora no rosto de adversário e é expulso!

    19 de setembro de 2012 8

    O veterano goleiro Neneca foi expulso no jogo de ontem da Série B entre Bragantino e América-MG, 2×0 para o time da casa. No início do segundo tempo, Neneca deu uma voadora no rosto do atacante Barbosa, que caiu na área. Pênalti e cartão vermelho para Neneca:

    Vale ressaltar o comentário absolutamente “non-sense” do comentarista Müller, que diz que Neneca foi expulso por ser o “último homem”. Não, Müller: ele foi expulso por AGRESSÃO a um adversário. Afeee! Na cobrança, Mateus fez 1×0 (obrigado Giovanni Siqueira pela correção!).

    Em 2007, o instável goleiro argentino Gastón Sessa, do Vélez Sarsfield, fez lance idêntico no jogo contra o Boca Juniors em La Bombonera, oitavas-de-final da Copa Libertadores. A agressão, feita em Rodrigo Palacios, também gerou cartão vermelho e pênalti:

    A pedidos, o golpe de Renan sobre Rodrigo Mendes no Gre-Nal do 1º turno do Campeonato Brasileiro, 1×1 no estádio Olímpico. Renan também foi expulso e igualmente foi pênalti convertido:

    PESQUISA: Todos os estrangeiros campeões ou vice da Libertadores jogando no Brasil

    12 de julho de 2012 2

    Depois do post falando sobre  Brasileiros no exterior: quais venceram a Libertadores e Liga dos Campeões!, resolvi inverter. Pesquisei quais jogadores estrangeiros foram campeões da Copa Libertadores da América jogando por clubes brasileiros. A lista, ao contrário do que eu pensava, não é muito extensa. O último a entrar foi o reserva, e quase nunca acionado, Luís Ramirez, peruano e campeão pelo Corinthians na semana passada.

    O primeiro  estrangeiro campeão foi uma surpresa para mim. Achava que tinha sido o argentino Perfumo pelo Cruzeiro em 1976, mas depois vi que o defensor tinha sido adversário do Cruzeiro na final, jogando pelo River Plate.

    Sendo assim, a primazia coube ao capitão gremista Hugo de León, campeão da América em 1983. Apenas dez anos depois, o também uruguaio Matosas (reserva), foi campeão. Depois tivemos dois títulos de Arce e Rivarola, os únicos estrangeiros bicampeões por clubes brasileiros (no Grêmio em 1995 e Palmeiras em 1999).

    O recorde eu imaginava: o Inter de 2010 com 5 estrangeiros campeões da América, dois deles titulares e outros dois que começaram titulares, mas terminaram no banco. Curiosidade: o Santos jamais foi campeão ou vice-campeão da Libertadores com um atleta estrangeiro no grupo.

    ESTRANGEIROS CAMPEÕES DA LIBERTADORES POR TIMES BRASILEIROS

    • 1983 – De León (URU) – Grêmio
    • 1993 – Matosas (URU) – São Paulo
    • 1995 – Arce (PAR), Rivarola (PAR) – Grêmio
    • 1999 – Arce (PAR), Rivarola (PAR) – Palmeiras
    • 2005 – Lugano (URU) – São Paulo
    • 2006 – Rentería (COL) – Internacional
    • 2010 – Bruno Silva (URU), Sorondo (URU), Pato Abbondanzieri (ARG), Guiñazu (ARG), D’Alessandro (ARG) – Internacional
    • 2012 – Luís Ramirez (PER) – Corinthians
    • Total: 12 jogadores campeões. Arce e Rivarola foram campeões 2 vezes.

    Os vice-campeões são praticamente o mesmo número. Os primeiros foram os uruguaios Pedro Rocha e Forlán, vice-campeões em 1974 pelo São Paulo. Como curiosidade, Matosas que foi campeão em 1993 e vice-campeão em 1994, assim como Arce e Asprilla em 1999 e 2000; e Lugano em 2005 e 2006
    ESTRANGEIROS VICE-CAMPEÕES DA LIBERTADORES POR TIMES BRASILEIROS

    • 1974 – Pedro Rocha (URU), Forlán (URU) – São Paulo
    • 1980 – Benítez (PAR) – Internacional
    • 1984 – De León (URU) – Grêmio
    • 1994 – Matosas (URU) – São Paulo
    • 2000 – Arce (PAR), Asprilla (COL) – Palmeiras
    • 2006 – Lugano (URU) – São Paulo
    • 2007 – Saja (ARG), Schiavi (ARG), Gavilán (PAR) – Grêmio
    • 2008 – Darío Conca (ARG) – Fluminense
    • 2009 – Sorín (ARG) – Cruzeiro
    • TOTAL: 13 jogadores vice-campeões

    LEITURA COMPLEMENTAR

    PESQUISA: Brasileiros no exterior que venceram a Libertadores e Liga dos Campeões!

    10 de julho de 2012 5

    Quais atletas brasileiros conquistaram os títulos continentais da América e da Europa jogando por equipes de outros países? Por sugestão do leitor André Soares Ribeiro (que por sua vez contou com informações de Rafael Maranhão, Manoel Junqueira, Heitor e dados do comentarista esportivo Paulo Vinícius Coelho), que fez o levantamento abaixo dos jogadores campeões na Liga dos Campeões da Europa, fiz o levantamento de atletas campeões na Copa Libertadores da América jogando em times do exterior.

    Vários dos atletas na listagem da Libertadores tiveram passagens formidáveis no futebol gaúcho: Jair, Manga, Iarley, Salvador. Outro deles, João Cardoso, que jogou no Grêmio com um destaque apenas fugaz, se tornou uma lenda no futebol argentino nos anos 60.
    Brasileiros campeões e vice da Libertadores por times estrangeiros
    CAMPEÕES

    • 1982 – Jair – Peñarol (URU)
    • 1971 – Manga – Nacional (URU)
    • 1967 – João Cardoso – Racing Club (ARG)
    • 1960 – Salvador – Peñarol (URU)

    VICE-CAMPEÕES

    • 2004 – Iarley – Boca Juniors (ARG)
    • 1997 – Julinho – Sporting Cristal (PER)
    • 1969 – Manga – Nacional (URU)
    • 1963 – Orlando Peçanha – Boca Juniors (ARG)

    Brasileiros campeões e vice da Copa dos Campeões/Liga dos Campeões da Europa por times estrangeiros
    CAMPEÕES

    • 1960 – Canário, Didi – Real Madrid-ESP
    • 1963 – Dino Sani e Mazola Altafini e Germano – Milan-IT
    • 1964 – Jair da Costa – Internazionale-ITA
    • 1965 – Jair da Costa – Internazionale-ITA
    • 1969 – Sormani – Milan-ITA
    • 1987 – Juari, Casagrande, Celso, Paulo Ricardo e Elói – Porto-POR
    • 1997 – Júlio César – Borussia Dortmund-ALE
    • 1998 – Roberto Carlos, Zé Roberto e Sávio – Real Madrid-ESP
    • 2000 – Roberto Carlos, Júlio César e Sávio – Real Madrid-ESP
    • 2001 – Élber, Paulo Sérgio – Bayern de Munique-ALE
    • 2002 – Roberto Carlos, Flávio Conceição e Sávio – Real Madrid-ESP
    • 2003 – Dida, Serginho, Roque Júnior e Rivaldo – Milan-ITA
    • 2004 – Carlos Alberto, Derlei, Deco e Bruno Moraes – Porto-POR (obrigado Diego Zanini e Fábio pelas correções)
    • 2006 – Edmílson, Belletti, Ronaldinho Gaúcho, Sylvinho, Thiago Motta e Deco – Barcelona-ESP
    • 2007 – Dida, Serginho, Cafu, Kaká e Ricardo Oliveira – Milan-ITA
    • 2008 – Anderson – Manchester United-ING
    • 2009 – Sylvinho, Daniel Alves – Barcelona-ESP
    • 2010 – Júlio César, Lúcio, Maicon, Thiago Motta e Mancini – Internazionale-ITA
    • 2011 – Daniel Alves, Maxwell, Adriano e Thiago Alcântara – Barcelona-ESP
    • 2012 – David Luiz, Ramires e Alex – Chelsea-ING
      Total: 50 jogadores, com Roberto Carlos e Sávio sendo tricampeões europeus, sempre pelo Real Madrid (valeu, André!)

    VICE-CAMPEÕES

    • 1957 – Julinho – Fiorentina-ITA
    • 1961 – Evaristo de Macedo – Barcelona-ESP
    • 1962 – Canário – Real Madrid-ESP
    • 1972 – Jair da Costa – Internazionale-ITA
    • 1973 – Mazola Altafini – Juventus-ITA
    • 1984 – Falcão e Toninho Cerezzo – Roma-ITA
    • 1992 – Toninho Cerezzo – Sampdoria-ITA
    • 1988 – Elzo,Chiquinho, Wando, Mozer – Benfica-POR
    • 1990 – Aldair, Ricardo Gomes e Valdo – Benfica-POR
    • 1991 – Mozer – Olympique Marseille-FRA
    • 1994 – Romário – Barcelona-ESP
    • 1999 – Élber – Bayern de Munique-ALE
    • 2001 – Fábio Aurélio – Valencia-ESP
    • 2002 – Zé Roberto, Lúcio – Bayer Leverkusen-ALE
    • 2005 – Dida, Cafu, Serginho e Kaká – Milan-ITA
    • 2006 – Gilberto Silva – Arsenal-ING
    • 2007 – Fábio Aurélio – Liverpool-ING
    • 2008 – Alex, Belletti – Chelsea-ING
    • 2009 – Anderson, Rodrigo Possebom, Rafael e Fábio – Manchester United-ING
    • 2010 – Breno – Bayern de Munique-ALE
    • 2011 – Anderson, Rafael e Fábio – Manchester United-ING
    • 2012 – Rafinha e Luiz Gustavo – Bayern de Munique-ALE
      Total: 34 jogadores , com Anderson, Rafael e Fábio duas vezes vice pelo Manchester United, enquanto Mozer e Toninho Cerezzo, atuando por dois times diferentes, também terminaram em segundo lugar.

    LEITURA COMPLEMENTAR