Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Fernando Alonso"

GP DA HUNGRIA: Que susto, Massa!!!

14 de setembro de 2009 0

FORZA MASSA!!!/bry Bruno Mantovani: http://mantovani.zip.net/

A corrida em Budapeste vai ficar marcada como “aquela do acidente do Massa”. Hoje, amanhã e sempre lembraremos da prova na qual Felipe Massa foi atingido por uma mola do carro de Rubens Barrichello e, por azar (ou sorte, depende se você é um otimista ou um pessimista) acertou seu capacete, logo acima da viseira. O piloto brazuca desmaiou e acertou uma barreira de pneus em Hungaroring.

Uma belíssima atuação do atual campeão Lewis Hamilton. Impecável, venceu sua primeira prova na temporada e mostrou que as McLaren e Ferrari estavam de volta. Foi um show do britânico do início, com sua passagem por Vettel por fora, até o final. De resto, uma corrida lixo como sempre é no inútil “HungaroBORING“.

Foi ainda a última prova de Nelsinho Piquet, dispensado da Renault. Boatos dizem que vem dele o vazamento de informações sobre a investigação da FIA com as atitudes da Renault, algo que seria confirmado na semana passada.

Lista completa de prêmios aqui:
ALMANAQUE ESPORTIVO – PREMIAÇÕES ESPECIAIS F-1 2009

Troféu “Jim Clark” – Lewis Hamilton, disparadamente o melhor da prova. Tática e desempenho perfeitos. De campeão mundial! Aliás, primeira vitória de um carro com KERS.

Troféu “Rouge & Blanc” – Nico Rosberg, que com muito esforço conseguiu pontuar mais uma vez.

Troféu “Chris Amon” – Felipe Massa, afinal o seu acidente foi pura fatalidade (ver abaixo).

Troféu “Fiofó de Ouro” – Felipe Massa, pois não foi uma fatalidade.

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” - Para a pífia corrida da BMW e de Sebastien Buemi, atrás do novato Jaime Alguesuari.

Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada”Galvão Bueno, que bateu recordes de erros de informação nos dez minutos após o acidente de Massa. E ainda `corneteou` o Alguesuari o final de semana inteiro e o guri não fez nada pior. Hoje ele se superou.

Troféu “Dick Vigarista” – Para a Renault, por ter feito Alonso voltar para a pista sabendo que a roda estava frouxa.

Postado por Perin, que lembrou do acidente do Burti

GP DE MÔNACO: e dá-lhe Brawn GP de novo!

24 de maio de 2009 2

Monaco, lindo, charmoso e sacal...

Em Mônaco é sempre assim: ou é sensacional, ou é um saco. Este ano foi… um saco!

Mais um absoluto domínio da Brawn GP e de Jenson Button, virtual campeão mundial de 2009. Para Rubens Barrichello, a quarta vez em segundo lugar no GP de Mônaco, algo realmente a se lamentar.

Boas corridas da Ferrari, sobretudo de Kimi Raikkonen que largou na primeira fila depois de meses e fez uma bela corrida. Vamos aos prêmios

Lista completa de prêmios aqui:
ALMANAQUE ESPORTIVO – PREMIAÇÕES ESPECIAIS F-1 2009

Troféu Jim Clark: Para Kimi Raikkonen. Jenson Button tem o melhor carro e é melhor que o companheiro Rubens Barrichello. Mas meu voto vai para Kimi, que finalmente fez uma corrida digna de um campeão mundial e piloto da Ferrari. Menção honrosa para o pressionado Sebastien Bourdais, que largou lá atrás, só parou uma vez (se o Galvão Bueno prestasse atenção teria visto que ele era o carro mais pesado do grid) e chegou em oitavo lugar.

Troféu “Rouge & Blanc”: Lewis Hamilton, que mesmo com uma tartaruga ambulante chamada McLaren combateu a corrida inteira e mereceu subir tantas posições (de 19° para 12° lugar).

Troféu “Chris Amon”: Para Giancarlo Fisichella, que fez uma magnífica corrida e terminou em nono lugar, uma posição atrás do que precisava para marcar pontos em favor da Force India.

Troféu Fiofó de Ouro: Para o Cameraman da corrida da GP2 de ontem. Vejam aonde ele estava no instante 00min30s destas imagens.

Troféu Dick Vigarista: Andreas Zuber, da GP2. Motivo, ver aqui.

Troféu Didi Mocó Prize For Technical Achievements: Sebastien Buemi, por uma ridícula batida em Nelsinho Piquet. Menção desonrosa para as Toyotas, que largaram na última fila e ficaram por lá boa parte do GP…

Porquê Não Fiquei Com Minha Boca Fechada: Para Nelsinho Piquet, de novo. Cara de pau ouvir isto após o acidente causado por Sebastien Buemi (sim, foi culpa do jovem suíço): “É isso que dá colocar pilotos sem experiência na Fórmula 1. O Buemi acertou com tudo atrás de mim”. Ah, claro, entendi: experiente é você, que já rodou sozinho mais de 15 vezes em menos de dois anos na F-1. O Buemi em quatro provas já fez pontos duas vezes com um carro bem pior que a Renault 2008… Tá devendo pra cantar de galo…

E que venha o instigante GP da Turquia, daqui a duas semanas!

GP DA ESPANHA: Rubinho, o eterno perdedor

11 de maio de 2009 20

Sutil, Trulli, Hamilton na primeira grande batida de 2009/Robert Ghement, EFE


Uma corrida menos chata que nos últimos anos
, mas igualmente nada emocionante na modorrenta pista de Barcelona. Mais uma vez, o loser eterno da F-1, o brasileiro Rubens Barrichello, perdeu para o companheiro de equipe, o inglês Jenson Button.

EDITADO: antes de mais nada, sempre defendi o Rubinho como um bom piloto. Ponto. Existe uma diferença entre ele e os diferenciados. Simples assim. Ele é um Gerhard Berger, um François Cévert, um Elio de Angelis, um Jean Alesi. Ou seja, um coadjuvante…

Existe uma ENORME diferença entre “perdedor” e “ruim”. Nunca disse que o Rubinho era ruim. `Loser` não significa ser ruim. Significa ser perdedor, nunca conseguir o objetivo máximo, não importa como isto ocorreu… Este ano, de um jeito ou de outro, ele vai terminar a temporada atrás do seu companheiro. A Brawn errou feio na estratégia.

Com uma estratégia diferente, o inglês anulou a fantástica largada de Rubinho (que saiu de 3º para 1º) e conquistou sua quarta vitória em cinco provas. São 14 pontos de vantagem sobre Rubinho e 18 sobre Vettel, seu principal oponente nas outras equipes.

Felipe Massa conseguiu terminar uma prova e fazer pontos, mas a custo alto. Esteve em terceiro por grande parte da prova, e terminaria em quarto lugar se a Ferrari não errasse nas contas e lhe deixasse sem combustível. Precisando economizar, cedeu o 4º e o 5º lugar para Sebastien Vettel, em corrida opaca. Já Raikkonen largou em 16º por um erro da Ferrari  no Q1(igual ao cometido com Massa na Malásia) e fez outra corrida lamentável.

De quebra, o primeiro grande acidente espetacular da temporada. Alonso jogou Nico Rosberg para cima de Jarno Trulli. Ele saiu da pista, voltou e foi acertado em cheio por Adrian Sutil, que tinha feito ótima largada. Para não bater, Sebastien Bourdais e Sebastien Buemi frearam forte, e o suíço decolou sobre o francês em uma batida forte, mas que não resultou em maiores consequências além de um rombo na STR, que perdeu dois carros na mesma batida. Nelsinho fez outra boa corrida e, sem muitas opções, terminou em 12º lugar.

Lista completa de prêmios aqui:
ALMANAQUE ESPORTIVO – PREMIAÇÕES ESPECIAIS F-1 2009

Troféu “Jim Clark” - Mark Webber, que faz temporada excelente, cometendo poucos erros e foi muito rápido no final de semana, deixando a sensação Vettel bem para trás desta vez.

Troféu “Chris Amon” - Para Massa, de novo sofrendo com erros alheios à sua capacidade. Este ano só cometeu um erro e tem 3 pontos. Ano passado, na mesma etapa mas cometendo outros equívocos já tinha duas vitórias e um segundo lugar.

Troféu “Fiofó de Ouro” - Para Alonso, que causou o acidente da segunda curva e ainda terminou na ótima quinta colocação. Menção honrosa para Hamilton, que passou no meio da confusão e não sofreu nada. Talvez fosse melhor, pois sua corrida foi lamentável em uma tétrica McLaren…

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” - Ferrari, de novo, que conseguiu deixar Massa sem gasolina além de errar com Kimi no Q1. Enzo Ferrari deve estar se remoendo lá em cima… Menção deshonrosa para a Brawn, que tirou a vitória de Rubinho ao adotar uma estratégia diferente de Button.

Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - Kimi, que xingou a Ferrari mas não teve culhão para sair por conta própria depois de fazer uma péssima volta e achar que estaria garantido no Q2.

Troféu “Rouge & Blanc” - Para Webber, que fez várias ultrapassagens e terminou em um ótimo terceiro lugar, na sua melhor temporada na categoria.

Troféu “Dick Vigarista” - Para Alonso, que jogou o carro em cima de Nico Rosberg. Este tocou Trulli para fora e causou o primeiro grande ‘strike’ da temporada.

GP DA AUSTRÁLIA: Brawn GP "vim, vi e venci"

30 de março de 2009 1

A primeira corrida do Mundial de Fórmula-1 de 2009 terminou com a `confirmação de uma surpresa`. Afinal, a Brawn GP havia dominado todos os testes do início de temporada e repetiu a dose na primeira prova.

O inglês Jenson Button liderou de ponta a ponta o GP da Austrália, enquanto o veterano brasileiro Rubens Barrichello, que largou mal e fez uma corrida de recuperação, contou com a sorte e uma barbeiragem de Sebastian Vettel para chegar em segundo lugar.

Como foi largamente divulgado no final de semana, a vitória da Brawn GP em sua corrida de estréia foi apenas a 3° na história (repetindo Mercedes em 1954 e Wolf em 1977). E chegar na estréia com dobradinha, somente a Mercedes havia conseguido com suas lendárias flechas de prata no GP da França de 1954 (Fangio e Kling). Aliás, Mercedes que fornece os motores da Brawn…

A corrida foi de ótima qualidade (algo raro na chatíssima pista de Melbourne). Massa e Raikkonen tentaram andar mais que a Ferrari deixou. Massa tava bem até quebrar (segue o azar na Austrália…), enquanto Kimi bateu. Já as McLaren foram ainda mais lentas, deixaram a desejar mas Hamilton, em uma corrida sem erros, se recuperou do 18° lugar e terminou em uma 3° posição.

Lista completa de prêmios aqui:
ALMANAQUE ESPORTIVO – PREMIAÇÕES ESPECIAIS F-1 2009

Os prêmios especiais do Almanaque Esportivo permanecem em 2009:

Troféu `Jim Clark` – Jenson Button e Brawn GP, sem erros ao longo de todo o final de semana. Primeira vitória de Button em 4 anos (2° na carreira), e show da nova equipe da lenda Ross Brawn.

Troféu `Rouge & Blanc` – Lewis Hamilton, que largou em 18° lugar e terminou em 3°. Menção honrosa para Nico Rosberg, que passou a corrida lutando mas sofreu sem pneus no final da prova.

Troféu `Porquê eu não fiquei com minha boca fechada` – Ninguém, todo mundo se comportou.

Troféu `Dick Vigarista` – Pouca gente percebeu, mas a culpa da batida de Barrichello, Kovalainen, Alonso, etc na 1° curva foi de Mark Webber, que tentou se enfiar e bateu em todo mundo. Vejam no compacto.

Troféu `Chris Amon` – Kovalainen, que foi abalroado por Webber e se registrou como primeiro abandono de 2009.

Troféu ‘Fiofó de Ouro’ – Hamilton, que contou com seis abandonos na sua frente e mais 4 que bateram na 1° curva para chegar em um quase impensável 3° lugar depois de largar em 18°

Troféu ‘Didi Mocó Prize For Technical Achievements’Para Vettel, que fez uma barbeiragem lamentável e jogou para fora Robert Kubica. Menções honrosas para Nakajima e Piquet, que bateram sozinho pela enésima vez.

Troféu ‘Dick Vigarista’Para Vettel, que fez uma barbeiragem lamentável e jogou para fora Robert Kubica.

EDITADO: Depois da prova vazou o escândalo da fraude da McLaren e de Lewis Hamilton, o prêmio saiu do colo de Vettel e foi para a McLaren

E que venha o GP da Malásia semana que vem!

GP do Brasil: Premiações Especiais

02 de novembro de 2008 1

Felipe Massa e Lewis Hamilton - Protagonistas do título de 2008 - Crédito: Antônio Lacerda, EFENÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO

Por motivos familiares, vi o final da temporada de F-1 ao radinho ouvindo uma rádio de São Paulo (claro que agora já vi o VT da corrida…).

Em um ônibus, senti a alegria com a chuva, o êxtase com a parada de Lewis Hamilton nos boxes e a volta em 5°, o orgasmo com a ultrapassagem de Sebastian Vettel (em mais um erro de Hamilton), e a broxada histórica com Timo Glock se arrastando na junção, na 71° e última volta… Tudo isto em menos de seis minutos. 

I – N – A – C – R - E – D – I – T – Á – V – E – L

Um título mundial decidido na última volta, faltando três curvas, é para matar…

No final mais SUPER-MEGA-HIPER-ULTRA da história da Fórmula-1, Felipe Massa ganhou, mas perdeu. Lewis Hamilton perdeu, mas ganhou. Foi uma corrida repleta de contradições: o vencedor lamentou, o quinto colocado vibrou.

A McLaren, equipe que foi quase perfeita com o piloto campeão perdeu o título de Construtores. E a Ferrari, que só fez cagada com o vice-campeão, venceu os Construtores pela 16° vez.

De quebra, tivemos mais uma batida de Nelsinho Piquet (que provavelmente vai ficar, a despeito de trancar a entrada do promissor Lucas Di Grassi), outro lixo de corrida de Rubens Barrichello (que se despediu sem receber as glórias que David Coulthard recebeu, porque continua burramente achando que vai ficar).

E mais um show de Vettel e Alonso, os dois melhores pilotos da metade final da temporada. Enquanto isto, o fiasco absoluto para

A partir da próxima semana, uma retrospectiva com os melhores e piores da temporada, mas hoje vamos à última edição da Premiação Especial do “Almanaque Esportivo”:

Troféu “Jim Clark”: Para Felipe Massa, que fez um magnífico treino e uma corrida soberba sem erros, provando que tem estrela em Interlagos. Com menções honrosas para Sebastian Vettel e Fernando Alonso, que deram mais um show em São Paulo. Mesmo sob pressão, não cedeu. Menções honrosas para os coadjuvantes David Coulthard e Rubens Barrichello, que por motivos diferentes, ficaram no “quase” mas se despedem com números importantes (isto será abordado separadamente)

Troféu “Chris Amon”: Para Felipe Massa, pelos motivos evidentes.

Troféu “Fiofó de Ouro”: Lewis Hamilton, sem mais. Na penúltima volta errou, mas na última volta deu sorte e foi campeão.

Troféu “Porquê Não Fiquei Com Minha Boca Fechada”: Para todos no pit-lane que comemoraram antes da hora. E pagaram mico internacional

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements”: para os pneus da Toyota de Timo Glock, ambos na lona no final da corrida.

Troféu “Rouge & Blanc”: Para Sebastian Vettel, que foi “die-hard” ao longo da corrida inteira, mesmo com carro mais leve, e terminou em um merecido quarto lugar.

Troféu “Dick Vigarista”: Para Jarno Trulli, que jogou para fora o azarado Sebastien Bourdais.

Ainda esta semana um rescaldo geral com a pontuação final da “Premiação Especial Almanaque Esportivo” na temporada 2008 de Fórmula-1

É isto aí, povo! Ano que vem tem mais… E segurem o Alonso…

GP DO JAPÃO: Show de trapalhadas dos candidatos ao título

20 de outubro de 2008 0


Desculpem pelo atraso
, mas aí vai a análise do GP do Japão de Fórmula-1, disputado na semana passada. Um final de semana na Oktoberfest em Igrejinha e uma semana atribulada me impediram de escrever sobre a prova…

Em uma corrida repleta de alternativas, com muita coisa acontecendo nas duas primeiras voltas, Fernando Alonso conquistou sua segunda vitória consecutiva na temporada, e desta vez sem contar com o fator “sorte”, e aproveitando os erros de Lewis Hamilton e Felipe Massa, que culminaram com problemas para Kimi Raikkonen. A Renault provou que tem atualmente o terceiro melhor carro da prova, e ainda deixou Nélson Ângelo Piquet, muito contestado nas provas anteriores, com um ótimo e consistente quarto lugar.

Para os líderes do campeonato, uma corrida a esquecer. Hamilton largou mal, freou pior ainda na primeira curva e espalhou, atrapalhando Kimi Raikkonen. Depois errou sozinho ao tentar passar Alonso.

Na volta seguinte, Massa errou a freada, saiu da pista e ao retornar, bateu em Hamilton. Os dois, Massa e Hamilton, foram punidos por suas respectivas bobagens. Melhor para o polonês Robert Kubica e para Alonso, que disputaram a vitória, decidida entre eles na primeira parada nos boxes. Raikkonen, em uma recuperação tardia, fez uma bela prova e chegou em terceiro lugar.

Se Nelsinho foi muito bem, Rubens Barrichello teve mais uma corrida execrável no cágado ambulante da Honda. Largou mal e ficou a corrida inteira na rabeira, se arrastando até o final da prova.

Buenas, vamos aos prêmios do final de semana:

Troféu “Jim Clark”Fernando Alonso. O bicampeão mundial segue dando show, correndo sem compromisso mas com talento de sobra. Menção honrosa para Nélson Ângelo Piquet e para Robert Kubica, que fizeram belas corridas.

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Felipe Massa, pela magnífica e ousada ultrapassagem sobre Mark Webber no final da prova.

Troféu “Dick Vigarista” – Para Felipe Massa, pela burrice do toque com Lewis Hamilton. Menção (des)honrosa para Webber, que jogou Massa para cima da saída dos boxes.

Troféu “Fiofó de Ouro” – Para David Coulthard, que em sua antepenúltima prova da carreira deu uma porrada forte no muro e não se machucou.

Troféu “Chris Amon” – Para Adrian Sutil e Timo Glock, os alemães que vinham muito bem mas quebraram no final.

Troféu “Porquê Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” – Para ninguém, não falaram nada demais nos últimos dias…

Troféu “Didi Mocó Prize for Technical Achievements” – Para Lewis Hamilton, que cometeu os mesmos erros primários que lhe custaram o título de 2007.

Troféu “Porquê Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” – Para ninguém, não falaram nada demais nos últimos dias…

A corrida seguinte (que na real já aconteceu e teve sua análise destrinchada ontem aqui no Almanaque Esportivo) seria na bela pista de Xangai: o GP da China.

Todos esperavam um passeio das Ferraris, mas não foi o que aconteceu…

GP DA CHINA - A vitória 200 da Grã-Bretanha na F-1!

20 de outubro de 2008 1

O vencedor e futuro campeão Hamilton, e o derrotado Massa

Em uma monótona corrida, sobretudo na parte de cima da classificação, o inglês Lewis Hamilton ficou muito próximo de seu primeiro título mundial de Fórmula-1. O piloto britânico ganhou de ponta a ponta o GP da China disputado na bela pista de Xangai, largando na pole, liderando praticamente a prova inteira e ainda fazendo a melhor volta da prova, com larga vantagem sobre as Ferrari. Foi a 200° vitória da Grã-Bretanha na categoria.

Ao brasileiro Felipe Massa, que ficou muito longe do desempenho das McLaren, ficou a reza (braba) de que o raio caia no mesmo lugar de novo e Hamilton, sete pontos na frente, jogue fora o título no GP do Brasil, daqui a duas semanas. Com um péssimo carro, ele contou ainda com o jogo de equipe de Kimi Raikkonen, que cedeu a segunda posição na parte final da prova.

Os brasileiros Nélson Angelo Piquet e Rubens Barrichello fizeram boas provas. Nelsinho, que largou em 10° lugar, chegou em 8°. Já Barrichello, que largou em 12°, terminou na 11° colocação, bem à frente do companheiro Jenson Button. Rubinho deve se despedir da categoria na próxima prova, o GP do Brasil após 15 temporadas na categoria e quase 300 GP`s disputados.

Detalhe interessante: Nick Heidfeld, que fez ótima prova e chegou em 5° lugar, pode bater outro recorde na categoria e igualar-se ao português Tiago Monteiro com 18 corridas completadas em uma única temporada.

Detentor do recorde de 27 GP`s consecutivos terminados, o alemão da BMW pode chegar aos 18 GP`s completados em um único ano, repetindo o feito de Monteiro pela Jordan em 2005.

Buenas, vamos aos prêmios do final de semana:

Troféu “Jim Clark”Lewis Hamilton, sem dúvida. Em uma corrida monótona, o brilho de Hamilton destoou da mediocridade geral. Sem erros, perfeito e muito próximo do primeiro título. Seu segundo “Grand Slam“, com vitória, pole e melhor volta (o primeiro havia sido no GP de Japão de 2007).

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Fernando Alonso. Pela soberba ultrapassagem sobre o medíocre Heikki Kovalainen no retão de Xangai, aproveitando o embalo ganho na curva inclinada antes da reta.

Troféu “Dick Vigarista” – Para Sebastien Bourdais, que causou um acidente tosco na largada e tirou Jarno Trulli da prova.

Troféu “Fiofó de Ouro” – Para ninguém. Não vi ninguém ter sorte na prova, apenas competência ou incompetência.

Troféu “Chris Amon” – Para Adrian Sutil, que quebrou de novo. O alemão da Force India já tem 11 abandonos em 17 provas no ano. Quando ele não faz bobagem, o carro quebra.

Troféu “Didi Mocó Prize for Technical Achievements” – Para Kovalainen, que além de não estar correndo nada, ainda teve um pneu furado. O finlandês vai terminar na ridícula sétima colocação da classificação de pilotos, vendo seu companheiro de equipe provavelmente ser campeão. Vergonhoso.

Troféu “Porquê Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” – Para todo mundo que disse que Xangai era pista da Ferrari. Foi um vareio da McLaren

Agora é tudo em Interlagos! Mas acho que o Brasil vai completar mais um ano na fila…

Segurança na F-1, III: O mestre Stewart e o aprendiz Cevért

07 de outubro de 2008 0

O aprendiz Cevért e o mestre Stewart, em uma corrida que seria triste em Zandvoort, 1973

Jackie Stewart e François Cevért marcaram época pela Tyrrell na Fórmula-1. Em tempos conflituosos de Fernando Alonso e Lewis Hamilton, sem esquecer a “Terceira Guerra Mundial” ocorrida entre Ayrton Senna e Alain Prost, é quase inconcebível lembrar de uma relação perfeita entre dois pilotos de uma mesma equipe.

Mas era assim que todos consideravam a amizade entre o mestre, o multicampeão escocês Stewart, e o aprendiz, representado pelo francês Cevért. Foi Stewart que viu o talento de Cevért na F-2 e indicou o piloto para Ken Tyrrell, dono da equipe.

Ao assinar contrato em 1970, Cevért faria com Stewart a dupla mais afinada de todos os tempos. Já na segunda temporada, em 1971, chegou duas vezes em segundo lugar e venceu em Watkins Glen nos EUA. Seria sua única vitória na carreira. E o destino lhe seria trágico nesta mesma pista, dois anos depois…

No ano seguinte, sua equipe tinha um carro pouco competitivo, mas ainda assim Cevért chegou em segundo lugar duas vezes, enquanto Stewart foi vice-campeão (atrás de Émerson Fittipaldi) com quatro vitórias. Na temporada seguinte, com um fabuloso Tyrrell 006 V8, Stewart foi campeão com folga e secretamente se preparava para a aposentadoria, em seu 100° GP.

Então chegamos à última prova da temporada, o GP dos EUA em Watkins Glen. Durante os treinos, Stewart sugeriu à Cevért que não fizesse os velozes “S” na quarta marcha, e sim na quinta marcha. Assim teria mais controle sobre o carro no final da sequência de curvas.

Porém Cevért provavelmente seguiu com seu estilo de pilotagem, perdeu o controle do carro e bateu violentamente no guard-rail, capotando por cima deste. Seu carro deslizou sobre as lâminas, destruindo completamente o cockpit e matando o francês instantaneamente.

O primeiro piloto a chegar ao local do acidente foi o brasileiro Émerson Fittipaldi, e Jackie Stewart chegou logo depois ao local do acidente. “Ele estava tão definitivamente morto que sequer haviam removido seu corpo do carro”, disse Stewart.

Depois disto, o piloto escocês deu mais uma única volta, fez a sequência de “S” em quarta marcha e quase perdeu o controle do carro. Assim, Jackie teve certeza da causa do infortunado destino de seu melhor amigo. Desolado, Stewart não participou da prova, deixando a categoria com 27 vitórias (recorde que durou até o final dos anos 80), 43 pódiuns e 17 pole-positions.

Tinhamos a relação mais perfeita entre companheiros de equipe da Formula 1. Eu era o mestre e ele era o aluno. Uma das coisas que mais queria era que ele passasse o testemunho e ser Campeão do Mundo. Seria o final perfeito de uma história perfeita. Mas o destino não quis assim, e talvez esta foi a maneira de Deus dizer que nada está garantido“, disse Jackie.

Um tributo à amizade:

O mais ridículo é que em 1974, o jovem austríaco Helmuth Koinigg morreu na mesma pista e do mesmo jeito idiota (guard-rail mal fixado). Aí, enfim, arrumaram isto mas dois pilotos tiveram que morrer para que algo fosse feito…

Na próxima semana: o primeiro boicote (frustrado) de pilotos, comandado por Émerson Fittipaldi.

SÉRIE COMPLETA

Segurança na F-1, I: GPDA e sua fundação

Segurança na F-1, II: Stewart, o pioneiro e líder

Segurança na F-1, III: O mestre Stewart e o aprendiz Cevért

Segurança na F-1, IV: O horror de Montjuich, 1975

Segurança na F-1, V: Lauda e os quatro salvadores

Segurança na F-1, VI: o corajoso Hailwood no inferno de Kyalami

Segurança na F-1, VII: o herói eterno David Purley

GP de Cingapura: Show de Alonso!

29 de setembro de 2008 1

Fernando Alonso, o grande vencedor em Cingapura

A corrida de hoje, o GP 900° da Fórmula-1 e o primeiro disputado à noite, foi sensacional. Ao contrário do que eu esperava, tivemos ultrapassagens na corrida em Cingapura, mais que em Monaco e infinitamente mais do que nas duas modorrentas pistas espanholas de Valencia e Barcelona.

Foi uma vitória suprema do espanhol Fernando Alonso, que contou com a sorte ao ser beneficiado pela batida de Nélson Piquet Jr. (que deve ter bailado na Renault depois de xingar o time no treino e bater sozinho de novo na corrida). Maior vencedor da F-1 na atualidade, o espanhol bicampeão mundial em 2005 e 2006 mostrou mais uma vez seu talento, saindo do 15° lugar e vencendo a corrida.

Porém, de novo, tivemos que aguentar o enésimo equívoco da Ferrari contra seus pilotos. Desta vez uma lambança já anunciada 2x em Spa e 1x em Valencia. É inconcebível que a maior escuderia da Fórmula-1 em todos os tempos tenha cometido tantos erros grosseiros na temporada. São seis erros contra Massa e cinco contra Raikkonen.

Mas este pode ter sido definitivo, já que Lewis Hamilton está sete pontos na frente, faltam somente três provas e dificilmente a McLaren comete os erros estúpidos que a Ferrari tem feito em 2008… E no ralo a fenomenal volta de Massa na pole-position0.6s mais rápido que Hamilton.

Buenas, vamos aos troféus da Fórmula-1 neste domingo, amargo para os brasileiros e feliz para o “Príncipe das Astúrias“, Fernando Alonso:

Troféu “Jim Clark”: Para Fernando Alonso, que quebrou o jejum de quase dois anos sem vitórias da Renault e mais de um ano para o espanhol. Um show nos treinos do bicampeão mundial, prejudicado pela pane da Renault no início do Q2 ontem. Com menção honrosa para Nico Rosberg, que chegou em segundo e superou o terceiro lugar do GP da Austrália neste ano.

Troféu “Rouge & Blanc”: Para Nico Rosberg, que teve que correr rápido a prova inteira e superar o erro da Williams ao chamar o alemão para os pits

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements”: Ferrari e sua geringonça eletrônica ridícula de controle de saída nos pits. Menção (des)honrosa para a pífia corrida de Heikki Kovalainen e mais uma batida de Raikkonen, de novo no mundo da lua…

Troféu “Fiofó de Ouro”: Fernando Alonso, é claro. Só ganhou porque seu companheiro encheu o muro na hora exata. E ainda contou com as burrices de Williams e BMW, e com os erros da Ferrari, para vencer seu 20° GP. Curioso que Nelsinho foi 2° na Alemanha em condições idênticas: uma batida, um safety car na hora exata

Troféu “Chris Amon”: Para Nico Rosberg, que só não venceu porque sua equipe Williams cometeu a burrice de chamar o piloto com o Pitlane fechado. Seria sua primeira vitória na Fórmula-1.

Troféu “Dick Vigarista”: Para ninguém, todos agiram de maneira muito correta no GP.

Troféu “Porque Não Fiquei Com minha Boca Fechada”: Nelsinho Piquet, que falou muito durante a corrida…

Postado por Perin, que xingou várias vezes Domenicali

GP DA EUROPA: Inventaram um Mônaco espanhol...

17 de setembro de 2008 0

Com muito atraso, vamos para as premiações especiais do GP da Europa, disputado em Valência no final do mês passado. A nova pista ganhou muitos pontos por ser lindíssima, mas mostrou uma corrida bastante chata e dominada completamente pelo brasileiro Felipe Massa. Largou na pole, liderou a corrida inteira e desta vez não foi traído pelo motor Ferrari nas voltas finais.

Azar dos seu companheiro Kimi Raikkonen, que abandonou com uma quebra de motor exatamente com o mesmo problema que Massa tivera no GP da Hungria. Sem condições de acompanhar a Ferrari, Lewis Hamilton (muito gripado) fez uma corrida serena e ficou em segundo lugar, enquanto o polonês Robert Kubica se recuperou um pouco do baile que estava levando de Nick Heidfeld e conseguiu o bom terceiro lugar.

Acredito que os pilotos da Fórmula-1 ficaram com receio de arriscarem-se na pista nova, pois na GP2 os habitualmente inexperientes, estabanados e agressivos pilotos forçaram muitas ultrapassagens, quase sempre em dois pontos da pista.

Não tivemos quase nenhuma tentativa de ultrapassagem durante a corrida inteira, e a reclamação após a corrida foi geral. No mínimo decepcionante, para uma pista tão aguardada e tão bonita… Foi pior que as normalmente soníferas Barcelona e Hungaroring

Buenas, vamos aos prêmios aqui do Almanaque Esportivo:

Troféu “Jim Clark”: Para Massa, que largou em primeiro, liderou a corrida inteira e venceu a prova. De quebra, se igualou a Rubens Barrichello no número de vitórias (9) e poles-positions (13). Em Valencia, Massa começou a consolidar sua condição de favorito ao título na Ferrari. Menção honrosa para Sebastian Vettel, que largou na ótima sexta colocação e terminou na mesma, chegando aos pontos, assim como a Toyota, que seguiu consistente e encostou novamente na Renault.

Troféu “Rouge & Blanc”: para ninguém, pois não tivemos ultrapassagens.

Troféu “Chris Amon”: para Kimi Raikkonen, que teve o motor estourado no finalzinho. Lembrança para Fernando Alonso, que correu em casa e foi o primeiro a abandonar.

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements”: para a Ferrari, afinal dois motores estourados em duas corridas seguidas, além de duas lambanças nos boxes. O erro no pit-stop de Massa foi quase fatal para o brasileiro, com mecânico acionando errado o sistema de liberação do piloto. Menção desonrosa para mais uma caquética atuação da Honda, que tem tido desempenhos nível Coloni e Osella em algumas provas.

Troféu “Dick Vigarista”: para David Coulthard, que resolveu bater em todos os pilotos que nunca bateu ao longo da carreira inteira. Rubens Barrichello é seu alvo primordial praticamente corrida sim, a outra também.

Troféu “Porque Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada”: para ninguém, todos se comportaram no final de semana.

Troféu “Fiofó de Ouro”: Felipe Massa, que viu o companheiro ter a mesma “sorte” que teve na corrida anterior (motor estourado), e voltando a ficar em melhor situação na tabela de pilotos.

E que venha Cingapura no final

Postado por Perin, que odiou Valencia…