Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Fluminense"

Suicídio de treinador abala futebol europeu: veja outros casos

27 de novembro de 2011 1

Gary Speed, ídolo do Leeds United e Newcastle United e atualmente treinador de País de Gales, se suicidou neste domingo. Um dos recordistas de jogos da história da Primeira Divisão Inglesa, Speed se enforcou em casa em um incidente que chocou o futebol europeu neste final de semana. Não existem ainda informações sobre um período depressivo do treinador, que vinha fazendo um ótimo trabalho recentemente pela seleção de seu país. De 42 anos, Speed deixa mulher e dois filhos.

Vejam o emocionante ‘minuto de silêncio’ no jogo Swansea City x Aston Villa, curiosamente um jogo em solo galês, no qual os torcedores, ao invés do magnífico silêncio sepulcral, cantaram “There is only one Gary Speed“: http://news.bbc.co.uk/sport2/hi/football/15910765.stm

Este lamentável fato nos faz lembrar outros casos famosos, todos muito ligados à depressão clínica. No futebol brasileiro, o mais famoso é do goleiro Carlos Castilho, lenda do Fluminense e que se matou em 1987. A Alemanha ficou chocada com o suicídio do goleiro Robert Enke, da Seleção Alemã e do Hannover, que se atirou na frente de um trem em 2009.

O futebol latino-americano lamentos as perdas de Raimundo Tupper (Seleção do Chile, Universidad Catolica), Lester Morgan (Seleção da Costa Rica) e de Ramiro Castillo (Seleção da Bolívia, Bolívar). Também vale ressaltar o espanhol Joan Gamper, o catalão jogou e que fundou três times: os suíços Basel e Zurich, e o gigantesco espanhol Barcelona.

A própria Inglaterra lembra-se dolorosamente do suicídio do atacante nigeriano Justin Fashanu (Norwich City, Notts County e Nottingham Forest), o primeiro jogador gay publicamente assumido enquanto atleta, que se suicidou após ser acusado (sem provas concretas) de ter cometido estupro em um menor, além de Dave Clement (Seleção da Inglaterra e Queens Park Rangers). Os escoceses Hughie Gallacher (Seleção da Escócia, Airdrie, Newcastle United ) e Erich Schaedler (Seleção da Escócia, Hibernians); e o italiano Agostino di Bartolomei (Roma e Milan) são outras trágicas lembranças.

Um tributo ao ótimo Gary Speed:

Brasileirão 2010 - Balanço final, quem foi aprovado com 'estrelinhas'

15 de dezembro de 2010 0

Depois de falar dos reprovados e dos aprovados na média, vamos falar dos destaques do Brasileirão 2010. São os times que cumpriram completamente seus objetivos, seja o título, seja fugir ao rebaixamento como meta principal.

Nesta lista temos: Fluminense, Grêmio, Ceará e Atlético-GO

Fluminense – Campeão

Como time que mais investiu em 2010, com contratações de impacto como Deco, o retorno esperado de título brasileiro após 21 anos. A permanência de Muricy Ramalho após convite da CBF para ser treinador da Seleção Brasileira se mostrou crucial para o sucesso do clube, um dos dois times que jogaram com titulares e se dedicou de corpo e alma do início ao final da competição.

Destaques positivos: Darío Conca, Mariano, Émerson Sheik e o técnico Muricy

Destaques negativos:  Belletti, Washington

Vitória do ano: Fluminense 1×0 Guarani (jogo do título)
Grêmio – Quarto Lugar

Depois de uma fase pavorosa entre julho e agosto, quando demitiu o técnico Silas, reformulou o elenco e trouxe o ícone Renato Portaluppi para comandar o time, o Grêmio termina o ano em alta. Melhor ataque, artilheiro do time e uma arrancada de Z4 para G4, garantindo vaga na Libertadores.

Destaques positivos: Jonas, André Lima, Douglas, Victor

Destaques negativos:  Souza, Leandro e a sequência pós-Copa até a saída de Silas

Ceará – Décimo-segundo lugar

Se o objetivo era não cair, o Ceará conseguiu e com folga, sem correr quase nenhum risco. Com poucos recursos, o time fez um excelente início de competição e chegou a liderar. Caiu de rendimento na sequência de jogos quarta-domingo-quarta e também pela equivocada contratação do técnico Mário Sérgio. Com o eterno interino Dimas Fonseca, se recuperou e terminou bem, apesar de algumas goleadas feias.

Destaques positivos: Geraldo, Magno Alves e a ótima média de público

Destaques negativos: a desastrosa escolha por Mário Sérgio ainda no 1° turno

Atlético-GO – Décimo-sexto lugar

Em agosto, um torcedor do Atlético-GO solitário no Beira-Rio vaticinou o estado de espírito da época. Ele falou: “o Dragão na Série A é que nem uma vaca na árvore: ninguém sabe como subiu, mas todos sabem que vai cair”. Porém este mesmo torcedor deve estar feliz da vida, pois o Atlético-GO, virtual rebaixado no 1º turno, conseguiu uma improvável reação e sobreviveu em seu primeiro ano na elite, em um belo trabalho de Renê Simões (que na 1° rodada do returno prometeu que o Atlético-GO não seria rebaixado e cumpriu).

Destaques positivos: o meia-atacante Elias, o técnico Renê Simões e o goleiro Márcio

Destaques negativos: Josiel e a ruindade dos reservas

Libertadores 2011 - Ranking de participações de times brasileiros

09 de dezembro de 2010 13

Com a vitória do Independiente na final da Copa Sul-Americana, a última vaga brasileira na Copa Libertadores 2011 ficou com o Grêmio. Sendo assim, os seis times brasileiros na competição serão: Internacional (atual campeão), Santos (campeão da Copa do Brasil), Fluminense (campeão brasileiro), Cruzeiro (vice-campeão), Corinthians (3º colocado) e Grêmio (4º lugar).

Até hoje, 27 times brasileiros disputaram a principal competição continental, com 14 conquistas. Pela primeira vez desde 2003, o São Paulo não irá disputar a competição, na qual é o maior campeão brasileiro (3 conquistas) e time que mais disputou (15 participações). O Palmeiras, que disputou 14 vezes o torneio, também está de fora. Já o Grêmio vai para sua 13º participação, quatro a mais que o Internacional (9 disputas).

Confiram o ranking completo:

  1. São Paulo – 15 disputas – 3 títulos
  2. Palmeiras – 14 disputas – 1 título
  3. Grêmio – 13 disputas – 2 títulos
  4. Cruzeiro – 13 disputas – 2 títulos
  5. Santos – 11 disputas – 2 títulos
  6. Flamengo – 10 disputas – 1 título
  7. Internacional – 9 disputas – 2 títulos
  8. Corinthians – 9 disputas
  9. Vasco da Gama – 7 disputas – 1 título
  10. Atlético-MG – 4 disputas
  11. Atlético-PR – 3 disputas
  12. São Caetano – 3 disputas
  13. Fluminense – 3 disputas
  14. Botafogo – 3 disputas
  15. Guarani – 3 disputas
  16. Bahia – 3 disputas
  17. Sport – 2 disputas
  18. Coritiba – 2 disputas
  19. Criciúma – 1 disputa
  20. Paysandú – 1 disputa
  21. Paraná – 1 disputa
  22. Goiás – 1 disputa
  23. Santo André – 1 disputa
  24. Paulista – 1 disputa
  25. Náutico – 1 disputa
  26. Bangu – 1 disputa
  27. Juventude – 1 disputa

COMPARATIVO - 2009 vs. 2010 para Inter, Grêmio e Avaí

04 de outubro de 2010 6

Há exatamente um ano, terminava a “Era Tite” no Internacional. Foi após a 27° rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, após perder de 2×0 para o Coritiba no Couto Pereira. O Inter caiu para o 5° lugar, saindo pela primeira vez do G-4, ficando com 44 pontos em 27 jogos. Tite foi demitido e entrou o enlouquecido Mário Sérgio.

O líder era o Palmeiras com 53 pontos em 27 jogos, acima do Fluminense com 52 este ano. Como o Internacional tem um jogo a menos, curiosamente repete em 2010 a pontuação de 2009: 44 pontos em 26 partidas.

Na ocasião, o Grêmio ainda tinha boas chances de disputar a Libertadores e estava em 7° lugar com 40 pontos. Duas posições e um ponto a mais que em 2010. A diferença é que na temporada passada o Grêmio não engrenou nunca uma boa sequência de vitórias devido ao pavoroso aproveitamento como visitante. E este ano, o Tricolor está em viés de crescimento com 4 vitórias seguidas.

Já o Avaí era o surprendente 9° colocado com 38 pontos, muito acima dos 29 pontos na 16° colocação de 2010. O time de Florianópolis terminou o campeonato na excelente 6° colocação com 57 pontos, algo virtualmente impossível de repetir em 2010.

O mais incrível é que em 2009, o Flamengo foi campeão e estava estonteantes 12 pontos atrás do líder, faltando apenas 11 rodadas. O rubro-negro era o 6° colocado com 41 pontos, e buscou a liderança de tal maneira que fez 26 pontos em 33 possíveis, sendo campeão com 67 pontos. O Palmeiras, então orgulhoso líder, ficou fora da Libertadores em 5° lugar.

Brasileirão, 27° rodada de 2009 - Arquivo Pessoal

A conclusão é: ainda tem muita água para rolar

O Brasileirão, extremamente equilibrado, não está nada decidido!

TABELA FORNECIDA POR: http://tabelasdefutebol.blogspot.com

Grêmio e Cruzeiro 'lideram' tabela do returno na Série A, Avaí é apenas o 18º

30 de setembro de 2010 0

O Grêmio lidera a tabela do segundo turno do Campeonato Brasileiro 2010 ao lado do Cruzeiro. Em sete jogos, os dois times obtiveram 16 pontos em 21 possíveis, com vantagem tricolor no saldo de gols (+8 contra +6). Palmeiras e Atlético-PR estão logo atrás com 14 pontos, comprovando a recuperação de ambos nas últimas rodadas.

O líder Fluminense é o 5º com 13, o Corinthians tem 11 pontos em 8º lugar e o Internacional é o 9º com 10. O último colocado é o Grêmio Prudente, com apenas quatro pontos, ele que é também o lanterna do Brasileirão. Seguido de perto pelo Atlético-MG, com cinco, e o Avaí com iguais cinco pontos em 18º lugar.

Confiram a tabela completa, cortesia da planilha do http://tabelasdefutebol.blogspot.com

Returno do Brasileirão - Arquivo Pessoal

Antecipação da janela beneficia mais da metade dos times da Série A

19 de julho de 2010 5

Fiz esta pesquisa rápida e achei todos estes jogadores que foram beneficiados com a antecipação da janela de transferências. Pouca gente notou que o tamanho da mesma segue o mesmo, 30 dias. Vai abrir dia 19/07 e fechar no dia 19/08.

Isto significa que um time, por exemplo o Grêmio, pode contratar um jogador do exterior até o dia 19 de agosto. Mas poderá vender um jogador até o dia 31/08. Vale lembrar o princípio básico da janela de transferências: ela vale para quem compra e não para quem vende.

São pelo menos 11 times da Série A beneficiados, e diversos outros da Série B (que normalmente repatria brasileiros de mercados menores). Dia destes o pai de um deles me procurou para tirar dúvidas, um garoto que vai atuar na Série B. A FGF fala em até 60 jogadores.

A lista deve ser bem maior, estes são os 100% confirmados:

Juízes: como podem ser tão cegos?

06 de maio de 2010 12

Tem certas coisas que carecem de explicação lógica e coerente.  Como é que o Héber Roberto Lopes não deu esta penalidade escandalosa sobre o Neuton, ontem na vitória de 2×0 do Grêmio sobre o Fluminense pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2010? Achei a imagem no blog do amigo Minwer Daqwiya:

O pior é que o jogo tava decidido, o vencedor também e um eventual 3º gol não daria a mínima diferença na história final. Nem dizer que o juiz tava querendo “roubar” para o outro time faz sentido, pois naquele instante o Flu teria que marcar improváveis três gols em poucos minutos.

Mas que não tem nenhuma explicação a “cegueira” de um juiz, não tem.

Grêmio tem retrospecto positivo contra o Fluminense na Copa do Brasil

28 de abril de 2010 4

O Grêmio enfrenta nesta quinta-feira o Fluminense pela Copa do Brasil e tem um retrospecto positivo contra o time carioca. Já foram três enfrentamentos, com duas classificações gremistas e uma do Flu. Esta será a primeira vez que o enfrentamento ocorrerá nas quartas-de-final. Todas as demais foram nas oitavas.

Em seu último título, 2001, o Tricolor gaúcho bateu o Tricolor carioca antes de despachar o São Paulo, Coritiba e Corinthians no caminho rumo ao tetracampeonato. No Olímpico, 1×0 com gol de Marcelinho Paraíba no início do primeiro tempo, e expulsão do zagueiro Régis, ex-Inter no finzinho do jogo. Ainda sem confiança no time do então novato técnico Tite, apenas 12 mil gremistas compareceram ao Olímpico.

No jogo de volta, um 0×0 suado no Maracanã, quando Danrlei foi o grande destaque e o Grêmio teve um pênalti claro em Tinga sonegado por Márcio Rezende de Freitas (novidade?). O time do Flu tinha alguns veteranos como Asprilla e Agnaldo, mas era muito inferior ao time gremista, que tinha Marcelinho Paraíba, Tinga, Anderson Polga, Anderson Lima, Zinho, entre outros

Em 2004, nova vitória gremista e também pelas oitavas-de-final. No jogo de ida, um 2×2 no Maracanã com dois gols de Romário, para o Flu, Claudiomiro e Christian para o Grêmio, em jogo que o time gaúcho saiu perdendo por 2×0 e reagiu no segundo tempo.

Animado, o Grêmio sapecou 4×1 na partida de volta e foi para a próxima fase. No Olímpico, o time da casa saiu vencendo no primeiro tempo por 1×0, gol de Marcelinho. Tiago Prado ampliou no segundo tempo, antes do zagueiro Rodolfo descontar para o Flu de pênalti. Christian e Cláudio Pitbull acabaram com as esperanças cariocas nos minutos finais. O Grêmio só seria eliminado pelo Flamengo nas semifinais daquele trágico ano.

Já em 2005 o panorama era totalmente diferente. Rebaixado no final de 2004 para a Segunda Divisão, o Tricolor gaúcho tinha um time fraquíssimo, sem recursos e com o inexperiente técnico uruguaio Hugo de León. O negócio era tão desesperador que os melhores jogadores gremistas eram o criticadíssimo meia Élton e o atacante Somália.

Contra ele, um time fortíssimo do Fluminense, com o técnico Abel Braga (ex-Inter) e o zagueiro Fabiano Eller (de volta ao Inter), o jovem meia Diego Souza (ex-Grêmio), os laterais Gabriel e Juan e os atacantes Tuta (também ex-Grêmio) Leandro (hoje no Grêmio).

O resultado seria desastroso: um 3×0 ao natural no jogo de ida no Maracanã, com gols de Tuta (2x) e Juninho. Virtualmente eliminado, o Grêmio voltou desmotivado para a partida no Olímpico e perdeu de novo, 1×0 gol de Tuta, com Jeovânio expulso pelo Grêmio. O resultado derrubou o treinador Hugo de León e o coordenador Mário Sérgio.

Naquela mesma semana, o jovem técnico Mano Menezes seria contratado junto ao Caxias e levaria o Grêmio de volta à elite e a um vice-campeonato da América

Mas esta é uma outra história…

Ranking da Copa do Brasil - proposta de ranking diferente

17 de março de 2010 8

Para se elaborar um ranking histórico da Copa do Brasil, somar pura e simplesmente todos os resultados da história não é mais o critério mais adequado. IMPORTANTE:Lembrando que isto é apenas um levantamento histórico, para discussão de boteco.

Somando os títulos, o resultado é simples. Neste caso o Grêmio e o Cruzeiro dominam amplamente a competição com quatro títulos. O Grêmio tem dois vices a mais, então fica à frente do time mineiro. O Corinthians é o terceiro com três conquistas, o Flamengo tem dois títulos e todos os demais times levaram uma vez. 

Mas o somatório pura e simples não é legal. Isto porque desde 2002 os times brasileiros na Taça Libertadores não disputam a Copa do Brasil. Ou seja, um time que disputa todos os anos a Copa do Brasil significa que não disputa a Libertadores há muito tempo, e tem sido insuficiente. Vasco da Gama, Atlético-MG e Botafogo seriam beneficiados nesta análise. 

Manter o critério antigo, mais simples e correto, seria prejudicar quem conquista a chance de disputar a Libertadores. Então o amigo gremista Edison Klein, louco por estatísticas e grande colaborador do Almanaque Esportivo, bolou outra maneira de analisar os times. Ela leva em conta o desempenho de cada time na competição e também quantas participações o time teve. 

É o melhor ranking? Não sei, acho que não existe resposta para esta pergunta. Mas certamente é mais justo. No Campeonato Brasileiro, eu prefiro o somatório de pontos pelo simples fato de que, se um time não disputa o Brasileiro, é por demérito seu e não por prêmio, como ocorre na Copa do Brasil. 

No primeiro critério (premiação analisado com número de disputas), o líder é o Paulista de Jundiaí: disputou uma vez e levou o título. o Santo André tem 1 título em 2 anos. O Flamengo é o terceiro e o Grêmio é o quarto, certamente prejudicado por ter sido eliminado precocemente nas últimas participações.

Outro time pequeno presente é o 15 de Novembro de Campo Bom, que foi às semifinais e 3º fase em dois anos seguidos. De longo histórico de micos na competição apesar de um título e um vice-campeonato, o Inter é apenas o 13º colocado.

Já no segundo, como era de se esperar, o líder é o Grêmio, seguido de perto pelo Flamengo e Corinthians. Neste, os times brasileiros mais tradicionais são a maioria e apenas o Atlético-MG nunca conquistou uma Copa do Brasil.

Grêmio Campeão da Copa do Brasil 2001 - Crédito: Reprodução site http://www.torcedor.gremista.non.br

CRITÉRIOS

CAMPEÃO – 16 PONTOS
VICE    - 12 PONTOS
ELIMINADO NAS SEMIFINAIS – 8
ELIMINADO NAS QUARTAS    - 4
ELIMINADO NAS OITAVAS    - 2

O ÍNDICE DE PARTICIPAÇÃO LEVA EM CONTA A SOMA DE PONTOS DIVIDIDO PELO NRO DE PARTICIPAÇÕES
O ÍNDICE GERAL LEVA EM CONTA A SOMA DE PONTOS DIVIDIDO PELO NRO DE EDIÇÕES DO TORNEIO

10 PRIMEIROS NO ÍNDICE DE PARTICIPAÇÃO

EQUIPE              PTOS   PART     INDICE

1°) PAULISTA              16     1     16,0000
2°) SANTO ANDRÉ           16     2      8,0000
3°) FLAMENGO             120    15      8,0000
4°) GRÊMIO               124    17      7,2941
5°) CRUZEIRO             100    15      6,6666
6°) CORINTHIANS          110    17      6,4705
7°) PALMEIRAS             72    14      5,1428
8°) XV DE NOVEMBRO – RS   10     2      5,0000
9°) SÃO PAULO             50    11      4,5454
10°) FLUMINENSE            68    15      4,5333

10 PRIMEIROS NO ÍNDICE GERAL

1°) GRÊMIO               124    17      5,9047
2°) FLAMENGO             120    15      5,7142
3°) CORINTHIANS          110    17      5,2380
4°) CRUZEIRO             100    15      4,7619
5°) VASCO DA GAMA         84    19      4,0000
6°) PALMEIRAS             72    14      3,4285
7°) FLUMINENSE            68    15      3,2380
8°) INTERNACIONAL         64    18      3,0476
9°) ATLÉTICO-MG           64    18      3,0476
10°) SPORT RECIFE          54    15      2,5715

Neste ranking, o Inter está em 13.lugar, com 64 pontos,   em 18 participações, com um índice de 3,5555

Dívidas dos grandes clubes brasileiros: Tamanho vs. Perfil

09 de fevereiro de 2010 10

O sempre ótimo blog Olhar Crônico Esportivo fez uma bela análise sobre as dívidas dos principais clubes brasileiros. O blogueiro Émerson Gonçalves, que assim como eu sofre para ler alguns balanços fiscais de times da Série A, deixa bem claro como o TAMANHO da dívida importa, mas não é fundamental. O PERFIL da mesma é que muda tudo.

Isto fica exemplificado no caso do Internacional em comparação com o Palmeiras. A dívida do time paulista é menos da metade da dívida colorada (a Parmalat zerou as dívidas nos anos 90), porém quase 30% da dívida é de antecipações fiscais e empréstimos, de curto e médio prazo. É interessante ainda o fato do Palmeiras não ter nenhuma dívida trabalhista. Já no caso do time gaúcho, quase 95% da dívida está equacionada via Timemania, sendo paga em suaves prestações. 

Também fica claro o problema do Grêmio com as dívidas trabalhistas, que assola ainda Vasco da Gama, Botafogo, Fluminense, Náutico e Paraná. No Atlético-MG, Atlético-PR, Vasco da Gama, Corinthians, Santos, São Paulo e Coritiba são os adiantamentos de receitas e empréstimos particulares que pesam no conjunto deficitário.

Curiosidade: no Galo o empréstimo é do ex-presidente Ricardo Guimarães, em dívida já equacionada, e no Santos também do ex-presidente Marcelo Teixeira.

As dívidas fiscais de quase todos os times com a União estão equacionadas ou regularizadas via Timemania ou acertos individuais com o Governo. Então uma análise mostra que todos os times do Rio, o Santos, o Corinthians, o Atlético-MG e os dois paranaenses estão em uma situação financeira delicada.

Vale também destacar que alguns times, como o Grêmio e o Botafogo, conseguiram reduzir significativamente suas dívidas nos últimos anos. Ou seja, esta mesma análise ano que vem pode mostrar valores bem mais favoráveis a alguns clubes, complicando outros como o Corinthians que encerrou 2009 com um enorme déficit.

DEFINIÇÕES:

- Fiscais: as dívidas com o governo federal (quase que exclusivamente), referentes ao não pagamento de tributos diversos, inclusive INSS e IR; a  maior parte desses débitos está com seus pagamentos negociados no acordo da Timemania.

- Contingências: compreende as dívidas trabalhistas – a grande maioria nesse item – e dívidas cíveis.

- Empréstimos: dinheiro tomado nos bancos ou adiantado via Clube dos 13 e federações; no caso, como já explicado neste e no velho OCE, a parcela a receber futuramente sai via empréstimo bancário, devidamente aprovada pelo Clube dos 13 e Rede Globo e GLOBOSAT; grande parte da dívida do Clube Atlético Mineiro com seu ex-presidente, Ricardo Guimarães, está nesse item.

A próxima tabela é a mais interessante e que merece um olhar mais atento de cada torcedor. Ela mostra como é a composição dessas dívidas em cada clube:

Legenda: Passivo Total, Dívidas Fiscais, Dívidas Contingenciais e Dívidas em Empréstimos estão com valores em reais. Os percentuais são as relações entre a dívida total (Passivo) e o ítem analisado.

Clube

Passivo Total

(em reais)*

Dívidas Fiscais

(em reais)*

%

Dívidas Contingenciais/ Trabalhistas

(em reais)*

%

Dívidas em Empréstimos

(em reais)*

%

Vasco

308,1

99,2

32,2

111,1

36,1

97,8

31.7

Flamengo

278,3

201,5

72,4

36,5

13,1

40,3

14,5

Fluminense

272,9

140,3

51,4

132,6

48,6

0,02

0

Atlético MG

267,8

138,3

51,6

23,5

8,8

106,0

39,6

Botafogo

219,0

132,8

60,6

71,8

32,8

14,4

6,6

Corinthians

118,3

48,6

41,1

17,2

14,5

52,5

44,4

Palmeiras

55,1

39,5

71,7

0

0

15,6

28,3

Internacional

126,7

120,1

94,8

2,4

1,9

4,2

3,3

Santos

134,3

90,8

67,6

2,2

1,6

41,3

30,8

Grêmio

108,5

76,7

70,7

17,9

16,5

13,9

12,8

São Paulo

143,3

95,9

66,9

2,5

1,8

44,9

31,3

Cruzeiro

84,7

65,7

77,5

1,4

1,7

17,6

20,8

Coritiba

54,6

35,6

65,2

5,0

9,2

14,0

25,6

Náutico

44,9

28,9

64,4

14,1

31,4

1,9

4,2

Atlético PR

23,1

7,8

33,7

4,5

19,5

10,8

46,8

Paraná

26,2

16,6

63,4

9,3

35,5

0,3

1,1

Figueirense

9,3

8,4

90,3

0,9

9,7

0

0

São Caetano

2,1

0,3

14,2

0,1

4,8

1,7

81,0

Barueri

0,5

0,001

0

0,5

100,0

0

0

Totais

2.277,7

1.347,0

59,1

453,5

19,9

477,2

21,0

OBS: obrigado a todos que me mostraram que não tinha revisado o texto. Fiz correndo ontem à noite e ficou ruim. Agora tá bem melhor.