Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Internacional"

BID DA CBF: Inter tem 144 jogadores, Grêmio tem 121 atletas

13 de agosto de 2013 7

O Inter é um dos tmes brasileiros com mais jogadores entre os times da Série A do Brasileirão no BID da CBF, que reúne os jogadores aptos para atuar em competições nacionais, sejam profissionais ou amadores. São 164 144 atletas (houve uma confusão no site da CBF que misturava o BID do Inter com o do Inter-SM, corrigda pela T.I. da CBF)  ao todo pela equipe de Porto Alegre. Estes números são inflacionados pelo fato do colorado ainda ter o time B.  O Grêmio é o sexto colocado, com 121.

BID da CBF – Reprodução http://www.cbf.com.br

Os dados foram compilados pelo jornalista paranaense Cauhê Miranda e estão atualizados até o dia 24 de julho deste ano. Me surpreendeu que o Corinthians seja o segundo e a redução drástica nos números do Atlético-PR, que já chegou a ter mais de 200 jogadores no BID e agora tem apenas 91.  Dica de post do amigo Franco Cruz.

CONFIRA O RANKING COMPLETO (dados de 24/07)

1. Corinthians – 149
2.Internacional – 144 (agora a correção)
3. Bahia – 135
4. São Paulo – 135
5. Atlético-MG – 122
6. Grêmio – 121
7. Fluminense – 112
8. Cruzeiro – 101
9. Coritiba – 98
10. Vasco – 96
11. Vitória – 95
12. Santos – 94
13. Flamengo – 92
14. Atlético-PR – 91
15. Botafogo – 91
16. Goiás – 69
17. Ponte Preta – 67
18. Náutico – 66
19. Criciúma – 60
20. Portuguesa – 53

Inter completa 50 jogos sem pênaltis marcados em partidas do Campeonato Brasileiro!

11 de agosto de 2013 8

Após o decepcionante empate em 2×2 com o Atlético-PR, que fez o Internacional marcar passo e ficar fora do G4, uma marca intrigante acabou se confirmando. O Colorado não tem uma penalidade marcada a seu favor há exatos 50 jogos de Campeonato Brasileiro, ou 21 meses. São 12 jogos na Série A 2013 e mais toda a Série A 2012.

D'Alessandro comemora último gol de pênalti do Inter em Brasileiros, 2011 - Foto: Alexandre Lops, site oficial do Internacional

D’Alessandro comemora último gol de pênalti do Inter em Brasileiros, 2011 – Foto: Alexandre Lops, site oficial do Internacional

 

O último pênalti em favor do Colorado foi 2011, ainda sob comando de Dorival Júnior na rodada final do Campeonato Brasileiro em um Gre-Nal. Na ocasião, Oscar foi derrubado por Fábio Rochemback, penalidade batida e convertida por D’Alessandro e que garantiu a vitória por 1×0 contra o Grêmio e o Internacional na Libertadores 2012. Confiram o lance:

Leandro Damião marca gol de Gre-Nal no quarto estádio diferente: Carlitos é o recordista

10 de agosto de 2013 2

Ao empatar o clássico Gre-Nal 397 na semana passada, o centroavante colorado Leandro Damião  fez seu sexto gol em clássico. Mais do que isto, Damião se igualou a Nilmar como jogador a marcar gols em clássicos por quatro estádios diferentes.  Ambos fizeram gols no Beira-Rio, Olímpico e Colosso da Lagoa. A diferença é que Damião fez na Arena e Nilmar na Montanha dos Vinhedos.

O recordista histórico é Carlitos, maior artilheiro dos Gre-Nais com absurdos 42 gols, e que marcou gols em cinco estádios diferentes nos anos 40: Estádio dos Eucaliptos, Campo da Timbaúva, Baixada, Passo D’Areia (São José) e Montanha (antigo estádio do Cruzeiro-POA)

5 ESTÁDIOS

  • Carlitos: Estádio dos Eucaliptos, Campo da Timbaúva, Baixada, Passo D’Areia e Montanha

4 ESTÁDIOS

  • Nilmar: Beira-Rio, Montanha dos Vinhedos (Bento Gonçalves), Olímpico e Colosso da Lagoa (Erechim)
  • Leandro Damião: Beira-Rio, Olímpico, Colosso da Lagoa (Erechim) e Arena do Grêmio.

GRE-NAL 397: Números, números e mais números dos últimos dez anos

02 de agosto de 2013 0

O Gre-Nal 397 já é histórico antes de começar: é o primeiro clássico da nova Arena do Grêmio. Será também o primeiro clássico com os dois times titulares em 2013, já que o Grêmio optou por time misto nas duas partidas anteriores pelo Gauchão.

O Almanaque Esportivo fez um levantamento com os principais dados das últimas dez temporadas, desde 2004. Confiram a planilha, que contém: jogos, placar, gols, árbitro e treinadores.

Junior Viçosa e Indio - Goleadores em classicos nos ultimos anos - Foto: Banco de Dados RBS

Foram 40 jogos desde 2004, com 18 vitórias do Internacional, 12 empates e 10 vitórias do Grêmio. 42 gols tricolores e 54 colorados. A maior sequência gremista invicta foram cinco clássicos entre 2007 e 2008. Já os colorados ficaram sete jogos sem perder entre 2008 e 2009.

Neste período os principais artilheiros colorados são Índio, Nilmar e D’Alessandro, todos  com seis gols, e Leandro Damião, que fez cinco. No lado gremista, Júnior Viçosa com três gols em 2011 e uma galera com dois gols: Borges, Tcheco, Léo, Lúcio, Christian. Isto também escancara que jogadores colorados ficaram mais tempo em seus clubes que os gremistas.

VEJA TAMBÉM

2013

2011
2010

2009

2008:

2007

Inter não vencia 3 partidas seguidas há 76 rodadas no Campeonato Brasileiro

22 de julho de 2013 5

A dramática vitória de 1×0 sobre o Flamengo foi o terceiro triunfo consecutivo do Internacional nesta Série A. Ela ocorreu após triunfos de 5×3 sobre o Vasco da Gama e 3×2 no Fluminense, fora de casa. Há exatos 76 jogos o Colorado não obtinha uma série tão positiva na competição. Foram 30 jogos em 2011, os 38 de 2012 e mais os 8 primeiros na atual edição.

06 de julho de 2011, 8º rodada do Campeonato Brasileiro. Com uma suada vitória de 1×0 sobre o Atlético-PR, gol de Oscar o Internacional vencia o terceiro jogo consecutivo naquele Brasileirão. Treinado por Paulo Roberto Falcão, o Inter vinha de vitórias sobre o Figueirense por 4×1 e 4×0 sobre o Atlético-MG (fora de casa), e entrava no G4. Na sequência, perderia 3 jogos e Falcão seria demitido. Reveja o gol daquela vitória:

Em competições nacionais e internacionais, descontando jogos do Estadual, o Inter não ganhava três seguidas desde este mesmo jogo, mas o jejum havia sido superado no último sábado, quando bateu o Fluiminense por 3×2, contando ainda com o 3×1 no América-MG pela Copa do Brasil.

Pontos corridos decididos nos instantes finais: Flamengo 2009, City 2012

08 de julho de 2013 5

2009 – CAMPEONATO BRASILEIRO – FLAMENGO

2009. Campeonato Brasileiro. No ano mais surreal da história dos pontos-corridos, parecia que ninguém queria ser campeão. Mas hein? Pois era esta a sensação em uma competição que teve o Internacional como campeão do primeiro turno mas o Palmeiras assumindo a liderança e disparando no início do returno. Quando o título parecia favas contadas no Palestra Italia, a chegada de Muricy Ramalho desmantelou o elenco e afundou o time alviverde, que sequer se classificou para a Libertadores (ficou em quinto lugar, atrás do Cruzeiro).

Neste momento, tínhamos um novo favorito, o São Paulo, então tricampeão nacional consecutivamente. Mas tropeços cruciais contra Botafogo e Goiás deixaram espaço para o Flamengo, em uma arrancada fulminante. O time treinado por Andrade e com Petkovic e Adriano  comandando as ações, reagiu nas rodadas finais e chegou na última, dia 6 de dezembro, para enfrentar o Grêmio. Que já tinha dado férias para os titulares e entraria no Maracanã com um time praticamente reserva. E, para completar, sabendo que um empate poderia dar o título para o arquirrival Internacional, que precisava vencer o já rebaixado Santo André e torcer por um empate no Rio para conquistar o título. Por fora, o São Paulo precisava de tropeços dos dois. E isto não ocorreu.

Adriano, campeão pelo Flamengo em 2009 - Foto: Maurício Val, Vipcomm

Enquanto o Internacional empilhava gols no Santo André (terminaria 4×1), o Flamengo vivia uma tarde de drama. Saiu perdendo, gol de Róberson em uma cobrança de escanteio aos 20 minutos. Ainda no primeiro tempo, David Braz (também em escanteio), empatou aos 33 minutos. O jogo seguia tenso, e no Beira-Rio o Inter já vencia por 3×0. Somente aos 25 do segundo tempo, o hexa chegou: gol do capitão Ronaldo Angelim e o gol da vitória, título e da história do Flamengo, 2×1. E ainda teve drama, já que Maylson quase empatou de novo para os gaúchos aos 31, mas o placar final ficou mesmo em 2×1 para o Flamengo. Compacto:

Foi o último título nacional do Flamengo. O fim do sonho de uma conquista colorada de renome no cenário nacional.

Vale ainda a flauta: reação dos colorados no gol do Grêmio e no gol do Flamengo:

=================================================================================================

2012 – CAMPEONATO INGLÊS – MANCHESTER CITY

Se o Flamengo foi dramático, imaginem o que ocorreu com os torcedores do Manchester City. Sem títulos desde 1968, vendo o arquirrival Manchester United conquistando quase 20 títulos em 30 anos, tudo que os Citizens queriam era levantar o caneco no City of Manchester naquela ensolarada tarde de 13 de maio no Etihad Stadium. O time precisava vencer o Queens Park Rangers, que lutava para não cair, sob pena de ver justamente o arquirrival Manchester United (que havia jogado no lixo uma enorme vantagem nas últimas rodadas) vencer o Sunderland fora e ser campeão de novo.

Mas nada é fácil, ainda mais tentar destruir um jejum de 44 anos sem um título de campeão inglês. O Manchester City saiu na frente no finalzinho do primeiro tempo, um chute despretensioso do argentino Mariano Zabaleta que o goleiro Paddy Kenny aceitou. Mas no início do segundo tempo, bobagens de Joleon Lescott e do capitão Vincent Kompany deixaram o placar em um aterrador 2×1 para o Q.P.R, que virou já jogando com 10 jogadores após a estúpida expulsão do temperamental Joey Barton. Claro que a desgraça não era pouca, pois no Stadium of Light em Sunderland o United vencia por 1×0, gol de Wayne Rooney.

Manchester City campeão após 44 anos no ultimo minuto - Reprodução site oficial

45 do segundo tempo, e um milagre incrível do goleiro Kenny mantinha o jogo em 2×1 para o QPR. O sonho estava sendo adiado por mais um ano? O time do técnico Roberto Mancini precisava fazer mais 2 gols para ser campeão. Então, o milagre ocorreu. Primeiro o bósnio Edin Dzeko em escanteio cobrado pelo espanhol Davi Vila. E depois o espetacular argentino Sergio Aguero, aproveitando passe magistral do italiano Mario Balotelli, levaram este jogo para a história do futebol inglês. E para a galeria de heróis do Manchester City:

Ou isto, na TV do Manchester City:

E as reações dos torcedores do City e do United? http://www.youtube.com/watch?v=WrpDTnznE-E

VEJA TAMBÉM

EXCLUSIVO - Todos os estádios de futebol já utilizados no Campeonato Brasileiro desde 1971!

24 de maio de 2013 1

Com exclusividade, o Almanaque Esportivo publica a lista de todos os estádios de futebol já utilizados no Campeonato Brasileiro desde 1971. São 131 estádios divididos em quase todos os estados do país, exceto Rondônia, Tocantins, Acre, Roraima e Amapá. Todo o extenso levantamento foi feito pelo pesquisador Edison Klein ao longo das últimas quatro décadas em seus arquivos pessoais.

O Rio Grande do Sul está representado por nove estádios de seis cidades diferentes: Beira-Rio e Olímpico (Porto Alegre), Centenário e Alfredo Jaconi (Caxias do Sul), Aldo Dapuzzo (Rio Grande), Santa Rosa (Novo Hamburgo), Baixada Melancólica (Santa Maria), Colosso da Lagoa (Erechim) e Bento Freitas (Pelotas). A Arena do Grêmio será o décimo estádio gaúcho no Campeonato Brasileiro.

Maracanã, Mineirão e Morumbi - Estádios mais usados no Brasileirão - Foto: Montagem sobre Arquivo Grupo RBS

O Beira-Rio é o quinto estádio mais utilizado, com 570 jogos e 1395 gols, e certamente será superado pelo Serra Dourada (também com 570 jogos) nesta temporada, já que não irá sediar jogos do Brasileirão (salvo mudança radical nos planos). Já o Olímpico terminou sua história no Brasileirão com 537 jogos e 1316 gols, mas não será superado por ninguém. Os líderes de utilização são, como eu imaginava, Maracanã, Mineirão e Morumbi. Dos cinco primeiros, o Beira-Rio é o que mais foi utilizado por um único time, pois tivemos ainda um jogo do Brasil de Pelotas no Beira-Rio.

Vejam a lista completa nos meus arquivos públicos disponibilizados via Google Drive: 1971 – 2012 – Estádios utilizados no Campeonato Brasileiro

# Estádio/Cidade/Estado Jogos % do Total Gols % do Total Média de Gols
1 Maracanã/Rio de Janeiro-RJ 1.282 8,26% 3.212 8,30% 2,5055
2 Mineirão/Belo Horizonte-MG 1.034 6,66% 2.730 7,05% 2,6402
3 Morumbi/São Paulo-SP 775 4,99% 2.004 5,18% 2,5858
4 Pacaembu/São Paulo-SP 639 4,12% 1.591 4,11% 2,4898
5 Beira-Rio/Porto Alegre-RS 570 3,67% 1.395 3,60% 2,4474
6 Serra Dourada/Goiânia-RJ 570 3,67% 1.512 3,91% 2,6526
7 Couto Pereira/Curitiba-PR 552 3,56% 1.302 3,36% 2,3587
8 Fonte Nova/Salvador-BA 543 3,50% 1.244 3,21% 2,291
9 Olímpico/Porto Alegre-RS 537 3,46% 1.316 3,40% 2,4507
10 Arruda/Recife-PE 419 2,70% 1.065 2,75% 2,5418
11 São Januário/Rio de Janeiro-RJ 415 2,67% 1.170 3,02% 2,8193
12 Vila Belmiro/Santos-SP 400 2,58% 1.142 2,95% 2,855
13 Palestra Itália/São Paulo-SP 347 2,24% 998 2,58% 2,8761
14 Brinco de Ouro/Campinas-SP 346 2,23% 866 2,24% 2,5029
15 Ilha Do Retiro/Recife-PE 312 2,01% 724 1,87% 2,3205
16 Orlando Scarpelli/Florianópolis-SC 262 1,69% 627 1,62% 2,3931
17 Castelão/Fortaleza-CE 260 1,68% 659 1,70% 2,5346
18 Moisés Lucarelli/Campinas-SP 258 1,66% 718 1,86% 2,7829
19 Arena da Baixada/Curitiba-PR 255 1,64% 717 1,85% 2,8118
20 Canindé/São Paulo-SP 241 1,55% 590 1,52% 2,4481
21 Alfredo Jaconi/Caxias do Sul-RS 220 1,42% 529 1,37% 2,4045
22 Machadão/Natal-RN 205 1,32% 491 1,27% 2,3951
23 Barradão/Salvador-BA 203 1,31% 611 1,58% 3,0099
24 Vivaldo Lima/Manaus-AM 196 1,26% 418 1,08% 2,1327
25 Rei Pelé/Maceió-AL 179 1,15% 418 1,08% 2,3352
26 Engenhão/Rio de Janeiro-RJ 178 1,15% 487 1,26% 2,736
27 Pedro Pedrossian/Campo Grande/MS 165 1,06% 360 0,93% 2,1818
28 Batistão/Aracajú-SE 156 1,01% 348 0,90% 2,2308
29 Engenheiro Araripe/Vitória-ES 151 0,97% 295 0,76% 1,9536
30 Pinheirão/Curitiba-PR 149 0,96% 377 0,97% 2,5302
31 Aflitos/Recife-PE 146 0,94% 356 0,92% 2,4384
32 Baenão/Belém-PA 141 0,91% 326 0,84% 2,3121
33 Caio Martins/Niterói-RJ 140 0,90% 364 0,94% 2,6
34 Presidente Vargas/Fortaleza-CE 138 0,89% 281 0,73% 2,0362
35 Albertão/Teresina-PI 137 0,88% 296 0,76% 2,1606
36 Mangueirão/Belém-PA 135 0,87% 388 1,00% 2,8741
37 Durival de Brito/Curitiba-PR 129 0,83% 298 0,77% 2,3101
38 Heriberto Hülse/Criciúma-SC 122 0,79% 294 0,76% 2,4098
39 Independência/Belo Horizonte-MG 121 0,78% 332 0,86% 2,7438
40 Anacleto Campanella/São Caetano-SP 119 0,77% 283 0,73% 2,3782
41 Nhozinho Santos/São Luís-MA 105 0,68% 202 0,52% 1,9238
42 José Fragelli/Cuiabá-MT 102 0,66% 268 0,69% 2,6275
43 Marcelo Stefani/Braganca Paulista-SP 97 0,63% 203 0,52% 2,0928
44 Raulino de Oliveira/Volta Redonda-RJ 94 0,61% 241 0,62% 2,5638
45 Alacid Nunes/Belém-PA 86 0,55% 196 0,51% 2,2791
46 Ernestão/Joinville-SC 82 0,53% 168 0,43% 2,0488
47 Ernani Satiro/Campina Grande-PB 76 0,49% 165 0,43% 2,1711
48 Mané Garrincha/Brasilia-DF 66 0,43% 159 0,41% 2,4091
49 Arena do Jacaré/Sete Lagoas-MG 65 0,42% 185 0,48% 2,8462
50 Pelezão/Brasília-DF 65 0,42% 141 0,36% 2,1692
51 Moca Bonita/Rio de Janeiro-RJ 64 0,41% 133 0,34% 2,0781
52 Almeidão/João Pessoa-PB 63 0,41% 146 0,38% 2,3175
53 Santa Cruz/Ribeirão Preto-SP 61 0,39% 162 0,42% 2,6557
54 Ressacada/Florianopolis-SC 60 0,39% 181 0,47% 3,0167
55 Café/Londrina-PR 58 0,37% 151 0,39% 2,6034
56 Pituacu/Salvador-BA 55 0,35% 112 0,29% 2,0364
57 Laranjeiras/Rio de Janeiro-RJ 53 0,34% 130 0,34% 2,4528
58 Godofredo Cruz/Campos-RJ 52 0,34% 110 0,28% 2,1154
59 Major Levy Sobrinho/Limeira-SP 49 0,32% 116 0,30% 2,3673
60 Bento Freitas/Pelotas-RS 41 0,26% 99 0,26% 2,4146
61 Centenario/Caxias do Sul-RS 41 0,26% 104 0,27% 2,5366
62 Cerejão/Taguatinga-DF 40 0,26% 111 0,29% 2,775
63 Willie Davids/Maringá-PR 40 0,26% 109 0,28% 2,725
64 Pedro Ludovico/Goiânia-GO 39 0,25% 71 0,18% 1,8205
65 Herminio Ometto/Araras-SP 38 0,24% 86 0,22% 2,2632
66 Ipatingão/Ipatinga-MG 38 0,24% 113 0,29% 2,9737
67 Uberabão/Uberaba-MG 38 0,24% 85 0,22% 2,2368
68 Arena Barueri/Barueri-SP 37 0,24% 94 0,24% 2,5405
69 Luso Brasileiro/Rio de Janeiro-RJ 36 0,23% 110 0,28% 3,0556
70 Parque Do Sabia/Uberlândia-MG 28 0,18% 64 0,17% 2,2857
71 Prudentão/Presidente Prudente-SP 28 0,18% 77 0,20% 2,75
72 Bruno Jose Daniel/Santo André-SP 27 0,17% 61 0,16% 2,2593
73 Jonas Duarte/Anápolis-GO 26 0,17% 65 0,17% 2,5
74 João Castelo/São Luis-MA 25 0,16% 60 0,16% 2,4
75 Barão de Serra Negra/Piracicaba-SP 24 0,15% 48 0,12% 2
76 Bezerrão/Gama-DF 24 0,15% 54 0,14% 2,25
77 Luis Viana Filho/Itabuna-BA 24 0,15% 54 0,14% 2,25
78 Municipal/Juiz de Fora-MG 22 0,14% 54 0,14% 2,4545
79 Juca Ribeiro/Uberlândia-MG 19 0,12% 42 0,11% 2,2105
80 Marechal Hermes/Rio de Janeiro-RJ 19 0,12% 51 0,13% 2,6842
81 Martins Pereira/São José-SP 19 0,12% 34 0,09% 1,7895
82 Jóia da Princesa/Feira de Santana-BA 18 0,12% 30 0,08% 1,6667
83 Italo Del Cima/Rio de Janeiro-RJ 17 0,11% 29 0,07% 1,7059
84 Lacerdão/Caruaru-PE 17 0,11% 44 0,11% 2,5882
85 Kleber Andrade/Cariacica-ES 16 0,10% 39 0,10% 2,4375
86 Aldo Dapuzzo/Rio Grande-RS 15 0,10% 28 0,07% 1,8667
87 Indio Conda/Chapecó – SC 15 0,10% 32 0,08% 2,1333
88 Palma Travassos/Ribeirão Preto-SP 15 0,10% 25 0,06% 1,6667
89 Fonte Luminosa/Araraquara-SP 14 0,09% 35 0,09% 2,5
90 Alfredo de Castilho/Bauru-SP 13 0,08% 24 0,06% 1,8462
91 Ari de Oliveira/Campos-RJ 13 0,08% 24 0,06% 1,8462
92 Caldeirão do Diabo/São José do Rio Preto-SP 13 0,08% 27 0,07% 2,0769
93 Teixeirão/São José do Rio Preto-SP 12 0,08% 36 0,09% 3
94 Arthur Marinho/Corumbá-MG 11 0,07% 28 0,07% 2,5455
95 Vila Olimpica/Curitiba-PR 11 0,07% 22 0,06% 2
96 Zezinho Magalhães/Jaú-SP 10 0,06% 29 0,07% 2,9
97 Coaracy da Mata Fonseca/Arapiraca-AL 8 0,05% 18 0,05% 2,25
98 Ibirapuera/São Paulo-SP 8 0,05% 22 0,06% 2,75
99 Presidente Vargas/Santa Maria-RS 7 0,05% 18 0,05% 2,5714
100 Ronaldo Junqueira/Pocos de Caldas-MG 7 0,05% 11 0,03% 1,5714
101 Colina/Manaus-AM 6 0,04% 8 0,02% 1,3333
102 Edson Passos/Rio de Janeiro-RJ 6 0,04% 20 0,05% 3,3333
103 Leonardo Nogueira/Mossoró-RN 6 0,04% 9 0,02% 1,5
104 Romildo Ferreira/Mogi Mirim-SP 6 0,04% 25 0,06% 4,1667
105 Gávea/Rio de Janeiro-RJ 5 0,03% 11 0,03% 2,2
106 JK/Itumbiara-GO 5 0,03% 11 0,03% 2,2
107 Justiniano Mello e Silva/Colatina-ES 5 0,03% 4 0,01% 0,8
108 Melão/Varginha-MG 5 0,03% 7 0,02% 1,4
109 Parque São Jorge/São Paulo-SP 5 0,03% 12 0,03% 2,4
110 Presidente Medici/Brasilía-DF 5 0,03% 11 0,03% 2,2
111 Rua Bariri/Rio de Janeiro-RJ 5 0,03% 7 0,02% 1,4
112 Santa Rosa/Novo Hamburgo-RS 5 0,03% 6 0,02% 1,2
113 Walter Ribeiro/Sorocaba-SP 5 0,03% 13 0,03% 2,6
114 Germano Kruger/Ponta Grossa-PR 4 0,03% 6 0,02% 1,5
115 Jose Lancha Filho/Franca-SP 4 0,03% 6 0,02% 1,5
116 Moacyrzão/Macaé-RJ 4 0,03% 10 0,03% 2,5
117 Colosso da Lagoa/Erechim-RS 3 0,02% 12 0,03% 4
118 Jayme Cintra/Jundiai-SP 3 0,02% 5 0,01% 1,6667
119 Olímpico/Cascavel-PR 3 0,02% 6 0,02% 2
120 Curuzu/Belém-PA 2 0,01% 7 0,02% 3,5
121 Pajuçara/Maceió-AL 2 0,01% 8 0,02% 4
122 Teixeira de Castro/Rio de Janeiro-RJ 2 0,01% 10 0,03% 5
123 Eduardo Guinle/Nova Friburgo-RJ 1 0,01% 1 0,00% 1
124 Joaquinzão/Taubaté – SP 1 0,01% 3 0,01% 3
125 Junco/Sobral-CE 1 0,01% 1 0,00% 1
126 Municipal/Mirassol-SP 1 0,01% 3 0,01% 3
127 Nogueirão/Mogi das Cruzes-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
128 Primeiro de Maio/São Bernardo do Campo-SP 1 0,01% 3 0,01% 3
129 Socrates Stamato/Bebedouro-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
130 Tancredo Neves/Jataí – GO 1 0,01% 4 0,01% 4
131 Toca Do Leão/Santa Bárbara D’Oeste-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
15.518 Total de Jogos 38.702 Total de Gols

Valdomiro e Índio são os 'papa-títulos' da Dupla Gre-Nal; Danrlei vem a seguir

21 de maio de 2013 13

Quem são os jogadores com mais conquistas na história de Grêmio e Internacional? O blog Poester Esporte, do meu amigo de longa data Anderson Poester, fez este interessante levantamento dos jogadores da dupla Gre-Nal. A lista completa tem mais de 40 nomes, mas selecionei os dez primeiros colocados.

Vale lembrar que os jogadores dos anos 60 e 70 são prejudicados porque nesta época haviam poucas competições oficiais em disputa (os Estaduais duravam muitos meses e só havia uma competição nacional), então o levantamento é meramente ilustrativo.

Ao todo, são sete colorados e cinco gremistas. Índio e Valdomiro são os jogadores com mais conquistas oficiais, 13 cada um. Logo a seguir, temos a lenda gremista Danrlei (goleiro) com 12 títulos. Na sequência, três gremistas: a lenda gremista Airton, o atacante Vieira e o lateral-esquerdo Roger, além do goleiro colorado Clemer, ambos com 11. Dos dez primeiros, Aírton jogou por 15 anos no Grêmio e é o recordista em permanência no mesmo clube.

1º – ÍNDIO – 13 TÍTULOS (2005/13)
Campeonatos Gaúchos: 2005, 2008, 2009, 2011, 2012 e 2013
Copa Libertadores: 2006 e 2010
Recopas Sul-Americanas: 2007 e 2011
Mundial de Clubes: 2006
Copa Sul-Americana: 2008
Copa Suruga Bank: 2009

1º – VALDOMIRO – 13 TÍTULOS (1968/80;1982)
10 Campeonatos Gaúchos: 1969, 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978 e 1982
3 Campeonatos Brasileiros: 1975, 1976 e 1979

3º – DANRLEI – 12 TÍTULOS (1993/2003)
Campeonatos Gaúchos: 1993, 1995, 1996, 1999 e 2001
Copas do Brasil: 1994, 1997 e 2001
Copa Libertadores: 1995
Campeonato Brasileiro: 1996
Recopa Sul-Americana: 1996
Copa Sul: 1999

4º – CLEMER – 11 TÍTULOS (2002/09)
Campeonato Gaúcho: 2002, 2003, 2004, 2005, 2008 e 2009
Mundial de Clubes: 2006
Copa Libertadores: 2006
Copa Sul-Americana: 2008
Recopa Sul-Americana: 2007
Copa Suruga Bank: 2009

4º – ROGER – 11 TÍTULOS (1994/2003)
Campeonato Gaúcho: 1995, 1996, 1999 e 2001
Copa do Brasil: 1994, 1997 e 2001
Copa Libertadores: 1995
Campeonato Brasileiro: 1996
Recopa Sul-Americana: 1996
Copa Sul: 1999

4º – VIEIRA – 11 TÍTULOS (1955/1968)

Campeonato Gaúcho: 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967, 1968

4º – AÍRTON – 11 TÍTULOS (1954/1968)

Campeonato Gaúcho: 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967, 1968

8º – BOLÍVAR – 10 TÍTULOS (2003/06;2008/12)
Campeonato Gaúcho: 2004, 2005, 2009, 2011 e 2012
Copa Libertadores: 2006 e 2010
Copa Sul-Americana: 2008
Recopa Sul-Americana: 2011
Copa Suruga Bank: 2009

9º – RENAN – 9 TÍTULOS (2006/08; 2010/12)
Campeonato Gaúcho: 2005, 2008, 2011 e 2012
Copa Libertadores: 2006 e 2010
Recopas Sul-Americana: 2007 e 2011
Mundial de Clubes: 2006

10º – MAZARÓPI – 9 TÍTULOS (1983/90)
Campeonato Gaúcho: 1985, 1986, 1987, 1988, 1989 e 1990
Mundial de Clubes: 1983
Libertadores: 1983
Copa do Brasil: 1989

10º – PAULO CÉSAR CARPEGIANI – 9 TÍTULOS (1970/77)
Campeonato Gaúcho: 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1976
Campeonato Brasileiro: 1975 e 1976

10º – ESCURINHO – 9 TÍTULOS (1970/77)
Campeonato Gaúcho: 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1976
Campeonato Brasileiro: 1975 e 1976

Presidentes da Dupla Gre-Nal: todos os títulos e vice-campeonatos nos últimos 20 anos

20 de maio de 2013 9

Quem foi o presidente mais vitorioso da Dupla Gre-Nal? E quais foram os que conquistaram os títulos mais relevantes? Para organizar o estudo, adotei a “linha de corte” em 20 anos. Ou seja, só contabilizei os títulos de 1991 para cá, citando de passagem os 4 presidentes que comandaram Grêmio e Internacional neste intervalo de tempo e que já tinham sido presidentes anteriormente (Fábio Koff e Paulo Odone no Grêmio, José Asmuz e Pedro Paulo Záchia no Internacional). Este período foi cuidadosamente escolhido para refletir as maiores décadas de títulos de Grêmio e Internacional.

Fábio Koff e Fernando Carvalho - Os presidentes mais vitoriosos da Dupla

No lado gremista, o esperado: Fábio Koff é o presidente com mais títulos. Em cinco anos comandando o Grêmio (considerando-se apenas desde 1991), Koff levantou nada menos que sete títulos, quatro deles muito especiais: Copa do Brasil de 1994, o Brasileirão de 1996, a Recopa Sul-Americana de 1996 e a Libertadores de 1995. Koff foi vice-campeão ainda de 2 Copas do Brasil e do Mundial. Com o título da Copa do Brasil de 2001 e da Copa Sul, José Alberto Guerreiro está na frente de Paulo Odone neste período (se contabilizarmos a história, Odone tem ainda outros quatro Campeonatos Gaúchos e 1 Copa do Brasil).

Pelos caminhos do Beira-Rio, o dirigente com os títulos mais importantes é Fernando Carvalho, com seis conquistas incluindo uma Libertadores em 2006 e o Mundial de Clubes FIFA no mesmo ano. Já Vittorio Piffero também tem seis conquistas, também uma Libertadores (2010), e mais uma Recopa (2007) e uma Copa Sul-Americana (2008). O único presidente colorado no estudo com um título nacional é José Asmuz.

Três presidentes do Internacional (Carvalho, Piffero e o atual, Giovanni Luigi), conquistaram títulos em todos os anos de seu mandato. Apenas Fábio Koff conseguiu a proeza. Outra estatística curiosa: 4 presidentes gremistas e 3 colorados ficaram sem títulos ao longo de todo seu mandato. Os três colorados foram consecutivos, entre 1998 e 2001. O presidente que ficou mais tempo comandando um clube neste período foi Paulo Odone, por seis temporadas, seguido por Fernando Carvalho com cinco anos.

PRESIDENTES DO GRÊMIO NOS ÚLTIMOS 20 ANOS

TÍTULOS

  • Rafael Bandeira dos Santos: sem títulos
  • Fábio Koff - 1993/96: Campeonato Gaúcho (1993, 1995 e 1996), Copa do Brasil (1994), Recopa Sul-Americana (1996), Campeonato Brasileiro (1996), Copa Libertadores (1995)
  • Luís Carlos Silveira Martins (Cacalo) – 1997/98: Copa do Brasil (1997)
  • José Alberto Guerreiro – 1999/02: Campeonato Gaúcho (1999 e 2001), Copa do Brasil (2001), Copa Sul (1999)
  • Flavio Obino – 2003/04 – sem títulos
  • Paulo Odone – 2005/08 – Campeonato Gaúcho (2006 e 2007), Segunda Divisão (2005)
  • Duda Kroeff – 2009/10 – Campeonato Gaúcho (2010)
  • Paulo Odone – 2011/12 – sem títulos
  • Fábio Koff – 2013 – sem títulos

VICE-CAMPEONATOS IMPORTANTES NOS ÚLTIMOS 20 ANOS

  • Fábio Koff – 1993/96 – Copa do Brasil (1993 e 1995), Mundial (1996)
  • Paulo Odone – 2005/08 – Copa Libertadores (2007), Brasileiro (2008)

OBS: O atual presidente Fábio Koff também conquistou títulos importantíssimos em sua primeira gestão, nos anos de 1982 e 1983: 1 Copa Libertadores e 1 Mundial, além de ter sido vice-campeão brasileiro em 1982 Já Paulo Odone, também nos anos 80 (entre 1987 e 1990) se sagrou tetracampeão gaúcho e campeão da Copa do Brasil em 1989, e era o presidente na dramática derrota para o Internacional no chamado “Gre-Nal do século” em 1989.

PRESIDENTES DO INTERNACIONAL NOS ÚLTIMOS 20 ANOS

TÍTULOS

  • José Asmuz – 1990/93 – Campeonato Gaúcho (1991 e 1992), Copa do Brasil (1992)
  • Pedro Paulo Záchia – 1994/97 – Campeonato Gaúcho (1994 e 1997)
  • Paulo Rogério Amoretty – 1998/99 – sem títulos
  • Jarbas Lima – 2000 – sem títulos
  • Fernando Miranda – 2001 – sem títulos
  • Fernando Carvalho – 2002/06 – Campeonato Gaúcho (2002, 2003, 2004 e 2005), Copa Libertadores (2006), Mundial de Clubes FIFA (2006)
  • Vittorio Piffero – 2007/10 – Campeonato Gaúcho (2008 e 2009), Recopa Sul-Americana (2007), Copa Libertadores (2010), Copa Sul-Americana (2008), Copa Suruga Bank (2009)
  • Giovanni Luigi – 2011/2013 – Campeonato Gaúcho (2011, 2012 e 2013), Recopa Sul-Americana (2011)

VICE-CAMPEONATOS

  • Fernando Carvalho – 2002/06 – Campeonato Brasileiro (2005 e 2006)
  • Vittorio Piffero – 2007/10 – Campeonato Brasileiro (2009), Copa do Brasil (2009), Recopa Sul-Americana (2009)

OBS: O ex-presidente José Asmuz, que comandou o Inter entre 1980 e 1981, foi bicampeão gaúcho e vice-campeão da Libertadores em 1980. Já Pedro Paulo Záchia não obteve títulos em sua primeira passagem no comando colorado, em 1988 e 1989. Sua gestão foi marcada pelos dois dramáticos jogos contra o Bahia (final do Brasileiro de 1988) e Olímpia (semifinal da Libertadores de 1989), além da dolorosa derrota no Gauchão de 1989 nos pênaltis para o Grêmio.

Disputa de pênaltis na história - Grêmio (com vídeos!)

13 de maio de 2013 3

A derrota para o Juventude há duas semanas encerrou uma boa sequência de vitórias consecutivas nas penalidades para o Grêmio, que já somava 2 sucessos na temporada 2013. Repetindo 2011, quando perdeu o título estadual também em uma disputa de penalidades, o Tricolor ficou alijado da competição desta maneira.

Grohe defendendo o pênalti da LDU - Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Ao longo da história, foram 35 disputas de pênaltis, contabilizando-se apenas jogos oficiais e divididos assim: Campeonato Gaúcho (15), Copa do Brasil (4), Campeonato Brasileiro (5), Copa CONMEBOL (2), Supercopa da Libertadores (3), Copa Mercosul (1), Copa Libertadores (4) e Copa Intercontinental (1).

O Grêmio venceu em 15 oportunidades: Campeonato Gaúcho (8), Copa do Brasil (1), Campeonato Brasileiro (1), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (1)  e Copa Libertadores (3). As derrotas: Campeonato Gaúcho (7), Copa do Brasil (3), Campeonato Brasileiro (4), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (2), Copa Mercosul (1) e Copa Intercontinental (1).

VITÓRIAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

DERROTAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

ALGUMAS CURIOSIDADES

  • No Brasileiro de 1988 e no Gauchão de 1989, jogos terminados em empate eram decididos em disputas de pênaltis. Por isto tantas repetições nestas duas competições.
  • O Grêmio foi campeão gaúcho de 1989 na disputa de pênaltis, com cobranças decisivas defendidas pelo veteraníssimo Mazaropi. O curioso é que o Inter tinha chegado na decisão invicto, com seis vitórias em seis disputas. Perdeu no jogo mais importante.
  • Em 1993, o Grêmio eliminou o Palmeiras nas quartas-de-final da Copa do Brasil. O curioso desta disputa é que o atacante Gílson errou duas vezes: no tempo normal e na disputa de pênaltis.
  • Em 1995, contra o Ajax, e em 2011, contra o Internacional, a disputa de pênaltis gerou não só a eliminação do Grêmio como a perda do título em disputa.
  • Em 1997, Grêmio e Brasil de Pelotas protagonizaram uma série de 22 pênaltis (Mauro Galvão tinha sido expulso, e o Brasil retirou um atleta da cobrança). Na primeira repetição, o melhor batedor Luizinho errou e o Grêmio se garantiu na final.
  • A mais bizarra foi em 1997, na Libertadores contra o Guarany de Assuncíon. O Grêmio converteu as duas primeiras, assim como o time paraguaio converteu a sua 1º cobrança. Dali em diante foram sete erros consecutivos até o erro derradeiro dos visitantes e a classificação tricolor.

VEJA TAMBÉM