Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "liga dos campeões"

Ronaldinho e mais seis: confira lista de campeões da Copa Libertadores e também da Liga dos Campeões da Europa!

25 de julho de 2013 0

Ronaldinho entrou para a história do futebol mundial nesta semana. Ele se tornou o sétimo jogador da história do futebol a ter conquistado títulos continentais em dois continentes: Europa e América do Sul. O título desta temporada da Copa Libertadores pelo Atlético Mineiro se aliou à conquista da Liga dos Campeões em 2006 pelo Barcelona.

Outros três brasileiros também conquistaram esta glória incomum: Roque Júnior, Cafú e Dida. O zagueiro e volante Roque Júnior foi campeão sul-americano pelo Palmeiras em 1999 e pelo Milan em 2003. Já Cafú em 1991 e 1992 pelo São Paulo, 2007 pelo Milan impressionantes 16 anos depois de sua primeira conquista. Finalmente Dida, campeão sul-americano pelo Cruzeiro em 1997 e pelo Milan em 2003 e 2007.

Além destes, outros três argentinos conquistaram esta glória: Juan Pablo Sorín, Carlos Tévez e Walter Samuel. O caso curioso é o de Sorín: foi campeão da Libertadores em 1996 pelo River Plate, curiosamente após jogar pela Juventus na Liga dos Campeões daquele mesmo ano. Na real, Sorín estava presente nas duas finais, mas seu nome está registrado.

Tévez é mais simples: campeão no Boca Juniors em 2003, e no Manchester United em 2008. Finalizando, Walter Samuel foi campeão no Boca Juniors em 2000 e na Internazionale em 2010.

Dois casos ficaram “sob júdice”, mas o Comitê Executivo deste blog (leia-se: eu) vetou a inscrição: Edmílson (que teria vencido a Libertadores em 1993 pelo São Paulo e depois em 2006 pelo Barcelona), e Santiago Solari (em 1996 pelo River Plate e em 2002 pelo Real Madrid). O brasileiro não jogou e não estava inscrito naquela Libertadores, o mesmo ocorrendo com Solari no título argentino. Por isto ficaram de fora da listagem.

A dica deste post é do amigo Ricardo Gullo(@gullofilho)

Especial Liga dos Campeões 1999 a 2009 no Almanaque Esportivo

25 de maio de 2013 1

Como aquecimento para a grande final entre os alemães Bayern de Munique e Borussia Dortmund, que chegaram na final da Liga dos Campeões 2012/13 em Wembley. Com campanhas empolgantes e semifinais devastadora, o futebol alemão comprovou sua força na atualidade e tem agradado até os mais fervorosos críticos.

Borussia Dortmund é o azarão - Foto: JOHN MACDOUGALL - AFP

Nada melhor que recuperar as melhores histórias do Almanaque Esportivo ao longo destes anos envolvendo a final da Liga dos Campeões da Europa. Vamos então repetir as histórias de 1999 a 2009? Recontamos a história de dois títulos do Real Madrid, dois do Barcelona, dois do Manchester United, um do Bayern de Munique, outro do Milan, um do Liverpool e finalizando um do Porto. Fico na dívida com 2010 (Internazionale campeã), 2011 (Barcelona campeão) e 2012 (Chelsea campeão), mas prometo que farei um especial sobre elas no início da próxima temporada.

Bayern de Munique é o favorito na final da Liga dos Campeões - Foto: Pierre-Philippe Marcou/AFP

Especial Finais de 1999 a 2007
  • As finais de 1999, 2000 e 2001 – A virada nos acréscimos do Manchester United, o passeio do Real Madrid e o sofrido título do Bayern de Munique
  • As finais de 2002, 2003 e 2004 – O gol antológico de Zidane, a modorrenta vitória nos pênaltis do Milan e o inesperado título do Porto de Mourinho
  • As finais de 2005, 2006 e 2007 – A histórica “remontada” do Liverpool em Istambul, o herói Belletti dá o título ao Barcelona e a “vendetta” do Milan

Especial Final de 2008:

Especial Final de 2009:

Comecial de cerveja inova e coloca estagiários em situações inesperadas!

20 de fevereiro de 2013 1

A Heineken, patrocinadora oficial da Liga dos Campeões, se superou na ação de marketing que envolveu um jogo da principal competição européia e a contratação de um estagiário da área de eventos e publicidade da empresa. Não é novidade, já que em 2009 a Heineken fez uma ação espetacular envolvendo torcedores do Milan em um jogo da Liga dos Campeões, história contada aqui no Almanaque Esportivo.

Normalmente entrevistas de estágio são chatas, cansativas e, principalmente, previsíveis. A cervejaria holandesa transformou isto em uma situação totalmente inusitada: nove candidatos passaram por três situações diferentes, cada um por uma delas. Eles não sabiam que seria um comercial…

Um dos estagiários, em situação 'inesperada' - Captura de tela

A primeira era um recrutador que gostava de andar de mãos dadas. A segunda, o mesmo recrutador passava mal e precisava de ajuda. A terceira, o candidato e o recrutador tinham que sair correndo por uma evacuação de emergência do prédio, e os “bombeiros” precisavam de mais uma pessoa para ajudar a posicionar uma barreira de queda para um suicida.

Se eu contar mais estraga, especialmente o final. Divirtam-se:

Real Madrid x Manchester United: confiram a história deste confronto de titãs!

13 de fevereiro de 2013 0

Hoje teremos Real Madrid vs. Manchester United, pelas oitavas-de-final da Liga dos Campeões no majestoso Santiago Bernabéu. Será o primeiro confronto do gênio Cristiano Ronaldo contra seu ex-clube, 3 temporadas após sua ida para Madrid e contra um técnico que considera como um pai, o multicampeão Sir Alex Ferguson.

Virtual campeão inglês, o time visitante busca seu quarto título europeu, enquanto os espanhóis tentam salvar a temporada desastrosa na Liga nacional, na caça de seu décimo título continental. Este jogo tem muita história ao longo de quase 50 anos, que serão contadas agora pelo Almanaque Esportivo. 3 dos 4 confrontos tiveram o vencedor campeão europeu ao final da competição. Então, divirtam-se!

O primeiro confronto ocorreu na temporada 56/57, 3×1 para o Real na ida, 2×2 na volta nas semifinais da então Copa dos Campeões, e o Real Madrid seria o campeão pelo segundo ano consecutivo. Já em 1967/68, o Manchester ganhou de 1×0 e segurou um mítico 3×3 no Santiago Bernabéu, também válido pelas semifinais da Copa dos Campeões. O Manchester se sagraria campeão europeu pela primeira vez, pouco mais de 10 anos após a Tragédia de Munique.

Temporada 99/2000. Depois da histórica “Tríplice Coroa“, com direito ao título da Liga dos Campeões sobre o Bayern de Munique com requintes de crueldade (dois gols nos acréscimos), o Manchester United era o melhor time do planeta naquela temporada. Nas quartas-de-final da Liga dos Campeões pegaria o Real Madrid, 0×0 na partida de ida.

No jogo de volta, as coisas começaram erradas quando Roy Keane fez um gol contra. Raúl, em lançamento de Steve McManaman, ampliaria para 2×0. Então, o lance mágico: após um drible absurdamente humilhante de calcanhar sobre Henning Berg, o cracasso argentino Fernando Redondo cruzou para Raúl fazer 3×0. David Beckham (um golaço), e Paul Scholes (de pênalti), reduziriam o marcador, mas a vitória e a classificação já eram de Madrid. Dali em diante, del Bosque se firmaria e se consagraria como técnico campeão mundial em 2010 e europeu em 2012, ambos pela Seleção Espanhola. Vejam o compacto :

Em 2003, foi a vez de um brasileiro brilhar, o mítico Ronaldo, em confronto também pelas quartas-de-final da Liga dos Campeões. E olha que nos dois lados tínhamos: Zidane, Raúl, Roberto Carlos, David Beckham, Ryan Giggs, Ruud van Nistelrooy! No jogo de ida, 3×1 para o Real Madrid com gols de Luís Figo e Raúl (2x). Na partida de volta, Ronaldo abriu o marcador, cancelado por van Nistelrooy. Em oito minutos frenéticos, Ronaldo faria 2×1, Iván Helguera (contra) deixaria tudo igual, antes de Ronaldo fazer seu hat-trick aos 14 do segundo tempo, e deixando a classificação praticamente garantida. Com uma reação de muita raça, o Manchester empatou e virou com dois gols de Beckham, insuficientes para a classificação mas valorizando os brios do time inglês. Confiram os gols:

Meu palpite para o duelo desta temporada?

Meu coração diz Manchester United.

Minha mente diz Real Madrid.

Veremos quem irá acertar.

Fair-Play às avessas: Luiz Adriano faz gol legal, mas imoral na Liga dos Campeões

21 de novembro de 2012 6

Simplesmente lamentável o que o atacante brasileiro Luiz Adriano, do ucraniano Shakhtar Donetsk, fez ontem na vitória de 5×2 contra o dinamarquês Nördsjaelland, pela quinta rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa. Quando o jogo estava 1×0, ainda no primeiro tempo, Luiz Adriano aproveitou uma devolução de bola escancarada para marcar um gol, sob os olhares atônitos dos dinamarqueses.

Pior, o time depois tentou deixar o adversário fazer um gol e um zagueiro impediu. Vejam o lance.

Há alguns anos, meu amigo Alexandre Limeira me demonstrou que o excesso de fair-play acaba jogando contra o andamento da partida, pois aumenta o número de interrupções e de ‘cêra técnica’. Isto fica exemplificado ao ver vídeos de jogos dos anos 80 e 90. Passei a defender a idéia e quanto mais observo os jogos atuais, mais fica claro o problema.

Parkhurst revoltado com Luiz Adriano - Lars Poulsen / AP

Hoje li um texto do amigo Vicente Fonseca, que também tem um posicionamento semelhante, falando que exatamente os defensores da “redução do fair-play” é que ficarão prejudicados por uma atitude como a do ex-atacante colorado. Vejam seus argumentos em “Gol Contra”.

Outras histórias eu já contei aqui no Almanaque, vou resumir nos links abaixo:

Gol antológico de Madjer é repetido em jogo da Copa da Liga Francesa

26 de setembro de 2012 2

O jovem atacante Romain Alessandrini marcou um golaço de calcanhar na vitória de 3×2 do Rennes sobre o Nancy, em jogo válido ontem pela Copa da Liga Francesa.  O Nancy vencia por 1×0, quando o meia francês fez isto (no vídeo, 36 segundos):

Imediatamente minha memória lembrou de um histórico gol do argelino Madjer, marcado na final da então Copa dos Campeões da Europa entre Porto e Bayern de Munique, ano de 1987 no Praterstadion em uma Viena lotada de alemães. O Porto perdia por 1×0, gol de Ludwig Kögl aos 24 minutos do primeiro tempo, e jogava muito mal nos minutos iniciais.

No intervalo, uma famosa intervenção do técnico Artur Jorge mudou os ânimos portistas, que entraram no segundo tempo jogando para cima, buscando uma reação. Então o talento do argelino Rabah Madjer, um dos maiores de sua época, decidiu o jogo:  primeiro marcou um golaço de calcanhar (bem parecido com o gol acima de Alessandrini) aos 32  minutos do 2º tempo. Dois minutos depois, fez uma jogadaça pela esquerda e cruzou para o brasileiro Juari virar! Porto campeão europeu pela primeira vez!

O leitor Adriano Fuchs enviou o vídeo do gol de Márcio Hahn no empate de 2×2 entre o seu Caxias e o Joinville, pela Série C 2012. Eu achei meio sem querer, maaaaas realmente foi bonito:

LIGA DOS CAMPEÕES - Entrem na Liga do Almanaque Esportivo!

15 de setembro de 2012 0

Pessoal, como faço há muitos anos, entrei no Fantasy Football da Liga dos Campeões da Europa. O site, que pode ser acessado em português, permite que você monte seu time e receba pontuações conforme o desempenho dos atletas e de seus respectivos times.

Você está imaginando: isto parece o Cartola FC. Sim, ele é muito parecido. Com uma diferença:a competição da UEFA é bem mais antiga que a brasileira. E ela também não é original, por sua vez repetiu os antigos Fantasy Football que existem há mais de década no futebol inglês.

O CÓDIGO DA LIGA É: 168547-437567

Meu time da 1° rodada foi montado assim:

Perináceo Football Club, 1° rodada do UEFA Fantasy Football

PESQUISA: Brasileiros no exterior que venceram a Libertadores e Liga dos Campeões!

10 de julho de 2012 5

Quais atletas brasileiros conquistaram os títulos continentais da América e da Europa jogando por equipes de outros países? Por sugestão do leitor André Soares Ribeiro (que por sua vez contou com informações de Rafael Maranhão, Manoel Junqueira, Heitor e dados do comentarista esportivo Paulo Vinícius Coelho), que fez o levantamento abaixo dos jogadores campeões na Liga dos Campeões da Europa, fiz o levantamento de atletas campeões na Copa Libertadores da América jogando em times do exterior.

Vários dos atletas na listagem da Libertadores tiveram passagens formidáveis no futebol gaúcho: Jair, Manga, Iarley, Salvador. Outro deles, João Cardoso, que jogou no Grêmio com um destaque apenas fugaz, se tornou uma lenda no futebol argentino nos anos 60.
Brasileiros campeões e vice da Libertadores por times estrangeiros
CAMPEÕES

  • 1982 – Jair – Peñarol (URU)
  • 1971 – Manga – Nacional (URU)
  • 1967 – João Cardoso – Racing Club (ARG)
  • 1960 – Salvador – Peñarol (URU)

VICE-CAMPEÕES

  • 2004 – Iarley – Boca Juniors (ARG)
  • 1997 – Julinho – Sporting Cristal (PER)
  • 1969 – Manga – Nacional (URU)
  • 1963 – Orlando Peçanha – Boca Juniors (ARG)

Brasileiros campeões e vice da Copa dos Campeões/Liga dos Campeões da Europa por times estrangeiros
CAMPEÕES

  • 1960 – Canário, Didi – Real Madrid-ESP
  • 1963 – Dino Sani e Mazola Altafini e Germano – Milan-IT
  • 1964 – Jair da Costa – Internazionale-ITA
  • 1965 – Jair da Costa – Internazionale-ITA
  • 1969 – Sormani – Milan-ITA
  • 1987 – Juari, Casagrande, Celso, Paulo Ricardo e Elói – Porto-POR
  • 1997 – Júlio César – Borussia Dortmund-ALE
  • 1998 – Roberto Carlos, Zé Roberto e Sávio – Real Madrid-ESP
  • 2000 – Roberto Carlos, Júlio César e Sávio – Real Madrid-ESP
  • 2001 – Élber, Paulo Sérgio – Bayern de Munique-ALE
  • 2002 – Roberto Carlos, Flávio Conceição e Sávio – Real Madrid-ESP
  • 2003 – Dida, Serginho, Roque Júnior e Rivaldo – Milan-ITA
  • 2004 – Carlos Alberto, Derlei, Deco e Bruno Moraes – Porto-POR (obrigado Diego Zanini e Fábio pelas correções)
  • 2006 – Edmílson, Belletti, Ronaldinho Gaúcho, Sylvinho, Thiago Motta e Deco – Barcelona-ESP
  • 2007 – Dida, Serginho, Cafu, Kaká e Ricardo Oliveira – Milan-ITA
  • 2008 – Anderson – Manchester United-ING
  • 2009 – Sylvinho, Daniel Alves – Barcelona-ESP
  • 2010 – Júlio César, Lúcio, Maicon, Thiago Motta e Mancini – Internazionale-ITA
  • 2011 – Daniel Alves, Maxwell, Adriano e Thiago Alcântara – Barcelona-ESP
  • 2012 – David Luiz, Ramires e Alex – Chelsea-ING
    Total: 50 jogadores, com Roberto Carlos e Sávio sendo tricampeões europeus, sempre pelo Real Madrid (valeu, André!)

VICE-CAMPEÕES

  • 1957 – Julinho – Fiorentina-ITA
  • 1961 – Evaristo de Macedo – Barcelona-ESP
  • 1962 – Canário – Real Madrid-ESP
  • 1972 – Jair da Costa – Internazionale-ITA
  • 1973 – Mazola Altafini – Juventus-ITA
  • 1984 – Falcão e Toninho Cerezzo – Roma-ITA
  • 1992 – Toninho Cerezzo – Sampdoria-ITA
  • 1988 – Elzo,Chiquinho, Wando, Mozer – Benfica-POR
  • 1990 – Aldair, Ricardo Gomes e Valdo – Benfica-POR
  • 1991 – Mozer – Olympique Marseille-FRA
  • 1994 – Romário – Barcelona-ESP
  • 1999 – Élber – Bayern de Munique-ALE
  • 2001 – Fábio Aurélio – Valencia-ESP
  • 2002 – Zé Roberto, Lúcio – Bayer Leverkusen-ALE
  • 2005 – Dida, Cafu, Serginho e Kaká – Milan-ITA
  • 2006 – Gilberto Silva – Arsenal-ING
  • 2007 – Fábio Aurélio – Liverpool-ING
  • 2008 – Alex, Belletti – Chelsea-ING
  • 2009 – Anderson, Rodrigo Possebom, Rafael e Fábio – Manchester United-ING
  • 2010 – Breno – Bayern de Munique-ALE
  • 2011 – Anderson, Rafael e Fábio – Manchester United-ING
  • 2012 – Rafinha e Luiz Gustavo – Bayern de Munique-ALE
    Total: 34 jogadores , com Anderson, Rafael e Fábio duas vezes vice pelo Manchester United, enquanto Mozer e Toninho Cerezzo, atuando por dois times diferentes, também terminaram em segundo lugar.

LEITURA COMPLEMENTAR

As maiores reviravoltas da história do futebol europeu: grandes viradas

08 de março de 2012 0

Ao longo de mais de 50 anos, a Liga dos Campeões da Europa (outrora chamada de Copa dos Campeões da Europa) já vivenciou diversas viradas de expectativa. Isto quase ocorreu na última semana, quando o Arsenal fez 3×0 no Milan depois de ter levado 4×0 no jogo de ida em Milão. A quase reviravolta depois de levar quatro gols já ocorreu antes, e várias vezes.

Vamos à listinha? Valendo Liga dos Campeões, Liga Europa e as extintas Recopa Européia, Copa da UEFA e Copa dos Campeões. Das histórias, a mais sensacional é a do Metz em 1985, que reverteu um 4×2 em casa para 4×1 em pleno Camp Nou contra o todo-poderoso Barcelona.

AS MAIORES VIRADAS DA HISTÓRIA

  • Schalke 04-ALE OCI 3×0 KB-DIN (2×5 no jogo de ida e 3×1 para os alemães-ocidentais na partida desempate) - Copa dos Campeões 1958/59
  • Leixões-POR 5×0 La Chaux-de-Fonds-SUI (2×6 no jogo de ida) – Recopa Européia 1961/62
  • Real Madrid-ESP 5×1 Derby County-ING (1×4 no jogo de ida) - Copa dos Campeões 1975/76
  • Partizan Belgrado-IUG 4×0 Queens Park Rangers-ING (2×6 no jogo de ida) – Copa da UEFA 1984/85 *
  • Barcelona-ESP 1×4 Metz-FRA (4×2 no jogo de ida) - Recopa Européia 1984-85
  • Real Madrid-ESP 4×0 Borussia Moechengladbach-ALE OCI (1×5 no jogo de ida) – Copa da UEFA 1985/86 *
  • Barcelona-ESP 3×0 IFK Gotenborg-SUE (0×3 no jogo de ida) - Copa dos Campeões 1985/86
  • Werder Bremen-ALE 5×0 Dínamo Berlim-ALE ORI (0×3 no jogo de ida) - Copa dos Campeões 1987/88
  • Bayer Leverkusen-ALE 3×0 Espanyol-ESP (0×3 no jogo de ida)- Copa da UEFA 1987/88 **
  • Deportivo La Coruña-ESP 4×0 Milan-ITA (1×4 no jogo de ida) - Liga dos Campeões 2003/04
  • Fulham-ING 4×1 Juventus-ITA (1×3 no jogo de ida) – Liga Europa 2009/10
    OBS: * = Classificado no critério de gols fora
    OBS: ** = Classificado nos pênaltis

UEFA Champions League Fantasy Football - Recomeça a peleia!

27 de setembro de 2011 0

Está de volta a Liga dos Campeões da Europa, e seu tradicionalíssimo Fantasy Football. Este jogo é o percursor de competições populares como o Cartola, mas tem regras mais estritas de pontuação e organização. As premiações oferecidas são apenas para participantes do continente europeu, mas o que vale é a diversão.

Eu estava de férias e esqueci de montar na primeira rodada, então a competição deste ano começa na segunda. Eu disputo esta competição há alguns anos, acho que desde o início da década passada. Vale a diversão

CÓDIGO DA LIGA DO ALMANAQUE ESPORTIVO: 261699-38507