Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Milan"

Transferências: as maiores negociações da temporada 2010

29 de dezembro de 2010 1

A temporada 2010 está terminando no futebol mundial. Então é a hora das famosas ‘listas’ (uma obsessão de Nick Hornby), e uma delas é tradicional aqui no Almanaque Esportivo: as maiores transferências do futebol mundial neste ano.

Todas elas ocorreram no Mercado de Verão europeu, algumas antes e outras após o Mundial da África do Sul.O jogador mais caro foi o artilheiro da Copa do Mundo, o espanhol David Villa, que deixou o Valencia para o Barcelona por 40 milhões de euros.

Chama a atenção o fato de que 25% da lista se referem aos cinco jogadores comprados pelo Manchester City, todos com valores inflacionados e com custo benefício altamente discutível. Porém o objetivo do City, cujo dono é o bilionário Sheikh Mansour bin Zayed bin Sultan Al Nahyan, é gastar agora antes que as regras de ‘fair-play‘ econômico (que impedem grandes dívidas) sejam implementadas, a partir da próxima temporada.

Quatro brasileiros estão na lista: Ramires (7º), Carlos Eduardo (12º), Robinho (13º) e Diego (18º). A de Robinho impressiona pois o valor pago foi pelo empréstimo até o final do contrato dele com o Manchester City, recorde mundial.

Em colossal crise financeira, o espanhol Valencia foi o time que mais arrecadou, com quase 70 milhões de euros vendendo os homônimos David Silva e David Villa. Curiosamente, nenhuma das vendas de 2010 entraria no ranking das 10 maiores de todos os tempos, que começa em 45 milhões de euros com o brasileiro Ronaldo indo para o Real Madrid.

Jogador País Pos Origem Destino Valor
1 David Villa ESP A Valência Barcelona 40.000.000 €
2 Yaya Touré CM M Barcelona Manchester City 30.000.000 €
3 Mario Balotelli ITA A Internazionale Manchester City 29.500.000 €
4 David Silva ESP M Valência Manchester City 28.750.000 €
5 Angel Di Maria ARG M Benfica Real Madrid 25.000.000 €
6 Aleksander Kolarov SER D Lazio Manchester City 22.700.000 €
7 Ramires BRA M Benfica Chelsea 22.000.000 €
8 Yoann Gourcuff FRA M Bordeaux Olympique Lyon 22.000.000 €
9 James Milner ING M Aston Villa Manchester City 22.000.000 €
10 Bruno Alves POR D Porto Zenit 22.000.000 €
11 Javier Mascherano ARG M Liverpool Barcelona 20.000.000 €
12 Carlos Eduardo BRA M Hoffenheim Rubin Kazan 20.000.000 €
13 Robinho BRA A Manchester City Milan 18.000.000 €
14 Mesut Özil ALE M Werder Bremen Real Madrid 18.000.000 €
15 André-Pierre Gignac FRA A Toulouse Olympique Marselha 16.000.000 €
16 Asamoah Gyan GHA A Rennes Sunderland 16.000.000 €
17 Leonardo Bonucci ITA D Bari Juventus 15.500.000 €
18 Diego BRA M Juventus Wolfsburg 15.500.000 €
19 Loic Rémy FRA A Nice Olympique Marselha 15.500.000 €
20 Milos Krasic SER M CSKA Moscou Juventus 15.000.000 €

VEJA TAMBÉM:

As 10 maiores transferências do futebol mundial de todos os tempos (até 2009):

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/06/13/as-10-maiores-transferencias-e-o-resultado/

As 20 contratações mais caras de 2009/2010

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/09/21/as-20-contratacoes-mais-caras-de-20092010/

Pesquisa aponta as maiores torcidas da Europa

11 de dezembro de 2010 0

O ranking abaixo mostra apenas os times com maior torcida no continente europeu. Neste, o Barcelona é líder disparado com quase o dobro do segundo colocado, o arquirrival Real Madrid. Os times ingleses também estão bem, com Manchester United, Chelsea, Arsenal e Liverpool entre os dez primeiros.O levantamento é da empresa alemã de marketing esportivo Sport+Markt

Outrora soberana, a Juventus caiu muito de participação em virtude dos últimos escândalos e crise técnica da década atual. Surpreende a ótima participação dos times da Rússia (sede do Mundial de 2018), com Zenit, CSKA e Spartak entre os mais citados.

As maiores torcidas da Europa - Reprodução Sport+Markt

1. Barcelona-ESP – 57,8 (milhões de torcedores)
2. Real Madrid-ESP – 31,3
3. Manchester United-ING – 30,6
4. Chelsea-ING – 21,4
5. Bayern Munique-ALE – 20,7
6. Arsenal-ING – 20,3
7. Milan-ITA – 18,4
8. Internazionale-ITA- – 17,5
9. Liverpool-ING – 16,4
10. Juventus-ITA – 13,1
11. Zenit-RUS – 12,6
12. CSKA Moscou-RUS – 10,5
13. Spartak Moscou-RUS – 9,0
14. Olympique Marselha-FRA – 7,8
15. Ajax-HOL – 7,1
16. Galatasaray-TUR – 6,8
17. Olympique Lyon-FRA – 6,6
18. Fenerbahce-TUR – 6,1
19. AS Roma-ITA – 6,0
20. Dínamo Kiev-UCR – 5,3

Outro aspecto relevante é o número de torcedores dentro do próprio pais, mostrado na figura abaixo:

As 10 maiores transferências do futebol gaúcho - Set/2009

01 de setembro de 2009 30

Atualizando com os dados da venda de Nilmar, em um total de 15 milhões de euros. Destes, 11 milhões foram para o Internacional, o que totaliza 28 milhões de reais. Assim, o atacante colorado se torna o segundo jogador gaúcho mais caro de todos os tempos, superando Fábio Rochemback e atrás somente de Alexandre Pato.

Nilmar, segundo jogador mais caro da história do futebol gaúcho/AP

Das dez maiores negociações, as três primeiras são coloradas e apenas três são tricolores. Rafael Carioca, Lucas, Anderson e Carlos Eduardo são os representantes gremistas, enquanto Rafael Sóbis, Nilmar e Sídnei completam a lista de colorados. Curiosamente, Nilmar aparece nas duas vendas, em 2004 e 2009.

O Grêmio erra ao não priorizar atacantes. Além da polêmica transferência de Ronaldinho, apenas Anderson e Carlos Eduardo foram grandes talentos ofensivos revelados no Olímpico e os dois estão na lista. Já o Inter prefere apostar em atacantes, com maior valor potencial de venda, e isto faz diferença.

Vale ressaltar que TODOS os negociados abaixo são frutos das categorias de base: todos jogaram nos juniores e a maioria jogou no juvenil antes de chegar ao profissional.

Vamos aos números? Cliquem na imagem para ampliar:

As maiores transferências da história do RS - Arquivo Pessoal

VEJA TAMBÉM

Liga dos Campeões - Finais de 2005, 2006 e 2007

26 de maio de 2009 1

2005 – Gerrard recoloca o Liverpool no topo da Europa – Liverpool (4) 3×3 (3) Milan

Desacreditado, o Liverpool conquistou a Europa pela quinta vez da maneira mais espetacular deste século XXI. Isso ao superar o Milan na final da Liga dos Campeões 2005/06, disputada no estádio Ataturk, em Istambul. O time treinado por Rafa Benítez perdia por 3×0 do Milan no segundo tempo, mas conseguiu empatar e depois vencer nos pênaltis. O Liverpool atropelou o Bayer Leverkusen nas oitavas, bateu a Juventus nas quartas e o, agora sim bilionário, Chelsea nas semis. Já o Milan bateu Manchester United, Internazionale (de novo!) e PSV antes da final.

O jogo: Antes de dois minutos, já estava 1×0 para os italianos, gol da lenda Paolo Maldini. O pesadelo inglês continuaria com dois gols do argentino Hernán Crespo, aos 38 e 44 minutos. Game, set and match para o Milan? Que nada, comandado por uma soberba atuação do capitão Steven Gerrard, o Liverpool conseguiu uma histórica reação. O próprio Gerrard descontou aos 6 minutos, o tcheco Smicer aos 11 e o espanhol Xabi Alonso, em rebote de pênalti, fechou a reação aos 15 minutos. Em seis minutos, três gols e a igualdade! Muito cansados e nervosos, os dois times pouco criaram até a prorrogação. No tempo extra, o Milan teve duas chances incríveis, mas a sorte do goleiro polonês Jerzy Dudek estava em dia. Nas penalidades, John Arne Riise errou para o Liverpool, enquanto o brasileiro Serginho, o italiano Andrea Pirlo e o ucraniano Andriy Shevchenko desperdiçaram e deram o título para os ingleses mais uma vez. Sem sombra de dúvida, a mais saborosa de todas.


LIVERPOOL – MILAN 3-3 ( 3-2 penalties… por sylar335

2006 – Ronaldinho é o dono da Europa! – Barcelona 2×1 Arsenal

Favorito, o Barcelona acabou confirmando o seu segundo título europeu ao derrotar por 2×1, de virada, o Arsenal no estádio Stade-de-France. Neste ano, os gaúchos em especial acompanharam atentamente a final da Liga dos Campeões, pois o Internacional fazia boa campanha na Libertadores e podia pegar (como de fato ocorreu), o Barcelona no Mundial FIFA de Clubes. O time catalão tinha o melhor jogador do mundo disparado de então: o brasileiro Ronaldinho, além de jogadores como Deco e Eto em excepcional fase. Depois de um passeio na primeira fase, o Barça pegou o poderoso Chelsea nas quartas e arrancou a classificação fora de casa. Nas quartas, o Barça superou a surpresa Benfica, e despachou o vice-campeão Milan nas semis. Enquanto isto, o Arsenal tinha um caminho mais duro: Real Madrid, Juventus e, de forma dramática, o Villarreal nas semis. O time inglês contava com muito conjunto, uma grande fase do francês Thierry Henry e do jovem espanhol Césc Fábergas.

O jogo: a partida foi bastante atípica. Considerado azarão, o Arsenal do excepcional técnico Arséne Wenger ainda perdeu o goleiro Jens Lehmann, expulso no 1° tempo aos 18 minutos. Mesmo assim, o zagueiro Sol Campbell fez 1×0 de cabeça aos 37 minutos, deixando os londrinos (em busca de um título inédito) em vantagem. Dali em diante, o jogo foi o seguinte: o Barcelona fazia uma blitz e o Arsenal especulava em contra-ataques com Henry, que inclusive perdeu um gol feito. Muito mal no jogo, Ronaldinho viu o show ser roubado pelo veterano sueco Henrik Larsson. O reserva entrou e deu o passe para os dois gols da virada catalã: Samuel Eto’o aos 31 e o brasileiro Belletti aos 36 minutos, dando o título ao Barcelona, que repetia 1992. E, de novo, enfrentaria um brasileiro no Mundial mas esta é uma outra história…


FC Barcelona – Champions Final 2006 FC… por danielrn5

2007 – “La vendetta dei rossoneros” – Milan 2×1 Liverpool

A vingança italiana demorou dois anos, mas o Milan se sagrou heptacampeão europeu ao bater o Liverpool por 2×1 na final disputada no estádio Olímpico de Atenas, na Grécia. Foi o troco de 2005, quando os dois times também decidiram a competição. E, mais uma vez, os gaúchos assistiram com atenção a partida pois o Grêmio brilhava na Libertadores e poderia pegar o campeão europeu no Mundial da FIFA de Clubes. Depois de uma primeira fase tranquila, o Milan bateu apertado o Celtic Glasgow, passou fácil pelo Bayern de Munique e ganhou com sobras do então favorito Manchester United (em um show especial de Kaká e Seedorf no 2° jogo). Já o Liverpool ganhou do então campeão Barcelona, dos holandeses do PSV e do rival Chelsea nas semis (assim como em 2005). Tudo parecia encaminhar-se para um repeteco.

O jogo: Porém a partida não foi do jeito que os ingleses esperavam. Mesmo com um time até superior ao de 2005, o Liverpool não conseguiu superar o esquema defensivo do Milan e foi dominado no meio-campo. Seedorf e Kaká tiveram outras atuações soberbas, assim como o veterano centroavante Filippo Inzaghi. Este fez 1×0 aos 45 do 1° tempo, e repetiu a dose em um contra-ataque aos 39 do 2° tempo. Quase no final, o grandalhão holandês Dirk Kuyt descontou mas isto foi insuficiente para evitar o título italiano. Pela sétima vez, o Milan conquistava a Europa.


2007 (May 23) AC Milan (Italy) 2-Liverpool… por sp1873

Amanhã: os caminhos de Chelsea e Manchester United até a decisão em Moscou

Liga dos Campeões - Finais de 2002, 2003 e 2004

26 de maio de 2009 0

2002 – Zidane e Casillas: supremos! – Real Madrid 2×1 Bayer Leverkusen

Real Madrid e Bayer Leverkusen chegavam à decisão no lindíssimo Hampden Park, em Glasgow, vivendo momentos diferentes. O Bayer era líder do Alemão, finalista da Copa da Alemanha e da Liga dos Campeões, mas conseguiu perder as decisões domésticas e só a Liga poderia salvar uma derrocada final do time do zagueiro brasileiro Lúcio, do meia Michael Ballack e do atacante Oliver Neuville. Nas quartas, o Bayer eliminou o Liverpool. E nas semifinais, em um jogaço, bateu o Manchester United. Já o Real, octacampeão europeu, vinha embalado por ótima campanha na Liga, no primeiro ano dos ‘Galáticos’ de Florentino Pérez. Jogadores do quilate de Zinedine Zidane, Figo, Raúl, Roberto Carlos e Fernando Morientes defendiam o time merengue. Nas quartas, o Real superou o então campeão Bayern e nas semis, o arquirrival Barcelona, com sobras.

O jogo: foi um jogaço! Para compensar a chatice de 2001, Real e Bayer fizeram uma partida fenomenal, de alta ofensividade e muitas conclusões a gol. Logo no início do jogo, Raúl fez 1×0 para os madrilenhos. Mas o brasileiro Lúcio empatou logo depois, 1×1. Então, no final do primeiro tempo, o momento mágico: Zidane pega de sem-pulo, da entrada da área e acerta o ângulo do goleiro Hans Butt. O francês assina uma obra-prima e faz o gol mais bonito das finais de Liga deste milênio. No segundo tempo, o goleiro espanhol César sai machucado, entrando o então jovem Iker Casillas, ainda se firmando no time principal. Com três defesas monumentais, o garoto segura a pressão dos alemães e garante a vitória do Real Madrid, campeão europeu pela nona (e até agora, última), vez.

Gol antológico de Zinedine Zidane, garantindo o título:


2002 (May 15) Real Madrid (Spain) 2-Bayer… por sp1873


Casillas fechando o gol após entrar no Segundo tempo:

2003 - Mais italiano (e chato), impossível! - Milan (4) 0×0 (3) Juventus

Pela primeira vez na história, dois times italianos decidiram o título da Liga no Old Trafford, em Manchester. Milan e Juventus fizeram um dos jogos mais chatos de todos os tempos, um 0×0 murrinha decidido somente nas penalidades. O Milan começava naquela temporada a base da equipe que seria vice-campeã européia em 2005 e campeã da Europa e do Mundial em 2007. Já a Juventus não estava tão forte tecnicamente, e dependia muito do talento do eterno Alessandro Del Piero,do tcheco Pavel Nedved e da sólida defesa bianconera. Nas quartas, os “rossoneri” bateram o Ajax e a arquirrival Internazionale nas semis, enquanto a Juventus superou a dupla espanhola Barcelona e Real Madrid

O jogo: a decisão foi tão ruim que eu só vou por os melhores momentos da disputa de pênaltis. Durante 120 minutos, Milan e Juventus alternaram um “catenaccio” horroroso, ambos com medo de perder. Nas penalidades, um show do brasileiro Dida, que pegou as cobranças de Trezeguet, Birindelli e Montero. Pelo Milan, Seedorf e Nesta desperdiçaram, mas o ucraniano Andriy Shevchenko converteu a quinta cobrança e selou a conquista. Milan, campeão europeu pela sexta vez. Seedorf e Ancelotti comemoraram de maneira especial: o craque holandês foi o 1º a conquistar a Europa por três times diferentes (havia vencido por Ajax e Real Madrid), enquanto o treinador sentiu-se vingado, pois havia sido demitido da Juventus dois anos antes.


2004 – O que está acontecendo aqui? – Porto 3×0 Monaco

Quando terminou o ano de 2004, a pergunta era: até quando vão continuar as zebras? Afinal, a Grécia era campeã européia, o Santo André campeão da Copa do Brasil, o Once Caldas era campeão da Libertadores. Mas tudo isto havia começado lá na Liga dos Campeões, quando as surpresas foram muito longe. Já na primeira fase, caíram Internazionale e Lazio. Nas oitavas, o Porto e o Deportivo La Coruña eliminaram Manchester United e Juventus. Nas quartas, o Monaco, o La Coruña e o Chelsea (então ‘pobre’) se classificaram sobre Real Madrid, Milan (de maneira incrível, revertendo um 4×1 para 4×0) e Arsenal. Nas semis: Porto x La Coruña e Monaco x Chelsea. Portugueses e franceses se classificaram para a final na Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen. E deu a ‘menos’ zebra, o Porto.

O jogo: Treinado pelo estrategista José Mourinho, o Porto não deu nenhuma chance para o Monaco, do novato treinador Didier Deschamps. Ainda no início do jogo, Ludovico Giuly (o principal jogador do time francês ao lado de Fernando Morientes) saiu de campo com lesão muscular. O Porto, que tinha o zagueiro Ricardo Carvalho e o meia Deco como principais destaques, fez 1×0 com o também brasileiro Carlos Alberto aos 39 do 1º tempo. Na etapa complementar, o Monaco se atirou para o ataque e foi castigado em dois lances: Deco fez 2×0 aos 26 minutos, e o russo Dmitri Alenichev fechou o placar quatro minutos depois. Reprisando 1987, a Europa era lusitana novamente. E do Porto.


2004 (May 26) Porto (Portugal) 3-AS Monaco… por sp1873

Ainda hoje – Finais de 2005, 2006 e 2007

As maiores transferências da história do futebol gaúcho - Jul/2008

16 de julho de 2008 6

Quais foram as maiores transferências da história envolvendo jogadores da Dupla Gre-Nal até hoje? Mesmo com alguns números sendo discutidos, em linhas gerais temos dados interessantes envolvendo a maioria dos últimos ídolos do Rio Grande do Sul.

Alexandre Pato, a mais cara venda gaúcha da história/site oficial do Milan

A super-estrela Ronaldinho, vendido esta semana do Barcelona para o Milan, é somente a décima negociação da história do futebol gaúcho. A conturbada saída do astro gremista em 2001 fica atrás das vendas de Alexandre Pato, Fábio Rochemback, Lucas, Rafael Sobis, Nilmar, Anderson, Carlos Eduardo, Sídnei e Lúcio.

Sem sombra de dúvidas, a maior transação é a saída de Alexandre Pato do Internacional para o Milan, por aproximadamente 49 milhões de reais no ano passado. Foi a única negociação na qual o clube comprador pagou a multa recisória, ou seja: a transferência ocorreria com ou sem aval do clube vendedor.

Depois dele está a surpreendente venda do volante Fábio Rochemback em 2001. Em uma época de mercado altamente inflacionado, a transação rendeu ao Colorado quase 27 milhões de reais. No Grêmio, as recentes negociações de Lucas e Anderson foram as mais lucrativas da história.

Com a venda de Ronaldinho para o Milan, o Grêmio lucrou aproximadamente  1,9 milhões de reais. Porém esta contabilização está acrescida do crédito por formação de jogador, sempre obtido em cada negociação do atleta. Este valor também desconta os 10% aos quais o empresário Eltamar Salvadori recebeu ao investir um valor para pagamento de despesas do clube em 2000.

Em 2001, a FIFA ordenou o pagamento de US$ 4,5 milhões do Paris Saint-Germain por Ronaldinho, infinitamente abaixo do valor de mercado do jogador na época. Este é o valor que Ronaldinho custou ao PSG, na prática.

A revolta gremista se refere ao fato de que Ronaldinho chegou a ter uma proposta oficial de US$ 28 milhões do Real Madrid em 2000, além da fictícia US$ 80 milhões do Leeds United tão propalada na imprensa.

Em contra-partida, Ronaldinho e Assis sempre deixaram veladamente informado que os astronômicos salários pagos para jogadores como Zinho, Astrada, Amato, Paulo Nunes & Cia pela gestão de José Alberto Guerreiro e com dinheiro da futuramente falida empresa suíça ISL eram muito superiores aos 45 mil reais mensais que Ronaldinho recebia. Ou seja, a estrela do time, do futebol brasileiro e da Seleção Brasileira na época ganhava um salário muito abaixo de companheiros muito menos talentosos.

Mas isto é assunto para outro dia aqui no Almanaque Esportivo.

Vamos à tabela de transferências do futebol gaúcho até este momento: (CLIQUE PARA AMPLIAR)

As 10 maiores transferências da história do RS - Arquivo Pessoal



VEJA TAMBÉM

Liga dos Campeões - Finais de 2005, 2006 e 2007

19 de maio de 2008 3

2005 – Gerrard recoloca o Liverpool no topo da Europa – Liverpool (4) 3×3 (3) Milan

Desacreditado, o Liverpool conquistou a Europa pela quinta vez da maneira mais espetacular deste século XXI. Isso ao superar o Milan na final da Liga dos Campeões 2005/06, disputada no estádio Ataturk, em Istambul. O time treinado por Rafa Benítez perdia por 3×0 do Milan no segundo tempo, mas conseguiu empatar e depois vencer nos pênaltis. O Liverpool atropelou o Bayer Leverkusen nas oitavas, bateu a Juventus nas quartas e o, agora sim bilionário, Chelsea nas semis. Já o Milan bateu Manchester United, Internazionale (de novo!) e PSV antes da final.

O jogo: Antes de dois minutos, já estava 1×0 para os italianos, gol da lenda Paolo Maldini. O pesadelo inglês continuaria com dois gols do argentino Hernán Crespo, aos 38 e 44 minutos. Game, set and match para o Milan? Que nada, comandado por uma soberba atuação do capitão Steven Gerrard, o Liverpool conseguiu uma histórica reação. O próprio Gerrard descontou aos 6 minutos, o tcheco Smicer aos 11 e o espanhol Xabi Alonso, em rebote de pênalti, fechou a reação aos 15 minutos. Em seis minutos, três gols e a igualdade! Muito cansados e nervosos, os dois times pouco criaram até a prorrogação. No tempo extra, o Milan teve duas chances incríveis, mas a sorte do goleiro polonês Jerzy Dudek estava em dia. Nas penalidades, John Arne Riise errou para o Liverpool, enquanto o brasileiro Serginho, o italiano Andrea Pirlo e o ucraniano Andriy Shevchenko desperdiçaram e deram o título para os ingleses mais uma vez. Sem sombra de dúvida, a mais saborosa de todas.


LIVERPOOL – MILAN 3-3 ( 3-2 penalties… por sylar335

2006 – Ronaldinho é o dono da Europa! – Barcelona 2×1 Arsenal

Favorito, o Barcelona acabou confirmando o seu segundo título europeu ao derrotar por 2×1, de virada, o Arsenal no estádio Stade-de-France. Neste ano, os gaúchos em especial acompanharam atentamente a final da Liga dos Campeões, pois o Internacional fazia boa campanha na Libertadores e podia pegar (como de fato ocorreu), o Barcelona no Mundial FIFA de Clubes. O time catalão tinha o melhor jogador do mundo disparado de então: o brasileiro Ronaldinho, além de jogadores como Deco e Eto em excepcional fase. Depois de um passeio na primeira fase, o Barça pegou o poderoso Chelsea nas quartas e arrancou a classificação fora de casa. Nas quartas, o Barça superou a surpresa Benfica, e despachou o vice-campeão Milan nas semis. Enquanto isto, o Arsenal tinha um caminho mais duro: Real Madrid, Juventus e, de forma dramática, o Villarreal nas semis. O time inglês contava com muito conjunto, uma grande fase do francês Thierry Henry e do jovem espanhol Césc Fábergas.

O jogo: a partida foi bastante atípica. Considerado azarão, o Arsenal do excepcional técnico Arséne Wenger ainda perdeu o goleiro Jens Lehmann, expulso no 1° tempo aos 18 minutos. Mesmo assim, o zagueiro Sol Campbell fez 1×0 de cabeça aos 37 minutos, deixando os londrinos (em busca de um título inédito) em vantagem. Dali em diante, o jogo foi o seguinte: o Barcelona fazia uma blitz e o Arsenal especulava em contra-ataques com Henry, que inclusive perdeu um gol feito. Muito mal no jogo, Ronaldinho viu o show ser roubado pelo veterano sueco Henrik Larsson. O reserva entrou e deu o passe para os dois gols da virada catalã: Samuel Eto’o aos 31 e o brasileiro Belletti aos 36 minutos, dando o título ao Barcelona, que repetia 1992. E, de novo, enfrentaria um brasileiro no Mundial mas esta é uma outra história…


FC Barcelona – Champions Final 2006 FC… por danielrn5

2007 – “La vendetta dei rossoneros” – Milan 2×1 Liverpool

A vingança italiana demorou dois anos, mas o Milan se sagrou heptacampeão europeu ao bater o Liverpool por 2×1 na final disputada no estádio Olímpico de Atenas, na Grécia. Foi o troco de 2005, quando os dois times também decidiram a competição. E, mais uma vez, os gaúchos assistiram com atenção a partida pois o Grêmio brilhava na Libertadores e poderia pegar o campeão europeu no Mundial da FIFA de Clubes. Depois de uma primeira fase tranquila, o Milan bateu apertado o Celtic Glasgow, passou fácil pelo Bayern de Munique e ganhou com sobras do então favorito Manchester United (em um show especial de Kaká e Seedorf no 2° jogo). Já o Liverpool ganhou do então campeão Barcelona, dos holandeses do PSV e do rival Chelsea nas semis (assim como em 2005). Tudo parecia encaminhar-se para um repeteco.

O jogo: Porém a partida não foi do jeito que os ingleses esperavam. Mesmo com um time até superior ao de 2005, o Liverpool não conseguiu superar o esquema defensivo do Milan e foi dominado no meio-campo. Seedorf e Kaká tiveram outras atuações soberbas, assim como o veterano centroavante Filippo Inzaghi. Este fez 1×0 aos 45 do 1° tempo, e repetiu a dose em um contra-ataque aos 39 do 2° tempo. Quase no final, o grandalhão holandês Dirk Kuyt descontou mas isto foi insuficiente para evitar o título italiano. Pela sétima vez, o Milan conquistava a Europa.


2007 (May 23) AC Milan (Italy) 2-Liverpool… por sp1873

Amanhã: os caminhos de Chelsea e Manchester United até a decisão em Moscou

Liga dos Campeões - Finais de 2002, 2003 e 2004

19 de maio de 2008 0

2002 – Zidane e Casillas: supremos! – Real Madrid 2×1 Bayer Leverkusen

Real Madrid e Bayer Leverkusen chegavam à decisão no lindíssimo Hampden Park, em Glasgow, vivendo momentos diferentes. O Bayer era líder do Alemão, finalista da Copa da Alemanha e da Liga dos Campeões, mas conseguiu perder as decisões domésticas e só a Liga poderia salvar uma derrocada final do time do zagueiro brasileiro Lúcio, do meia Michael Ballack e do atacante Oliver Neuville. Nas quartas, o Bayer eliminou o Liverpool. E nas semifinais, em um jogaço, bateu o Manchester United. Já o Real, octacampeão europeu, vinha embalado por ótima campanha na Liga, no primeiro ano dos ‘Galáticos’ de Florentino Pérez. Jogadores do quilate de Zinedine Zidane, Figo, Raúl, Roberto Carlos e Fernando Morientes defendiam o time merengue. Nas quartas, o Real superou o então campeão Bayern e nas semis, o arquirrival Barcelona, com sobras.

O jogo: foi um jogaço! Para compensar a chatice de 2001, Real e Bayer fizeram uma partida fenomenal, de alta ofensividade e muitas conclusões a gol. Logo no início do jogo, Raúl fez 1×0 para os madrilenhos. Mas o brasileiro Lúcio empatou logo depois, 1×1. Então, no final do primeiro tempo, o momento mágico: Zidane pega de sem-pulo, da entrada da área e acerta o ângulo do goleiro Hans Butt. O francês assina uma obra-prima e faz o gol mais bonito das finais de Liga deste milênio. No segundo tempo, o goleiro espanhol César sai machucado, entrando o então jovem Iker Casillas, ainda se firmando no time principal. Com três defesas monumentais, o garoto segura a pressão dos alemães e garante a vitória do Real Madrid, campeão europeu pela nona (e até agora, última), vez.

Gol antológico de Zinedine Zidane, garantindo o título:


2002 (May 15) Real Madrid (Spain) 2-Bayer… por sp1873


Casillas fechando o gol após entrar no Segundo tempo:

2003 - Mais italiano (e chato), impossível! - Milan (4) 0×0 (3) Juventus

Pela primeira vez na história, dois times italianos decidiram o título da Liga no Old Trafford, em Manchester. Milan e Juventus fizeram um dos jogos mais chatos de todos os tempos, um 0×0 murrinha decidido somente nas penalidades. O Milan começava naquela temporada a base da equipe que seria vice-campeã européia em 2005 e campeã da Europa e do Mundial em 2007. Já a Juventus não estava tão forte tecnicamente, e dependia muito do talento do eterno Alessandro Del Piero,do tcheco Pavel Nedved e da sólida defesa bianconera. Nas quartas, os “rossoneri” bateram o Ajax e a arquirrival Internazionale nas semis, enquanto a Juventus superou a dupla espanhola Barcelona e Real Madrid

O jogo: a decisão foi tão ruim que eu só vou por os melhores momentos da disputa de pênaltis. Durante 120 minutos, Milan e Juventus alternaram um “catenaccio” horroroso, ambos com medo de perder. Nas penalidades, um show do brasileiro Dida, que pegou as cobranças de Trezeguet, Birindelli e Montero. Pelo Milan, Seedorf e Nesta desperdiçaram, mas o ucraniano Andriy Shevchenko converteu a quinta cobrança e selou a conquista. Milan, campeão europeu pela sexta vez. Seedorf e Ancelotti comemoraram de maneira especial: o craque holandês foi o 1º a conquistar a Europa por três times diferentes (havia vencido por Ajax e Real Madrid), enquanto o treinador sentiu-se vingado, pois havia sido demitido da Juventus dois anos antes.


2004 – O que está acontecendo aqui? – Porto 3×0 Monaco

Quando terminou o ano de 2004, a pergunta era: até quando vão continuar as zebras? Afinal, a Grécia era campeã européia, o Santo André campeão da Copa do Brasil, o Once Caldas era campeão da Libertadores. Mas tudo isto havia começado lá na Liga dos Campeões, quando as surpresas foram muito longe. Já na primeira fase, caíram Internazionale e Lazio. Nas oitavas, o Porto e o Deportivo La Coruña eliminaram Manchester United e Juventus. Nas quartas, o Monaco, o La Coruña e o Chelsea (então ‘pobre’) se classificaram sobre Real Madrid, Milan (de maneira incrível, revertendo um 4×1 para 4×0) e Arsenal. Nas semis: Porto x La Coruña e Monaco x Chelsea. Portugueses e franceses se classificaram para a final na Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen. E deu a ‘menos’ zebra, o Porto.

O jogo: Treinado pelo estrategista José Mourinho, o Porto não deu nenhuma chance para o Monaco, do novato treinador Didier Deschamps. Ainda no início do jogo, Ludovico Giuly (o principal jogador do time francês ao lado de Fernando Morientes) saiu de campo com lesão muscular. O Porto, que tinha o zagueiro Ricardo Carvalho e o meia Deco como principais destaques, fez 1×0 com o também brasileiro Carlos Alberto aos 39 do 1º tempo. Na etapa complementar, o Monaco se atirou para o ataque e foi castigado em dois lances: Deco fez 2×0 aos 26 minutos, e o russo Dmitri Alenichev fechou o placar quatro minutos depois. Reprisando 1987, a Europa era lusitana novamente. E do Porto.


2004 (May 26) Porto (Portugal) 3-AS Monaco… por sp1873

Ainda hoje – Finais de 2005, 2006 e 2007

Ryan Giggs e o centésimo jogo na Europa

25 de fevereiro de 2008 2

Nesta terça-feira, o meia-esquerda galês Ryan Giggs completou seu centésimo jogo em partidas de competições européias. Giggs, de 34 anos, conseguiu sua marca no empate de 1×1 entre Lyon e Manchester United, na França.

A estrela do Manchester United estreou em jogos europeus em 1993, quando tinha 19 anos, e já conquistou um título europeu: a Liga dos Campeões 98/99, na histórica final de Barcelona contra o Bayern de Munique. Na ocasião, os ingleses venceram os alemães com dois gols nos acréscimos, um deles com participação decisiva de Giggs, que chutou antes de Teddy Sheringham desviar e empatar em 1×1.

Ele também foi peça-chave no primeiro jogo das semifinais, quando marcou nos acréscimos e salvou o Manchester de uma inesperada derrota para a Juventus em pleno Old Trafford. Del Piero havia feito 1×0 no primeiro tempo.

Recordista em jogos pelo Manchester, superando inclusive o ex-craque Bobby Charlton, Giggs deve encerrar sua carreira nos Red Devils, clube no qual conquistou a Copa da Inglaterra, da Liga Inglesa, o Campeonato Inglês, a Supercopa Inglesa (também conhecida como Charity ou Community Shield), a Liga dos Campeões e a Copa Intercontinental.

Hoje alterna jogos como titular ou reserva, mas segue sendo um dos principais jogadores do Manchester United. Exemplo dentro e fora dos gramados, criou uma carreira na qual fugiu das polêmicas, e expulsões, ficando famoso pela extrema habilidade e velocidade.

Contra si, somente os fracasso pela inssossa seleção de Gales. Giggs encerrou sua longa trajetória pelo selecionado nacional sem jogar uma Eurocopa ou Mundial.

Confira os demais jogadores a superarem a barreira de 100 jogos (atualizado até 21/02):

Raul – 115 jogos – Real Madrid
Roberto Carlos – 114 jogos – Internazionale, Real Madrid e Fenerbahce
Paolo Maldini – 107 jogos – Milan
Oliver Kahn – 104 jogos – Bayern de Munique
David Beckham – 103 jogos – Manchester United e Real Madrid
Clarence Seedorf – 101 jogos – Ajax, Sampdoria, Real Madrid, Internazionale e Milan
Luís Figo – 100 jogos – Sporting, Barcelona, Real Madrid e Internazionale
Ryan Giggs – 100 jogos – Manchester United

Vejam um vídeo especial sobre o craque do Manchester United:

O gol especial: semifinal da Copa da Inglaterra, no último replay (jogo repetido após um empate) de semifinal da história. Villa Park em Birmingham, contra o Arsenal com dois jogadores a menos e o goleiro Schmeichel machucado:

Postado por Alexandre Perin

Quem é o maior artilheiro da Europa na temporada 2007/08?

02 de janeiro de 2008 0

Nesta época do ano, praticamente todos os campeonatos nacionais da europa estão na metade da temporada. Além disto, a Liga dos Campeões está na fase de mata-mata.

Resolvi buscar que jogadores estão despontando na artilharia européia, e para isto peguei apenas os cinco maiores: Itália, Espanha, Inglaterra, Alemanha e França. Sendo assim, babaus para Afonsão e seus sete gols em um jogo pelo Heerenveen no fraco Campeonato Holandês.

A surpresa começa logo no primeiro nome: é um meia e não um atacante. Tá certo que não é um jogador qualquer, trata-se do magnífico meia português Cristiano Ronaldo. Ele já marcou 18 gols na temporada, sendo 13 pelo Inglês e 5 pela Liga dos Campeões.Poderia estar com 19, mas bateu pênalti de forma ridícula no sábado contra o West Ham, desperdiçando a chance de fazer 2×0 para o Mancheste United. O West Ham reabriu e virou para 2×1, tirando a liderança do Inglês.

Em segundo lugar, vários jogadores com 15 gols. O espanhol Fernando Torres vem brilhando no irregular Liverpool (cujo técnico Rafa Benítez exagera nos rodízios de titulares), e marcou 9 no Inglês, 3 nas Copas Inglesas e outros 3 na Liga. Ao seu lado, o italiano Luca Toni, que marcou 9 gols pelo Bayern de Munique no Alemão, e outros 6 gols na Copa da UEFA. Também com 15 gols está o garoto francês Karim Benezema, que já fez 12 no Campeonato Francês pelo Lyon e outros 3 gols na Liga dos Campeões.

Com 14 gols temos o irlandês Robbie Keane, do Tottenham Hotspur(que também errou pênalti no clássico contra o Arsenal, jogando fora uma vitória que se transformou em derrota), com 10 no Inglês, 1 nas Copas e 3 na Copa da UEFA; o paraguaio Roque Santa Cruz, que já fez 10 gols no Inglês, 1 nas Copas e 3 na Copa da UEFA pelo Blackburn Rovers; e ainda o craque sueco Zlatan Ibrahimovic, que marcou 9 gols no Italiano e 5 pela Liga dos Campeões jogando pela poderosa Internazionale de Milão.

Outras curiosidades: O melhor brasileiro é Luís Fabiano, com 13 gols pelo Sevilla (10 no Espanhol e 3 na Liga dos Campeões). Diego, do Werder Bremen, fez 9 no Alemão e 3 na Liga dos Campeões. Já Kaká, vencedor do prêmio de melhor jogador do mundo pela FIFA e também da %22Bola de Ouro%22, tem 10 gols pelo Milan (5 de pênalti).

De presente, o golaço de Cristiano Ronaldo na goleada de 4×0 sobre o Sunderland pelo Campeonato Inglês (instante 01min10s):