Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "real madrid"

Gols de bicicleta - As mais famosas 'chilenas' da história

23 de agosto de 2011 11

O ESPETACULAR (alô Fernando Carvalho) gol de Leandro Damião contra o Flamengo no último domingo me fez relembrar golaços históricos de bicicleta.

Daqueles clássicos, sem discutir, a bicicleta imortalizada por Leônidas da Silva. Também conhecida como “chilena”, a jogada é uma das mais espetaculares deste esporte.

Sem muitas delongas, vamos à alguns dos mais famosos:

  • Hugo Sánchez – México – Real Madrid 2×1 Logroñes – Campeonato Espanhol 1987/88

  • Wayne Rooney – Manchester United 2×1 Manchester City – Campeonato Inglês 2010/2011

  • Marco Van Basten – Holanda – Ajax 3×1 Den Bosch – Campeonato Holandês 1986/87

  • Rivaldo – Brasil – Barcelona 3×2 Valencia – Campeonato Espanhol 2000/01

  • Leandro Damião – Brasil – Internacional 2×2 Flamengo – Campeonato Brasileiro 2011

HISTÓRIA DO FUTEBOL - Site com fotos raríssimas e sensacionais

01 de abril de 2011 0

Imagens raras, momentos históricos do futebol mundial. Ou lances desconhecidos de atletas que há muito já se foram. Mais de um século de imagens obtidas em um arquivo pessoal mantido por jornalistas ingleses estão disponíveis na internet.

Por uma indicação do amigo de longa data Alexandre Aníbal, conheci o site de imagens ‘The Football Archivist“, “O Arquivo do Futebol” em uma tradução literal do inglês.

O site é simplesmente espetacular. São mais de 100 fotos entre 1893 e 1982, se eu não me engano. Não vou ficar enrolando, apenas colocarei abaixo algumas das imagens mais legais. Como não consegui deduzir se posso usar as imagens ou não, deixei apenas os links.

Transferências: as maiores negociações da temporada 2010

29 de dezembro de 2010 1

A temporada 2010 está terminando no futebol mundial. Então é a hora das famosas ‘listas’ (uma obsessão de Nick Hornby), e uma delas é tradicional aqui no Almanaque Esportivo: as maiores transferências do futebol mundial neste ano.

Todas elas ocorreram no Mercado de Verão europeu, algumas antes e outras após o Mundial da África do Sul.O jogador mais caro foi o artilheiro da Copa do Mundo, o espanhol David Villa, que deixou o Valencia para o Barcelona por 40 milhões de euros.

Chama a atenção o fato de que 25% da lista se referem aos cinco jogadores comprados pelo Manchester City, todos com valores inflacionados e com custo benefício altamente discutível. Porém o objetivo do City, cujo dono é o bilionário Sheikh Mansour bin Zayed bin Sultan Al Nahyan, é gastar agora antes que as regras de ‘fair-play‘ econômico (que impedem grandes dívidas) sejam implementadas, a partir da próxima temporada.

Quatro brasileiros estão na lista: Ramires (7º), Carlos Eduardo (12º), Robinho (13º) e Diego (18º). A de Robinho impressiona pois o valor pago foi pelo empréstimo até o final do contrato dele com o Manchester City, recorde mundial.

Em colossal crise financeira, o espanhol Valencia foi o time que mais arrecadou, com quase 70 milhões de euros vendendo os homônimos David Silva e David Villa. Curiosamente, nenhuma das vendas de 2010 entraria no ranking das 10 maiores de todos os tempos, que começa em 45 milhões de euros com o brasileiro Ronaldo indo para o Real Madrid.

Jogador País Pos Origem Destino Valor
1 David Villa ESP A Valência Barcelona 40.000.000 €
2 Yaya Touré CM M Barcelona Manchester City 30.000.000 €
3 Mario Balotelli ITA A Internazionale Manchester City 29.500.000 €
4 David Silva ESP M Valência Manchester City 28.750.000 €
5 Angel Di Maria ARG M Benfica Real Madrid 25.000.000 €
6 Aleksander Kolarov SER D Lazio Manchester City 22.700.000 €
7 Ramires BRA M Benfica Chelsea 22.000.000 €
8 Yoann Gourcuff FRA M Bordeaux Olympique Lyon 22.000.000 €
9 James Milner ING M Aston Villa Manchester City 22.000.000 €
10 Bruno Alves POR D Porto Zenit 22.000.000 €
11 Javier Mascherano ARG M Liverpool Barcelona 20.000.000 €
12 Carlos Eduardo BRA M Hoffenheim Rubin Kazan 20.000.000 €
13 Robinho BRA A Manchester City Milan 18.000.000 €
14 Mesut Özil ALE M Werder Bremen Real Madrid 18.000.000 €
15 André-Pierre Gignac FRA A Toulouse Olympique Marselha 16.000.000 €
16 Asamoah Gyan GHA A Rennes Sunderland 16.000.000 €
17 Leonardo Bonucci ITA D Bari Juventus 15.500.000 €
18 Diego BRA M Juventus Wolfsburg 15.500.000 €
19 Loic Rémy FRA A Nice Olympique Marselha 15.500.000 €
20 Milos Krasic SER M CSKA Moscou Juventus 15.000.000 €

VEJA TAMBÉM:

As 10 maiores transferências do futebol mundial de todos os tempos (até 2009):

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/06/13/as-10-maiores-transferencias-e-o-resultado/

As 20 contratações mais caras de 2009/2010

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/09/21/as-20-contratacoes-mais-caras-de-20092010/

Pesquisa aponta as maiores torcidas da Europa

11 de dezembro de 2010 0

O ranking abaixo mostra apenas os times com maior torcida no continente europeu. Neste, o Barcelona é líder disparado com quase o dobro do segundo colocado, o arquirrival Real Madrid. Os times ingleses também estão bem, com Manchester United, Chelsea, Arsenal e Liverpool entre os dez primeiros.O levantamento é da empresa alemã de marketing esportivo Sport+Markt

Outrora soberana, a Juventus caiu muito de participação em virtude dos últimos escândalos e crise técnica da década atual. Surpreende a ótima participação dos times da Rússia (sede do Mundial de 2018), com Zenit, CSKA e Spartak entre os mais citados.

As maiores torcidas da Europa - Reprodução Sport+Markt

1. Barcelona-ESP – 57,8 (milhões de torcedores)
2. Real Madrid-ESP – 31,3
3. Manchester United-ING – 30,6
4. Chelsea-ING – 21,4
5. Bayern Munique-ALE – 20,7
6. Arsenal-ING – 20,3
7. Milan-ITA – 18,4
8. Internazionale-ITA- – 17,5
9. Liverpool-ING – 16,4
10. Juventus-ITA – 13,1
11. Zenit-RUS – 12,6
12. CSKA Moscou-RUS – 10,5
13. Spartak Moscou-RUS – 9,0
14. Olympique Marselha-FRA – 7,8
15. Ajax-HOL – 7,1
16. Galatasaray-TUR – 6,8
17. Olympique Lyon-FRA – 6,6
18. Fenerbahce-TUR – 6,1
19. AS Roma-ITA – 6,0
20. Dínamo Kiev-UCR – 5,3

Outro aspecto relevante é o número de torcedores dentro do próprio pais, mostrado na figura abaixo:

Nova 'Lei Beckham' afetará apenas os cinco jogadores mais bem pagos na Espanha

28 de dezembro de 2009 0

Os cinco maiores salários do futebol espanhol vão ter que renegociar contratos. Em novembro, falei que a ‘Lei Beckham’, que isentava os grandes salários de estrangeiros na Espanha (em particular das grandes estrelas do futebol espanhol) de alíquotas elevadas no Imposto de Renda, seria modificada. E com ela desapareceriam as grandes regalias para Barcelona e Real Madrid competirem com vantagens contra times de outros países.

A lei recebe este nome pois o astro inglês David Beckham foi o primeiro beneficiado pela introdução desta regulamentação, em 2004, recebendo alíquota reduzida sobre seu milionário salário no Real Madrid.

De fato, ocorreu a mudança citada por mim no mês passado, mas a lei não foi abolida como o governo queria. Por pressão dos clubes, que imaginavam perdas estratosféricas. Apenas todos os atletas que ganham mais de 600.000 euros MENSAIS serão afetados.

Parece muito? E é mesmo, tanto que apenas cinco jogadores serão afetados. São eles: o argentino Lionel Messi, o brasileiro Kaká, o português Cristiano Ronaldo, o sueco Zlatan Ibrahimovic e o francês Thierry Henry. A medida apenas irá prejudicar as contratações “galáticas” de Barça e Real Madrid, sem no entanto afetar compras de “segundo escalação”. 

VEJA TAMBÉM:

Mudança no regime tributário pode tirar estrelas da Espanha

Fiasco histórico do Real Madrid ainda repercute na Espanha

28 de outubro de 2009 0

“Pedimos perdón al madridismo” – Esta é a manchete principal do Marca, maior jornal esportivo da Espanha. Tudo isto depois do vexame histórico do Real Madrid, que levou inacreditáveis 4×0 do Alcorcón, da TERCEIRA DIVISÃO, em jogo válido pela Copa do Rey 2009/10. O sexto colocado do grupo 2 da Segunda División B marcou três vezes no primeiro tempo e outra vez no segundo tempo.

“Los Galáticos“, como são conhecidos pela política de estrelas contratadas pelo presidente Florentino Pérez, de volta ao cargo nesta temporada, foram chamados de “Los Ridículos” no Marca. O jornal rival AS, de Barcelona, se deitou “Ridiculo del siglo” (“Fiasco do século”). A imprensa inglesa também não poupou o time espanhol: “Real Madrid perde para time de vila“, declarou a BBC.

Agora o Real Madrid precisará evitar o maior vexame em décadas e vencer por 5×0 o Alcorcón no jogo de volta. Se tomar um único gol, terá que vencer por 6×1. O Real Madrid não jogou com titulares, é claro, mas também não foi um time reserva horroroso, e tinha cinco titulares na escalação: Dudek; Arbeloa, Albiol, Metzelder, Drenthe; Mahamadou Diarra, Guti (Gago, min,46), Van der Vaart; Granero (Marcelo, min.63); Raúl (Van Nistelrooy, min. 72) e Benzema.

O sempre exagerado e madrilista Marca inclusive afirma que Jorge Valdano poderá substituir o treinador Manuel Pellegrini, criticado pelo começo ruim na Liga dos Campeões e em declínio no Campeonato Espanhol. Mas isto é pouco provável.

Por enquanto.

Real Madrid: Os "Novos Galáticos" vão dar certo?

10 de junho de 2009 10

EDITADO: Este post foi antes da contratação de Cristiano Ronaldo. Finalmente o gajo português vai realizar seu desejo de jogar com a camisa `merengue`. Aumentam as chances de uma debandada geral holandesa, mas até agora nenhum reforço para a zaga…

Na minha opinião: não. Até o momento o Real Madrid mostra que seguirá com os arroubos ofensivos do presidente Florentino Pérez, eleito após comandar o clube por meia década no início deste século.

A contratação do cracaço brasileiro Kaká, que resultou em um investimento de 65 milhões de euros, irá render só no primeiro ano 72 milhões de euros em marketing e venda direta de produtos, além de exposição de mídia. Aliás, Kaká preferia ficar no Milan mas foi persuadido pelos dirigentes do Milan, em sérias dificuldades financeiras e uma dívida de quase 100 milhões de euros.

A política dos “Galáticos” que começou em 2000 com a contratação de Luís Figo ao arquirrival Barcelona e se seguiu às contratações de Zinedine Zidane no ano seguinte, Ronaldo em 2002 e David Beckham em 2003. Um craque por ano, não importa se o time precisava ou não daquele jogador.

O time, no ano de seu Centenário, conquistou a Liga dos Campeões pela última vez em 2002, conquistando ainda a Copa Intercontinental sobre o Olímpia. Foi o terceiro título europeu em cinco anos (ganhou ainda em 1998 e 2000). O problema é que o Real Madrid parece ter esquecido das lições desta época.

O time `merengue` só conquistou o continente naquela época porque tinha um sistema defensivo de boa qualidade, no qual tinha o jovem Iván Helguera e o veterano Fernando Hierro, além de laterais que marcavam direito (na época) como Michel Salgado e Roberto Carlos. O defensivo volante francês Claude Makélélé e o polivalente argentino Santiago Solari protegiam a zaga para que Figo, Zidane armassem o jogo para os atacantes Fernando Morientes e Raúl.

Foi em uma defesa razoável para boa que o Real superou duas fases de grupo sempre em primeiro lugar, levando 10 gols em 12 jogos. Nos mata-mata, despachou Bayern de Munique (algoz no ano anterior) e o arquirrival Barcelona (nos `clássicos do século`).

Até chegar à decisão em Hampden Park, Glasgow, o Real só levou três gols antes de superar a zebra Bayer Leverkusen na decisão por 2×1. Sim, o jogo do gol mítico de Zidane e das três espantosas defesas de Casillas, que entrou no segundo tempo e fez 3 defesas incríveis em menos de um minuto.

Desde então, o Real Madrid foi uma sucessão de fracassos na Liga dos Campeões. A insistência do presidente Florentino Pérez em não pagar salários elevados para defensores custou caro: a saída de Makelele e a aposentadoria de Hierro foram cruciais para o declínio a partir de 2003. Na temporada seguinte, após cair nas semifinais, o time espanhol encerrou o ciclo de seu capitão Fernando Hierro e dispensou o técnico Vicente del Bosque. A partir deste momento,

Liga dos Campeões - Finais de 2002, 2003 e 2004

26 de maio de 2009 0

2002 – Zidane e Casillas: supremos! – Real Madrid 2×1 Bayer Leverkusen

Real Madrid e Bayer Leverkusen chegavam à decisão no lindíssimo Hampden Park, em Glasgow, vivendo momentos diferentes. O Bayer era líder do Alemão, finalista da Copa da Alemanha e da Liga dos Campeões, mas conseguiu perder as decisões domésticas e só a Liga poderia salvar uma derrocada final do time do zagueiro brasileiro Lúcio, do meia Michael Ballack e do atacante Oliver Neuville. Nas quartas, o Bayer eliminou o Liverpool. E nas semifinais, em um jogaço, bateu o Manchester United. Já o Real, octacampeão europeu, vinha embalado por ótima campanha na Liga, no primeiro ano dos ‘Galáticos’ de Florentino Pérez. Jogadores do quilate de Zinedine Zidane, Figo, Raúl, Roberto Carlos e Fernando Morientes defendiam o time merengue. Nas quartas, o Real superou o então campeão Bayern e nas semis, o arquirrival Barcelona, com sobras.

O jogo: foi um jogaço! Para compensar a chatice de 2001, Real e Bayer fizeram uma partida fenomenal, de alta ofensividade e muitas conclusões a gol. Logo no início do jogo, Raúl fez 1×0 para os madrilenhos. Mas o brasileiro Lúcio empatou logo depois, 1×1. Então, no final do primeiro tempo, o momento mágico: Zidane pega de sem-pulo, da entrada da área e acerta o ângulo do goleiro Hans Butt. O francês assina uma obra-prima e faz o gol mais bonito das finais de Liga deste milênio. No segundo tempo, o goleiro espanhol César sai machucado, entrando o então jovem Iker Casillas, ainda se firmando no time principal. Com três defesas monumentais, o garoto segura a pressão dos alemães e garante a vitória do Real Madrid, campeão europeu pela nona (e até agora, última), vez.

Gol antológico de Zinedine Zidane, garantindo o título:


2002 (May 15) Real Madrid (Spain) 2-Bayer… por sp1873


Casillas fechando o gol após entrar no Segundo tempo:

2003 - Mais italiano (e chato), impossível! - Milan (4) 0×0 (3) Juventus

Pela primeira vez na história, dois times italianos decidiram o título da Liga no Old Trafford, em Manchester. Milan e Juventus fizeram um dos jogos mais chatos de todos os tempos, um 0×0 murrinha decidido somente nas penalidades. O Milan começava naquela temporada a base da equipe que seria vice-campeã européia em 2005 e campeã da Europa e do Mundial em 2007. Já a Juventus não estava tão forte tecnicamente, e dependia muito do talento do eterno Alessandro Del Piero,do tcheco Pavel Nedved e da sólida defesa bianconera. Nas quartas, os “rossoneri” bateram o Ajax e a arquirrival Internazionale nas semis, enquanto a Juventus superou a dupla espanhola Barcelona e Real Madrid

O jogo: a decisão foi tão ruim que eu só vou por os melhores momentos da disputa de pênaltis. Durante 120 minutos, Milan e Juventus alternaram um “catenaccio” horroroso, ambos com medo de perder. Nas penalidades, um show do brasileiro Dida, que pegou as cobranças de Trezeguet, Birindelli e Montero. Pelo Milan, Seedorf e Nesta desperdiçaram, mas o ucraniano Andriy Shevchenko converteu a quinta cobrança e selou a conquista. Milan, campeão europeu pela sexta vez. Seedorf e Ancelotti comemoraram de maneira especial: o craque holandês foi o 1º a conquistar a Europa por três times diferentes (havia vencido por Ajax e Real Madrid), enquanto o treinador sentiu-se vingado, pois havia sido demitido da Juventus dois anos antes.


2004 – O que está acontecendo aqui? – Porto 3×0 Monaco

Quando terminou o ano de 2004, a pergunta era: até quando vão continuar as zebras? Afinal, a Grécia era campeã européia, o Santo André campeão da Copa do Brasil, o Once Caldas era campeão da Libertadores. Mas tudo isto havia começado lá na Liga dos Campeões, quando as surpresas foram muito longe. Já na primeira fase, caíram Internazionale e Lazio. Nas oitavas, o Porto e o Deportivo La Coruña eliminaram Manchester United e Juventus. Nas quartas, o Monaco, o La Coruña e o Chelsea (então ‘pobre’) se classificaram sobre Real Madrid, Milan (de maneira incrível, revertendo um 4×1 para 4×0) e Arsenal. Nas semis: Porto x La Coruña e Monaco x Chelsea. Portugueses e franceses se classificaram para a final na Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen. E deu a ‘menos’ zebra, o Porto.

O jogo: Treinado pelo estrategista José Mourinho, o Porto não deu nenhuma chance para o Monaco, do novato treinador Didier Deschamps. Ainda no início do jogo, Ludovico Giuly (o principal jogador do time francês ao lado de Fernando Morientes) saiu de campo com lesão muscular. O Porto, que tinha o zagueiro Ricardo Carvalho e o meia Deco como principais destaques, fez 1×0 com o também brasileiro Carlos Alberto aos 39 do 1º tempo. Na etapa complementar, o Monaco se atirou para o ataque e foi castigado em dois lances: Deco fez 2×0 aos 26 minutos, e o russo Dmitri Alenichev fechou o placar quatro minutos depois. Reprisando 1987, a Europa era lusitana novamente. E do Porto.


2004 (May 26) Porto (Portugal) 3-AS Monaco… por sp1873

Ainda hoje – Finais de 2005, 2006 e 2007

Liga dos Campeões - Finais de 1999, 2000 e 2001

25 de maio de 2009 0

1999 – A mais dramática de todas as finaisManchester United 2×1 Bayern de Munique

Com campanhas irretocáveis, Manchester United e Bayern de Munique chegaram à decisão no Camp Nou, em Barcelona. De um lado, o experiente time do Bayern, treinado por Ottmar Hitzfeld e com estrelas do porte de Lothar Mattheus, Mario Basler, Steffan Effenberg e Oliver Kahn. Do outro, a “Class of 92″ de Alex Ferguson (então sem o Sir no nome), de David Beckham, Peter Schmeichel, Ryan Giggs, Roy Keane (suspenso na final), Andy Cole e Dwight Yorke. O Manchester superou a Internazionale e uma poderosa Juventus nas fases de mata-mata (o segundo jogo em Turim foi uma antológica virada de 3×2 depois de sair perdendo por 2×0). Já o Bayern superou o fraco rival Kaiserslautern e a zebra Dínamo Kiev (na qual surgia o ucraniano Andriy Shevchenko) antes de chegar à final.

O jogo: Aos cinco minutos de jogo, o Bayern fez 1×0 com um gol de Mario Basler, de falta contando com desvio na barreira. Os 85 minutos foram de puro nervosismo dos dois times, com duas bolas no travessão pelo Bayern e uma pelo Manchester. Anulados pelo quase impecável sistema defensivo alemão, Cole e Yorke foram substituídos por Teddy Sheringham e Ole Solskjaer. Aos 45 do 2º tempo, Sheringham desviou chute de Giggs e empatou. E, mais incrível: o norueguês Solskjaer virou dois minutos depois, para desespero dos alemães e júbilo eterno dos ingleses. Era a Tríplice Coroa: Campeonato Inglês, Copa da Inglaterra e Liga dos Campeões.


Champions League Final Manchester United Vs… por f100000727806511

2000 – Um passeio merengue – Real Madrid 3×0 Valencia

Desproporcional. Assim podemos resumir a decisão de 2000 entre o multicampeão Real Madrid e o aspirante Valencia, no monumental Stade-de-France, em Saint Denis, França. O caminho: O Real Madrid era um time em absoluta crise em janeiro de 2000. O treinador Vicente del Bosque, visto como um interino, estava demissionário tendo em vista uma péssima campanha no Espanhol (em 15 jogos só tinha vencido cinco até janeiro). Na segunda etapa da temporada, reagiu e conseguiu bater o então campeão Manchester United nas quartas, o vice-campeão Bayern nas semis. Já o Valencia superou a Lazio e o Barcelona até a decisão, time no qual brilhavam o meia Gaizka Mendieta, o goleiro Santiago Cañizares e o atacante argentino Cláudio López.

O jogo: Foi um massacre imposto pelos madrilenhos. O Real dominou o jogo do início ao fim contando com uma soberba atuação do argentino Fernando Redondo, e o gol de Fernando Morientes aos 39 minutos, foi consequência disto. No segundo tempo, o inglês Steve McManaman ampliou aos 22, e Raúl, em jogada do brasileiro Sávio, fechou o placar no finalzinho. Real Madrid, campeão europeu pela oitava vez, uma reviravolta impressionante depois de um primeiro semestre desastroso. Del Bosque ainda ficaria mais duas temporadas, conquistando de novo a Europa em 2002 e sendo inexplicavelmente demitido no dia seguinte. Desde então o Real Madrid só deu vexame na Liga…


2000 (May 24) Real Madrid (Spain) 3-Valencia… por sp1873

2001 – Pênaltis e mais pênaltis – Bayern de Munique (5)1×1(4) Valencia

Em um jogo morno, o Bayern de Munique se sagrou tetracampeão europeu ao bater o Valencia nos pênaltis, decisão disputada no estádio San Siro, em Milão. O time espanhol amargou o segundo vice-campeonato consecutivo, enquanto os alemães sumiram com os fantasmas de Barcelona. Ainda com a base de 1999 e comandado por Ottmar Hitzfeld, mas já com o talento do brasileiro Élber (decisivo nos mata-mata contra o Manchester United e Real Madrid, campeões nos dois anos anteriores) e do bósnio Hasan Salihamdzic, o Bayern era o favorito e confirmou a conquista contra os espanhóis de Héctor Cúper.

O jogo: todo ele se resume a pênaltis, pênaltis, pênaltis… O Valencia saiu na frente logo a três minutos, com um gol de Mendieta cobrando…pênalti. O alemão Mehmet Scholl errou um pênalti para o Bayern quatro minutos depois, defendido por Cañizares. O Bayern empatou no início do segundo tempo, adivinhem como? Pênalti cobrado por Stefan Effenberg. Os times, com muitos veteranos, não atacaram depois disto, alternando algumas chances boas com outros momentos enjoados. O jogo foi para uma inevitável disputa de penalidades. O brasileiro Paulo Sérgio e o sueco Patrik Andersson erraram pelo o Bayern, enquanto o esloveno Zlatko Zahovic, o italiano Amedeo Carboni e o argentino Mauricio Pellegrino erraram seus chutes pelo Valencia, dando o título ao Bayern depois de 17 pênaltis no jogo.

REPORTAGEM SOBRE O JOGO

DISPUTA DE PÊNALTIS
http://www.youtube.com/watch?v=aj1odaaP-lU&feature=related
Ainda hoje: Finais de 2002, 2003 e 2004

A `maldição do CenteNADA`: quem se deu bem!

24 de janeiro de 2009 5

Real Madrid campeão no Centenário de 2002: timinho, hein????

Ontem contamos histórias sobre times que foram um fiasco no Centenário de sua fundação. Porém a história possui alguns casos de times que foram campeões neste ano marcado por comemorações especiais. O melhor exemplo vem do Rio de Janeiro, o Vasco da Gama de 1998.

Injetado de dinheiro pela milionária venda de Edmundo para a Fiorentina, o então campeão brasileiro Vasco da Gama montou um time caríssimo para a Libertadores daquele ano. E obteve sucesso!

Com Luizão e Donizete no ataque, e treinado por Antônio Lopes, a equipe de São Januário ganhou com sobras a competição continental. Eliminou o Cruzeiro, o Grêmio e o poderoso River Plate antes de bater facilmente o Barcelona-EQU na decisão. De quebra, o Vasco ainda levou o Estadual de 1998 com folga. E quase ganhou do Real Madrid em Tóquio, perdendo em um jogo duríssimo por 2×1.

Outro time brazuca a se dar bem no Centenário foi o Vitória. O time baiano, então com muito dinheiro, foi campeão estadual em 1999 e ainda levou a valorizada Copa do Nordeste, fazendo ótima campanha no Brasileirão e chegando as quartas-de-final.

No mundo, o Centenário com sucesso mais marcante foi o do Real Madrid, o time mais poderoso do mundo no ano de 2002. Com Zidane, Casillas, Figo, Ronaldo, Raúl, Roberto Carlos & Cia, o timaço espanhol perdeu miseravelmente a Copa del Rey para o Deportivo La Coruña.

Depois ficou em terceiro no Campeonato Espanhol (Valencia campeão) e só sobrou a Liga dos Campeões, justamente o mais difícil. Depois de eliminar o Barcelona (que não ganhou nada no Centenário em 1999 e aguardava ansiosamente por repetir a sina), “Los Merengues” venceram na finalíssima a zebra alemã Bayer Leverkusen (de Lúcio e Ballack) com um golaço antológico de Zinedine Zidane no palco de Saint Denis. CenteNADA? Só para os blaugranas de Barcelona

O Bayern de Munique também foi muito bem em seu Centenário: foi campeão da “Tríplice Coroa” nacional em 2000: do Campeonato Alemão, da Copa da Alemanha e da Copa da Liga Alemã.

Já o Liverpool levou a Copa da Inglaterra em 1992 (seu último título por quase uma década), enquanto a Internazionale de Milão levantou ano passado o `scudetto`, garantindo um raríssimo tricampeonato nacional.

EDITADO: O Martin e o grande amigo Fabrício lembraram bem: o Olímpia foi campeão da Libertadores no ano de seu Centenário, em 2002. E campeão paraguaio também!

Enfim, histórias. Quais serão os destinos de Internacional e Coritiba em 2009?

Dia 31 de dezembro voltamos a conver

Postado por Perin, que lembra do Vasco e do Real…