Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Sebastien Vettel"

F-1: Desobediência de acordo entre pilotos ocorreu com Reutemann, Pironi e Senna

25 de março de 2013 4

As manchetes do GP da Malásia de Fórmula-1 deste domingo rodearam um único assunto:  a ultrapassagem entre Sebastien Vettel sobre Mark Webber, seu companheiro na Red Bull Racing. O que seria uma disputa normal de pista causou impacto porque foi a RBR que pediu para ambos reduzirem o ritmo e “levarem os carros para casa”. Aproveitando-se da diminuição de velocidade de Webber, que liderava na reta final da corrida em Sepang, Vettel passou o companheiro em uma ultrapassagem dura, que durou várias curvas.

Isto causou um profundo mal-estar na equipe, visível após a corrida no pódio, na coletiva, em todos os lugares. Este rolo envolvendo pilotos da mesma equipe não é nenhuma novidade. Vamos contar alguns incidentes, em 1981, 1982 e 1989. São casos diferentes do ocorrido em 2010, no famoso “Fernando is faster than you” para o Felipe Massa, porque neste caso o piloto obedeceu ao jogo de equipe (maiores detalhes neste post).

1981 – CARLOS REUTEMANN X ALAN JONES – WILLIAMS – GP DO BRASIL EM JACARÉPAGUÁ

Em 1981, a Williams mandou o argentino Carlos Reutemann reduzir o ritmo e ceder a vitória no GP do Brasil em Jacarépaguá para o companheiro, então campeão mundial, Alan Jones. Porém Reutemann não o fez, a despeito dos sinais dos boxes e venceu a corrida. Jones sequer apareceu no pódio e Reutemann, que foi sistematicamente mais rápido que o companheiro ao longo da temporada, perdeu o título mundial por um ponto para o brasileiro Nélson Piquet.

Argentino Carlos Reutemann: se negou a fazer jogo de equipe em 1981 - Foto: Reprodução jornal Zero Hora

1982 – DIDIER PIRONI X GILLES VILLENEUVE – FERRARI – GP DE SAN MARINO EM ÍMOLA

Em 1982, um incidente semelhante ocorreu na Ferrari envolvendo o francês Didier Pironi e o canadense Gilles Villeneuve. No GP de San Marino em Ímola, a Ferrari pediu para os dois reduzirem o ritmo e conduzirem para uma dobradinha, Villeneuve em 1º e o Pironi em 2º. Porém o francês derespeitou e gerou uma histórica batalha pela vitória, vencida pelo francês. Os dois, que eram grandes amigos, nunca mais se falaram. Duas semanas depois, Villeneuve morreu em um acidente em Zolder, na Bélgica.
Contei esta história em uma mini-série em 2008: 2008 = 1982? Esperamos que não, parte I e 2008 = 1982? Esperamos que não, parte II

Lendário canadense Gilles Villeneuve: viu o companheiro Didier Pironi descumprir ordem da Ferrari - Foto: Divulgação

1989 – AYRTON SENNA X ALAIN PROST – MCLAREN – GP DE SAN MARINO EM ÍMOLA

A história de 1989 envolveu o brasileiro Ayrton Senna e o francês Alain Prost, também na McLaren e coincidentemente na mesma pista de Ímola em San Marino. Na corrida, Prost largou na pole e Senna em segundo e havia um acordo que, depois da largada, nenhum dos dois tentaria uma ultrapassagem nas primeiras voltas, somente quando a corrida já estivesse estabilizada. Mas na segunda volta Gerhard Berger bateu e pegou fogo na Tamburello (sim, a mesma), e a corrida foi interrompida. Na volta, Senna derespeitou o acordo de cavalheiros e ultrapassou Prost. Totalmente desnorteado, o francês fez uma corrida ridícula. Era o início de uma das mais violentas rivalidades da história da Fórmula-1, também dissecada em 2008: Os grandes duelos da F-1: Senna vs. Prost e este de 2007: Os brazucas não são santos… Senna vs. Prost

Senna descumpriu 'acordo de cavalheiros' contra Prost em 1989 - Foto: Marlboro Divulgação

F1-2012 - GP da Malásia: Alonso tira mais um coelho e Pérez brilha de novo!

26 de março de 2012 0

O GP da Malásia começou, para variar, com chuva. Afinal, qualquer pessoa com alguma cultura geral sabe que no final da primavera o vento vira e passa a soprar do mar para o continente nesta região (a Ásia de Monções) e as chuvas são extremamente frequentes no final de tarde. Mas como o Tio Bernie Ecclestone não está nem aí, tivemos uma corrida de 10 voltas, bandeira vermelha por 1h10min, e retorno da ação na sequência, com pista molhada.  O risco de repetir a corrida de 2009, que durou menos que a metade, foi forte.

A corrida foi, digamos, esquisita. Quem, em sã consciência, imaginaria uma vitória do Fernando Alonso com esta Ferrari deprimente? É claro que a parada para trocar os pneus beneficiou Alonso e Sérgio Pérez (o melhor da corrida), mas ainda assim o ritmo de corrida de ambos foi surpreendente. Alonso se deu bem ao ficar mais uma volta com pneus de chuva antes de trocar pelos intermediários!

Mais uma vez Lewis Hamilton foi o mais rápido nos treinos, e não conseguiu manter o ritmo na corrida, enquanto Jenson Button teve uma prova lamentável, que incluiu até erros grosseiros de pilotagem. Já Felipe Massa… Bom, na minha opinião o rendimento dele desde o GP da Alemanha de 2010 é motivo de demissão, jamais teria renovado contrato.

Enquanto isto, a nova geração faz bonito: Jean-Eric Vergne fez outra boa prova e marcou pontos, enquanto David Ricciardo teve seus momentos. Bruno Senna, depois de mais uma péssima largada, fez corrida muito segura em sua boa Williams e terminou em sexto. Teria ficado na frente do companheiro Pastor Maldonado, que também foi bem, mas este novamente teve problemas nas voltas finais (motor).

O campeonato segue totalmente indefinido, sem favoritos. A Red Bull fez uma corrida ruim, com Sebastien Vettel andando apagado no pelotão inicial. Mas a temporada européia, a que normalmente indica tendências, ainda está longe de começar.

Próxima parada? Xangai, China em três semanas!

Show de Fernando Alonso em Kuala Lumpur - Foto: SAEED KHAN / AFP

Vamos aos prêmios?
  • Troféu “Jim Clark” - Sérgio Pérez, disparado, repetindo a premiação do GP da Austrália. Menção honrosa para Fernando Alonso, que levou uma horrível Ferrari à uma inesperada vitória.
  • Troféu “Rouge & Blanc” – Para Bruno Senna, que largou mal, foi lá para trás depois de um toque com Pastor Maldonado, e chegou na ótima sexta colocação.
  • Troféu “Chris Amon” – Repetindo a Austrália, de novo Pastor Maldonado. Desta vez o motor lhe deixou na mão faltando duas voltas.
  • Troféu “Fiofó de Ouro” – Nico Hulkenberg, que fez uma corrida apagada e ainda assim ganhou um pontinho com a quebra de Maldonado no final.
  • Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” - Felipe Massa, em um final de semana humilhante, ‘coroado’ com a vitória do companheiro de equipe.
  • Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - To pensando em excluir este prêmio e só dar ele eventualmente. Se bem que no meio da temporada começam as bobagens.
  • Troféu “Dick Vigarista” - Muito feio, sr. Jenson Button. Mereceu pela batida tosca com a Hispania.

    VEJA TAMBÉM
  • GP DA MALÁSIA 2010: Até que enfim, heinhô Vettel?
  • GP DA MALÁSIA 2009: Button vence a `meia-prova`
  • PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F-1 2012

F1-2012 - GP da Austrália, e o passeio das McLaren

22 de março de 2012 0

A temporada 2012 da Fórmula-1 começou de maneira arrasadora para as McLaren-Mercedes. Só não foi um passeio maior pela desastrada estratégia de pit-stops que tirou a dobradinha de Jenson Button e Lewis Hamilton, beneficiando o bicampeão Sebastien Vettel. O time de Woking dominou todos os treinos e a classificação, largando nas duas primeiras posições.

As corridas no Albert Park normalmente são divertidas. Esta foi em nível médio de animação, teve alguns bons momentos mas principalmente um domínio total da McLaren. Uma pena que a ótima corrida do Pastor Maldonado tenha terminado em um acidente, sozinho, na última volta.

E o Felipe Massa, hein? Que corrida horrorosa, desde os treinos, passando pela apática corrida e finalizando com um acidente facilmente evitável com Bruno Senna. Tá correndo sério risco de passar no Departamento Pessoal da Ferrari… E se não melhorar, ainda no meio da temporada.

Só não foi dobradinha porque um safety car beneficiou Vettel e tirou Hamilton do segundo lugar, que teve uma atuação bem apagada e só aproveitou os abandonos à sua frente.

McLarens sobraram na Austrália - Foto: Torsten Blackwood / AFP

PRÊMIOS GP DA AUSTRÁLIA 2012

  • Troféu “Jim Clark” Sérgio Perez, que mostrou ousadia e regularidade saindo da 22º colocação para o 8º lugar. Foi superior inclusive ao inglês Jenson Button.
  • Troféu “Rouge & Blanc” - Pastor Maldonado, que fez ótima corrida e lutou muito pelos pontos, mas bateu no finalzinho e ficou de fora dos dez primeiros.
  • Troféu “Chris Amon”Jean-Eric Vergne, que fez boa corrida com a STR e chegaria em 9º lugar, mas perdeu duas posições com o acidente de Pastor Maldonado e terminou em 11º lugar.
  • Troféu “Fiofó de Ouro” – Justamente para o companheiro de Vergne, Daniel Ricciardo, que fez dois pontos na última volta e terminou em 9º lugar.
  • Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements”Felipe Massa em um dos seus piores finais de semana da carreira. Fez tudo errado, completando com uma batida estúpida com o compatriota Bruno Senna.
  • Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - Todo mundo comportado.
  • Troféu “Dick Vigarista” - Pessoal andou comportado, os acidentes foram de corrida.

VEJA TAMBÉM

GP DO CANADÁ: Vettel 'inaugura os trabalhos' no Muro dos Campeões

10 de junho de 2011 0

O já lendário “Muro dos Campeões” fez sua primeira vítima na temporada 2011 da Fórmula-1. O campeão Sebastien Vettel acertou a mureta na reta dos boxes do circuito de Montreal, nos treinos livres do GP do Canadá. Vettel nada sofreu, mas repetiu o que já ocorreu com diversos pilotos campeões mundiais da F-1 e de outras categorias. Ele nada sofreu.

O "Muro dos Campeões" em Montreal

Em uma só edição, 1999, Jacques Villeneuve, Damon Hill e Michael Schumacher acertaram o muro no mesmo lugar. Ali, outros pilotos campeões em categorias distintas também já foram ‘abençoados’: Nico Rosberg (GP2), Ricardo Zonta (F-3000), Jarno Trulli (F-Ford Inglesa), David Coulthard (F-3), entre outros. Vejam a compilação:

GP DA ALEMANHA: Hoje não... Hoje não... Hoje sim... DE NOVO!

25 de julho de 2010 26

Fernando Alonso venceu pela segunda vez na temporada (a 1° foi na corrida de abertura da temporada), em mais um GP de Fórmula-1 marcado pela polêmica. Uma escandalosa ordem de equipe para Felipe Massa deixar Alonso passar na volta 49°, abriu caminho para a vitória do espanhol.

Em terceiro Sebastien Vettel que jogou fora a vitória após uma largada ridícula na qual saiu devagar e ainda espremeu perigosamente Alonso no muro, perdendo a posição para os dois da Ferrari.

A corrida transcorreu em vários tons de monotonia e teve pouca emoção, mas com quatro pilotos se esforçando depois de duplos acidentes envolvendo as duas Toro Rosso e as duas Force India, uma batendo na outra e todos permanecendo na prova. Rubens Barrichello se atrapalhou na largada e depois não conseguiu superar os carros à sua frente, terminando fora dos pontos depois de duas ótimas corridas.

Já o líder do campeonato Lewis Hamilton fez uma boa prova e chegou em quarto, seu máximo possível diante das circunstâncias. Foi beneficiado pela péssima prova de Mark Webber, que chegou em sexto, e pelo desempenho mediano de Jenson Button. Os dois da McLaren seguem na frente.

Fim do assunto da corrida, vamos a polêmica. Achei estranhíssimo selecionarem um trecho do Alonso quase inaudível, pois normalmente escolhem comunicações do engenheiro para o piloto. Quando ele falou eu pensei ter ouvido o ‘it’s ridiculous’. Tive certeza quando o Luciano Burti disse que não ia se complicar pois pode não ter entendido direito.

Algumas voltas depois, Massa ouviu claramente do seu engenheiro, Rob Smedley que Alonso era mais rápido: “Fernando está mais rápido que você. Você confirma que ouviu a mensagem?” . Na volta 49, após o grampo Massa acelerou a meia-força e deixou Alonso passar. Um patético “Desculpe” veio do mesmo engenheiro logo após a ultrapassagem. No final da prova, o mesmo engenheiro disse que Massa foi “magnânimo”.

Ele foi irônico e sua contrariedade após a corrida na coletiva oficial: “Bom, não preciso dizer nada sobre isso. Não cometi erro, ele me passou. A única coisa que sinto é que estávamos trabalhando pela equipe, e isso é o mais importante”

Sendo objetivo:

  • As chances de Alonso ser campeão são mínimas, quase 50 pontos atrás. Mesmo que a Ferrari continue ganhando todas as corridas (o que é praticamente impossível na equilibrada F-1 de hoje), a Red Bull e a McLaren teriam que cometer muitos erros e a Scuderia de Maranello nenhuma.
  • Massa tinha todo o emocional a seu favor, primeira corrida liderando, há 1 ano quase morreu.
  • Nem sempre o melhor carro consegue ultrapassar, mesmo que tente
  • Se não ocorre uma punição para a Ferrari, no Artigo 39.1 do Regulamento Esportivo que diz: “Team orders which interfere with a race result are prohibited” (traduzido: “Ordens de equipe que interferem no resultado da corrida são proibidas”).
  • Esta regra do jogo de equipe se não for aplicada hoje, tem que ser banida do regulamento.

    A Ferrari acaba de ser convocada para explicações aos comissários de prova, mas não vai dar em nada. Infelizmente.

A IMAGEM DO DIA vem do Twitter: @LucianoBurti Resumindo:  http://yfrog.com/mj6qpj

No Twitter do Luciano Burti quando este escreveu o mesmo que eu ouvi - Reprodução Twitter @LucianoBurti

A comunicação de boxes monitorada pela FIA começou justamente por causa da vergonha doLet’s Michael pass for the Championship no GP da Áustria de 2002 contra o também brasileiro Rubens Barrichello. Pela primeira vez na história da categoria, um vencedor foi vaiado escandalosamente ao final da corrida, assim como o pódio. Vejam de novo:

Em tempo, eu não deixaria o Alonso passar. Que se ralasse. Estou milionário, consigo emprego em outra equipe e estou me lixando. Ou definitivamente está comprovado que existe a “Cláusula Barrichello” nos contratos da Ferrari.

Como disse meu amigo Maurício Neves de Jesus, quando a coletiva é mais importante que a corrida, o esporte está doente. Só a Ferrari consegue fazer uma dobradinha sensacional em algo vergonhoso.

Uma pauta para a amiga Juliana de Brito: qual o papel da imprensa?  Noticia, torcer ou distorcer? A péssima e bairrista imprensa espanhola se superou. O Marca e o AS simplesmente ignoraram a ordem de equipe e o Marca ainda conseguiu dizer que Massa “enfeiou” o triunfo da Ferrari.

A imprensa inglesa reclamou, o sensacionalista alemão Bild disse “vitória fraudulenta sobre Vettel”. E a imprensa brasileira soltou os cachorros. Até a Gazzetta dello Sport criticou a Ferrari pela ordem de equipe.

Envolvidos na categoria também falaram:

Eddie Jordan, ex-dono da equipe Jordan: “Foi ilegal e foi roubo. Eles nos roubaram a chance de ter uma disputa roda-a-roda entre pilotos. A Ferrari deveria ter vergonha”

Niki Lauda, tricampeão mundial de F1 (uma delas pela Ferrari): “Vergonha” 

Christian Hornes, diretor da Red Bull: “Foi a ordem de equipe mais clara que eu já vi. É errado para o esporte. Os pilotos deveriam ter a permissão de disputar. Massa fez o melhor trabalho. Ele estava na liderança e as regras são bastante claras: ordens de equipe não são permitidas.”

Bom, vamos aos prêmios…

PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F1-2010 (copyright by “Buteco Racing“):

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2010/03/17/premiacoes-especiais-na-f-1-2010-do-almanaque-esportivo/

Troféu “Jim Clark” - Para a bela corrida de Felipe Massa, 1 ano após quase morrer no GP da Hungria

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Adrian Sutil, que foi atingido por Vitantonio Liuzzi e mesmo assim passou a corrida inteira andando rápido e tentando ultrapassar os outros.

Troféu “Chris Amon” – Para Lucas di Grassi, que fazia ótima prova para seubs objetivos e andava à frente das Lotus quando quebrou mais uma vez.

Troféu “Fiofó de Ouro” - Para Alonso, por ser piloto de uma equipe que joga contra o esporte, a Ferrari

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” – Para as trapalhadas dos segundos pilotos Jaime Alguesuari e Vitantonio Liuzzi, que acertaram os primeiros pilotos Sebastien Buemi e Adrian Sutil na largada.

Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - Para todos os envolvidos no “Radiogate Ferrari”.

Troféu “Dick Vigarista” - Preciso falar? Ferrari, claro.

VEJA TAMBÉM:

GP DA ALEMANHA 2009: A primeira de Webber na carreira!

GP DA ALEMANHA 2008 – A sorte de Nelsinho Piquet o leva ao pódio

GP DA INGLATERRA: Webber brilha e chuta o balde contra a RBR

16 de julho de 2010 0

Ao contrário do meu amigo de longa data “Ivan Capelli”, achei uma boa corrida o GP da Inglaterra de 2010. Tenho a impressão que o legendário autor do “Blog do Capelli” anda azedim… Deve ser o time dele… Não foi o espetáculo dos últimos anos, mas quem se esforçou conseguiu ultrapassar. E teve de tudo: polêmica, batidas, grandes desempenhos e notórios fracassos.

A vitória foi do australiano Mark Webber, que dominou a corrida de ponta a ponta mesmo sendo claramente prejudicado por sua própria equipe Red Bull Racing. Largou em segundo (explicação abaixo), conseguiu uma arrancada espetacular e assumiu a ponta antes da primeira curva. E no final fez um desabafo que deve ter repercussão nas próximas provas.

A RBR inventou uma asa dianteira nova e trouxe apenas dois exemplares para Silverstone. Sebastien Vettel quebrou o seu e a equipe tirou a de Webber, dando para o alemão por este estar “à frente no campeonato de pilotos“. Além de totalmente deselegante, a medida era muito discutível pois a diferença na tabela era muito pequena. Tanto é que Webber, com a vitória, superou Vettel.

Webber e Vettel, cada um com seu troféu - Crédito: Marcel Marchesi, http://marcelmarchesi.blogspot.com

Após a corrida, o australiano chutou o balde. Falou no rádio com o seu engenheiro: “Nada mal para um SEGUNDO piloto“. Isto foi amenizado pelo dirigente Christian Hornes, mas quero só ver o clima dentro da equipe nas próximas corridas. E se, caso uma situação semelhante ocorra novamente, Webber será privilegiado por estar na frente no Mundial de Pilotos.

 

A corrida foi ainda marcada por mais um pífio desempenho dos pilotos da Ferrari. Fernando Alonso furou o pneu de Felipe Massa, que caiu para o fim do grid. Depois o brasileiro rodou sozinho e jogou fora os míseros pontos que faria, na pior temporada dele na Ferrari.

Antes disto, o bicampeão Alonso, em uma disputa com Robert Kubica, foi espremido para fora da pista e cortou a chincana, ganhando assim a posição do polonês. Os comissários de pista demoraram 10 voltas e puniram Alonso com um drive-through, pois não dava mais para devolver a posição (o polonês abandonou logo depois). Para completar o azar, um safety-car devido a destroços da asa traseira da Sauber do espanhol Pedro de la Rosa entrou justo neste instante, e Alonso caiu lá para o final do grid após cumprir a punição.

Ao final da corrida, o diretor de prova Charlie Whiting disse que falou 3x com a Ferrari que era para Alonso devolver a posição, o que a equipe não concordou e não fez. Minha opinião: a punição foi ridícula, mas a equipe deveria ter discutido isto com Alonso. O dano foi muito pior.

Lewis Hamilton, que normalmente vai bem em casa, fez o máximo que podia e isto lhe manteve na liderança do Mundial de Pilotos, em um belo segundo lugar. Já Jenson Button seguiu sua maré de azar em GP’s na Inglaterra, largou muito mal mas terminou em um ótimo quarto lugar. Entre eles, Nico Rosberg que segue humilhando Michael Schumacher.

Aliás, ocorreu um momento curioso na prova reunindo quase todos os pilotos alemães, um atrás do outro e todos muito próximos: Vettel, Adrian Sutil, Schumacher e Nico Hulkenberg, inclusive estas foram as posições finais da prova do 7º ao 10º lugar.

Vale ressaltar ainda as brilhantes corridas de Rubens Barrichello, que repetiu o GP da Europa de Valencia e terminou em um brilhante 5º lugar, seguido pelo não menos glorioso 6º lugar do japonês Kamui Kobayashi. Vamos aos prêmios?

PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F1-2010 (um copyright by “Buteco Racing“, a pedido dos amigos de longa data):

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2010/03/17/premiacoes-especiais-na-f-1-2010-do-almanaque-esportivo/

Troféu “Jim Clark” - Para Webber, que além de dar um tapa na própria equipe, superou o companheiro mesmo largando do lado sujo da pista.

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Vettel, que foi parar no fim do grid e conseguiu superar vários adversários, chegando em um honroso 6º lugar.

Troféu “Chris Amon” – Para o mesmo Vettel, que teve pneu furado, confirmando o enésimo problema sério na temporada ao longo da corrida: quebras, rodadas, batidas. Está jogando o campeonato mais fora que Mansell fez em 1991…

Troféu “Fiofó de Ouro” – Para Rosberg, que pacientemente foi aproveitando os problemas dos rivais e chegou em um ótimo pódio.

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” – Para os comissários de pista. Fizeram bobagem no GP da Europa e conseguiram repetir a mesma em Silverstone, demorando um século para definir eventuais punições, com consequências desastrosas dentro da prova.

Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - Resolvi mudar o conceito deste prêmio. Agora vai para a melhor frase do final de semana. E neste é “Nada mal para um segundo piloto“, evidentemente de Webber.

Troféu “Dick Vigarista” -Para a Red Bull, que prejudicou claramente Webber e acabou sendo engolida pelo resultado final.Menção desonrosa para outra equipe, a Hispania, com sua decisão ridícula de tirar  Bruno Senna com a justificativa mais patética do mundo para colocar o pay-driver Sakon Yamamoto, que evidentemente ficou no fim do grid.

VEJA TAMBÉM:

GP DA INGLATERRA 2009 – Vettel, o `estraga-prazeres`

GP DA INGLATERRA 2008 – Show de Hamilton em casa!

GP DA EUROPA - Valencia consegue ser pior que Mônaco!

09 de julho de 2010 2

Em protesto contra este lixo de pista, me recuso a comentar mais detalhadamente o GP da Europa, em Valencia. É inadmissível que “belíssimas” e CHATÍSSIMAS corridas como Abu Dhabi e Valencia passem a existir por causa do “gênio” de Hermann Tike, que faz circuitos planos extremamente parecidos entre si e que não permitem ultrapassagens durante a corrida inteira.

Prova vencida facilmente por Sebastien Vettel, e que teve como ponto mais ‘emocionante’ o espetacular acidente de Mark Webber, que decolou na traseira de Heikki Kovalainen. De realmente bacana, a ótima corrida das Williams, sobretudo de Rubens Barrichello, que chegou em 4º lugar. Em compensação, péssima prova das Ferraris.

O acidente de Mark Webber, muito mais rápido que Heikki Kovalainen, gerou o grande susto da temporada. Confesso que segurei a respiração até ver o australiano mexendo a cabeça, felizmente sem sofrer nada.

Kovalainen e Webber fazem strike em Valencia - Print reprodução TV

O outro ponto digno de nota foi mais um equívoco na regulamentação da entrada do Safety Car, que causou uma punição muito branda para nove pilotos. A Ferrari foi bem prejudicada neste aspecto. Lewis Hamilton se deu bem, chegou em segundo lugar e disparou na liderança do Mundial de Pilotos.

PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F1-2010:

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2010/03/17/premiacoes-especiais-na-f-1-2010-do-almanaque-esportivo/

Troféu Jim Clark – Rubens Barrichello, melhor corrida em muito tempo. Justo na pista aonde venceu ano passado. Menção honrosa para Sebastien Vettel, que foi perfeito liderando todo o GP com tranquilidade.

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Kamui Kobayashi, que conseguiu DUAS ultrapassagens nas últimas duas voltas, uma delas sobre o bicampeão Fernando Alonso.

Troféu “Didi Mocó Prize for Technical Achievements” – Para o patético incidente ocorrido na GP2 envolvendo a equipe Coloni e o brasileiro Alberto Valerio. Sobrou para a câmera…




Troféu “Chris Amon”
- Para Nico Hulkenberg, que fez praticamente tudo certo na corrida e, quando os pontos eram certos, viu seu Williams-Cosworth ter problemas mecânicos…

Troféu “Fiofó de Ouro” - Para Mark Webber, por estar vivo depois disto:

Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - Todo mundo comportado

Troféu “Dick Vigarista”
– Para a FIA, que faz uma regra idiota de safety-car e ainda dá uma punição mais ridícula ainda.

VEJA TAMBÉM:

GP DA EUROPA 2009: Enfim, a 100° vitória brasileira!

GP DA EUROPA 2008: Inventaram um Mônaco espanhol…

Amanhã, os treinos para o GP da Inglaterra na sempre desafiadora Silverstone!

GP DO CANADÁ: Obrigado por sua volta, Montreal! Melhor prova de 2010

13 de junho de 2010 0

Como sempre, o GP do Canadá foi sem dúvida a melhor prova do ano até o GP da Bélgica e isto sem chuva alguma. Vencida com maestria por Lewis Hamilton, a corrida no fantástico circuito de Montreal teve ultrapassagens da primeira até a última volta, acidentes, estratégias diferentes e, acima de tudo, brilho individual dos pilotos. Um brilhante retorno do ano sabático de um dos melhores circuitos do mundo.

Hamilton venceu escoltado por Jenson Button, que quase deu o troco do ocorrido no GP da Turquia. Atrás dele, Fernando Alonso que teve reais chances de vencer e somente um erro quase no final da prova custou o segundo lugar. Sebastien Vettel, de novo com problemas de confiabilidade, se segurou em quarto lugar, enquanto o ex-líder de pilotos, Mark Webber, em uma estratégia equivocada de boxes, ficou em quinto.

Felipe Massa bateu no início em Vitantonio Liuzzi, e caiu para último. Ele estava em décimo quando se estranhou com Michael Schumacher e ficou fora dos pontos pela primeira vez no ano. Outro destaque da prova foi o suíço Sebastien Buemi que conseguiu passar da primeira volta e fez uma ótima corrida.

Sebastien Buemi passando o heptacampeão mundial Michael Schumacher - Reprodução http://www.gpupdate.net

Já os outros brasileiros tiveram provas bem ruins: Bruno Senna quebrou quando ia bem, Lucas di Grassi teve problemas no carro e levou cinco voltas e Rubens Barrichello, além de largar mal ainda danificou o bico do carro em incidente não mostrado na TV com Jaime Alguesuari, fazendo mais uma parada. Ficou atrás inclusive do companheiro de equipe Nico Hulkenberg.

Vamos ao prêmios?

PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F1-2010:

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2010/03/17/premiacoes-especiais-na-f-1-2010-do-almanaque-esportivo/

Troféu Jim Clark - De novo para Lewis Hamilton, corrida brilhante do inglês campeão de 2008. Tá muito forte na briga pelo título em sua ressurgente McLaren. Menção honrosa para a corrida de Buemi.

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Vitantonio Liuzzi que caiu para penúltimo e ainda assim terminou em nono lugar. Belíssima prova.

Troféu “Chris Amon” - Para Vettel, que teve problemas nas últimas voltas mais uma vez. Seu companheiro não teve nada disto até agora em 2010. Deve ser castigo pela bobagem do GP na Turquia…

Troféu “Fiofó de Ouro” – Não consigo lembrar de nenhuma ‘sorte’ ao longo da prova inteira. Alguém?

Troféu “Didi Mocó Prize for Technical Achievements” - Para a patética corrida de toda a Williams, do início ao fim.

Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - Todo mundo comportado

Troféu “Dick Vigarista” - Para Vitaly Petrov, que tomou duas punições na prova.


VEJA TAMBÉM COMO FOI O GP DO CANADÁ EM 2008 (em 2009 não teve corrida)

GP do Canadá – A primeira vez de Robert Kubica aonde quase morreu

GP DA TURQUIA: Assim não, né Vettel?

12 de junho de 2010 0

O GP da Turquia, disputado no desafiador circuito de Kurtkoy, foi vencido por Lewis Hamilton, a primeira vitória da temporada. Porém, mais importante que isto, foi a derrota da Red Bull protagonizada (na minha humilde opinião) pelo alemão Sebastien Vettel. Em uma manobra desastrada, faltando apenas 18 voltas, Vettel bateu em seu companheiro Mark Webber e abandonou, jogando o australiano para um terceiro lugar.

A corrida caiu no colo das McLarens, com Hamilton liderando e Jenson Button em 2° lugar. Este tentou uma ultrapassagem espetacular e conseguiu, mas Hamilton ainda deu o troco nas curvas seguintes e recuperou a primeira colocação. Atrás deles, as Mercedes de Michael Schumacher e Nico Rosberg, já atrás do companheiro nas últimas provas.

Na corrida que completava 800 GP’s, a Ferrari foi um desastre. Felipe Massa fez mais uma corrida obscura e Fernando Alonso, que teve problemas nos treinos de novo, ficou logo atrás do brasileiro. De resto, nenhum brilho exceto o polonês Robert Kubica e o russo Vitaly Petrov, que teve o pneu furado por Alonso. Mas fica meu tributo para os 800 GP’s da Ferrari:

As Saubers finalmente terminaram a prova, e Kamui Kobayashi conseguiu os primeiros pontos na temporada. Azar de Jaime Alguesuari, que conseguiu errar na penúltima fora e jogar fora um nono lugar.

Vamos aos prêmios?

PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F1-2010:

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2010/03/17/premiacoes-especiais-na-f-1-2010-do-almanaque-esportivo/

Troféu Jim Clark - Para o vencedor Hamilton por uma corrida soberba e que contou ainda com o habitual arrojo no troco sobre o atual campeão Button.

Troféu Chris Amon – Para  Webber, que nada fez e foi atingido pelo companheiro de equipe Vettel.

Troféu Didi Mocó Prize for Technical AchievementsEste vai para a patética corrida da Ferrari, quase apanhando das Renaults.

Troféu Fiofó de Ouro - Para Kobayashi, que perdeu a posição na antepenúltima volta mas viu Jaime Alguesuari errar e conquistar seus primeiros pontos na temporada.

Troféu Rouge & Blanc – Para Alonso, que mais uma vez lutou por ultrapassagens complicadas e se recuperou de uma má posição de largada.

Troféu Porquê Não Fiquei Com Minha Boca Fechada – Vettel, óbvio, ao chamar o companheiro de ”. Quem fez bobagem foi ele! Vettel chamando Webber de \'maluco\'. Oi? - Getty Images

Troféu Dick Vigarista – Também para Vettel, pelo acidente. E amanhã a corridaça em Montreal, sempre um espetáculo e de volta à categoria depois de um ano sabático! A segunda melhor pista, só perdendo para Spa-Francorchamps!

VEJA TAMBÉM:

GP da TURQUIA: desta vez, não deu para o Massa http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/09/28/gp-da-turquia-desta-vez-nao-deu-para-o-massa/

GP DA TURQUIA 2008 -A CRIAÇÃO DAS ‘PREMIAÇÕES ESPECIAIS’: http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2008/05/12/didi-moco-prize-for-technical-achievements-cia/

GP DE MÔNACO: Webber brilha intensamente no Principado

17 de maio de 2010 1

Uma corrida absolutamente perfeita de Mark Webber marcou o GP de Mônaco desta temporada 2010 da Fórmula-1. O piloto australiano, vivendo seu melhor momento técnico na carreira, repetiu a vitória da semana passada no GP da Espanha e venceu com méritos de ponta a ponta. Foi pole-position e só não completou o “Grand Chelem” (vitória, pole, melhor volta e vitória de ponta a ponta) porque seu companheiro de equipe Sebastien Vettel fez a melhor volta da prova no finalzinho. Aliás, curiosamente ocorreu o inverso no GP do Japão de 2009, quando Webber na penúltima volta fez a melhor volta da prova, tirando a primazia de Vettel.

Mark Webber vence o GP de Mônaco - Foto: Paul Gilham, Getty Images, Divulgação RBR

Depois dele, em uma corrida ofuscada pelo companheiro, chegou o alemão Vettel, que usou a cabeça e fez uma corrida pelos pontos. Os dois pilotos da Red Bull Racing lideram a temporada. Eles foram seguidos no sempre charmoso pódio monegasco pelo polonês Robert Kubica. Mesmo tendo apenas o quinto melhor carro da categoria (atrás de RBR, Mercedes, McLaren e Ferrari), Kubica sistematicamente tem feito grandes corridas e vai se mantendo entre os líderes.

O brasileiro Felipe Massa, em mais uma corrida discreta, chegou em quarto lugar e diminuiu muito pouco sua diferença para o líder. Já Fernando Alonso, que bateu no treino e largou em último, fez corrida estratégica e algum arrojo e chegou em 6° lugar, aproveitando o 1° safety car (de Nico Hulkenberg) para antecipar sua única troca de pneus.

Na corrida foram mostrados algumas vezes Lucas di Grassi, o Timo Glock e o Bruno Senna. Chega a ser ridículo a dificuldade que eles tem para conduzir o carro, totalmente desequilibrado. Fora a Lotus que nem é tão ruim assim e nem assim o Galvão Bueno aquieta (ele que criou o meio minuto de 30s na transmissão hoje). Rubens Barrichello fazia ótima prova depois de um ótimo treino até sua suspensão quebrar e ele jogar fora um 8° lugar.

Vamos aos prêmios?

PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F1-2010:

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2010/03/17/premiacoes-especiais-na-f-1-2010-do-almanaque-esportivo/

Troféu “Jim Clark” – Para Webber, já que fez tudo perfeito no final de semana. Menção honrosa para Kubica.
Webber e Vettel: os favoritos ao título 2010 - Foto: Mark Thompson/Getty Images/ Divulgação RBR

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Alonso, que largou em último e chegou em sexto. Tá certo que só passou carro ruim, mas ao menos passou. E combatividade é a moral deste prêmio.

Troféu “Didi Mocó Prize for Technical Achievements” – Para a estúpida tentativa de ultrapassagem de Jarno Trulli sobre Karum Chandhok, gerando o término da prova sob safety car. Menção desonrosa para a McLaren que esqueceu de tirar uma tampa da circulação de ar no grid, quebrando o carro do ex-líder do Mundial Jenson Button.

Troféu “Chris Amon” - Para o Jenson Button, que abandonou por causa de um erro ridículo da McLaren e sua tampa de refrigeração esquecida.

Troféu “Fiofó de Ouro” – Para Sebastien Buemi, que não fez nada até agora na temporada e achou um pontinho com a punição de Schumacher.

Troféu “Porque Não Fiquei com Minha Boca Fechada” – Para nossa transmissão global, primeiro ouvi os “500 de Esparta”, ao comentar sobre o ator Gerald Butler – veja aqui no You Tube. Logo após, ouvimos um “meio minuto = 20 segundos”.

Troféu “Dick Vigarista” – Para Michael Schumacher (o pai deste prêmio, vejam ao final deste post!), que tentou passar o Alonso após a saída do safety-car mesmo sendo evidentemente proibido. Perdeu 20 segundos, saindo da lista de pontuação. Achei a punição injusta, pois a bandeira verde foi sinalizada e isto foi um erro da direção de prova (artigo 40, ítem 13). Porém como o Ross Brawn já tinha dito para Schumacher tentar ultrapassar na relargada (o que vai contra o regulamento), fica de castigo para a Mercedes.

E que venha, em duas semanas, o GP da Turquia!

Veja também:

GP de MÔNACO 2008 – Hamilton brilha na “Côte d’Azur”
http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2008/05/27/gp-de-monaco-premiacoes-especiais/
GP DE MÔNACO 2009: e dá-lhe Brawn GP de novo!
http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/05/24/gp-de-monaco-e-da-lhe-brawn-gp-de-novo/

Dick Vigarista parte I: 1994
http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2008/06/18/dick-vigarista-parte-i-1994
Dick Vigarista parte II: 1997
http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2008/06/19/dick-vigarista-parte-ii-1997