Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Transferências"

Como criar um boato sobre a transferência de um jogador em cinco passos

31 de agosto de 2011 0

Para hoje, último dia da Janela de Transferências no sentido Brasil – Europa Ocidental, vamos fazer um exercício de imaginação. Como criar um boato de transferência apenas com uma ação, e as suas respectivas reações. Querem um roteiro básico?

1º) Empresário/clube plantam uma notícia bastante ‘sui generis’ em determinados sites que só falam de transferências, envolvendo jogador desejado.

2º) Site do país do atleta envolvido repercute matéria publicada no Exterior. Sites locais não o fazem, pois conhecem a fama.

3º) Site no exterior  repercute matéria da imprensa brasileira, gerando uma ponta de confiança na informação, outrora quase ridicularizada.

4º) Site brasileiro cita matéria na imprensa italiana, aumentando ainda mais a ‘confiabilidade’. O círculo de confiança aumenta.

5º) Boato criado e com todo um embasamento de ‘verdade’


OBS:
já fiz isto há alguns anos atrás.

VEJA TAMBÉM TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS

Janela de Transferências - Gilberto Silva pode jogar antes de agosto

24 de maio de 2011 1

Entrou com força a discussão sobre a Janela de Transferências, especialmente para o caso do volante Gilberto Silva, novo contratado do Grêmio. Na minha opinião, por ele ter encerrado o contrato no dia 30 de junho com o Panathinaikos da Grécia, não se aplicaria o regulamento das Janelas de Transferências.

No artigo seis do documento oficial da FIFA, fica clara a exceção para jogadores com o passe livre. A FIFA não quer que atletas sem contrato sejam impedidos de trabalhar, vai contra qualquer regulamentação trabalhista. Ela apenas controla as transferências, pois para haver uma transferência é necessário um contrato em vigor.

Gilberto Silva só em agosto? Não é o que eu penso - Franck Fife, AP

CONFIRA ABAIXO O TEXTO ORIGINAL:

Article 6 Registration periods
1. Players may only be registered during one of the two annual registration periods fixed by the relevant association. As an exception to this rule, a professional whose contract has expired prior to the end of a registration period may be registered outside that registration period. Associations are authorised to register such professionals provided due consideration is given to the sporting integrity of the relevant.

The first registration period shall begin after the completion of the season and shall normally end before the new season starts. This period may not exceed twelve weeks. The second registration period shall normally occur in the middle of the season and may not exceed four weeks. The two registration periods for the season shall be communicated to FIFA at least 12 months before they come into force. FIFA shall determine the dates for any association that fails to communicate them on time.

Tradução livre do trecho em vermelho:

“…Como exceção à esta regra, um profissional cujo contrato expirou antes do fim da janela pode ser registrado fora do período de janela…”

Vamos aos fatos:

- Transferências nacionais são de responsabilidade da CBF e internacionais seguem as regras da FIFA.

  • Existem duas janelas de transferências internacionais, regulamentadas pela FIFA. Cada confederação escolhe a que vai cumprir.
  • Um mesmo jogador não pode fazer duas transferências internacionais para três times diferentes em um ano (a não ser que sejam em temporadas com início e fim diferentes, do tipo Brasil e Europa).
  • Jogadores dos grandes centros europeus NÃO PODEM se transferir para o futebol brasileiro entre 1° de fevereiro e 31 de maio; e depois entre 1° de setembro e 31 de dezembro.
  • Jogadores com passe livre podem ser inscritos fora da janela, respeitando apenas os períodos de inscrição nos campeonatos nacionais.
  • A janela de transferência é considerada sempre no sentido de quem contrata. Por exemplo, o período da janela discutido entre uma compra de jogador brasileiro para a Europa Ocidental é o referente ao país comprador envolvido. E vice-versa.
  • Jogadores com passe livre que assinam com um novo clube não constituem “transferências” e, sendo assim, não se aplicam à estas regras.

Existem duas janelas regulamentadas pela FIFA para transferências internacionais: uma longa e outra curta. Cada Federação Nacional escolhe qual vai cumprir. Já defendi que a CBF deveria inverter as janelas e apresentei os motivos.

Os sul-americanos, os clubes do leste europeu e os asiáticos preferem a janela de verão entre 1° de janeiro e final de março, e a de inverno no mês de agosto (antecipada ano passado para meados de julho). Já os times do oeste europeu (no qual se incluem Espanha, Itália, Inglaterra, Alemanha, Portugal, etc), preferem a janela de verão entre 1° de junho e 31 de agosto, com a de inverno em janeiro.

Exemplo mostrado em 2008 quando o Grêmio contratou o paraguaio Júlio dos Santos:

“Palavras do Paulo Pelaipe, vice-presidente de futebol do Grêmio, ainda em 2008: “Mas com o fechamento da janela internacional no dia 31 de janeiro, persistimos na nossa convicção e no interesse no atleta, e conseguimos no fim da manhã um fax do presidente do clube alemão autorizando que finalizasse as negociações com o Grêmio…Já existe um acordo, a documentação do Bayern está com o Rodrigo Caetano…

Ou seja, eu estava totalmente correto na minha interpretação, ao contrário do que alguns leitores falaram… A data de publicação no BID não possui qualquer relação com o assunto. O meia gremista Roger, por exemplo, só foi publicado no BID na última quinta-feira, e há mais de uma semana ele está no Olímpico.”

As regras são bastante claras e inflexíveis. Fora destes prazos, transferências internacionais somente em atletas com passe livre.

Desafio a alguém mostrar uma contratação brasileira (ou mesmo argentina) no período após 31 de janeiro envolvendo jogadores que vieram dos seguintes países: Portugal, Holanda, Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Escócia e Itália. Não considerar “passe livre”.

Japão, Leste Europeu (que joga em outro período por causa do frio extremo) e Oriente Médio não usam o mesmo calendário.

Pago um café para quem conseguir.

VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS:

LIMPEZA GERAL: Inter já liberou 30 jogadores desde o início do ano

03 de março de 2011 5

Exatos 30 atletas configuram a lista de jogadores que deixaram o Internacional  desde o início do ano, seja em definitivo ou por empréstimo. Foram 11 liberados e outros 19 emprestados. E isto sem contar os 30 jogadores dispensados pelas categorias de base nos juniores e juvenis no mesmo período.

A política hoje executada pelo Vice-Presidente de Futebol Roberto Siegmann deverá proporcionar uma significativa redução nos custos do futebol profissional.O excesso de jogadores já era alertado aqui neste espaço desde 2008. A política equivocada de entupir de jogadores claramente abaixo das necessidades do clube era de benefício apenas dos empresários dos atletas, sem nenhuma vantagem financeira ao clube.

A tese de ‘vender para mercados menores’ como Áustria, Suécia, Dinamarca nunca aconteceu. O único jogador que foi negociado assim, o atacante Wellington, só deu certo porque passou um tempo no Náutico.  Felipinho, vendido ao Jeju da Coréia do Sul, sequer jogou no Inter-B

Confiram a lista completa:

NEGOCIADOS/VENDIDOS/DISPENSADOS
Pato Abbondanzieri – goleiro – aposentadoria
Luís Carlos – goleiro – União Leiria-POR
Arílton – lateral-direito – Vila Nova-GO
Jonas – lateral-direito – Coritiba
Danny Morais – zagueiro – sem clube
Paulinho – volante – Botafogo-SP
Giuliano – meia – Dnipro-UCR
Adriano – atacante – Gamba Osaka-JAP
Jhon – atacante – Americana-SP
Edú – atacante – sem clube
Ilan – atacante – sem clube

EMPRESTADOS
Kléber Silva – lateral-direito – Criciúma
Igor – zagueiro – Marítimo
Titi – zagueiro – Bahia
Wágner Silva – zagueiro – Ponte Preta
Mineiro – zagueiro/lateral-esquerdo – Criciúma
Marcelo Cordeiro – lateral-esquerdo – Portuguesa
Lima – lateral-esquerdo – Paraná
Josimar – volante – Ponte Preta
Maycon  – volante – Paraná
Derley – volante – Náutico
Tales – meia – Sporting-POR
Wágner Libano – meia – Criciúma
Bolaños – meia-atacante – LDU-EQU
Marquinhos – meia-atacante – Avaí
Thiago Humberto – meia-atacante – Ceará
Ytalo – meia-atacante – Mogi-Mirim
Talles Cunha – atacante – Criciúma
Léo – atacante – Paraná
Guto – atacante – Goiás

FORA DOS PLANOS
Bustos (lateral-direito), Ronaldo Conceição (zagueiro), Cauê (zagueiro), Léozão (zagueiro), Dalton (zagueiro), Juliano (volante), Leonardo (lateral-esquerdo), Élton (volante), Marinho (meia-atacante), Luiz Carlos (atacante), Fabinho (atacante), Joabe (atacante)

VEJA TAMBÉM

'Mais com Menos': Análise dos reforços 2011 da dupla Gre-Nal

15 de fevereiro de 2011 3
No futebol brasileiro, a cada início de temporada cada time recebe uma dúzia de reforços. Por exemplo: em 2009 e 2010 a dupla Gre-Nal contratou 10 ou mais jogadores no primeiro semestre. Este ano ocorreu um fenômeno curioso em Porto Alegre: mesmo com a proximidade da Copa Libertadores para Grêmio e Internacional, os reforços foram em quantidade menor, mas qualidade superior. Então, a frase comum nas grandes empresas pode ser aplicada no futebol gaúcho: “Fazer mais com menos”.
Rodolfo, Escudero, Carlos Alberto, Vinícius Pacheco e Lins (Grêmio); Bolatti, Cavenaghi, Zé Roberto e Alex (Inter). Os motivos que geraram a redução nos reforços são diferentes: o Grêmio confia na base de 2010, enquanto o Inter mudou a política de futebol, apostando em jovens do time B e das categorias de base para rechear o restante do elenco.
Quem será reserva: Vinícius Pacheco é uma opção para a posição de Douglas no meio-campo gremista, enquanto Lins veio como aposta. Já Alex veio de contrapeso para o Beira-Rio na ida de Edinho para o Fluminense. Vamos a uma breve análise dos demais:
RODOLFO: mesmo sem jogar, já é o melhor zagueiro do futebol gaúcho. Léguas superior a todos no Olímpico, também é melhor que o quarteto trintão do Beira-Rio. Técnico, sabe se impor no jogo aéreo e ainda é uma arma mortal nas cobranças de falta. Melhora consideravelmente o miolo defensivo do Grêmio, ponto fraco na minha opinião com os comuns Vílson, Paulão e Rafael Marques.
ESCUDERO: uma contratação da diretoria, sobre a qual Renato Portaluppi não deu muitos palpites. Se jogar o que jogava no Vélez, será um acréscimo técnico e versátil, pois joga no meio e ataque. Contra si, as últimas duas temporadas ruins e sua notória timidez. Pode ser o companheiro de ataque do camisa 9 tricolor, ainda indefinido entre André Lima e Borges (eu prefiro o primeiro).
CARLOS ALBERTO: um negócio de ocasião para o Tricolor, que pode dar certo. Além da fama gremista de recuperar jogadores em má-fase no futebol carioca (Caju, Paulo Nunes, Jardel, Roger), o fato é que Carlos Alberto parece estar com muita vontade. Muita. Se superar o temperamento (Renato ajudará) e as lesões, pode ser uma grande arma tricolor em 2011.
BOLATTI: com o indiscutível fracasso de Wílson Mathias, caberá ao argentino esquecido na Fiorentina resolver a camisa 5. Diferentemente de Sandro, Bolatti joga mais simples, é mais eficiente no jogo aéreo, posicionamento defensivo e chutes de longa distância.
ZÉ ROBERTO: Em dezembro falei que seria uma péssima para o Inter, e em janeiro mantive a posição. Com histórico ruim fora de campo, não percebia um acréscimo de qualidade. Porém jogou muito bem nas partidas que atuou, se movimentando bastante e buscando a jogada individual, hoje exclusividade de D’Alessandro. Como Escudero, joga no ataque e no meio.
CAVENAGHI: contratado para ser o titular da camisa 9, pode acabar jogando ao lado de Leandro Damião. Foi contratado pelos gols da 2° temporada no Bordeaux e especialmente no River Plate, quando fez dupla temível com o ídolo colorado D’Alessandro (o Corinthians que o diga, na Libertadores 2004). É raçudo e tem bom chute à distância, sendo mais movediço que Damião e Alecsandro.
Os reforços colorados resolvem dois problemas: primeiro volante e ataque, mas não suprem a carência de velocidade da equipe. Já no Grêmio, o acréscimo de qualidade é na zaga e nos meias-atacantes. Falta ainda um meio-campo mais forte fisicamente para eventuais embates complicados na Libertadores.
Mas, sem dúvida alguma, as direções de Grêmio e Internacional acertaram.
Se os jogadores darão certo, não passa pelas gestões da dupla Gre-Nal.
texto originalmente publicado no Jogo Aberto – Lédio Carmona

Cavenaghi será normalmente liberado pela FIFA para jogar no Inter

11 de fevereiro de 2011 4

O Internacional está totalmente seguro a respeito da inscrição de Fernando Cavenaghi. Como disse o Vice-Presidente de Futebol Roberto Siegmann, a liberação ficou pendente em ‘amarelo’ no novo sistema de transferências online da FIFA por causa do fato de Cavenaghi estar indo para sua terceira transferência internacional em menos de um ano, depois de jogar no francês Bordeaux e no espanhol Mallorca.

Mas não existe nenhum problema, pois o artigo 5, parágrafo 3 do Regulations on the Status and Transfer of Players (2008) exemplifica exatamente o caso de Cavenaghi. O texto abaixo s ele explicita a situação de jogadores que trocaram calendário europeu pelo calendário sul-americano, do Leste Europeu ou ainda do futebol asiático.

Vejam o artigo original: “Players may be registered with a maximum of three clubs during  one season. During this period, the player is only eligible to play official matches for two clubs. As an exception to this rule, a player moving between two clubs belonging to associations with overlapping seasons (i.e. start of the season in summer/autumn as opposed to  winter/spring) may be eligible to play in offi cial matches for a third club during the relevant season, provided he has fully complied with  his contractual obligations towards his previous clubs.

A pedidos, tradução livre: “Os jogadores só podem ser registrados em até três clubes durante uma só temporada. Durante este período, o jogador só é elegível para atuar emd ois clubes. Como exceção para esta regra, uma transferência envolvendo clubes de associações com calendários simultâneos (com início de temporada no verão/outono em oposição a inverno/primavera) pode ser elegível para atuar em um terceiro clube durante a temporada, desde que ele tenha cumprido integralmente as obrigações contratuais com seus clubes anteriores”.

Como o sistema da FIFA agora é automático, mostrou o “warning” (alerta) na transferência.

Mas sem nenhum risco de ‘melar’.

VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS:

As 10 maiores transferências da história do futebol gaúcho - Jan/2011

28 de janeiro de 2011 20

Com as vendas de Giuliano e Sandro, o Internacional agora domina completamente o ranking das maiores negociações da história do futebol gaúcho. São sete das 10 maiores vendas, incluindo as cinco maiores. As transferências de Douglas Costa (Shakthar Donetsk por 15 milhões de reais) e Taison (13,8 milhões de reais), possíveis candidatas a entrarem na lista, ficaram abaixo do último colocado no ranking, o gremista Anderson em 2005.


A ida de Sandro para Londres se tornou a sétima mais rentável, enquanto a partida de Giuliano para o futebol ucraniano entrou no oitavo lugar. Sendo assim, Anderson, Carlos Eduardo e Sídnei deixaram a lista nesta atualização.

Ressalva importante: Carlos Eduardo recentemente rendeu mais 2 milhões de euros para o Grêmio, que tinha 20% do lucro do Hoffenheim-ALE em uma venda futura. Ele foi negociado por estonteantes 20 milhões de euros para o Rubin Kazan-RUS). Mas meu critério é simples: receitas flutuantes e flexíveis (ou seja, que não necessariamente podem ser atingidas), não entram na minha contabilização.

Vamos aos dados? Cliquem na imagem para ampliar:

As Maiores Transferências da História do RS - Arquivo Pessoal

As Maiores Transferências da História do RS – Arquivo Pessoal

VEJA TAMBÉM

Transferências: as maiores negociações da temporada 2010

29 de dezembro de 2010 1

A temporada 2010 está terminando no futebol mundial. Então é a hora das famosas ‘listas’ (uma obsessão de Nick Hornby), e uma delas é tradicional aqui no Almanaque Esportivo: as maiores transferências do futebol mundial neste ano.

Todas elas ocorreram no Mercado de Verão europeu, algumas antes e outras após o Mundial da África do Sul.O jogador mais caro foi o artilheiro da Copa do Mundo, o espanhol David Villa, que deixou o Valencia para o Barcelona por 40 milhões de euros.

Chama a atenção o fato de que 25% da lista se referem aos cinco jogadores comprados pelo Manchester City, todos com valores inflacionados e com custo benefício altamente discutível. Porém o objetivo do City, cujo dono é o bilionário Sheikh Mansour bin Zayed bin Sultan Al Nahyan, é gastar agora antes que as regras de ‘fair-play‘ econômico (que impedem grandes dívidas) sejam implementadas, a partir da próxima temporada.

Quatro brasileiros estão na lista: Ramires (7º), Carlos Eduardo (12º), Robinho (13º) e Diego (18º). A de Robinho impressiona pois o valor pago foi pelo empréstimo até o final do contrato dele com o Manchester City, recorde mundial.

Em colossal crise financeira, o espanhol Valencia foi o time que mais arrecadou, com quase 70 milhões de euros vendendo os homônimos David Silva e David Villa. Curiosamente, nenhuma das vendas de 2010 entraria no ranking das 10 maiores de todos os tempos, que começa em 45 milhões de euros com o brasileiro Ronaldo indo para o Real Madrid.

Jogador País Pos Origem Destino Valor
1 David Villa ESP A Valência Barcelona 40.000.000 €
2 Yaya Touré CM M Barcelona Manchester City 30.000.000 €
3 Mario Balotelli ITA A Internazionale Manchester City 29.500.000 €
4 David Silva ESP M Valência Manchester City 28.750.000 €
5 Angel Di Maria ARG M Benfica Real Madrid 25.000.000 €
6 Aleksander Kolarov SER D Lazio Manchester City 22.700.000 €
7 Ramires BRA M Benfica Chelsea 22.000.000 €
8 Yoann Gourcuff FRA M Bordeaux Olympique Lyon 22.000.000 €
9 James Milner ING M Aston Villa Manchester City 22.000.000 €
10 Bruno Alves POR D Porto Zenit 22.000.000 €
11 Javier Mascherano ARG M Liverpool Barcelona 20.000.000 €
12 Carlos Eduardo BRA M Hoffenheim Rubin Kazan 20.000.000 €
13 Robinho BRA A Manchester City Milan 18.000.000 €
14 Mesut Özil ALE M Werder Bremen Real Madrid 18.000.000 €
15 André-Pierre Gignac FRA A Toulouse Olympique Marselha 16.000.000 €
16 Asamoah Gyan GHA A Rennes Sunderland 16.000.000 €
17 Leonardo Bonucci ITA D Bari Juventus 15.500.000 €
18 Diego BRA M Juventus Wolfsburg 15.500.000 €
19 Loic Rémy FRA A Nice Olympique Marselha 15.500.000 €
20 Milos Krasic SER M CSKA Moscou Juventus 15.000.000 €

VEJA TAMBÉM:

As 10 maiores transferências do futebol mundial de todos os tempos (até 2009):

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/06/13/as-10-maiores-transferencias-e-o-resultado/

As 20 contratações mais caras de 2009/2010

http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/09/21/as-20-contratacoes-mais-caras-de-20092010/

OPINIÃO: A chave do sucesso prolongado está no banco de reservas. Na mudança dele!

25 de agosto de 2010 2

Para ser campeão em uma só temporada, podem bastar somente fatores como sorte, acertos pontuais nas contratações ou brilhos individuais de jogadores ainda desconhecidos. Porém para iniciar um período prolongado de sucesso, isto não é o bastante.

Além do óbvio, planejamento financeiro, organização administrativa, bons olheiros etc, é necessário uma política de futebol a médio-longo prazo. Por ser um estudioso de tudo que abrange o esporte, sobretudo o futebol, gosto de avaliar fatores externos que influenciam resultados dentro de campo.´

Fotografia do Inter campeão da América 2010 - Vai mudar - Crédito Sport Club Internacional

Por isto, estudei todos os times multicampeões por mais de uma temporada, daqueles que marcaram época em um país. Casos do Milan dos holandeses, do Manchester United de Alex Ferguson, do São Paulo de Telê. Vi que a chave do sucesso para quase todos eles foi manter uma base do time titular (de 7 a 10 titulares do ano anterior) , mas renovar fortemente os reservas.

Isto é uma premissa básica em times que criam uma dinastia em um país, pois com reservas com fome de vencer e emular os títulos dos predecessores, os titulares não se acomodam. Além disto, eventuais carências mostradas no ano anterior são resolvidas com estas modificações.

Em 2007, o Internacional deveria ter feito tudo isto. E não fez nada. Como um campeão inexperiente, manteve quase todos os reservas campeões mundiaisaté a metade do ano, mesmo aqueles em péssima fase. O desempenho foi um desastre. Com titulares seguros em não perder a posição e reservas que ganhavam muito bem e estavam satisfeitos no banco, ocorreram os fiascos do 1º semestre, eliminado na 1º fase do Gauchão e da Libertadores.

Do meio para o final do ano de 2007 saíram os titulares Alexandre Pato e Ceará, mais os reservas Vargas, Perdigão, Michel, Gabiru, Rubens Cardoso, Hidalgo, Élder Granja, Ediglê, Marcelo Boeck, etc.

O treinador Abel Braga saiu, entrou Alexandre Gallo. Isto deu uma oxigenada no grupo, mas ainda insuficiente. Muito fraco, Gallo foi demitido sumariamente em poucos meses e Abelão voltou. No final do ano, resolveram tudo e vieram Magrão, Guiñazu, Nilmar, Marcão, etc.

Para 2011, o Inter promove lenta e gradualmente uma modificação nesta tese. Três jogadores já saíram do grupo (Fabiano Eller, Sandro e provavelmente Taison), outros devem sair em dezembro, casos de D’Alessandro, Kléber, Alecsandro, Índio, Sorondo, Bruno Silva, Edú, Éverton, Pato Abbodanzieri.

Porém imediatamente outros jogadores estão chegando: Renan para o gol, Ronaldo Conceição, Ronaldo Alves e Dalton para a envelhecida zaga, Leonardo para a lateral-esquerda, Tinga e Oscar para o meio-campo, Ilan e Rafael Sóbis para o ataque. Isto somado às prováveis promoções de João Paulo e Élton ao elenco principal e a afirmação de Marquinhos e Leandro Damião

A renovação não pode ser imediata, mas não pode deixar de ocorrer.

Mudar o banco de reservas muitas vezes é tão ou mais importante que pensar no time titular.

E o Internacional está no caminho certo para que isto ocorra.

Vendas milionárias na Europa podem ajudar finanças de Pelotas e Joinville

04 de agosto de 2010 2

Dois negócios milionários envolvendo atletas brasileiros do último Mundial podem dar um dinheiro interessante para Joinville e Pelotas. Ramires e Michel Bastos estão próximos a trocarem de clube em negociações que superam 40 milhões de reais! Cada.

Seus times formadores podem ganhar uma boa grana nisto, graças a percentual de até 5% que os clubes formadores do atleta (idades entre 12 e 23 anos) recebem de cada transferência internacional.


Michel Bastos, defendendo o Pelotas contra o Inter na Copa Sul-Minas 2002 (Crédito: Nauro Júnior))/Ramires na apresentação oficial no Joinville (reprodução site www.jec.com.br)

O lateral-esquerdo Michel Bastos está bem próximo de trocar o Olympique Lyon pela atual campeã européia Internazionale. Titular do Brasil na Copa do Mundo de 2010, Michel Bastos seria negociado por aproximadamente 20 milhões de euros com a gigante italiana.

Como jogou entre 1994 e 2001 no Pelotas, ou seja, dos 12 até 18 anos (dependendo exatamente de quando ele saiu), entre 2% e 2,5% da transferência. Isto pode significar entre 900 mil reais e 1,1 milhão com esta transferência. Extraordinário para as finanças do clube, que fez magnífico trabalho até agora na temporada 2010.

No caso de Ramires, que está próximo de trocar o Benfica pelo Chelsea por 22 milhões de euros, o beneficiado seria o Joinville. O time catarinense teve o volante, de 23 anos, nas temporadas de 2005 a 2007, ou seja de 18 a 20 anos. Isto significaria 1% a 1,5% do valor da transferência, no máximo 750 mil reais. Nada mal, hein?

Ainda antes do término da janela européia de transferências, o Grêmio pode receber valores provenientes de uma muito provável negociação de Carlos Eduardo, hoje no Hoffenheim.

MÉTODO DE CÁLCULO DO ‘MECANISMO DE SOLIDARIEDADE’ da FIFA

  • Temporada do 12º aniversário: clube leva 0,25% da compensação total
  • Temporada do 13º aniversário: clube leva 0,25% da compensação total
  • Temporada do 14º aniversário: clube leva 0,25% da compensação total
  • Temporada do 15º aniversário: clube leva 0,25% da compensação total
  • Temporada do 16º aniversário: clube leva 0,5% da compensação total
  • Temporada do 17º aniversário: clube leva 0,5% da compensação total
  • Temporada do 18º aniversário: clube leva 0,5% da compensação total
  • Temporada do 19º aniversário: clube leva 0,5% da compensação total
  • Temporada do 20º aniversário: clube leva 0,5% da compensação total
  • Temporada do 21º aniversário: clube leva 0,5% da compensação total
  • Temporada do 22º aniversário: clube leva 0,5% da compensação total
  • Temporada do 23º aniversário: clube leva 0,5% da compensação total

VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS:

Reitero a opinião: A "Janela de Transferências" deve ser invertida!

20 de julho de 2010 13

Depois de todo o imbróglio envolvendo a antecipação da Janela de Transferências, achei coerente reforçar uma opinião já demonstrada antes aqui no Almanaque Esportivo sobre a inversão dos períodos de registro de atletas provenientes ou sendo transferidos para o futebol do Exterior.

Defendo a idéia de que a Janela de Transferências curta seja empurrada para janeiro, e a Janela de Transferências longa seja transferida de janeiro a março para o período entre Junho e Agosto. Isto deixaria de acordo com os principais mercados da Europa e não prejudicaria nenhum dos clubes principalmente no REFORÇO de atletas.

Vão dizer: “ah, mas também aumenta o período da janela que os jogadores podem deixar os clubes”. Errado, afinal o conceito da janela vale para o time que contrata e não para o que vende.

Explicação simples:Hoje o Inter pode vender o Giuliano em 1º de julho para o Arsenal porque a janela inglesa já está aberta. Porém não pode comprar o Deivid em 1º de julho porque a janela brasileira está fechada.

Com a alteração sugerida por mim, o 1º continuaria ocorrendo, mas a segunda hipótese seria contemplada.

Mais detalhes sobre a minha tese aqui:


VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS:

    VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS: