Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Do orgulho à encrenca

26 de outubro de 2011 28

A ponte do Guaíba foi a solução para um baita problema. Hoje ela é um baita problema que aguarda solução.

Imagens da construção da ponte do Guaíba. Fotos: José Abraham/Acervo de Alfonso Abraham.

Nos anos 1950, as estradas que ligavam o resto do país à capital do Estado esbarravam no quase intransponível Delta do Jacuí para ir ao sul, e mesmo ao oeste. A ligação era feita por barcas do Daer (Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem) que saíam da Vila Assunção, levando veículos e passageiros numa viagem de 20 minutos – mais outros 40 minutos para embarque e desembarque.

Em 1953, quando o movimento era de 600 veículos e mais de mil passageiros por dia, o sistema exigia alternativas. Cinco anos depois, em 28 de dezembro de 1958, foi inaugurado o complexo de quatro pontes da sonhada travessia rodoviária, que foi denominada Régis Bittencourt, em homenagem ao primeiro diretor do DNER (Departamento Nacional de Estradas de Rodagem). Em 1962, o governador Leonel Brizola mudou o nome da ponte do Guaíba para Travessia Getúlio Vargas, mas o nome não foi reconhecido pelo governo federal.

A parte mais vistosa e complexa da obra foi a construção do vão móvel, que se tornou um dos cartões-postais da cidade. Sustentado por quatro torres de 43m de altura, um trecho de 58m de extensão – que pesa 400 toneladas – pode ser elevado mecanicamente a 24m, permitindo a passagem de embarcações de médio porte.

O que já foi tecnologia de ponta e orgulho gaúcho agora causa a inconveniente interrupção do fluxo de 40 mil veículos por dia e se revela uma grande encrenca.

Pane no sistema de freios do vão móvel paralisa o trânsito de veículos na ponte do Guaíba. Foto: Fernando Gomes, BD, 01/10/2010.

Os engenheiros alemães autores do projeto previram que poderíamos ter problemas 35 anos depois da inauguração. Como a ponte tem 53 anos e nada foi feito, aí estão eles. Estamos 18 anos atrasados. Dá para entender? (Colaborou Alfonso Abraham)

Foto: Jefferson Botega, BD, 30/05/2008.

Você lembra da construção da ponte do Guaíba? Comente.

Comentários (28)

  • Luiz Paulo Rosenstengel diz: 26 de outubro de 2011

    é só chamar os coreanos ou chineses. Eles constróem pontes sobre o mar, porque não construiriam uma nova ponte, que poderia ser estaiada, mais larga, mais alta, e com acessos mais ágeis. Ah, os espanhóis e canadenses também sabem construir pontes.
    Fizeram uma aqui em Manaus, que custou o olho da cara, mas como o povo paga tudo, é só fazer.

  • Mario Jorge diz: 26 de outubro de 2011

    De 1958 a 2011 passaram-se 53 anos. Então, de modo algum a ponte do Guaíba é um problema. O problema foi que o Rio Grande do Sul e Porto Alegre tiveram vários prefeitos e governadores ignoraram o fato de que o número de carros em trânsito aumentou incrivelmente. O que aconteceu foi uma total falta de planejamento e omissão dos administradores que tivemos. Colocar a culpa na ponte do Guaíba é omitir a falha das autoridades. O mesmo problema ocorre com a estrada Porto Alegre-Pelotas, que acaba no porto do Rio Grande. Enquanto isto, o Paraná liga o porto de Paranaguá com o resto do estado com uma estrada principal composta de 8 vias, sendo 4 para cada lado. Nós, gaúchos, nos gabamos de ser adiantados e politizados, mas nada mais nada menos fomos iguais ao resto do país. A ponte não é a culpada pela falta de visão daqueles que mandaram nesta terra nas últimas décadas.

  • Marcelo Xavier diz: 26 de outubro de 2011

    400 toneladas!

  • JOSE diz: 26 de outubro de 2011

    Tudo se resolverá agora com o pedágio de R$4,00 na Concepa. Ponte Nova, quarta pista na Free Way… quero ver o dia que a ponte realmente estragar e ficar emperrada quando içada… aí veremos as proporções da incompetência governamental deste estado e deste país.

  • Renato Trindade Melo da Silva diz: 26 de outubro de 2011

    Bom, não poderei contribuir para contar esta história, sou da década de 80. A repeito da Ponte do Guaíba, um dos símbolos e orgulho de nós gaúchos, é mais uma obra que o governo e ministério público ocasionou essa situação de caus e decadencia. Se, realmente tivessemos uma política de qualidade, já teríamos uma outra solução, outra ponte ou estradas para desafogar a chegada a capital. Volto a resaltar que para toda a ação à uma reação, podemos ver isso no descaso e negligencia que o NOSSO GOVERNO teve ao longo de muitos anos com a ponte do Guaíba, ocasionado hoje prejuízos e caus aos usuários da ponte, tão importante para metade Sul e para a economia gaúcha

  • Irajá Oliveira Lemos diz: 26 de outubro de 2011

    Foi muito gratificante ver as fotos da construção da ponte. Em 1958, morava na Av. Brasil, e tive a oportunidade de acompanhar a inauguração da ponte, bem como, a famosa festa dos navegantes. Antes de morar em Porto Alegre, morava na cidade de Guaiba, e muito atravessei o Rio Jacuí pelas barcas. Tudo era maravilhoso, as pessoas, os carros, o desembarque e apanhar o onibus que nos levava ao centro de Porto Alegre (antigos Cirei). As imagens estão gravadas em minha mente, como um tempo de muita felicidade, pois, era um menino, e para mim tudo era festa. Parabens pelo belo trabalho.
    Irajá Lemos – Rio

  • Fabian Brasco diz: 26 de outubro de 2011

    Da sim, estamos falando de Brasil meu caro..

  • fernando diz: 26 de outubro de 2011

    A ponte sobre o Rio Negro em Manaus, inaugurada ontem custou R$ 1.090.000.000,00. e liga Manaus ao nada do,outro lado tem uma estradinha de terra e a selva, viva o Brasil em berço explendido. E nada é falado por desconhecimento.

  • Carlos Alberto Ibarreta diz: 26 de outubro de 2011

    O Brasil é abençoado por DEUS pena que controlado por legiões infernais de politicos que não estão nem aí para resolver problemas faceis como a construção dessa ponte. A solução só sai quando todo mundo leva uma parte do dinheiro.E nós palhaços ficamos fazendo outros rirem com a corrupção que temos na politica.Ah acabei de ver na internet os japoneses levantaram um edificio de 6 andares em 136 seguidas.

  • Paulo Hoffelbaun diz: 26 de outubro de 2011

    NÃO PODEMOS PENSAR EM PONTE NESSE MOMENTO, TEMOS QUE APRONTAR
    OS ESTÁDIOS DA DUPLA ATÉ A COPA, DEPOIS SE VOLTA AO ASSUNTO …

  • Bruna diz: 26 de outubro de 2011

    Bah… que problemão hein?! Talvez quando a RS 010 sair do papel e for concluída, teremos ter a possibilidade de sonhar com uma solução para isto.

  • Renato diz: 26 de outubro de 2011

    Não dá para entender porque a construção da ponte é tão complicada. Porque já não construir uma nova pela Rodovia do Parque com a BR 116 ou 290 (claro que a volta é maior). Ai dá para construir outra no mesmo lugar mais alta aproveitando a infraestrutura existente. Com certeza sairia mais barato. E porque somente constuir uma ponte. Será que não deveria ter outras, como por exemplo, Triunfo – São Jerônimo, proximo de Porto Alegre. Vamos gastar uma fortuna em apenas uma, quando deveria ter inclusive outras vias alternativas (mais baratas).

  • fernando diz: 26 de outubro de 2011

    Só não entendo porque vamos ter que pagar pedágio para ter a ponte nova. Já não pagamos IPVA, IPTU, ICMS, ISS, IR…. O que fazem com o dinheiro dos impostos que pagamos? Roubam tudo, não sobra nadinha?

  • alexandre comin diz: 26 de outubro de 2011

    Lembram do onibus do ipvdf que caiu da ponte matando muitas pessoas cujos nomes tornaram -se ruas do bairro sans-soucy? (tenho a zh do dia no meu museu).

  • marlize quevedo diz: 26 de outubro de 2011

    E ainda reclamam da coitadinha q já é uma senhora idosa, está na hora dos nossos governantes colocarem em prática novos projetos para desafogar o fluxo q transita nela,por favor uma ponte com este gabarito e com esta história não pode ser tradada como lixo, porque ela já fez parte de muito histórias agora deveria ser tradada com respeito e dignidade e não como problema.Quando viajamos ela,o laçador e o Guaiba sempre são referencias d Porto alegre então senhores vamos ter mais paciência e respeito pelo nosso cartão postal maravilhoso q é.Parabéns pela reportagem muito bem feita q recorda as mente de muitas pessoas.

  • Ronald diz: 26 de outubro de 2011

    Deveríamos fazer como fizeram os catarinas, eles aposentaram a Ercílio Luz e fizeram uma moderna e confiável, mas não devem derrubar esta que está ai, ela deve servir como monumento histórico, deixando-a sempre erguida e construindo uma ao lado, bem maior e moderna.

  • Renato Filho diz: 26 de outubro de 2011

    A ponte treme com muito movimento e esta podre, é questão de tempo ate acontecer uma tragedia, no mais não da para esperar nada desses politicos(que é um reflexo do povo), querem uma nova ponte boa e em condiçoes…então deem os direitos para a concepa (iniciativa privada)…independente do onus..é simples..

  • Fabiano diz: 26 de outubro de 2011

    A ponte nao é problema. O problema é a falta de manutencao. O problema é a falta de competencia. Quanto mais velhor for qualquer coisa, mais manutenção precisa ter. isto e fato. Como as empresas só querem ganhar dinheiro, não investem em manutencao. Para eles, é custo e nao é investimento a palavra manutencao.

  • roberto silva diz: 26 de outubro de 2011

    E nescessario chamar estrangeiros?
    Não há mais ninguem ai em Poa , capaz de construir algo serio e inovador ?
    Os gauchos ja eram…!

  • ricardo goerl diz: 26 de outubro de 2011

    Um fato pitoresco,que guardo na memoria.
    No dia em que o Brizola, então governador do RGSul foi no acesso a ponte, antes do vão movel inaugurar a nova placa, com o nome do Getulio, que sustituia a com o nome do engenheiuro Regis, no meio dos discursos o tempo fechou, e caiu um raio no meio do povo, ferindo uns e quase matando um popular. Foi muito comentado na epoca.

  • denis diz: 26 de outubro de 2011

    QUERO SABER QUANTOS BOTARAM DIN DIN NO BOLSO COM ESTA PONTE Q NAO DEVE TER SIDO POUCO SERA Q AINDA SOBROU ALGUMS CRUZEIROS APLICADO ATÉ HJ HEHEHEHEHEHE

  • Paulo Pennaforte diz: 26 de outubro de 2011

    Ronald, os catarinenses [e não catarinas, que é termo pejorativo] não aposentaram a Hercílio Luz, ela apenas está fechada e “em reforma” há 30 anos, consumindo um monte de $$$ que não se sabe para onde vai. O novo prazo para a conclusão e reabertura é 2014.
    Renato Filho, no Brasil a tal Iniciativa Privada não constrói nada. A Concepa vai esperar o Poder Público construir, aí depois eles ganham de mão-beijada o direito de cobrar pedágio. Se fosse no Japão, aí teu comentário estaria correto.

  • valdir diz: 26 de outubro de 2011

    Tenho e sempre tive orgulho do nosso Estado, mas hoje, infelizmente, viajando para estados como Paraná e São Paulo, vejo o quanto estamos parados no tempo. Aquele estado que sempre ouvi falar no passado que era um dos mais adiantados do Brasil, modelo pros demais estados, se não acordar vai acabar ficando como o Uruguai, estagnado, atrasado em relação aos seus vizinhos

  • Astor Moeller diz: 26 de outubro de 2011

    Sou Gaúcho, resido nos Estados Unidos a muito tempo. vou ao brasil volta e meia. Assim como internauta disse ( tudo é manutenção) Pois, mês passado minha filha nascida aqui foi ao Brasil com seu marido americano. passaram alguns dias no Rio e Iguaçú. Sobre Itaipu ele ficou apavorado no estado em que está.
    Achou que uma obra daquelas aparentemente largada e sem manutenção. Meus amigos. Isto é Brasil.
    Em se tratando de manutenção não é negócio. Politico não pode cortar fita e falar bobagem.Li que Dilma vai ao Rio Grande do Sul (Porto Alegre) para abrir a Feira do Livro. Será que li corretamente?
    Uma Ambulância andar 7 horas a procura de um leito para uma senhora dando luz a dois bebês e este governo disendo que a Copa do Mundo não será um desastre e uma vergonha para o País. Porquê não deixaram o São Paulo remodelar o Morumbi? Acho que o Inter deveri mandar a FIFA para o inferno.

  • Fernando da Silva diz: 26 de outubro de 2011

    O que deve ser feito é a ponte sobre o Rio Guaíba, ligando Barra do Ribeiro à Porto Alegre. Isto ninguém fala, que seria a melhor alternativa com certeza. Se liguem pessoal!!!

  • Rafael Balbi diz: 26 de outubro de 2011

    O grande problema do Brasil é que as obras demoram muito para sair do papel. Quando finalmente saem já estão ultrapassadas e novos projetos já são necessários.
    Se tivesse terremoto no Brasil, como tem no Japão, viveríamos todo o tempo em escombros, pois imaginem o tempo que demoraria para que saísse uma licitação para cada obra de recuperação. Mesmo as obras de urgência demoram anos pra sair, quando ocorrem eventos como temporais.

  • Barreto diz: 26 de outubro de 2011

    O Rio Grande do sul parou no tempo, Porto Alegre parou no tempo. A ponte do Guaiba, um dos símbolos do RGS, é um exemplo do descaso, como também está acontecendo com a cidade e o Estado, entregues à Administrações que foram incompetentes,politicos ultrapassados, retratos que demonstram que o povo está em osmose. Em tempos atrás, o povo gaucho antes altivo, hoje está à mercê destes que só visam as suas imagens para a mídia, sem projetos, sem manutenções, sem perspectivas. A sociedade gaúcha tem que acordar, requerer mudanças, cobrar destes politicos incompetentes, que só servem para disperdiçar o dinheiro público. O RGS precisa de medidas urgentes de modernização, projetos de infra-estruturas para o crescimento, mas isto, jamais vai passar na cabeça de quem não quer sair do comodismo, da inércia, daqueles que querem perpetuar o ideais de politicas mediocres.

  • NATALIA diz: 11 de maio de 2012

    AMEI

Envie seu Comentário