Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Saber centenário

20 de março de 2012 6

Nesta semana, aqui em Porto Alegre, três centenárias e importantes instituições, dedicadas à nobre função de ensinar, estão fazendo aniversário.

O Colégio Farroupilha faz 126 anos amanhã. O Julinho (Colégio Estadual Júlio de Castilhos) faz 112 anos na sexta e o Colégio Militar de Porto Alegre completa cem anos quinta.

Visão antiga do Colégio Militar. Foto: reprodução
Fachada do Colégio Militar. Foto: Arivaldo Chaves, BD, 8/1/2010

O antigo prédio do Julinho na Avenida João Pessoa. Foto: acervo Sylvio Centeno, reprodução
O Julinho atual. Foto: Ricardo Duarte, BD, 12/4/2002

O antigo Colégio Farroupilha na Avenida Alberto Bins, desativado nos anos 1960. Foto: reprodução
O Farroupilha de hoje, no bairro Três Figueiras. Foto: Arivaldo Chaves, BD, 21/2/2011

Neste momento, é impossível não lembrar de João José Pereira Parobé. Nasceu em São José do Norte, em 1853. Foi militar, engenheiro, professor e deputado. Parobé era capitão. Ensinava na Escola Militar do Rio Grande do Sul. Essa escola originou tanto o Colégio Militar de Porto Alegre como a Escola de Engenharia, precursora do que seria, depois, a UFRGS.

Reprodução de retrato de Pereira Parobé. Foto: Ricardo Duarte, BD, 29/6/2006

Foi na Escola de Engenharia que surgiu o Gymnásio do Rio Grande do Sul, embrião do Julinho – que, em 1909, ganhou prédio próprio na Avenida João Pessoa. Parobé foi fundador ainda da Escola Técnica que leva seu nome. Sempre presente em iniciativas voltadas ao ensino, o Estado a ele muito deve. Morreu na capital em 1915.

Foto: reprodução

A foto acima, feita nos anos 1940, mostra em primeiro plano a Escola de Engenharia (ao centro)  e o Colégio Júlio de Castilhos (à direita). Atrás da Engenharia, os fundos da antiga Escola Parobé. Na várzea, ao fundo, o Colégio Militar.

Você estudou ou estuda em alguma dessas instituições? Deixe seu comentário.

Comentários (6)

  • Celso Gonzaga Porto diz: 20 de março de 2012

    Comecei na Escola Técnioca Parobé no ano de 1959, ainda no prédio da Engenharia (Sarmento Leite), fazendo o então Ginásio Industrial. Em seguida, veio a mudança para o prédio atual para onde fomos com móveis, utensílios, mala e cuia. Ali conclui, em 1966, o Curso Técnico em Máquinas e Motores.Muito valeu a minha formação na época com significativo impulso na carreira profissional.O ensino daquela época deixou saudade,pois hoje, ao participar no trabalho de formação dos profissionais de amanhã, temos o sentimento de não estar nem perto da formação que nos era proporcionada naquela época.

  • Marcelo Xavier diz: 20 de março de 2012

    Inclusive o prédio da engenharia da UFRGS foi construído pelo próprio Parobé. Já o prédio do antigo Julinho é de autoria do Manoel Itaqui, o mesmo que idealizou o Viaduto da Borges e outros prédios da Universidade Federal.

  • Gustavo diz: 20 de março de 2012

    É impressão minha ou o antigo Julinho é a atual faculdade de direito da Ufrgs? O antigo Parobé é a faculdade de Engenharia Mecânica da Sarmento Leite, mas tenho a impressão que o prédio do Julinho foi modificado em relação ao atual prédio do Direito.

    Caro Gustavo,

    Na verdade, o antigo Julinho ficava ao lado da Faculdade de Direito. Hoje, é o espaço ocupado pelo Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS.

    Obrigado pela leitura!

  • salomao jacob golandski diz: 20 de março de 2012

    o antigo prédio do colegio farroupilha , ficava na AV Alberto Bins , onde hoje está o Hotel Plaza .
    o predio do julinho foi destruido por um incendio , posterormente foi construido o
    novo predio na pça Piratini , estudei lá em 1961 62
    o antigo predio da escola Parobé ficava e ainda existe na Rua Sarmento Leite
    posterormente mudou-se para a av Perimetral , estudei lá 1963 64 65 66 67
    velhos tempos que não voltam mais
    salomão

  • Vitoldo Haber diz: 20 de março de 2012

    Estudei na E.T. Parobé, até 74, quando me formei. Não me lembro bem qual o ano que tinhamos que estudar no Parobé e no Julio de Castilhos alternadamente. Materias tecnicas no Parobé e as outras no Julhinho. No “Julinho”, fomos obrigados a usar uniforme. Foi uma novela daquelas (onde prevaleceu o bom senso). É otimo saber o ano de fundação e quem foi o homenageado. Obrigado a quem preserva fatos historicos de sua Terra. Tomara que não se percam nunca.

  • edu diz: 20 de março de 2012

    Olá Ricardo!sou fã do blog,e um grande apreciador de prédios antigos,e gostaria de te enviar uma sugestão:
    Dias atrás estava à caminho da praia quando,ao passar pela rua José Garibaldi,em Viamão,um grande casarão antigo me chamou a atenção.Estava está escrito na fachada:
    “Estação experimental da Escola de Engenharia de Porto Alegre”.
    Gostaria que você investigasse no seu vaioso acervo se tem alguma informação dessa escola,e em que ano foi desativada. Abração!

Envie seu Comentário