Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Encontros de família

20 de outubro de 2012 3

A programação de eventos familiares, que soma 13 reuniões entre hoje e amanhã, seguirá movimentada no próximo final de semana. Pelo menos outros seis encontros já estão confirmados. Veja abaixo:

Gasperin

Os imigrantes italianos Luigi Gasperin e Maria Luigia Cesa Gasperin chegaram ao Brasil em 1876 e foram morar em Bento Gonçalves, na linha Palmeiro, lote 26. A foto abaixo mostra o casal com seus seis filhos.

Em pé, da E para a D, os filhos Ângelo, Antônio, José e Fioravante. Sentados, da E para a D, a filha Antonina, Maria Luigia, Luigi e o filho Afonso. Foto: arquivo pessoal

Os filhos de Luigi e Maria migraram para áreas como Tapera, Vacaria, Campinas do Sul, Sarandi, Santa Rosa, Bento Goncalves e São José do Ouro, e também para Santa Catarina. Os descendentes vão se reunir no dia 27, sábado, com almoço em Campinas do Sul e jantar em Erechim.

Mais informações pelo telefone (54) 3321-4499 ou pelo e-mail gaspcard@via-rs.net.

Messinger

Será no dia 27 a reunião dos descendentes de José Affonso Messinger e de Erna Maria Loch Messinger, já falecidos. Em 24 de fevereiro deste ano, José Affonso teria completado cem anos de nascimento. O encontro será realizado no restaurante Parque dos Pinheiros, em Farroupilha, às 12h.

O casamento de José e Erna, em 1935. Fotos: arquivo pessoal

O casal, descendente de austríacos, estabeleceu-se em Linha Ely, Farroupilha, trabalhando na agricultura. Teve 12 filhos, 23 netos e 17 bisnetos.

A família em 1956

Mais informações pelos e-mails messingeradvogados@hotmail.com e suzanamessinger@gmail.com.

Chesini

Foi por volta de 1880 que Philippe e Angela Berté Chesini, com os filhos Augusto e João, partiram da Itália (Verona) rumo à América. Chegando ao Brasil, aportaram em São Paulo e, depois, vieram ao Rio Grande do Sul. Estabeleceram-se na região de Garibaldi.

Foto: arquivo pessoal

A imagem acima mostra a família de Henrique Chesini, um dos descendentes dos imigrantes.

O encontro dos Chesini será no domingo, dia 28, no Salão Comunitário do Bairro Cairu, em Garibaldi. Mais detalhes pelo telefone (54) 3462-6608.

Coletto

O salão de festas da Paróquia Sagrada Família, do bairro Cruzeiro, em Santa Rosa, será o local do encontro da família Coletto, no dia 28. A festa reúne descendentes dos imigrantes italianos Luiggi Coletto e Mathilde Zorzetto, oriundos da província de Treviso, que viajaram para o Brasil no final do ano de 1871.

O casal foi morar na região de Faxinal do Soturno. Em 1892, chegaram ao Estado dois filhos deles, Ângelo e Antônio – o primeiro, retratado abaixo com a mulher Pierina, migrou para a área de Porto Mauá.

Fotos: arquivo pessoal

Antônio Coletto

No encontro, será apresentado um documentário sobre a imigração dos Coletto, desde a saída da comuna Breda di Piave, na Itália. Para mais informações, o contato é o e-mail valdircoletto@uol.com.br.

Menezes

Os descendentes do Major do Exército Imperial Francisco Martins de Menezes vão se reunir no próximo dia 28, no CTG David Canabarro, em Arroio dos Ratos. Em sua quinta edição, o encontro homenageia o casal Julieta de Menezes Castro (filha de Francisco) e João Castro (foto abaixo).

Foto: arquivo pessoal

Para mais informações, o contato pode ser feito pelo e-mail lubaseggio@gmail.com.

Kunrath

Os descendentes de Alvina Krombauer Kunrath e Friedolin Kunrath fazem seu encontro no dia 28, no salão paroquial da Igreja Santa Rita, em Porto Alegre. Alvina e Friedolin se casaram em 1934, na cidade gaúcha de Forqueta. Lá, cultivaram fumo (foto abaixo) e tiveram 14 filhos, 11 ainda vivos. A família cresceu e, hoje, tem mais 18 netos, 12 bisnetos e 1 tataraneto.

Fotos: arquivo pessoal

Alvina, filha de Carlos Krombauer, vindo da Alemanha, e de Elizabeth Köelzer Krombauer, vinda da Polônia, nasceu em Forqueta. Friedolin Kunrath nasceu em Marques de Souza, filho de Francisco Kunrath e Amélia Kunrath.

Casamento de Alvina e Friedolin, em fevereiro de 1934

O contato para mais informações pode ser feito pelo e-mail marialuciakc@yahoo.com.br.

Comentários (3)

  • Ialmar Pio Schneider diz: 20 de outubro de 2012

    Dia do Poeta – 20 de outubro – Imagem da Internet

    SONETO

    O poeta é aquele que vê mais longe:
    pode saber de tudo ou quase nada…
    Tanto é um pecador quanto é um monge,
    vive numa caverna ou segue a estrada

    dos sonhos. Às vezes parece um conde
    a procurar sua alma gêmea, a maga
    que num castelo medieval se esconde,
    cuja lembrança a solidão lhe afaga.

    Também não deixa de sofrer por isso
    e nunca se conforta no prazer
    de sempre se afastar do rebuliço:

    assim é que pretende compreender
    o destino que leva no feitiço
    questionável do ser ou do não ser !

    IALMAR PIO SCHNEIDER

    ***

    VOTE NO SONETO. AGRADEÇO-LHE. CLIQUE EM

    http://www.sonetos.com.br/sonetos.php?n=7461

  • Ialmar Pio Schneider diz: 20 de outubro de 2012

    SONETO A ARTHUR RIMBAUD – Nascimento do poeta em 20.10.1854 – In Memoriam – Porto Alegre – RS, 20 de outubro de 2011,- às 9h44min. – Bairro Tristeza.- .

    Jovem poeta que parou bem cedo
    de fazer versos plenos de emoção…
    Soneto de “Vogais” em cujo enredo
    cada uma tem a significação.

    Sua obra não foi simples arremedo
    de alguém que pensa apenas na ilusão;
    não se sabe do enigma nem do medo
    de a poesia dar continuação…

    O certo é que depois, quando indagado
    se era parente de Rimbaud, dizia:
    “Eu nunca ouvi falar !” E assim calado

    continuou pelo resta da vida, só,
    com sua nova e vã filosofia
    em que se sabe que seremos pó !

    IALMAR PIO SCHNEIDER

    ***

    VOTE NO SONETO. AGRADEÇO-LHE. CLIQUE EM

    http://www.sonetos.com.br/sonetos.php?n=19643

  • Ialmar Pio Schneider diz: 21 de outubro de 2012

    SONETO A ALPHONSE DE LAMARTINE – Nascimento do poeta em 21.10.1790 – In Memoriam – Porto Alegre – RS, 21.10.2011, às 17h55min. – Bairro Tristeza.- . –

    Recordo-me do seu poema “Outono”,
    que o Irmão Érico, enfaticamente,
    lia alto, na aula, com tamanho entono,
    que despertava a comoção na gente…

    Saudava a natureza, tristemente,
    como se a visse ficar no abandono
    pela queda das folhas, de repente,
    ao reclinar pra o derradeiro sono!

    Nesse cálice em que bebia a vida,
    talvez, houvesse uma gota de mel,
    após ter sorvido néctar e fel…

    Na multidão uma alma desconhecida,
    quem sabe, o compreendesse com bondade
    e lhe desse, afinal, felicidade !…

    IALMAR PIO SCHNEIDER

    ***

    VOTE NO SONETO. AGRADEÇO-LHE. CLIQUE EM

    http://www.sonetos.com.br/sonetos.php?n=19646

Envie seu Comentário