Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O Typ 14 - Karmann Ghia

24 de outubro de 2012 1

Ele veio para se tornar um clássico. Com suas linhas curvas, era ousado e sensual. Numa alusão aos dois únicos lugares, foi chamado até de sutiã: “Só cabem dois, e tem que ter peito para comprar”, diziam. Não era barato. Custava um pouco menos de 20% do preço de um JK (FNM), o carro nacional mais caro e sofisticado da época.

Foto: arquivo pessoal

O Volkswagen Karmann Ghia custava mais ou menos o mesmo que um Simca ou um Aero Willys. Além de audácia para gastar, exigia do motorista coragem para pilotar tão perto do chão – o banco baixo, quase no assoalho do carro, as finas colunas e os amplos vidros provocavam uma visão um tanto assustadora ao transitar em uma estrada, por exemplo, ao lado de um caminhão.

Foto: reprodução

Na Europa, surgiu em 1955, sob o código Typ 14, quando ainda não tinha nome. No Brasil, foi produzido de 1962 até 1971. Do modelo conversível, hoje um dos mais valorizados entre os colecionadores, foram fabricadas apenas 176 unidades.

O carro é personagem importante na canção A Moça do Karmann Ghia Vermelho (que tem o guitarrista gaúcho Luís Vagner como coautor), gravada pelo grupo Os Caçulas em 1969. Veja abaixo:

(colaborou Guilherme Ely)

Comentários (1)

  • Eduardo menezes diz: 24 de outubro de 2012

    Tive um 64, motor 1200cc, azul igual ao da foto o pior carro que tive, entrava agua no canto direito do vidro retrovisor e molhava a perna do passageiro, não teve como eliminar o vazamento pois na época não existia silicone e outras colas como hoje e mais um detalhe atrás tinha lugar para mais tres pessoas desde que fossem crianças. ele era 5 lugares está nos documentos.

Envie seu Comentário