Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Jovem de quatro cilindros

06 de agosto de 2013 1

A Juvaquatre 1948 de Luiz Carlos Schardong. Foto: Arquivo Pessoal

Na contramão dos carrões americanos, os europeus foram sempre mais contidos. Pequeno e destituído de luxo, para concorrer na faixa de automóveis populares, a Renault francesa apresentou em 1937 o seu modelo Juvaquatre (pronuncia-se iúva catre), uma necessidade diante dos então existentes Volkswagen, Simca 8 e Fiat, além do Olympia, da Opel, que impressionou tão fortemente Louis Renault, a ponto de ele fazer um carro quase idêntico ao alemão.

A versão quatro portas do modelo. Foto: Guilherme Ely, banco de dados

A popularidade estendeu-se ao Brasil, onde sempre havia um vizinho, ou parente, quando não nossos pais, com um na garagem. Aqui era chamado de Juvaquatro, o que pode ser traduzido como jovem de quatro cilindros. Uma curiosidade: o porta-malas era acessado por dentro do veículo, só posteriormente a traseira, com o estojo do estepe saliente, ganhou uma porta. Em Porto Alegre, a antiga representante da Renault foi a Cirei S/A.

Logotipo da Cirei S/A, antiga representante da Renault em Porto Alegre. Foto: Diego Vara, banco de dados, 27/06/2013. Placa: Acervo de Paulo Bajestero

O carrinho econômico, por seus 12 km/l, foi fabricado também nas versões conversível, furgoneta para transporte de carga  e  perua, a preferida por meu pai, para acomodar a família e a bagagem nas longas viagens até o litoral. Nossa camionetazinha Juvaquatro era carinhosamente chamada pelo apelido de “Chimbica”.

O colunista e sua irmã Maria Teresa ao lado da Chimbica.

Colaborou Guilherme Ely

Comentários (1)

  • Ana Elisa Campo diz: 21 de fevereiro de 2015

    Boa Noite Luiz Carlos
    tenho um carro como esse, e gostaria de saber onde posso estar encontrando peças e acessórios deste carro para comprar?
    Obrigado

Envie seu Comentário