Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Inauguração da freeway, há 40 anos, mudou rota dos gaúchos para o Litoral

26 de setembro de 2013 6
0095a15e

Cerimônia de inauguração da Freeway, em 26 de setembro de 1973.
Foto: Assis Hoffmann, Centro de Memória da Concepa

 

Inaugurada em 26 de setembro de 1973 (foto acima) a freeway completa, hoje, 40 anos  de existência. Construída para ligar a Capital ao Litoral, ela foi a primeira autoestrada brasileira. As duas pistas, separadas por um largo canteiro central, com duas faixas de rolamento em cada sentido, estreou com a velocidade máxima permitida de 120 km/h. Isso encurtava sobremodo o tempo gasto para percorrer a distância de 96,6 quilômetros da BR-290 que separam Porto Alegre de Osório.

Nos tempos do “milagre econômico”, do general Garrastazu Médici (presidente de 1969 a 1974), a estrada marcou nosso ingresso numa nova era. Dois meses após a rodovia ser entregue ao público, começou a cobrança de pedágio. Em 1989, ele foi extinto. Em 1994, o governo federal criou o Programa de Concessão Rodoviária. Em julho de 1997, a Concepa ganhou o direito de administrar a estrada por 20 anos.

Se em 1973, quando foi inaugurada, nos momentos de pico o movimento chegava a 300 veículos por hora, hoje, quando está em sua capacidade máxima, chegam a passar 85 carros por minuto, o equivalente a 5 mil veículos por hora, ou seja: quase 17 vezes mais. Mesmo com as diversas reformas, o aumento da largura e o acréscimo de mais uma pista, a freeway, às vezes, não dá conta.

Para os mais velhos é inevitável lembrar que, mesmo antes da construção da autoestrada, a gente também ia “pas praia”, como dizemos nós, gaúchos porto-alegrenses. E aí vem à memória a velha ERS-030. A longa jornada, via Gravataí (passávamos dentro da cidade), Glorinha,  Santo Antônio da Patrulha, (intervalo obrigatório, para esticar as pernas, tomar um café, comer sonhos açucarados), finalmente chegava-se a Osório, sinal que o mar se aproximava. A vida no ritmo possível da época. A velocidade era fiscalizada por carimbos impressos em cartões-ponto de cartolina nos postos de controle da Polícia Rodoviária (foto abaixo).

 

0095a116

Posto de Controle na entrada de Tramandaí, em 1958.
Foto: Sérgio (Osório), Acervo de José Ronn de Oliveira Martins

Comentários (6)

  • salomão jacob golandski diz: 26 de setembro de 2013

    me lembro como se fosse hoje , meu pai com o velho Hudson percorrendo a RS 030 e a fiscalização com as casinhas no meio da estrada . tínhamos 4 casinhas destas ao longo da estrada .

  • nilo diz: 26 de setembro de 2013

    excelente lembrança…iamos para tramandai no maverick v8 do meu tio lembro q paravamos pelo menos 3 vezes para descansar e esperar o carro esfriar…até apelidamps ele de “ferverick” …que tempo bom!

  • Alex tomasi diz: 17 de outubro de 2014

    Não sou desta época.mas gostaria de ter visto esta beleza !
    Gostaria de saber mais detalhes .

  • Diones Augusto da Silva Brasil diz: 9 de fevereiro de 2016

    Devia ser muito legal!!
    Tenho 32 anos e me divirto qndo viajo para o interior do estado. Antigamente deveria ser uma aventura maior ainda!!

    Abrç

  • Luis Dal Corso diz: 21 de março de 2016

    Lembro-me de uma viagem que fiz com meu pai Albino Dal Corso, no fusca 64, em que saimos da Rs-030 e entramos na ainda inconclusa free-way, num ponto onde as duas estradas quase se tocavam, entre Santo Antonio e Osório. Este fato ficou marcado em minha memória, pois circulamos na Free-way antes mesmo da inauguração. Anos mais tarde e após varias viagens para Santa Catarina, resolvi mudar para Porto Belo-SC.

  • marta de souza diz: 2 de julho de 2016

    esta fazendo 40 anos que fui desapropriada e nada recebi até hoje uma vergonha gostaria que a lava jato chegasse a dner e descobrir as maracutaia que tem nela

Envie seu Comentário