Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Quando não havia cirurgia plástica, aparelho alemão prometia modelar o nariz

12 de fevereiro de 2014 3
Desenho no manual mostra como usar o aparelho. Foto: Eliane Heuser, Reprodução

Desenho no manual mostra como usar o aparelho. Foto: Eliane Heuser, Reprodução

Muito antes do Botox e do Dr. Ivo Pitanguy, a vaidade humana já se manifestava de diversas formas. Afinal, nem todos estão esteticamente satisfeitos consigo, e alguns são capazes de qualquer sacrifício para acabar, ou pelo menos atenuar, a sua contrariedade diante do espelho. Hoje se recorre facilmente a cirurgia plástica, ou “procedimentos estéticos”, como ela vem sendo chamada, e pronto. Lá se vão as rugas indesejadas ou supostas imperfeições. O formato do nariz sempre esteve entre as preocupações mais comuns e, por isso, a firma alemã Zello patenteou em 1894, o Zello-Punkt, modelador universal para nariz.

O modelador nasal Zello-Punkt. Foto: Eliane Heuser, Arquivo pessoal

O modelador nasal Zello-Punkt. Foto: Eliane Heuser, Arquivo pessoal

O aparelho feito em bronze, e com acolchoamento interno forrado por couro, vinha num rico estojo, acompanhado de um folheto de instruções. O manual orientava o usuário indicando em quais dos seis parafusos ajustáveis ele deveria mexer para obter esse ou aquele resultado, sempre de acordo com o tipo de nariz pretendido. Recomendava ainda que o “modelador” fosse afixado ao rosto pelas tiras elásticas durante a noite, ao dormir. Os anúncios do produto prometiam “entrega discreta” e não se comprometiam na solução de defeitos ósseos. Acenavam com uma “cartilagem nasal normal”, num curto espaço de tempo.

Modelador na caixa original. Foto: Eliane Heuser, Arquivo pesoal

Modelador na caixa original. Foto: Eliane Heuser, Arquivo pesoal

A geringonça fez grande sucesso na época de seu lançamento, e a moradora de Santa Cruz do Sul, Lusa Gewer, de 87 anos, ainda guarda um deles que foi usado por sua mãe, Elma Brockmann Schütz. Consta que dona Elma sempre chegava para participar dos saraus, na Capital, com um nariz de fazer inveja.

Colaborou Eliane Heuser

Comentários (3)

  • eduardo menezes diz: 12 de fevereiro de 2014

    Nunca houvi falar deste aparelho, mas numa região da China tem algo semelhante para os pés femininos não crescerem, quanto menor o pé mais linda a mulher para eles.

  • Ricardo Souza Lima diz: 13 de fevereiro de 2014

    Muito interessante o artigo, não conhecia essa história. Hoje a correção de deformidade nasal ou aqueles defeitinho é realizado em procedimento cirúrgico pelo cirurgião plástico. Se baseia em técnica estruturada (fixação com pontos as cartilagens e seu reposicionamento), mas uma coisa ainda não mudou normalmente colocamos moldes, mas bem mais discretos :)

  • Carla diz: 25 de fevereiro de 2014

    Que estranho e ao mesmo tempo interessante! Eu, já nos tempos modernos optei pela rinoplastia. Realizei o procedimento há cerca de 3 anos na Clínica Master Health em SP, e me sinto muito bem. Recomendo!

Envie seu Comentário