Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Família lança livro de poesia em homenagem ao tradicionalista Clóvis Pradel Pinheiro

09 de abril de 2014 0
Pradel cumprimenta o major Lisboa. Foto: Foto Pastorin, Divulgação

Pradel cumprimenta o major Lisboa. Foto: Foto Pastorin, Divulgação

Não poderia haver local mais adequado. Hoje, no Centro de Tradições Gaúchas Rincão da Lealdade, em Caxias do Sul, será lançado, às 19h, o livro Minha Terra, que reúne poemas de Clóvis Pradel Pinheiro. O tradicionalista e poeta dedicou mais de 30 anos da sua vida àquele templo do nativismo. Pradel era porto-alegrense, nasceu em 5 de agosto de 1927, e formou-se em Odontologia. O Dr. Clóvis, como era conhecido, participou sempre e ativamente de todas as atividades do CTG desde 1954, quando ingressou na entidade atendendo ao convite do major Joaquim Pedro Lisboa.

Pradel dançando com a mulher, Corália. Foto: Foto Pastorini, Divulgação

Pradel dançando com a mulher, Corália. Foto: Foto Pastorini, Divulgação

Clóvis Pradel ocupou o posto de patrão por quase 13 anos, percorreu o Brasil integrando a sua invernada artística, foi considerado o “Tradicionalista do Ano” por três anos consecutivos, recebeu prêmios e honrarias, e acabou por tornar-se referência no tradicionalismo gaúcho. Ele foi responsável cultural pela 25ª Região do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). Manteve no jornal Pioneiro, entre 1959 e 1961, uma página temática dedicada ao gauchismo. Atuou no rádio e na televisão (TV Caxias, Canal 8) comandando programas como Canhadas e Coxilhas e o Rancho da Saudade. Morreu em maio de 1993.

Capa do livro de poesias que está sendo lançado nesta terça-feira. Foto: Reprodução

Capa do livro de poesias que está sendo lançado nesta terça-feira. Foto: Reprodução

Agora, por iniciativa de seus netos, Waleska e Fausto, o sonho de reunir a obra literária de Pradel em livro se concretiza. O amor que ele nutria pelo Estado estará expressado pela decisão da família em reverter integralmente a renda conseguida com a venda dos livros (R$ 25) ao Centro Assistencial oluntários Sem Fronteiras, uma ONG que cuida de 80 crianças em vulnerabilidade social.

Envie seu Comentário