Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Livro que conta a história da Faculdade de Direito da UFRGS é lançado nesta sexta-feira

25 de abril de 2014 1
O prédio do Direito, na Avenida João Pessoa, no início do século 20, quando ainda tinha o Instituto Júlio de Castilhos. Foto: Acervo do Setor de Patrimônio Histórico da UFRGS

O prédio do Direito, na Avenida João Pessoa, no início do século 20, quando ainda tinha o Instituto Júlio de Castilhos. Foto: Acervo do Setor de Patrimônio Histórico da UFRGS

Hoje, às 19h30min, será lançado o livro A Faculdade de Direito de Porto Alegre-UFRGS: memória, ensino e política desde 1900. A cerimônia será no Salão Nobre do prédio da Avenida João Pessoa. A obra, de 192 páginas em papel couchê, tem texto do historiador Gunter Axt e, além de fotos antigas, como aquelas garimpadas no Setor de Patrimônio Histórico da UFRGS, há também outras atuais, de Adriana Donato. História e tradição essa instituição de ensino tem de sobra, e o livro reúne informações oriundas da pesquisa que foi abrigada pelo Núcleo Diversitas da Universidade de São Paulo (USP), programa de pós-graduação interdisciplinar. A Faculdade de Direito da UFRGS teve sua instalação solene em 3 de maio de 1900, com o nome de Faculdade Livre de Direito de Porto Alegre. Foi a primeira no Rio Grande do Sul e a sétima instalada no Brasil.

Capa do livro "A Faculdade de Direito de Porto Alegre-UFRGS: memória, ensino e política desde 1900". Foto: Reprodução

Capa do livro “A Faculdade de Direito de Porto Alegre-UFRGS: memória, ensino e política desde 1900″. Foto: Reprodução

Funcionando inicialmente no antigo prédio do Liceo (Escola Normal), localizado na esquina das ruas Duque de Caxias e Bragança (hoje Marechal Floriano), transferiu-se, em 1910, para o atual endereço, uma construção neoclássica, réplica do “Palais du Rhin”, em Estrasburgo, antigo palácio de verão do Kaiser Guilherme II, imperador da Alemanha. O famoso arquiteto Theodore Wiedersphan assumiu a construção do edifício, a cargo de célebre firma porto-alegrense de Rudolph Ahrons. Já em 1913, Theodor Roosevelt, presidente dos Estados Unidos entre 1901 e 1909, numa visita à Capital, foi ali recebido. O primeiro diretor da Faculdade de Direito foi o desembargador Carlos Thompson Flores, e ali estudaram ilustres homens públicos como Getúlio Vargas, Joaquim Maurício Cardoso, João Neves da Fontoura, João Goulart, Francisco Brochado da Rocha e Alberto Pasqualini, entre outros. A sua influência sobre a cultura jurídica e sobre a política do país é imensa, sendo ombreada apenas pela Faculdade do Largo de São Francisco, da USP.

Comentários (1)

  • Marcelo Xavier diz: 25 de abril de 2014

    O projeto era do Hermann Menschen que, não sei por qual razão (dizem que fopi por motivos políticos), foi destituído do posto em favor do Theo Wiederspahn, que só tocou a obra. Anos mais tarde, aconteceria o mesmo com o Theo, que não pôde concluir o prédio da Medicina, cuja concepção era dele e que, sem o arquiteto, foi descaracterizado do projeto inicial.

    A lenda era o Hermann Menschen ele foi “queimado” pelo germanismo do projeto, já que os castilhistas – e a elite da cultura em geral, è época – era francófana até debaixo d’água. Curioso é que Estrasburgo foi anexada à França, anos depois.

Envie seu Comentário