Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Brasileiros consomem seis vezes mais sal do que o recomendável

14 de agosto de 2012 0

Uma estatística preocupante: nós estamos consumindo, por dia, seis vezes mais sódio do que os médicos recomendam. E o pior é que muitas vezes nem fazemos ideia de onde esse perigo se esconde.  Só este ano, a previsão é de que 20 mil pessoas vão ter câncer de estômago no Brasil. O número de casos não para de crescer. Um dos principais responsáveis é o sal, nome químico: cloreto de sódio.

O sódio é o vilão dessa história. Um estudo feito na Inglaterra mostra que diminuir o sódio na alimentação é uma necessidade urgente. Segundo a pesquisa, se os ingleses diminuíssem o consumo de sódio, um câncer de estômago em cada sete poderia ser evitado na Inglaterra. E no Brasil, isso também se aplica?

“Certamente, sim. Dado esta relação forte entre a ingestão excessiva de sódio e o câncer de estômago”, diz o oncologista Rafael Albagli.

A Organização Mundial de Saúde recomenda o consumo máximo de 2 gramas de sódio por dia. “E o povo brasileiro consome 12 gramas por dia”, alerta Mônica Dalmacio, nutricionista. Isto é: 10 gramas a mais do que o recomendado. Muita gente consome sem saber.

“O sódio é um metal que está distribuído na natureza praticamente em tudo. Nem tudo o que a gente lê no rótulo é sabor salgado porque não é o sal da cozinha”, explica a nutricionista.

O problema é que é difícil, só olhando o rótulo, saber se um alimento tem muito ou pouco sódio. A proposta dos autores da pesquisa para o governo da Inglaterra é obrigar os fabricantes a indicar a quantidade de sódio de um alimento pela cor. Por exemplo, alimento com pouco sódio traria na embalagem uma bolinha verde. Uma quantidade média, bolinha amarela. E os produtos com muito sódio, bolinha vermelha.

“É a melhor forma de ajudar as pessoas a reduzirem o consumo de sódio”, afirma Kate Mendoza, diretora da organização que fez a pesquisa.

“Sinal vermelho para todos os embutidos, não só a linguiça, o salaminho, hambúrguer e a salsicha”, diz a nutricionista Mônica Dalmacio. Molho de tomate no vermelho. “Tem muito sódio e está principalmente no conservante”, alerta.

“Os embutidos, como presunto e peito de peru, têm uma quantidade enorme de sódio”, explica Mônica Dalmacio.

“O produto doce, eu pensei que não tivesse sal nenhum”, justifica o militar Sidnei Gonçalves.

“Pode ter sal sim, inclusive nem tudo que a gente acha que tem sódio é salgado. No caso da azeitona, ela tem a conserva. A água para conservar é repleta de sal, é a maneira que você tem de conservar um alimento. Ela tem uma quantidade enorme de sódio, por causa da água para conservar. Então você tira a porção que vai consumir, lava com água filtrada, para reduzir o teor de sódio”, sugere Mônica Dalmacio.

Mãe e filhas estavam cheias de dúvidas. Bisnaguinha elas colocaram como tendo pouco sódio. “Mas não tem pouco sódio, não. Os pães em geral têm uma quantidade grande de sódio. A sopa de pacotinho é vermelho com certeza, porque tem uma quantidade muito grande de sódio”, ressalta a nutricionista. Assim como a salsicha, o macarrão e o pão de queijo.

A gente sabe que está consumindo muito sódio e não consegue medir esta quantidade. Existem alguns alimentos que conseguem anular este efeito do sódio no nosso organismo?

“Anular não sei se seria a palavra ideal, mas minimizar: a água, para diluir a quantidade de sódio que você está consumindo. Aumentar produtos vegetais, verduras, legumes e frutas, principalmente a água de coco. São alimentos fonte de potássio. O potássio é um contrabalanceador natural do sódio”, explicou Mônica Dalmacio.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Fonte: fantastico.globo.com – Veja também a reportagem completa em http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1681537-15605,00-BRASILEIROS+CONSOMEM+SEIS+VEZES+MAIS+SODIO+DO+QUE+OS+MEDICOS+RECOMENDAM.html

Bookmark and Share

Envie seu Comentário