Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Após recuperar Suárez, fisioterapeuta recebe reconhecimento na copa

24 de junho de 2014 0

Luis Suárez não chorou sozinho no extasiado vestiário do Uruguai na Arena Corinthians. As lágrimas do herói que o mundo aplaudiu de pé na quinta-feira misturaram-se à emoção de um outro guerreiro. Que troca os pés pelas mãos e poucos conhecem. Ou melhor, chegou a virar estrela por alguns segundos ao ter sua cabeça beijada com carinho incomum. Isso se chama gratidão. Luisito sabe que, sem Walter Ferreira, não poderia ter destruído os ingleses. O fisioterapeuta uruguaio também parecia saber. Tanto que, mesmo combalido por um câncer, acompanha de perto no Brasil os passos de seu pupilo e grande amigo. Sua rotina é moderada. Nem sempre vai aos treinos e é poupado de muito esforço físico e mudanças drásticas de temperaturas. É tratado como uma joia, pessoal e profissionalmente. Não por acaso, carrega uma alcunha de respeito. É o “Mão Santa” da medicina esportiva celeste. Seus serviços prestados na seleção são anteriores à era Óscar Tabárez. Ganhou fama ao recuperar craques como Ruben Sosa, Alvaro Recoba e Diego Forlán. Atendeu astros do quilate de Maradona e até atletas de outros esportes, como o tenista John McEnroe. Chegou a ser treinador por um jogo do Nacional-URU, clube em que trabalha até hoje e berço de Suárez no futebol, por conta de expulsão do titular. Desde a cirurgia no joelho esquerdo de Suárez, em 22 maio, Walter não se desgruda de Luisito, como se fosse o filho que ele perdera, anos atrás, em acidente de trânsito. Em algumas oportunidades, por conta da luta contra o câncer, chegava a realizar atividades de recuperação em terceiro turno fora do “Complejo Celeste”, em sua clínica particular ou na sua própria casa, sempre aberta ao jogador.

Luis Suárez abraça o fisioterapeuta da seleção/Foto Agência Getty Images

Uma dedicação recompensada com a atuação exuberante do pupilo. E ainda mais justificada com as palavras de agradecimento. Isso que Suárez deu dezenas de entrevistas na zona mista do estádio, falou aos microfones ainda no campo e também na sala de conferências, por ter sido eleito o melhor do confronto. E, em cada declaração sobre a lesão, um novo obrigado ao Mão Santa. Inclusive num vídeo gravado ainda no vestiário em Itaquera. – Só estou aqui por causa dele. Só joguei por causa dele. Ele é 90% responsável por isso tudo – avisou Suárez, sem jamais esconder as lágrimas. O médico Alberto Pan acompanhou de perto esse milagre, que transformou um homem em cadeira de rodas num herói nacional em 30 dias. E coloca outro fator como preponderante para o sucesso da empreitada: a química entre Suárez e Walter: – É muito grande a importância. A amizade deles gerou em Suárez uma enorme confiança. Ele conhece desde sua infância, adolescência, é uma relação quase familiar, que ajuda muitíssimo. Por sorte, contamos com esse amigo e excelente profissional. Walter Ferreira não foi apenas festejado no vestiário, como se tivesse feito um gol. Passou a concorrer com Suárez nos pedidos de entrevistas. O assessor de imprensa uruguaio, Matias Faral, já recebeu ao menos 400 e-mails sobre Luisito. E o fisioterapeuta. não fica muito atrás. No entanto, adotou a discrição. Optou por não se pronunciar. Walter Ferreira fala com as mãos.

Fonte: Lucas Rizzatti/globoesporte.globo.com
 
Bookmark and Share

Envie seu Comentário