Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

TJD indicia time amador por falta de ambulância

27 de abril de 2012 5

Não faltava mais nada na Copa Interligas! Agora, o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) indiciou o Estrela Azul pela falta de ambulância na partida contra o Unidos MRS, dia 8 de abril, em Santo Amaro da Imperatriz. Isso mesmo, pela ausência de ambulância em competição não-profissional. O julgamento está marcado para o dia 2 de maio, às 19h, na Fesporte, na Capital. Será que alguém viu alguma ambulância em algum jogo da Copa Interligas 2012?

Para conseguir policiamento e convencer os oficiais PM que os clubes não têm estrutura para providenciar uma ambulância foi um parto. Agora, o procurador do TJD indicia um time amador pela falta do veículo de resgate médico. O Estrela Azul foi indiciado no artigo 191, que prevê multa de R$ 100 a R$ 100 mil. O dirigente do Estrela Azul, Fábio Pelegrini, ficou sabendo do ocorrido pela imprensa e não acreditou.

Segundo o presidente do TJD, Mário César Bertoncini, o regulamento geral das competições da FCF, no seu artigo 15, prevê a obrigatoriedade da ambulância. Ele informou que os outros clubes não foram denunciados porque não houve o relato do árbitro ou do delegado na súmula. Começo a achar, que o dirigente Alberto Rocha Filho, o Rochinha, que é contra a Interligas pela falta de interesse da FCF, infelizmente, tem razão!

Comments

comments

Comentários (5)

  • EU diz: 27 de abril de 2012

    Piada Mesmo

  • Alberto Rocha Filho diz: 27 de abril de 2012

    Amigo Michael.
    O Rochinha nunca disse que é contra a Interligas tanto que já participei da mesma dirigindo a equipe do Jurerê sendo eliminado pela equipe Campeã (Canto do Rio) após aquela partida dias das mães que foi e não foi cancelada, etc…
    Sou contra sim e sempre serei pela maneira como é organizada, sem nenhum apoio financeiro e logístico da FCF levando os clubes participantes a assumirem dívidas e mais dívidas ao ponto de desistirem até mesmo do campeonato municipal como tem ocorrido em função dos compromissos financeiros assumidos pela participação na competição.
    Infelizmente os dirigentes não pensam antes de confirmar a participação da sua equipe e depois ficam berrando, lamentando-se.
    Vou mais além, continuando assim não muito distantes ficaremos sem as praças esportivas se nossas autoridades não tomarem providências em relação a estes crescimentos desordenados pelo ramo da Construção Civil que vem oferecendo fortunas.
    Muito em breve teremos mais dois campos de futebol que devem ter os mesmos destinos do Palmeiras do Canto da Lagoa.
    Abraços e Saudações Esportivas.
    Rocha (Rochinha)

  • Robson – CRUZEIRO PAIXÃO diz: 27 de abril de 2012

    Bom dia,
    Entendo as especificidaes de cada clube, ainda mais em grandes centros onde o poder público não tem condições de atender todas as demandas, contudo, em tese, o TJD tem razão, pois os clubes sabiam das obrigações quanto a segurança e saúde dos participantes.
    Como exemplo uso a fase oeste do estadual, aqui se não houver ambulância não sai jogo e ponto final. Aqui em ITÁ contamos com o apoio do poder público que cede a ambulância do município no horário do jogo.
    No quesito segurança, devido a falta de efetivo policial na maioria das cidades catarinenses, optamos por contratar empresa privada e legalizada para oferecer a segurança necessária, gastamos cerca de 400 reais com este serviço por jogo.
    Sobre o comentário do Rochinha, concordo que os gastos são altos, pois um clube que deseja chegar a etapa estadual precisa gastar de 30 a 50 mil nesta fase.
    Aqui no oeste este ano o campeão fará de 16 a 18 jogos e terá altíssimos custos de deslocamento visto que temos clubes desde Campos Novos até a divisa com a Argentina.
    Isto só reforça a posição do TJD, pois se gastam tanto com jogadores, transporte, segurança, arbirtagem, poderiam sim pagar a ambulância por 2 horas e não ter quaisquer problemas.
    Reforço o coro do Rochinha quanto a posição de “Pilatos” da FCF que não ajuda economicamente em nenhuma competição. É uma vergonha os clubes que sediam a etapa estadual terem que arcar sozinhos com toda a despesa!! VERGONHA!!!
    E mais, a “culpa” também vai pra CBF, pois até no Sul-Brasileiro não há nenhm tipo de patrocínio.

    Bem, espero que nos próximos anos aconteça finalmente a formação da associação de clubes amadores de SC e que assim possamos dar o devido respeito e reconhecimento financeiro que eles merecem.

    At,

    Robson Valmorbida -
    Itá.

  • Alberto Rocha Filho diz: 27 de abril de 2012

    Ao desportista ROBSON inicialmente os meus cumprimentos pelo comentário.
    Concordo plenamente que os clubes amadores ou não profissional devam se organizar através de uma entidade própria, ou seja, a sua ASSOCIAÇÃO como já existem as Associações em algumas das cidades em suas respectivas Ligas.
    Então está aí o convite aos atuais presidentes das Associações dos Clubes Municipais este intercambio marcando encontros para quem sabe FORMAR a Associação dos Clubes Amadores do Estado de Santa Catarina – ACASC
    Abraços e Saudações Esportivas.
    Rocha

  • Orivaldo Leal diz: 28 de abril de 2012

    Na data de 26 do corrente, Os presidentes das Ligas de São José, Fpolis e Sto. Amaro, juntamente com o Dr. Rodrigo Capela Juridico da FCF, e o Presidente do TJD Dr. Mario e o novo Procurador do TJD Dr. Filipe, discutiram a denuncia da falta de ambulância no Futebol Não Profissional, e tudo ficou definido…Já no dia 26 corrente, a FCF baixou uma Resolução, eximindo os Clubes Não Profissionais desta e de outras obrigações, distinguindo-se assim as obrigatoriedades. A presente decisão extende-se à todas as Ligas filiadas a FCF…seria de bom alvitre os Detec das Ligas, fazerem inserir em seus Regulamentos as modificações. Informo que todas Ligas filiadas já receberam a Resolução em epígrafe. Orivaldo Leal – Presidente da Liga de São José.

Envie seu Comentário