Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2008

Poeta novo

26 de setembro de 2008 2

Paulo Henrique Britto, é tradutor e poeta. Já recebeu um prêmio Portugal Telecom e é novamente finalista este ano. Confesso que não o conhecia. Divido com vocês essa bela descoberta.

 

SCHERZO

Ontem à noite, eu e você,
em plena cumplicidade,
em vez de fechar as janelas
como todo mundo faz
deixamos as nossas abertas
só para ver o que ia dar.

Deu nisso:
varreu as ruas um vento
saído de nossas janelas,
de dentro de nossas gavetas
onde nós há tanto tempo
guardávamos tempestades
pra algum dia especial
(que acabou sendo ontem).
O vento levou pedaços
de céu que atravancavam
nossos sóbrios conjugados;
enormes nuvens incômodas
rolaram janela afora
feito lerdos paquidermes
e se esparramaram a valer.
O ar fresco inesperado
de nossos apartamentos
causou transtornos na rua:
os transeuntes, coitados,
tossiam intoxicados
por excesso de oxigênio;
cambaleavam às tontas
pelas calçadas vazias.
Fui eu o primeiro a jogar
em baldes pela janela
a água clara que jorrava
de fontes desconhecidas
em áreas inexploradas
sob a cama e atrás do armário,
mas foi você quem soltou
do alto do oitavo andar
as primeiras plantas aquáticas,
os peixes, répteis e aves;
eu, porém, instituí
o pêlo e o viviparismo
dos mamíferos essenciais.

E como as ruas já estavam
inteiramente povoadas,
e como já os postes da Light
todos tinham evoluído
em árvores colossais,
e como ainda não eram
nem três horas da manhã
e já estava terminado
o grosso da Criação,
descemos até a rua
em busca de um bar aberto.
No primeiro que encontramos
nossos milagres caseiros
eram o assunto geral;
e nós, sedentos e incógnitos,
pedimos duas cervejas
e ficamos contemplando
sem espanto nem orgulho
a grama tenra e miúda

que brotava a nossos pés.

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

Obrigada

26 de setembro de 2008 0

Um beijo a todos os que dividiram comigo a alegria da Maria Luiza.

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

Vovó coruja II

24 de setembro de 2008 8


Romance? Essa minha avó não regula bem…

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

Vovó coruja

24 de setembro de 2008 3


Reação da Maria Luiza quando contei que estava escrevendo um romance.

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

O direito ao luto

22 de setembro de 2008 3

Quando meu pai morreu, em 1967, usei luto fechado por seis meses e meio luto por outros seis. Era costume na época, não se usa mais.

Pois agora leio um artigo dizendo que o uso do luto ajuda as pessoas a se recuperarem da perda. Dá a elas o direito de estarem, oficialmente, tristes.

Segundo o autor, dois psicanalistas, hoje as pessoas não se permitem mais o luto, não apenas o da roupa, não apenas o por morte de alguém. Nenhum luto, por nenhuma perda, seja amorosa, profissional ou física.

O mundo de hoje não tolera perdas, nem frustrações, nem imperfeições, nem fracasso. Há um culto ao poder, à beleza, à constante alegria. É preciso reagir e rápido, ser forte, dar a volta por cima.

Hoje, ao invés de estar junto, de ouvir, recomenda-se um “remédinho” . Hoje, as pessoas têm vergonha de estarem tristes. 

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

Culpa II

20 de setembro de 2008 2

Já que, em mim, existem muitas anas e a unanimidade é burra, com uma frase do Nelson Rodrigues, me contraponho, discuto comigo mesmo sobre a questão da culpa.

Só não estamos de quatro, urrando no bosque, porque o sentimento de culpa nos salva.

                                                                         Nelson Rodrigues                        

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

Poema

20 de setembro de 2008 4

Aflição de ser eu e não ser outra.
Aflição de não ser, amor, aquela
Que muitas filhas te deu, casou donzela
E à noite se prepara e se adivinha
Objeto de amor, atenta e bela.

Aflição de não ser a grande ilha
Que te retém e não te desespera.
(A noite como fera se avizinha)

Aflição de ser água em meio à terra
E ter a face conturbada e móvel.
E a um só tempo múltipla e imóvel

Não saber se se ausenta ou se te espera.
Aflição de te amar, se te comove.
E sendo água, amor, querer ser terra.


                                                Hilda Hist

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

A culpa

19 de setembro de 2008 3

O lugar do filho é no seu berço em seu quarto, nunca a cama dos pais. Não se deve confundir os papéis, e é preciso preservar e cuidar da intimidade matrimonial. No entanto, nenhuma mãe deve sentir-se culpada se, dando de mamar recostada na cama, ela e o nenê adormecerem juntos.

O trecho acima eu retirei de um artigo escrito por uma senhora ” licenciada en Ciências Familiares ” no jornal El Pais do Uruguai.

Num primeiro momento, fiquei com vontade de rir, depois, de chorar.

Se uma especialista no assunto escreveu é porque talvez existam realmente mães que se sintam culpadas na situação descrita. 

Até quando o ser humano vai viver com esse absurdo sentimento de culpa capaz de fazer da simplicidade um sofrimento?

 

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

Afinal, o que é Arte?

18 de setembro de 2008 0


Afinal, o que é arte ?
Andy Warhol, aquele que pintou as muitas latas de sopa Campbell e os rostos repetidos de Marilyn Monroe disse que “arte é aquilo do qual  você consegue convencer as pessoas” . Será ? 
Fico me perguntando se Duchamp não fosse quem era, a famosa roda ( que nada mais é que uma roda de bicicleta parafusada num banquinho) estaria no MOMA de Nova York?
E o urinol, seria, como é, ícone, símbolo de uma ruptura ?
Li num artigo que Duchamp foi o primeiro a pensar arte como coisa mental, a coisa mais importante que aconteceu em arte depois de Leonardo da Vinci.
Por outro lado, gente muito mais preparada do que eu, já chamou o que aparece nas Bienais de  descartável,  compararam até a alegorias de carnaval que depois ficam abandonadas nas ruas e viram lixo.
Concordo em parte, vi muita bobagem em Bienais e vi também instalações que me comoveram. Que, para mim, foram arte, e da boa.
Arte é apenas aquilo que consegue ter valor de venda?
Aquilo que se consegue convencer as pessoas a comprar? 
O que se espera afinal que a arte crie em nós ?
A satisfação do nosso anseio de beleza ?
Arte tem que preencher o conceito de bonito, ou não importa a beleza e arte é o que nos leva além,  ponto de partida para novos pensamentos?
Já pensaram se Van Gogh tivesse querido só pintar “bonitinho” e não ousasse  aqueles céus lenhosos e perturbados, se Gauguin,  não tivesse ido viver no Tahiti e arriscado mostrar que havia outros temas além dos europeus ?
 Estaríamos ainda pintando “ capelas sistinas”. Linda, concordo, mas a vida toda?
Afinal, o que é arte ? Para ser bem sincera, ainda estou pensando

Postado por ana mariano

Bookmark and Share

Centenário

18 de setembro de 2008 2

Meu irmão escreve para lembrar que hoje nosso pai faria 100 anos.

Ele e Guimarães Rosa nasceram e morreram nos mesmos anos – 1908 e 1967.

Por onde andarem, devem de estar contando histórias.

Um beijo, pai.

Postado por ana mariano

Bookmark and Share