Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Dream Valley"

Tapesh e Umek: cansaço convertido em sintonia com o público

16 de novembro de 2014 0

O alemão Tapesh desde a década de 80 respirava a essência da música eletrônica ouvindo muito kraftwerk e funk music quando frequentava o club de seu pai e, além destas influências, seu gosto musical acabou por rechear seus sets com baixos profundos, groove e um amplo background musical que há décadas fez fãs por todo o mundo. Toda essa influência contagiou também o público que marcou presença no palco Mystic do Dream Valley Festival. Não teve jeito: a espera pelo DJ foi tanta que o pessoal não se conteve. Todo mundo pulou e gritou enlouquecidamente quando Tapesh subiu ao palco.

_CWG6668

Seu estilo único, que fomentou uma vertente ousada de artistas que unem diversos tipos de sons sem medo, acabou por ganhar fãs como Loco Dice, Jamie Jones, DJ T and Anja Schneider, e por proporcionar à Tapesh parcerias com nomes como Amine Edge & Dance e Sharam Jey. As parcerias apareceram, é claro, na setlist. Os fãs, superentusiasmados, cantaram desde a primeira música com o alemão. Apesar do aspecto cansado, de quem viajou por muito tempo para tocar no Dream Valley, o DJ não decepcionou.

Umek, apesar de menos cansado e mais visivelmente empolgado para levantar a galera, não inovou no som. Assim como grande parte dos DJs do DVF deste ano, apostou nas mesmas batidas. Mas o público nem se importou. Com uma energia invejável, todo mundo recebeu de braços abertos o europeu indicado duas vezes ao

A vibe ficou dividida entre momentos de extrema agitação – principalmente quando a música era um dos sucessos estourados por Tapesh mundo afora – e calmaria, quando os DJs interagiam com o público e embarcava todos em uma viagem eletrônica. As batidas fortes e marcantes, porém, não deixaram brecha para muita tranquilidade. Todo mundo queria mesmo era dançar. Sozinhos, em par ou em grupo, os dreamers não ficaram parados.

 

Dimitri Vegas & Like Mike encerram terceira edição do Dream Valley Festival

16 de novembro de 2014 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Na terceira edição do Dream Valley Festival destacaram-se os duos – começando pelos catarinenses Elekfantz, que abriram o brilhante line up de sexta no Mystic Stage, passando pelos brasileiros Felguk e Jetlag e finalmente o som nervoso dos canadenses DVBBS. No sábado, para fechar com chave de ouro, os belgas Dimitri Vegas & Like Mike, atração das mais aguardadas do festival, assumiram as pick ups do Dream Stage somente às 6h20 do domingo – atraso de efeito dominó devido a um acidente na BR-101 que dificultou a chegada de alguns artistas ao parque Beto Carrero World no horário combinado.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Os irmãos belgas incendiaram a pista nos primeiros raios da manhã. Carisma e tracks contagiantes, reanimaram os dreamers que já estavam se entregando ao sono.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Se na sexta-feira o line up do Mystic Stage foi perfeito, no sábado o Dream Stage foi espetacular e com menos clichês se comparado à primeira noite. Começando pelos brasileiros do projeto Jetlag, passando por Dyro, DVBBS e finalizando com os três astros veteranos Fedde Le Grand, Kaskade e Dimitri Vegas & Like Mike.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Kaskade – cenas reais e vocais femininos

16 de novembro de 2014 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Penúltimo DJ da noite no palco principal do Dream Valley, o norte-americano Kaskade assumiu a cabine com a missão de ser tão empolgante ou mais que Fedde Le Grand, o holandês que segurou a energia nas alturas por quase duas horas. Veterano, ele economizou palavras, mas assim como seu antecessor apresentou um set original.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Apostou em vocais femininos e nada de clichês. Outro diferencial foi o visual nos painéis de led gigantes que emolduraram o palco. Em vez de criações digitais e abstratas, trouxe cenas reais de mulheres e flores.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

 

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Fedde Le Grand – por um set sem clichês

16 de novembro de 2014 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Mais um representante da escolar holandesa, Fedde Le Grand já é veterano e tem uma apurada e impecável técnica de discotecagem. Sua apresentação não teve nenhum furo no Dream Stage e, ao contrário dos artistas de sexta, quase não teve clichês e músicas repetidas. Bem mais econômico nas palavras – nada dos chavões “put your hands up” – ele ainda assim é carismático.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

O set do Le Grand abusou de sons graves, remixes  originais e música com conteúdo. Em alguns momentos parecia uma apresentação experimental mais comum na pista underground do Mystic Stage. Foram quase duas horas de apresentação empolgante e dançante.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

DVBBS - Cabeludos na área

16 de novembro de 2014 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Depois de enfrentarem fila e trânsito na BR-101 por causa de um acidente, os canadenses do projeto DVBBS chegaram literalmente incendiando a pista. Que energia!! Com um som nervoso, rápido e autêntico, os irmãos Cris e Alex Andre não deram nenhum respiro para os dreamers e provocavam a plateia a interagir e a dançar com as mãos para cima.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Em vez de atrás da pick up, um deles sentiu-se mais à vontade mesmo foi em cima da mesa de som e com microfone na mão: “put your hands up! Put your hands up”, gritava.

Eles são um dos nomes mais pedidos do momento em grandes festivais e conseguem ser originais com sets de big room house e eletro house.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Óculos escuros e a moda cool dos festivais

16 de novembro de 2014 1

Os festivais de música que rolam mundo afora são populares não só pela multiplicidade de sons, mas por serem verdadeiros ditadores de moda. Basta dar uma olhada em eventos como  o  o Coachella e Lollapalooza, que fazem saltar aos olhos looks marcados pelo desejo supremo do público: se destacar na multidão. E não poderia ser diferente no Dream Valley Festival.

Durante as duas noites de batidas eletrônicas circularam pelo Parque Beto Carrero World pessoas de todos os estilos. Dos mais despojados, com suas camisas de flanela e tênis Converse, aos mais produzidos, com combinações estampadas e cheias de brilho, teve moda por todo canto. No sábado, segundo dia de festival, imperaram os óculos de sol. Deixando de ser um item de necessidade para virar objeto cool, o acessório bombou em praticamente todos os looks. Modelos estilo aviador, clubmaster e de coração foram os mais vistos.

Abaixo, confira os cliques do fotógrafo Patrick Rodrigues com os looks que chamaram a atenção na segunda noite de Dream Valley:

_CWG6196

_CWG6206

_CWG6337

_CWG6349

_CWG6355

_CWG6367

_CWG6370

Espetáculo visual na apresentação de Dyro

16 de novembro de 2014 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Dyro é um dos DJs mais jovens desta edição do festival. É também um dos mais bonitinhos no gosto das mulheres e vem da famosa escola holandesa de música eletrônica. Hardwell, DJ também holandês, afirma que Dyro é seu herói inspirador e bem se vê a razão. O garoto apresentou um set de uma hora e 45 minutos e 100% original, empolgante e dançante, com certeza uma das grandes atrações da noite.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

O visual, no entanto, foi o mais impactante. Se Afrojack arrasou com show de imagem, a apresentação de Dyro foi espetáculo de luz e cor. Visto de longe, de perto, na lateral, o Dream Stage reluziu multicores e provocou múltiplas sensações no público. Uma verdadeira viagem sensorial.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

 

Gente diferente e muito amor no sabadão de DVF

16 de novembro de 2014 0

Quem sai de casa para curtir um superfestival de música eletrônica sabe que não dá pra ser careta, né? E há quem leve essa ideia à máxima das máximas. É o caso do público que deixa a “roupa de todo dia” no guarda-roupa e decide se destacar em meio à multidão. No sábado do Dream Valley Festival teve de tudo: gente fantasiada, com acessórios inusitados e até casais que provam que não é preciso ser solteiro para curtir a balada.

Os amigos André Fernandes e Carlos Filho, ambos de Belo Horizonte (MG), vêm  de longe todo ano para curtir as duas noites de música. Neste ano quiseram causar: foram munidos de fantasias de vaquinha. A justificativa? Chamar a atenção das mulheres, é claro.

vacas

Já o Gustavo Quitto, de Pato Branco (PR), arranjou um cocar para enfeitar a cabeça. Ele conta que se inspirou nos festivais internacionais, como o Tomorrowland.

_CWG6364

As melhores amigas Gabriele Borges e Elisabete Mello, de São Domingos, em Navegantes, não perdem o Dream Valley por nada. Grudadas e animadas, elas curtiram todos os sons da noite lado a lado.

_CWG6376

Já o casal de namorados Edson da Silva e Cristina Monteiro veio de Criciúma especialmente para conferir o line-up do DVF deste ano. Eles contam que vêm juntos todos os anos e que mesmo que o Dream Valley seja um evento marcado pela pegação, dá pra curtir um climinha apaixonado a dois.

_CWG6379

Marcelo CIC é um DJ de carisma e técnica

15 de novembro de 2014 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Carioca Marcelo CIC apresentou um set animado, como já era de se esperar. Ele tem intimidade com o Dream Valley: se apresentou no festival no ano passado e assinou o tema oficial do evento em 2013, a música Keep Running.  É um DJ com técnica apurada e representante da nova e talentosa geração de DJs brasileiros.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foi o segundo DJ a assumir a pick up do Dream Stage e último brasileiro do palco principal. Mostrou remixes originais de tracks já bem conhecidas, outras nem tanto. Ponto alto de seu set foi a estreia de duas novas músicas, apresentadas com exclusividade no DVF.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Jetlag e a desorientação temporal

15 de novembro de 2014 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Interessante o nome do projeto assinado pelos DJs Thiago Mansur e Paulo Velloso: Jetlag. O termo é usado para explicar a descompensação horária e as alterações no organismo de quem viaja mudando de meridiano. É essa mais ou menos a sensação causada pelo som da dupla, uma desorientação temporal bem vinda, embalada por uma combinação equilibrada de eletro e progressive house.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Eles abriram a segunda noite do Dream Valley Festival no palco principal, o Dream Stage. Começaram curiosamente com som mais pesado e aos poucos foram dando espaço para música progressiva, trilha sonora indicada para a noite que está apenas começando.

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS