Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Literatura"

No museu, os poetas estão vivos

26 de setembro de 2014 1

Por Jura Arruda*

O Museu de Arte de Joinville (MAJ) reabriu suas portas em maio. Só agora o visitei, por um ótimo motivo: o lançamento do livro O Corpo das Hortênsias escrito a quatro mãos por Rita de Cássia Alves e Marcos Laffin. As histórias de ambos se cruzam, se alinham, se atravessam há 30 anos, desde um longínquo 1984 quando, pelas portas da Rádio Cultura, viram (ou seria melhor dizer, ouviram) seus trabalhos ecoarem pelos microfones da segunda rádio mais antiga de Santa Catarina. Sob o comando de José Eli Francisco, o programa Show das Dez abriu espaço para a poesia declamada e, para isso, lançou mão de duas vozes expoentes da poesia joinvilense: Dúnia de Freitas e Mila Ramos.

Crédito: Bernardéte Costa
A chuva deu trégua na noite desta quinta-feira, 25/09, o suficiente para que parte do evento se desse no jardim do museu. Os convidados chegaram aos poucos, mansa e discretamente. Passava um pouco das 19 horas quando as homenageadas Mila e Dúnia chegaram. Mila que, depois de dois anos de reclusão, saiu de casa e nos agraciou com sua presença branda e majestosa; Dúnia nos trouxe sua voz potente e seu riso solto.

Mais tarde, chegou discreto como sempre o Capim, com fagulhas nos olhos e sabe-se lá quantas lembranças vivas. Eu os conheci a todos quando ainda jovem, recém chegado a Joinville. Estavam nos ônibus que peguei, colados nos vidros a dizer metáforas e rasgar o cotidiano das pessoas.

Os escritores Rita de Cássia e Marcos Laffin (sentados) com a poetisa homenageada Dúnia de Freitas

Os escritores Rita de Cássia e Marcos Laffin (sentados) com a poetisa homenageada Dúnia de Freitas

O que dizer sobre a obra lançada? Que a alma da poesia joinvilense se revela a cada página, ou pétala, do livro; que Rita e Laffin alimentam-se e a nós com seus textos banhados de imagens, textos que muitas vezes nem carece entendimento, por sê-los, em sua estrutura, sonho febril e alma lavada. Poesia hereditária das noites zaragatas ou dos varais literários.

Com alma de menino e coração de fã, encontrei Mila Ramos, pessoalmente, pela primeira vez. Mal consegui dizer tudo o que ela representou para aquele jovem vestido de poesia, que no caminho perdeu a rima e deu para se alimentar de prosa, mas que traz em si todas as entrelinhas do que leu nas portas dos ônibus de uma cidade que ainda cheirava a chaminé, mas que exalava nas manhãs primaveris cheiro de ipê e poesia. Não me esquecerei desta noite em que vi muitas daquelas portas de ônibus em um mesmo evento no jardim do MAJ.

Da esquerda para a direita: o escritor David Gonçalves, a escritora Mila Ramos, o radialista Eli Francisco e a escritora Dúnia de Freitas

Da esquerda para a direita: o escritor David Gonçalves, a escritora Mila Ramos, o radialista José Eli Francisco                                        e a escritora Dúnia de Freitas

De microfone em punho, Eli Francisco contou-nos saborosas histórias de rádio e poesia, lembrou que o dia 25 de setembro é o Dia da Radiodifusão e nos fez cantar saudosos a vinheta de abertura de seu programa. Estávamos todos em sintonia com o show das dez, em sintonia com um passado rico da literatura e da radiodifusão da cidade. Estávamos em um museu onde a história se apresentava vivíssima, não pela exibição de estátuas, quadros ou bonecos de cera, mas pela presença de poetas de carne e osso, que diante de nossos olhos, trouxeram à primavera o tronco do ipê, o corpo das hortênsias e alma de todas as flores.

*Jura Arruda é escritor.

Capoeira, música e sessão de autógrafos em Blumenau!

14 de agosto de 2014 2

Um show de capoeira, música e muito carinho marcaram o lançamento de Quissama – O Império dos Capoeiras, novo livro do escritor catarinense Maicon Tenfen, na noite de quarta-feira em Blumenau. O evento rolou na Livraria Blulivro do Shopping Park Europeu e reuniu amigos, alunos, colegas de profissão e autoridades em uma supernoite recheada de atrações especiais.

Um dos destaques foi a apresentação do Grupo Muzenza de Capoeira, que animou os convidados com movimentos incríveis do esporte que já é o segundo mais praticado no Brasil. Além disso, a banda The Zorden mandou muito bem em uma performance da canção-tema composta sob encomenda para a obra, que em breve deve virar um longa-metragem animado nas mãos do Belli Studio, de Blumenau. Logo após, o escritor fez a tradicional sessão de autógrafos.

Abaixo, confira algumas imagens do lançamento feitas pelo fotógrafo Patrick Rodrigues!

blu3
blu2
blu1

Confira a apresentação dos capoeiras com a banda The Zorden: