Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Zeca Baleiro"

Zeca Baleiro e Zélia Duncan flertam e encantam um CIC lotado com novo show

09 de agosto de 2014 1

Manja início de namoro? Tensão gostosa entre os enamorados, flerte, chamego, charme e sorrisos dispensados a cada segundo. Zeca Baleiro e Zélia Duncan, amigos e fãs um do trabalho do outro, encarnam este clima no show Zélia Duncan e Zeca Baleiro.

A dupla fez a quarta apresentação da turnê na noite gelada de sexta-feira no Teatro do CIC, em Florianópolis

- Quase não tá dando para tocar – falou Zeca, referindo-se às mãos frias.

Os ingressos para o show já tinham esgotado no meio da semana e, de fato, faltou vaga no estacionamento do CIC. Carros tiveram de ser parados sobre as calçadas.

Zeca e zelia boa

Pouco antes de a dupla entrar no palco, ouve-se o aviso para não usar flash em fotos e vídeos: “o flash incomoda as pessoas ao seu lado e atrapalha os artistas”.

Humm… um adendo interessante ao tradicional alerta de desligue celulares e câmeras, que de certa forma insinua o que vem pela frente: um show intimista, quieto, aconchegante. Às 21h20min, os artistas entram no palco. Banquinho, violões e as vozes graves inconfundíveis de Zélia e Zeca.

O repertório - diferente do que se espera - não desfila só pelos grandes sucessos dos Zs. Tem músicas novas compostas pelos dois e interpretações de canções de outros autores: “É claro que esse show tem uma parte autoral, mas também tiramos do baú canções que nós gostamos” explicou Zeca

Zeca e zelia3

Nessa vibe, Zeca propôs a Zélia cantar Mulheres, de Martinho da Vila. E, no maior clima citado no início do texto, Zélia conta: “ele trouxe essa música. Disse que era para eu cantar. Eu vou cantar pra vc, Zeca” Então, Zélia inicia os primeiros versos:

“Já tive mulheres… Mas nenhuma delas me faz tão feliz como você me faz”, finaliza e aponta ao parceiro.

Risos, beijos na mão, abraços, flertes, declarações de carinho entre um e outro povoam a “missa”.

Logo no início, Zélia Duncan conta que esse show acontece por um único motivo que deveria ser aquele que nos move o tempo todo: “o querer, o prazer de fazer”, revela e explica que os dois apostaram no projeto pela única vontade de tocarem juntos.

Em cerca de uma hora e meia de apresentação, há os momentos em que Zélia e Zeca ficam sozinhos no palco. E aí um canta o sucesso do outro - destaque para Zeca cantando Nos Lençóis Desse Reggae, música que o fez ouvir Zélia pela primeira vez e o deixou “deveras impressionado”.

A parte final é dedicada a grande sucessos de um e outro. Catedral é cantada à capela e Babylon também. Mas é uma capela baixinha, respeitosa, sutil.

“Obrigada. Eu gosto desse show por que ele tem esse silêncio. E o silêncio é onde nasce a música”

Com seu bom humor, Zeca tira uma onda com Zélia depois da “filosofada” do silêncio. A gente também registrou em vídeo: