Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 28 maio 2011

Osso duro para o Olympya

28 de maio de 2011 0

Henrique Porto/Avante

O Olympya vai ao Oeste do Estado com dois objetivos bem definidos: manter-se firme na liderança do Campeonato Catarinense Feminino de Futebol 2011 e quebrar um tabu de nunca ter vencido a equipe do Kindermann, atual campeã do Estado. A partida, considerada decisiva para as jaraguaenses, acontece este domingo, às 15 horas, em Caçador.

No primeiro turno, no campo do João Pessoa, as duas equipes empataram em 1 a 1. Diga-se de passagem, este foi o melhor resultado do Olympya diante das rivais. Desde que as equipes começaram a se enfrentar, em 2008 foram cinco confrontos dos quais quatro terminaram com vitória das caçadorenses. “O time delas é forte, mas a gente sabe que o time do Kindermann passou por uma série de mudanças no elenco. Quanto a nós, conseguimos manter a base dos últimos anos”, disse o técnico do Olympya, Luiz Polenta.

Já Marise atacante do Olympya e artilheira da competição com seis gols, afirma que o grupo está bem concentrado para esta partida. “Ganhar o segundo turno também é nossa meta. Com isto, conseguiremos trazer final para cá”, destacou a jogadora. “Mas devido as cirrcunstâncias da tabela o empate também não zerá um mau resultado. Na classificação geral, o Kindermann abriu cinco pontos de vantagem sobre as rivais.

Campeã estadual em 2007 por Jaraguá, Marise também participou dos cinco confrontos com as caçadorenses até agora. “Acredito que nosso grupo está mais unido e experiente nesta temporada. Isto nos deixa mais confiantes de que é possível sermos campeãs. Mas tenho que reconheer que este será o jogo mais difícil no Estadual. Até porque elas devem se reforçar para buscar o título desta fase”, analisou Marise.

Mas antes de encarar a forte equipe do Kindermann, a delegação do Olympya terá outra adversária: a distância. A equipe embarca para Caçador na madrugada de sábado para domingo numa viagem de 6 horas com cerca de 600 quilometros de distância. “A gente deve chegar lá por volta do meio-dia de domingo, almoçamos e já vamos para o campo (estádio Carlos Alberto Costa Neves).

Retornamos logo após a partida e devemos chegar entre 1 e 2 horas da manhã de segunda em Jaraguá do Sul”, descreveu Marise que fora das quatro linhas é instrutora de auto-escola. “Vai ficar puxado, mas faz parte”, sorriu atleta, que como a maioria do time exerce função das empresas da região.