Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "23ª Schützenfest"

Público da Schützenfest chegou a 63 mil visitantes

13 de outubro de 2011 0

Bem mais do que o esperado. A 23ª Schützenfest terminou com a participação de 63.185 visitantes, conforme levantamento da Comissão Central Organizadora (CCO). A expectativa inicial era de receber 60 mil pessoas.

Na quarta-feira, último dia do evento, passaram pelo Parque Municipal mais de 17 mil visitantes. A prefeita Cecília Konell disse que a próxima edição promete ser melhor. A expectativa do presidente da CCO, Alcides Pavanello, é que as atrações musicais sejam mais diversificadas em 2012 para atrair mais pessoas.

FOTOS: Veja galeria de imagens da festa

A organização deve manter a proposta de apoiar as sociedades de tiro na organização dos desfiles e também na administração do estande de tiro. Esse ano, essa estrutura foi ampliada para 30 boxes para atender as modalidades chumbinho, seta e mira aberta. No final da festa foi empossado as majestades do tiro de 2011.

O Rei dos Rei é Fabiano Luis Schmidt e a Rainha das Rainhas Adriane Hen. Os dois foram os que tiveram as melhores somas de pontos nas três modalidades de tiro nas competições realizadas durante o ano.

Schützenfest: até o ano que vem

13 de outubro de 2011 0

A 23ª Schützenfest terminou ontem e deixa um gostinho de quero mais. No dia da abertura, representantes das sociedades de tiro desfilaram no Parque Municipal de Eventos e, dois dias depois, nas ruas de Jaraguá do Sul.

Na casa da Schützen, competições de tiro e um café colonial foram algumas das atrações que também chamaram a atenção de gente de fora da região. Que venha a 24ª Schützenfest. Até 2012!

Veja mais fotos da festa da Schützenfest numa galeria especial de imagens!

Schützenfestinha: a festa também foi das crianças

13 de outubro de 2011 0

Quem foi na quarta-feira ao Parque Municipal de Eventos, durante o último dia da 23ª Schützenfest, encontrou diversão garantida para as crianças. Uma estrutura foi montada entre os pavilhões B e C para alegrar os pequenos. Entre os brinquedos, havia os infláveis, como cama elástica e piscina de bolinhas, além de um parque de diversões que garantiu momentos emocionantes para pais e filhos.

O twister, brinquedo que gira em alta velocidade, foi o destino preferido do público. As irmãs Eduarda Câmara, 14 anos, e Letícia Câmara, nove, foram juntas no aparelho pela primeira vez e aprovaram. “Foi muito divertido”, conta Eduarda. Os primos Alex Claudio Henz, dez anos, e Gabriel de Almeida Henz, também se divertiram. “Chegamos às 14h30 e vamos ficar até a hora que fechar”, comenta a mãe de Alex, Doriane Koch Henz. “Achei uma ótima ideia de oferecerem opções para as crianças durante a festa”, diz a mãe de Gabriel, Fabiane Rosa de Almeida.

Eliana Rodrigues de Souza, 34 anos, encarou o twister ao lado do sobrinho Adrian, de cinco anos. Ela se surpreendeu com a coragem do menino. “Ele estava bem calmo, até mais do que eu”, diz. “Não fiquei com medo nenhum”, garante o garoto. Enquanto isso, a mãe de Adrian, Ângela Soares Dias, 24 anos, e o irmão mais velho, Maik Dias Antunes, nove anos, ficaram de olho na reação das pessoas que se divertiam nas alturas.

Organização da Schützen comemora retorno da população

13 de outubro de 2011 0

A cada ano, após a realização de mais uma Schützenfest, as equipes que ajudaram a organizar o evento se reúnem para fazer um balanço da festa. A ideia é manter o que deu certo, corrigir os erros e modernizar para que essa tradicional mobilização cultural seja cada vez mais valorizada. Ontem à tarde, em meio à chegada de famílias que passavam pelas catracas de acesso ao Pavilhão Municipal de Eventos, o presidente da comissão organizadora da 23ª Schützenfest, Alcides Pavanello, estava entusiasmado. “Vamos chegar aos 60 mil visitantes”, disse, animado com a presença do público. Naquela hora, a festa contabilizava 45,7 mil pessoas.

No desafio de sempre fazer um evento que mobilize a região, Pavanello destaca que a festa deste ano foi melhor que a do ano passado porque houve mais tempo para a organização. “Acho que valeram a pena esses oito meses que tivemos de preparação. E o principal foi a resposta do povo de Jaraguá do Sul. Não adiantava o trabalho se as pessoas não dessem a resposta. Felizmente, tivemos esse retorno da população”, destacou.

Nessa entrevista, Pavanello faz o balanço do evento e projeta a festa para 2012.

A Notícia – Como o senhor avalia a festa deste ano?

Alcides Pavanello – Tivemos mais tempo para a organização. Começamos em fevereiro. O que deixou a gente mais satisfeito é que a festa voltou a ter credibilidade. A população de Jaraguá do Sul e região retomou o gosto pela Schützenfest. Esse é o grande segredo: que as pessoas da nossa terra comecem a sentir orgulho da festa. O clima do evento deste ano foi bem mais alegre do que do ano passado. Em 2010, foi mais difícil de encaminhar por causa da falta de credibilidade no evento – em 2009, houve um prejuízo de R$ 400 mil – as sociedades quase não participaram e o envolvimento delas não chegou a 20%. Neste ano, foi bem diferente. O segredo foi resgatar a motivação das pessoas. Tivemos uma mobilização dos integrantes da da comissão organizadora, das Associação dos Clubes de Tiro e a aceitação das pessoas.

AN – O que pode ser mudado para que 2012 seja melhor?

Pavanello – Em momento nenhum queremos comparar ou fazer com que a Schützen seja uma segunda Oktoberfest. A nossa festa é diferente. Ela é dirigida à população da cidade e da nossa região. Uma festa onde as pessoas possam vir com a família. O parque de eventos oferece um lugar sossegado e tranquilo. Quem vem aqui pode participar e aproveitar a praça, sentar à mesa e tomar o chope gelado. Tem muita gente de Blumenau que vem para cá para matar a saudade da velha Oktober. E é isso que vamos manter, e algumas coisas serão reinventadas.

AN – O que, por exemplo?

Pavanello – De última hora, decidimos colocar uma tenda eletrônica. Ela acabou sendo um sucesso. Colocamos nos fundos do parque para que a pessoa que ia até lá passasse por todos os pavilhões para sentir também o clima da festa e o que é a sociedade de tiro. Isso serviu para integrar e vamos manter. Vamos ter de fazer uma divisão imaginária no parque e definir que o pavilhão A não pode ser mexido. É ali que se concentram as atividades das tradições germânicas. As entidades têm de entender que somente com o foco nas tradições não dá para manter a festa. Agora, não dá para fazer disso aqui um Rock in Rio, mas podemos dar outras opções musicais. Acho que com uma variação bem pensada vai atrair um público diversificado. Temos um check list com mais de cem itens que temos de reavaliar, como aumento no número de banheiros. Tudo será planejado para que a festa do ano que vem seja melhor.

Mais de 1,5 mil pessoas aproveitaram a programação especial da Tarde dos Idosos da Schutzen

12 de outubro de 2011 0

Os idosos mostraram nesta terça que têm disposição de sobra para encarar a maratona da alegria da 23ª Schützenfest. Cerca de 1,5 mil pessoas dançaram ao som da banda Hanover, e a pista de dança no pavilhão B do Parque Municipal de Eventos estava sempre cheia. Além de entrarem no rítimo da música, assistiram à apresentação do Grupo de Boi de Mamão, da Escola Ribeirão Molha.

Quem não parou de dançar foi o casal Edla Kaestner, 73 anos, e Edemar Einsfeldt, 79. Vestidos com trajes típicos, os dois curtiram cada música. “Está muito bom. Só acho que poderia resgatar um pouco mais a tradição alemã e tocar mais músicas germânicas”, sugeriu Edemar. O casal participa do Grupo de Idosos Afonso Piazera, do Centro de Jaraguá do Sul.

Além do grupo de Edla e Edemar, mais 13 grupos de terceira idade estiveram no evento. O Centro de Referência de Atendimento Social do Idoso (Cras) organizou a festa que distribuiu mil cachorros-quentes e 1,2 mil copos de refrigerantes.

Para aproveitar a tarde, um grupo de idosos de Garuva veio em dois ônibus. Os amigos Salete Gale, 56 anos, e Maurilio Ricardo, 75, estavam animados. Como nos demais grupos, há mais mulheres do que homens, por isso, eles se revezam para que todos tenham a oportunidade de ir para a pista. “É a primeira vez que viemos na festa e queremos voltar no ano que vem. Se eu morresse hoje morreria feliz”, afirma Maurilio.

23ª Schützenfest termina com a divulgação dos vencedores das disputas de tiro

12 de outubro de 2011 0

O reinado dos soberanos do tiro de 2010 termina hoje, no último dia da Schützenfest, a maior festa cultural de Jaraguá do Sul. No fim desta tarde, o rei dos reis Ricardo Fuch, e a rainha das rainhas Sheila Raquel Schulz Porath, entregam o cargo a outro casal que se destacou nas modalidades competitivas. Integrante de 16 sociedades e clubes do Vale do Itapocu participaram das disputas.

Não é a primeira vez que Sheila foi rainha das rainhas. Além de 2010, ela ganhou as competições de 2006 e 2008. Há 14 anos, ela participa da Sociedade de Tiro Vieirense. Orgulhosa por ter participado de mais uma Schützen, diz que a programação deste ano se destacou por ter oferecido mais espaço para os visitantes nas competições de tiro.

Os novos eleitos deste ano são os competidores que tiveram maiores somas nas categorias de tiro chumbinho, carabina 22 e seta entre as entidades. Os nomes são conhecidos entre os integrantes das sociedades, mas só serão revelados ao público durante a coroação das majestades do tiro. Caberá ao novo casal de majestade recepcionar os novos reis do tiro durante a abertura oficial da Schützen do ano que vem.

..

Trajes típicos

12 de outubro de 2011 0

Faltou tempo ou dinheiro para comprar um traje típico? Não tem problema. No pavilhão B do Parque Municipal de Eventos, as roupas tradicionais podem ser alugadas ou compradas na loja de Miriam Voltolini.  O visitante tem a opção de fazer uma foto de graça.
..

Resgate de tradições na Schützenfest

11 de outubro de 2011 0

A Schützenfest é a principal festa germânica de Jaraguá do Sul. Nesta edição, durante sete dias, o Parque Municipal de Eventos reúne as tradições repassadas de geração a geração.

Mas esse respeito à história dos antepassados é demonstrado o ano inteiro nos clubes de tiro da cidade, onde os sócios resgatam com muito orgulho essas tradições.

O presidente dos clubes de tiro do Vale do Itapocu e do Salão Barg, Celso Hille, acredita que a preservação das tradições é a força que move os integrantes das sociedades, que trabalham voluntariamente na Schützenfest. “Muitos são agricultores ou funcionários de empresas que oferecem seu tempo extra para ajudar”, conta.

Além dos torneios de tiro que ocorrem durante todo o ano, as sociedades promovem as tradicionais festas de reis e outros eventos que envolvem música, dança e gastronomia típica.

Um dos grandes símbolos desta tradição são as majestades do tiro. A rainha em 2010, Scheila Raquel Schulz Porath, 34 anos, da Sociedade Vieirense, está em seu terceiro reinado (2006, 2008 e 2010). Ela sempre incentiva a participação dos jaraguaenses na Festa do Atiradores. “É importante o público valorizar porque a Schützen é feita pelas sociedades e clubes”, avalia.

O rei em 2010, Ricardo Fuck, da Sociedade Baependi, está em seu primeiro reinado e conta uma curiosidade: nem sempre gostou de atirar. “Meu pai competia nas festas e eu nunca dava muita importância. Agora, virei rei na Festa dos Atiradores”, brinca.

..

Ingresso a preço único na Schützenfest

10 de outubro de 2011 0

Os ingressos para esta segunda-feira na 23ª Schützenfest, são vendidos a preço promocional no valor único de R$ 5. Os portões do parque de Eventos abrem às 19 horas.

Na programação desta noite, quatro bandas: Musical Santa Cruz (20 horas) e Chopão (meia-noite), no pavilhão “A”; Champagne (20 horas) e Safira (23 horas), no pavilhão “B”.

Já na programação cultural do pavilhão “C”, estão previstas apresentações dos grupos folclóricos Alpen Bach (20 horas) e Master Neue Heimat (21 horas).

Neste mesmo local, que fica aberto até as 23 horas, o público ainda tem como opções a Feira de Artesanato, a mostra “Memórias e Tradição das Sociedades”, a exposição de carros antigos e o Café Colonial da Apeafa.

Feira de artesanato na Schützen

10 de outubro de 2011 0

Toalhas, porta-sacolas, flores de tecido, acessórios para cabelo, chapéus, guirlandas e papais-noéis. Tiaras, bandejas, crochês e enfeites artesanais. Tudo isso e muito mais é possível encontrar na 1ª Handwerksmesse (Feira de Artesanato), que reúne 14 expositores no Pavilhão C do Parque Municipal de Eventos na Schützenfest.

A feira conta com a participação de artesãos de Jaraguá do Sul, Joinville, São Bento do Sul, Blumenau e São Francisco do Sul, oferecendo trabalhos confeccionados nas mais variadas técnicas e matérias-primas. O visitante encontra desde artigos em patchwork até objetos decorativos feitos a partir de jornal, passando por cerâmicas, peças com tecelagem manual e bijuterias com sementes, por exemplo.

Também participam da feira o Clube de Mães, como convidados especiais dos organizadores. Centenas de peças confeccionadas por integrantes dos 70 clubes de mães de Jaraguá do Sul estão expostas e à venda ao público, com opções em bordados, patchwork, recicláveis, pintura em tecido, entre outras.

A responsável pelo programa Clube de Mães, Marilene Bruch (foto), diz que o movimento está dentro do esperado. No sábado, o grupo vendeu R$ 1,4 mil em peças e, até às 16h de domingo, as vendas já haviam alcançado R$ 1,2 mil.

No local há objetos que custam desde R$ 1 até R$ 250. “Mais do que uma terapia, o artesanato é uma oportunidade de geração de renda. Muitas mulheres carantes encontram aqui a oporunidade de melhorar a situação financeira da família”, destacou Marilene.
Hoje, a feira funciona das 16h às 23h. Amanhã, o horário é das 10h às 23h.