Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Thumbnail

Veja o passo a passo da receita da Lasanha de Três Queijos

Na manhã deste sábado (9), Anonymus preparou uma saborosa Lasanha....

Thumbnail

Entre alcovas e travessas de macarrão

Numa tarde ensolarada deste verão italiano, quando estiver no vaporetto...

Thumbnail

Direto da Fenakiwi, Anonymus mostra o preparo da Bolo de Kiwi

Anonymus Gourmet foi para Farroupilha e visitou a Fenakiwi. Lá...

Thumbnail

Panqueca de Banana para as férias

Você deve estar com seus filhos em casa nesse período...

Thumbnail

Eu fiz assim: Bolo de Arroz e Espinafre

Você que é fã de invenções na cozinha e adora...

Copa do Anonymus: receitas de França e Honduras com grandes chefs

04 de julho de 2014 0

Anonymus apresenta a disputa na cozinha entre França e Honduras! De um lado do fogão, o chef Gérard Durand prepara Costelinhas de Cordeiro Grelhadas com Ratatouille. Do outro, a chef Elisa Prenna faz Tamales Hondurenhos.  Para avaliar os pratos, a atração reúne um time de telespectadores.

3 2

Em clima da Copa, Anonymus faz disputa entre chefs da França e Honduras

03 de julho de 2014 0

Anonymus apresenta a disputa na cozinha entre França e Honduras! De um lado do fogão, o chef Gérard Durand prepara Costelinhas de Cordeiro Grelhadas com Ratatouille. Do outro, a chef Elisa Prenna faz Tamales Hondurenhos.  Para avaliar os pratos, a atração reúne um time de telespectadores.

3

2

PROGRAMA ANONYMUS GOURMET
CARDÁPIO: França x Honduras
QUANDO: 3 de julho, às 18h30
ONDE: na TVCOM

Deus e o Diabo numa garrafa

25 de junho de 2014 0

O vinho em excesso pode ser veneno, da mesma forma que comida e remédio em excesso. Mas, as qualidades do vinho, consumido moderadamente, são reconhecidas hoje pela maioria das autoridades médicas. O problema é estabelecer com precisão o que seja o consumo “moderado” do vinho. A regra francesa de “une bouteille par chaque” (uma garrafa para cada um) talvez seja um certo exagero no almoço. De qualquer forma, bem além dessa divergência sobre quantidade, as opiniões favoráveis ao vinho são variadas e expressivas.

anonymus_vinho cut

“Na arte da mesa, o vinho tem o primeiro posto” — escreveu Raymond  Dumay, autor francês que dedicou a vida e centenas de páginas ao que ele chamava de mágica do vinho. — “Não se trata de uma preferência, mas de um fato. É fácil encontrar os produtos necessários à preparação de um prato, mas é impossível fabricar na hora uma grande garrafa. Assim, é razoável que toda a refeição se organize em função do vinho que dispomos.”

Colecionei há tempos algumas reflexões variadas, a começar por um médico e sábio ilustre, o Dr. Louis Pasteur que certa vez, possivelmente entre amigos, em torno de uma boa garrafa, afirmou peremptoriamente: “Existe mais filosofia dentro de uma garrafa de vinho, do que em todos os livros.” No dia seguinte, o Dr. Pasteur deixaria, por escrito, uma reflexão mais sóbria, a partir de sua experiência médica: “O vinho pode ser considerado com boa razão a mais saudável e a mais higiênica das bebidas.

Sobre as virtudes do vinho como alimento e como dimensão mítica, outros nomes ilustres retiraram boas frases de uma garrafa. “Deus criou a água. Mas o homem fez o vinho” — escreveu  Victor Hugo, que passou dos 80 anos com todos os dentes e bebendo diariamente. “Vinho é poesia engarrafada”, reconheceu Robert Louis Stevenson, que preferia aguardente. Os italianos têm um provérbio que, com um toque de religiosidade, perdoa tudo “Um barril de vinho pode fazer mais milagres do que uma igreja cheia de santos.” Mas talvez ninguém tenha sintetizado melhor do que Charles Baudelaire o Deus e o Diabo que convivem numa garrafa: “No vinho, há o perigo de volúpias fulminantes. Mas não vamos esquecer o sol interior que o deus da videira desperta.” E nos deixou uma comparação fascinante: “O vinho se parece com um homem: não se saberá nunca de quantos atos sublimes ou perversidades monstruosas ele é capaz. Por isso, não sejamos mais cruéis com o vinho do que somos com nossos semelhantes. O justo é tratá-lo como um igual.”

TWITTER: @voltaremos
FACEBOOK: facebook.com/anonymusgourmet
INSTAGRAM: @anonymus_gourmet
PINTEREST: pinterest.com/anonymusgourmet

A trincheira da excelência

18 de junho de 2014 0

Neste fim de semana encerra-se mais uma bem sucedida edição da Fenadoce, a magnífica promoção que valoriza Pelotas, suas artes, seus doces e seu encanto. Nem tudo é Copa do Mundo. E de qualquer forma, em Pelotas é possível acompanhar os jogos pela TV. A Fenadoce é aquele desafio à serenidade: os doces de sempre — e muitas novidades. Por exemplo: um doce de feijão… E, acredite se quiser, é muito saboroso. E os sucessores da dona Zilda capricham mantendo a tradição e inovando: há alternativas com menor teor de açúcar, mas absolutamente saborosas.

Fenadoce 2

Além da festa do doce, a cidade vale a viagem. Numa época em que a fúria imobiliária derruba bairros inteiros por toda a parte, Pelotas resiste! É um exemplo de conservação do patrimônio histórico e de sua riqueza urbana, atitude que deve ser, além de honrosa, lucrativa. Quando estivemos lá com a equipe da TV, entre prédios cuidadosamente conservados e restaurados, vimos numa das praças centrais uma guia turística surpreender turistas estrangeiros, mostrando uma fonte magnífica trazida da Europa no Século 19… Perto dali brilha, o velho Mercado Público. Eu disse velho? Está totalmente restaurado, mas manteve o caráter: os trabalhos de recuperação deixaram aquele lindo prédio histórico, com funcionalidade para os novos tempos, sem perder a memória dos tempos em que foi construído.

São conhecidas as tradições centenárias de refinamento da cidade de Pelotas. No ano passado escrevi aqui sobre a surpresa de encontrar em Pelotas um restaurante de absoluta primeira classe, que brilharia em São Paulo, ou até mesmo em Paris ou Nova York: o restaurante Chu.

Como o poeta Paulo Mendes Campos, gosto de voltar aos lugares que fui feliz. Este ano, de volta à cidade, tive um sobressalto: será que o restaurante Chu ainda existe? Será que continua com a mesma qualidade? A boa notícia é que o Chu, de bem vinda novidade, ameaça se tornar uma instituição: da cozinha ao salão, a qualidade mantém-se resplandecente. Cada minúcia continua escrupulosamente cuidada. A Claudia e o Fernando estão vigilantes, defendendo aquele fronteira do bom gosto e da excelência.

Depois de cruzar a porta de entrada, foi bom rever a bela luminária Welcome Guest, de Kare Design, uma refinada e bem humorada recepção. Mais uma vez as demonstrações de competência e sofisticação se sucederam em ambientes deslumbrantes.  A cozinha consolidou sua posição de sólida trincheira da boa mesa. A melhor prova disso é que repeti o pedido do ano passado: o filé alto, mal passado, e o risoto de cogumelos. Com alegria reconheci o sabor, o estilo e o acabamento impecável de iguarias toscanas. Uma vez mais, garanto: voltaremos!

Confira as receitas favoritas do Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar

14 de junho de 2014 4

No clima da Copa do Mundo, Anonymus  preparou as receitas favoritas dos craques. O apresentador fez o Salmão à Parmegiana em homenagem ao argentino Messi. Lá de Portugal veio a inspiração do delicioso Bacalhau à Brás, para deixar o Cristiano Ronaldo de água na boca. E para completar, um Nhoque de Espinafre com Ricota para o Neymar. Assista ao programa na íntegra na página oficial.

copa1

copa2

TWITTER: @voltaremos
FACEBOOK: facebook.com/anonymusgourmet
INSTAGRAM: @anonymus_gourmet
PINTEREST: pinterest.com/anonymusgourmet

Mesa farta, vinhos de boa data...

13 de junho de 2014 0

mesa farta

Depois da Copa, a vida continuará em suspenso com a próxima atração: o período eleitoral, que tornará inevitável, uma vez mais, recordar Maquiavel – Niccolò di Bernardo dei Machiavelli, historiador, diplomata, filósofo, escritor memorável que, se vivo fosse, completaria 545 anos no último dia 3 de maio (nasceu em 1469). No poder, adorava uma mesa farta, com toalhas de linho egípcio, talheres pesados, porcelanas assinadas, vinhos de boa data servidos em cristais coruscantes. Demitido, cultivou em textos soberbos uma ironia discreta em relação ao seu tempo. Essa ironia carregada de desalento resignado em face da realidade, vive a maldição secular de ser confundida com cinismo. É que a franqueza às vezes fere: “Grande é a diferença entre a maneira em que se vive e aquela em que se deveria viver” − constatou com simplicidade e realismo no “Príncipe”, advertindo a seguir: “Quem deixar de fazer o que é de costume, para fazer o que ‘deveria’ ser feito, encaminha-se mais para a ruína do que para sua salvação”. As obstinações de Maquiavel não eram as mulheres, como Casanova, nem a boa mesa como Brillat Savarin,— mas sim a política, onde as ferramentas não deixam de ser semelhantes: também aí é indispensável o uso competente das armas da sedução e da conquista, além da capacidade de conciliar − ainda que seja o sabor dos vinhos com o aroma dos pratos.

Maquiavel sempre quis ser apenas um político e, de fato, teve intensa atividade no governo florentino, dos 29 aos 43 anos de idade. A literatura foi uma fatalidade. Derrubado por conchavos palacianos, construiu sua glória nos 15 anos de exílio do poder: com o ócio forçado pelas circunstâncias, teve os vagares necessários à sua obra. Portanto, graças às perseguições dos Médicis, temos hoje “O Príncipe”, seu texto mais famoso, embora “Discorsi sopra la prima Deca di Tito Livi” seja a obra-prima. Escreveu para não enlouquecer, até morrer de desgosto, aos 58 anos de idade, em 1527. Maquiavel, na verdade, não tinha nada de amoral ou “maquiavélico”, no sentido perverso que o termo ganhou. Os huguenotes franceses, os puritanos ingleses e os jesuítas, que tinham reduzido a atividade política a intrigas palacianas sustentadas pela força das armas, foram apanhados de surpresa pela força renovadora do pensamento de Maquiavel. A admiração (temperada com inveja) que sua inteligência fulgurante despertou naquele tempo deriva da coragem que teve ao  escrever certas verdades: “É muito mais seguro sermos temidos do que amados. Os homens têm menos escrúpulo de ofender quem se faz amar do que quem se faz temer. Pois o amor depende de uma vinculação moral que os homens, sendo malvados, rompem. Mas o temor é mantido por um medo de castigo que não nos abandona nunca”.

 TWITTER: @voltaremos
FACEBOOK: facebook.com/anonymusgourmet
INSTAGRAM: @anonymus_gourmet
PINTEREST: pinterest.com/anonymusgourmet

Anonymus prepara o cardápio dos craques da Copa do Mundo

12 de junho de 2014 0

Anonymus Gourmet escala três jogadores de futebol consagrados e mostra as receitas favoritas dos craques. Para começar, um belo Salmão à Parmegiana em homenagem ao argentino Messi. Lá de Portugal vem o delicioso Bacalhau à Brás, para deixar o Cristiano Ronaldo de água na boca. E ainda, um Nhoque de Espinafre com Ricota, aquele prato que o Neymar faz questão de repetir várias vezes, uma delícia brasileira.

Não perca, o programa vai ao ar neste sábado (14), às 8h30, na RBS TV.

craques_futebol

PROGRAMA ANONYMUS GOURMET
CARDÁPIO: Cardápio dos Craques da Copa
QUANDO: 14 de junho, às 8h30
ONDE: na RBS TV

 

Assista ao Anonymus na Fenadoce e aprenda a preparar o Quindim

12 de junho de 2014 1

Em sua visita à Fenadoce deste ano, Anonymus Gourmet aproveitou para saborear todas as delícias de Pelotas, além de conhecer um pouco mais a cidade. Não deixe de conferir a atração!

quindim

Além do programa, você também confere a receita de Quindim. Saiba os ingredientes e o passo a passo:

Ingredientes:

25 gemas
250 gramas de coco fruta
750 gramas de açúcar

Modo de preparo:

Misture a gema com o coco. Adicione o açúcar. Deixe descansar por no mínimo meia hora. Coloque em formas untadas com glicose ou manteiga. Asse em banho-maria por no mínimo meia hora. Quando estiver pronto, ele pode ser desenformado quente ou frio.

TWITTER: @voltaremos
FACEBOOK: facebook.com/anonymusgourmet
INSTAGRAM: @anonymus_gourmet
PINTEREST: pinterest.com/anonymusgourmet

Em Pelotas, Anonymus mostra o que a Fenadoce tem de mais saboroso

10 de junho de 2014 0

Anonymus Gourmet chega na cidade mais doce do país, Pelotas, para provar os melhores sabores da cidade, com belas paisagens do Centro Histórico, Mercado Público, Museu da Baronesa, Arroio Pelotas, pontos marcantes na cidade.

A Fenadoce, é claro, não fica de fora. Anonymus convida uma das famosas doceiras da cidade para preparar o doce mais famosos por lá: o quindim. Ainda, música de Cristiano Quevedo e um bate papo com personalidades que amam Pelotas, sobre as doçuras que a cidade oferece. Não perca!

Fenadoce 1 Fenadoce 2

PROGRAMA ANONYMUS GOURMET
CARDÁPIO: Fenadoce 2014
QUANDO: 11 de junho, às 18h30
ONDE: na TVCOM

Assista ao preparo do Entrevero Gaúcho com seis tipos de carne

07 de junho de 2014 1

Com muita carne de gado, de porco, de frango, bacon, calabresa e coração de frango, Anonymus Gourmet preparou a receita de Entrevero Gaúcho, neste sábado (7).

O programa faz parte do Especial Origens, que celebrou ao longo das últimas cinco semanas a cultura e a culinária dos imigrantes do Rio Grande do Sul. Assista ao programa na íntegra na página oficial.

entrevero3

TWITTER: @voltaremos
FACEBOOK: facebook.com/anonymusgourmet
INSTAGRAM: @anonymus_gourmet
PINTEREST: pinterest.com/anonymusgourmet