Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Dongfeng"

Reviravolta e polêmica envolvendo fábrica chinesa de caminhões: indústria que vai para Camaquã não é a Dongfeng

28 de abril de 2012 21

Por essa, ninguém esperava. Segundo reportagem exclusiva da Agência RBS e publicada nos jornais Zero Hora e Diário de Santa Maria, a gigante montadora chinesa de veículos Dongfeng Motor teria enviado um documento ao Palácio Piratini e à Embaixada da China no Brasil para informar que a montadora que vai se instalar em Camaquã não tem nada a ver com a Dongfeng. E mais: a Shiyan Yunlihong, que vai para Camaquã e que chegou a visitar Santa Maria, estaria usando o nome da Dongfeng de forma indevida, segundo esse documento atribuído à Dongfeng.

Na verdade, foi descoberto agora que a fabricante chinesa que vai se instalar em Camaquã se chama Shiyan Yunlihong e teria só 120 funcionários na China, e não 121 mil empregados como foi divulgado pelas autoridades gaúchas envolvidas na negociação. Não se sabe como a confusão começou, mas no próprio site do governo do Estado, há uma notícia oficial do Palácio Piratini dizendo que a “…Shiyan Yunlihong é um dos braços da Dongfeng”. Ou seja, Tarso Genro assinou um protocolo de intenções com uma empresa, mas talvez pensando que era outra, bem maior. No seu site, a Shiyan também se apresenta como usuária da marca Dongfeng.

A Shiyan Yunlihong divulgou nota para dizer que não sabe como essa confusão começou e negou que estivesse negociando em nome da Dongfeng.

É difícil julgar o caso sem saber em detalhes como surgiu esse enrosco, mas ficam muitas dúvidas: Será que o governo do Estado e as prefeituras de Santa Maria e Camaquã sabiam mesmo com quem estavam negociando? Se o governo do Estado teria mesmo começado as negociações durante a visita de Tarso à China, será que sabia que empresa realmente era essa? Será que todos foram enganados? Ou foi apenas uma confusão por causa de nomes?

Clique AQUI e leia a íntegra da reportagem.

Clique AQUI e leia o quadro com os números de cada empresa

Clique AQUI e veja o que dizem Schirmer e o assessor do governo do Estado

A perda da Dongfeng, e a fábrica santa-mariense que exporta para 18 países

23 de abril de 2012 9

Nos últimos dias, a cidade viveu clima de luto e revolta por ter perdido a fábrica de caminhões chinesa para Camaquã, que geraria 550 empregos. É uma notícia ruim, mas também não é motivo para desespero. É preciso resolver graves problemas de logística da cidade, como aeroporto (e voos para São Paulo) e duplicações de estradas, e seguir tentando novos investimentos – a propósito, a prefeitura garante que tenta negociar voos para São Paulo com a Azul Linhas Aéreas e a Trip, mas não há nada concreto ainda. Porém, também é preciso fomentar projetos locais. Um grande exemplo é o futuro Parque Tecnológico, que poderá abrigar empresas de alta tecnologia, e é fruto da união das universidades com vários setores da cidade. Esse é um projeto promissor, que pode gerar grandes empresas, com empregos qualificados. A alemã KMW é outra empresa promissorá, mas dependerá dos contratos que ela conseguir.

Recebi na sexta a notícia de que o Grupo Agrimec, do Distrito Industrial, vai participar novamente da Agrishow, maior feira internacional do setor de agronegócio no país, em Ribeirão Preto (SP), de 30 de abril e 4 de maio. No evento, ela apresentará novidades produzidas em Santa Maria, como aquecedores solares e nova graneleira. O curioso é que as quatro indústrias do Grupo Agrimec somam mais de 300 funcionários e exportam seus produtos para 18 países. Ou seja, é preciso olhar e valorizar também os empreendedores locais, que também geram muitos empregos. Há vários outros como a Agrimec.

A CVI Refrigerantes é a maior do DI, por exemplo, com 530 funcionários. É um número de empregos semelhantes ao da fábrica chinesa. Seria ótimo que a Yunlihong – Dongfeng tivesse vindo. Mas essa perda não é o fim do mundo. Até porque os chineses disseram que foram para Camaquã também por causa da mão de obra mais barata (como ocorre na China).

Perda da fábrica chinesa: Santa Maria luta contra a maré dos investimentos, que não vão para longe dos centros industriais

18 de abril de 2012 21

O anúncio de que a fábrica chinesa Yunlihong, braço da Dongfeng Motor, irá para Camaquã, revela que Santa Maria vai ter de remar muito contra a corrente de desenvolvimento que privilegia investimentos perto dos grandes centros industriais e do litoral – onde há fornecedoras de suprimentos e custos menores de frete e logística. Sempre foi assim.

O fato de Camaquã ficar mais perto do porto de Rio Grande pesou na decisão dos chineses, que levam em conta custos de transporte. Eles fizeram a conta: quantos dólares a mais custará para levar peças até Santa Maria, em comparação com Camaquã, e multiplicaram pelo número de veículos fabricados por ano.

Outro fato que pesou contra Santa Maria foi o fato de o vice-governador, Beto Grill (PSB), ter atuação pública a favor de Camaquã (onde foi candidato a vice-prefeito), indo com os chineses até a cidade e também a Tapes, onde há projeto de um futuro porto. Como os chineses têm uma cultura que valoriza muito as decisões de governos, isso influenciou a decisão do grupo. Vale lembrar que nem Beto Grill nem o governador Tarso Genro (PT) vieram a Santa Maria.
Essa falta de isenção do governo do Estado nas negociações deixou muitos santa-marienses revoltados. A própria Cacism divulgou nota criticando o governador Tarso que, apesar de ter ligação com Santa Maria, demonstrou-se publicamente neutro. A revolta é, principalmente, quanto ao fato de Tarso não impedir Beto Grill de “jogar brasa para o assado” de Camaquã.

Como é ano de eleição, sempre vai surgir gente para dizer que entrar na disputa foi só jogada eleitoral. Não podemos ser ingênuos de imaginar que não há esse tipo de interesse em jogo. Mas, independentemente de quem esteja na prefeitura, é uma grande perda para toda a cidade, que ganharia muito com essa fábrica. Schirmer fez certo em candidatar a cidade, mas é preciso ver o que faltou e corrigir os problemas. Talvez faltou maior mobilização política dele e, inclusive de Tarso e dos deputados, que foram chamados ou entraram na jogada só ontem, entregando uma carta com pedido de apoio do governador quando os chineses já haviam tomada a decisão.

Agora não é hora de dizer que Santa Maria nunca conquistará nada, como muitos adoram fazer – mas críticas construtivas são válidas. É hora de juntar os cacos, unir forças de situação e oposição e seguir na luta. Quando é pelo bem da cidade, as disputas políticas têm de ficar em segundo plano – e parecem ter ficado, pela maturidade demonstrada por Valdeci, Pimenta, Pozzobom e Schirmer, que assinaram documento conjunto.

Deixe abaixo a sua opinião

LEIA MAIS

Deputados santa-marienses divergem sobre motivos da perda

Entidades empresariais de Santa Maria fazem fortes críticas ao governo do Estado

Deputados de Santa Maria divergem sobre motivos da perda para Camaquã

18 de abril de 2012 13

O deputado estadual Jorge Pozzobom (PSDB), que assinou junto com outros políticos da região – o deputado federal Paulo Pimenta e o estadual Valdeci Oliveira, ambos do PT – uma carta entregue ao governador Tarso Genro (PT) pedindo apoio ao investimento da fábrica chinesa, lamentou a derrota, mas chamou a atenção para a atitude da cidade adversária.

– Eles reuniram todos os prefeitos da região e o vice-governador. Acho que poderíamos ter feito uma mobilização maior. Temos o líder do governo na Assembleia (referindo-se ao colega Valdeci Oliveira) e o próprio governador, Tarso Genro (PT), tem ligação estreita com Santa Maria. Bate uma tristeza – disse o parlamentar.

O deputado federal Paulo Pimenta (PT) rechaçou a ideia de que o fator político possa ter influenciado a escolha.

– Não. De maneira alguma. Pelo contrário. Eu acho que se a gente optar por essa explicação, isso nos levará a um atraso, que fará com que repitamos esses erros no futuro. Temos de pensar o que falta para tornar a cidade atrativa para os investidores. Temos que diagnosticar o que está errado – concluiu Pimenta.

E você, o que acha da perda de Santa Maria para Camaquã? Deixe seu comentário abaixo

LEIA MAIS

Entidades de Santa Maria fazem fortes críticas à postura do governo do Estado

Logística e fator político pesaram na decisão da fábrica chinesa de ir para Camaquã

17 de abril de 2012 20

Uma grande perda de Santa Maria foi o anúncio de que a fábrica chinesa de caminhões Shiyan Yunlihong Industrial and Trade Company – braço da gigante chinesa Dongfeng Motor, irá para Camaquã. A confirmação foi feita nesta tarde, no Palácio Piratini, na Capital.

Em uma análise inicial, o fato da proximidade com o porto de Rio Grande (e com um futuro porto de Tapes) e ainda com futuros fornecedores de peças e suprimentos na Região Metropolitana pesaram a favor de Camaquã. É por isso que sempre haverá grande vantagem de cidades litorâneas e perto de grandes centros industriais, onde os custos de transporte são menores.

O outro fator decisivo parece ter sido a grande influência do vice-governador Beto Grill (PSB), que tem ligação com Camaquã e foi até a cidade e a Tapes para acompanhar os chineses, coisa que nem ele nem Tarso Gerno fizeram em relação a Santa Maria. Para Santa Maria, veio apenas um assessor do governo. Como os chineses têm uma cultura de valorizar muito as decisões governamentais, isso parece também ter pesado a favor de Camaquã.

Leia aqui a notícia do anúncio da fábrica em Camaquã

Deixe seu comentário


Governo do Estado assinará protocolo de intenções com fábrica chinesa de caminhões nesta terça

16 de abril de 2012 3

O governo do Estado vai assinar nesta terça-feira, às 17h, no Palácio Piratini, um protocolo de intenções com a montadora chinesa de caminhões que pode se instalar no Rio Grande do Sul. A informação foi anunciada hoje, depois que representantes da Dongfeng Motor Corporation estiveram nesta segunda-feira em Tapes, para conhecer o projeto de um futuro porto na cidade, às margens da Lagoa dos Patos. Tapes fica a 40 quilômetros de Camaquã e poderia ser usada como rota para abastecer com peças a montadora de caminhões, caso a Dongfeng decida se instalar em Camaquã.

Apesar de o porto de Tapes ainda não existir, essa pode ser uma grande vantagem de Camaquã, pois o projeto dos chineses é a longo prazo. Ou seja, eles podem estar contando com esse futuro porto para poder reduzir os custos com transporte e logística.

Apesar do protocolo de intenções sair nesta terça-feira, segue valendo a previsão de anúncio da cidade escolhida daqui a 15 ou 20 dias. A menos que houver alguma surpresa, com a divulgação do local escolhido já nesta terça-feira. Santa Maria e Camaquã estão oficialmente na disputa, mas os chineses não revelam se há outras cidades na briga pela fábrica.

Veja aqui foto do caminhão chinês que pode ser montado no Rio Grande do Sul


E você, o que acha da disputa entre Santa Maria e Camaquã pela fábrica chinesa de caminhões? Deixe sua opinião

O caminhão chinês da Dongfeng que pode ser montado aqui no Estado

16 de abril de 2012 8

Nos últimos dias, Santa Maria recebeu a visita de empresários chineses que pode ser um marco na história da cidade, se for confirmada a instalação da montadora de caminhões e picapes Dongfeng. Porém, é preciso ter cautela, pois, apesar de o governo do Estado garantir que só Santa Maria e Camaquã estão na disputa, há risco de os chineses estarem negociando, de forma secreta, com outras cidades. Questionados sobre isso, eles preferiram não falar. NESTA SEGUNDA-FEIRA, DIA 16, SURGIU UMA NOVIDADE: FOI MARCADA PARA ESTA TERÇA-FEIRA A ASSINATURA DE UM PROTOCOLO DE INTENÇÕES ENTRE A DONGFENG E O ESTADO (CLIQUE AQUI E VEJA MAIS DETALHES).

Uma vantagem de Santa Maria é que as peças seriam trazidas da China pelo porto de Rio Grande e, de lá, por trem para a área no DI, que fica ao lado da ferrovia. Daqui, os caminhões iriam para países do Mercosul. Ou seja, aqui seria um bom local para a fábrica. A vantagem de Camaquã é estar bem mais perto do Porto de Rio Grande e de Porto Alegre. Inclusive, o prefeito de Camaquã, Ernesto Molon, voltou a falar com os chineses da Dongfeng.

O primeiro caminhão que a Dongfeng quer montar no Brasil é de pequeno porte e pode ser o da foto abaixo, que seria concorrente do Hyundai HR 50 e do KIA Bongo, usados por empresas para entregas nas cidades. Vale a pena clicar aí no site da Dongfeng (www.dfmc.com.cn) e ver caminhões e carros que o grupo produz.

Clique na foto para ampliar


Reprodução

Reprodução


Além de fazer veículos de marca própria, a Dongfeng tem fábricas em parceria com Nissan, Honda, KIA, Peugeot e Citroën, fabricando modelos como CR-V, Civic, Cerato, Tiida, Soul, C4 e 408 para serem vendidos na China. No total, a Dongfeng tem 121 mil funcionários e produz 1,1 milhão de veículos por ano. Experimente ir no Google e procurar por “Dongfeng Nissan” ou “Dongfeng Honda”. Você verá sites como www.dongfeng-honda.com e www.dongfeng-nissan.com.

Apoio de deputados – Os deputados Jorge Pozzobom (PSDB), Paulo Pimenta (PT) e Valdeci Oliveira (PT) enviarão uma carta ao governador Tarso Genro (PT) para pedir o apoio do Estado à instalação da montadora chinesa em Santa Maria. O documento será entregue na segunda-feira.

Complexo de Defesa – Depois de mostrar a cidade aos chineses, o prefeito Cezar Schirmer deve ir a São Paulo, nos próximos dias, para apresentar Santa Maria a empresários do setor de defesa. O pedido foi feito à Associação Brasileira da Indústria e Material de Defesa (Abimde). A ideia é tentar trazer novos investimentos, além da KMW, para consolidar um Complexo Industrial de Defesa na cidade, aproveitando o potencial militar e tecnológico, com Base Aérea, Exército e centro regional do Inpe.


Diretores de fábrica chinesa de caminhões chegam nesta terça a Santa Maria. Camaquã também está na disputa

09 de abril de 2012 3

Conforme o blog havia antecipado com exclusividade na semana passada, um grupo chinês visitará Santa Maria nesta terça e quarta-feiras para olhar uma área para uma possível instalação de uma montadora de caminhões. Agora foi conhecido o nome da empresa: Dongfeng Motor Corporation.

Os empresários chineses estiveram nesta segunda-feira em Camaquã, no Sul do Estado, onde também olharam um terreno que foi oferecido pela prefeitura. A chegada a Santa Maria deve ocorrer no final da tarde desta terça-feira. Além de serem recebidos pelo prefeito Cezar Schirmer, eles visitarão uma área de 50 hectares no Distrito Industrial. A intenção dos chineses é instalar no Brasil uma montadora de caminhões leves e picapes, com peças importadas da China, e, no futuro, fabricar boa parte dos veículos aqui.

As negociações com a Dongfeng começaram em maio de 2011, quando o governador Tarso Gerno (PT) esteve na China. As tratativas foram feitas, inicialmente, pelo governo gaúcho, que indicou as cidades de Santa Maria e Camaquã como prováveis sedes do futuro investimento. O problema é que uma cidade de Santa Catarina também estaria na disputa, e como o estado catarinense tem uma política de incentivos mais agressiva, pode levar certa vantagem.

Clique aqui e veja mais detalhes, como valor investido e empregos previstos, na reportagem impressa do Diário desta terça-feira