Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Nutricionista dá dicas de como comer sushi e sashimi sem comprometer a dieta

09 de julho de 2013 7


Foto: Divulgação

Até que ponto o sushi e o sashimi são saudáveis? A nutricionista Ana Carolina Bragança, da Clínica Nutrissoma, desvenda os benefícios dos queridinhos da culinária japonesa.

Leia mais:

Confira três combinações para deixar as pernas definidas
Confira cinco alimentos que ajudam a alcançar pernas bem torneadas
Saiba por que a bebida alcoólica é prejudicial para quem pratica exercícios físicos
Conheça a farinha que auxilia na perda de peso
Confira cinco alimentos que ajudam na conquista da barriga sarada

Se consumirmos em quantidades comedidas de arroz e de shoyo, nas versões não fritas ou defumadas, o sushi e o sashimi podem ser bons aliados da saúde. Também podem ser combinados com a saladinha oriental.

Confira:


Foto: Brava Sushi

Salmão, atum, peixe branco – Contêm grande fonte de proteínas (que são absorvidas com mais facilidade do que outros tipos de carnes), ricos em ômega 3 (responsável por inúmeros benefícios, assim como redução do risco das doenças do coração). Também têm grande presença de ferro, iodo, magnésio, cálcio, fósforo, vitaminas, ácido fólico, fundamentais para o bom funcionamento do organismo. A gordura é insaturada, ou seja, não é prejudicial como a saturada. O salmão é o mais calórico, porém o mais rico em ômega 3.


Foto: Sushi Yuzu

Polvo – Rico em ômega 3, cálcio, fósforo, potássio e selênio, que são antioxidantes. Contém vitamina A, C e do complexo B, mas tem bastante colesterol. Por isso, deve ser consumido com cautela.


Foto: Brava Sushi

Kani - Massa feita de pescados, que leva carne de peixe branco moída, amido de trigo, clara de ovo, açúcar, sal, vinho de arroz, extrato de algas, glutamato monossódico e extrato de caranguejo e corante. Para explicar melhor, costumo chamar de “salsicha sabor caranguejo” só que um pouco mais saudável por conter os nutrientes contido nos peixes.

Peixes, polvos defumados e vegetais em conserva – Levam muito sal e podem causar retenção hídrica, o famoso inchaço.

Arroz – O arroz japonês é branco, polido (é retirada a casca e a película protetora do grão) e, por isso. pobre em vitaminas, isento de fibras e ainda é preparado com açúcar branco, resultando num alimento com alto índice glicêmico, que não promove saciedade.


Foto: Maicon Damasceno

Alga – Fonte de magnésio, importante componente para a formação de energia no organismo, e de iodo, essencial para o bom funcionamento da tireoide. Pouco calórica.


Foto: Edu Cavalcanti

Raiz Forte – Também chamada de wasabi, possui propriedades antibióticas, anti-sépticas, bactericidas, que facilitam a digestão. Não tem calorias.

Shoyo - Em excesso, pode causar retenção hídrica (inchaço), devido ao alto teor de sódio (sal). Optar pela versão light.


Foto: Roni Rigon

Gergelim – Uma das melhores fontes de cálcio, é riquíssimo em gorduras boas, que ajudam a produção de hormônios e também é anti-inflamatório. Entre essas gorduras boas, temos a lecitina, que ajuda ao nosso sistema nervoso. Possui vitamina E, que é antioxidante (previne o envelhecimento precoce), ferro, magnésio e ainda auxilia no funcionamento do intestino.


Foto: Divulgação

Gengibre – É um dos alimentos mais ricos em antioxidantes, além de ser anti-infamatório, facilita a digestão, possui poder termogênico (acelera o metabolismo).

SAIBA MAIS

SUSHI
Se o sushi é saudável ou não, vai depender do tipo e do ingrediente utilizado. Sabe-se que o sushi que veio do Japão é o responsável pela boa forma dos japoneses e esse sushi não tinha  ingredientes diferenciados como cream cheese, maionese, goiabada, manga, chocolate e tampouco era servido na versão empanada que é muito comum aqui no Brasil.
Mas em geral a culinária japonesa é pobre em fibras, vitaminas e minerais, embora contenha menos gordura saturada do que alimentos que incluem frango e carne vermelha.


Foto: Edu Cavalcanti

SASHIMI
O sashimi de salmão e de atum têm uma grande quantidade de ômega 3, responsável por inúmeros benefícios, assim como redução do risco das doenças do coração.
Os peixes crus, assim como o polvo, só devem ser comidos se forem muito frescos. É possível pegar salmonela ou outras formas de intoxicação alimentar se o alimento for mal conservado ou preparado.
Já as mulheres grávidas devem ficar longe de qualquer alimento que não tenham sido muito bem cozidos ou assados, assim como sushis e sashimis. Isso acontece porque durante a gestação, ocorre uma diminuição da imunidade natural, podendo deixar a mulher suscetível à doenças causadas por vírus e bactérias, muito comum em alimentos crus.

O que devemos evitar?
Outro ingrediente que pode comprometer o valor calórico do sushi, é o cream cheese e a maionese, que são ricos em gordura saturada, e os empanados, que por serem uma preparação frita, também são ricos em calorias e gordura saturada, que aumentam o risco de doenças do coração.

Comentários (7)

  • Ju diz: 9 de julho de 2013

    olha aí amor!!

  • alexandre diz: 9 de julho de 2013

    É… cream cheese, manga(?), fritura, maionese, etc. são um assassinato ao sushi. Quem diz que gosta disso, me desulpe, pode gostar de tudo, menos sushi. O salmão é uma ecxelente fonte de ômega 3, pena que o salmão consumido no Brasil, que vem do Chile, não é salmão de verdade, mas peixe de criadouro, com a coloração resultante de ração. O que faz o salmão ser essa rica fonte de gordura insaturada é o fato de ele nadar muito (geralmente contra a maré) para desovar. Inclusive, esse “salmão” chileno é proibido em alguns países, inclusive EUA, se não me engano. Salmão de qualidede mesmo, vem da Noruega. Mas, enfim, vamos lá comer nosso sushi e sashimi e não pensar nisso, se não ninguém come mais nada nessa vida…

  • claudia diz: 9 de julho de 2013

    Não gosto de sushi, mas até isso engorda. Aff

  • Adriana diz: 11 de julho de 2013

    Bastante pertinente o disse o Alexandre, pois o salmão consumido aqui no Brasil é este vindo do Chile, criado em cativeiro, e portanto, alimentados com ração de milho que contém maior quantidade de ômega 6 e não de ômega 3 como deveria ser. Então comemos W6 pensando estarmos nos nutrindo de W3. Há uma proporção ideal entre os dois ácido graxos e a maior proporção deve ser de W3. Amo sushi e sashimi, mas, francamente, temos que saber muito bem onde comemos, pq alimentos crus, mal conservados e/ou manuseados sem os cuidados higiênicos corretos acabam se tornando um tiro pela culatra. Fora isso, delícia maravilhosa e nutritiva! : ).

  • Robson Mesquita diz: 26 de dezembro de 2013

    Vivendo e aprendendo. Eu não sabia sobre o salmão do Chile e ração com amido de milho !!!

  • Robson Eustáquio de Mesquita diz: 26 de dezembro de 2013

    Vivendo e aprendendo. Eu não sabia sobre o salmão do Chile e ração com amido de milho !!!

    Mesmo assim continuarei a consumi-los porque, acredito, é menos prejudicial que a carne vermelha … e ficarei aguardando vir salmão “natural” para o Brasil !!!

Envie seu Comentário