Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Conheça os benefícios da dieta paleolítica

01 de agosto de 2013 0


Foto: : Divulgação

Você já ouviu falar na dieta paleolítica? É um tipo de alimentação que mimetiza a dos nossos ancestrais. Baseia-se no consumo balanceado de carnes, peixes, frutos do mar, vegetais, frutas e oleaginosas cruas. Devem ser frescos, orgânicos e com o mínimo de alimentos transgênicos, processados e industrializados.

Leia mais

A nutricionista Juliana Rocha explica que a dieta preconiza que devemos comer aquilo que o homem da caverna comia pois é o tipo de alimentação mais compatível com a nossa genética. Tudo aquilo que a natureza nos traz na sua forma integra.

É uma dieta com alto teor de gorduras saudáveis, em media de 30%, alto teor de proteínas de qualidade, chegando ate 30%, e, em media, 40% de carboidratos advindos de raízes e frutas.

- É estilo de vida. Os praticantes não ficam proibidos de consumir alimentos que dão prazer como vinho, sobremesa ou pizza. Apenas consomem com moderação ou em dias específicos – explica Juliana.

Esse tipo de alimentação é estudada em atletas, praticantes de atividades físicas intervaladas de alta resistência, como o CrossFit, justamente por esse ser o estilo de exercício que o homem paleolítico praticava. Atletas de alto rendimento que seguem a dieta tendem a perder peso em excesso. Neste caso, ela deve ser adaptada ao gasto energético de forma individual.

A seguir, confira as dicas da nutricionista Juliana Rocha:


Foto: Stock Photos , Divulgação

O QUE DEVE SER CONSUMIDO
Frutas e verduras frescas, carnes magras, peixes (evitando especialmente o salmão e o atum em função do alto teor de metais pesados), frango caipira, nozes, castanhas, nozes, amêndoas, macadâmias, frutas secas, algas, raízes como aipim, batata doce, batata inglesa, cenoura, beterraba, polenta e gorduras saudáveis advindas do abacate, azeitonas, azeite de oliva. Ovos caipira, óleos funcionais tais como de gergelim, coco, entre outros. Ervas frescas ou secas tais como manjericão, alecrim, louro, orégano, pimenta, sucos de frutas e chás naturais. Preconiza-se o ato de cozinhar em casa, organizar as refeições e os lanches, assim como ter o habito de consumir alimentos orgânicos e carnes de gado criados soltos e que se alimentam de grama, assim como frango caipira. Para atletas muitas vezes são utilizados suplementos esportivos ou de micronutrientes para fazer a adequação nutricional e funcional do sistema.


Foto: Gold

O QUE DEVE SER EVITADO
– Leite e derivados – Por produzir uma carga ácida ao sangue, influenciando o equilíbrio ácido básico do nosso sistema e impedindo a absorção de nutrientes alcalinos como cálcio e magnésio, por exemplo.
– Grãos como trigo e aveia – Em função do glúten que possui uma ação inflamatória sobre nosso sistema
– Leguminosas como feijões, soja, lentilha e ervilha - Contêm substâncias que durante o processo digestivo roubam nutrientes do nosso sistema.
– Açúcar e todos os alimentos industrializados e artificiais.
– Produtos dietéticos, amendoim, frituras, refrigerantes, hambúrgueres, pizzas, fast food.

DIETA QUE EMAGRECE
Sim e bastante. Costuma ter uma boa aceitação pois os pacientes ficam liberados para comer a quantidade necessária para se satisfazerem, apenas controlando a qualidade dos alimentos.

Por ser uma dieta anti-inflamatória e com baixo teor de carboidrato, estimula o emagrecimento, além de ajudar a reverter várias doenças de ordem metabólica. Como ela possui alto teor de gorduras saudáveis e de aminoácidos essenciais, o catabolismo muscular fica reduzido.


Foto: Adriana Franciosi

PRATICANTES DE ATIVIDADES FÍSICAS
A dieta paleolítica é permeada por diversos estudos, em especial, conduzidos pelo phD Loren Cordain. Em muitos de seus achados, ele viu que os ossos dos homens da era paleolítica, pela morfologia, eram densos, com alta concentração de minerais, o que indica que eles possuíam um alto nível de exercícios.

Os ancestrais caçadores e coletores viveram com um estilo de vida superativo e vigoroso, mesmo tendo uma dieta com menor teor de carboidratos. A questão é que a qualidade dessa dieta fornece itens especiais para a produção de energias advindas de aminoácidos específicos como os de cadeia ramificada e também gorduras que possuem um papel energético, como é o caso do óleo de coco, que é absorvido rapidamente pelo organismo e usado quase que diretamente pelas mitocôndrias, nossas máquinas de produzir energia celular.

Para alguns atletas, existe realmente a recomendação de maior teor de carboidratos principalmente nas refeições que antecedem os treinos e em períodos de competição. É possível conduzir a dieta paleolítica para corredores e praticantes de atividade física, mas eles devem passar por uma orientação muito especifica de um profissional da nutrição que entenda o método. E normalmente utilizamos mais carboidratos advindos das raízes como batata doce, inhame, aipim e frutas em geral.

CONTRAINDICAÇÃO
Pacientes diabéticos, com doenças renais e com outras patologias, assim como crianças, gestantes e nutrizes.

SUPERDICA DA NUTRI
Coma aquilo que a natureza oferece, de acordo a sua necessidade fisiológica e você nunca vai errar. A dieta paleolítica preconiza que nos devemos comer uma comida “DE VERDADE” que o nosso corpo sabe aproveitar e a evitar tudo aquilo que impeça a nossa verdadeira nutrição de acordo com a fisiologia. Esse texto foi baseado no livro The Paleo Solution, escrito por Robb Wolff, e também em minha prática clinica, onde conduzo com sucesso esse tipo de dieta sem oferecer risco algum aos meus pacientes.

SIGA O BLOG Barra de Cereal no Facebook

Envie seu Comentário