Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "alimentação"

Confira 10 dicas para tratar a acne com uma alimentação balanceada

21 de março de 2014 3

001d5b2c
Foto: Júlio Cordeiro

A pedido do blog, a nutricionista Fabíola Andriola preparou 10 dicas supersaudáveis para tratar a acne com dicas saudáveis. 

Leia mais
10 alimentos recomendados para quem quer ganhar massa magra
Confira cinco alimentos que ajudam na conquista da barriga sarada
Descubra 10 motivos para incluir a goji berry na sua dieta

Saiba como eliminar os quilinhos extras com a dieta detox
Nutricionista ensina nove cardápios detox para turbinar a sua dieta
Nutricionista tira dúvidas sobre a chia e a linhaça, grãos que ajudam a emagrecer
Conheça os benefícios do chá de hibisco, que auxilia no emagrecimento

Vem conferir:

1 – Tome pelo menos 2 litros de água ao longo do dia. A água desintoxica, ajuda eliminar as toxinas através da urina em vez da eliminação através da pele.

2 - Evite alimentos com alto índice glicêmico, que são metabolizados muito rápido. Alguns exemplos: carboidratos refinados, pão branco, biscoitos doces, cereais matinais com açúcar e doces em geral.

006d6d7c
Foto: Isabela

3 – Consuma alimentos ricos em fibras, como frutas e verduras. Elas ajudam no bom funcionamento intestinal, ajudando a eliminar toxinas.

4 – Invista em alimentos ricos em zinco. O mineral ajuda a evitar a inflamação da acne já presente na pele. Castanha do Pará e germen de trigo são opções fáceis de adicionar à rotina alimentar.

Leia mais
PROJETO VERÃO: confira dicas para perder os quilinhos indesejados

5 – Consuma pelo menos uma fruta cítrica ao dia. Ela garante a quantidade necessária de vitamina C no organismo para exercer a função antioxidante e antiinflamatória, evitando também a inflamação da acne. Laranja, limão e abacaxi são alguns exemplos de frutas cítricas.

002d8fab
Foto: Divulgação

6 – Evite alimentos ricos em gorduras saturadas, como frituras, chocolate e sorvetes industrializados. Eles aumentam a produção de sebo das células epiteliais, aumentando a oleosidade da pele e a obstrução dos poros, causando cravos e espinhas.

7 – Diminua drasticamente o consumo de açúcar refinado. Presente em doces, balas, refrigerante e sucos artificiais, ele estimula a produção do hormônio insulina, que estimula a produção de hormônios androgênicos, um dos responsáveis pelo aparecimento da acne.

00987f80
Foto: Wisegeek

8 – Aumente o consumo de peixes ricos em ômega-3, como o salmão, a sardinha e o atum. São potentes anti-inflamatórios, contribuindo para redução da inflamação das células sebáceas da pele.

9 – Evite o leite e derivados. Alguns estudos têm demonstrado relação positiva entre o leite e o aparecimento de acne devido a um aumento na produção de hormônios endógenos relacionados com a acne.

00682d43
Foto: STOCK.XCHNG

10 – Prefira os chocolates ricos em cacau (mínimo 70%), que estes possuem menos quantidade de açúcar refinado e gorduras saturadas.

Já seguiu o blog no Facebook? Corre lá e fique por dentro das últimas notícias saudáveis de Aline Mendes

Descubra o que é o índice glicêmico e evite acumular gordurinhas extras

11 de março de 2014 1

008e6708
Reprodução, Instagram

Você sabe o que é o Índice Glicêmico dos alimentos? Hoje, a nutricionista Thayse Stapassoli vai explicar algumas estratégias que podem fazer você evitar aquelas temidas gordurinhas. 

Leia mais
10 alimentos recomendados para quem quer ganhar massa magraComentários 2
Confira cinco alimentos que ajudam na conquista da barriga sarada
Descubra 10 motivos para incluir a goji berry na sua dieta

Saiba como eliminar os quilinhos extras com a dieta detox
Nutricionista ensina nove cardápios detox para turbinar a sua dieta
Nutricionista tira dúvidas sobre a chia e a linhaça, grãos que ajudam a emagrecer
Conheça os benefícios do chá de hibisco, que auxilia no emagrecimento

O que é o índice glicêmico dos alimentos?
O índice glicêmico (IG) diz respeito à velocidade com que o açúcar proveniente da digestão dos carboidratos alcança a corrente sanguínea. Quanto mais rápido esse carboidrato for digerido, maior será seu índice glicêmico.

Por que é importante sabermos os IG dos alimentos?
Primeiro, para nos mantermos saudáveis. Segundo, para não acumularmos “gordurinhas extras”. Pois o grande vilão pelo acúmulo da gordura na região abdominal e nos famosos pneuzinhos (flancos) é a elevação dos níveis de açúcar no sangue (glicose), que provoca o aumento dos níveis de insulina. O pâncreas libera insulina em resposta à presença de glicose na corrente sanguínea – quanto mais alta estiver a glicose, mais insulina será liberada para que a célula possa captar a glicose para o seu interior (a qual será armazenada como gordura).

00877312
Foto: Emerson Souza

A elevação do nível de insulina é a principal causadora do depósito de gordura visceral. Em contrapartida, a gordura visceral produz uma série de sinais inflamatórios desencadeando uma série de complicações orgânicas.

Leia mais
PROJETO VERÃO: confira dicas para perder os quilinhos indesejados

Como identificar o índice glicêmico dos alimentos?
O índice glicêmico é classificado como: baixo índice glicêmico (menor do que 55), moderado índice glicêmico (56 a 69) e alto índice glicemico (maior do 70).

10  alimentos com baixo índice glicêmico
Brócolis, repolho, alface, espinafre, tomate, couve-flor, abobrinha, maçã, pêra, ameixa.

0027eb0d

10 alimentos com índice glicêmico moderado
Pêssego, arroz parboilizado, abacaxi, uva, laranja, passas, lactose, feijão, aveia, batata doce.

10 alimentos com alto índice glicêmico
Carboidrato em gel, mel, melancia, pão branco, suco de laranja, tâmara, batata cozida, macarrão, bebidas isotônicas, tapioca.

0068261a
Foto: stock.xchng

Qual é a importância de consumir alimentos com baixo índice glicêmico?
Se elevarmos a glicose do nosso sangue e, como consequência, a insulina, iremos armazenar esse açúcar no forma de gordura. E como a célula capta a glicose rapidamente quando se consome um alimento de alto índice glicêmico, não sobra glicose circulante na nossa corrente sanguínea, levando informação ao cérebro de que você não está mais saciado e precisa de alimentar novamente.

Você já deve ter percebido que logo após comer um prato cheio de macarrão já está fome novamente! Isso porque o macarrão é um alimento de alto IG. Em contrapartida, se você optar por um alimento rico em fibras, ou até mesmo, combinar todos os macronutrientes em uma mesma refeição (carboidrato, proteína e gordura – o que ao meu ver é sensacional!) você tornará a digestão mais lenta, pois a liberação de glicose na corrente sanguínea será mais lenta, impedindo o depósito de gordura.

Como vocês viram, algumas frutas possuem IG alto (por isso não é uma opção nada boa fazer dietas em que só pode comer frutas). Para retardar a liberação da glicose sanguínea, uma boa estratégia é consumi-las junto com alguma gordura boa, como por exemplo as oleaginosas (castanhas, nozes, macadâmia, amêndoas, pistache).


0099b1aa
Foto: Aline Mendes

 

Se ingerirmos alimentos com baixo índice glicêmico, podemos emagrecer? Por quê?
Na busca do corpo perfeito as pessoas são capazes de fazer loucuras. Mas basta você conhecer os alimentos e seus índices glicêmicos, que tudo fica mais fácil. Pois priorizando alimentos de moderado a baixo IG, você controla o insulina, a grande vilã dos depósitos de gorduras indesejados. Lembre-se de combinar todos os macronutrientes em todas as refeições!

Para os praticantes de atividade físicas aí vai uma dica: o único momento em que você pode e deve dar prioridade a alimentos de alto índice glicêmico é no pós-treino. Isso porque todas as reservas de glicogênio (forma em que o carboidrato é armazenado no corpo) foram depletadas durante o treino, e você precisa repor para uma próxima sessão de treinamento. Mas isso tudo dependerá do objetivo de cada pessoa, bem como o seu nível de treinamento.

_______________________________________________

>>COMO ASSINAR 
 Veja como receber as atualizações do blog no seu e-mail

>> REDES SOCIAIS DO BARRA DE CEREAL
(basta clicar nos links abaixo para acessá-las e curti-las)


FACEBOOK: /blogbarradecereal

INSTAGRAM – @blogbarradecereal

PINTEREST – /barradecereal

TWITTER – @barra_de_cereal

Confira quais alimentos você deve consumir durante o carnaval

02 de março de 2014 0

00767ede
Foto: Marcos Porto

Carnaval é sinônimo de que devemos redobrar os cuidados com a alimentação e a hidratação.

O consumo de determinados alimentos é fundamental para repor minerais que serão perdidos na folia, por isso recomenda-se o aumento da ingestão de água mineral, água de coco e suco de frutas ricas em potássio, como morango, melancia, kiwi, uva, pêssego e maracujá.

001ab7af
Foto: Mauro Vieira

- O suor e o excesso de bebida alcoólica podem causar desidratação e diminuir a disposição. Alternar o consumo de água com o álcool é uma alternativa para evitar este quadro – afirma a nutricionista Ariane Machado Pereira, da Naturalis.

O ideal é dar preferência por refeições leves, evitando comidas gordurosas que podem causar mal estar. Mix de folhas verdes com grãos integrais, carnes magras grelhadas, cozidas ou assadas e fontes de carboidratos integrais são excelentes opções. O folião deve se alimentar de 3 em 3 horas com frutas, frescas ou desidratadas, barras de cereais ou palitinhos de fibras, que são opções práticas de carregar.

0066da85

Leia mais
10 alimentos recomendados para quem quer ganhar massa magra
Confira cinco alimentos que ajudam na conquista da barriga sarada
Descubra 10 motivos para incluir a goji berry na sua dieta
Saiba como eliminar os quilinhos extras com a dieta detox
Nutricionista ensina nove cardápios detox para turbinar a sua dieta
Conheça os benefícios do chá de hibisco, que auxilia no emagrecimento
PROJETO VERÃO: confira dicas para perder os quilinhos indesejados


REDES SOCIAIS DO BARRA DE CEREAL

(basta clicar nos links abaixo para acessá-las e curti-las)

FACEBOOK: /blogbarradecereal

INSTAGRAM – @blogbarradecereal

PINTEREST – /barradecereal

TWITTER – @barra_de_cereal

 

VÍDEO: confira dicas para curtir o Carnaval sem descuidar do corpo e da saúde

27 de fevereiro de 2014 0

Endocrinologista tira dúvidas sobre medicamentos para emagrecer

27 de fevereiro de 2014 1

002f0760
Foto: Charles Guerra

Hoje o blog aborda os medicamentos para emagrecer. Quando eles são indicados? Qual o papel da alimentação? São alguns questionamentos que serão respondidos pela endocrinologista Graciele Tombini

Leia mais
10 alimentos recomendados para quem quer ganhar massa magra
Confira cinco alimentos que ajudam na conquista da barriga sarada
Descubra 10 motivos para incluir a goji berry na sua dieta

Saiba como eliminar os quilinhos extras com a dieta detox
Nutricionista ensina nove cardápios detox para turbinar a sua dieta
Nutricionista tira dúvidas sobre a chia e a linhaça, grãos que ajudam a emagrecer
Conheça os benefícios do chá de hibisco, que auxilia no emagrecimento

Quando os remédios para emagrecer são indicados?
São recomendados para pacientes com Índice de Massa Corporal maior do que 30 ou 25, em pacientes com doenças associadas à obesidade como diabetes e hipertensão. Para calcular o IMC, divida o pelo pela altura em metros ao quadrado.
Sabe-se, porém, que existem pacientes obesos com IMC normal. Por isso, a avaliação clínica é decisiva para indicação de medicamento.
A gordura abdominal é um marcador de risco. Mulheres com cintura acima de 80 centímetros e homens com cintura acima de 88 centímetros têm maior chance de desenvolverem doenças em função do excesso de gordura. Se estes pacientes não emagrecerem apenas com dieta, talvez seja o caso de usar alguma medicação.

Só o medicamento isolado alcança os resultados?
Muito pouco. Eles auxiliam, mas se o paciente não fizer mudanças alimentares, o resultado será muito pequeno e não duradouro. Sabemos que a perda de peso não é mágica.

00880cbd

Qual a importância de uma alimentação saudável e dos exercícios físicos?
70% alimentação e 30% atividade física. Para quem quer emagrecer, mudar a dieta é imprescindível.

Uma pessoa que não é obesa pode ingerir remédios para emagrecer?
Conforme explicação acima, se o paciente tem gordura abdominal elevada, mesmo com IMC normal, ele pode ser candidato ao uso de medicamentos, caso não consiga bons resultados apenas com dieta.

Leia mais
PROJETO VERÃO: confira dicas para perder os quilinhos indesejados

Quais os riscos de uma pessoa ingerir remédios para emagrecer sem prescrição médica?
Depende do medicamento. A Sibutramina, por exemplo, não pode ser usada por pacientes cardíacos e hipertensos não controlados. Existem outros medicamentos cujo efeito colateral é o emagrecimento, porém não entram na categoria de medicamentos para emagrecer.
Exemplos:
Bupropiona – Antidepressivo, que auxilia dando saciedade.
Topiramato – Anticonvulsivante, que ajuda na compulsão.
Victoza – Medicamento injetável para diabetes. Ele faz com que o esvaziamento gástrico fique lento. Todos podem ter diversos riscos e por isso necessitam de indicação médica.

002f06da
Foto: Flávio Neves

Como agem os diferentes tipos de medicamento para emagrecer?
Alguns medicamentos agem dando maior saciedade (é o caso da sibutramina), outros inibindo o apetite (são chamados anorexígenos, à base de anfetamina) e tem ainda os que bloqueiam a absorção de gordura no intestino.
Os anorexígenos são os menos indicados, pois costumam causar efeito rebote. O paciente não sente fome e emagrece, quando para de usar o medicamento, costuma ganhar peso novamente.

Quais são os medicamentos mais indicados e os objetivos?
Esta resposta é difícil, pois cada paciente deve ser avaliado. Não basta analisar o motivo pelo qual um paciente engorda, mas também se ele tem alguma doença, se usa algum medicamento, se já usou algum remédio para emagrecer. Enfim, a prescrição é individual.

Podes dar um exemplo em que o uso de remédio para emagrecer deu certo?
Nossa, tenho muitos exemplos. Alguns pacientes precisam da ajuda de medicamentos para perceberem que são capazes de mudar, funciona como um estímulo para o paciente. Muitas pessoas precisam ver o resultado para seguirem adiante sem medicação.

Podes dar um exemplo em que o uso de remédio para emagrecer não deu certo?
Também tem pacientes que não emagrecem com medicamentos. Assim como tenho outros que emagrecem 30 quilos com a Sibutramina e quem não emagrecem nada. O mesmo medicamento pode ser bom para alguns e péssimo para outros.

00791e10
Foto: Emílio Pedroso

Superdica da endócrino
Existem medicamentos que auxiliam no emagrecimento, mas sem a dieta e atividade física o resultado é pequeno. Então, o importante é querer emagrecer e colocar metas que servem de incentivo como entrar em uma roupa, colocar um biquíni ou sunga, melhorar a saúde.

REDES SOCIAIS DO BARRA DE CEREAL
(basta clicar nos links abaixo para acessá-las e curti-las)

FACEBOOK: /blogbarradecereal

INSTAGRAM – @blogbarradecereal

PINTEREST – /barradecereal

TWITTER – @barra_de_cereal

 

 

 

Nutricionista dá sete dicas de alimentação para quem pratica corrida

14 de fevereiro de 2014 2

941700_120462324826028_391030775_n
Foto: Arquivo Pessoal

Quem gosta de correr, normalmente costuma se preocupar com a alimentação, não apenas pela saúde, mas para otimizar os treinos.

Mas é fundamental uma orientação adequada às necessidades individuais. Isso permitirá melhor performance, recuperação pós-treino e evitará lesões. Uma alimentação orientada atua como recurso ergogênico, o que melhora o rendimento da atividade física.

Leia mais
10 alimentos recomendados para quem quer ganhar massa magra
Confira cinco alimentos que ajudam na conquista da barriga sarada
Descubra 10 motivos para incluir a goji berry na sua dieta

Saiba como eliminar os quilinhos extras com a dieta detox
Nutricionista ensina nove cardápios detox para turbinar a sua dieta
Nutricionista tira dúvidas sobre a chia e a linhaça, grãos que ajudam a emagrecer
Conheça os benefícios do chá de hibisco, que auxilia no emagrecimento

Seguem algumas dicas da nutricionista Marina Azambuja Amaral, da Companhia Athletica.

1) Nunca praticar atividades físicas em jejum. Correr sem ter comido nada acaba causando perda de massa magra, além de prejudicar a performance do treino.

00601e64
Foto: Emílio Pedroso

2) Quem se alimenta uma hora e meia antes da corrida, está fazendo a escolha certa. Existem estratégias para quem acorda muito cedo e logo em seguida pratica a corrida ou não teve muito tempo para um lanche adequado.

Antes do treino opte por carboidratos de absorção lenta (pão integral, aveia, arroz e macarrão integrais, batata – principalmente doce, legumes crus, lentilha, feijões, frutas como maçã, pera e pêssego). Evite a ingestão de leite e derivados, carnes, frituras e açúcares, que podem causar desconforto abdominal. Evite também o consumo de alimentos ricos em cafeína (café, chá, chimarrão, Coca-Cola).

007079be
Foto: stock.xchng

3) Hidratar-se é um dos pontos-chave, dando atenção especial aos dias muito quentes. Cerca de 1h antes da corrida, ingira pelo menos 500ml de água. Após o treino, também é fundamental para equilibrar o balanço hídrico. Água e água de coco são as melhores escolhas!

4) Cuidado com o consumo de alimentos ou repositores durante os treinos. Para quem objetiva perder peso, um treino de até 1h30min não necessita de reposição.

0082d409
Foto: Conch Images

Leia mais
PROJETO VERÃO: confira dicas para perder os quilinhos indesejados

5) Se a corrida durar mais de 2 horas, pode ser necessário o suporte de aminoácidos e carboidratos para melhorar o desempenho e evitar a fadiga. Os isotônicos são famosos, mas cuidado, eles são ricos em sais minerais e açúcares, podendo engordar!

6) No pós treino, opte por alimentos proteicos de absorção mais lenta (carnes magras, ovos – principalmente a clara, leite e derivados desnatados, aliados a fontes de carboidratos de fácil absorção (sucos de frutas, arroz, batata, pão, mel). Uma suplementação não é regra geral, mas dependendo das necessidades individuais, pode ser adequada! Quanto mais próximo do término do exercício for a refeição pós-treino, melhor a recuperação.

005f42ac
Foto: Divulgação

7) Lembre-se que os cuidados não devem ser apenas em dias e horários de treinos e competições. Corredores amadores ou profissionais precisam ter hábitos saudáveis (evitar cigarros, excessos de bebidas alcoólicas e situações de estresse). Uma alimentação diária adequada em relação às necessidades e tipo de treino são fundamentais para o sucesso!

Já seguiu o blog no Facebook? Corre lá e fique por dentro das últimas notícias saudáveis de Aline Mendes

Livro mostra as vantagens do whey protein para a saúde

30 de setembro de 2013 3

Dieta com Whey Protein

Whey Protein – ou proteína do soro do leite – é considerada a melhor fonte proteica para consumo. A ação antioxidante e sua atuação para a manutenção de um sistema imunológico fortalecido são alguns dos benefícios disponíveis para que busca uma vida mais saudável e também alcançar a boa forma.

10 alimentos recomendados para quem quer ganhar massa magra
Descubra 10 motivos para incluir a goji berry na sua dieta
Nutricionista tira dúvidas sobre a chia e a linhaça, grãos que ajudam a emagrecer
Cinco motivos para consumir o chá verde, mas atenção aos cuidados
Saiba como eliminar os quilinhos extras com a dieta detox
Confira sete tratamentos estéticos para evitar e combater a celulite

Em busca de esclarecer melhor o assunto, a nutricionista Geórgia Bachi acaba de lançar o livro Dieta com Whey Protein – Os benefícios do soro do leite para a sua saúde.

- Meu objetivo é apresentar um novo conceito de dieta, bastante comum entre atletas e que pode trazer grande benefício à saúde de qualquer indivíduo, independente das metas pessoais e da atividade que pratica – afirma.

Na obra, além de dicas sobre o suplemento, a autora apresenta receitas com whey protein, que vão desde shakes e vitaminas até bolos e tortas.

- Somente quando comecei a estudar a dieta de fisiculturistas é que compreendi a importância de ingerir fontes proteicas de alto valor biológico nas refeições. Existem itens básicos no cardápio desses profissionais que todos deveriam conhecer e seguir – sugere.

Segundo a nutricionista, esses suplementos não farão ninguém ficar magro ou forte milagrosamente. Eles irão trabalhar única e exclusivamente na função suplementar da alimentação.

- Precisamos nos nutrir com o combustível que o organismo necessita. Caso contrário, a consequência será o envelhecimento precoce, a má qualidade de vida e a propensão a diversas doenças –  finaliza Geórgia.

398364_361078063974358_1003462758_n

Sobre a autora
Geórgia Bachi é mestranda em Nutrição e Alimentos pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (RS), com formação em nutrição pela Universidade Feevale. Tem experiência profissional em nutrição hospitalar e social. Atualmente, é palestrante e realiza atendimento em clínica e em academias desportivas.

Saiba mais
Dieta com Whey Protein – Os benefícios do soro do leite para a sua saúde
Matrix Editora
120 páginas
R$ 24,00

Já seguiu o blog no Facebook? Corre lá e fique por dentro das últimas notícias saudáveis de Aline Mendes

Descubra como a alimentação pode melhorar o aspecto das olheiras

14 de agosto de 2013 0


Foto: Stock Photos

A pedido do blog, a nutricionista
Marcele Policarpo dá dicas bem interessantes sobre como a alimentação pode ajudar a amenizar as olheiras. E ainda tem uma receitinha do bem. Vem ver:

Leia mais
Confira cinco alimentos que ajudam a alcançar pernas bem torneadas
Cinco motivos para consumir o chá verde, mas atenção aos cuidados
Saiba por que a bebida alcoólica é prejudicial para quem pratica exercícios físicos
Personal trainer ensina seis exercícios para deixar suas pernas torneadas
Confira cinco alimentos que ajudam a combater a celulite

Qual a importância da alimentação para quem tem olheiras?
As olheiras surgem por conta de um acúmulo de melanina e da congestão dos vasos sanguíneos da pele das pálpebras. Sabe-se que as olheiras podem ocorrer por uma questão genética (onde a pessoa produz mais pigmentos na região ao redor dos olhos), por problemas com o sono e dificuldades para dormir, por estresse, crise de choro e TPM. O que muitas pessoas não sabem é que a alimentação também é um fator determinante quando o assunto são as olheiras. Isso ocorre quando o organismo do indivíduo tem dificuldade em absorver certos nutrientes, vitaminas e proteínas ocorrendo o surgimento e/ou agravamento de olheiras.
De que forma a alimentação pode influenciar no aspecto das olheiras?
A carência de ferro no organismo pode resultar no aparecimento de olheiras, indicado por uma pele pálida e olheiras mais profundas.
Problemas hepáticos podem deixar a pele ao redor dos olhos com a presença de pigmento amarelo-esverdeado.
Alergia alimentar e recusa do organismo a receber certos tipos de alimentos, como por exemplo: chocolate, amendoim, carne de porco podem provocar obstrução nasal e destacar as olheiras (elas ficam mais escuras).


Foto: Stock.Xchng

Cinco alimentos que ajudam a amenizar as olheiras?
Sementes de linhaça triturada, chia, chá verde, vegetais de folhas verdes e nozes.

Quais são os benefícios desses alimentos?
- Semente de linhaça e chia são ricas em ômega 3. Esse ácido graxo é importante para a pele por ser antioxidante e antiinflamatório, além de proteger os capilares sanguíneos.
- O chá verde é um potente antioxidante e protege as membranas.
- Vegetais de folhas verdes e nozes são fontes de vitamina E. Esse micronutriente melhora o aspecto da pele, de manchas, ajuda no sistema digestivo, facilita o trabalho do fígado e melhora o funcionamento do intestino.


Foto: Adriana Franciosi

Quem tem olheiras deve evitar que tipo de alimento?
Alimentação inadequada (excesso de gordura trans, excesso de proteínas) podem provocar o mau funcionamento do fígado e o mau funcionamento dos rins (pode reter muito líquido no organismo e isso acaba refletindo na face).

DICA DA NUTRI
Para quem quer reduzir olheiras, deve incluir diariamente na alimentação fontes de alimentos ricos em vitamina C (acerola, morango, goiaba) e vitamina E (vegetais de folhas verdes, nozes), pois são excelentes antioxidantes. Deve incluir, também, fontes de ferro (carnes, vegetais de folhas verdes), pois o ferro é o responsável por oxigenar as células através da corrente sanguínea, uma vez que a má distribuição de oxigênio pode resultar no aparecimento de olheiras.


Foto: Stock Photos

RECEITA

Smoothie Funcional


Foto: André Mags

Ingredientes
1 litro de leite semi sem lactose
1 pacote de probióticos (400mg)
½ xícara de morangos picados
½ xícara de mirtillo
2 nozes
½ copo de suco de acerola (baixa carga glicêmica)

Modo de preparo
Iogurte probiótico: misture 500ml de leite fervido com 500ml de leite gelado, adicione o envelope de probióticos. Mexa até dissolver completamente. Coloque o iogurte preparado em um refratário e tampe, deixe em um ambiente seguro e que mantenha a temperatura por aproximadamente cinco horas. Após, leve para a geladeira e deixe por uma hora.
Smoothie: com o auxílio de um liquidificador, bata o iogurte probiótico com as frutas e nozes e ao final, adicione o suco de acerola. Sirva gelado.

Já seguiu o blog no Facebook? Corre lá e fique por dentro das últimas notícias saudáveis de Aline Mendes

Cinco mitos e cinco verdades sobre alimentação saudável

16 de julho de 2013 6

A pedido do blog Barra de Cereal, a nutricionista Marcele Policarpo preparou alguns exemplos de mitos e verdades sobre as dietas. Espero que gostem!

Leia mais:

Confira três combinações para deixar as pernas definidas
Confira cinco alimentos que ajudam a alcançar pernas bem torneadas
Saiba por que a bebida alcoólica é prejudicial para quem pratica exercícios físicos
Conheça a farinha que auxilia na perda de peso
Confira cinco alimentos que ajudam na conquista da barriga sarada


Foto: Stock Images

1 – Dietas muito restritivas, com apenas duas refeições por dia, ajudam a emagrecer. Mito ou Verdade?
Mito. Dietas muito restritivas, abaixo de 800 calorias por dia, podem diminuir o gasto energético de repouso, pois causa queda nas concentrações de hormônios da tireoide. Diferentemente do que se pensa, fazer uma dieta fracionada e comer de três em três horas faz com que os hormônios se mantenham nos níveis ideais. Evita que a grelina (hormônio que faz iniciar uma refeição) aumente demasiadamente e a leptina (hormônio da saciedade) diminua para aquém dos níveis normais. Além disso, comendo fracionadamente, evita-se que o organismo armazene gordura para os momentos que ele necessita, ou seja, de fome ou escassez, evitando assim a formação dos indesejáveis “pneus” na região dos flancos.


Foto: Julio Cavalheiro

2 – Licopeno ameniza o envelhecimento cutâneo. Mito ou verdade?
Verdade. O licopeno é a substância que dá a cor avermelhada ao tomate. Conhecido por seu efeito antioxidante, ajuda a impedir e reparar os danos às células causados pelos radicais livres. O licopeno dos tomates frescos e não processados é pobremente absorvido. A absorção do licopeno é maior quando oriundo de alimentos processados, como as pastas e sucos de tomate. Ele suporta o calor elevado usado na cocção. Desta forma, a massa de tomate ou o molho podem oferecer os mesmos benefícios dos tomates frescos.


Foto: Divulgação

3 – Vitamina C previne gripes e resfriados. Mito ou verdade?
Mito. Ao contrário do que muitos pensam, a vitamina C (acerola, limão, etc.) não previne gripes ou resfriados. Esse micronutriente, porém, é ótimo para aliviar os sintomas e para amenizar o mal-estar. Os benefícios da suplementação de vitamina C na prevenção valem somente para praticantes de exercício físico intenso. Após a atividade, o organismo precisa recompor tecidos danificados.


Foto: Divulgação

4 – Pimenta emagrece e melhora o humor. Mito ou verdade?
Verdade. A pimenta é considerada um alimento termogênico – quando se ingere algo apimentado tem-se um gasto energético aumentado. Além do efeito emagrecedor, as pimentas podem trazer felicidade. Tudo porque a pimenta vermelha contém uma substância chamada de capsaicina. Já pimenta do reino, a piperina. Ambas dão aquela sensação de ardor na língua. A ardência é ótima porque provoca uma sensação de bem-estar. Ao ingerir algo que contenha pimenta, a capsaicina ou a piperina ativam receptores na língua e na boca. Esses receptores mandam mensagem para o cérebro que acredita que a boca esteja “pegando fogo”. Para salvar esse “incêndio”, começa o processo de salivação. Para dar sensação de alívio da queimação, o cérebro produz endorfina (neurotransmissor que dá ao organismo a sensação de bem-estar e alívio de dores) que permanece por um bom tempo circulante no sangue. Com isso, vem a sensação de bem-estar e, também, melhora dores de cabeça e enxaqueca. Embora o cérebro acredite nisso, a língua não pega fogo, nem sofre danos. Meia pimenta por dia é suficiente, não exagerar nas quantidades é o segredo, pois podem ter efeitos adversos.

5 – O peso corporal é o melhor indicador de que uma dieta está funcionando. Mito ou verdade?
Mito. O peso na balança não significa resultado final. A melhor avaliação para saber se a dieta está funcionando, é a avaliação antropométrica completa. Onde se pode analisar peso e percentual de gordura corporal e peso de massa muscular.


Foto: stock.xchng

6 – Comer maçã provoca fome? Mito ou verdade?
Verdade. A maçã tem uma acidez que estimula a liberação do suco gástrico pelo estômago. A fruta possui uma substância chamada ácido málico – que faz com que a digestão seja mais rápida e a sensação de fome também. Uma dica é ingerir juntamente com a maçã, uma fonte de fibras, como chia, aveia, linhaça. As fibras retardam o esvaziamento gástrico.


Foto: Stock Photo

7 – Ingerir carboidrato engorda? Mito ou verdade?
Mito. Pode-se aumentar gordura corporal no caso de ingestão de carboidratos em excesso. Mas isso não significa que se deve retirar o macronutriente do cardápio. É a principal fonte de energia e exerce diversas funções em nosso organismo, como a nutrição das células do sistema nervoso central. Não se deve retirar esse nutriente da alimentação, principalmente se estiver fazendo exercício físico, pois o carboidrato é responsável por fornecer energia, pelo desempenho no treino e também tem um papel fundamental no período de recuperação pós-exercício e crescimento muscular.


Foto: Bete Duarte

8 – Batata doce auxilia na redução de gordura abdominal. Mito ou verdade?
Verdade. A batata doce é um alimento de baixo índice glicêmico. Quando consumidos, elevam lentamente a glicose sanguínea e, com isso, o organismo produz insulina aos poucos. A insulina é o hormônio que impede a quebra de gordura e facilita o seu acúmulo na região abdominal. Logo, se produzida de forma lenta, ameniza o acúmulo de gordura.


Foto: Kopenhagen

9 – Alimentação não influencia no surgimento da acne. Mito ou verdade?
Mito. É importante ressaltar que a acne é uma afecção crônica, com vários fatores, podendo ser inflamatória ou não, surge na puberdade ou na mulher adulta em endocrinopatias. Os alimentos podem, sim, agravar o surgimento da acne. Os mais relacionados são: chocolate, produtos lácteos, alimentos gordurosos, açúcares.

10 – Alimentação pode melhorar o aspecto da pele e da acne. Mito ou verdade?
Verdade. Assim como existem alimentos que causam inflamação, existem outros que amenizam, como o ômega-3 (fontes: chia, óleos vegetais, de linhaça, oliva, canola, gérmen de trigo e animais de origem marinha, como sardinha, atum, salmão). Fibras também amenizam o agravamento da acne. Elas se transformam em gel quando entram em contato com a água, inibindo o crescimento de bactérias patogênicas, facilitando a digestibilidade da lactose. O déficit de vitaminas e minerais tem relação com o agravamento da acne.
Exemplos de micronutrientes que inibem o surgimento da acne:
Zinco (frango, peixe) – Mais citado como coadjuvante no tratamento da acne
Selênio (castanha do Brasil, bacalhau) - Efetivo no combate a infecções
Cobre (cacau, lentilha) – Apresenta ação antibiótica local
Vitamina A (cenoura, manga) – Melhora da pele acneica.
Vitamina B6 (ovos, arroz integral) – Auxilia na diminuição dos sintomas relacionados a TPM e exacerbações cutâneas.

SIGA o Blog Barra de Cereal no FACEBOOK

Conheça a farinha que auxilia na perda de peso

27 de junho de 2013 12


Aline Mendes, Agência RBS

Rica em fibras, a farinha de banana verde melhora o trânsito intestinal e ajuda no controle do peso. Você pode prepará-la em casa ou comprar em lojas de produtos naturais. Eu encontrei numa banca no Mercado Público de Porto Alegre.

Leia mais:

Conheça oito benefícios do amaranto, que auxilia no emagrecimento
Confira 10 cuidados antes de começar uma atividade física
10 motivos para incluir o ômega 3 na dieta
Confira os 10 chás amigos da dieta e da saúde
Conheça a raiz que ajuda a queimar gordura
Confira cinco alimentos que ajudam na conquista da barriga sarada

A seguir, confira as dicas da nutricionista Elenise Corbari.

O que é a farinha de banana verde?
É um subproduto da polpa da banana verde. Seu nutriente mais importante é o amido resistente, que tem ação parecida à fibra alimentar, pois não é digerido nem absorvido pelo intestino delgado. É rico em potássio, fibras, sais minerais e vitaminas.

RECEITA
Ingredientes
Bananas verdes de preferência tipo prata

Modo de preparo
Escalde as bananas em água fervente, por dois minutos. Descasque e corte em tiras. Coloque em um tabuleiro, dispostas lado a lado. Leve ao forno e deixe torrar até ficarem esturricadas, quebradiças e esfarinhando na mão. Passe em uma máquina de moer ou liquidificador e depois passe em uma peneira fina.

Tabela nutricional

Quais os seus benefícios?
1 – Previne e ajuda no controle do diabetes
Por ser um alimento de baixo índice glicêmico, o organismo precisa liberar uma quantidade menor de insulina para que a glicose seja corretamente absorvida pelas células, contribuindo para a prevenção do diabetes e ajudando no controle de quem já possui.

2 – Melhora o trânsito intestinal
No intestino grosso, o amido resistente é fermentado e produz substâncias que alimentam as boas bactérias, estimulando o desenvolvimento da flora intestinal. Melhora o funcionamento intestinal e previne a prisão de ventre.

3 – Provoca saciedade
Sua digestão e absorção são mais lentas, causando uma maior sensação de saciedade e diminuição na ingestão de alimentos, ajudando na manutenção do peso corporal adequado.

4 – Alivia os sintomas da TPM
Por ser rica em vitamina B6 e triptofano, ajuda na produção de serotonina, que é um neurotransmissor que provoca sensação de bem-estar e melhora o humor e devido ao seu teor de fibras, a farinha de banana ajuda na diminuição da retenção hídrica e das cólicas.

5 – Previne a osteoporose
Pois na digestão do amido resistente o ph intestinal diminui, auxiliando na absorção do cálcio e também é rica em fósforo, que participa da formação óssea.

6 – Reduz os níveis de colesterol
A farinha de banana verde diminui a produção de colesterol e auxilia na sua eliminação, impedindo que ele se acumule no sangue, contribuindo na prevenção de doenças coronarianas.

7 – Fortalece a imunidade
Por auxiliar o desenvolvimento da flora intestinal, estimula o sistema imunológico e aumenta a capacidade do organismo de combater as bactérias que entram em nosso corpo, melhorando a recuperação e prevenindo doenças.

Ajuda a emagrecer?
A banana verde é mais rica em fibras do que a madura e contém o amido resistente, que passa sem ser digerido pelo intestino delgado e só é fermentado no intestino grosso, auxiliando no emagrecimento. Se o consumo da farinha for para emagrecer, o ideal é consumi-la misturada na água trinta minutos antes das refeições. Os resultados do emagrecimento aparecem em média, após duas semanas de consumo.

Como as pessoas podem inclui-la na alimentação?
Pode-se consumir duas colheres de sopa de farinha de banana verde ao dia. Pode misturá-la em água, suco, alimentos ou saladas. Também pode ser utilizada no preparo de bolos, biscoitos e outras massas, substituindo a farinha de trigo.

Todo mundo pode ingeri-la? Há alguma contraindicação?
Não existem contraindicações, mas é importante manter o consumo de água adequado, pois o aumento do consumo de fibras sem hidratação pode gerar prisão de ventre e ressecamento nas fezes.

Siga o Blog Barra de Cereal no Facebook