Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de maio 2011

Entrevista com Dida Vigini

25 de maio de 2011 19


No ano 1988 pedi a conta de uma empresa onde trabalhava como secretária e resolvi montar meu próprio negócio. Era um antigo sonho. Sempre gostei de artesanato e para criar diferencial na minha loja comecei a fazer alguns trabalhos com flores secas, muito usadas na época. Depois disso comecei a participar de cursos, ler revistas sobre o assunto, ir a feiras especializadas, aprimorando cada vez mais meus conhecimentos.


Você busca inspiração, onde?
Em tudo que vejo, principalmente na natureza.

E os materiais, você encontra onde?
Na maioria das vezes em São Paulo e alguma coisa em Joinville.

Como é a sua rotina?
Não tenho rotina, todos os dias tento que conciliar o trabalho na minha loja com as milhares de ideias que tenho, muitas delas não consigo colocar todas em prática. Estou sempre criando algo novo.

Qual peça significa/significou mais pra você?
Adoro bonecas de pano. A mais especial fiz para minha cunhada de presente, depois de um grave problema de saúde que ela se recuperou.  A boneca se chama Vitória.

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
O mais difícil é a escolha do material: as cores, combinações que podem fazer toda diferença no acabamento de uma peça. A mais envolvente é a montagem, você tem que usar criatividade e imaginação para dar características únicas ao seu trabalho.

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Quando estou sem inspiração começo a folhear minhas revistas antigas e novas (tenho dezenas de exemplares da antiga revista Faça Fácil). Sempre acabo tendo uma nova idéia. Pesquiso na internet novas tendências e materiais,tTambém adoro revistas importadas, que compro em feiras.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir  TV, ouvir música ou prefere o silêncio?
A TV está sempre ligada, não gosto do silêncio.

O que te motiva a ser crafter?
Me sinto feliz e orgulhosa com cada peça que faço. Acredito que tenha nascido especialmente para trabalhar com isto.

Dica para iniciante
Sempre procurar fazer tudo com muito carinho e calma. Nunca ter pressa para terminar alguma coisa, usar materiais de qualidade e ficar atento ao mercado, pois a cada dia surgem novidades. Não se fixe as ideias e materiais que já existem, você pode criar algo a partir de uma bijuteria, de um enfeite antigo, de uma capa de revista, etc…

*

Nome: Oledir Vegini (a Dida)
Loja: Dida Presentes e Papelaria
Rua Águia, 230 – Costa e Silva
Joinville-SC

*

E na coluna desta quarta-feira, aprenda a fazer uma flor para ser utilizada de várias formas, como as abaixo




1. Como vc começou?

No ano 1988 pedi a conta de uma empresa onde trabalhava como secretária e resolvi montar meu próprio negócio. Era um antigo sonho. Sempre gostei de artesanato e para criar diferencial na minha loja comecei a fazer alguns trabalhos com flores secas, muito usadas na época. Depois disso comecei a participar de cursos, ler revistas sobre o assunto, ir a feiras especializadas, aprimorando cada vez mais meus conhecimentos.

2. Vc busca inspiração, onde?

Em tudo que vejo, principalmente na natureza.


3. E os materiais, vc encontra onde?

Na maioria das vezes em São Paulo e alguma coisa em Joinville.


4. Como é a sua rotina?

Não tenho rotina, todos os dias tento que conciliar o trabalho na minha loja com as milhares de idéias que tenho, muitas delas não consigo colocar todas em prática. Estou sempre criando algo novo.


5. Qual peça significa/significou mais pra você?

Adoro bonecas de pano. A mais especial fiz para minha cunhada de presente, depois de um grave problema de saúde que ela se recuperou. A boneca se chama Vitória.


6. No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?

O mais difícil é a escolha do material: as cores, combinações que podem fazer toda diferença no acabamento de uma peça. A mais envolvente é a montagem, você tem que usar criatividade e imaginação para dar características únicas ao seu trabalho.


7. Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que vc fez?

Quando estou sem inspiração começo a folhear minhas revistas antigas e novas (tenho dezenas de exemplares da antiga revista Faça Fácil). Pois sempre acabo tendo uma nova idéia. Pesquiso na internet novas tendências e materiais. Também adoro revistas importadas, que compro em feiras.


8. Quando está desenvolvendo uma peça, vc costuma assistir V, ouvir música ou prefere o silêncio?

A TV está sempre ligada, não gosto do silêncio.


9. O que te motiva a ser crafter?

Me sinto feliz e orgulhosa com cada peça que faço. Acredito que tenha nascido especialmente para trabalhar com isto.


10. Dica para iniciante

Sempre procurar fazer tudo com muito carinho e calma. Nunca ter pressa para terminar alguma coisa. Usar materiais de qualidade e ficar atento ao mercado, pois a cada dia surgem novidades. Não se fixe as idéias e materiais que já existem, você pode criar algo a partir de uma bijuteria, de um enfeite antigo, de uma capa de revista, etc…

Aulas de Scrapbook e Scrap Decor

19 de maio de 2011 4
Gente, mais coisinhas boas lá no Atelier Maria Arteira, aqui em Joinville.
A Pâmela Magri Vock está começando a dar aulas de Scrapbook e Scrap Decor.
Pra quem não conhece esta técnica não pode perder.

As aulas acontecerão às quartas às 18h30.

Além de aprender você terá a oportunidade de trocar ideias, tomar um delicioso café e fazer novas amizades. Ah e sem contar que o material você pode adquirir todo lá no atelier, quer mais o quê?
Liga logo pra lá e agende sua aula.

Armazém e Ateliê Maria Arteira | 3121-9170
http://blogmariaarteira.blogspot.com


Entrevista Zélia Borges

18 de maio de 2011 4



Comecei em 2004, minha mãe faleceu no início de 2003 e passei por período muito difícil, fui a uma consulta e o médico sugeriu que eu procurasse fazer algo que me motivasse, que me desse prazer, então comecei a fazer alguns cursos de pintura em madeira  a partir daí não parei mais, trabalhei com madeira por mais ou menos  3 anos e o fuxico apareceu por acaso, fui fazer uma aula no SESC da minha cidade e encontrei muita dificuldade, pois não sabia nem pregar botão, isto só me instigou, então comecei a comprar revistas específi
cas e a navegar na internet atrás de explicações e fiquei fascinada, fiz algumas coisas para minha filha e  comecei a vender as peças para amigas e por aí foi.


Você busca inspiração, onde?
Em revistas de artesanato, peguei mania de comprar, não saio de sebos e bancas de revistas e na internet.

E os materiais, você encontra onde?
Aqui em Londrina, apesar de faltar novidades que acho em sites na internet e faço compra online também.

Como é a sua rotina?
Pela manhã cuido da casa e início algum trabalho (artesanato), à tarde estou na escola, sou professora das séries inicias de rede municipal de Londrina e a noite dou continuidade aos  pedidos e também as atividades da escola que faço em casa. Trabalho também  nos finais de semana e feriados, geralmente no sábado vou ao centro da cidade para fazer compras de aviamentos e tecidos e coisas pessoais.

Qual peça significa/significou mais pra você?
Não tenho nenhuma em especial, quando pintava madeira, queria ficar com todas para mim,
tinha ciúmes delas kkkkk. Depois com o tempo, fui desapegando,  amo o que faço então cada peça é especial, faço todas com muito carinho.

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
O acabamento da peça é o que dá mais trabalho, principalmente as peças para bebê que são pequenininhas e eu costuro todas à mão, pois não confio apenas na cola, faço cada uma como se fosse para mim, porque eu ficaria brava se tivesse acabado de comprar algo que gostei e logo estragasse.
O que mais gosto é criar, combinar os tecidos,  cores, botões. Eu trabalho mais com encomenda, pois tenho pouco tempo para deixar peças prontas, não dou conta, e quando encomendam muitas vezes a mesma peça, isto me incomoda, não gosto de ficar repetindo as peças iguaiszinhas, do  mesmo jeito, sempre procuro mudar alguma coisa.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Já tive muitos dias sem inspiração e sem vontade de trabalhar, mas foi por puro cansaço. Tenho uma jornada diária cansativa, mas quando tenho um prazo apertado para entregar uma encomenda, respiro fundo e começo o meu trabalho, quando os prazos estão tranquilos, deixo para o outro dia.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Há pouco tempo, minha família me “obrigou” a ter um espaço para eu trabalhar, imagina como era antes kkkkk, então montei meu ateliê na antiga sala de TV e fiquei com uma TV, faço meus trabalhos assistindo (ouvindo) minhas séries preferidas, sou viciada em NET, só que procuro os canais dublados, porque não dá pra ler, só ouvir.

O que te motiva a ser crafter?
Saber que fui eu quem fez aquela peça e que outra pessoa achou bonita e vai usar com prazer, as mamães que encomendam as faixas e outros acessórios para suas filhinhas, fazem isto imaginando como vai ficar na sua princesa, então é muito gratificante saber que eu pude fazer o melhor para ela enfeitar a sua menina. Isso é muito bom. Outra coisa também foi com a minha auto-estima, o artesanato me mostrou que sou capaz de fazer coisas que achava que não podia, me mostrou o lado criativo que eu não sabia ter.

Dica para iniciante
É preciso ser curiosa, correr atrás, ter vontade de aprender, eu não me imaginava fazendo nada do que faço agora, como disse antes, não sabia nem pregar botão, hoje já costuro na minha máquina de costura e sem curso. O mais importante é ser persistente e não ter pressa porque o reconhecimento e o retorno financeiro demoram um pouco.

*
Nome: Zélia Siqueira Borges
Marca: Aquarela Artesanatos
Onde encontrar: www.aquarela.elo7.com
Blogs: www.brincandocomcores2.blogspot.com (Blog de Artesanato)
www.brincandocomcores.blogspot.com (Blog Educação)
*

Acompanhe na coluna Baú de Ideias, no jornal A Notícia como fazer esta linda tiara!


E abaixo, um outro passo a passo que a querida Zélia nos passou!

O método para encapar o arco é a mesma que ela ensina na coluna impressa de hoje.

Materiais para as flores de fuxico:
– Tecidos da sua preferência, combinando com o a cor que você encapou o arco
– 5 círculos de tamanho maior
– 5 círculos menores
– 1 círculo pequeno de feltro
– 1 botão encapado ou outro de sua preferência
– Agulha, linha para pipa, tesoura
– Cola de pano ou de contato

Passe os moldes do fuxico para os tecidos e recorte os círculos

Recorte 5 círculos de cada tamanho, no total de 10 círculos

Dobre o círculo ao meio e depois novamente ao meio, ficará um retângulo

Alinhave com agulha e linha para pipa (mais forte) na ponta aberta do fuxico, até alinhavar os 5 círculos

Terminando de alinhavar os 5 círculos, una a última pétala à primeira, passando com a agulha por baixo e arrumando as pétalas, dê um nó para finalizar e  corte. Faça o mesmo com os círculos maiores

Passe cola no círculo de feltro e cole na flor de fuxico maior em seguida cole a flor menor encima da flor grande e cole também o botão encapado.
As flores ficarão como na 3ª imagem

Por último é só colar a flor no arco na posição que você desejar.

Entrevista com Sheila Sansão

11 de maio de 2011 3


Desde pequena as artes manuais sempre fizeram parte da minha vida…cresci com minha Avó materna que era uma costureira maravilhosa, e brincar com botões, tecidos e fitas era minha rotina…ir ás lojas de aviamentos com ela eram meus passeias preferidos!!!Tudo lá me fascinava, os brilhos, as estampas…Uma tia e minha mãe também sempre estavam em meio á lãs e telas de bordar…e me ensinavam tudo que eu queria aprender…Cresci, me formei na faculdade,casei, virei bancária e vivia no maior stress…normal da profissão, mas sempre amei artesanato e na época era viciada em ponto cruz…depois que meu filho nasceu parei de trabalhar e tinha muito tempo para navegar na internet…foi então que descobri inúmeros sites de artesanato que me fascinaram e me inspiraram a começar algo meu, que ao mesmo tempo me desse muito prazer em fazer e uma renda extra também.
O feltro foi a “minha” descoberta do século…desde que vi  fotos e muitos trabalhos com ele me apaixonei por sua facilidade de trabalhar.Comecei fazendo coisas para mim e para presentear. Depois resolvi tentar vender e minha mãe me deu o maior incentivo e colocava meus chaveiros para vender na loja em que trabalhava.Aliás, os chaveiros são minha paixão até hoje.

Você busca inspiração, onde?
Na maioria das vezes em sites da internet mesmo… principalmente no Flickr.com.br onde tenho uma página e fiz muitas amizades com artesãs, inclusive através desse site conheci artesãs da minha própria cidade. Gosto também de ver muitas revistas sobre o assunto, ir á feiras de artesanato, e passear por lojas de 1,99 buscando materiais que possa usar em meus trabalhos…costumo também perguntar á amigas e conhecidas que tipo de trabalho artesanal elas gostariam de ter ou comprar, afinal as clientes sabem muito bem o que querem e apreciam muito algo que foi feito especialmente para elas e do jeitinho que elas queriam.

E os materiais, você encontra onde?
Minha cidade tem uma tradição em artesanatos bem forte, por isso não é difícil encontrar os materiais que preciso, principalmente em termos de materiais para costura e pedrarias…há muitas lojas
especializadas aqui.Quando realmente não encontro compro pela internet.E muitas coisas em lojas de 1,99 também.

Como é a sua rotina?
De manhã cuidar do filho…de tarde, depois de levá-lo á escola é que me dedico ás minhas encomendas, e quando não tenho nada para entregar faço coisas para mim ou para presentear amigas eparentes…amo dar presentes feitos por mim, onde coloco todo meu carinho pela pessoa e detalhes especiais que a façam feliz!!! No fim da tarde pegar o filhote na escola e me dedicar á ela, aomarido e á casa…como toda mulher que trabalhe fora ou não…e quando os DOIS vão dormir rsrsss, costuro mais um pouquinho no silêncio da noite…e confesso que é a hora que mais gosto de trabalhar!

Qual peça significa/significou mais pra você?

Ihhh, há tantas…amo tudo que faço, mas minha paixão mesmo é fazer chaveiros para lembrançinhas, dentre elas os mais especiais são os chaveiros de gatinhos que aprendi a fazer com outra artesã deBlumenau, a Dayse Howe…fizeram muito sucesso quando comecei e até perdi as contas de quantos já fiz…foi com eles que percebi que podia fazer algo que me dava prazer e ainda lucrar com isso

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Criar e depois ver seu trabalho realizado é maravilhoso!!!Não acho que posso dizer que “me dá mais trabalho”, mas com certeza a parte mais demorada e que demanda um tanto de dedicação e
paciência é o início dos contatos com as clientes…entender o que elas querem, como querem…para que fiquem satisfeitas e principalmente felizes com o resultado final!Ás vezes essa parte
demora mais dias do que a confecção da peça em si!Mas faço e sempre vou fazer isso porque o artesanato para mim vai além do lucro, é o prazer de trabalhar,realizar e fazer parte de sonhos das outras
pessoas…como no caso das lembrançinhas de nascimento e casamento por exemplo!

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Com certeza!!!Em todo trabalho, por mais prazeroso que seja, nem tudo são flores…já tive dias de não saber nem por onde começar uma peça…de fazer algo e achar que não ficou bom…dias de pensar
em abandonar tudo…mas daí alguém faz um elogio, um comentário positivo…ou então, aparece uma encomenda que me motiva de novo á ir em frente…e tudo se resolve por si só…tento não ficar
apreensiva e até dou um tempo para acalmar a mente.Nesses dias também costumo dar uma “organizada” nos materiais…então é mexendo em feltros, tecidos e botões que muitas vezes tenho as melhores idéias!

Quando está desenvolvendo uma peça, vc costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
AHHH…essa me pegou…a televisão, só consigo produzir sentadinha no meu sofá vendo TV e com todo o material espalhado pelo sofá…caixinhas, maletas, etc.Na verdade na maioria das vezes nem
percebo o que está passando, mas parece que se não for assim meu trabalho não rende…acho estranho, mas fazer o que!!!rsrsss

O que te motiva a ser crafter?
O fato de saber que cada peça minha recebeu o meu carinho e atenção especial, eu sempre espero que as pessoas que as compram sintam esse carinho…fazer algo que não seja industrializado em série, e
sim feito 100% á mão (e de coração também) é sempre o que me deixa muito feliz, é uma realização pessoal mesmo…não saberia mais viver sem ter algo artesanal para fazer, acho que chega a ser um
vício, mas dos bons!!! As amizades que fiz por causa do artesanato também é algo muito importante…o que incentivou muito no começo também foram as palavras de apoio, conselhos, dicas e ensinamentos que recebi(e ainda recebo) de amigas artesãs…a maioria virtuais…mas muito reais mesmo na minha vida!

Dica para iniciante
Primeiro e com toda certeza é AMAR o que faz…procure a técnica, o material que mais se encaixa no seu gosto pessoal e aptidão, daí tudo que você fizer será por prazer e as pessoas sentiram isso, vão
admirar você e seu trabalho conseqüentemente. Caprichar nos detalhes, tornar sua peça única com algo que você acrescentou, ter paciência e dedicação, não ter medo de testar técnicas e materiais novos…o máximo que vai acontecer é você perceber que não é a “sua praia” e partir para outra.Mas com certeza o artesanato não é uma arte estagnada, está sempre inovando e você sempre vai encontrar algo especial e inovador que vai gradar aos olhos de todos! Algo também  muito importante é você mesma DAR VALOR AO SEU TRABALHO…cobrar o preço que seja justo por ele, muitas pessoas não entendem o processo de criação, a dedicação que temos e como demanda tempo…tudo deve ser aplicado ao valor final.

*
Nome: Sheila Sansão
Marca: Arte Sonhos
Onde encontrar:
WWW.elo7.com.br/artesonhos   (loja virtual)
WWW.flickr.com/artesonhos   
Facebook: Sheila Sansão
*

Veja na coluna desta quarta-feira, um passo a passo deste lindo chaveiro em formato de mandala.


MEGA ARTESANAL

03 de maio de 2011 0

No dia 30 de junho de 2011 a Ophicina Panos & Traços e a Gadotti Turismo realizarão sua habitual excurssão para São Paulo com o objetivo de visitar a MEGA ARTESANAL.

A exemplo dos anos anteriores, alunas, clientes e amigas farão além da visitação a Feira, um “passeio” pela 25 de março no dia 02/07(sábado) pela manhã.

Ainda em São Paulo no mesmo período estará ocorrendo a 9ª Feira Senac de Patchwork, no entanto o traslado para esta Feira ficará sob responsabilidade das interessadas.


SAÍDA: 30/06/2011 às 21:00 h (quinta-feira)

CHEGADA PREVISTA: 03/07/2011 às 04:00h (domingo)

LOCAL:Garagem Gadotti (em frente Havan)

PAGAMENTO: Maio/2011 ­­­ — R$ 365,00

Junho/2011 — R$375,00


INFORMAÇÕES E RESERVAS devem ser feitas na Ophicina Panos & Traços pelo telefone 3422-1987.