Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2011

Entrevista Tricia Rocha Britto

27 de julho de 2011 7

Sempre gostei de trabalhos manuais. Apesar de ser filha de uma artista plástica não tinha despertado para o mundo das artes até pouco tempo. Comecei a costurar depois que fiz um curso básico de patchwork, há pouco mais de dois anos. Depois daquele curso um mundo novo se abriu pra mim. O mundo das cores, da criação, de um horizonte que antes eu não conhecia.


Você busca inspiração, onde?
Quando desejo aprender uma técnica nova faço cursos, leio revistas de artesanato e decoração. A internet também é uma ferramenta que utilizo bastante.


E os materiais, você encontra onde?
Moro em Brasília e aqui mesmo na cidade encontro tecidos, aviamentos, tudo o que necessito para utilizar na confecção de minhas peças. Algumas vezes também importo tecidos dos Estados Unidos e até mesmo do Japão, através de lojas virtuais


Como é a sua rotina?
Não tenho uma rotina muito certinha. Trabalho fora meio expediente e no tempo que sobra costumo costurar um pouco. Às vezes tenho um ritmo mais acelerado, tudo depende das encomendas que tenho agendadas e dos eventos que faço como  exposições em feiras locais.


Qual peça significa/significou mais pra você?
Todas as peças que faço significam muito pra mim. Cada uma delas é uma superação pessoal. Acredito que a prática me ajuda a melhorar a cada dia.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Acredito que todas as etapas têm que ser bem feitas, com capricho, para que o resultado final seja harmonioso e tenha o êxito desejado. Eu me preocupo muito em utilizar material de qualidade na confecção de minhas peças e também tenho um cuidado especial com o acabamento final delas.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Sim.  Naqueles dias em que falta a inspiração para a costura procuro ocupar meu tempo com outros afazeres.


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Eu prefiro trabalhar em silêncio. Não gosto de ouvir musica ou assistir TV, acho que dispersa a atenção.


O que te motiva a ser crafter?
O prazer que tenho ao ver que consegui finalizar uma peça é o que me motiva a continuar.
E ver que aquele trabalho é elogiado e valorizado por outras pessoas também é muito bom.


Dica para iniciante
Disciplina, dedicação, treino, persistência, amor pelo trabalho. Tudo isso é importante não só para o iniciante mas para qualquer um que queira ter êxito naquilo que faz.

*
Marca: Tricia Artes
No Flickr: www.flickr.com/artesdatricia
No Facebook: Tricia Artes
No Elo 7: www.elo7.com.br/triciaartes
Contato: artesdatricia@hotmail.com
*

E no passo a passo da coluna Baú de Ideias no jornal A Notícia, Tricia nos ensina uma rosa de tecido.

Entrevista Vanessa Medeiros

20 de julho de 2011 3

Comecei com artesanato aos 9 anos. Fiz pintura em gesso, cerâmica e tecido. Aos 14 anos parei e fiquei sem fazer artesanato até os 19 anos. Quando resolvi fazer aulas de pintura em madeira. Fiz uns 5 meses de curso. E continuei pintando em casa, quando começaram a fazer pedidos das minhas peças.


Você busca inspiração, onde?
Adoro procurar inspiração na internet, em blogs, e em lojas de artesanato também.


E os materiais, você encontra onde?
Compro praticamente tudo com meu marceneiro, que mora na minha rua, o que facilita muito, e no Armazém e Ateliê Maria Arteira, que é pertíssimo de casa também!

Como é a sua rotina?
Preciso trabalhar fora, portanto não tenho todo o tempo que gostaria para fazer meus artesanatos. Algumas vezes pinto de noite, quando volto do trabalho, mas geralmente é nos fins de semanas e feriados que me concentro em minhas peças.

Qual peça significa/significou mais pra você?
Adoro todas as peças que faço… mas uma de que me orgulho muito, na verdade duas, são as placas de porta de meninas. Fiz com todo cuidado e adorei o resultado!

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
A parte que dá mais trabalho é a pintura básica fundo-lixar-pintar. A parte que gosto é a parte da técnica, onde você precisa colocar seu coração e mostrar o que sabe fazer.

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Várias vezes eu não encontroo inspiração. Pra mim, o jeito é parar, fazer outra coisa, e quando a inspiração surge, eu volto. Não fico satisfeita com o resultado quando faço sem inspiração.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir TV, ouvir música ou prefere o silêncio?
Eu não ligo muito pra isso, tem vezes que assisto TV (quando tem algo que me interessa), outras fico no silencio mesmo. E quando meu noivo está por perto, sempre tem música. Na verdade, minha mente funciona com todos os jeitos!

O que te motiva a ser crafter?
Minha paixão por isso. Pois quando estou pintando, sinto que estou fazendo algo que eu sei. Que é do meu jeito. E isso não tem preço. Sinto-me plenamente feliz pintando!

Dica para iniciante
Se o objetivo é levar à sério, e montar seu negócio, primeiramente, tem que fazer muitas aulas, se aperfeiçoar, e principalmente aperfeiçoar as técnicas e os acabamentos. O acabamento é a coisa mais importante para a peça. É onde as pessoas vão ver o diferencial. Tendo acabamento, os clientes se multiplicarão. Depois é só se dedicar.

*
Vanessa Medeiros
Marca: By Heart and Soul
Cidade: Joinville
Onde encontrar: http://byheartandsoulartemadeira.blogspot.com/

*

Veja no jornal A Notícia de hoje, no caderno Morar o passo a passo deste cesto de pão que a Vanessa nos ensina como fazer!

Entrevista Pâmela Magri Vock

13 de julho de 2011 9

Em 2009 uma amiga havia voltado de uma viagem em que conheceu o scrapbook.  Ficou tão empolgada com essa arte que logo já tinha encontrado uma professora em Joinville e já estava me convidando para a primeira aula. Pesquisei, olhei, achei que valia a pena e fui acompanhar essa amiga. Foi amor à primeira vista! Fiz a primeira, a segunda, a terceira aula e até hoje não parei. Depois disso criei o blog e fui conhecendo muita gente com trabalhos lindos, inclusive da região. Hoje faço parte de um grupo que se reúne em Joinville para fazer scrap e ainda dou aulas de scrapbook e scrap decor!


Você busca inspiração, onde?

Gosto muito de admirar o trabalho dos artistas nacionais e utilizo a internet como fonte de pesquisa.  Sou seguidora de vários blogs e acompanho as tendências através de fóruns. Impossível não quer sair recortando tudo ao ver trabalhos tão bonitos!

E os materiais, você encontra onde?

O bom do scrapbook é a facilidade de utilização de materiais. Você pode aproveitar desde uma embalagem reciclada à uma peça de armarinho. A maioria dos meus materiais eu compro em Joinville mesmo. O bacana é ir garimpando materiais que possam ser utilizados em seus trabalhos, lembrando que se for para fazer um álbum, por exemplo, com suas fotos, os materiais precisam ser acid-free (isso faz com o que o seu trabalho em scrap dure por muito mais tempo, evitando desbotamento, corrosão etc).


Como é a sua rotina?

Trabalho em período integral e por isso só consigo me dedicar nos finais de semana e à noite. Se fosse possível, passava as noites elaborando, pesquisando e fazendo projetos de scrapbook! Para as minhas artes reservo dois ou três dias da semana para organizar materiais, elaborar peças para a aula, fazer encomendas.. Nas quartas dou aulas no atelier e um sábado de cada mês o grupo joinvillense, que faço parte, se reúne para aprender e trocar experiências.


Qual peça significa/significou mais pra você?

Sou apaixonada pelos álbuns! Cada página tem uma história linda e me faz recordar um momento muito gostoso. Sempre que termino um layout ele se torna o meu preferido. Isso, claro, até fazer o próximo.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?

Como no scrap praticamente tudo gira em torno da foto, da lembrança, com certeza essa é a parte que mais envolve. Isso porque ao fazer uma página/álbum queremos que aquele momento se eternize e por isso a foto certa é sempre uma escolha difícil. No entanto, a parte que dá mais trabalho é fazer os recortes com a tesoura: existem folhas lindas com estampas cheias de detalhes. Às vezes o projeto merece apenas um arabesco ou um desenho e, nesse caso, a tesoura entra em ação!


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?

Sim, muitos! Quando não estou inspirada não adianta forçar! Preciso pesquisar, olhar alguns trabalhos e logo já tenho mil ideias para pôr em prática. Já demorei alguns dias para terminar uma única página por falta de inspiração. Se eu não gosto, não consigo concluir: vou arrumando e mudando até ficar do meu gosto.


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?

Fico tão concentrada no trabalho que nem vejo o que acontece à minha volta.


O que te motiva a ser crafter?

Fazer scrapbook, para mim, é uma terapia! Quando estou com meus materiais ou nas aulas esqueço tudo! É um momento só meu e que me relaxa muito. Ter essa sensação de bem estar e ainda saber que o seu trabalho é reconhecido, com certeza, são os motivos para trabalhar com artesanato.


Dica para iniciante

Pesquise! Quando comecei não tinha ideia do que usar e como fazer. Busquei algumas aulas, mas também não parei de pesquisar. Visitei vários blogs e sites, selecionei os materiais e pratiquei!

*
Nome:
Pâmela Magri Vock
Cidade:
Joinville/SC
Contato:
pammagri@gmail.com
Onde encontrar:
http://pammagri.blogspot.com
*

Confira no jornal A Notícia o passo a passo desse chaveiro lindo que a Pâmela nos ensina a fazer utilizando cd’s antigos.


Álbum de fotos

07 de julho de 2011 2

Logo acabam as aulas e a criançada aproveita as férias para se divertir. Que tal passar o tempo livre com os pequenos e ainda ajudá-los a guardar as recordações das férias em um cantinho especial?

Que tal fazer um belo álbum com capa customizada? É um espaço perfeito para guardar fotos e lembranças dos momentos preciosos da infância.

Incentivar as crianças a selecionar fotos e recordações para decorar o álbum é um grande estímulo à valorização dos bons momentos da infância, uma das fases mais importantes da vida.

Depois é só acompanhá-los no passo a passo da artesã Gabriela Dardis, professora do Ateliê Maria Flor, e deixar a imaginação dos pequenos correr solta para guardar imagens em um álbum real que eterniza boas lembranças.

 

 

Material:

- Cola Pritt Tenaz;

- Pritt Multi-Tak;

- Folhas de scrapbook;

- Álbum de fotos;

- Gravuras ou adesivos de personagens à sua escolha;

- Fitas decorativas;

- Tesoura sem ponta;

- Canetas com efeito metalizado.

 

 

 

Passo a passo

 

 

Amarre as fitas decorativas para enfeitar o espiral do álbum.

 

 

2 – Espalhe Cola Pritt Tenaz por toda a capa do álbum para colar a folha de scrapbook que será o fundo da colagem.. Posteriormente recorte formas geométricas em outras folhas de scrapbook e as sobreponha.

 

 

Utilize os quadradinhos da masssa adesiva Pritt Multi-Tak para fixar as gravuras escolhidas para decorar a capa. Pritt Multi-Tak dará a sensação de elevação à imagem.

 

 

Com as canetas edding Crystaljelly de efeito metalizado, dê o nome do seu álbum de férias.



 

5 – E está pronto o álbum! Agora só falta preencher cada uma das páginas com os melhores momentos das férias.



Créditos: Pritt e Ateliê Maria Flor (amariaflor.com.br).

Entrevista Sabrina Forster

06 de julho de 2011 2


Sou decoradora,  e um dia atendendo uma de minhas clientes me encantei com uma tela da Marli Volpato, entrei em contato com ela em 2006 e iniciei aulas de pintura, descobri um talento escondido, com o tempo senti necessidade de espaços para expor meu material, então veio a ideia junto com meu marido Sérgio, de abrirmos nossa casa para bazares de arte e artesanato, foram 3 edições em 2009, onde convidamos artistas plásticos e artesãos para também exporem. Foi o maior sucesso, surgindo aí o Atelier Sabrina Forster.
O artesanato é herança de família, desde os meus 5 anos estou as voltas de linhas, agulhas, tecidos, tintas enfim tudo que é trabalho manual. No final de 2008 fui presenteada pela minha irmã com o kit basico de Patchwork, no início começou para peças pessoais, mas tomou uma dimensão que hoje é minha fonte de renda, o Atelier ainda oferece trabalhos de restauração de móveis que é executado pelo Sergio.

Você busca inspiração, onde?
Em livros e revistas, internet, feiras, onde desenvolvo minhas criações.


E os materiais, você encontra onde?

Em lojas de artesanato e tecidos, aqui em Joinville e São Paulo.

Como é a sua rotina?
Como meu atelier é em casa, tenho uma rotina mais flexível, mas geralmente inicio minhas atividades no Atelier por volta das 8:30h até 12h e a tarde retorno as 14h e aí vai muito da inspiração e também da quantidade de encomendas para a semana.


Qual peça significa/significou mais pra você?

A abóbora de tecido que uso como agulheiro, foi minha primeira criação em tecido.

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
No  Patchwork a imaginação voa alto, costumo iniciar uma peça nova com um projeto no papel, desenhando, depois vem a escolha do tecidos, com suas estampas e cores diversas, depois vem o corte e a costura onde começa a tomar forma, a montagem do sanduiche que é o trabalho (topo), recheio(fibra) e forro, gosto muito de quiltar, onde dá variados efeitos a peça, e os acabamentos gerais, bom sendo bem sincera amo cada etapa deste trabalho, que de trabalho só tem o nome, pois é meu maior prazer.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?

Já, daí não faço nada, pois sem inspiração, realmente não sai nada. Mas também tem um outro lado, o de acordar de madrugada com aquela idéia, corro pra anotar e executar no próximo dia.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
TV não, acho muita poluição, gosto muito de ouvir musica clássica e new age, as vezes também é no silencio.


O que te motiva a ser crafter?

A liberdade de criação.

Dica para iniciante
Tudo que é feito com amor, capricho e dedicação, será reconhecido.


Nome: Sabrina Forster
Marca: Atelier Sabrina Forster
Cidade: Joinville
Onde encontrar: Rua Jaú, 163 – Glória
Loja virtual: www.ateliersabrinaforster.elo7.com.br
Blog: www.ateliersabrinaforster.blogspot.com

No jornal A Notícia desta quarta-feira, Sabrina nos ensina a fazer esta fofa necessaire:

Os moldes necessários são esses abaixo:

Entrevista Mei Wagner - atualizado com molde

05 de julho de 2011 5

Me formei em nutrição uma semana antes do meu casamento, mas nunca cheguei a exercer a profissão. Chegando próximo a páscoa eu quis comprar um coelhinho decorativo para minha casa nova, mas meu marido dizia… “- Ahhh… não vamos gastar com isso agora né Mei”. Pois bem, se não vou comprar vou fazer… Eu tinha um vestido velho, umas miçangas de um brinco que eu não usava, umas moedas de 1 centavo e claro, uma garrafinha que se tornou o corpo do coelho… assim nasceu minha primeira peça, bem despretensiosamente. Tudo pespontado a mão, já que não tinha máquina de costura. Claro, guardo esta primeira peça como um tesouro, o início de tudo!


Você busca inspiração, onde?
Minha inspiração vem de várias fontes, mas uma revista comum seja de moda, infantil, etc… é uma ótima inspiração! Fujo de revistas com moldes prontos, meu foco é criar moldes únicos, pois isso enriquece meu trabalho. Não gosto de fazer o que a maioria das pessoas faz.


E os materiais, você encontra onde?
Florianópolis é uma ótima cidade para se encontrar matéria prima para o artesanato. Além disso, uso alguns sites para comprar uma coisa ou outra que não encontro aqui.


Como é a sua rotina?
Como meu ateliê é no meu apartamento, tudo fica mais fácil, mas ao mesmo tempo é preciso ter muito mais disciplina para que o trabalho renda. Segunda feira começo o trabalho somente a tarde, e sigo trabalhando até 5ª feira, se necessário até 6ª feira de manhã. Não é difícil me encontrar trabalhando até as 7-8h da noite. Tiro um dia por semana (geralmente a 6ª feira) para ir ao centro e comprar o que está faltando para as encomendas da próxima semana e encaminhar as encomendas prontas para os seus destinos.


Qual peça significa/significou mais pra você?
Esta pergunta é muito difícil…  Já aconteceram inúmeras vezes de terminar um trabalho e não querer mais vendê-lo! (risos)… Mas as peças que mais me marcaram até hoje foram, a minha primeira peça que já mostrei a vocês, o Santo Antônio e os noivinhos para topo de bolo, que acho um encanto, pois faço com as características de cada casal e os trajes que usam no grande dia!


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
A parte que dá mais trabalho sem dúvida é a que dá mais prazer em fazer… (risos) Riscar, cortar e costurar o molde é a parte comum do trabalho para todas as peças produzidas, mas chegando aos detalhes… ahhh… é aí que fica a parte que adoro, o que dá vida e beleza ao trabalho.

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Com certeza, tem dias que não estou com cabeça para produzir ou criar. Sabe o dia que você precisa dar um tempo? Então, neste caso, eu não trabalho; vou fazer outra coisa, respondo aos e-mails… Não faço nada sem vontade e acho que isso também faz a diferença e transparece no meu trabalho, pois tudo o que faço é com cuidado e carinho.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Não preciso de silêncio para criar novos moldes. Aquele clic com uma ideia nova surge em momentos adversos. Hoje tenho uma idéia, na verdade eu tenho um conjunto de idéias que preciso por em prática ainda, mas não deu tempo… Mas estou louca para criar tudo o que está se passando na minha cabeça! Mas saibam que nem tudo o que crio dá certo, e quando isso acontece não desanimo, modifico o molde e aí sim, vai para o site. Brinco com o meu marido dizendo que ele é meu teste do Inmetro, pois ele é bem exigente e me ajuda muito a manter a qualidade do meu trabalho. Te amo marido! (risos)…

O que te motiva a ser crafter?
Simplesmente, o processo de criação. Sou geminiana sempre louca por mudanças e achei no artesanato este mundo de criação e renovação. Como aprendi todo o que sei na prática, estou sempre me aprimorando e buscando novos métodos de fazer tudo melhor, e isso acontece porque sou muito crítica comigo mesma, e isso me ajuda a melhorar como artesã.

Dica para iniciante
TENHA PACIÊNCIA. Não desista de uma peça no começo. Capriche no enchimento, pois não há trabalho mais sem graça do que aquele que não foi preenchido adequadamente. E por último, seja o maior crítico do seu trabalho, isso te ajuda a melhorar sempre.

Nome: Mei Wagner
Marca: Meia Arteira
Cidade: Florianópolis
Onde encontrar:
www.meiarteira.elo7.com.br
www.meiarteira.artesanum.com

Você ainda pode encontrar:
No Orkut (Mei Arteira – Perfil I)
No Twitter (@meifloripa)
No meu blog (www.porqueelenaovem.blogspot.com)

Meninas, na semana passada tive problemas para publicar o molde da ovelhinha, então, segue hoje!
Hoje no jornal A Notícia, na coluna Baú de Ideias, Mei Arteira nos ensina a fazer uma fofa ovelhinha.

Abaixo também, os moldes necessários.


Mega Artesanal

03 de julho de 2011 2

Participação de Loctite, Cascola e Pritt na Feira Mega Artesanal inclui cursos, divulgação de novas técnicas e orientações de uso de produtos.

As marcas de adesivos e colas Loctite, Cascola e Pritt participarão da 11ª edição Mega Artesanal, que acontece de 28 de junho a 3 de julho, em São Paulo. Considerada uma das mais completas feiras de arte e artesanato do país, as tradicionais marcas de colas fabricadas pela multinacional alemã Henkel participam de duas grandes atrações do evento: as aulas de artesanato que ocorrem no estande da loja Casa das Artes e a Casa Mega Faça Fácil, coordenada pelo designer Peter Paiva. Além das atrações, haverá orientação de uso dos produtos multifuncionais ideais para o desenvolvimento de diversas técnicas de artes e artesanato.

Para a gerente de Trade Marketing da Henkel Juliana Souza, a participação da empresa na feira está relacionada aos resultados do artesanato no País: “Diante dos bons resultados do mercado de artesanato e das expectativas de melhoras em virtude dos grandes eventos que serão promovidos no Brasil nos próximos anos, direcionamos a atenção ao público criativo.

Além do ótimo cenário e de contarmos com uma completa linha de colas e adesivos, os produtos Henkel são tradicionais e reconhecidos no mercado pelo público que prioriza a alta qualidade e um ótimo acabamento”. Casa Mega Faça Fácil Casa de Ideias Mega Faça Fácil 2011_finalComposta por dez cômodos projetados por quase 30 artistas plásticos e artesãos, a Casa Mega Faça Fácil tem tamanho real e decoração feita exclusivamente com peças produzidas à mão. Sob coordenação do designer Peter Paiva, a conseqüência será um lar inédito, aconchegante e personalizado, resultado do desenvolvimento de técnicas, entre elas a colagem feita com produtos de alto desempenho como Loctite Durepoxi Líquido, Cascola Cascorez, Loctite Super Bonder e Cascola Monta & Fixa. “É quase impossível não utilizar os produtos da Henkel na casa. Além da base dela ter sido toda modelada em madeira, para que fique totalmente firme e sem rangidos tivemos que usar Cascola Cascorez por sinal, muitos tubos dela. Dentro da casa, podemos reparar que os ambientes com suas colagens, bricolagem e invenções sempre levam a famosa Cascola Cascorez, no Scrapbook e papéis está a Pritt” explicou Peter Paiva.

Colando as ideias Os cursos que orientam sobre as tendências e novas técnicas do artesanato são o ponto alto da Mega Artesanal. Em parceria com a Casa da Arte, uma das principais lojas de produtos de artesanato do País, a Henkel patrocinará aulas de cartoon mousse com utilização de Cascola Cascorez Extra. Além das aulas, o estande da Casa da Arte, que possui 311 metros quadrados, vai comercializar produtos Loctite, Cascola, Pritt e as canetas edding, recém lançadas no Brasil e indicadas para o artesanato por serem altamente versáteis, livres de solvente, resistentes à luz solar e à água.

Na aquisição de produtos Henkel, os clientes da Casa da Arte receberão uma amostra grátis do adesivo de montagem Cascola Monta & Fixa PL 500, que minimiza a necessidade de pregos, parafusos e também é indicado para substituir a massa de rejunte em projetos de mosaico. Para Ângelo Guaraldo, proprietário da Casa da Arte há mais 30 anos, a parceria com a Henkel é motivo de orgulho. “Produtos como Super Bonder, Cascola e Pritt são tradicionais e conhecidos do público. Para a Casa da Arte é uma satisfação ser parceiro de uma empresa como a Henkel” afirma.


Acredite se quiser: as orquídeas do Jardim de Inverno de Alessandra Assi, Andrea Lopes e Célia Maida são feitas de Biscuit. Para preparar a massa e colar peças de biscuit a cola indicada é a Cascola Cascorez Porcelana Fria.


O Quarto do Bebê foi decorado por Karin Klaemei Sogajar e Vlady. Os detalhes em marrom são filtros de café reaproveitados para a decoração. Quer decorar a casa com os nichos decorativos que abrigam a girafa, o macaco e o elefante? Utilize Cascola Monta & Fixa PL 500!

 

Os quadros super criativos da Sala de Estar da Glória Tommasi e da Renata Dutra.

 

 

O ponto alto da Sala de Jantar são os projetos desenvolvidos com filtros de café. O jogo americano e o painel roxo ao fundo são exemplos da técnica




No Quarto do Casal as imagens que decoram o ambiente misturam técnicas de Scrapbook e espelhos. Obra de Denise Meneghello, Julia Passerani, Marcelo Darghan e Rosana Pardo.