Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2011

É bolsa?

29 de setembro de 2011 0

Parece uma bolsa mas não é.

O interessante deste projeto é que você pode carregar facilmente pra qualquer lugar.

Quer ler seu livro ou encapar seu caderno com estilo?

Confira este super  passo a passo aqui { está em inglês – mas nada como um tradutor pra ajudar quem não entende }


Fonte: http://parkcitygirl.blogspot.com/2009/05/tutorial-quilted-bible-cover_22.html

II Pique nique das Tricoteiras

29 de setembro de 2011 3

Para quem está em Porto Alegre, vale conferir este super encontro que acontecerá neste sábado (1/10).

No Parque Moinhos de Vento, Parcão, ao lado da passarela, das 11 às 17 horas.

Leve seu tricô, um lanchinho coletivo e não esqueça do seu banquinho para sentar e “tricotar”

 

Mais informações www.tricoteiras.com

Exposição em Joinville

26 de setembro de 2011 1

A Flor de Baunilha realiza sua primeira exposição no Shopping Mueller Joinville.

Durante os dias 26 e 27 de setembro, ficarão expostos na Praça de Eventos, das 10h às 22 horas, diversos arranjos artísticos de flores assinados pela International Dutch Designer Edna Pirmann e Floral Designer Carlos Kamienski.

A visitação é gratuita.

Com a chegada da primavera, serão usadas muitas flores da estação e também galhos secos, orquídeas, flores exóticas e muitas folhas verdes. No local também haverá atendimento das 11 horas às 20 horas.

Olá

25 de setembro de 2011 6

Olá arteiras de plantão.

Aqui estou eu novamente. Depois de uma super, mega temporada {8meses} apenas cuidando da minha família retorno com força total.

No blog muitas novidades {pretendo postar uma vez por dia – no mínimo }

Na coluna impressa trazendo diversos links de passo a passo e muitas atualidades de modo geral.

 

Talvez vocês sintam falta das entrevistas, mas por enquanto darei uma pausa para carregar outras ideias , mas assim que tiver engrenado quem sabe volto com as entrevistas.

 

Então de momento é isso.

 

Espero contar com a ajuda de todos que passam por aqui. Pretendo ter muitas participações de vocês leitores. Envie ideias, paps, feiras, promoções e tudo o que achar interessante desde mundo craft para o meu email michele.nunes@an.com.br

 

E vamos que vamos!!!!

Headband

22 de setembro de 2011 0

Lindo e super na moda. Vale a pena tentar fazer.

O tutorial está em inglês { vc pode usar o tradudor caso precise } mas as fotos ajudam a você entender super bem a orfdem de criação.

Curtiu? Clique aqui e mãos na massa.


Fonte: http://www.flamingotoes.com/2011/08/sweet-skinny-ruffled-headband/

Entrevista Michelle Camilo

21 de setembro de 2011 3

Sempre me interessei por design, arte, moda e artesanato em geral. Desde pequena já pintava minhas roupas, as paredes do meu quarto e nunca deixava a roupa do jeito que era comprada, sempre dava meu toque especial.
Sou paulistana e tinha um trabalho muito agitado, eu era gerente de uma grande empresa. Esse trabalho exigia todo o meu tempo e dedicação, então por um longo tempo deixei de lado tudo o que realmente gostava de fazer. Quando me casei há cerca de 5 anos, abandonei meu trabalho e me mudei para Curitiba. Com mais tempo pude me dedicar ao artesanato. Comecei  a fazer acessórios pra mim, depois para  amigas, que contaram para mais amigas e  amigas . Nasceu assim a Done by me!!!


Você busca inspiração, onde?

Eu testo muita coisa, compro materiais variados e tento misturar tudo. Busco inspiração também  em sites, blogs  e revistas de decoração.


E os materiais, você encontra onde?

Grande parte do meu material é importado, conto com ajuda de amigos que enviam pra mim pelo correio, compro pela internet também. O que é nacional  viajo pra São Paulo para comprar na região do Brás e 25 de Março.


Como é a sua rotina?

Bom minha “rotina” foge ao pouco do comum. Eu nunca gostei de acordar cedo, e sempre trabalhei mais produtivamente na parte da tarde e noite, como meu ateliê é em casa,  eu acordo um pouco mais tarde, tento lidar com as tarefas básicas de casa e após isso vou para o craft room: respondo emails, preparo os envios do dia e logo depois começo a confeccionar as encomendas da semana, acabo  saindo de lá sempre de madrugada . Aos  sábados faço curso de inglês, pela manhã e à tarde costuro mais um pouco tento me organizar o máximo pra não trabalhar no domingo, o que nem sempre acontece.


Qual peça significa/significou mais pra você?

Pergunta  difícil essa, todas as peças são especiais . Cada época tenho minha favorita.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?

Pra mim a parte mais difícil  talvez seja confecção dos moldes e  a escolha dos tecidos, acho essa parte essencial e também a mais envolvente, é daí  junto com o acabamento perfeito que se define o sucesso ou não das peças.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?

Nossa muitos , quando acontece normalmente, me desligo da obrigação de criar algo, vejo um bom filme, faço um doce gostoso, passeio com meus cachorros…


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?

Eu escuto música sempre.


O que te motiva a ser crafter?

Ter liberdade para criar, poder ganhar a  vida fazendo o que gosto e conseguir  alegrar as pessoas com meu trabalho, são minhas  principais motivações.


Dica para iniciante

Minha principal dica é, se você pretende ganhar a vida como crafter valorize-se, faço cursos, invista em você em seu ateliê. Quanto melhor forem suas  ferramentas, mais caprichado  e profissional será o seu trabalho.  Consequentemente  mais reconhecido e valorizado.


Michelle Camilo

Marca: Done by Me
Cidade: Curitiba
Contato: falecom@donebyme.com.br
Onde encontrar: www.elo7.com.br/donebyme
www.flickr.com/photos/handbyme/

E no jornal A Notícia de hoje, aprenda um fofo e prático alfineteiro.

Entrevista Jana Schmitz!

14 de setembro de 2011 8

Iniciei ainda na infância, minha mãe trabalhava fazendo lingeries, chinelos e bolsas e eu a ajudava. Sempre gostei de aprender coisas diferentes, fiz de tudo um pouco: tricô, crochê, cartão de papel vegetal e biscuit, e há 3 anos conheci o trabalho com tecido, iniciei fazendo vasinhos de tulipas e móbiles de cortina e depois  almofadas, estas pela qual eu comecei a receber pedidos de encomendas. Após pesquisa e algumas aulas me identifiquei com os bonecos country que são lindos também. Amo o que faço, acredito que todos temos um dom de Deus, e às vezes não sabemos disso, mas temos que dar o primeiro passo para descobrirmos o que realmente gostamos de fazer.

Você busca inspiração, onde?
Busco inspiração na internet, revistas, lojas de artesanato e sempre pesquiso novas técnicas para aprimorar o trabalho. Procuro o que mais gosto e dou o meu toque particular para diferenciar de tudo o que é encontrado por aí. E a partir de um modelo, ou preferências das clientes surgem novas idéias.

E os materiais, você encontra onde?
No Armazém e Ateliê Maria Arteira com minha amiga Lethícia e em lojas de tecido e aviamentos da cidade. Também gosto de reciclar muita coisa, quando vejo que tenho algo em casa e  que posso utilizar em minhas peças, eu reservo, mas sempre estou fazendo uma faxina em meu ateliê para não acumular muita coisa (rsrs).


Como é a sua rotina?
Como trabalho em período integral, retiro a parte da noite e os finais de semana para me dedicar ao artesanato e nas terças dou aula. Sexta à noite e sábado durante o dia eu descanso, esse dia esqueço de toda a rotina da semana, recarrego as baterias…. Mas no sábado à noite e domingo mãos à obra!
A organização de horário é muito importante para mim, pois tenho casa e marido para cuidar também. A dedicação ao trabalho é necessária, mas antes de tudo, em primeiro lugar retiro um tempo para Deus e minha família… Pois sem eles nada sou.


Qual peça significa/significou mais pra você?
Amo todas as peças que faço, mas em especial gosto das almofadas em forma de rosa, pois através delas que as pessoas começaram a reconhecer meu trabalho.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Como sou detalhista, gosto que o acabamento fique o melhor possível, se for preciso refaço quantas vezes for necessário para a peça ficar do “jeitinho” que quero.
Acredito que cada peça tem sua particularidade, amo todas que faço.
O acabamento é o mais complicado e ao mesmo tempo prazeroso, pois é quando estou finalizando o trabalho e os detalhes são essenciais para a peça ficar harmoniosa.

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Há, com certeza, quando isso acontece, o que faço é parar tudo, relaxar assistindo TV junto de meu marido, fazer outras coisas. E depois pesquiso na internet e revistas que me ajudam a ter novas idéias.


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Há dias em que gosto de trabalhar em silêncio, mas geralmente ligo a TV ou ouço uma boa música.

O que te motiva a ser crafter?
É saber que de um simples pedacinho de tecido posso fazer uma linda peça. Criar, inventar, transformar, essa é a maior motivação para continuar a trabalhar.


Dica para iniciante
O mais importante é fazer o que realmente gosta e se identifica.
Indico não começar investindo muito, começar aos pouquinhos…
É fundamental a pesquisa na internet, revistas, lojas de artesanato e fazer cursos… e é claro, criar um estilo próprio, não copiar, podem-se utilizar os moldes, mas fazer mudanças dando seu toque particular nas peças para diferenciar dos demais artesãos, e  aos poucos irão surgir novas idéias, e criações próprias.
Com Amor tudo fica lindo.

Jana Schmitz
Onde encontrar:
Blog: www.janaschmitzartesanatos.blogspot.com
Facebook: www.facebook.com/janaschmitzartesanatos
Loja Virtual: www.elo7.com.br/janaschmitz
Contato: jana_alessandra@hotmail.com

E no jornal A Notícia desta quarta-feira, Jana nos ensina a fazer este LINDO gatinho.
Os moldes necessários, estão abaixo.


Entrevista Cynthia Miceli

07 de setembro de 2011 2

Nasci numa família de artesãos, escultores, pintores , desenhistas, costureiras, crocheteiras, bordadeiras e tricoteiras.
Cresci,  vendo minha mãe fazendo artesanato para vender e, contribuir com orçamento da casa. Meus primeiros passos foram ainda bem pequena e junto de nossa bisnona Maria Rosa que, ensinou-me a fazer crochê e tricô.
Desde então, fazia peças de vestuário para bonecas nossas e das amigas.
Sou Nutricionista e Sanitarista por formação acadêmica. Num belo dia, resolvi fazer um “tchau-tchau patrão” e, buscar por qualidade de vida, nessa busca, trocamos eu e minha família o Litoral Sul de São Paulo pelo interior.  Então, há aproximadamente  uns 12 anos venho desenvolvendo trabalhos artesanais junto de minha família. Na foto acima, esse echarpe que uso é, pintura em seda.  Realizei alguns cursos e, me identifiquei  mais com a linha de trabalho em tecidos,  patchwork os quais mesclo com biscuit e madeira.
Hoje, residindo no município de São Pedro/SP, participo da Feira de Artes e Artesanato onde posso expor e comercializar meus produtos.

Você busca inspiração onde?
Minha inspiração são os próprios trabalhos de minha família onde criamos peças exclusivas, também em viagens para locais pitorescos, lojas especializadas, trabalhos de amigos, revistas nacionais e importadas, programas de artesanato na TV aberta e fechada,  workshops,  internet, feiras de artesanato onde mostram a riqueza do povo brasileiro em qualidade e variedade artesanal.
Sempre observando e apreciando.

E os materiais, você encontra onde?
Prestigiamos o comércio local. Compramos muitos tecidos no município de Americana/SP e, casas especializadas em São Paulo/SP.  Materiais complementares necessários, encontro também em Piracicaba/SP e, por motivo de preços de mercado São Paulo é mais favorável.

Como é sua rotina?
Como de toda mulher brasileira, acordo por volta das 07:30 horas, faço uma boa caminhada na companhia de minha mãe e irmãos, quando retornamos cuidamos de nossas 7 cachorrinhas, das galinhas, pássaros e, do pomar e horta. Se vocês estão pensando que moro na “Arca de Noé”, enganam-se, moramos numa chacrinha. Preparamos o almoço e, no período da tarde damos inicio a nossa arte-produção que, ficam entre encomendas e peças para banca da Feira  (FAASP).

Qual peça significa ou significou mais para você?
Todas são especiais  por serem criações exclusivas e, adaptações de outros trabalhos autorizados.
Porém, nesse momento foi  participar do desafio para confeccionar minha primeira Tilda que é uma criação da designer norueguesa Tone Finnanger. Não imaginava ser tão difícil e extremamente prazeroso por sua delicadeza, encanto e magia que envolvem a história dessa boneca conhecida no mundo todo e, a cada passo de sua confecção estimulou minha imaginação no mundo da fantasia, das fadas, romantismo…

No processo de criação de uma peça, qual a parte que dá mais trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Passar a  idéia para a confecção do molde. O que mais envolve é o acabamento, tem que ser o melhor possível.  Isso dá qualidade na peça e satisfação do cliente e, retorno financeiro. Todo  processo de criação, elaboração e execução é muito envolvente.

Já teve algum dia em que não teve inspiração? O que você fez?
Lógico! Todo processo de criação exige inspiração, o medo de não conseguir atingir o objetivo da criação pode “bloquear” a criação. Por isso, não se pode ter medo de ousar e realizar, isto poderá impedir a inspiração. Busco canalizar as tensões com música, um bom filme, uma voltinha no pomar, brincar com as cachorrinhas, relaxar!

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir TV, ouvir música, ou prefere o silêncio?
Controlo a internet por causa do site,  blog,  e-mails, escuto música, assisto aos programas de artesanato, cada um no seu tempo.  As vezes o silêncio me traz tensão, prefiro um “barulhinho” saudável.

O que te motiva a ser crafter?
Tudo me motiva. É relaxante, prazeroso, ficamos felizes quando vemos a satisfação e o bom retorno do trabalho realizado viajando pelo Brasil e, exterior. Isso é uma grande motivação, o reconhecimento.

Dica para iniciante?
Não ser ansioso mas, sim criativo. É sempre bom conhecer as técnicas, escolher uma de sua preferência, conhecer bem os materiais, preços, conhecer o mercado do artesanato visitando feiras de artesanato, conhecer outros artesãos para troca de informações. Ir passo-a-passo com capricho, bom gosto, qualidade e, não esquecer que artesanato e arte são um casamento e, não uma produção em escala industrial. Isso é fazer arte, vá em frente!

***
Nome: Cynthia Miceli
Marca: Oficina Xodó Di Pano
Cidade: São Pedro-SP
Onde encontrar:  WWW.xododipano.elo7.com
www.oficinaxododipano.blogspot.com
E-mail: xododipano@terra.com.br

Feira de Artes e Artesanato de São Pedro – Todos os Sábados, Domingos e Feriados das 09h às 16 horas
Local: Praça Gustavo Teixeira (Praça da Matriz)

***

O passo a passo desta quarta-feira no jornal A Notícia, é este lindo móbile de galinhas! E o pdf com os moldes segue abaixo:


Faça você mesma: borboleta de toalha

02 de setembro de 2011 2

Miriam Guimarães nos ensina a fazer um enfeite que é uma ótima sugestão para presentear e até para colocar no banheiro para uma visita em sua casa.

Os materiais necessários são:
– toalha de mão
– manta acrílica
– elásticos pequenos
– escova de dentes (como o modelo da foto)
– amarrador de cabelo


















 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 


 

 



 




Entrevista Miriam Guimarães

02 de setembro de 2011 9

Que me lembro deste moçinha, artesanato para mim é cor, alegria e paz. Minha avó me ensinou a fazer crochê e minha mãe de tudo um pouco no meio do artesanato, então aprendi um pouco de cada.
A dedicação começou quando me desliguei de uma empresa de logística para me dedicar a casa, marido e filhos.
Quando vi que o tempo foi sobrando comecei a fazer meus artesanatos com mais dedicação e final do ano fará 2 anos que comecei a comercializar meus produtos.
Me mudei para uma cidade onde ventava muito e na procura por pesos de porta nas lojas da cidade não encontrei nada que gostasse. Resolvi fazer os meus pesos de porta em feltro…fiz vários, um diferente do outro.
Fui colocando na minha escada para depois ver onde eu iria distribuir pela casa, mas antes que eu escolhesse os lugares deles, chegou o natal e a família veio para fazer uma visitinha. Surpresa: minha irmã, cunhada e sobrinha, adoraram as peças e eu acabei presenteando.
Depois disto muito pesos de portas já fiz para venda, e minha casa tem uns saquinhos de areia segurando as portas. Velho ditado “casa de ferreiro o espeto é de pau”.

Você busca inspiração, onde?
Em sites, principalmente nos da Espanha, Itália, França e Inglaterra.

E os materiais, você encontra onde?
O básico encontreo em armarinhos aqui na cidade onde vivo atualmente, Rio das Ostras. Na Capital do Rio de Janeiro, mando fotos do que eu quero e peço a minha sobrinha para comprar, que me manda via postal. E outros pela internet.

Como é a sua rotina?
Parte da manhã, rotina de dona de casa. Aproximadamente às 09 horas começo minha rotina de artesã e depois paro para preparar o almoço. Recomeço depois das 15:00h  e vou até a madrugada, com intervalos para um descanso, atenção para os filhos e marido.
O que eu gosto mesmo e fazer minhas artes na madrugada, com todos dormindo e com a TV ligada, escutando e vendo às vezes cenas de algum filme: romântico, de ação ou guerra.

Qual peça significa/significou mais pra você?
O Carro McQueen,  que não vi nada parecido, é uma criação minha que adorei o resultado.

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte  que mais te envolve, o que prefere?
Não tem como, são os moldes.
A montagem sem duvida e a parte mais gostosa, envolvente, ver um peça pronta e que deu tudo certo, é bom de mais.
As duas etapas têm prazeres diferentes, porem criar, fazer um molde mediante a uma fotografia ou idéia, é o que eu gosto.

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Sim, deixo meu cantinho todo desarrumado, não chego nem perto. Ligo a TV e vou ver um bom filme, de preferência de guerra. Outro bom remédio é passear no comércio, adoro ver vitrines e lojas de artesanatos.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
O silêncio da madrugada

O que te motiva a ser crafter?
Receber elogios, ajudar as artesãs novatas. Quando comecei, tive muitas dificuldades em  adquirir moldes e ajuda de como fazer uma peça.
Tenho um blog onde procuro ajudar bastante as artesãs. Lá disponibilizo muitos PAPs e moldes de minha autoria e das  amigas da internet. Quando acho PAPs interessantes de outros países, faço a tradução, acrescento alguns detalhes, se for preciso, e publico para as meninas.

Dica para iniciante
Aprenda a fazer seu próprio molde: aí vem a pergunta. Como? Na tentativa e erro. Vai tentando, estragando um papel aqui, um material ali, mas faça o seu próprio. Tem muitos moldes que não tem nada haver com a peça, se vai estragar material com estes moldes errados, faça o seu e gaste o material que for necessário é o seu molde e vale à pena.
Outra dica, não deixa ninguém colocar preços em suas peças. Sabe aquela pergunta: “Da para fazer por quanto?”
Eu fico uma “arara”. Claro cada uma tem seu jeitinho de negociar, um desconto ali, mudar algum detalhe na peça, para diminuir o preço… Fiquem atentas para esta eventual situação.

Miriam Guimarães desenvolveu a técnica de Feltro Engomado, o feltro fica com uma textura bem firme e não perde a cor. Já criei varias peças, como: adesivos, apliques, flores, marcadores de página, peças decorativas e etc. Esta técnica lhe proporcionou convites para participação de edições da Revista Feltro (Editora Minuano).

Blog da Miriam: miriamfeltros.blogspot.com

E no post a seguir um passo a passo que a Miriam nos ensina.