Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de maio 2012

Um segundo "tchau"

30 de maio de 2012 2

Olá leitoras.

Pra quem acompanhou minha trajetória aqui no blog, sabe que voltei faz pouco tempo para o Baú de Ideias.
Estou me desligando do blog, pois iniciou-se esta semana um novo desafio em minha vida. Foi muito bom o tempo que passei por aqui, conheci muita gente bacana e ganhei uma grande amiga, a Michele.

Obrigada por tudo pessoal e continuarei visitando o blog, como sempre.

Abraços!

Entrevista com Michele Lima

30 de maio de 2012 1

Como você começou?
Comecei por curiosidade, minha já era costureira e eu me arriscava em horas vagas, ia lá e costurava alguma coisa, inventava algo novo pra mim.

 

De onde vem a inspiração?
Vem de desenhos, principalmente os contos de fadas, me inspiro bastante
também nos animais, daí surgem ideias e as coloco em prática.

 

Você encontra com facilidade os materiais?
Os materiais alguns encontro onde moro, mas boa parte eu compro em lojinhas online.

 

Como é a sua rotina
?Trabalho em um cantinho especial em minha casa,acordo geralmente bem cedo e trabalho até o fim da tarde. Separo dois dias na semana pra fazer a postagem das encomendas no correio e para comprar materiais em falta.

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra você?
Sim, uma das peças que significou muito pra mim foi a Necessaire Branca de Neve (foto acima), foi uma das criações que precisei de um bom tempo pra realizar.E que faz muito sucesso.

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais.
Você tem preferencia por algum passo

O que mais me envolve é o momento em que preciso passar todas a ideias pro papel, e logo depois fazer com que aquilo se realize através do tecido.

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que você fez?
Sim, eu procuro realaxar, fazer alguma atividade fora da rotina, pra repor as energias. Com a mente descansada é possível parar e encontrar inspiração para um novo trabalho.

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?
Gosto muito de escutar música, distrai e não desvia a minha atenção.

 

O que te motiva a ser crafter?
O reconhecimento das pessoas que compram e gostam do que você faz, recebo e-mails de clientes satisfeitos com os produtos, isso me motiva muito. Ser crafter também é como uma terapia, me faz bem e exercita só sentimentos bons, fico muito feliz em fazer um trabalho com muito carinho e dedicação.

 

Mensagem para quem esta começando:
Dedique-se muito! e tenha paciência, são duas coisas que não pode faltar na sua jornada. Um hora você vai ver que dedicação e paciência é necessario para estabelecer um equilibrio.

 

Nome completo: Michele Lima
Marca: Shell Arte & Mimos
Cidade: Nova Serrana – MG

Onde encontrar: Facebook: http://www.facebook.com/shellartemimos
Flickr: http://www.flickr.com/people/shellarteemimos/

 

E na edição impressa vc pode conferir o lindo pap do porta níquel da moranguinho.

 

 

Entrevista com Rafaela Posser

23 de maio de 2012 7

Como vc começou?

Sempre gostei de itens artesanais. Quando pequena, costurava as roupinhas de minhas bonecas e adorava! Na adolescência iniciei curso de pintura e desenho, mas não fui adiante. Em 2007 conheci a decoupage e o feltro. Pintei muitas caixinhas de MDF e montei vários quadros em arte francesa, mas o feltro é minha paixão!

 

De onde vem a inspiração?

De tudo. Qualquer situação do dia a dia serve de inspiração, às vezes uma simples frase de uma cliente faz a imaginação voar! Acompanho muitos blogs, visito sites de decoração e itens para bebês, sempre estou comprando revistas… tudo isso ajuda muito!

 

Você encontra com facilidade os materiais? São da cidade ou compra online?

Moro em uma cidade pequena, no interior do MT e por aqui não encontro muita coisa, apenas o básico. Então a maioria dos materiais de que necessito são adquiridos em lojas virtuais ou quando viajo para cidades maiores.

 

Como é a sua rotina?

Sou formada em direito e exerço a advocacia. A minha rotina é bem corrida. Acordo cedinho, por volta das 5:00 – 5:30 horas, e sigo para a academia. Volto e passo o dia inteiro no escritório. À noite e aos sábados dedico-me ao artesanato, com exceção das quartas-feiras, que é o dia em que frequento uma pós-graduação. Sou muito ativa, assim ocupo praticamente todo o tempo que fico em casa para desenvolver meus trabalhos em feltro. Como ainda não tenho filhos, consigo conciliar bem essas funções.

 

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra vc?

Certa vez quis presentear uma amiga gestante com um enfeite de maternidade, mas queria fazer algo diferente dos habituais quadros. Então resolvi confeccionar o nome do bebê em feltro e acho que acertei, pois além dela ficar super feliz, outras pessoas viram o enfeite e fizeram pedidos. Essa criação completou dois anos e durante esse tempo já montei diversos outros enfeites de maternidade no mesmo estilo, cada qual adequado a decoração do quartinho do bebê.

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais.
Tem preferência por algum passo?

Considero todo o procedimento envolvente. Faço tudo com muito cuidado e carinho… se um pontinho ficou fora do lugar, desmancho tudo para começar de novo. E gasto horas e horas escolhendo os materiais adequados, cada botãozinho que poderá ser usado no enfeite, ou a melhor fitinha para a montagem dos chaveiros, o melhor tecido para aplicar no quadrinho… até na hora de separar as cores dos feltros, caso a cliente não esteja certa do que escolher, eu gasto horas… rs. São tantas opções de combinações, que não é incomum a idéia original sofrer mudanças, rs.

Mas, para manter a ordem, é importante seguir um “itinerário”, senão fico perdidinha! Assim, prefiro primeiro separar moldes e riscar as idéias (o que já se vão horas!). Após isso estar definido, separo as cores dos feltros e recorto tudo. Quando estou com muitos pedidos em andamento, minha mãe me ajuda nos cortes dos feltros. Depois de todo o feltro estar recortado, passo para a costura, que é inteiramente feita à mão. Como meu trabalho basicamente são enfeites de maternidade e lembrancinhas, acho que agir dessa maneira faz render mais o tempo.

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que vc fez?

Sim, já aconteceu sim. Normalmente isso acontece quando estou muito cansada. Aí, o melhor a fazer é não insistir nas costuras, porque dá tudo errado! rs. Assistir um filme, fazer uma caminhada, navegar na internet são algumas das alternativas que busco. Se nada disso ajudar, deixo para voltar ao artesanato somente no dia seguinte.

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?

Gosto de manter a televisão ligada, para acompanhar notícias e programas.

 

O que te motiva a ser crafter?

Eu simplesmente AMO fazer artesanato. É uma sensação ótima ver todo trabalho finalizado!

Além disso – e creio que muito mais importante – é uma alegria imensa saber que seu produto participou de um momento especial da vida de alguém. Isso é um registro para a vida toda!

 

Mensagem para quem esta começando:

Se você gosta de artesanato, nunca desista! É muito importante persistir, estudar e pesquisar. Se na hora que desenvolver algo, não sair da forma como imaginou, não desanime! É com o tempo que conseguimos aprimorar e somente com a prática alcançamos o nosso ideal!

 

Nome completo: Rafaela Posser

Marca: Carambola Feltro

Cidade: Primavera do Leste/MT

Onde encontrar: www.elo7.com/carambola

http://www.flickr.com/photos/carambolaefeltro/

 

 

E não perca na edição de hoje do caderno Morar (coluna Baú de Ideias),

do Jornal A Notícia você confere o passo a passo desta linda borboleta.

 

 

segue molde da borboletinha

 

Entrevista com Elisabete Cristina Pessoto Rocco

16 de maio de 2012 0


Eu sempre gostei de artesanatos.  Desde pequena minha tia Isabel, me ensinou a pintar pano de pratos, cartões em papel vegetal, mais tarde fiz curso de bonecas de porcelanas.  Assim fui indo. Com o tempo acabei dando uma parada no artesanato, casei, mudei de Estado. Só em 2008 quando descobrimos que não poderíamos ter filhos e passamos por uma fase complicada, entramos na fila da adoção e fui orientada pela minha médica para fazer um artesanato como uma terapia para passar o tempo e me distrair. Ai fiz aulas à noite,  pintava tecido,  mas não me encontrei..  ai fui fazer curso de pintura em madeira MDF e adorei não parei mais.. um ano depois eu abri meu site no Elo 7, meu sonho é um dia poder abrir o ateliê Beth Arteira, para expor meu trabalho e ficar pintando o dia todo..

 

De onde vem a inspiração?
A inspiração vem da curiosidade de aprender, procurar na internet novas técnicas e assim fazer para ver como fica com esta decoupagem, tecido.. Vejo um guardanapo de papel já fico imaginando em qual peça ficaria bom .. mas a melhor inspiração é uma cliente relatando como quer que eu faça a sua peça, escolhendo cor, decoupagem, técnica. Enfim, é muito bom.

Você encontra com facilidade os materiais?
Nem sempre, às vezes tenho que bater muita perna, todas as pecas que faço coloco no site, procuro ter uma grande variedade pois muda muito gosto de uma pessoa para outra.
Eu compro em diversos locais da cidade e também em São Paulo (lá tem uma variedade enorme de decoupagens, pecas em MDF, Stencil e ótimo preço).

Como é a sua rotina?
Minha rotina é trabalhar na RHBrasil durante a semana na área da cobrança, correr com o material das encomendas nos horários de almoço e a noite, para fazer nos finais de semana, minha sogra mora na praia e faz o fundo, com isso ganho tempo para fazer os acabamentos..

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra vc?
A tem a primeira caixinha que fiz, eu a guardo com muito carinho.

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais. vc tem preferência por algum passo?
O maior trabalho é o fundo, não gosto que fique manchado, passo duas camadas de tinta na cor palha, lixo e depois mais uma para o acabamento. dependendo da peça ainda faço um chapiscado para ficar bonito. Mas o acabamento é minha paixão, colar a decoupagem, fazer os detalhes no enxoval de bebê é bom demais.

Já aconteceu de não ter inspiração? O que vc fez?
Sim, fui para internet ver técnicas novas e deu certo..

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?
Normalmente estou ouvindo rádio, quando estou em casa noite pintando. Mas aos finais de semana na minha casa da praia e só o silencio mesmo.

O que te motiva a ser crafter?
Ver a peça pronta…. ter o  ” orgulho” fui eu quem fiz e ter minhas clientes contentes com meu trabalho.

Mensagem para quem esta começando:

Artesanato é uma arte, acredito que todo mundo tem um dom é só procurar o que mais gosta e a melhor terapia que pode ter.. Não desista de tentar, não ficou bom a primeira.. tudo bem, e só lixar fazer de novo coloque outra decoupagem outra cor.. que o final fica lindo.

Nome completo: Elisabete Cristina Pessoto Rocco
Marca:
Atelie Beth Arteira
Cidade:
Joinville – SC
Onde encontrar: http://www.elo7.com.br/ateliebetharteira

 

E no passo a passo desta semana na edição impressa confira um quadro feito com decòupage.

Garagem Craft neste final de semana

03 de maio de 2012 1

Entrevista com Juliane Behs

02 de maio de 2012 2

Como vc começou?

Meu contato com artesanato começou aos trezes anos em uma aula de técnicas domésticas (não sei se isso existe ainda) em que a professora nos ensinou ponto cruz. Depois daí não parei mais. Fiz enxovais para as afilhadas, presentes, quadros para amigas gestantes. Depois em 2004, quando tive meu filho vinhamos muito para o litoral no inverno e como eu não podia sair muito com ele, resolvi começar a fazer decoupage. Surgiram muitas encomendas e desde então nunca mais parei. Hoje me divido entre tintas, linhas, feltros e tecidos. O último a minha mais nova paixão.

 

De onde vem a inspiração?

A inspiração vem de todos os lugares. Revistas, lojas de  artesanato, peças de roupas em que uma pessoa esteja usando e  internet, que é a que mais eu utilizo.

 

Você encontra com facilidade os materiais?

Sempre compro materiais quando vou para a cidade da minha mãe, que é próximo de Porto Alegre ou pela internet, que hoje te dá muitas opções. Há dois anos e meio me mudei de Porto Alegre para o litoral norte do RS, aqui não tenho tanta opção como tinha na capital, então por aqui compro só o básico mesmo.

 

Como é a sua rotina?

Minha rotina com o artesanato se mistura com a rotina da casa. Pela manhã arrumo a minha casa, leio os e-mails, me atualizo, atualizo o blog. Gosto mesmo é de trabalhar na parte da tarde e à noite, é onde rendo mais. Trabalhar em casa é muito bom, mas exige muita disciplina e organização.

 

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra vc?

Sim, teve um quadro em ponto cruz que fiz. Era enorme, cheio de detalhes e trocas de cores. O quadro foi para uma amiga que estava grávida e sabia bordar, mas tinha problemas sérios de tendinite. E eu que não resisto ao pedido de uma mamãe grávida, fiz com todo carinho. Entrava madrugada a dentro bordando, pois trabalhava e precisava entregar antes que o bebê nascesse. No final valeu a pena, um tempo depois ela me enviou uma foto do quadro pendurado em cima da bercinho do bebê, e ela feliz da vida com o seu bebê no colo.

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/
e qual te envolve mais. vc tem preferência por algum passo?

O que me dá mais trabalho é o começo. Demoro projetando, pensando o que fica melhor, exijo muito de mim mesma. A minha preferência são os acabamentos, adoro ver o trabalho finalizado.

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que vc fez?

Tem dias que você pode estar com a maior vontade de criar, trabalhar, mas a inspiração não aparece. Quando isso acontece, largo tudo e vou fazer qualquer outra coisa, internet, afazeres de casa, brincar com o filhote.

 

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?

Sempre trabalho com a televisão ligada. Muitas vezes nem presto atenção no que está passando, mas preciso do “barulhinho”.

 

O que te motiva a ser crafter?

Me motiva é a delícia de se trabalhar com materiais lindos, coloridos e no final ter o reconhecimento estampado nas palavras ou no olhar de quem recebe a sua encomenda. Isso não tem preço.

 

Mensagem para quem esta começando: Procure algo que se identifique e goste de fazer. Tenha disciplina, Se recicle sempre, pesquise e por último uma dica: quando tiver uma ideia, anote. Pois às vezes deixamos passar e acabamos esquecendo.

 

 

Nome completo: Juliane Behs

Marca: Ju Arte na Praia

Cidade: Tramandaí/RS

Onde encontrar:

No Flickr: www.flickr.com/juartenapraia
No Elo 7
: www.elo7.com.br/juartenapraia
Blog:
www.juartenapraia.blogspot.com
Contato: juartenapraia@hotmail.com

Bazar no Floripa Quilt

02 de maio de 2012 1