Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "inspiração"

Loja oficial

21 de julho de 2015 0

O Flor de Cheiro atelier lançou neste mês de julho o site oficial assim como a nova coleção luluzinhas.

“A nova coleção foi inspirada na delicadeza do material e na grandeza dos detalhes. Trazendo novas cores como cinza, dourado, nude e beterraba elas chegam para florir ainda mais o atelier”.

insta

Para conhecer toda a coleção e ficar por dentro das novidades é só clicar aqui

E se desejar adquirir algum produto é só acessar a loja virtual. Enviam para todo o Brasil

Inspiração do dia

06 de maio de 2015 0

Adoro organizadores e este particularmente me deixou apaixonada :)

stencilpaintedsewingtable6

Foto: craftandcreativity.com

Cheio de charme

25 de março de 2013 0

Hoje recebi este porta jóias super original e prático.

Eu sinceramente amei, pq podemos colocá-lo no roupeiro poupando espaço sendo que tudo ficará mega organizado.

 

Imagens da artesã Irene Oliveira.

Contato: Irene { irene.artesanato@yahoo.com.br }

Luminárias de papel

15 de agosto de 2012 0

Bom serve como luminária, mas eu já pensei em fazer numa bola de isopor para decorar festas.

E você quer aprender? Clique aqui.

 

Fonte: http://cacareco.net/2012/02/18/lanternas-de-papel-na-decoracao/

Belezinhas organizadas!

28 de fevereiro de 2012 3

Hoje vim mostrar pra vocês fotinhos inspiradoras de algo que é motivo de vício pra mim: craftrooms!
Quem não se apaixona por um cantinho charmoso e logo se inspira pra fazer algo diferente em casa né?
Eu confesso que o meu “craftroom” ou “quarto 2″ está meio abandonado lá em casa: falta de tempo, de espaço, de tempo (novamente)… mas a gente tenta e um dia chega lá né? E o mais importante: nunca deixar de sonhar! hihihi

Paredes pra que te quero? Pendurar de tudo e mais um pouco!


Abre-se uma porta e encontra o que?

Organização é tudo!

Fonte das imagens: Google

Espero que aproveitem!


Inspirar

22 de fevereiro de 2012 3

Passando pra inspirar você, que está procurando uma ideia pra fazer um mural ou um varal.

A imagem é do site tipjunkie

Entrevista Cynthia Miceli

07 de setembro de 2011 2

Nasci numa família de artesãos, escultores, pintores , desenhistas, costureiras, crocheteiras, bordadeiras e tricoteiras.
Cresci,  vendo minha mãe fazendo artesanato para vender e, contribuir com orçamento da casa. Meus primeiros passos foram ainda bem pequena e junto de nossa bisnona Maria Rosa que, ensinou-me a fazer crochê e tricô.
Desde então, fazia peças de vestuário para bonecas nossas e das amigas.
Sou Nutricionista e Sanitarista por formação acadêmica. Num belo dia, resolvi fazer um “tchau-tchau patrão” e, buscar por qualidade de vida, nessa busca, trocamos eu e minha família o Litoral Sul de São Paulo pelo interior.  Então, há aproximadamente  uns 12 anos venho desenvolvendo trabalhos artesanais junto de minha família. Na foto acima, esse echarpe que uso é, pintura em seda.  Realizei alguns cursos e, me identifiquei  mais com a linha de trabalho em tecidos,  patchwork os quais mesclo com biscuit e madeira.
Hoje, residindo no município de São Pedro/SP, participo da Feira de Artes e Artesanato onde posso expor e comercializar meus produtos.

Você busca inspiração onde?
Minha inspiração são os próprios trabalhos de minha família onde criamos peças exclusivas, também em viagens para locais pitorescos, lojas especializadas, trabalhos de amigos, revistas nacionais e importadas, programas de artesanato na TV aberta e fechada,  workshops,  internet, feiras de artesanato onde mostram a riqueza do povo brasileiro em qualidade e variedade artesanal.
Sempre observando e apreciando.

E os materiais, você encontra onde?
Prestigiamos o comércio local. Compramos muitos tecidos no município de Americana/SP e, casas especializadas em São Paulo/SP.  Materiais complementares necessários, encontro também em Piracicaba/SP e, por motivo de preços de mercado São Paulo é mais favorável.

Como é sua rotina?
Como de toda mulher brasileira, acordo por volta das 07:30 horas, faço uma boa caminhada na companhia de minha mãe e irmãos, quando retornamos cuidamos de nossas 7 cachorrinhas, das galinhas, pássaros e, do pomar e horta. Se vocês estão pensando que moro na “Arca de Noé”, enganam-se, moramos numa chacrinha. Preparamos o almoço e, no período da tarde damos inicio a nossa arte-produção que, ficam entre encomendas e peças para banca da Feira  (FAASP).

Qual peça significa ou significou mais para você?
Todas são especiais  por serem criações exclusivas e, adaptações de outros trabalhos autorizados.
Porém, nesse momento foi  participar do desafio para confeccionar minha primeira Tilda que é uma criação da designer norueguesa Tone Finnanger. Não imaginava ser tão difícil e extremamente prazeroso por sua delicadeza, encanto e magia que envolvem a história dessa boneca conhecida no mundo todo e, a cada passo de sua confecção estimulou minha imaginação no mundo da fantasia, das fadas, romantismo…

No processo de criação de uma peça, qual a parte que dá mais trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Passar a  idéia para a confecção do molde. O que mais envolve é o acabamento, tem que ser o melhor possível.  Isso dá qualidade na peça e satisfação do cliente e, retorno financeiro. Todo  processo de criação, elaboração e execução é muito envolvente.

Já teve algum dia em que não teve inspiração? O que você fez?
Lógico! Todo processo de criação exige inspiração, o medo de não conseguir atingir o objetivo da criação pode “bloquear” a criação. Por isso, não se pode ter medo de ousar e realizar, isto poderá impedir a inspiração. Busco canalizar as tensões com música, um bom filme, uma voltinha no pomar, brincar com as cachorrinhas, relaxar!

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir TV, ouvir música, ou prefere o silêncio?
Controlo a internet por causa do site,  blog,  e-mails, escuto música, assisto aos programas de artesanato, cada um no seu tempo.  As vezes o silêncio me traz tensão, prefiro um “barulhinho” saudável.

O que te motiva a ser crafter?
Tudo me motiva. É relaxante, prazeroso, ficamos felizes quando vemos a satisfação e o bom retorno do trabalho realizado viajando pelo Brasil e, exterior. Isso é uma grande motivação, o reconhecimento.

Dica para iniciante?
Não ser ansioso mas, sim criativo. É sempre bom conhecer as técnicas, escolher uma de sua preferência, conhecer bem os materiais, preços, conhecer o mercado do artesanato visitando feiras de artesanato, conhecer outros artesãos para troca de informações. Ir passo-a-passo com capricho, bom gosto, qualidade e, não esquecer que artesanato e arte são um casamento e, não uma produção em escala industrial. Isso é fazer arte, vá em frente!

***
Nome: Cynthia Miceli
Marca: Oficina Xodó Di Pano
Cidade: São Pedro-SP
Onde encontrar:  WWW.xododipano.elo7.com
www.oficinaxododipano.blogspot.com
E-mail: xododipano@terra.com.br

Feira de Artes e Artesanato de São Pedro – Todos os Sábados, Domingos e Feriados das 09h às 16 horas
Local: Praça Gustavo Teixeira (Praça da Matriz)

***

O passo a passo desta quarta-feira no jornal A Notícia, é este lindo móbile de galinhas! E o pdf com os moldes segue abaixo:


Entrevista Faby Carvalho

17 de agosto de 2011 2


Comecei pintando camisetas com 14 anos, sempre tive facilidade para desenhar e isso me ajudou. Trabalhei em outras atividades que não tinham nada a ver com artesanato, até que minha filha nasceu, então comecei a trabalhar em casa. Fiz cursos de pintura básica em MDF, cursos de técnicas diferentes, curso de desenho e com o tempo me dediquei também à modelagem em biscuit. Criei meu blog e divulgo tudo que faço nas redes sociais.


Você busca inspiração, onde?
Eu adoro o que faço e trabalhar com o que se gosta é uma grande inspiração, mas sem dúvida pesquiso muito na internet e adoro sair e ver o que está nas vitrines, além de colecionar várias revistas sobre o assunto.


E os materiais, você encontra onde?
Em lojas especializadas, quando preciso comprar grandes quantidades vou em Porto Alegre porque tem uma variedade maior de produtos.


Como é a sua rotina?
Pela manhã faço faculdade de design e o resto do dia passo trabalhando, faço várias peças ao mesmo tempo e vou coordenando com a rotina diária da casa e família. Conforme a demanda de encomendas trabalho inclusive nos finais de semana.


Qual peça significa/significou mais pra você?
Recentemente fiz bonecas para uma festa de 15 anos, baseada em fotos, cada boneca representava uma fase da menina. Foi uma forma que a mãe da debutante encontrou de homenageá-la, mostrar seu orgulho e representar seu crescimento. Achei a idéia linda e o resultado ficou bem legal. É um prazer fazer parte de momentos tão especiais.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
O que mais dá trabalho é o início, as bases e a montagem, o melhor é o acabamento e a pintura e tudo precisa de um envolvimento muito grande para ter qualidade que o cliente espera.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Nessas horas é sempre bom dar um tempo, eu vou fazendo outras coisas e daqui a pouco a inspiração aparece. O importante é ser persistente e não desistir nas primeiras dificuldades.


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Sempre gosto de ouvir música, mas quando faço lembrancinhas que são várias peças iguais preciso de uma distração maior, para não lembrar quantas ainda faltam fazer, então, geralmente assisto um filme. Mas tenho meus momentos que preciso de silêncio.


O que te motiva a ser crafter?
Eu acho que a magia de criar, transformar materiais sem forma em arte e principalmente ver a reação positiva das pessoas em relação ao meu trabalho.


Dica para iniciante
O importante é fazer o que se gosta, procure a técnica que mais se identifique, pesquise sobre o assunto, faça cursos e coloque a mão na massa. Inove sempre e procure ter um estilo próprio. Fazer do artesanato uma renda fixa precisa de muito trabalho, criatividade, tempo e paciência.

Nome: Faby Carvalho
Marca: Faby in Arte
Onde encontrar: http://artesanatofabyinarte.blogspot.com

E no jornal A Notícia de hoje, confira o passo a passo deste potinho para guardar caldo de galinha!

Entrevista Tricia Rocha Britto

27 de julho de 2011 7

Sempre gostei de trabalhos manuais. Apesar de ser filha de uma artista plástica não tinha despertado para o mundo das artes até pouco tempo. Comecei a costurar depois que fiz um curso básico de patchwork, há pouco mais de dois anos. Depois daquele curso um mundo novo se abriu pra mim. O mundo das cores, da criação, de um horizonte que antes eu não conhecia.


Você busca inspiração, onde?
Quando desejo aprender uma técnica nova faço cursos, leio revistas de artesanato e decoração. A internet também é uma ferramenta que utilizo bastante.


E os materiais, você encontra onde?
Moro em Brasília e aqui mesmo na cidade encontro tecidos, aviamentos, tudo o que necessito para utilizar na confecção de minhas peças. Algumas vezes também importo tecidos dos Estados Unidos e até mesmo do Japão, através de lojas virtuais


Como é a sua rotina?
Não tenho uma rotina muito certinha. Trabalho fora meio expediente e no tempo que sobra costumo costurar um pouco. Às vezes tenho um ritmo mais acelerado, tudo depende das encomendas que tenho agendadas e dos eventos que faço como  exposições em feiras locais.


Qual peça significa/significou mais pra você?
Todas as peças que faço significam muito pra mim. Cada uma delas é uma superação pessoal. Acredito que a prática me ajuda a melhorar a cada dia.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Acredito que todas as etapas têm que ser bem feitas, com capricho, para que o resultado final seja harmonioso e tenha o êxito desejado. Eu me preocupo muito em utilizar material de qualidade na confecção de minhas peças e também tenho um cuidado especial com o acabamento final delas.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Sim.  Naqueles dias em que falta a inspiração para a costura procuro ocupar meu tempo com outros afazeres.


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Eu prefiro trabalhar em silêncio. Não gosto de ouvir musica ou assistir TV, acho que dispersa a atenção.


O que te motiva a ser crafter?
O prazer que tenho ao ver que consegui finalizar uma peça é o que me motiva a continuar.
E ver que aquele trabalho é elogiado e valorizado por outras pessoas também é muito bom.


Dica para iniciante
Disciplina, dedicação, treino, persistência, amor pelo trabalho. Tudo isso é importante não só para o iniciante mas para qualquer um que queira ter êxito naquilo que faz.

*
Marca: Tricia Artes
No Flickr: www.flickr.com/artesdatricia
No Facebook: Tricia Artes
No Elo 7: www.elo7.com.br/triciaartes
Contato: artesdatricia@hotmail.com
*

E no passo a passo da coluna Baú de Ideias no jornal A Notícia, Tricia nos ensina uma rosa de tecido.

Entrevista Sabrina Forster

06 de julho de 2011 2


Sou decoradora,  e um dia atendendo uma de minhas clientes me encantei com uma tela da Marli Volpato, entrei em contato com ela em 2006 e iniciei aulas de pintura, descobri um talento escondido, com o tempo senti necessidade de espaços para expor meu material, então veio a ideia junto com meu marido Sérgio, de abrirmos nossa casa para bazares de arte e artesanato, foram 3 edições em 2009, onde convidamos artistas plásticos e artesãos para também exporem. Foi o maior sucesso, surgindo aí o Atelier Sabrina Forster.
O artesanato é herança de família, desde os meus 5 anos estou as voltas de linhas, agulhas, tecidos, tintas enfim tudo que é trabalho manual. No final de 2008 fui presenteada pela minha irmã com o kit basico de Patchwork, no início começou para peças pessoais, mas tomou uma dimensão que hoje é minha fonte de renda, o Atelier ainda oferece trabalhos de restauração de móveis que é executado pelo Sergio.

Você busca inspiração, onde?
Em livros e revistas, internet, feiras, onde desenvolvo minhas criações.


E os materiais, você encontra onde?

Em lojas de artesanato e tecidos, aqui em Joinville e São Paulo.

Como é a sua rotina?
Como meu atelier é em casa, tenho uma rotina mais flexível, mas geralmente inicio minhas atividades no Atelier por volta das 8:30h até 12h e a tarde retorno as 14h e aí vai muito da inspiração e também da quantidade de encomendas para a semana.


Qual peça significa/significou mais pra você?

A abóbora de tecido que uso como agulheiro, foi minha primeira criação em tecido.

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
No  Patchwork a imaginação voa alto, costumo iniciar uma peça nova com um projeto no papel, desenhando, depois vem a escolha do tecidos, com suas estampas e cores diversas, depois vem o corte e a costura onde começa a tomar forma, a montagem do sanduiche que é o trabalho (topo), recheio(fibra) e forro, gosto muito de quiltar, onde dá variados efeitos a peça, e os acabamentos gerais, bom sendo bem sincera amo cada etapa deste trabalho, que de trabalho só tem o nome, pois é meu maior prazer.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?

Já, daí não faço nada, pois sem inspiração, realmente não sai nada. Mas também tem um outro lado, o de acordar de madrugada com aquela idéia, corro pra anotar e executar no próximo dia.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
TV não, acho muita poluição, gosto muito de ouvir musica clássica e new age, as vezes também é no silencio.


O que te motiva a ser crafter?

A liberdade de criação.

Dica para iniciante
Tudo que é feito com amor, capricho e dedicação, será reconhecido.


Nome: Sabrina Forster
Marca: Atelier Sabrina Forster
Cidade: Joinville
Onde encontrar: Rua Jaú, 163 – Glória
Loja virtual: www.ateliersabrinaforster.elo7.com.br
Blog: www.ateliersabrinaforster.blogspot.com

No jornal A Notícia desta quarta-feira, Sabrina nos ensina a fazer esta fofa necessaire:

Os moldes necessários são esses abaixo: