Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Artesanato"

Garagem Craft de Natal

25 de novembro de 2011 0
Neste sábado dia 26 de novembro de 2011, das 14 às 21 horas,
acontece em Joinville o Garagem Craft de Natal.
Será um bazar com diversas opções de peças em madeira, tecido, cartonagem, origami, cerâmica, e scrap decor e reunirá diversas artesãs da região de Joinville.
O endereço é Rua Guerra Junqueria, 385, bairro Iririú, Joinville/SC.

Entrevista Miriam Guimarães

02 de setembro de 2011 9

Que me lembro deste moçinha, artesanato para mim é cor, alegria e paz. Minha avó me ensinou a fazer crochê e minha mãe de tudo um pouco no meio do artesanato, então aprendi um pouco de cada.
A dedicação começou quando me desliguei de uma empresa de logística para me dedicar a casa, marido e filhos.
Quando vi que o tempo foi sobrando comecei a fazer meus artesanatos com mais dedicação e final do ano fará 2 anos que comecei a comercializar meus produtos.
Me mudei para uma cidade onde ventava muito e na procura por pesos de porta nas lojas da cidade não encontrei nada que gostasse. Resolvi fazer os meus pesos de porta em feltro…fiz vários, um diferente do outro.
Fui colocando na minha escada para depois ver onde eu iria distribuir pela casa, mas antes que eu escolhesse os lugares deles, chegou o natal e a família veio para fazer uma visitinha. Surpresa: minha irmã, cunhada e sobrinha, adoraram as peças e eu acabei presenteando.
Depois disto muito pesos de portas já fiz para venda, e minha casa tem uns saquinhos de areia segurando as portas. Velho ditado “casa de ferreiro o espeto é de pau”.

Você busca inspiração, onde?
Em sites, principalmente nos da Espanha, Itália, França e Inglaterra.

E os materiais, você encontra onde?
O básico encontreo em armarinhos aqui na cidade onde vivo atualmente, Rio das Ostras. Na Capital do Rio de Janeiro, mando fotos do que eu quero e peço a minha sobrinha para comprar, que me manda via postal. E outros pela internet.

Como é a sua rotina?
Parte da manhã, rotina de dona de casa. Aproximadamente às 09 horas começo minha rotina de artesã e depois paro para preparar o almoço. Recomeço depois das 15:00h  e vou até a madrugada, com intervalos para um descanso, atenção para os filhos e marido.
O que eu gosto mesmo e fazer minhas artes na madrugada, com todos dormindo e com a TV ligada, escutando e vendo às vezes cenas de algum filme: romântico, de ação ou guerra.

Qual peça significa/significou mais pra você?
O Carro McQueen,  que não vi nada parecido, é uma criação minha que adorei o resultado.

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte  que mais te envolve, o que prefere?
Não tem como, são os moldes.
A montagem sem duvida e a parte mais gostosa, envolvente, ver um peça pronta e que deu tudo certo, é bom de mais.
As duas etapas têm prazeres diferentes, porem criar, fazer um molde mediante a uma fotografia ou idéia, é o que eu gosto.

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Sim, deixo meu cantinho todo desarrumado, não chego nem perto. Ligo a TV e vou ver um bom filme, de preferência de guerra. Outro bom remédio é passear no comércio, adoro ver vitrines e lojas de artesanatos.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
O silêncio da madrugada

O que te motiva a ser crafter?
Receber elogios, ajudar as artesãs novatas. Quando comecei, tive muitas dificuldades em  adquirir moldes e ajuda de como fazer uma peça.
Tenho um blog onde procuro ajudar bastante as artesãs. Lá disponibilizo muitos PAPs e moldes de minha autoria e das  amigas da internet. Quando acho PAPs interessantes de outros países, faço a tradução, acrescento alguns detalhes, se for preciso, e publico para as meninas.

Dica para iniciante
Aprenda a fazer seu próprio molde: aí vem a pergunta. Como? Na tentativa e erro. Vai tentando, estragando um papel aqui, um material ali, mas faça o seu próprio. Tem muitos moldes que não tem nada haver com a peça, se vai estragar material com estes moldes errados, faça o seu e gaste o material que for necessário é o seu molde e vale à pena.
Outra dica, não deixa ninguém colocar preços em suas peças. Sabe aquela pergunta: “Da para fazer por quanto?”
Eu fico uma “arara”. Claro cada uma tem seu jeitinho de negociar, um desconto ali, mudar algum detalhe na peça, para diminuir o preço… Fiquem atentas para esta eventual situação.

Miriam Guimarães desenvolveu a técnica de Feltro Engomado, o feltro fica com uma textura bem firme e não perde a cor. Já criei varias peças, como: adesivos, apliques, flores, marcadores de página, peças decorativas e etc. Esta técnica lhe proporcionou convites para participação de edições da Revista Feltro (Editora Minuano).

Blog da Miriam: miriamfeltros.blogspot.com

E no post a seguir um passo a passo que a Miriam nos ensina.



Entrevista Patrícia de Oliveira

29 de agosto de 2011 8

O artesanato é uma veia que fazia parte de mim,mas ainda não pulsava. Desde criança via minha mãe fazendo uma coisa ou outra no artesanato e eu sempre por perto para tentar captar algo, pois aquilo tudo me interasava e me fascinava. O grande “start”  foi dado em 2003 na minha última gestação, onde tive um início de depressão e por orientação médica fui orientada a fazer alguma atividade voltada a arte! Foi aí que me dediquei ao artesanato e hoje vendo meus produtos até para fora do País! Também dou aulas de artesantato, tanto na TV e em casa.

Você busca inspiração, onde?
Procuro sempre por novas tendências e estar viva é uma inspiração e tanto!
Este é um mercado que não se pode parar, tem que estar antenada no que o mercado pede, nas feiras e eventos de artesanato.

E os materiais, você encontra onde?
Hoje devido a grande procura pelos materiais, temos facilidade em encontrar tudo nos grandes centros. Até mesmo nas pequenas cidades pode-se encontrar muitos produtos.

Como é a sua rotina?
Rotina, o que é isso?! Quase não tenho, costumo dizer que o dia deveria ter pelo menos 38 horas para eu me organizar e produzir com mais tranquilidade. Estou sempre em constante variação tanto de ambiente como de pessoas, isso devido ao meu trabalho, mas amo tudo isso…
Mas tento seguir um cronograma  quando o dia está mais folgado, afinal tenho 2 filhas e marido para dar atenção,pois a vida não é só trabalho.

Qual peça significa/significou mais pra você?
Aí você me pegou! Seria a mesma coisa que perguntar a uma mãe pela preferência de um filho. Dedico e dispenso um carinho igualmente a todas as peças, já que cada uma ocupa seu espaço e tem o seu momento único para mim.

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Não consigo citar que parte ma dá mais trabalho pois toda vez que sento para criar e produzir uma peça ali fico até terminar e poder vê-la pronta, é nesta hora em que me vejo totalmente envolvida pela arte e sem dúvida alguma o toque final na hora do acabamento é único, pois é neste momento que todo artesão dá a sua característica ao trabalho.

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Sim claro!Ai desligo a máquina, guardo os tecidos e agulhas e vou procurar fazer outra coisa…quando menos espero lá está ela de volta, a tal da inspiração (risos).

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Não ligo para barulho e movimentos ao redor, o que eu gosto mesmo é de estar desenvolvendo!Aí uma boa música, a TV ligada ou o silêncio são só detalhes.

O que te motiva a ser crafter?
O prazer que tenho quando vejo algo que minutos atrás só estava na minha ideia e somente eu o idealizava e logo depois ocupa um espaço físico e tem formas e características reais. Isto é sem dúvida mágico e motivador.

Dica para iniciante
Procurem sempre terminar um projeto nunca o deixando incompleto e é claro, deposite muito amor e dedicação sempre no que se dispôs a fazer, assim não dará errado e tudo que colocamos amor e dedicação é garantia de sece$$o e valorização!!!

Nome: Patrícia de Oliveira
Marca: Paty’Arts
Cidade: São José dos Campos/SP
Onde encontrar: tecidosqueencantam.blogspot.com
(12) 8829-3915 / (12) 3905-5505
Facebook e orkut como: Patricia Oliveira
Email: patricia.oliveira1521@hotmail.com

Para alguns pode parecer cedo, mas para outras já está na hora de começar a organizar a decoração para o Natal.
Abaixo um passo a passo que Patrícia nos ensina: um ótima sugestão para enfeite de natal.

Material
1 CD  que você não use mais
Linhas para bordar de acordo com as cores do feltro escolhido
Retalhos de feltro colorido
Fita de cetim e um laço de fita aramada ou com fita simples

1º Passo:
Escolha um motivo natalino e transfira para o feltro, corte 2 círculos com 1cm a mais da circunferência do CD,monte em um dos círculos o motivo escolhido e separe.


2º Passo:
Com o motivo já montado e centralizado faça um alinhavo para fixá-lo.
Pode-se utilizar também o ponto caseado,o pesponto,ponto palito ou se não souber fazer ponto algum sem problemas, não vai ser isto que te impedirá de fazer, utilize a cola quente.


3º Passo:
Depois de já ter alinhavado a figura , pegue a outra parte do círculo e faça um caseado na volta,quando já estiver feito uma meia lua é hora de introduzir o CD
no meio dos  2 círculos!

4º Passo: Com o CD já  entre as 2 partes do círculo de  feltro, termine o caseado em toda a circunferência.

5º Passo: Agora é só fazer um gancho com a fita de cetim e colar com cola quente no verso do teu  trabalho ,na parte que ficará  voltada para as costa ok! Com uma fita aramada ou uma  fita de cetim mais larga faça um lindo laço  para finalizar o teu trabalho.E pronto ,você tem um lindo enfeite para decorar tua árvore de natal,tua porta ou onde quiser e lembrando que você contribuiu com o meio ambiente,pois reciclou um CD que certamente iria parar no lixo.


Entrevista Luiza Cavalcante

24 de agosto de 2011 15

Em 2009 buscava um novo estímulo, então decidi começar um curso de patchwork. De lá pra cá, não parei mais de costurar.

Você busca inspiração, onde?
Busco em revistas, blogs, vitrines. Tenho um olhar atento, onde quer que eu esteja. O mundo está cheio de estímulos visuais muito inspiradores.

E os materiais, você encontra onde?
Em lojas e armarinhos aqui no Rio, ou importando tecidos dos Estados Unidos.

Como é a sua rotina?
Trabalho fora 8 horas por dia de segunda a sexta, tenho os afazeres de casa, marido e filho, quando tenho disposição, malho. Então fico buscando qualquer tempinho para me dedicar às costurinhas, seja um pouco antes de trabalhar, ou um pouco à noite… nos finais de semana costumo trabalhar umas 10 horas entre sábado e domingo.

Qual peça significa/significou mais pra você?
A almofada de coração. Estava começando, fiquei com medo de não conseguir, mas felizmente, o resultado foi super positivo.

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho, e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Todas as etapas são prazerosas, me sinto igualmente envolvida em todas elas, mas prefiro a hora da execução, por está mais próximo de ver o resultado final. As corujinhas por exemplo, fiquei dias desenhando, pensando nas misturas de cores, até que cheguei num molde que achei satisfatório. Quando chegou a hora de fazer a primeira, foi uma alegria só!

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que vc fez?
Quando não tenho inspiração, revejo minhas revistas antigas, meus caderninhos com desenhos,  ou fico passeando na internet.

Quando está desenvolvendo uma peça, vc costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Nos finais de semana sempre com música. Durante a semana, dado ao agito natural, prefiro o silêncio.

O que te motiva a ser crafter?
Uma motivação muito importante, é a troca que há na minha relação com os clientes. É maravilhoso ter uma encomenda, ou fazer algo pensando em alguém e quando essa pessoa recebe, abre um sorriso enorme de satisfação. É muito gratificante!! Revigorante!
Não menos importante, o prazer de produzir, de ver algo nascendo, não consigo ficar sem fazer nada por muito tempo.

Dica para iniciante
Geralmente quando estamos começando, ficamos ansiosas em demasia, querendo respostas urgentes. É importante centrar. Facilita nas compras, na execução das peças e os resultados virão com o tempo. Dedicação sem aflição!

Nome: Luiza Cavalcante
Marca:
LULUZINHA
Cidade:
Rio de Janeiro – RJ
Onde encontrar:
www.flickr.com/luizacavalcante
No Rio, fazendo contato com cavalcanteluiza@yahoo.com.br
Demais localidades, através do www.luluzinha.tanlup.com ou ainda, em São Luis – MA na VESTE E DECORA -  Av. Projetada, Qd.01 – Loja 10C – Cohajoli. Tel:  98 3083-3592.

 

E no jornal A Notícia de hoje, Luiza nos ensina a fazer um lindo penduricalho de coração na coluna Baú de Ideias.

Entrevista Faby Carvalho

17 de agosto de 2011 2


Comecei pintando camisetas com 14 anos, sempre tive facilidade para desenhar e isso me ajudou. Trabalhei em outras atividades que não tinham nada a ver com artesanato, até que minha filha nasceu, então comecei a trabalhar em casa. Fiz cursos de pintura básica em MDF, cursos de técnicas diferentes, curso de desenho e com o tempo me dediquei também à modelagem em biscuit. Criei meu blog e divulgo tudo que faço nas redes sociais.


Você busca inspiração, onde?
Eu adoro o que faço e trabalhar com o que se gosta é uma grande inspiração, mas sem dúvida pesquiso muito na internet e adoro sair e ver o que está nas vitrines, além de colecionar várias revistas sobre o assunto.


E os materiais, você encontra onde?
Em lojas especializadas, quando preciso comprar grandes quantidades vou em Porto Alegre porque tem uma variedade maior de produtos.


Como é a sua rotina?
Pela manhã faço faculdade de design e o resto do dia passo trabalhando, faço várias peças ao mesmo tempo e vou coordenando com a rotina diária da casa e família. Conforme a demanda de encomendas trabalho inclusive nos finais de semana.


Qual peça significa/significou mais pra você?
Recentemente fiz bonecas para uma festa de 15 anos, baseada em fotos, cada boneca representava uma fase da menina. Foi uma forma que a mãe da debutante encontrou de homenageá-la, mostrar seu orgulho e representar seu crescimento. Achei a idéia linda e o resultado ficou bem legal. É um prazer fazer parte de momentos tão especiais.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
O que mais dá trabalho é o início, as bases e a montagem, o melhor é o acabamento e a pintura e tudo precisa de um envolvimento muito grande para ter qualidade que o cliente espera.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Nessas horas é sempre bom dar um tempo, eu vou fazendo outras coisas e daqui a pouco a inspiração aparece. O importante é ser persistente e não desistir nas primeiras dificuldades.


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Sempre gosto de ouvir música, mas quando faço lembrancinhas que são várias peças iguais preciso de uma distração maior, para não lembrar quantas ainda faltam fazer, então, geralmente assisto um filme. Mas tenho meus momentos que preciso de silêncio.


O que te motiva a ser crafter?
Eu acho que a magia de criar, transformar materiais sem forma em arte e principalmente ver a reação positiva das pessoas em relação ao meu trabalho.


Dica para iniciante
O importante é fazer o que se gosta, procure a técnica que mais se identifique, pesquise sobre o assunto, faça cursos e coloque a mão na massa. Inove sempre e procure ter um estilo próprio. Fazer do artesanato uma renda fixa precisa de muito trabalho, criatividade, tempo e paciência.

Nome: Faby Carvalho
Marca: Faby in Arte
Onde encontrar: http://artesanatofabyinarte.blogspot.com

E no jornal A Notícia de hoje, confira o passo a passo deste potinho para guardar caldo de galinha!

Entrevista Tricia Rocha Britto

27 de julho de 2011 7

Sempre gostei de trabalhos manuais. Apesar de ser filha de uma artista plástica não tinha despertado para o mundo das artes até pouco tempo. Comecei a costurar depois que fiz um curso básico de patchwork, há pouco mais de dois anos. Depois daquele curso um mundo novo se abriu pra mim. O mundo das cores, da criação, de um horizonte que antes eu não conhecia.


Você busca inspiração, onde?
Quando desejo aprender uma técnica nova faço cursos, leio revistas de artesanato e decoração. A internet também é uma ferramenta que utilizo bastante.


E os materiais, você encontra onde?
Moro em Brasília e aqui mesmo na cidade encontro tecidos, aviamentos, tudo o que necessito para utilizar na confecção de minhas peças. Algumas vezes também importo tecidos dos Estados Unidos e até mesmo do Japão, através de lojas virtuais


Como é a sua rotina?
Não tenho uma rotina muito certinha. Trabalho fora meio expediente e no tempo que sobra costumo costurar um pouco. Às vezes tenho um ritmo mais acelerado, tudo depende das encomendas que tenho agendadas e dos eventos que faço como  exposições em feiras locais.


Qual peça significa/significou mais pra você?
Todas as peças que faço significam muito pra mim. Cada uma delas é uma superação pessoal. Acredito que a prática me ajuda a melhorar a cada dia.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Acredito que todas as etapas têm que ser bem feitas, com capricho, para que o resultado final seja harmonioso e tenha o êxito desejado. Eu me preocupo muito em utilizar material de qualidade na confecção de minhas peças e também tenho um cuidado especial com o acabamento final delas.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Sim.  Naqueles dias em que falta a inspiração para a costura procuro ocupar meu tempo com outros afazeres.


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Eu prefiro trabalhar em silêncio. Não gosto de ouvir musica ou assistir TV, acho que dispersa a atenção.


O que te motiva a ser crafter?
O prazer que tenho ao ver que consegui finalizar uma peça é o que me motiva a continuar.
E ver que aquele trabalho é elogiado e valorizado por outras pessoas também é muito bom.


Dica para iniciante
Disciplina, dedicação, treino, persistência, amor pelo trabalho. Tudo isso é importante não só para o iniciante mas para qualquer um que queira ter êxito naquilo que faz.

*
Marca: Tricia Artes
No Flickr: www.flickr.com/artesdatricia
No Facebook: Tricia Artes
No Elo 7: www.elo7.com.br/triciaartes
Contato: artesdatricia@hotmail.com
*

E no passo a passo da coluna Baú de Ideias no jornal A Notícia, Tricia nos ensina uma rosa de tecido.

Entrevista Elizabeth Fischer

15 de junho de 2011 10

Minha mãe sempre foi uma costureira de mão cheia. Então, cresci no meio de muito tecido, agulha, máquina de costura e adorava este universo. Cada retalhinho caído no chão se transformava numa roupa para boneca. Logo veio o tricô, também por influência da minha mãe e aos 12 anos fui para a escola com a primeira blusa de lã confeccionada por mim. Em seguida o ponto cruz, a pintura em tecido, o arraiolo, a pintura em madeira…foi quando engravidei!! Isso mesmo: uma nova e definitiva fase crafter !!! O Patchwork veio para ficar e mesmo sem saber o sexo do bebê confeccionei a primeira boneca de pano. Se fosse menino daria para a minha sobrinha. E não parei mais: bonecas, protetor de berço, toalhas, mantas, quadros. Enfim, faz quatro anos que descobri esta paixão.

Você busca inspiração, onde?
Já comprei muita revista e faço aulas quando quero aprender uma técnica nova. A internet também é uma excelente fonte de inspiração, bem como as lojas de patchwork. Temos algumas maravilhosas, impossível entrar e não sair com mil idéias.


E os materiais, você encontra onde?
Os materiais são adquiridos nas lojas de aviamentos, onde a diversidade é maior e com um custo acessível. As lojas de patchwork têm materiais mais específicos e são uma excelente alternativa para encontrar o material mais diferenciado.

Como é a sua rotina?
A rotina é bastante puxada! Sou casada com  uma pessoa maravilhosa que me dá todo o apoio e incentivo e tenho uma filha de 3 anos e 8 meses, a razão da minha vida! Além disso, sou diretora numa escola pública de Ensino Fundamental. São 22 anos de magistério (não se assustem, comecei novinha!!). Saio de casa cedo e deixo a Luiza no jardim; trabalho na escola o dia todo, busco novamente no jardim, vou pra academia com ela e volto pra casa. Preparo um lanche para a família, dou uma organizada nas coisas e quando tudo está pronto é que vou pro meu ateliê. Como tenho pouco tempo durante a semana, fico mais na parte de planejamento e elaboração das peças e a produção propriamente dita fica para o fim de semana.

Qual peça significa/significou mais pra você?
Cada uma tem a sua importância. Cada uma marca um momento… Adoro fazer peças de natal e as bonecas são a minha paixão!

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Tudo vai depender da peça, mas em geral a que exige mais é o acabamento, pois em qualquer peça ele tem que ser perfeito. Adoro escolher os tecidos, ver as possibilidades de combinação, brincar com as cores!

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Ah, é claro! E quando isso acontece não adianta insistir, o melhor mesmo é dar um tempo. Muitas vezes tentei iniciar um trabalho ou dar continuidade a outro num dia desses e o máximo que consegui foi perder o material. Então quando isso volta a acontecer paro um pouquinho, arrumo o ateliê, organizo os materiais, passo alguns tecidos e geralmente essas pequenas ações já são suficientes para recuperar a inspiração necessária para esse tipo de trabalho.

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Adoro TV, principalmente esses programas de entrevista, culinária ou artesanato. Uma novelinha também vai bem. O silêncio me deixa apreensiva, não consigo render nada.

O que te motiva a ser crafter?
O resultado das peças produzidas. Ver o que você fez e, principalmente ver que agrada as pessoas me motiva cada vez mais a costurar.

Dica para iniciante
Para  quem está iniciando vão algumas dicas importantes. Primeiro: nunca diga que não tem tempo, pois o tempo é a gente que faz. Tendo isso em mente, invista em aulas para que possa conhecer algumas técnicas fundamentais e adquira bons materiais. Os materiais não precisam ser caros, mas precisam de ser de boa qualidade para não comprometer o trabalho. No caso dos tecidos precisam ser 100% algodão e devem ser sempre lavados antes da confecção. O bom acabamento também é fundamental, então o cuidado precisa ser redobrado. A pesquisa é importante para que a artesã esteja por dentro das novidades. No mais, muito amor e dedicação!

*

Elizabeth Fischer
Marca: Beth & Arte
Cidade: Joinville / SC
Onde encontrar: www.elo7.com.br/bethearte
www.flickr.com/photos/bethfischer

*

Nesta quarta-feira, confira no jornal A Notícia o passo a passo dessa necessaire que a Beth nos ensina:

Entrevista com Sheila Sansão

11 de maio de 2011 3


Desde pequena as artes manuais sempre fizeram parte da minha vida…cresci com minha Avó materna que era uma costureira maravilhosa, e brincar com botões, tecidos e fitas era minha rotina…ir ás lojas de aviamentos com ela eram meus passeias preferidos!!!Tudo lá me fascinava, os brilhos, as estampas…Uma tia e minha mãe também sempre estavam em meio á lãs e telas de bordar…e me ensinavam tudo que eu queria aprender…Cresci, me formei na faculdade,casei, virei bancária e vivia no maior stress…normal da profissão, mas sempre amei artesanato e na época era viciada em ponto cruz…depois que meu filho nasceu parei de trabalhar e tinha muito tempo para navegar na internet…foi então que descobri inúmeros sites de artesanato que me fascinaram e me inspiraram a começar algo meu, que ao mesmo tempo me desse muito prazer em fazer e uma renda extra também.
O feltro foi a “minha” descoberta do século…desde que vi  fotos e muitos trabalhos com ele me apaixonei por sua facilidade de trabalhar.Comecei fazendo coisas para mim e para presentear. Depois resolvi tentar vender e minha mãe me deu o maior incentivo e colocava meus chaveiros para vender na loja em que trabalhava.Aliás, os chaveiros são minha paixão até hoje.

Você busca inspiração, onde?
Na maioria das vezes em sites da internet mesmo… principalmente no Flickr.com.br onde tenho uma página e fiz muitas amizades com artesãs, inclusive através desse site conheci artesãs da minha própria cidade. Gosto também de ver muitas revistas sobre o assunto, ir á feiras de artesanato, e passear por lojas de 1,99 buscando materiais que possa usar em meus trabalhos…costumo também perguntar á amigas e conhecidas que tipo de trabalho artesanal elas gostariam de ter ou comprar, afinal as clientes sabem muito bem o que querem e apreciam muito algo que foi feito especialmente para elas e do jeitinho que elas queriam.

E os materiais, você encontra onde?
Minha cidade tem uma tradição em artesanatos bem forte, por isso não é difícil encontrar os materiais que preciso, principalmente em termos de materiais para costura e pedrarias…há muitas lojas
especializadas aqui.Quando realmente não encontro compro pela internet.E muitas coisas em lojas de 1,99 também.

Como é a sua rotina?
De manhã cuidar do filho…de tarde, depois de levá-lo á escola é que me dedico ás minhas encomendas, e quando não tenho nada para entregar faço coisas para mim ou para presentear amigas eparentes…amo dar presentes feitos por mim, onde coloco todo meu carinho pela pessoa e detalhes especiais que a façam feliz!!! No fim da tarde pegar o filhote na escola e me dedicar á ela, aomarido e á casa…como toda mulher que trabalhe fora ou não…e quando os DOIS vão dormir rsrsss, costuro mais um pouquinho no silêncio da noite…e confesso que é a hora que mais gosto de trabalhar!

Qual peça significa/significou mais pra você?

Ihhh, há tantas…amo tudo que faço, mas minha paixão mesmo é fazer chaveiros para lembrançinhas, dentre elas os mais especiais são os chaveiros de gatinhos que aprendi a fazer com outra artesã deBlumenau, a Dayse Howe…fizeram muito sucesso quando comecei e até perdi as contas de quantos já fiz…foi com eles que percebi que podia fazer algo que me dava prazer e ainda lucrar com isso

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
Criar e depois ver seu trabalho realizado é maravilhoso!!!Não acho que posso dizer que “me dá mais trabalho”, mas com certeza a parte mais demorada e que demanda um tanto de dedicação e
paciência é o início dos contatos com as clientes…entender o que elas querem, como querem…para que fiquem satisfeitas e principalmente felizes com o resultado final!Ás vezes essa parte
demora mais dias do que a confecção da peça em si!Mas faço e sempre vou fazer isso porque o artesanato para mim vai além do lucro, é o prazer de trabalhar,realizar e fazer parte de sonhos das outras
pessoas…como no caso das lembrançinhas de nascimento e casamento por exemplo!

Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Com certeza!!!Em todo trabalho, por mais prazeroso que seja, nem tudo são flores…já tive dias de não saber nem por onde começar uma peça…de fazer algo e achar que não ficou bom…dias de pensar
em abandonar tudo…mas daí alguém faz um elogio, um comentário positivo…ou então, aparece uma encomenda que me motiva de novo á ir em frente…e tudo se resolve por si só…tento não ficar
apreensiva e até dou um tempo para acalmar a mente.Nesses dias também costumo dar uma “organizada” nos materiais…então é mexendo em feltros, tecidos e botões que muitas vezes tenho as melhores idéias!

Quando está desenvolvendo uma peça, vc costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
AHHH…essa me pegou…a televisão, só consigo produzir sentadinha no meu sofá vendo TV e com todo o material espalhado pelo sofá…caixinhas, maletas, etc.Na verdade na maioria das vezes nem
percebo o que está passando, mas parece que se não for assim meu trabalho não rende…acho estranho, mas fazer o que!!!rsrsss

O que te motiva a ser crafter?
O fato de saber que cada peça minha recebeu o meu carinho e atenção especial, eu sempre espero que as pessoas que as compram sintam esse carinho…fazer algo que não seja industrializado em série, e
sim feito 100% á mão (e de coração também) é sempre o que me deixa muito feliz, é uma realização pessoal mesmo…não saberia mais viver sem ter algo artesanal para fazer, acho que chega a ser um
vício, mas dos bons!!! As amizades que fiz por causa do artesanato também é algo muito importante…o que incentivou muito no começo também foram as palavras de apoio, conselhos, dicas e ensinamentos que recebi(e ainda recebo) de amigas artesãs…a maioria virtuais…mas muito reais mesmo na minha vida!

Dica para iniciante
Primeiro e com toda certeza é AMAR o que faz…procure a técnica, o material que mais se encaixa no seu gosto pessoal e aptidão, daí tudo que você fizer será por prazer e as pessoas sentiram isso, vão
admirar você e seu trabalho conseqüentemente. Caprichar nos detalhes, tornar sua peça única com algo que você acrescentou, ter paciência e dedicação, não ter medo de testar técnicas e materiais novos…o máximo que vai acontecer é você perceber que não é a “sua praia” e partir para outra.Mas com certeza o artesanato não é uma arte estagnada, está sempre inovando e você sempre vai encontrar algo especial e inovador que vai gradar aos olhos de todos! Algo também  muito importante é você mesma DAR VALOR AO SEU TRABALHO…cobrar o preço que seja justo por ele, muitas pessoas não entendem o processo de criação, a dedicação que temos e como demanda tempo…tudo deve ser aplicado ao valor final.

*
Nome: Sheila Sansão
Marca: Arte Sonhos
Onde encontrar:
WWW.elo7.com.br/artesonhos   (loja virtual)
WWW.flickr.com/artesonhos   
Facebook: Sheila Sansão
*

Veja na coluna desta quarta-feira, um passo a passo deste lindo chaveiro em formato de mandala.


Entrevista com Juliana Guaresi

30 de março de 2011 2


Me formei na faculdade de Enfermagem em Agosto de 2008, e o mercado de trabalho estava bem complicado, eu não aguentava ficar em casa sem fazer nada. Então comecei a ‘inventar ‘ algo para ocupar o tempo. Desde de pequena criava roupas para as Barbies, usava a máquina de costura da minha avó e minha mãe me ensinou a fazer crochê. aí comecei a fazer cachecol, carteirinhas, bolsas, necessaire para mim e para minha irmã. Mas minhas amigas viram, e as amigas das amigas e as encomendas foram chegando. No início veio a idéia de expor tudo num álbum no Orkut, e foi por ele que o meu trabalho se tornou conhecido.


Você busca inspiração, onde?
Eu sempre digo que minha imaginação é muito fértil, sempre que pego uma simples blusa na mão já fico imaginando o quanto de coisas eu consigo fazer com ela. Mas, estou sempre procurando coisas novas na internet, leio vários Blogs de moda, artesanato, decoração, quando estou assistindo um filme estou prestando atenção nas roupas das atrizes, nos acessórios. Enfim, minha inspiração está em tudo que eu vejo.


E os materiais, você encontra onde?
Eu costumo comprar os materiais em lojas de armarinhos em geral e aviamentos, a maioria compro na minha cidade em Tubarão, pois lá já conheço as bem lojas. Compro muitas coisas também pela internet.


Como é a sua rotina?
Não tenho uma rotina, um horário específico para fazer meus trabalhos. Trabalho como Enfermeira das 13h às 19h, e no período que estou livre que é à noite e pela manhã e nos finais de semana é o tempo que dedico para a realização e criação dos produtos.


Qual peça significa/significou mais pra você?
Ah…sem dúvida nenhuma foi o vestido rosa de crochê (foto) que foi o primeiro que fiz, era para a formatura do meu namorado. Levei 1 mês entre criação e confecção, minha mãe fez o crochê e eu entrei com o bordado. Noooossa deu muito trabalho, mas valeu a pena, no dia da formatura eu não conseguia dar um passo sem que as pessoas me parassem para elogiar e perguntar sobre o tal vestido, queriam saber quem fez, como foi feito, queriam tirar foto…foi realmente gratificante.


No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho,e qual a parte que mais te envolve, o que prefere?
As peças que mais dão trabalho são as batas, a parte de bordar as fitinhas, rendas, paetês são bem trabalhosas e exigem muita paciência, sem contar a confecção do crochê, mas eu adoro poder ter liberdade de escolher as cores, os detalhes de cada peça. A parte mais envolvente com certeza é a de comprar os materiais, os tecidos, os aviamentos e toda a parte de criação em si.


Já teve algum dia, em que não teve inspiração? O que você fez?
Sinceramente, não! Minha cabeça não pára nunca, estou sempre pensando no que fazer depois e depois…


Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Gosto muito de ficar assistindo TV e estar com o notebook ao lado.


O que te motiva a ser crafter?
Para mim é uma terapia. É um momento em que eu me desligo totalmente do mundo, dos problemas, de tudo, e consigo expor nas minha peças tudo o que estou sentindo, pensando. Fico imaginando quem irá usar aquela bata ou aquele cachecol e procuro fazer tudo com muito amor e dedicação. Para mim é um momento exclusivamente meu.


Dica para iniciante
Acho que a dica principal é ter amor pelo que você faz, gostar do que você está fazendo, e aí todos os outros atributos necessários virão consequentemente: paciência, dedicação, disposição, organização, crescimento, dinheiro…

Nome: Juliana Guaresi
Marca: Prosopeia
Cidade: Joinville-SC
Onde encontrar: www.modaprosopeia.blogspot.com ou www.prosopeia.tanlup.com

O inverno vem chegando! E na coluna impressa de hoje, no jornal A Notícia, a Juliana nos ensina como fazer um lindo cachecol de pompons como este:

Entrevista com Eloisa Bueno

09 de março de 2011 4


Desde pequena gostava de mexer com linhas, agulhas, tecidos na casa da avó. Depois que casei fiquei em casa pra cuidar das crianças e comecei a bordar ponto cruz por encomenda…depois disso, não parei mais!

Você busca inspiração, onde?
Em revistas, livros, alguns sites e até mesmo em cenas do dia-a-dia!

E os materiais, você encontra onde?
Onde moro tem apenas uma loja de aviamentos, linhas lãs e alguma coisa em tecido. Compro alguma coisa lá, outras na cidade vizinha e muitas pela internet!

Como é a sua rotina?
De manhã eu fico por conta da casa e das crianças. A parte da tarde é praticamente toda voltada para o atelier dificilmente eu saio, e uma boa parte da noite também. Sou notívaga, não tem jeito!

Qual peça significa/significou mais pra você?
Os Divinos que eu faço, em crochê! Eu sempre tive uma ligação grande com essa figura que representa o Divino Espírito Santo, que é uma pombinha branca. Já tinha feito algo em outros materiais, mas um dia resolvi tentar fazer em crochê. Quando cheguei num resultado legal, passei pra minha sogra, e ela me ajuda na produção deles, que são muitos, usados principalmente em lembrancinhas de casamento, maternidade, primeira eucaristia e batizado!
Eles tem um significado muito especial para mim! Não são simples pombinhas!

No processo de criação de uma peça, qual a parte que mais dá trabalho e qual a parte que mais te envolve? O que prefere?
Acho que no momento da criação de um molde ou modelo é tomado mais tempo até que se chegue ao resultado ideal. Depois disso, ver a peça tomando forma e as variações de uma mesma peça quando se tem um tecido ou um bordado diferente é muito prazeroso! Os acabamentos de uma peça são muito gostosos de se fazer, é onde a criatividade rola solta!

Já teve algum dia em que não teve inspiração? O que você fez?
Claro! Nesses momentos eu geralmente pego um livro pra ler, saio um pouco. Mas não consigo ficar muito tempo sem ter algo nas mãos pra fazer!

Quando está desenvolvendo uma peça, você costuma assistir tv, ouvir música ou prefere o silêncio?
Nos momentos dentro do atelier eu prefiro ficar no silêncio. Muito raramente coloco uma música pra ouvir. Gosto do silêncio! O crochet eu gosto de fazer assistindo TV. Aliás, assistir TV sem ter uma agulha nas mãos não tem muita graça, né? Rs

O que te motiva a ser crafter?
Ver algo sendo criado através das minhas mãos. Acho que é um dom que vem do Alto, sabe? Sou coadjuvante nisso tudo! Eu percebo que a grande maioria das pessoas que trabalham com as mãos são pessoas mais sensíveis de alguma forma. Temos o mérito, sim, em levar adiante esse dom!

divulgação

Dica para iniciantes
Ter muita dedicação e amor pelo que faz. Esse é o melhor começo. Persistência também. Acho que não se pode desistir frente às chateações que possam acontecer. Procurar algo diferenciado dentre tantas possibilidades. E ter humildade acima disso tudo!

*
Nome: Eloisa Bueno
Cidade: Delfim Moreira/MG
Marca: Pedaço de Amor
Onde encontrar: http://www.flickr.com/people/pedacodeamor/
http://www.pedacodeamor.blogspot.com/

*

E hoje é dia de passo a passo na coluna impressa do blog no jornal A Notícia. Deem uma olhada no jornal para conferir o pap que a Eloisa nos deu dessa máscara tranquilizante.


Pra quem quiser fazer, o molde é este abaixo: