Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Entrevista"

Entrevista com Flor de Cheiro atelier

14 de março de 2013 6

Oi gente,

Para abrir a nova série de entrevistas aqui no blog. Apresento uma pessoa que está por trás desta tela mas que ama artesanato de paixão. E como muitas meninas me perguntam como comecei, o que já fiz e por ai vai. Resolvi me entrevistar (rs) para que assim todas possam conhecer um pouco do meu lado artesã de ser :)


* * * * * * * * * * *


Como você começou?

Bom desde que me conheço por gente já era metidinha com artes. Não podia ver papel e lápis que saia desenhando por ai, na época queria ser estilista, (vê se pode). O tempo passou minha mãe fazia muito tricô e crochê e eu comecei a aprender a fazer trico e com apenas 7anos já fazia cachecol :)

Os anos passaram mudamos de cidade e na adolescência conheci as miçangas. Comecei então a fazer pulseiras, colares com miçangas, aquelas trabalhadas que hoje podemos chamar de “brega” naquela época era um sucesso. E lá foi o tempo novamente e eu casei, fiquei grávida, foi ai que comecei a me interessar por decoração de aniversário e po decoração de quarto infantil e comecei no faça você mesmo. Até que um belo dia, meu filho já estava mais crescidinho e eu comecei a fazer um curso para ver se levava o tal do “jeito”. Comecei a fazer pinturas em madeira e fui amando. Um curso foi chamando outro e dia pós dia eu fui amando. Comecei a oferecer para amigas e criei um blog pessoal e uma loja virtual.

Mas o gosto, o amor pelo artesanato surgiu mais forte quando fiquei grávida de uma menina, são tantos frufrus que comecei a querer fazer tudo pra decorar o quarto, pra presentear enfim, fui me envolvendo neste universo infantil.

E dai em diante, segui um segmento linha baby. Onde abordo desde acessórios infantis, lembrancinhas, decoração e papelaria para festa.

E posso dizer que amo e amo muito o que faço.


De onde vem a inspiração?

A inspiração vem de tudo. Tendência, praticidade, crianças, moda, natureza, felicidade, festa #amor.



Você encontra com facilidade os materiais?

Vixi, esse é o maior problema. Tudo que preciso até encontro aqui em Joinville, mas infelizmente nada é muito acessível financeiramente. Se queremos criar uma peça mais elaborada temos de estar cientes de que o preço será mais elevado. A maioria das vezes, vou pra cidades vizinhas ou compro material pela internet mesmo.

 

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra você?

Sim, eu acho que a primeira peça que fiz no curso. Uma caixa linda e que guardo com muito carinho no meu atelier. Mas confesso que a cada pedido, a peça se torna totalmente especial, pois sempre tem uma história e isso me envolve bastante :)

 


Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho e qual te envolve mais. Tem preferência por algum passo?

Bom toda nova criação exige muita atenção, dá trabalho sim, o desenvolver do material, a avaliação do que será usado para a peça, isso demora, toma tempo. Eu gosto muito quando chega a hora do acabamento, pois são os pequenos detalhes que enriquecem a peça.

 

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que fez?

Sim e como aconteceu….Acho impossível nenhuma artesã ter passado por isso. O fato de estarmos com o pensamento sempre correndo contra o tempo, faz com que em determinadas horas a inspiração, a criação não aguente e pife.
Procuro largar o que preciso fazer {mesmo que tenha prazo urgente} para dar uma “respirada” na mente. Vou brincar com os meus filhos, arrumar o atelier, navegar na internet. E no outro dia volto com pique total.

 

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?

Muitas horas do dia, estou na presença dos meus dois pequenos (Yuri e Heloísa) que em nenhum momento deixam o silêncio fazer parte do meu dia. Mas quando vão à escola, procuro ficar em silêncio por um tempo para me reorganizar nas atividades. E quando consigo me concentrar e tocar as encomendas do dia. Ligo a tv ou o rádio.

 

 

Como surgiu a ideia de criar este blog ?

Então, a ideia veio logo que me apaixonei por algumas técnicas que conheci, pela dificuldade em encontrar matéria prima aqui na cidade e pelo fato de ver muitas feiras, bazares por ai (fora de Joinville) que aproxima diversas artesãs. Ai pensei, pq não fazer um blog? Para mostrar de que aqui em Joinville temos muitas artesãs mega talentosas (que já mostrei aqui no blog com entrevistas) e de que somos possíveis ter um ciclo maravilhoso de amigas, sejam elas virtuais ou pessoais. Apresentei a ideia ao meu chefe direto aqui do Jornal A Notícia, e ele gostou. E assim dei inicio, focado em divulgar paps, novas técnicas, feiras, exposições e talento de artesãs. Alguns meses depois, fui convidada a fazer parte da coluna do nosso jornal impresso, aceitei, um grande desafio, mas que foi uma experiência maravilhosa, infelizmente fiquei apenas um ano com a coluna, pois quando voltei de licença maternidade não consegui comandar blog x coluna (que até então só fazia em casa e com bebê pequeno e mais uma criança, era loucura). Até pq não queria entregar qualquer material para os leitores, e quem sabe como funciona a questão de blog/coluna toma muitoooooo tempo de pesquisa. Enfim., comecei a me dedicar exclusivamente ao blog, tive alguns contratempos onde precisei deixar o blog de ladinho (problema saúde/férias).

Nestes anos de blog também dei um passo importante, criei o Encontro Baú de Ideias, ondeo foco principal é interagir com outras artesãs, tomar um café da tarde, trocar ideias e conhecer trabalhos alheis. Que por sinal fez muito sucesso (podem ver como foram os encontros clicando aqui )

Mas o importante é que voltei com vontade de “agitar por aqui”. Já apresentei uma novidade que é a coluna da minha querida amiga Karollyne Pereira (todo primeiro sábado de cada mês) ela conta um pouco sobre o mundo do feltro.

E agora pretendo voltar com as entrevistas :) E não esqueçam, participem, comentem, mandem ideias, eu adoro isso :)

 

 

O que te motiva a ser crafter?

Tudo. O fato de amar o que se faz, já é motivador :)

Fico muito feliz em sentir o carinho das clientes dizendo que gostaram do meu trabalho, é muito gratificante e faz com que eu me esforce e busque sempre me aperfeiçoar e dar o melhor de mim sempre!

A história que está por trás de cada encomenda, te envolve e parece que vc está fazendo aquilo para seu próprio filho (a). Não tem preço este sentimento.

 

 

Mensagem para quem esta começando

Tenha paciência e dedicação sempre.

Paciência para aprender, conhecer e esperar o retorno {carinho}  dos clientes. Não será de um dia pro outro que tudo será uma maravilha. Eu mesmo senti isso, desde 2008 foram muitos erros para aprender o verdadeiro espírito do negócio, muitos cursos, muitas leituras e muita e muita dedicação ao que estava disposta a fazer.

 

 

Nome completo: Michele Nunes Moreira
Marca:
Flor de Cheiro atelier
Cidade:
Joinville/SC
Onde encontrar:
Facebook: www.facebook.com/flordecheiroatelier
Loja virtual: www.elo7.com.br/flordecheiro
E-mail: flordecheiroatelier@gmail.com

 

Entrevista com Gabi Alberti

22 de outubro de 2012 4

Como começou?
Eu comecei no scrap recortando revistas e colando pra personalizar minhas agendas. E quando criança eu pintava minhas roupas, fiz móveis de jornal pra mim e outras coisas. Mas a parte decisiva mesmo foi quando fiz vários recortes de revistas pra encapar um álbum de 1 ano de namoro. Queria dar uma coisa diferente pro meu namorado! Daí encapei um álbum com recortes de revistas que tinham a ver com amor, paixão, etc. E coloquei várias fotos da gente e vários recadinhos. Eu adoreiiii e ele também. Daí uma amiga gostou e pediu que eu fizesse um pra ela também! Ela morava em SP e lá ela já conhecia o scrapbooking. Daí ela comprou uma revista de scrap e me deu! Foi minha primeira revista! Aí eu me apaixonei de vez pela arte do scrapbooking e comecei a pesquisar pra aprender mais!! E numa viagem pra Curitiba em 2008 eu achei uma loja e tinha uma aula acontecendo. Fiz de tudo pra conseguir participar e pra minha sorte uma aluna tinha faltado. E foi aí que tive o contato de verdade com o scrap. E eu ameiiiii mais ainda!! E a partir daí eu não parei mais!

 

 

De onde vem a inspiração?
Ahhh!! Se o trabalho for com fotos eu me inspiro nas fotos. Adorooo olhar as fotos e trabalhar com elas. Agora se for um trabalho sem foto eu me inspiro nas coisas que o cliente escreve. Então me inspiro nos sentimentos do cliente. Mas é lógicoooo que pra não ficar fora das coisas novas que estão acontecendo por aí eu passeio muiiiito na net e me inspiro com as coisas lindas que outras scrapers fazem!

 

 

Você encontra com facilidade os materiais?
Materiais de scrap ainda são bem difíceis de encontrar em lojas físicas, e onde eu moro então, nem se fala. Moro no interior do Paraná, desde agosto de 2011. E as compras que fiz lá foram todas feitas na net. Mas na minha ex-cidade, Cuiabá, a gente já conseguia e consegue encontrar alguns materiais em lojas físicas. Mas a variedade ainda é pouca.

 

 

 

Vi que vc dá aula de artesanato, como funciona, como começou?
Quando eu conheci o scrap eu achei um ateliê em Cuiabá que tinha propaganda de aulas de scrap. Eu fui lá correndo pra ver se eu conseguia fazer mais aulas. Mas quando cheguei lá eles me disseram que as aulas ainda não haviam começado. Na verdade demorou demais pra começar porque a moça que seria professora ainda estava começando a aprender pra depois começar as aulas. Bom… aí eu fui aprendendo por mim mesma, e quando achei que já estava boa voltei lá no ateliê pra ver se eles não precisavam de uma professora de scrap. A dona do ateliê adorou meu trabalho, mas como o scrap mesmo já estava com outra professora, ela me chamou pra dar aulas de cartões de Natal (foi bem legal) e pediu se eu não me interessava em aprender cartonagem. Aí eu comecei a estudar e dei umas aulas de cartonagem. Ela me indicou pra um programa de TV local e fui lá ensinar a fazer uma bolsa de mão e deu até bastante repercussão. Mas foi bem aí que fui chamada pra trabalhar no Paraná e acabei me mudando pra lá. E por enquanto minhas vida de professora de artesanato está parada!! Rsrsrs…

 

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra você?
Tem sim! Eu gosto demais do álbum que fiz para o meu namorado, que foi meu começo no “scrap”. Mas tem uma página que eu gosto muito, que é com meu namorado!! E eu fiz um mini-álbum uma vez que eu gostei muiiiito de fazer! Um rapaz encomendou ele comigo pra dar pra menina que ele gostava. A idéia era mostrar pra ela o quanto ele a amava. E deu certo! Ficou a coisa mais linda e super com sentimento!

 

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais.
Tem preferência por algum passo?

O que me deixa com problemas é a escolha dos papéis. Eu tenho um gosto por cores fortes e vibrantes. E alguns clientes preferem tons mais suaves e aí o bicho pega! Tenho que me concentrar bastante pra conseguir fazer do jeito que o cliente gosta. Tenho sorte! Até agora isso tem dado certo! Ainda não tive problemas!! Rsrsr… E o que eu gosto mesmo é de separar os papéis que combinam entre si pra deixar o trabalho mais fácil.

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que fez?
Já sim!! E as vezes eu ficava até triste. Já estraguei papel demais e isso dói no coração de uma scraper (kkkkkkkkkkkkk). Quando fico sem inspiração eu paro tudo e vou fazer outra coisa. Não adianta ficar forçando! A inspiração tem que vir naturalmente. E se não vier, paciência. Mas as vezes ela falta pra uma peça mas não falta pra outra. Então nessas horas eu me foco na peça que ainda estou conseguindo fazer!! hahaha

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?
Eu só gosto de silencio pra dormir. Kkkkkkkkkk Não dou conta de ficar em casa com a TV desligada. Então se for possível, a TV estará sempre ligada. Mas o silêncio não me impede de criar uma peça!

 

O que te motiva a ser crafter?
Ahh que pergunta difícil. Eu não sei! Só sei que quando estou trabalhando em algum projeto eu fico mais feliz que tudo! O tempo passa e eu não vejo e se eu pudesse eu ficaria to tempo todo ali, mexendo nos meus papéis!! Rsrsrs… Mas quando a peça está pronta e o cliente está com ela em mãos e você percebe que seu trabalho fez alguém feliz, uma alegria imensa toma conta do meu coração.

 

 

Mensagem para quem esta começando:
Uma dica pra quem está começando no scrapbooking: NÃO TENHA DÓ DE USAR SEUS PAPÉIS!!! GASTE ELES SEM MEDO!! Já fiz alguns projetos sem graça e toscos porque eu tinha dó de usar os papéis. Mas já aprendi a lição! Não economizo mais papel.

E pra quem está no artesanato em geral, eu digo pra ir com calma, estudar bastante e caprichar no acabamento do trabalho. Pequenos detalhes fazem grande diferença. E o principal é fazer por amor. Se for só por obrigação, seu trabalho não vai despertar sentimento em ninguém e ele não vai ter graça!

 

Onde encontrar:

Nome : Gabriela Ernesta Alberti

Cidade:   Viçosa – MG

Meu blog de scrap e outras artes é o ScrapBi: http://www.scrapbi.com.br/

Tenho também um blog de fotografia (gosto demais disse e to estudando pra melhorar) http://gabialberti.blogspot.com/

E do Scrapeteiras: http://scrapeteiras.blogspot.com/

Entrevista com Camila Santos

14 de julho de 2012 3

COMO VC COMEÇOU?

Creio que devo ter começado como a maioria das Craft’s, buscando no artesanato uma distração a ser feita por puro prazer. E em pouco tempo, eu diria que antes mesmo que eu pudesse realmente começar, me vi fazendo imãs de geladeira para a banca de jornal onde comprei as primeiras revistas. Dai começaram os presentes, encomendas de amigos, muitos incentivos e para montar um BLOG (sim, eu comecei com um singelo Blogspot), foi questão de tempo. Primeiro trabalhei pensando em fazer um artesanato que retratasse a cultura nordestina pois eu moro a 20 anos na Paraíba, mas com o tempo e por influência também do curso de Histórias em Quadrinhos meu trabalho foi ganhando uma cara mais cartoon. O que deu uma identidade nova para os bonecos e também para meus desenhos.

 

 

DE ONDE VEM A INSPIRAÇÃO?

Na sua maioria, minha inspiração vem dos desenhos animados. Fã declarada de grandes nomes como Disney, Pixar e Maurício de Souza, não abro mão de um bom DVD para passar o tempo e buscar referências. Também desenho bastante (desde menina), o que ajuda ainda mais a desenvolver a modelagem. Há um ano também voltei a estudar quadrinhos num curso de desenho que faço, também buscando sempre uma nova capacitação.

 

 

VOCÊ ENCONTRA COM FACILIDADE OS MATERIAIS? ONDE ENCONTRA?

Moro em uma Capital, e aqui não é difícil de encontrar os materiais. Quando eu quero algo mais sofisticado ou diferente, recorro à internet, mas em sua maioria compro na cidade onde moro.

 

 

COMO É A SUA ROTINA?

No momento minha rotina se divide entre me preparar para ingressar em um Mestrado futuramente, os passeios matinais com minha mascotinha (uma Lhasa Apso de 4 anos) e o atelier. Durante a tarde gosto de revisar o andamento das encomendas e reservo sempre um ou dois dias da semana para ir ao comércio, enviar encomendas, dentre outras coisas. O período da noite é o meu predileto! Não tem jeito mesmo, sou uma notívaga assumida. É quando respondo meus e-mail’s, visito as redes sociais, faço algumas pesquisas e trabalho com a tranquilidade que tanto adoro na confecção das peças.

 

 

VI QUE VC DÁ AULA DE ARTESANATO, COMO FUNCIONA, COMO COMEÇOU?

Começou depois de dois anos trabalhando em lojas de artesanato como balconista. Na época um patrão meu observou-me tirando as dúvidas de uma cliente e apostou na ideia de me colocar como professora da loja em questão. Deu tão certo que criei coragem e comecei a trabalhar por minha conta. Dai em diante fui me cadastrando em projetos, feiras, instituições, às vezes dando aulas, e em sua maioria divulgando meus trabalhos.

 

 

TEM ALGUMA PEÇA QUE SIGNIFICA OU SIGNIFICOU MAIS PRA VC?

Todas as peças tem um lugar especial em meu coração. Vê-las prontas é um prazer que se repete a cada encomenda. Mas uma cerejeira de 12cm em que trabalhei durante 5 meses tem um sabor especial (foto acima). Eu a fiz pra mim, então entre uma encomenda e outra, no meu tempo livre, ia dando forma a pequenina. É uma das peças mais delicadas e trabalhosas que já fiz.

Em seguida veem os meus palhacinhos (foto acima), em especial as palhacinhas, pois apesar de ter pavor de palhaços… Isso mesmo! Se um palhaço estiver vindo em minha direção, sou capaz de atravessar a rua só para não cruzar com ele. Mesmo com todo esse medo, ainda sim são uma das peças que mais curto fazer.

 

 

NA CRIAÇÃO DE UMA PEÇA, O QUE DÁ MAIS TRABALHO/E QUAL TE ENVOLVE MAIS. VC TEM PREFERENCIA POR ALGUM PASSO?

O que da mais trabalho na hora de montar uma peça é a estrutura que faço para sustentar as caricaturas, pois é uma parte demorada. Os detalhes seguintes são minha fase predileta, que é justamente aonde a peça vai ganhando forma. Quando estão finalizadas, é mais um pequeno boneco pronto para partir.

 

JÁ ACONTECEU DE NÃO TER INSPIRAÇÃO? O QUE VC FEZ?

Já sim, algumas vezes. Nestas horas eu dou uma pausa, vou assistir a um bom filme, navegar na interet ou mesmo brincar com minha mascote. Sair do ambiente onde travei e respirar outros “ares” sempre ajuda. Quando acontece do trabalho realmente não render nada, me arrumo e vou dar uma volta no comércio ou mesmo no shopping. Ajuda a aguçar um pouco mais minha criatividade.

 

 

NO PROCESSO DE CRIAÇÃO (PRODUÇÃO) PREFERE FICAR EM SILÊNCIO, ASSISTIR OU OUVIR MÚSICA?

Depende muito da peça que estou fazendo, mas em sua maioria escuto música no pc ou sintonizo uma rádio online. Mas se a peça tem haver com algum personagem de desenho geralmente estou vendo o DVD dele.

 

 

O QUE TE MOTIVA A SER CRAFTER?

Viver uma história diferente em cada nova peça e assim poder fazer parte dela de alguma forma. Criar me motiva a continuar buscando mais e mais qualidade para meu trabalho.

 

 

MENSAGEM PARA QUEM ESTA COMEÇANDO:

Nem sempre tudo será um mar de rosas, ou seu fornecedor vai entregar tudo em dia ou todos os clientes serão fofos e paciente, mas tudo isso faz parte. Se desistir na primeira dificuldade não sentirá mais a frente o gostinho de tarefa cumprida!

Vale apena cada experiência, cada queda, e cada nova conquista.

Ah! E não deixe de sempre buscar novas capacitações, fazer reciclagem, cursos de aperfeiçoamento, conhecer novas técnicas. Os grupos de artesanato são lugares bacanas para fazer amizade e aprender mais!

 

 

NOME COMPLETO: Camila Sousa dos Santos (mas pode chamar de Camila Santos)

CIDADE: de mudança para Curitiba!

ONDE ENCONTRAR: nos seguintes contatos:

Site: www.porongasonline.com

Flickr: www.flickr.com/phostos/caeles

Facebook: www.facebook.com/CamilaSantosPs

e-mail: sotnas25@hotmail.com

 

 

E não perca terça-feira um passo a passo lindo estará pintando por aqui, feito exclusivamente para o blog pela Camila.

 

Entrevista com Angeli Ribeiro Gattis

04 de junho de 2012 3

Como você começou?
Sempre  fui apaixona por revistas de ponto cruz e crochê e achei umas de biscuit.  Sempre tentei tudo sozinha e lá tinha uma receita, usei os produtos que tinha em casa. O creme não era o ideal e perdi o ponto da massa. Tempos depois encontrei uma menina que sabia fazer, dei o meu material pra ela e ela fez rolinhos de massa colorida fiquei apaixonada pelas cores e passei a noite fazendo todos os modelos da revista, vi que não havia dificuldade nenhuma e era um prazer, estava de licença maternidade em 2005. Era páscoa então e eu e minha cunhada que estava trabalhando em meio período, nos empenhamos a fazer  decoração em vidros de conserva e  o sucesso foi total. Veio o dia que ela casaria, e dei de presente uns bonequinhos simples, mas que achei lindos rsrsrrs.

Minha cunhada tinha internet no serviço dela e me trouxe umas fotos de noivos com a fisionomia real da pessoa fiquei impressionada achando que devia ser feito em alguma máquina em 3d.

Mas não, era feito a mão e um dia sem nada a fazer resolvi modelar um rosto masculino, e não é que deu certo!!! Fiquei maravilhada. Aí foi de boca em boca, primeiro na familia , depois amigos da familia, depois amigo dos amigos, até o Orkut facilitar para que todos vissem, me cadastrei no flikcr, no fotolog em todas as paginas que eu via os outros trabalhos e era gratuito me cadastrei.

Começaram os elogios, depois alguns pedidos, alguns de fora da cidade , nessa época trabalhava de secretária para meu marido, quando não tinha serviço era visitando fotos de outros artesãos e cada dia mais viciada. Final de semana era fazendo as encomendas, e elas começaram a render mais que meu salario de secretária  rsrsr.

Até que um dia chegou de eu arriscar, meu marido me demitiu, pra que eu pegasse seguro desemprego, cedeu uma parte da sua loja pra que eu fizesse uma lojinha, comprei  peças cruas e fazia  a massa em casa.

 

De onde vem a inspiração?
Primeiro eram outros artesãos, revistas e internet.

Agora eu não preciso criar, os clientes vem com o pedido pronto, com as ideias de pose , eu dou um toque se vai ou não ficar bom, mas a minha inspiração são as fotos dos próprios noivos e dos personagens infantis.

 

Você encontra com facilidade os materiais? São da cidade ou compra online?
A maioria ainda é online, tem apenas duas  lojas de artesanato, mas os preços são muito abusivos ainda, não discordo, mas se depender de loja assim não conseguimos lucrar, mas quando compramos direto do fabricante ou outras lojas em atacado ou lucro é visível.

Apenas as peças em mdf tem uma a marcenaria aqui que faz preço de revenda o restante a cidade campeã ainda é SP para encontrar material bom e barato.

 

Como é a sua rotina?
Hoje tenho um ateliê, ainda não tenho empresa, por causas das burocracias que impedem. Mas é um espaço só para a confecção do artesanato. Encaro como uma profissão séria, com horário comercial. Agendando cada entrega sem perder  nenhuma data. Apenas quando sobra tempo é que faço coisas pra loja.

Tenho duas ajudantes, que também aprenderam comigo. Dividi cada uma em um setor. Uma para a pintura em madeira e outra em biscuit lembrancinhas e peças mais simples. Eu fico com os noivos e peças grande, mais personalizadas. Sempre de olhos na finalização dos trabalhos delas e dando as vezes o meu toque , pra ficar com a cara da minha marca Bibelô.

Começo às 8h até às 18h na loja. Faço um segundo turno em casa levando encomenda pra terminar  e trabalho geralmente das 20h30 às 24h. Tenho dois filhos lindos e cresceram nesse ritmo. Hoje se páro pra ver um filme  ou novela,  já me sinto culpada, pensando se não tem nada pra fazer , heheh. To sempre fazendo algo, acho um desperdício de tempo ficar parada jogando conversa fora, se não tem nada mesmo, faço um crochê.  Divido o meu dia  em responder e-mails, atender direto os clientes e confeccionando  noivos.

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra você?
Acho que não tenho uma especial, talvez uma ou outra que foi mais desafio, achando que não daria conta e que tenha ficado lindo, mas uma em especial não, pois tenho pena de entregar  quando tá pronta, dá vontade de ficar pra mim. Mas o especial são os Noivos com a fisionomia real.

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais.
Tem preferência por algum passo?

O que exige mais concentração são os rostos  e o vestido da noiva. A preferência são os vestidos, pois é o  que dá o charme nas peças. Amo de paixão os personagens infantis baby. Adoro fazer peças pra bebê.
Isso no biscuit.

Mas quando quero relaxar eu pinto madeira, com temas country, considero o biscuit um dom de Deus, mas  a minha paixão é pintar (desenhar pintando).

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que fez?
Já sim. Fui pesquisar na internet. Aí piorou pois fiquei na dúvida de decidir qual o mais lindo,  aí crio uma peça inspirada em duas ou mais peças e fica com a minha cara.

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?
O silêncio é o melhor deles. Assistir, quando vc vê parou o trabalho e música as vezes é bom , por exemplo qdo estamos em mais gente na sala de trabalho ou quando  a peça é mais descontraida, qdo vc mesma vai criar uma peça sua. Mas quando vou copiar um personagem ou uma pessoa , com certeza o silêncio, o trabalho rende.

 

O que te motiva a ser crafter?
Acho que primeiro de tudo é o que eu gosto de verdade, parece que estou brincando. Ver no olho do cliente, que  aprovou o que esta recebendo, não tem preço para o artesão.  Pois ele encomenda algo que nem sabe como vai ficar, confiando em vc,  e vc tem que agradar, é um desafio. E eu nunca gostei das coisa  fáceis.

Depois é porque envolve um momento de felicidade da pessoa. um nascimento, um batizado, uma aniversário, um casamento, bodas, natal… sei lá só festa. até pra enfeitar a casa,

Outra, sempre terá alguém comemorando , nunca vai faltar cliente.

Por ultimo é ser reconhecido pelo Brasil todo e ter peças até fora do Brasil como EUA e Portugal.

Ter pessoas famosas comprando meus produtos. Saber que a pessoa famosa me indicou para uma conhecida, falar por telefone com os famosos, por webcam.  Ser procurada por um jornal para dar entrevista  rsrsr,  é muito gratificante.

 

Mensagem para quem esta começando
Nos primeiros meses o investimento para as ferramentas parece caro, mas é uma vez só, por isso já compre de qualidade pra não gastar duas vezes. Depois o custo é baixo  e o que vc ganha é só pelo teu esforço, vc nao precisa depender de investir alto pra tirar um lucro lá longe, é imediato. Exemplo uma loja de roupa, que vc lucra apenas uma porcentagem. comprou aquela peça é obrigada a vender , senão não lucra, aqui eu crio tudo. Não ficou bom , reformo.

Seja exigente consigo mesmo, separe o horário certo para seu trabalho, Faça das tripas coração, mas nunca, nunca deixe de entregar o trabalho da data marcada.

Olhe para suas peças, como se fosse pagar por elas, se você fosse comprar , qual defeito vc não gostaria de ver. Achou o defeito? conserte antes de entregar para seu cliente. Esteja sempre se atualizando, sempre tem algo novo a aprender ou a melhorar. Não desvalorize a sua obra, mas também não queira explorar . consulte outros artesãos pra ter ideia de valores.

 

 

Nome completo: Angeli Ribeiro Gattis

Marca: Bibelô Ateliê

Cidade: Joinville – SC

Onde encontrar: Rua Florianópolis, 1299 – Guanabara – 47 342-6559

Blog: www.bibelonoivinhos.blogspot.com

bibelo.atelie@hotmail.com

 

 

E quarta-feira tem o passo a passo destes noivinhos. Não perca.

 

Entrevista com Rafaela Posser

23 de maio de 2012 7

Como vc começou?

Sempre gostei de itens artesanais. Quando pequena, costurava as roupinhas de minhas bonecas e adorava! Na adolescência iniciei curso de pintura e desenho, mas não fui adiante. Em 2007 conheci a decoupage e o feltro. Pintei muitas caixinhas de MDF e montei vários quadros em arte francesa, mas o feltro é minha paixão!

 

De onde vem a inspiração?

De tudo. Qualquer situação do dia a dia serve de inspiração, às vezes uma simples frase de uma cliente faz a imaginação voar! Acompanho muitos blogs, visito sites de decoração e itens para bebês, sempre estou comprando revistas… tudo isso ajuda muito!

 

Você encontra com facilidade os materiais? São da cidade ou compra online?

Moro em uma cidade pequena, no interior do MT e por aqui não encontro muita coisa, apenas o básico. Então a maioria dos materiais de que necessito são adquiridos em lojas virtuais ou quando viajo para cidades maiores.

 

Como é a sua rotina?

Sou formada em direito e exerço a advocacia. A minha rotina é bem corrida. Acordo cedinho, por volta das 5:00 – 5:30 horas, e sigo para a academia. Volto e passo o dia inteiro no escritório. À noite e aos sábados dedico-me ao artesanato, com exceção das quartas-feiras, que é o dia em que frequento uma pós-graduação. Sou muito ativa, assim ocupo praticamente todo o tempo que fico em casa para desenvolver meus trabalhos em feltro. Como ainda não tenho filhos, consigo conciliar bem essas funções.

 

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra vc?

Certa vez quis presentear uma amiga gestante com um enfeite de maternidade, mas queria fazer algo diferente dos habituais quadros. Então resolvi confeccionar o nome do bebê em feltro e acho que acertei, pois além dela ficar super feliz, outras pessoas viram o enfeite e fizeram pedidos. Essa criação completou dois anos e durante esse tempo já montei diversos outros enfeites de maternidade no mesmo estilo, cada qual adequado a decoração do quartinho do bebê.

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais.
Tem preferência por algum passo?

Considero todo o procedimento envolvente. Faço tudo com muito cuidado e carinho… se um pontinho ficou fora do lugar, desmancho tudo para começar de novo. E gasto horas e horas escolhendo os materiais adequados, cada botãozinho que poderá ser usado no enfeite, ou a melhor fitinha para a montagem dos chaveiros, o melhor tecido para aplicar no quadrinho… até na hora de separar as cores dos feltros, caso a cliente não esteja certa do que escolher, eu gasto horas… rs. São tantas opções de combinações, que não é incomum a idéia original sofrer mudanças, rs.

Mas, para manter a ordem, é importante seguir um “itinerário”, senão fico perdidinha! Assim, prefiro primeiro separar moldes e riscar as idéias (o que já se vão horas!). Após isso estar definido, separo as cores dos feltros e recorto tudo. Quando estou com muitos pedidos em andamento, minha mãe me ajuda nos cortes dos feltros. Depois de todo o feltro estar recortado, passo para a costura, que é inteiramente feita à mão. Como meu trabalho basicamente são enfeites de maternidade e lembrancinhas, acho que agir dessa maneira faz render mais o tempo.

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que vc fez?

Sim, já aconteceu sim. Normalmente isso acontece quando estou muito cansada. Aí, o melhor a fazer é não insistir nas costuras, porque dá tudo errado! rs. Assistir um filme, fazer uma caminhada, navegar na internet são algumas das alternativas que busco. Se nada disso ajudar, deixo para voltar ao artesanato somente no dia seguinte.

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?

Gosto de manter a televisão ligada, para acompanhar notícias e programas.

 

O que te motiva a ser crafter?

Eu simplesmente AMO fazer artesanato. É uma sensação ótima ver todo trabalho finalizado!

Além disso – e creio que muito mais importante – é uma alegria imensa saber que seu produto participou de um momento especial da vida de alguém. Isso é um registro para a vida toda!

 

Mensagem para quem esta começando:

Se você gosta de artesanato, nunca desista! É muito importante persistir, estudar e pesquisar. Se na hora que desenvolver algo, não sair da forma como imaginou, não desanime! É com o tempo que conseguimos aprimorar e somente com a prática alcançamos o nosso ideal!

 

Nome completo: Rafaela Posser

Marca: Carambola Feltro

Cidade: Primavera do Leste/MT

Onde encontrar: www.elo7.com/carambola

http://www.flickr.com/photos/carambolaefeltro/

 

 

E não perca na edição de hoje do caderno Morar (coluna Baú de Ideias),

do Jornal A Notícia você confere o passo a passo desta linda borboleta.

 

 

segue molde da borboletinha

 

Entrevista com Elisabete Cristina Pessoto Rocco

16 de maio de 2012 0


Eu sempre gostei de artesanatos.  Desde pequena minha tia Isabel, me ensinou a pintar pano de pratos, cartões em papel vegetal, mais tarde fiz curso de bonecas de porcelanas.  Assim fui indo. Com o tempo acabei dando uma parada no artesanato, casei, mudei de Estado. Só em 2008 quando descobrimos que não poderíamos ter filhos e passamos por uma fase complicada, entramos na fila da adoção e fui orientada pela minha médica para fazer um artesanato como uma terapia para passar o tempo e me distrair. Ai fiz aulas à noite,  pintava tecido,  mas não me encontrei..  ai fui fazer curso de pintura em madeira MDF e adorei não parei mais.. um ano depois eu abri meu site no Elo 7, meu sonho é um dia poder abrir o ateliê Beth Arteira, para expor meu trabalho e ficar pintando o dia todo..

 

De onde vem a inspiração?
A inspiração vem da curiosidade de aprender, procurar na internet novas técnicas e assim fazer para ver como fica com esta decoupagem, tecido.. Vejo um guardanapo de papel já fico imaginando em qual peça ficaria bom .. mas a melhor inspiração é uma cliente relatando como quer que eu faça a sua peça, escolhendo cor, decoupagem, técnica. Enfim, é muito bom.

Você encontra com facilidade os materiais?
Nem sempre, às vezes tenho que bater muita perna, todas as pecas que faço coloco no site, procuro ter uma grande variedade pois muda muito gosto de uma pessoa para outra.
Eu compro em diversos locais da cidade e também em São Paulo (lá tem uma variedade enorme de decoupagens, pecas em MDF, Stencil e ótimo preço).

Como é a sua rotina?
Minha rotina é trabalhar na RHBrasil durante a semana na área da cobrança, correr com o material das encomendas nos horários de almoço e a noite, para fazer nos finais de semana, minha sogra mora na praia e faz o fundo, com isso ganho tempo para fazer os acabamentos..

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra vc?
A tem a primeira caixinha que fiz, eu a guardo com muito carinho.

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais. vc tem preferência por algum passo?
O maior trabalho é o fundo, não gosto que fique manchado, passo duas camadas de tinta na cor palha, lixo e depois mais uma para o acabamento. dependendo da peça ainda faço um chapiscado para ficar bonito. Mas o acabamento é minha paixão, colar a decoupagem, fazer os detalhes no enxoval de bebê é bom demais.

Já aconteceu de não ter inspiração? O que vc fez?
Sim, fui para internet ver técnicas novas e deu certo..

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?
Normalmente estou ouvindo rádio, quando estou em casa noite pintando. Mas aos finais de semana na minha casa da praia e só o silencio mesmo.

O que te motiva a ser crafter?
Ver a peça pronta…. ter o  ” orgulho” fui eu quem fiz e ter minhas clientes contentes com meu trabalho.

Mensagem para quem esta começando:

Artesanato é uma arte, acredito que todo mundo tem um dom é só procurar o que mais gosta e a melhor terapia que pode ter.. Não desista de tentar, não ficou bom a primeira.. tudo bem, e só lixar fazer de novo coloque outra decoupagem outra cor.. que o final fica lindo.

Nome completo: Elisabete Cristina Pessoto Rocco
Marca:
Atelie Beth Arteira
Cidade:
Joinville – SC
Onde encontrar: http://www.elo7.com.br/ateliebetharteira

 

E no passo a passo desta semana na edição impressa confira um quadro feito com decòupage.

Entrevista com Juliane Behs

02 de maio de 2012 2

Como vc começou?

Meu contato com artesanato começou aos trezes anos em uma aula de técnicas domésticas (não sei se isso existe ainda) em que a professora nos ensinou ponto cruz. Depois daí não parei mais. Fiz enxovais para as afilhadas, presentes, quadros para amigas gestantes. Depois em 2004, quando tive meu filho vinhamos muito para o litoral no inverno e como eu não podia sair muito com ele, resolvi começar a fazer decoupage. Surgiram muitas encomendas e desde então nunca mais parei. Hoje me divido entre tintas, linhas, feltros e tecidos. O último a minha mais nova paixão.

 

De onde vem a inspiração?

A inspiração vem de todos os lugares. Revistas, lojas de  artesanato, peças de roupas em que uma pessoa esteja usando e  internet, que é a que mais eu utilizo.

 

Você encontra com facilidade os materiais?

Sempre compro materiais quando vou para a cidade da minha mãe, que é próximo de Porto Alegre ou pela internet, que hoje te dá muitas opções. Há dois anos e meio me mudei de Porto Alegre para o litoral norte do RS, aqui não tenho tanta opção como tinha na capital, então por aqui compro só o básico mesmo.

 

Como é a sua rotina?

Minha rotina com o artesanato se mistura com a rotina da casa. Pela manhã arrumo a minha casa, leio os e-mails, me atualizo, atualizo o blog. Gosto mesmo é de trabalhar na parte da tarde e à noite, é onde rendo mais. Trabalhar em casa é muito bom, mas exige muita disciplina e organização.

 

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra vc?

Sim, teve um quadro em ponto cruz que fiz. Era enorme, cheio de detalhes e trocas de cores. O quadro foi para uma amiga que estava grávida e sabia bordar, mas tinha problemas sérios de tendinite. E eu que não resisto ao pedido de uma mamãe grávida, fiz com todo carinho. Entrava madrugada a dentro bordando, pois trabalhava e precisava entregar antes que o bebê nascesse. No final valeu a pena, um tempo depois ela me enviou uma foto do quadro pendurado em cima da bercinho do bebê, e ela feliz da vida com o seu bebê no colo.

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/
e qual te envolve mais. vc tem preferência por algum passo?

O que me dá mais trabalho é o começo. Demoro projetando, pensando o que fica melhor, exijo muito de mim mesma. A minha preferência são os acabamentos, adoro ver o trabalho finalizado.

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que vc fez?

Tem dias que você pode estar com a maior vontade de criar, trabalhar, mas a inspiração não aparece. Quando isso acontece, largo tudo e vou fazer qualquer outra coisa, internet, afazeres de casa, brincar com o filhote.

 

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?

Sempre trabalho com a televisão ligada. Muitas vezes nem presto atenção no que está passando, mas preciso do “barulhinho”.

 

O que te motiva a ser crafter?

Me motiva é a delícia de se trabalhar com materiais lindos, coloridos e no final ter o reconhecimento estampado nas palavras ou no olhar de quem recebe a sua encomenda. Isso não tem preço.

 

Mensagem para quem esta começando: Procure algo que se identifique e goste de fazer. Tenha disciplina, Se recicle sempre, pesquise e por último uma dica: quando tiver uma ideia, anote. Pois às vezes deixamos passar e acabamos esquecendo.

 

 

Nome completo: Juliane Behs

Marca: Ju Arte na Praia

Cidade: Tramandaí/RS

Onde encontrar:

No Flickr: www.flickr.com/juartenapraia
No Elo 7
: www.elo7.com.br/juartenapraia
Blog:
www.juartenapraia.blogspot.com
Contato: juartenapraia@hotmail.com

Entrevista com Andreia Conte

25 de abril de 2012 2

Como você começou?
Tudo começou por acaso em 2008, quando estava passando um feriado em São Paulo na casa da minha irmã. Eu estava navegando na internet a procura de algo que pudesse me dar alguma idéia de trabalho, o qual também pudesse conciliar o tempo com os meus três filhos, ou seja, alguma ocupação profissional em casa. Então surgiu uma idéia e com o incentivo da minha irmã, foi quando iniciei os kits para festas infantis, apostando no novo trabalho e acreditando que iria dar certo. Mas o que eu não sabia e nem imaginava é o quanto eu poderia me identificar e achar tão bom e satisfatório trabalhar neste mundo maravilhoso de ideais.

Quando comecei não personalizava com fotos e nomes, era somente o tema, mas comecei a achar que faltava algo, então fiz o curso de photoshop e agora eu mesma faço o material personalizado. E é nestes pequenos detalhes que está à paixão e a vontade de fazer cada vez melhor.

 

 

De onde vem a inspiração?
Sempre estou pesquisando na internet, participando de workshops, procurando novas idéias, modelos e também trabalhando bastante com a criatividade, inovando e desta forma tentando sempre agradar meus clientes.

 

Você encontra com facilidade os materiais?  São da cidade ou compra online?
O material que uso não encontro com muita facilidade, em Joinville consigo apenas os acabamentos e enfeites, já a maioria que vem a ser o material personalizado compro tudo online.

 

Como é sua rotina?
Como trabalho em casa e tenho três filhos, minha rotina é um pouco difícil, mas tento conciliar tudo. Geralmente começo às 9horas,  mas nunca tenho hora para terminar. E  quando começa o dia e este é de entrega, aí sim tenho certeza que não sei quando irei parar, já cheguei a virar noites trabalhando. Mas quando vejo meu trabalho todo pronto e que consegui mais uma entrega, percebo que a satisfação é maior que o cansaço.

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais para você?
Não tenho nenhuma peça em especial, pois todo material que faço considero muito importante, pois o meu único objetivo é satisfazer meus clientes, sempre procurando deixar uma boa impressão da qualidade do meu trabalho.

 

Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais.
Você tem preferência por algum passo?

A parte mais trabalhosa, na verdade é aquela que menos gosto, que é fazer os recortes nos moldes, mas que se faz necessária. E o que eu gosto e adoro fazer são as artes e enfeitar as embalagens, aquela que eu posso usar toda a minha criatividade, e quando vejo tudo pronto, fico muito satisfeita.

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que você fez?
Já! E algumas vezes! Mas aprendi que quando isto acontece tenho que deixar passar um tempo, ou seja, me dar um tempo, e quando menos espero, tudo volta e com muita inspiração.

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?
Prefiro ficar sozinha e quando possível ouvir uma boa música.


O que te motiva a ser crafter?
Gosto muito do que faço, foi uma maravilhosa descoberta em minha vida. Acredito que se todas as pessoas pudessem expressar seus sentimentos (carinho, dedicação e alegria) através de seu trabalho seriam muito mais felizes.

 

Mensagem para quem esta começando:
Acredite naquilo que você sabe fazer de melhor, algo que realmente goste de fazer, que se identifique com você. Desta forma você estará fazendo tudo com dedicação e amor e também terá paciência para esperar o resultado, pois nem sempre ele é imediato, mas que transmita àquele que venha comprar seu trabalho o amor, carinho e dedicação que embutido nele está, porque isto sim é trabalhar com artesanato. E o principal, perseverança sempre!

 

 

Nome completo: Andreia Conte

Marca: Fricotes Festas Personalizadas

Cidade: Joinville/SC

Onde encontrar: www.fricotes_cia.eev.com.br

(47) 3427-5114 / 8852-7141 / 8472-4769

e-mail: fricotes_cia@hotmail.com

 

 

E hoje na edição impressa não perca o lindo passo a passo, logo abaixo o molde do arquivo.

 

e aqui o molde

Entrevista com Monice Terra

11 de abril de 2012 2

Como vc começou?
Comecei a me aventurar com os tecidos quando era criança, fazendo roupinhas para as minhas bonecas, depois durante a faculdade de Decoração de Interiores a paixão foi aumentando, assim em 2006 começei a produzir minhas primeiras peças.

 

De onde vem a inspiração?
De tudo. Do jardim, das pessoas ao meu redor, da minha família, mas principalmente do universo infantil e suas fantasias.

 

Você encontra com facilidade os materiais?
Onde encontra? São da cidade ou compra online?

Encontrar todos os materiais de que preciso é bastante difícil, pois na minha cidade não temos lojas com muitas opções de materiais, por isso estou sempre catando peças na internet, ou em algumas cidades vizinhas, até porque quando vou a qualquer lugar estou sempre com a mente aberta observando o que pode ser útil para uma nova criação. Alguns materiais muito utilizados eu compro direto do distribuidor.

 

 

Como é a sua rotina?
Eu trabalho em casa, e como tenho filho pequeno as vezes é bastante conturbada. Mas geralmente acordo entre 6h30 ou 7horas da manhã preparo o café da família e assisto aos jornais na televisão. Começo a trabalhar em torno das 8h30, paro para almoçar e levar o filhote na escola e já aproveito para deixar as encomendas na agência dos Correios e volto para o atelier, apartir daí não tenho hora para parar de trabalhar.

 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra vc?
Eu amo todas as peças que faço, e cada uma tem uma história, quando se trabalha com bonecos estamos sempre acompanhados, porque cada um tem uma personalidade, parece que estão sempre querendo interagir conosco.

 


Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais.
Tem preferência por algum passo?

No momento da criação o que dá mais trabalho é montar o “quebra-cabeça”, fazer a junção de cada parte para que fique harmônico, eu gosto muito de escolher os composês, mas acho que a minha adoração é quando eu termino as feições de um boneco, parece o sopro de personalidade, o momento em que a peça ganha vida, hehehe.

 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que vc fez?
Sim. Procuro descansar nestes momentos (entenda-se descansar como arrumar outro trabalho que necessite de mim naquele momento), arrumar um canteiro no jardim, cuidar da organização do atelier, e em momentos mais críticos mudar os móveis de lugar.

 

No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?
Durante a criação mesmo que tenha algum som eu me desligo completamente, mas quando estou trabalhando numa peça normal para mim gosto de ter algum “barulho”, pode ser música, televisão, qualquer coisa.

 

O que te motiva a ser crafter?
Minha maior motivação é minha mente inquieta, adoro estar sempre criando, inventando e reinventando.

 

Mensagem para quem esta começando
Tente sempre fazer diferente, procure o teu estilo, assim o artesanato
vai sempre ser maravilhoso para ti!

 

Nome completo: Monice Moura Terra
Cidade: Mostardas/RS
Onde encontrar: http://almaterra.elo7.com.br
http://moniceterra.blogspot.com
http://www.facebook.com/#!/pages/Alma-Terra/153522831382140
http://www.flickr.com/photos/alma_terra/

 

 

E não perca na edição impressa um lindo passo a passo de
almofadinha porta alianças de Santo Antônio.

 

Entrevista com Waldirene Vieira

28 de março de 2012 3
Como começou?

Vou contar para vocês sobre a minha história com o feltro, eu o conheci em 1994, fiquei encantada com esse tecido pois ele não desfiava e podia ser costurado na mão, achei maravilhoso pois não tenho muita intimidade com a máquina de costura. Na época eu fazia pós-graduação, sou assistente social de formação, e comecei a fazer algumas peças para parentes e amigos sem nenhuma técnica e estudo. Alguns anos depois, em 2005, após minha gravidez, meu mundo tornou-se “cor-de-rosa” e me descobri enquanto mãe e me apaixonei sem volta pelo feltro. Estava terminando o mestrado, ministrava aulas na universidade e trabalhava na prefeitura como assistente social, uma correria infinita, tirei minha licença, terminei o mestrado e não voltei mais, foi uma opção difícil, mas hoje eu sei que foi o meu melhor caminho. Mergulhei no mundo do feltro e fui descobrindo uma gama de possibilidades, não parei mais, hoje é minha profissão.


De onde vem a inspiração?




Minha inspiração vem de todos os lugares, não somente de livros, revistas especializadas, sites nacionais e estrangeiros, tudo me inspira, uma viagem, programas de tv, textos e frases, uma ilustração, objetos, basta chamar minha atenção, sou muito detalhista e adoro desenhar, sempre desenhei, tenho facilidade.


Você encontra com facilidade os materiais? Onde encontra? São da cidade ou compra online?




A maioria dos materiais eu compro em São Paulo a “capital dos aviamentos”, tenho uma amiga querida que compra tudo o que eu preciso na 25 de março, faço compras online também, compro em sites estrangeiros e quando viajo procuro sempre por novidades!



Como é a sua rotina?




Quando trabalhamos em casa (home office) não escapamos da rotina do lar, pela manhã, afazeres domésticos, estudar com minha filha e almoço. É a tarde e a noite que me dedico ao meu mini ateliê e ao ateliê virtual (blog, redes sociais, emails) é quando consigo organizar melhor minhas atividades.


 

Tem alguma peça que significa ou significou mais pra vc?




Eu acredito que cada peça é única e tem um significado naquele momento, não tenho uma preferida, mas tenho um carinho especial pelos chapéus temáticos, pelos personagens do Pequeno Príncipe para festas infantis e os produtos para maternidade que me encantam.



Na criação de uma peça, o que dá mais trabalho/e qual te envolve mais.
Tem preferência por algum passo?

O que é mais trabalhoso para mim é a produção em série, por exemplo 50 unidades de uma peça só. E, também, os personagens infantis, é bem trabalhoso, pois você tem que acertar na réplica. O que me envolve mais são as peças exclusivas, os quadros de maternidade por exemplo, pensar nos detalhes, na personalização, no acabamento e ver concluído me deixa muito feliz.



 

Já aconteceu de não ter inspiração? O que vc fez?




Pode acontecer de você não ter “vontade/coragem” de começar um trabalho por algum motivo específico, mas não por falta de inspiração, isso eu tenho bem forte em mim, está em constante ebulição, sempre tenho projetos a desenvolver e ideias que quero por em prática, falta tempo.


No processo de criação (produção) prefere ficar em silêncio, assistir ou ouvir música?




Depende do momento, a música é sempre bem-vinda, tenho um canal no youtube e o deixo reproduzindo, quando não ouço música, ligo a tv ou fico no silêncio. Não tenho nada sistemático nesse sentido. Porém, eu adoro a companhia da minha gata, mesmo que ela durma a tarde toda (hehehe).

 

O que te motiva a ser crafter?




Essa é bem fácil de responder, ter meu negócio próprio, flexibilidade de horários, acompanhar de perto o desenvolvimento da minha filha, o prazer que sinto de dever cumprido quando entrego uma encomenda, a satisfação dos clientes, a minha dedicação de buscar aprendizado para melhorar o meu trabalho e ensinar um pouco do que sei, o reconhecimento do meu trabalho (essa entrevista é um exemplo) e de bonus conhecer muitas pessoas talentosas nesse mundo craft, esses são os grandes impulsionadores da minha profissão.


Mensagem para quem esta começando:
Minha mensagem é simples mas verdadeira “Faça por Amor” não há nada mais gratificante e prazeroso quando você faz o que gosta e ainda recebe por isso.
Nome completo: Waldirene Vieira
Cidade: São José/SC

Onde encontrar:
Blog: www.walartesanal.blogspot.com
Facebook: www.facebook.com/walartesanal
Flickr: www.flickr.com/walartesanal

E-mail: walartesanal@gmail.com

 

 

E na edição impressa (caderno Morar, A Notícia) você encontra um belíssimo trabalho.

O coelhinho sapeca.

segue o molde do coelhinho.