clicRBS
Nova busca - outros

Vale dos Vinhedos

14 out18:00

Workshop de fotografia ocorre neste sábado, no Vale dos Vinhedos

O fotógrafo Wagner Meneguzzi estará conduzindo neste sábado, 15, o 1º Workshop de Fotografia de Natureza no Vale dos Vinhedos. Os 15 participantes têm encontro marcado às 14h na sede da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale). As inscrições para o workshop ainda estão abertas e podem ser feitas pelo telefone (54) 3451.9601 ou pelo e-mail contato@valedosvinhedos.com.br.

Durante o encontro o fotógrafo estará passando conhecimentos teóricos e práticos para a produção de fotografia estilo Fine Arte. Para participar, basta ter uma câmera digital ou analógica e disposição para percorrer as colinas do roteiro.

A ação integra o Projeto Janelas de Olhar, lançado em julho com uma exposição fotográfica que reuniu imagens sociais e culturais do interior de Bento Gonçalves, especialmente do Vale dos Vinhedos, captadas pelo olhar de Wagner Meneguzzi. A obra composta por 12 imagens, sendo sete no outono e cinco no verão, esteve em exposição na sede da Aprovale entre julho e agosto. O projeto tem a aprovação do Fundo Municipal de Cultura, através da Secretaria da Cultura de Bento Gonçalves.

O projeto contempla, ainda, um box de fotografias fine art para comercialização – uma forma de oportunizar ao turista uma lembrança do Vale. Os boxes estão sendo comercializados na sede da Aprovale a R$ 15 cada.

Comente aqui
29 set19:42

Vale dos Vinhedos sedia debate sobre futuros possíveis neste sábado


A mais importante região produtora de vinhos do Brasil é o cenário de um debate sobre futuros possíveis. Este é o tema do TEDx Vale dos Vinhedos, que reunirá 15 palestrantes nacionais e internacionais no próximo sábado (1º de outubro), no hotel Villa Michelon (RS 444, Km 18,9), situado no coração do Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS). O TEDx é uma edição independente da conferência Tecnologia, Entretenimento e Design, que ocorre na Califórnia (EUA).

O evento tem o objetivo de espalhar boas ideias. “Especialmente aquelas que poderão ser postas em prática daqui para diante”, explica o publicitário Alexandre Godoy, um dos organizadores do TEDxValedosVinhedos. A partir das 10h, os 15 experts convidados terão 18 minutos cada um para apresentar novas ideias ao mundo em um palco decorado com 3.600 garrafas de vinhos das cantinas da região. “A intenção de cada um deles, nos mais variados temas, será compartilhar experiências e conhecimentos na tentativa de desvendar, projetar e planejar o futuro”, explica Godoy.

A plateia, a exemplo de outros eventos TEDx, foi selecionada com o objetivo de compor um grupo heterogêneo e com potencial para espalhar ideias nos mais variados segmentos da sociedade. São pouco mais de 100 participantes escolhidos entre os mais de 400 inscritos, vindos de Porto Alegre, da região metropolitana da Capital, da Serra Gaúcha e de São Paulo. A cobertura on-line do evento será feita pelo twitter da Feevale (twitter.com/FeevalenoTEDxVV).


Palestrantes

Entre os 15 palestrantes, destaque para Bob Wollheim, especialista em empreendedorismo da geração Y, para a americana Nathalie Trutmann, que lidera o processo de inovação na FIAP, das melhores faculdades do Brasil, e para o talento local, Caroline Dani, de Flores da Cunha, doutoranda em Biotecnologia, cujas pesquisas recentes comprovaram vários benefícios do suco de uva pra saúde.

A ordem das palestras não será divulgada. “Tudo é importante, tudo compõe um mosaico que, junto, projeta futuros possíveis”, comenta o gerente de Marketing do Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho), Diego Bertolini, outro integrante da organização do TEDx Vale dos Vinhedos.

Novidades

Os TEDxsters serão surpreendidos por algumas novidade no Centro de Convenções do hotel Villa Michelon. Sete dos 50 bancos de ideias da Casa Brasil 2011 estarão espalhados pelo local. Cada um deles receberá uma identidade sonora especial e exclusiva, veiculadas por caixas de som direcionadas para eles, numa tecnologia inédita no país. Ainda no campo do som, a Dez Comunicação produziu um CD com 15 músicas, cada uma interpretando o tema dos palestrantes. Juntas, somam 18 minutos, o tempo máximo de uma palestra do TEDx.

As pessoas selecionadas para o evento devem comparecer ao local a partir das 9h. Para retirar o crachá, basta ter CPF e documento com foto em mãos.

Festa de encerramento

Na capital brasileira do vinho, o evento terá seu encerramento no preview da Aurora Boreal, maior festa open bar de espumante do Brasil, com Prosecco e Moscatel liberados até a meia-noite. A festa começa às 22h no Complexo Disco do Shopping L’américa (Av. 13 de maio, em Bento Gonçalves), com a presença dos DJs Valter Winkler, Rodrigo Reis, Metz e do VJ Saimon. Os ingressos antecipados custam R$ 20,00 (feminino) e R$ 30,00 (masculino). Pontos de venda e maiores informações sobre a festa no link www.digprod.com.br/preview-aurora-boreal-2011.


Comente aqui
27 set11:56

Deficientes visuais pedalam no Vale dos Vinhedos


Sentindo o Vale dos Vinhedos sobre duas rodas. Esta foi a experiência de quatro deficientes visuais que participaram do Passeio Ciclístico da Primavera na manhã deste domingo, 25. Conduzidos por guias em bicicletas duplas, eles percorreram os 5.300 metros pedalando. Um exemplo de superação em meio a mais de 200 ciclistas.  Famílias, grupos de amigos, ciclistas profissionais e turistas participaram do passeio que teve novo trajeto e paradas nas vinícolas para degustação de espumante, vinho, suco de uva e queijo.

As bicicletas iam chegando de todos os lados, algumas transportadas por veículos, outras conduzidas pelos próprios ciclistas. Gente de todas as idades e localidades, todas unidas para celebrar a chegada da estação das flores. A deficiente visual Juliana Peixoto conta que anda de bicicleta desde a infância. “Sempre gostei de andar de bicicleta. Primeiro foram com as bicicletas de rodinhas, depois as maiores, desde que conseguisse encostar os pés no chão. Depois, fiquei um tempo sem andar até que lançaram as bicicletas duplas”.


A participação foi viabilizada pela Associação dos Deficientes Visuais de Bento Gonçalves (ADVBG), que possui diversas bicicletas duplas para uso de seus associados. Inclusive, a entidade está retomando o projeto. Uma vez por semana os interessados pedalam no Sest Senat. Para Juliana, a experiência de pedalar no Vale dos Vinhedos foi maravilhosa. “O passeio foi gostoso. A sensação é de liberdade. Mesmo que eu não veja a paisagem o guia ia descrevendo durante o passeio. O lugar é lindo. Sentir o vento no rosto, o cheiro das flores, da grama cortada, é ótimo”, relata.

Esta é a terceira edição do evento e a maior de todas. O objetivo do Hotel Villa Michelon, promotor do evento, e da Escola Infoserv e Jamar Cia do Esporte, parceiros no projeto, é continuar apostando na prática do esporte como incentivo a saúde física e mental, ao bem-estar, as novas amizades e a confraternização. “O Passeio Ciclístico da Primavera já está no calendário de eventos do Vale dos Vinhedos. Vamos continuar inovando, lançando novos trajetos e atrações, mas sempre evidenciando o esporte como uma atividade saudável que pode estar aliada ao enoturismo”, destaca Moysés Michelon, diretor do Hotel Villa Michelon.

Com um trajeto de subidas e descidas, os ciclistas foram descobrindo o Vale a cada pedalada. Conforme iam avançando o percurso, um novo cenário, uma nova surpresa. Pausa para algumas fotos e de volta à bicicleta logo a primeira atração. Parada para degustar espumantes Vallontano, suco de uva Torcello e queijos Valbrenta. Um quilômetro adiante e nova parada. Agora na Almaúnica o vinho Merlot foi o anfitrião. De corpo e alma revigorados, todos percorreram o último trecho, sempre acompanhados por uma ampla estrutura de segurança, até chegar ao Villa Michelon. Lá, foram recebidos com Sucos Suvalan e biscoitos Isabela.

Cada participante também recebeu uma garrafinha de água personalizada. Ronaldo Casagrande e Raquel de Oliveira foram os ganhadores das diárias do Hotel Villa Michelon, sorteadas entre os ciclistas. Fernando Marcolin ficou com a bicicleta oferecida pela Jamar Cia do Esporte.

O sol deu seu show, conferindo a todos um autêntico dia de primavera. Em plena transformação, os vinhedos, que recém estão saindo de seu estado de dormência, já começam a brotar e o verde ganha múltiplas nuances. O passeio foi realizado na Estrada do Vinho, no Vale dos Vinhedos, com largada em frente a sede da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), apoiadora do evento.


Comente aqui
19 set16:41

Vinícola Dom Cândido celebra os 80 anos de seu fundador

O fundador da Dom Cândido Vinhos Finos, Cândido Valduga, se prepara para completar 80 anos. A vinícola organiza uma grande festa que reunirá filhos, netos e irmãos para comemorar em família a data. Para degustar, um vinho exclusivo, com marca própria e uma produção de apenas 3 mil garrafas. Cândido Valduga é marca registrada na Dom Cândido e no próprio Vale dos Vinhedos.

A comemoração desta trajetória será marcada pelo lançamento de um assemblage, que poderá ser degustado a partir do mês de outubro. Serão apenas 3 mil garrafas e a venda será exclusiva no varejo da vinícola. Aguardem!

Perfil

De olhar marcante, passos firmes e um sorriso honesto que esbanja jovialidade. Uma serenidade que deixa escapar toda experiência de uma vida dedicada a terra, ao vinho. Quem visita a Dom Cândido é recebido por ele, um autêntico contador de histórias.

Desde pequeno sempre acompanhou o pai, Marcos Valduga, na lida com o vinhedo. Ele ajudava a lavar as pipas, que abrigavam o vinho artesanal feito pela família para consumo próprio. A uva, já processada em vinho, era vendida para a Vinícola Rio-grandense – cerca de 30 mil litros por ano. A família também cultivava trigo, milho, feijão, tudo para a subsistência. O trabalho se estendia até o sábado à noite. No domingo, levantava às 6h para ir à missa. A igreja ficava a 6 km e este trecho era feito a pé. Folga só no domingo à tarde. Mas à noite o momento era dedicado a reza, e de joelhos.

Cândido Valduga recorda que tudo era feito a mão. “Não havia máquinas como hoje. Era bem mais difícil, mas era bom. Tínhamos tudo o que precisávamos. Comprávamos apenas o açúcar e o café, que íamos buscar a cavalo no centro da cidade”, conta. Logo que casou com Lourdes Gema Teston Valduga, aos 25 anos de idade, começou a vender uva para a rememorável Dreher. Os filhos Roberto, Celso, Marcos e Carlos ajudaram o pai na cultura do vinho e, logo, a área cultivada foi crescendo. Durante 29 anos, Cândido Valduga forneceu uva para a Dreher e também para a Tecnovin.

Em 1986 foi construída uma cantina: a Cândido Valduga e Filhos. No início, a uva era dividida entre o fornecimento para outras empresas e a própria produção. Seu Cândido, como é conhecido, foi o primeiro produtor do Vale dos Vinhedos a cultivar uma variedade vinífera, a Cabernet Franc, até hoje mantida pela vinícola. A iniciativa surpreendeu e animou a própria Dreher, que aproveitou a situação para investir na uva. Era apenas um hectare, mas foi o suficiente para despertar a atenção do setor para as uvas viníferas. Até então, as uvas americanas predominavam isoladamente.

Apreciador do vinho tinto Merlot e de um bom branco, este especialmente gelado e na praia, Cândido Valduga não deixa de cumprir sua rotina diária na Dom Cândido. É ele quem recebe os turistas que chegam à vinícola. E histórias é o que não faltam. Ao final do dia sempre reserva um tempo para ir ao bar da localidade para jogar bisca, tri-sete e quatrilho com os amigos.

O controle do varejo é tarefa do Seu Cândido. Além de coordenar o trabalho no setor, ele também é responsável pela compra dos embutidos, acessórios para vinho, geléias e artesanato comercializados no local. “Enquanto converso com os turistas o tempo vai passando. Só tem uma coisa que me preocupa. Eu não lembro de todas as pessoas quando elas retornam, o que não me agrada”, lamenta.

Sem se imaginar fazendo outra coisa, o patriarca recomenda para quem deseja o sucesso, honestidade, trabalho e saúde. “Ser honesto é a melhor coisa do mundo e o trabalho nos dá dignidade, pois nada cai do céu e problemas existem e sempre vão existir”, afirma. Mesmo com uma vida regrada por escolha própria, não descarta o copo de vinho e a boa comida. Tudo sem exageros.

A vinícola

A Dom Cândido Vinhos Finos é uma vinícola familiar instalada no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha. Com uma produção controlada, a vinícola aposta na elaboração de grandes vinhos em pequenos lotes. Desde sua fundação, a empresa ampliou seus vinhedos, hoje responsáveis por 100% da produção de seus vinhos e espumantes, cerca de 300 mil litros por ano. São 12 hectares só no Vale dos Vinhedos, onde cultivam uvas viníferas das variedades Marselan, Cabernet Sauvignon, Merlot e a branca Chardonnay. Em Veranópolis, município vizinho, a aposta é nas variedades Marselan, Malbec, Tannat e Alicante. Lá, a empresa possui 50 hectares, 32 destinados a vitivinicultura. A Dom Cândido foi a primeira vinícola do Brasil a lançar um vinho Marselan. Com identidade própria, o produto é um dos diferenciais da vinícola.

2 comentários
19 set14:27

Vale dos Vinhedos celebra chegada da primavera com passeio ciclístico

A primavera se inicia nesta quarta-feira, 21. Mas é no domingo, 25, que o Vale dos Vinhedos celebra o início da estação das flores com um passeio ciclístico, no mínimo, inusitado. Com moderação, os ciclistas serão convidados a degustar vinhos e espumantes nas paradas em vinícolas que integram o roteiro. Crianças e adolescentes, é claro, serão recebidos com suco de uva. O percurso inicia na sede da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale) e segue até o Hotel Villa Michelon, promotor da ação. São 5.300 metros com concentração às 9h30min.

Esta é a terceira edição do passeio, que também foi realizado no outono. Porém, esta é a primeira vez que os ciclistas farão paradas em vinícolas, integrando as atrações e produtos do roteiro ao passeio. O percurso é outra novidade. Para o diretor do Hotel Villa Michelon, Moysés Michelon, esta é uma forma de envolver os empreendimentos do Vale no projeto. “Queremos mostrar aos ciclistas que degustar vinho moderadamente também é saúde”, destaca.

Pelo caminho, os ciclistas farão paradas nas vinícolas Vallontano, Torcello e Almaúnica, além da Queijaria Valbrenta, para os adultos saborear na medida certa o terroir do Vale. Já para os menores de 18 anos a bebida será o suco de uva. Os participantes concorrerão ao sorteio de brindes e de uma bicicleta.

No primeiro pit stop os ciclistas viverão a experiência de degustar espumantes da Vallontano Vinho Nobres, brindando a primavera. Ao lado, na queijaria Valbrenta, a degustação de queijos e suco de uva da Vinícola Torcello. Dali, eles seguem o trajeto parando na Vinícola Almaúnica, onde poderão provar o Merlot Safra 2010. O passeio encerra no Hotel Villa Michelon.

Com a primavera, além do desabrochar das flores e da brotação dos vinhedos, também desperta o desejo de praticar esportes, passear e apreciar as belezas naturais da estação mais colorida e perfumada do ano. Sendo sinônimo de saúde, o Vale dos Vinhedos é o roteiro perfeito para quem procura novas experiências e quer estar de bem com a vida.

Cada participante receberá uma caixinha de Sucos Suvalan e uma garrafinha de água personalizada. A inscrição é gratuita e pode ser feita antecipadamente no Hotel Villa Michelon, na Escola Infoserv ou na Jamar Cia do Esporte, ou ainda no local. O ponto de chegada será no Villa Michelon com distribuição de brindes e sorteio de uma bicicleta.

Comente aqui
18 ago19:15

Diretoria da Associação Comunitária Vale dos Vinhedos é empossada

Sadi Lorenzini, representante da Linha 6 da Leopoldina – Capela das Neves acaba de assumir a presidência da Associação Comunitária Vale dos Vinhedos. Ele tomou posse nesta segunda-feira, 15, em evento realizado no Salão da Comunidade do Ceará, juntamente com os demais membros da diretoria, além de representantes de 11 comunidades que integram o Vale dos Vinhedos.

Criada com o objetivo de integrar as 11 comunidades do Vale dos Vinhedos, a Associação também quer valorizar os moradores de cada localidade, proporcionando atividades sociais, religiosas, culturais e desportivas. O presidente Sadi Lorenzini diz que o primeiro passo será montar um cronograma de reuniões para ouvir os moradores. “De forma itinerante estaremos nos reunindo uma vez por mês em cada uma das comunidades para apresentar nossas ideias e ouvir sugestões. Queremos que todos participem”, destaca. A primeira reunião será no mês de setembro em data e local a serem definidos.

A Associação já trabalha na captação de seus primeiros associados. “Quanto maior o envolvimento melhor será o resultado”, garante Lorenzini. Ele comenta, ainda, que a experiência de promover o 1º Filó Italiano Vale dos Vinhedos, em junho, foi aceita por todos os moradores e deve continuar a fazer parte da programação da Associação. “Vamos promover um filó por ano, percorrendo as comunidades do Vale dos Vinhedos. Também estamos estudando a realização de outros eventos”, ressalta.

A Aprovale, grande incentivadora da nova entidade, vem dando suporte e confirmando apoio para as ações futuras. O presidente Rogério Carlos Valduga enfatiza a importância da Associação Comunitária no desenvolvimento e manutenção do cotidiano das famílias que residem no Vale dos Vinhedos. “Fomentamos o surgimento desta Associação através da criação da diretoria de relações comunitárias. Desde o início de nossa gestão, em janeiro deste ano, buscamos o relacionamento próximo com a comunidade, apoiando e participando das ações locais. É gratificante ver que as coisas estão acontecendo”, comemora. Este trabalho vem sendo coordenado pelo diretor de Relações Comunitárias da Aprovale, Jandir Crestani

Comunidades do Vale dos Vinhedos

Linha Garibaldina, bairro Vinosul, Linha Ceará da Graciema, Linha 8 da Graciema, Linha 15 da Graciema, Linha Santa Lúcia, Linha 40 da Graciema, Linha 40 da Leopoldina, Capela das Almas da Linha Leopoldina, Capela das Neves da Linha 6 da Leopoldina e Linha Zemith.


Diretoria Gestão 2011-2013

Presidente – Sadi Lorenzini

Vice-presidente – Lasiê Batisti

Secretário – Remi Valduga

Tesoureiro – Jandir Crestani

Conselho Fiscal – Milton Sartori, Carlos de Bacco, Rubens Sartori

Suplentes – Volmir Conzatti, Jair Araldi, Avelino Lazzarotto


—————————————————-

Informações: Conceitocom Comunicação

Comente aqui
28 jul21:52

Vale dos Vinhedos é cenário para etapa do Circuito Empresarial Brasileiro de Tênis

O distrito do Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves, sedia de sexta-feira, 29 a domingo, 31 de julho, o Bento Gonçalves Business Cup de Tênis, etapa válida pelo Circuito Empresarial Brasileiro da Confederação Brasileira de Tênis. A competição acontecerá pelo segundo ano seguido no Hotel Vila Europa – Spa do Vinho. Os jogos ocorrem no sábado, 30 e valem para o Ranking Empresarial Brasileiro.

Conforme a organização, o evento terá a presença de diversos empresários e executivos do país e de dois dos maiores tenistas brasileiros da última década – Dácio Campos e José Amin Daher. Na noite de sábado será realizado um jantar de confraternização e de encerramento do torneio.“Em 2010, a etapa de Bento Gonçalves foi uma das mais elogiadas pelos participantes, que adoraram o clima da região e, além do tênis, puderam aproveitar a excepcional gastronomia local e, obviamente, também os vinhos.

O sucesso foi tanto que não havia dúvidas de que voltaríamos a fazer um torneio no Vale dos Vinhedos novamente”, garantiu Giuseppe Lo Russo, diretor da E-mind Soluções, um dos realizadores do evento oficial da Confederação Brasileira de Tênis em parceria com a Revista TÊNIS, publicação da Inner Editora, que também produz a revista ADEGA.

Confira a matéria da revista Tênis sobre a etapa anterior, realizada na Sociedade Harmonia de Tênis, em São Paulo: http://revistatenis.uol.com.br/Edicoes/93/artigo220046-1.asp

Comente aqui
15 jul15:30

Setor vitivinícola produz 1% da riqueza do Estado

A vitivinicultura, um setor com vocação primordial na Serra, é responsável por 1% do Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul. O número expressivo foi divulgado essa semana pelo economista Carlos Paiva, da Fundação de Estatística e Economia (FEE), no seminário Dimensionamento do Arranjo Vitivinícola Gaúcho e Custos da Produção Vinícola.

Segundo a pesquisa feita por Paiva, a produção de vinhos e derivados corresponde a quase 40% das riquezas produzidas pelo setor de bebidas no Rio Grande do Sul, cuja fatia do PIB gaúcho é de 2,55%.

— O desempenho positivo do setor é surpreendente, com uma performance excepcionalmente boa — avalia o economista.

O economista fez uma comparação do setor vitivinícola com outras cadeias produtivas do Estado para comprovar a importância da uva e seus produtos derivados para a economia gaúcha. O setor de laticínios, por exemplo, possui 1,5% do PIB gaúcho e o setor dos serviços industriais de utilidade pública (empresas de energia, gás e água, entre outras), gera apenas 0,5% da riqueza produzida no Estado.


— É impressionante que o setor vitivinícola seja responsável pelo dobro da geração de emprego e renda das empresas de energia — destaca Paiva.

Outro ponto ressaltado pelo economista é que todo o estudo foi baseado na Matriz de Insumo Produto, que elimina os efeitos de dupla contagem e extrai as importações interestaduais do valor agregado setorial. No estudo apresentado por Paiva, um produto teve destaque na produção vitivinícola: o suco de uva. Ele já representa 30% de todo PIB gerado pelo segmento.

— O setor está respondendo de forma criativa e eficiente à reestruturação que está obrigado a processar, tendo em vista o ingresso massivo de produtos importados. E isso se dá justamente pela mudança da matriz produtiva, investindo na diversificação, por meio do suco e dos espumantes — analisa Paiva.

O estudo ainda apontou um dado negativo para a produção vitivinícola: ao contrário de outros estados, onde há evolução de postos de trabalho no setor, a geração de empregos na indústria está estagnada no Rio Grande do Sul. O seminário foi realizado pelo Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho) e pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e foi promovido pelo Projeto Observinho.

ALGUNS NÚMEROS DO SETOR VITIVINÍCOLA
— 90% da produção brasileira de vinho é feita no Estado 
— 20 mil é o número de famílias produtoras do setor no Estado 
— 321,41 milhões de litros de vinhos e derivados foram produzidos no Estado em 2010 
— 526,89 milhões de quilos é a quantidade de uvas processadas em 2010 no Estado

Comente aqui
14 jul20:00

Família Larentis comemora os primeiros 10 anos de sua vinícola no Vale dos Vinhedos

A vida da Família Larentis no Vale dos Vinhedos é simples, mas prazerosa. O trabalho praticamente é o mesmo todos os dias, mudando conforme as estações do ano. Afinal, é a terra que determina qual será a próxima tarefa. Mas se tem uma coisa que nunca muda é o amor e a dedicação ao vinho, sentimentos que acompanham a família por gerações e que ajudaram a conquistar os primeiros 10 anos da Vinhos Larentis.

Todos, sem exceção – pais, filhos, netos e irmãos -, emprestaram seu tempo e suas habilidades para criar uma vinícola com jeito familiar. Quem visita a Vinhos Larentis tem a experiência de conhecer na prática um dia de trabalho de uma família que mora no Vale dos Vinhedos e vive da elaboração de vinhos. Larri, Celso e o patriarca Cilo Larentis são os responsáveis pelo cultivo e colheita das uvas, além da elaboração dos vinhos, sempre acompanhados pelo enólogo Alderico Sassi. Eles sempre estão no entorno da vinícola e nos finais de semana auxiliam no atendimento aos turistas.

Olivar é o responsável administrativo da cantina e o sobrinho André, que também é enólogo, é quem cuida da área comercial. A organização interna fica a cargo da matriarca da família, Romilda Larentis. É ela que tem o poder de manter todos unidos em torno das tradições, além de trabalhar na rotulagem e expedição. Mas é com Vera e Rejane que os visitantes se encantam. Afinal, são elas que fazem a recepção, visita guiada e degustação.

Todos vivem no Villaggio Larentis, o maior legado da família. Uma área nobre no Vale dos Vinhedos com 18 hectares, cultivada por vinhedos de variedades superiores como Cabernet Sauvignon, Marselan, Merlot, Pinotage, Ancellotta e a branca Chardonnay. A cultura é latente, com a preservação de costumes como o dialeto vêneto e a tradicional polenta nas refeições. Os cuidados são diários. E a recepção é sempre calorosa.

Mantendo a filosofia inicial de elaborar vinhos finos com qualidade superior em pequenos lotes, a empresa comemora sua primeira década com um novo sabor que, além de diversificar sua linha de produtos, também lança uma nova marca no mercado. A novidade será apresentada no coquetel de aniversário, que será oferecido para convidados no dia 27 de julho na própria vinícola.

Comente aqui
08 jul10:15

Vale dos Vinhedos recebe exposição ‘Janelas de Olhar’

Imagens sociais e culturais rurais de Bento Gonçalves, a maioria delas do Vale dos Vinhedos, foram captadas sob o olhar do fotógrafo Wagner Meneguzzi. A obra fotográfica composta por 12 imagens, sendo sete no outono e cinco no verão, estará em exposição a partir do dia 20 de julho na sede da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale). Trata-se do Projeto ‘Janelas de Olhar’, aprovado pelo Fundo Municipal de Cultura, através da Secretaria da Cultura de Bento Gonçalves.

De forma itinerante, a exposição inicia pelo Vale dos Vinhedos, onde o fotógrafo encontrou o apoio necessário para o desenvolvimento do projeto. Após 30 dias, ela seguirá para outro local ainda a ser definido. Segundo Wagner Meneguzzi, a praticidade dos paineis foi pensada justamente para facilitar a instalação em pontos como escolas, shopping centers, museus, órgãos públicos, entre outros.

Portador de um grande acervo fotográfico, Wagner resolveu aproveitar o material e ir além de uma exposição. Tanto é que o projeto contempla, ainda, o lançamento de um box de fotografias fine art para comercialização e um Workshop de Fotografia de Natureza do Vale que será realizado durante a primavera. “Não podia deixar este material se perder. E aliar exposição e comercialização com foco no turista é uma forma de ir além, oferecendo ao visitante a oportunidade de levar como lembrança uma paisagem cultural, além do vinho”, destaca.

O kit fotográfico é composto por um display expositivo e uma embalagem tipo box que permite acondicionar 12 fotografias fine art de paisagens e aspectos sociais e culturais rurais em Bento Gonçalves. Os boxes estarão sendo comercializados a R$ 15,00 cada. Também está previsto a doação de 100 kits para a Secretaria da Cultura para distribuição em escolas, Biblioteca Pública e entidades. O objetivo é democratizar o acesso, fruição e contato com a fotografia enquanto arte, permitindo aos professores explorar a obra como ferramenta no processo de aprendizagem em sala de aula.

Já o Workshop de Fotografia de Natureza, aberto a comunidade, estará transmitindo conhecimentos teóricos e práticos para produção deste tipo de fotografia no Vale dos Vinhedos. Para participar basta possuir uma câmera fotográfica digital ou analógica. Com uma duração média de cinco horas, o workshop estará oferecendo 15 vagas que poderão ser preenchidas mediante inscrição gratuita durante o período da exposição.

A Aprovale apresentou o projeto, para avaliação de apoio à Secretaria de Cultura de Bento Gonçalves, a fim de contribuir para a produção e oferta de materiais que promovam as paisagens e o registro fotográfico de aspectos sociais e culturais dos roteiros rurais do município para além de suas fronteiras. “O projeto contribuirá para promover não só o Vale dos Vinhedos como também os demais roteiros turísticos da cidade”, explica o presidente da Aprovale, Rogério Carlos Valduga.

O Projeto Cultural Janelas de Olhar compõe-se de quatro boxes de fotografias representando as quatro estações do ano. Entretanto, como o edital FMC 01/2010 estabelece um teto de R$ 12 mil para adequação, neste primeiro momento estão sendo publicados dois kits fotográficos. Após avaliação, o projeto será reapresentado enfocando o inverno e a primavera, a fim de concluir a ação na íntegra.

Quem é Wagner Meneguzzi?

Residente de Bento Gonçalves, o fotógrafo Wagner Meneguzzi trabalha profissionalmente com fotografia desde 1992. Profissional autodidata, ele utiliza a fotografia como ferramenta de educação e meio de expressão pessoal. Acumula cinco prêmios regionais de fotografia e já realizou mais de 15 exposições fotográficas com trabalhos próprios.

Sempre ligado a questões referentes à preservação da memória da cultura italiana e seu patrimônio histórico material e imaterial nas suas diversas manifestações, também pesquisa e coleciona negativos de vidro, fotografias e câmeras antigas do século XIX pertencentes à fotógrafos de renome da região.

Meneguzzi tem imagens publicadas em livros como Vale dos Vinhedos – História, Vinho e Vida de autoria de Maria S. Dalcin e Este Chão é Bento, recém lançado pela Prefeitura Municipal.

Comente aqui