Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Sete filhotinhos aguardam um novo lar em Alvorada

25 de novembro de 2011 33

Pessoal, recebi um e-mail da Andressa contando a história da sua cachorrinha, que deu à luz sete filhotes: 4 fêmeas e 3 machos. Eles são uma mistura de pitbull (pai) e collie (mãe) e estão para adoção.

Todos são muito carinhos, queridos e lindinhos. Precisam de donos fiéis, que lhes deem muito amor. O ideal é que sejam doados para alguém que more em casa, pois serão de porte médio e precisam de espaço.

Para adotar, fale com a Andressa através do e-mail bfreitas.andressa@gmail.com.

>>> Curta o Bicharada no Facebook!

Bookmark and Share

Comentários (33)

  • fabiana maliszewski diz: 25 de novembro de 2011

    Espero q encontrem um lar logo.O Karen já te mandei varios email te pedindo ajuda,poxa que chato tu ñ me responde.

  • Rosane diz: 25 de novembro de 2011

    Faltou uma foto da mãe dos filhotes!

  • Gilberto diz: 25 de novembro de 2011

    Eu tambem passei por esta situação (tambem em Alvorada), nossa cachorra (vira-lata mas muito bonita) deu a luz a 9 filhotes, eles já estavam com 50 dias e nos não conseguiamos doa-los, foi então que um domingo pela manhã coloquei os mesmos na frente da nossa casa e com um aviso de que queriamos doa-los consegui dar 4 filhotes, faltava doar 5, então pegamos o carro com a nossa plaquinha de doação e fomos para o Parque da Redenção em POA, lá em menos de 2 horas eu consegui doar os que sobraram, ta ai uma sugestão.

  • Gilmar Barro diz: 25 de novembro de 2011

    Sou de Xaxim, SC e tenho uma chácara onde posso colocar um filhote (macho). Irei para POA, no final do ano.Se puderes esperar até lá, trarei com o maior prazer, este filhote.

  • Julia diz: 25 de novembro de 2011

    Antes que alguém diga que a ato de cruzar nem sempre é da vontade do proprietário, a castração serve para evitar isso, né? E $ não é problema, pois hoje há lugares com castração a muito baixo custo.

  • Luciana diz: 25 de novembro de 2011

    Concordo Julia, vamos castrar nossos animais, não vamos procriar e cruzar cada vez mais raças indefinidas, pois o Pitbull tem caracteríscas propria da sua raça que são peculiares e que requer cuidados,quando cruzados com outra raça que não seja a sua se perde as caracteísca da sua propria raça e se perde o controle do animalzinho que vamos ter, ai os mesmos acabam sendo abandonados ou ta mal tratados. Nada contra os pobrezinhos mas sim com nos humanos que devemos e temos a responsabilidade com nossos bichanos.
    Por fim, tenho um pitbull puro e 8 gatos (abandonados todos na porta da minha casa) e fiz de tudo o que podia para castrar, hoje todos estão castrados.Se amanhã eu não puder mais cuida – los (por não estar mais aqui) fiz a minha parte, fica dica.

    Um bjuu

  • Patricia diz: 25 de novembro de 2011

    Espero que encontrem um lar e a mamae seja castrada.

  • Laura diz: 25 de novembro de 2011

    Ai! que amor! se eu pudesse pegava pra mim! tomara que encontrem um dono logo!

  • Eduardo diz: 25 de novembro de 2011

    Olá pessoal… Achei, na escola em que trabalho, um cachorrinho recém nascido, com cordão umbilical, olhinhos fechados e tudo… acho que tem 1 dia ou 2 de vida… trouxe para casa e estou cuidando (cheio de dúvidas, mas estou!)… gostaria de saber se estou fazendo certo em dar leite engrossado com uma pitada de maizena e uma clara de ovo… correto? foi uma receita que imaginei para ficar mais parecidinho com o leite da “mamãe”. O “problema” é que a danada (é uma cadelinha) chora com saudade da mãe o tempo todo, já esquentei bolsa térmica, mas mesmo assim ela prefere ficar com o “calor humano” de alguem encostando nela… mas tenho receio de “transmitir” algo para ela, devido ela ter a imunidade tão baixa… meu cachorro está adorando ela, vou esperar ela crescer um pouco e doar ela para o porteiro do meu condomínio que dias antes de eu encontrá-la havia perguntado se eu tinha algum cachorro para doar (pq sempre apareço com animais novinhos que meus alunos acham na rua e acabo doando para alguém que cuide e precise de carinho)… só falta eu me apegar a ela e não querer doá-la… nunca havia pegado alguma tão novinha, recém nascida!… quero só ver como será essa noite… hehehe
    abraço

  • Eduardo diz: 25 de novembro de 2011

    *** corrigindo: dou com a gema, e não a clara (não sei pq, mas recomendaram tirar a clara!)…
    estou aberto a dicas e sugestoes!
    Eduardo

  • vera lucia diz: 25 de novembro de 2011

    Concordo com a Julia,quem não tem condições de castrar, pode proteger a cadela quando está no cio, em algum lugar que não tenha acesso a rua, simples assim, até poder mandar castrar.

  • Regina kovalski diz: 25 de novembro de 2011

    Ressaltando o comentário acima, castra;ão é um ato de amor, evita se se tenha esses casos de ninhadas de filhotes indesejados.
    São tao lindos esses filhotes, tomara que ganhem em breve um lar e alguém q os ama.

  • R Fernando diz: 25 de novembro de 2011

    pitt bul com collie ? que temperamento pode ter este cachorro ?

  • Andressa diz: 28 de novembro de 2011

    Me chamo Andressa, sou a dona da Mel.

    Respondendo aos comentários, não castrei ela por falta de dinheiro sim e ao contrário do que disseram não é tão barato.Ongs? não encontrei.

    Fiz o que pude para ela não procriar…mas infelizmente não foi o suficiente.

    Mas nasceram filhotinhos lindos e amáveis.Só lamento não poder ficar com todos.

    Que temperamento R FERNANDO? São brabos sim, com estranhos, e com seus donos e amigos são muito carinhos e atenciosos.De uma inteligência invejável.

  • Lucia diz: 28 de novembro de 2011

    Castrar é o mais adequado, mas concorco e entendo a Andressa. Não é assim tão fácil pq nem sempre o custo baixo cabe no orçamento e tem tb o custo dos medicamentos. Digo isto pq já passei por tal situação e consegui castrar uma cachorra q adotei graças a veterinaria q parcelou a cirurgia. O importante é ajudar vamos deixar os julgamentos p/ outras questões. Se a Andressa não respeitasse os animais faria como muitos : jogaria na rua.

  • lucia diz: 28 de novembro de 2011

    olha R Fernando, com certeza o temperamento deles é bem melhor q o seu! Não julgue, se não ker ajudar guarde seus comentario infelizes!

  • Karen diz: 28 de novembro de 2011

    Oiee Eduardo!!

    Já passei por situações assim, e qdo perguntava para os veterinários, alguns me diziam que eu podia dar leite, outros diziam que não era pra dar, então eu sempre tive e até hj tenho essa dúvida, se pode ou não dar.
    Mas do jeito que tu está fazendo misturando eu nunca fiz, dava leite puro ou misturado com água, com medo de ser muito forte para a minha bebezinha, mas não dê por muito tempo, depois experimente misturar ração no leite ou na água pra dar pro filhotinho.
    Qto a ficar chorando, tente colocar um ursinho pra ele, a minha eu deixava dormir na cama comigo, daí ela não chorava, depois fui acostumando com ursinho.
    Se tu soubesse qm é a mãe dele dava pra pegar um pano e “esfregar” na mãe, depois colocar o filhote pra dormir em cima do pano, daí ele fica bem quietinho.
    Espero ter te ajudado.

  • Marcos Martins – APAAMA.ORG diz: 28 de novembro de 2011

    Para: Eduardo

    Como substituto do leite industrializado específico para filhotes de cães que você pode encontrar em Petshops, pode-se preparar uma receita caseira com:

    200ml de leite com lactose
    50 gramas de creme de leite
    ½ colher de sopa de manteiga
    1 gema de ovo

    Idade do cão Freqüência de mamadas Dose diária/100g de filhote papinha ração
    1a semana Cada 2 horas 13 ml
    2a semana Cada 3 horas 17 ml
    3a semana Cada 3 horas 20 ml
    4a semana Cada 4 horas 22 ml Introdução gradativa
    5a semana 2 a 3 vezes ao dia 2 a 4 vezes ao dia

    Já conseguimos salvar ninhadas com essa receita. Importante dar com mamadeira (dessas bem pequenininhas encontradas em farmácias) sempre com o filhote no seu colo de barriga para baixo, nunca de barriga para cima, pois o líquido pode ser inalado para os pulmões, causando afogamento.

  • Marcos Martins – APAAMA.ORG diz: 28 de novembro de 2011

    Nem todos meus animais são castrados.
    Esse negócio de “castração é um ato de amor” acho até certo ponto uma expressão errada, pois se Deus fez os animais com todos seus órgãos, quem nos dá o direito de mutilá-los, retirando o que Deus e a natureza os deu para reproduzir?
    Utilizar a castração para controle de natalidade em cães errantes (cães de rua) é a única saída, muito melhor e mais correta que a eutanásia, isso provado no mundo todo, agora os animais domiciliados, creio que seja uma decisão de cada um, pois cada um sabe das suas condições e motivações para castrar.
    Chego a contestar até mesmo sobre a alegação de que com a castração evita-se cânceres e tumores, pois existem muitos casos de cadelas castradas com cânceres e tumores.
    Vejo que temos que ter bom senso quanto ao tema castração, pois se continuarmos com a campanha sem freios de castração, chegará o dia em que não os SRD estarão na lista dos animais em extinção se não tomarmos cuidado.

  • Amy diz: 28 de novembro de 2011

    Podem me criticar mas o comentário do Gilberto é simplesmente, ao meu ver, absurdo! É muito fácil sair doando filhotinhos bonitinhos e fofos para qualquer um! Quem garante que esses filhotes serão bem tratados? Em primeiro lugar, no meu ponto de vista, a castração é um dever de quem possui um animal quando o dono sabe que não terá condições de assumir a ninhada toda…se não tem dinheiro, dá um jeito! Economiza daqui e dali que eu duvido que em alguns meses não consiga ter o dinheiro. Já vi muita gente usando tênis de marca alegando não ter dinheiro para castrar seus animais. Existem lugares que oferecem castração a baixo custo…é só procurar. Aqui mesmo, no blog, temos posts com frequência de programas de castração a baixo custo. Não precisamos de mais animais abandonados. Em segundo lugar doar filhotes sem castrar ou sem garantir a castração deles é irresponsabilidade! Quem ama de verdade não faz esse tipo de coisa. Acidentes acontecem…mas o que mais existe é a negligência e a irresponsabilidade. Eu espero que todos esses inocentes consigam um lar com donos responsáveis. Mas…e se não conseguirem? E se essa pessoa não conseguir doar todos? É um risco que se corre. E é um risco alto demais quando estamos falando de vidas! Se não teve dinheiro para castrar essa fêmea também não vai ter dinheiro para assumir os cachorrinhos que não conseguir doar. E assumir não é só dar a comida que sobra, não! Assumir um animal é proporcionar a ele nutrição adequada, tratamento veterinário e o que todo mundo julga ter por eles (mas que em alguns casos é pura hipocrisia): amor!

  • Priscila diz: 29 de novembro de 2011

    Olha, eu entendo o R Fernando!! É no mínimo estranho um pitbull com collie…maaas, não podemos condenar a dona pela cruza, pois ela diz que tentou evitar ao máximo e aconteceu. Espero que quem adotar saiba educar pq pitbull é uma raça mto boa mas precisa de limites, falo pq sei bem como é. Boa sorte a esses filhotinhos :) E não vamos generalizar a castração!

  • Vera Lucia diz: 29 de novembro de 2011

    Na maioria das vezes, eu concordo com as idéias do Marcos Martins.Só que desta vez infelizmente eu não posso concordar em não castrar os animais.Se a cada momento tem ninhadas e mais ninhadas, abandonadas nas ruas e ainda tem que se dar graças a Deus quando alguém encontra e recolhe, mas tem outros casos em que os filhotes são todos sacrificados pelo dono.E ai, o que acontece? A cadela novamente entra no cio, e mais uma ninhada e colocada fora ou sacrificada, e vai sendo uma bola de neve. Eu sou a favor da castração por amar os animais, para não ver o sofrimento deste pobres bichinhos que vem neste mundo, todo alegrinho e depois é descartado como se lixo.

  • Marcos Martins – APAAMA.ORG diz: 29 de novembro de 2011

    Para: Amy

    Ninguém pode ser radical no assunto castração chegando ao ponto de dizer que “doar filhotes sem castrar ou garantir a castração deles é irresponsabilidade”, pois no nosso caso, por exemplo, que em menos de um ano já doamos mais de 500 filhotes, entre cães e gatos aqui em Pelotas. Gostaríamos de castrar? Óbvio que sim. Alguma ONG tem condições de arcar com esse custo mensal? Óbvio que não. Temos aqui em Pelotas a ajuda de somente um veterinário que nos dá uma única castração sem custo mensal. Mesmo que tivessemos mais que isso, ainda assim é inviável, pois como você deve saber, não é feita a cirurgia de castração antes de no mínimo o quinto mes de idade. Então pergunto: se a cada feira de adoção temos mais de 20 animais para adoção, como ficar com esses 20 animais (por domingo, o que gera mais de 80 filhotes por mes) até completarem o quinto ou sexto mes para então serem castrados? Onde abrigá-los? Como tratá-los? Como alimentá-los durante todo esse tempo? Fora que depois que passam dos 3 meses, conseguir uma adoção já é bem mais complicado do que novinhos com 45 dias.
    Infelizmente a prática é muito diferente do discurso. Quando se pára para analisar esses pontos, se vê que não tem como fazer o que se gostaria de fazer.
    Mesmo que tivessemos um abrigo para manter esses 500 filhotes até o sexto mes para serem castrados antes da adoção, precisariamos de R$ 25.000,00 para castrar a todos, isso conseguindo um veterinário que cobrasse R$ 50,00 por castração. Novamente mostro que o discurso é muito diferente da prática.
    O que podemos fazer, e fazemos, é buscar conscientizar os adotantes dos benefícios da castração para o animal e para ele mesmo, e mantemos acordo com 3 clínicas aqui da cidade que dão bons descontos para castrações de animais adotados através da nossa associação, mediante apresentação do Termo de Adoção por parte do adotante.
    Gostaríamos de fazer diferente? Sem dúvida. Mas é utopia se prender a esse fator, pois diariamente mais e mais filhtoes são abandonados nas ruas, sem a menor chance de sobrevivência, e precisam ser resgatados, tratados e adotados, e assim a roleta continua.
    O que preocupa é ver que a grande maioria de filhotes que chegam a nós não nascem nas ruas, ou seja, não são filhotes de cães errantes, mas sim de animais domiciliados, onde acontecem os famosos “acidentes”.

  • Amy diz: 29 de novembro de 2011

    Marcos…eu entendo perfeitamente que no caso de uma ong…se gostaria mas se torna inviável. Mas no caso de animais domiciliados…com certeza é irresponsabilidade sim deixá-los procriar. Até porque temos muitos e muitos animais em ongs e nas ruas. Para quê mais? Radical ou não, Marcos…é a minha opinião. Em tempo: parabéns pelo trabalho! Sempre leio as coisas que tu escreve e te acho 10 mesmo agora, sem concordar plenamente com a tua opinião a respeito da castração. Para mim a castração é sim, além de um ato de amor, um ato de respeito à vida dos inocentes que chegam ao mundo sem saber se conseguirão um lar ou se morrerão abandonados nas ruas…ou pior ainda…esses filhotinhos que hoje são peludinhos e lindinhos irão crescer e correm o risco de passar a vida em correntes. Por isso eu sou radical sim: castração sempre!

  • Marcos Martins – APAAMA.ORG diz: 29 de novembro de 2011

    Amy

    De opiniões divergentes se constitui uma sociedade livre e democrática, ou como aprendi com meu pai, “discordo plenamente do que dizes, mas luto até o fim para garantir teu direito de dizerdes”..rsss

    De certa forma concordamos em alguns aspectos, principalmente no ponto em que citei que a maioria dos filhotes que chegam a nós vem de cadelas domiciliadas, ou semi-domiciliadas, e muitas vezes são deixados à porta de protetores, pois as pessoas sabem que se deixarem uma caixa com filhotes ali, serão amparados. Ainda assim nesses casos, mesmo achando um ato covarde, ainda procuro entender essas pessoas, pois é preferível deixar à porta de um protetor do que largar na beira da estrada ou num córrego, com infelizmente ainda se vê muito.

    Não levanto a bandeira da castração, aliás, a alguns anos atrás nem se ouvia falar disso praticamente. Hoje parece que alguém levantou essa bandeira e todos correram atrás. Tenho minhas restrições pessoais quanto a castração, conforme já demonstrei em comentário anterior, mas creio que dependa de conscientização da população em controlar isso, e no caso de cães de rua aí sim ter um controle de natalidade, mas com estudo, algo embasado, não simplesmente como é feito que pegam o cão das ruas, castram e largam na rua. Não sei, mas me parece algo até criminoso.

    Obrigado por ter entendido meu ponto de vista, e agradecido pela sua opinião ao meu respeito e principalmente ao nosso trabalho.

  • Luciana diz: 29 de novembro de 2011

    A doação de ninhadas de cães com donos tira a oportunidade de ninhadas abandonadas serem doadas por que não há lares para todos.

  • César Cortezzi diz: 29 de novembro de 2011

    Gostaria de receber a foto da mãe apenas para ter uma idéia de como serão os filhotes. Me interesso, mas a mãe está tosada na foto? Aguardo retorno!Obrigado.

  • Luciana diz: 29 de novembro de 2011

    Castração a baixo custo em Porto Alegre!

    DATA: 02/12/11 (sexta-feira)
    LOCAL: Vila Ipiranga (local será informado com detalhes a cada inscrito) – Porto Alegre
    Felinos (machos ou fêmeas):
    … Pela manhã a partir das 9h30min
    Valor de cada esterilização: R$ 45,00

    Caninos (machos ou fêmeas):
    A partir das 13h
    Valor de esterilizações:
    Até 10 kg – R$ 60,00
    De 10 a 20 kg – R$ 80,00
    De 20 a 30 kg – R$ 100,00
    De 30 a 40 kg – R$ 150,00
    De 40 a 50 kg – R$ 180,00

    Agendamento com Ana Roggia – Fone: (51) 9956-0445 ou (51) 9922-6459.
    Enviar por e-mail seu nome completo, telefone, tipo e quantidade de animal(is) a ser(em) esterilizado(s).
    As vagas são limitadas.

    OBS: Os animais deverão ser trazidos em conteiners seguros, com cobertores e em jejum de 6 horas.

  • Jacema Bruno diz: 9 de dezembro de 2011

    Concordo plenamente com a AMY moro em Brasilia mas, sou Pelotense e estive recentemente em Pelotas (agosto/11) e ví muito animais no centro da cidade abandonados (aliás em todos os bairros, um absurdo). Comprei ração a dei para eles e foram muitos. Dei uma entrevista na rua Andrades Neves esquina Sete de Setembro para uma rádio sobre o assunto. Se fossem castrados não sairiam procriando e ninhadas de filhotinhos sendo jogados fora e sabe-se lá que fim de vida terão..

  • Marcos Martins – APAAMA.ORG diz: 9 de dezembro de 2011

    Concordo com você, Jacema, a situação aqui em Pelotas é crítica, ocasionada por aspecto cultural do povo pelotense em abandonar animais e nos anos de descaso do Poder Público no tema.
    Felizmente agora ao que parece a coisa vai começar a andar, pois o Centro de Zoonoses conseguiu aprovação do seu projeto de castração, e tem a meta de castrar 300 animais mês, iniciando pelo Fragata. Esperamos que consigam manter o projeto que vem sendo encabeçado pelo diretor do CCZ, Sr. Franklin Neto.

  • Jonathan Barros diz: 1 de julho de 2012

    eu quero um (a);…

Envie seu Comentário