Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Links de accessibilidade:

Sua região é Santa Catarina

Animais de estimação podem ter passe livre em transporte público

21 de agosto de 2013 15

Foto: Divulgação/Portal do DogPor Roberta Schuler
roberta.schuler@diariogaucho.com.br

O projeto de lei da Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda), que autoriza o transporte de animais domésticos (cães e gatos de até 10kg) em ônibus, lotações e táxis da Capital foi encaminhado à Câmara de Vereadores na semana passada. Mesmo sem saber se será aprovada e quando, a ideia já gera polêmica.

Há lacunas preocupantes na avaliação do Conselho Regional de Medicina Veterinária em relação à saúde pública e ao bem-estar do animal. De acordo com o presidente, Rodrigo Lorenzoni, o fato de o projeto indicar que o responsável pelo animal tenha de apresentar carteira de vacinação (com as vacinas antirrábica e polivalente em dia) não garante que o bicho esteja bem.

“A polivalente protege contra oito doenças. Mas sarna, vermes, leptospirose e fungos, por exemplo, a vacina não protege”, diz Rodrigo, lembrando também as situações de alergia.

 

ESPECIALISTA FAZ UM CÁLCULO
Outro ponto questionado é a caixa para o transporte. O projeto indica que deverão estar acondicionados num dispositivo resistente, apropriado, sem dejetos, água, alimento e à prova de vazamentos. Rodrigo destaca que, para o bem-estar do animal, a caixa deve permitir que ele fique de pé e possa dar uma volta em torno do próprio corpo.

“Para um animal de 10kg, a caixa tem que ter 65cm de comprimento, 50cm de largura e 40cm de altura. Daria, no máximo, para levar duas.”

Porto Alegre é a capital com maior número de animais domiciliados: 2,3 pessoas por animal. No país, a média é cinco por um.


QUANTO CUSTA E QUEM CONFERE?

A secretária Especial dos Direitos Animais, Regina Becker, explica que o valor a ser pago pelo transporte (as empresas poderão cobrar uma tarifa, a ser estabelecida pela EPTC) e a fiscalização (a quem o dono do animal terá de mostrar a carteira de vacinas) serão definidos na regulamentação da lei, se aprovada.
Em relação às críticas, Regina rebate:

“As doenças transmissíveis precisam de contato. E o animal estará isolado. Quem critica não conhece a realidade.”

Arte: Alexandre Oliveira
REGRAS PROPOSTAS
* CAIXA - Os animais deverão estar acondicionados em um dispositivo resistente apropriado para o transporte, isento de dejetos, água, alimento e à prova de vazamentos. A caixa poderá ser colocada no colo do dono, ou debaixo dos bancos.
* VACINA - Para que o animal tenha direito ao transporte, o responsável deverá apresentar carteira de vacinação atualizada, com as vacinas antirrábica e polivalente em dia.
* BANHO – O cão ou gato deverão estar higienizados.
* EMERGÊNCIA - Caso o animal faça alguma necessidade durante o trajeto ou emita ruídos perturbadores, o responsável deverá descer na próxima parada.
* LIMITE - Serão aceitos, no máximo, quatro animais por viagem.
* HORÁRIO - O transporte só será permitido das 9h às 17h e das 20h às 6h.

>>>>> Siga o Bicharada no facebook.

 

Bookmark and Share

Comentários (15)

  • Estevão Telles Ferreira diz: 21 de agosto de 2013

    Caso aprovado, um belo passo a frente. Torço pela aprovação.

  • Flavio diz: 21 de agosto de 2013

    Em Londres cachorros podem ser transportados em qualquer transporte publico, sem necessidade de caixa alguma. Apenas se pede que se tenha bom senso quanto ao tamanho do cachorro, algo normal para um ingles. Ja em Paris apenas no metro os cachorros podem viajar e tambem nao se exige a caixa. Em Hong Kong podem cachorros apenas podem ser transportados em taxis, sem a caixa tambem. No metro e onibus nem com caixa. Ja em Nova Iorque podem viajar em qualquer transporte publico porem sempre se exige a caixa.

  • Juliano diz: 21 de agosto de 2013

    Seria uma ótima ideia.
    Desde que o animal viagem em caixa para não criar transtorno a outras pessoas.
    Alem de que nem todos tem bom senso de cuidar do animal da forma correta.
    Ah fora os cachorros brabos.
    Mas e ótimo criar alternativas para quem não tem como levar o animal ate o veterinário ou passear num parque.

  • Juliano diz: 21 de agosto de 2013

    Seria uma ótima ideia.
    Desde que o animal viagem em caixa para não criar transtorno a outras pessoas.
    Alem de que nem todos tem bom senso de cuidar do animal da forma correta.
    Ah fora os cachorros brabos.
    Mas e ótimo criar alternativas para quem não tem como levar o animal ate o veterinário ou passear num parque.

  • Nana diz: 21 de agosto de 2013

    Não tenho nada contra animais ,,mas só acho que será mais um transtorno para os usuários do transporte público, uma vez que as pessoas mal tem espaço para se acomodarem dentro dos onibus, isso também uns por cima dos outros pior que bixos, ainda terão que dividir espaço com animais , que com certeza, assim como a gente, ficarão irritados, principalmente no verão.è demais, me poupem né gente, tem taontos outros problemas graves para resolver. Isso não é projeto, é invençaõ do pior mau gosto.Com certeza, vai dar probelma….LONDRES É LONDRES , aqui é brasil, Porto Alegre, transporte da pior qualidade.

  • Nana diz: 21 de agosto de 2013

    Não tenho nada contra animais, mas acho que será mais um problema para os usuários do transporte público, uma vez que mal tem lugar para as pessoas consseguir um espaço para se acomo darem dentro dos onibus, uns por cima dos outros, pior que bixo, ainda terão que dividir edspaço com os animais, que com certerza assim como as pessoas,senten-se mal, certamente eles também se sentirão.Ana Karina, você anda de onibus, não né? Experimenta andar todo o dia. LONDRES É LONDRES, aqui é Brasil, Porto Alegre, transporte público da pior qualidade

  • Marcia Bühler diz: 21 de agosto de 2013

    Em nossos sistema atual de transporte público mal cabem pessoas, que dirá animais. Gostaria que a Srª Regina Becker utilizasse diariamente o transporte público, principalmente os da linha da Carris e nos horários propostos para os bichanos. Andamos feito sardinhas em lata, além da superlotação, os horários não são cumpridos. Entendemos que há obras por toda cidade mas após 19h, só vemos ônibus Expresso, Fora de serviço ou Recolhe. Pagamos uma passagem cara e não temos um serviço de qualidade. Pessoas e animais então serão “acondicionados” praticamente em latas de sardinha e tudo bem… sabe pq??? Pq as pessoas que propõem estas leis, NÃO SÃO USUÁRIAS DE TRASNPORTE PÚBLICO!!!!

  • Clarice Pereira diz: 21 de agosto de 2013

    Não vejo nada demais. Existem animais mais limpos e saudáveis do que muito ser humano que pega o ônibus. Canso de ver gente doente, fedorenta, com piolho entre outras coisas que não são proibidas de subir no coletivo. Pra falar a verdade, eu teria medo de levar meu cachorro no ônibus: o pobrezinho poderia ser contaminado!!!

  • Adriana diz: 21 de agosto de 2013

    As poucas vezes que saio com a Nina de ônibus,levo ela numa bolsa própria para cães,daquelas em que ficam somente com a cabeça pra fora,mas claro que dentro do ônibus ela esconde direitinho a cabeça,e ninguem nota sua presença.
    Se a lei for aprovada,eu não poderei usar mais essa bolsa????
    Repito é uma bolsa para cães.

  • Adriana diz: 21 de agosto de 2013

    As poucas vezes que saio com a Nina de ônibus,levo ela numa bolsa própria para cães,daquelas em que ficam somente com a cabeça pra fora,mas claro que dentro do ônibus ela esconde direitinho a cabeça,e ninguem nota sua presença.
    Se a lei for aprovada,eu não poderei usar mais essa bolsa????
    Repito é uma bolsa para cães.

  • Simone diz: 21 de agosto de 2013

    Concordo em gênero,número e grau com a Clarice Pereira.Já utilizei transportes públicos como da Nortran ,Conorte e Carris (principalmente linhas T4 e T6) nas quais haviam pessoas que cheiravam mal,cheiravam a cigarro, a corpo sujo, mau hálito etc,totalmente insalubres.No caso da linha 520-Triângulo,as janelas são lacradas,todo mundo respirando o mesmo ar, isso sim é nojento.Apoio sim, o transporte para animais de pequeno porte em caixas,em horários diferenciados,cobrança de tarifa sim (baixo custo) e o bom senso por parte do dono do animalzinho.Tudo isso aliado,dará muito certo.Parabéns pela iniciativa Regina Becker,queremos o direito de transportar nossos amigos para uma consulta ao veterinário,isso também é saúde pública.

  • Simone diz: 21 de agosto de 2013

    Ressalto que as empresas Nortran,Conorte e Carris e Triângulo são empresas que atendem muito bem o público da Zona Norte(nunca tive problemas,só não concordo com janelas lacradas)infelizmente não dá para não apanhar passageiro mal cheiroso,agora transportar bichinhos que os donos não se adequarem as normas sim, é preciso para barrar.

  • Caroline diz: 26 de agosto de 2013

    Apoio o projeto. Basta ter com senso. E digo mais, já utilizo o tranporte público com o meu York, através da empresa Real Rodovias em Sapucaia e Trensurb sem nenhum problema até o dia de hoje, levo ele dentro da caixa de passeio.

  • leila diz: 7 de outubro de 2013

    que mal tem espaço para as pessoas no transporte publico é verdade, mas o animal vai esta pagando a passagem dele então ninguém pode reclamar, se ele ficar em um banco e o dono em outro ninguém pode reclamar também, porque se você pode pagar a passagem e ir em uma cadeira o animal também pode, DIREITOS IGUAL AOS ANIMAIS.

  • Paulo diz: 28 de outubro de 2013

    Francamente. Londre????? Aqui é o Brasil onde as pessoas não respeitam e são mal educadas. Falar em bom senso???? É Realmante uma piada em uma cidade com tantos problemas ainda gastarem tempo com uma inutilidade destas. Isso é uma única coisa: Egoísmo das pessoas que tem animais, políticos cavando voto (porque eles nunca entram em ônibus) e a empresa de transporte querendo ganhar mais dinheiro. Agora se alguém é alérgico tem que descer do ônibus porque o Gatinho do “Fulano” é mais importante e ele tem o direito de se diverti com seu bichinho. Então o cobrador vai ter que andar com uma balança agora pra melhorar ainda mais o serviço pra pesar os animais porque contar com a honestidade das pessoas por aqui é realmente um risco. Aí vaio começar “A mas o dela pode pq o meu não pode?” “Ah eu esqueci da fucinheira” (carteirinha de vacinação falsificada) e por aí vai. É uma páis ridículo mesmo!

Envie seu Comentário