Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "animais"

Proteja seu bichinho do câncer de pele

26 de fevereiro de 2015 0
Cães e gatos clarinhos precisam de cuidado redobrado com o sol (Foto: Rafaela Martins/Agência RBS)

Cães e gatos de pelagem clara precisam de cuidado redobrado no sol (Foto: Rafaela Martins/Agência RBS)

 

O sol está cada dia mais forte e, por isso, é fundamental ter um cuidado extra com a pele. Nesta época, a maioria das pessoas faz questão de usar protetor solar para prevenir o envelhecimento precoce e, principalmente, o câncer. Mas é importante lembrar que os animais de estimação também merecem esse cuidado. O câncer é muito frequente em cães e gatos, e a prevenção é necessária para garantir saúde e vida longa aos bichinhos.
Assim como nos humanos de pele clara, geralmente, são os animais de pelagem branquinha os mais propícios a desenvolver câncer de pele. O sol é um dos principais vilões causadores dessa doença.
Os raios ultravioleta da radiação solar são altamente danosos ao DNA da camada mais superficial da pele de animais muito claros. O carcinoma espinocelular (CEC) é um câncer maligno, um dos mais frequentes nos gatos e o segundo mais comum nos cães, depois do mastocitoma (nódulo com aparência de caroço).

 

Gatinha apresenta lesões no canto dos olhos (Foto: Arquivo Pessoal)

Gatinha apresenta lesões no canto dos olhos (Foto: Arquivo Pessoal)


Confira as dicas da médica veterinária especialista em oncologia Alexandra Pinheiro Fantinatti.

Regiões afetadas
Gatos: orelhas, nariz e face
Cães: nariz e ventre

Raças vulneráveis
Gatos: os brancos ou de pele clara, independente da raça
Cães: american pitbull, dog argentino e dálmata

Sintomas da doença
As lesões iniciais, conhecidas como dermatite actínica, começam com uma vermelhidão na pele, seguida de descamação. A região fica mais sensível e exposta à ação contínua do sol. Com o tempo, evolui para lesões profundas, crostosas, ulceradas e sangrentas.

Prevenção
Não existe um método totalmente eficaz para prevenir o carcinoma espinocelular, mas evitar a exposição solar nas horas de maior incidência de radiação ultravioleta é essencial. Além disso, é importante usar o protetor solar animal, independente da raça ou da cor de pele do seu bichinho.

Tratamento
Atualmente, na medicina veterinária, existem várias modalidades terapêuticas para os animais que apresentam o carcinoma, entre elas, a cirurgia, a criocirurgia, a quimioterapia, a eletroquimioterapia e a radioterapia. O tratamento vai depender da gravidade da doença.

Cuidados
* Coloque roupinha no animal quando ele for exposto ao sol forte.
* Reforce o telhado da casinha ou do canil.
* Evite que o seu bichinho fique na janela o dia todo.
* Use protetor ou bloqueador solar (PFS 30 ou maior), principalmente, quando for passear com o animalzinho.

 

Gatinha também perdeu as duas orelhas em função do câncer (Foto: Arquivo Pessoal)

Gatinha também perdeu as duas orelhas em função do câncer (Foto: Arquivo Pessoal)

Bookmark and Share

Você viu um destes animais por aí? Ajude a encontrá-los!

05 de fevereiro de 2015 1

O Bicharada tem recebido muitos e-mails com fotos de animais perdidos. Se você viu algum deles vagando pelas ruas, ou na casa de alguém, avise imediatamente os responsáveis. Vamos ajudar estes animaizinhos a voltarem para o seu lar! É um sofrimento para eles e para os donos, que estão preocupados e esperam ansiosos por notícias. Quem sabe a gente consegue muitos finais felizes, não?

Susi desapareceu de casa, dia 15 de novembro, da Rua Maria Luiza Fettermann, no Bairro Imperatriz, em Porto Alegre. É uma cachorrinha da raça yorkshire, castrada e tem aproximadamente sete anos. Tem alguma informação sobre o paradeiro da Susi? Entre em contato pelos telefones 9987-6936 ou 9824-5182.

Fotos Arquivo Pessoal

Fotos Arquivo Pessoal

Essa cadelinha sumiu de casa na noite de Ano-Novo, da Rua Landell de Moura, Bairro Tristeza, na Zona Sul de Porto Alegre. Atende pelo nome de Chica, tem aproximadamente sete anos e uma cicatriz no pescoço. A dona olhou as imagens da câmera que fica em frente à casa e a cachorrinha aparece correndo em direção ao Bairro Cavalhada. Tem notícias da Chica? Entre em contato pelo telefone 8225-6847.

Chica_perdida

Mel está desaparecida desde o dia 14 de janeiro. Foi vista, pela última vez, nos arredores da Avenida Ubatuba de Farias (Centro-Barra), em Tramandaí. É uma cadelinha da raça pinscher, muito dócil e tem seis anos. Viu a Mel? Entre em contato pelos telefones 3684-5848 ou 8131-7998.

Mel_perdida

Amarelinho está sumido desde o dia 10 de outubro, da Avenida Bastian, próximo ao shopping Praia de Belas, no Bairro Menino Deus, em Porto Alegre. É um gatinho castrado e tem aproximadamente quatro anos. Se tiver alguma informação sobre ele entre em contato pelo telefone 9980-8488.

Amarelinho_gato

Essa cadelinha está perdida desde o dia 8 de janeiro, da Avenida Caldas Júnior, no Bairro Zona Nova, em Tramandaí. Atende pelo nome de Brida, é castrada, tem 14 anos e porte médio. Sua pelagem é marrom claro e o rostinho mais branco, como na foto. Por ser uma cachorra idosa, já não enxerga nem escuta direito. Há informações de que ela poderia estar com alguém no Parque dos Presidentes, antigo Agual. Viu a Brida? Entre em contato pelos telefones 9141-3765 ou 9719-7272.

Brida_Tramandaí

Bookmark and Share

Saiba por que os animais têm medo de trovões e veja como ajudá-los

09 de outubro de 2014 0
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

 

Quem já presenciou um dia de tempestade com o bichinho de estimação em casa sabe que esta não é lá uma situação muito fácil. Muitos deles acabam ficando nervosos diante de relâmpagos e barulho intenso de trovões.

Mas por que isso acontece? Segundo a veterinária Ceres Faraco, doutora em psicologia e especialista em comportamento animal, aquela bagunça que os animais fazem, as tentativas de fuga e os ganidos na hora da tempestade são uma resposta normal do comportamento canino, uma vez que o barulho simboliza a eles o indício de uma situação ameaçadora.

Além disso, a fobia de trovão pode ter diversas outras motivações, desde hipersensibilidade na audição até herança de uma experiência traumática sofrida enquanto filhote. Ou seja, se o seu bicho não foi socializado ao ambiente humano corretamente, maiores são as chances dele apresentar comportamento inadequado diante de tempestades.

É possível ajudar seu amigo peludo

O problema tem tratamento.
- É preciso levar o animal ao veterinário para fazer um diagnóstico das questões envolvidas. A agitação do cão na hora de um temporal pode ser originária, também, de uma deficiência sensorial no canal da audição, o que pode ser resolvido com medicação indicada – salienta a especialista.

Entretanto, na maioria dos casos, a solução é expor o animalzinho o menos possível àquela situação de estresse.
Procure vedar a entrada da claridade dos relâmpagos para o local em que o animal se encontra e coloque neste ambiente outros ruídos que possam distrair o bichinho do som que vem da rua. Alguns se distraem com música ou som de televisão.

DICAS IMPORTANTES

* Torne a situação natural e não agrade ou acaricie o animal para deixá-lo calmo.

* Não mostre que a tempestade é algo anormal. Procure agir com tranquilidade diante do bichinho.

* Preste atenção nos sinais fisiológicos dele. Batimentos cardíacos acelerados, salivação e respiração ofegante são sinais de medo.

* Deixe-o agir por conta própria, pois, na maioria das vezes, ele está somente manifestando seu instinto de defesa.

* Na repetição excessiva da situação, procurar um veterinário.

 

Bookmark and Share

Abandono criminoso: donos deixam os bichos em pet shops e não retornam para buscá-los

25 de setembro de 2014 3
Dona Maria se sensibilizou com o abandono de Tobi, na pet shop do neto, e adotou o bichinho (Foto Diego Vara)

Dona Maria se sensibilizou com o abandono de Tobi e o adotou (Foto Diego Vara)

 

Larissa Roso
larissa.roso@zerohora.com.br

 

A situação era insuspeita: a dona chegou com a cadela poodle preta de seis anos e alguns pertences do animal, como cama e roupas, pedindo hospedagem para os poucos dias em que ficaria fora de Porto Alegre. Tratando-a como “filhinha”, despediu-se antes de rumar para a viagem:

- Mamãe volta em seguida.

Mas nunca mais apareceu. A mulher informou nome, endereço e telefone falsos, em um golpe que costuma ser aplicado em proprietários de pet shops, salões de banho e tosa e clínicas veterinárias.

- Uma semana se tornou três meses. Não quis mais e abandonou. Era muito mais digno ter pedido ajuda – diz a gerente da Vetmax Clínica Veterinária, Carolina Xavier Martins.

Os motivos para o ato insensível são variados. Protetores de animais e veterinários estão habituados a ouvir donos reclamando da idade avançada, do custo e dos hábitos de cães e gatos. Mudanças de endereço, casos de doença na família e falta de informação específica sobre raças também levam à decisão de se desfazer de um mascote – o proprietário que não sabe que o cachorro tem determinado tipo de comportamento acaba por se sentir desapontado e desiste de mantê-lo em casa.

Donos de lojas têm prejuízos

Muitos não são nem os responsáveis dos bichos largados nas pet shops – encontram um cachorro maltratado e faminto perambulando e o levam para um check-up, fazendo de conta que voltarão para recolhê-los. A suposta boa ação acarreta gastos para terceiros, e o animal segue sem lar.

- Acham que estão tirando o bichinho da rua, mas largam para outra pessoa e tiram o corpo fora – condena Diogo Bessa Fortes, da Hobby Pet Shop.

Tobi conseguiu uma protetora

A equipe de Diogo foi enganada duas vezes nos últimos meses. Na primeira vez, a impostora solicitou banho, vacina e vermífugo para dois vira-latas grandes. Uma funcionária decidiu levar ambos para casa quando ficou claro que tudo não passara de encenação. Total da conta jamais paga: cerca de R$ 300. No segundo episódio, Diogo suspeitou que o cliente não fosse o verdadeiro dono – pediu um banho e nunca mais apareceu.

A aposentada Maria Gevehr Cardoso, 80 anos, avó de Diogo, se apaixonou pelo cusco, batizado de Tobi.
- Sou doida por animais. Achei absurdo, fiquei com pena. Cachorro pequeno é como criança. Um bichinho tão engraçadinho, e a pessoa larga. Não tem coração – compadece-se Maria.

Um ato que implica em duas violações à lei

De acordo com Kika Menezes, responsável jurídica da Associação Gaúcha de Pet Shops (Agapet), quem fornece dados pessoais falsos ao solicitar um serviço e nunca mais retorna para apanhar o bicho está cometendo duas violações à lei: o chamado crime do falso e o crime de abandono. A pena prevista para cada uma delas é de três meses a um ano de detenção, mais multa.

A Agapet reforça a necessidade de que os funcionários dos estabelecimentos exijam documentação dos clientes para que seja criado um cadastro mais detalhado dos donos dos animais.

Respeite o seu bichinho

* Antes de adotar um animal, informe-se sobre as características de cada raça. Um cachorro ativo e de grande porte precisa de espaço. Procure saber como fazer a adaptação se já tiver outros bichos em casa.

* Se precisa doar o gato ou o cachorro, tire fotos e faça a divulgação entre os seus contatos. Peça também o auxílio de ONGs, grupos de adoção e protetores voluntários.

* Animas castrados, desverminados e vacinados têm maior receptividade. A castração evita o abandono futuro e crias indesejadas.

* Um bicho acostumado a atenção exclusiva em casa pode se tornar agressivo ou ser agredido ao ser encaminhado a abrigo. Ideal é entregá-lo diretamente ao próximo dono.

* Tenha paciência. Pode levar um tempo até que surja um interessado em ficar com o pet.

Fontes: Carolina Xavier Martins, sócia-fundadora da União das Amigas Protetoras dos Animais, e Magliane de Oliveira, sócia-voluntária da Associação Riograndense de Proteção aos Animais.

Bookmark and Share

Fotos de animais em poses inusitadas são premiadas em Londres

22 de setembro de 2014 0
Graham Morrison/BBC

O prêmio tem seis categorias para adultos e jovens. Uma menção honrosa na categoria ‘Momento perfeito’ foi dada a esta imagem de duas girafas, feita por Graham Morrison

 

Uma zebra vaidosa, um pinguim que pula ondas, duas girafas dando cabeçadas – estas são algumas das poses inusitadas e divertidas flagradas por fotógrafos em um concurso.

Veja a galeria completa

O Prêmio ZSL de Fotografias de Animais de 2014 foi divulgado na semana passada.
A ZSL é entidade que gerencia o Zoológico de Londres, no Regent’s Park.

Foram milhares de fotos enviadas por fotógrafos jovens e adultos, que concorreram em categorias como “Tamanho é documento” e “Momento perfeito”.

Girafas dando cabeçadas, um pinguim pulando uma onda e uma zebra vaidosa – essas são algumas das imagens destacadas pelo Prêmio ZSL.

Foto: Jason Brown/BBC

Jason Brown ganhou menção honrosa na mesma categoria por esta imagem de uma coruja-pequena. O título da imagem? ‘Cantando na chuva’

 

Foto: Tom Way/BBC

Outra finalista da categoria ‘Momento perfeito’ foi esta imagem de um pinguim-gentoo pulando de uma onda feita por Tom Way

 

 

Bookmark and Share

VÍDEO: Cavalo e cachorra criados juntos se divertem e emocionam

07 de setembro de 2014 0
Foto Reprodução

Foto Reprodução

 

Gente, que amizade mais linda essa do cavalo Whiskey Brown, de quatro anos, com a cachorrinha Lucy, de dois anos. A cadelinha nasceu numa enorme fazenda no Texas, Estados Unidos, local onde o cavalo já vivia.

Os dois foram criados juntos, aprenderam a respeitar as diferenças, e vivem em plena harmonia. A dupla segue uma rotina diária de diversão e companheirismo. Whiskey e Lucy correm, brincam, rolam no chão e são muito felizes.

Eu não tenho a menor dúvida de que os animais estão no mundo apenas para amar.

Assista ao vídeo e emocione-se! :)

 

Bookmark and Share

Brechokão neste sábado na Zona Sul de Porto Alegre. Confira!

29 de agosto de 2014 0

Foto: Rover Dog/Divulgação


Amigos, será realizado mais um brechó para ajudar cães e gatos de rua. O evento vai acontecer neste sábado, dia 30 de agosto, a partir das 10h, na Av. Wenceslau Escobar, 1092, Galeria Carolina, na Zona Sul de Porto Alegre.

A intenção é custear resgates, casas de passagem, dívidas de clínicas, medicamentos e castrações. Você pode ajudar doando qualquer coisa, desde que esteja em bom estado. Pode levar no dia mesmo.

Também é possível comprar roupas, sapatos, cd’s, dvd’s e peças de artesanato a partir de um real.
Toda a verba será revertida para ajudar os peludinhos abandonados na nossa Capital!

Apareça por lá e ajude um bichinho necessitado! :)

* Mais informações pelo telefone (51) 9166-5275.

 

Foto: Divulgação

 

Bookmark and Share

Porto Alegre terá hospital veterinário público

20 de agosto de 2014 3
Foto: Divulgação/PMPA/Divulgação

Foto: PMPA/Divulgação

 

Foi entregue ontem à Fepam o projeto do hospital veterinário de Porto Alegre, para o atendimento de animais de estimação. O hospital será construído em uma área já ocupada pela Secretaria Especial dos Direitos dos Animais (Seda), na Lomba do Pinheiro, no município de Viamão, mas que pertence à prefeitura de Porto Alegre.

A expectativa inicial é de que a obra seja iniciada ainda no segundo semestre de 2014. Os custos, em torno de R$, 3,5 milhões, serão bancados por um doador privado.

O hospital contará com cinco blocos cirúrgicos, quatro consultórios, sala de recuperação para 150 animais e espaço de triagem para 120 animais. A prioridade do atendimento gratuito será para animais de estimação famílias de baixa renda.

 

hospital 2

Bookmark and Share

Saiba como agir diante de um animal silvestre

07 de agosto de 2014 3
É importante respeitar o espaço dos animais (Foto FZB-RS/Divulgação)

É importante respeitar o espaço dos animais   (Foto FZB-RS/Divulgação)

 

Depois do caso que chocou o país, na semana passada, quando um menino de 11 anos precisou amputar o braço, após ser atacado por um tigre no zoológico do Paraná, o Bicharada buscou informações para saber como lidar com animais que vivem fora de seu habitat natural.

Cuidar de um bichinho doméstico exige muita atenção. Imagine, então, como é difícil lidar com os animais selvagens, que não estão acostumados com a presença do ser humano. Eles podem aparecer nos lugares mais inusitados.
 
Macacos soltos em Porto Alegre

Na última semana, moradores da Zona Norte da Capital se surpreenderam com a presença de macacos-prego no quintal de suas casas, nas árvores e até mesmo nos telhados das residências. É preciso saber se portar frente a um animal, seja na rua ou no zoológico.

Confira algumas dicas de segurança da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) e do Ibama paras estas situações.

Fique atento no Zoológico
* Planeje sua visita. Observe os mapas instalados no parque.
* Parapeitos e obstáculos jamais devem ser ultrapassados. São os limites para sua segurança.
* O silêncio combina com uma visita no Zoo. Gritos, gestos e palmas podem irritar os animais.
* Os animais têm dieta própria e são alimentados diariamente pelos tratadores. Dar qualquer alimento para pode prejudicar a saúde deles.
* Crianças devem estar sempre acompanhadas por responsáveis durante o passeio.
* Utilize os caminhos delineados, procurando não se afastar das trilhas especificadas.

 

Macacos-prego surpreenderam moradores (Foto Smam/Divulgação)

        Macacos-prego surpreenderam moradores            (Foto Smam/Divulgação)

 

Atenção na rua
* É importante avaliar se o animal oferece algum risco imediato. Caso isso ocorra, entre em contato com a Smam, com o Ibama ou com a Patrulha Ambiental. Bombeiros e polícia só em último caso.
* O animal não tem noção do que está acontecendo à volta, portanto, é normal que ele tente fugir ou atacar, caso sinta-se ameaçado.
* Não tente capturá-lo, pois ele pode sair gravemente ferido.
* Não o alimente sob hipótese alguma. Alguns alimentos não são apropriados, e o animal pode até morrer.
* Não tente matá-lo. Atentar contra a vida de um animal silvestre é crime passível de punição pela Lei de Crimes Ambientais.

 Bichos que podem ser encontrados na zona urbana
Gambás, ouriços, garças, serpentes (a grande maioria, não é venenosa), morcegos, papagaios, lagartos e os macacos (bugio – vistos no Extremo Sul – e macaco-prego nas regiões Sul e Norte de Porto Alegre).

>> Se encontrar um animal silvestre entre em contato com o número de emergência do Ibama (3214-3405) ou procure a Smam no telefone 3289-7517.

Bookmark and Share

Domingo tem brechó da ong Bichos & Amigos na Zona Norte de Porto Alegre

02 de agosto de 2014 0
Foto Marcio Bueno/Divulgação

Foto Marcio Bueno/Divulgação

 

Que tal ajudar os animais abandonados e levar para casa artigos com preços bem acessíveis? A ong Bichos & Amigos vai realizar, neste domingo, seu tradicional brechó em prol dos mais de 150 cães e gatos que abriga.

Roupas, calçados, livros, discos raros, bijuteria, enfeites e outros artigos estarão à venda no local. Também é possível ajudar os animais da ong doando ração. É só levar no dia do brechó.

Os animais agradecem! :)

CONFIRA!
O que: Brechó Bichos & Amigos
Onde: Rua Aliança, 289 (transversal da Av. Assis Brasil, entre o Bourbon Wallig e o Shopping Lindóia), na Zona Norte de Porto Alegre
Quando: Domingo, dia 3 de agosto, das 10h às 17h

*Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 8461-5077 ou pelo e-mail bichoseamigos@bichoseamigos.org.br 

 

BRECHÓ_ Bichos e Amigos

Bookmark and Share

Animais também necessitam de cuidado especial na terceira idade. Confira as dicas!

23 de julho de 2014 0
Foto Divulgação

Foto Divulgação


Vivendo com seu animalzinho todos os dias, talvez você não perceba a idade chegando. Mas é preciso estar atento aos sinais que o companheiro de quatro patas começa a dar ao ficar mais velhinho. Pode ser que ele fique menos ativo, ou que não enxergue nem ouça tão bem.

Por isso, vai precisar de ajuda e companhia neste momento. É importante ter paciência e carinho. Seu amigo peludo merece uma atenção especial. Confira as dicas da médica veterinária Aletiane Steffen Vieira e ajude a melhorar a qualidade de vida do animal idoso.

Como saber que a velhice chegou
Cães e gatos vivem, normalmente, de 12 a 15 anos, sendo que o ciclo de vida pode variar de acordo com fatores genéticos, nutricionais e ambientais. Cães de raças menores vivem mais do que os de raças maiores. Animais de raças misturadas (vira-latas) vivem mais do que os de raças puras. Todos esses fatores ajudam a determinar o tempo de vida do animalzinho.

Os cães de raças grandes ou gigantes são considerados idosos com apenas cinco anos de vida, já os de raças médias e pequenas, e os gatos, com sete anos. Geralmente, bichinhos idosos apresentam desgaste e amarelamento dos dentes ou tártaro. Os olhos podem ficar opacos e desenvolver catarata.

Outra característica são os pelos brancos ao redor do focinho e a perda da elasticidade da pele. Além disso, o corpo sofre alterações físicas e comportamentais. Eles ficam mais lentos, e os seus sentidos – olfato, paladar, visão e audição – acabam sofrendo alterações.

Alimentação
Animais idosos requerem cuidados alimentares especiais e a dieta deve ser equilibrada. Os velhinhos gastam menos energia, devido à redução das atividades físicas. Devem consumir menos calorias, evitando a obesidade, que pode desencadear algumas patologias como problemas cardíacos. O ideal é usar uma ração específica para animais idosos e, se necessário, fazer uso de rações terapêuticas prescritas pelo veterinário.

Cuidados básicos
* Leve seu bichinho periodicamente ao veterinário para fazer exames. É importante diagnosticar precocemente problemas que podem surgir com o tempo.

* Ofereça uma alimentação de qualidade durante todas as fases da vida. Se mantiver uma nutrição saudável enquanto o animal ainda for jovem, terá bons resultados quando ele chegar à velhice.

* Tenha cuidado ao dar banho no animal idoso, pois a maioria deles possui problemas ou dores articulares.

* Mantenha sempre a vacinação e desverminação em dia.

* Cuide para que fiquem abrigados de chuva e frio.

* Mantenha a caminha ou casinha em um local de fácil acesso e sem obstáculos.

* Evite o acesso dos animais a escadas ou piscina.

* Procure não trocar de lugar os móveis da casa. Com a idade avançada, os animais ficam mais desorientados.

* Estimule sempre seu animalzinho a dar pequenas caminhadas.

* Carinho, paciência e atenção nunca são demais neste momento da vida dos animais.

Bookmark and Share

Controle, segurança e cuidado com a cachorrada em Cachoeirinha

09 de julho de 2014 1
Foto Prefeitura de Cachoeirinha/Divulgação

Chip é implantado sob a pele do animal, sem dor   (Foto Prefeitura de Cachoeirinha/Divulgação)

 

Cachoeirinha já está colocando em prática uma ação para o bem-estar dos cãezinhos da cidade que, ao mesmo tempo, permite um maior controle sobre a população animal local. Uma parceria da ong Onda com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA), garante, além da castração, a implantação de chips nos cachorros com informações sobre o bichinho.

Quem é o dono, qual a raça, a idade, o histórico de vacinações, o estado de saúde, entre outros dados, ficarão armazenados neste chip e poderão ser consultados em caso de perda ou abandono do animal. O dispositivo é do tamanho de um grão de arroz e implantado sob a pele do animal, de forma indolor, por um veterinário na clínica da ong.

“Como o animal já estará anestesiado para fazer a castração, achamos por bem aproveitar o momento para colocar o chip”, explica a presidente da Onda, Karen Scheid.

Castração e chipagem são serviços gratuitos
O serviço é gratuito e disponível a todos os cidadãos da cidade que tenham cães, além dos cachorros recolhidos das ruas pela ong e colocados para adoção. Nesta primeira etapa do projeto, os bairros mais carentes de Cachoeirinha serão os primeiros a ter seus animais cadastrados e chipados, uma vez que, lá, existe maior número de cães por residência. Em seguida, o serviço irá contemplar todos os bairros da cidade. A estimativa é de que cem animais sejam castrados e chipados por mês.
O processo funciona da seguinte maneira: uma equipe da SSMA vai até o bairro e realiza, previamente, um cadastro para que, após, os cães sejam recolhidos, levados até a Onda e, lá, sejam castrados e chipados. Os cãezinhos permanecem em observação na clínica por um dia e, depois, são devolvidos aos seus donos.
De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Fernando Medeiros, o principal foco dessa ação é a posse responsável.

Abandono de cães deve diminuir  
Segundo ele, com o animal chipado, o número de abandonos e de maus tratos deverá sofrer uma redução significativa, uma vez que o dono encontrado ou denunciado responderá judicialmente pelo fato. No caso de cães comunitários, o procedimento é o mesmo, pois sempre há alguém na rua ou no bairro que acolhe e cuida do cão.
“Muitos cães na cidade têm casinha na rua, comida e água. Da mesma forma, terão o chip para que não migrem a outro bairro”, explica Fernando.

* Mais informações sobre o projeto pelos telefones (51) 3041-5081 (Onda) ou 3441-4312 (Secretaria Municipal de Meio Ambiente).

 

Bookmark and Share

10 dicas de cuidado com seu pet durante a Copa

25 de junho de 2014 0
Mantenha seu animalzinho protegido em casa (Foto: Stock.xchng/Divulgação)

Mantenha seu animalzinho protegido em casa   (Foto: Stock.xchng/Divulgação)

 

Os animais costumam se assustar com o barulho de fogos e rojões. Cães e gatos têm a audição muito sensível e dificilmente vão se adaptar aos sons muito fortes. O pânico desorienta o animal, que tende a correr desesperado e sem destino. Para evitar transtornos durante a Copa do Mundo, garanta condições mínimas de segurança e um ambiente tranquilo para o seu amigo de quatro patas. A Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal (Arca Brasil) listou dez maneiras de amenizar o incômodo e evitar situações de risco para seu animalzinho de estimação durante este período. Confira!

1 - Coloque uma plaqueta de identificação na coleira com o número do seu telefone (residência e celular) no bichinho, essencial para o caso de fugas. A coleira  deve ser elástica, para evitar enforcamentos ao se prender em galhos ou outro objeto. O microchip é uma identificação perfeita e definitiva, mas não elimina a necessidade da placa.

2 - Verifique se muros, cercas e portões encontram-se em bom estado e são suficientes para impedir fugas, mesmo que o animal esteja apavorado. Antes dos jogos, acomode o bicho em um ambiente o mais protegido possível dos barulhos, dentro de casa ou em área externa em que ele fique isolado dos perigos.

3 - Nunca deixe seu cão preso em corrente. Na hora do pânico ele pode se machucar e até se enforcar. Se tiver mais de um, evite deixá-los juntos por precaução. Excitados pelo barulho, eles podem brigar e se ferir gravemente.

4 - Dê alimentos leves antes dos fogos, evitando os distúrbios digestivos provocados pela agitação e pelo pânico.

5 - Se mora em apartamento, verifique se as telas de proteção estão firmes e seguras. Se não tiver tela, jamais deixe as janelas abertas, sobretudo se você tem gatos e não estiver em casa na hora do jogo.

6 - Antes do jogo, aproxime seu animal da TV ou do aparelho de som e, aos poucos, vá aumentando o volume para que ele se acostume com o som alto.

7 - Apesar de desconfortáveis, tampões de silicone ou algodão podem ser utilizados, mas devem ser retirados assim que o barulho cessar.

8 - Saia para passear, correr e brincar com o seu cão várias vezes no dia dos jogos, assim ele estará mais cansado durante a queima de fogos e o medo dos rojões terá uma ação menor.

9 - Para os gatos, procure criar um cantinho só para eles, fazendo tocas com cobertores para aumentar a sensação de proteção. Abra portas de armários e deixe os lugares que eles gostam acessíveis, além de água, comida e areia próximos.

10 - Consulte um veterinário para saber sobre medicações e calmantes que podem tranquilizar seu bichinho. Muitas pessoas utilizam florais, que são essências extraídas de flores silvestres e auxiliam no equilíbrio das emoções. Os florais não têm contraindicações, mas é importante nunca dar medicamentos ao animalzinho sem a indicação médica.

 

 

Bookmark and Share

Cães ajudam no desenvolvimento de crianças com deficiência em escola de Porto Alegre

17 de junho de 2014 3
Fotos Mateus Bruxel

Projeto Biblio Pet Terapia tem a participação de cães adestrados  (Fotos Mateus Bruxel)


ROBERTA SCHULER

roberta.schuler@diariogaucho.com.br

Escola da rede municipal de Porto Alegre que atende autistas e alunos com outras deficiências desenvolve projeto pioneiro, que envolve a contação de histórias com a participação de três cães.

Samantha Elisa tem três anos e é muito dócil e carinhosa. Já Nith tem dois anos e meio e é independente e tão afetuosa quanto a companheira. Bob Borges é mais velho e o mais antigo no pedaço, mas também faz muito sucesso por onde passa. Juntos, os três cuscos estão contribuindo para mudanças importantes no comportamento e na qualidade de vida dos cem alunos da Escola Municipal de Ensino Especial Professor Luiz Francisco Lucena Borges, no Jardim Sabará, na Capital.

O projeto Biblio Pet Terapia é uma iniciativa pioneira entre as escolas especiais do município, idealizada pela professora Maria Beatriz Santos Guterres. Há seis meses, oferece aos alunos com idades entre seis e 21 anos, autistas e com outras deficiências, a combinação da literatura, por meio da contação de histórias, com a participação dos cães adestrados. A interação dos pets com alunos que têm dificuldades motoras, afetivas, de aprendizagem e de socialização tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida de cada um.

“Os cachorros fazem parte da vida da nossa escola. Estão aqui para auxiliar, acompanhar e fazer com que os alunos consigam se expressar de diferentes formas”, comenta Maria Beatriz.

Carinho é exercício

Na turma do segundo ciclo, a chegada de Nith e Samantha Elisa fez Sharise Almaleh, 17 anos, aplaudir, enquanto Juliana Pereira Braun, 14 anos, acolheu Nith em seus braços. Chandler dos Santos Loba, 15 anos, fez um carinho na barriga da cachorrinha de coleira laranja, que recebeu um petisco. Já Victor Hugo Sasset Luchese, 16 anos, que no início do projeto ficava nervoso na presença dos cães, deu um abraço em Samantha. Fazer um carinho, por exemplo, trabalha a afetividade, mas também é um exercício de motricidade. E outros desafios vão surgindo com a convivência. Outras turmas participaram de atividades com Nith e Samantha no pátio e na horta.

“Eles estão aprendendo a respeitar todas as formas de vida”, observa a vice-diretora Katiuscha Genro Bins.
Alternadamente, os cães são levados à escola três vezes por semana.

Biblio pet 1

Mães comemoram benefícios
Mãe de Chandler, a dona de casa Inajara Machado dos Santos, 40 anos, comemora os avanços do filho, que tem transtorno mental. A insistência de Nith em manter o contato com o aluno trouxe benefícios.
“Ele falava na Nith e eu pensava que era uma colega. Depois que fui saber que era uma cachorrinha. Em contato com ela, passou a ter mais carinho com a gente. Hoje ele é outra pessoa” conta Inajara, que participa de oficina estendida aos pais.

Quem são os pets
Maria Beatriz conta que Samantha Elisa foi a única sobrevivente de uma ninhada vítima de maus-tratos. Já Nith foi abandonada na Restinga aos quatro meses. Resgatadas pela professora, que é a tutora delas e de Bob Borges, eles demonstraram características fundamentais para o trabalho com crianças e adolescentes especiais. Passaram por adestramento durante seis meses e mantêm contato permanente com o adestrador. Eles são vacinados e se alimentam de ração.

Bob Borges no DG
Em janeiro de 2010, Bob Borges (o sobrenome é em homenagem ao nome da escola), um border collie misturado com vira-latas, foi citado numa reportagem do Diário Gaúcho. A comunidade da Escola Professor Luiz Francisco Lucena Borges estava desolada porque o mascote acolhido pela escola havia sumido e decidiu iniciar uma campanha para encontrá-lo. Um ano e meio depois, ele foi recuperado a participa do Biblio Pet Terapia.

PARA AJUDAR
* A escola aceita doações de ração para os cães, auxílios para vacinação e transporte dos animais.
* Mais informações: 3338-3350.

 

Confira a galeria de fotos:

Bookmark and Share

Brechó Bichos & Amigos neste final de semana

14 de junho de 2014 0
Foto Divulgação

Foto Divulgação


A ong Bichos & Amigos vai realizar, neste sábado e domingo, um brechó com sua tradicional venda de itens a baixo custo. Com o objetivo de comprar ração e quitar as dívidas com a manutenção de dezenas de animais abandonados. Moda feminina, masculina e infantil, calçados, bijuteria, enfeites, livros, cds, discos raros, equipamentos e outros artigos em ótimo estado vão ser vendidos a preços baratos.

A ong mantém aproximadamente 150 gatos e cachorros resgatados das ruas e custeia tratamento veterinário, esterilização e despesas gerais. Eles contam com a ajuda de todos para continuar cuidando dos bichinhos. Doações de ração são muito bem-vindas! É só levar no dia do brechó.

Os animais agradecem! :)

CONFIRA!
O que: Brechó Bichos & Amigos
Onde: Rua Coronel Feijó, 33 (perto do Bourbon Assis Brasil), na Zona Norte de Porto Alegre
Quando: Sábado e domingo, dias 14 e 15 de junho, das 14h às 18h

* Mais informações pelo telefone (51) 8461-5077 ou pelo e-mail bichoseamigos@bichoseamigos.org.br

 

Bookmark and Share

Coordenadoria de Bem-Estar Animal faz parceria com protetores de Canoas

10 de junho de 2014 0
A protetora Maria Iara Oliveira já está participando de ações realizadas pelo Bem-Estar Animal (Foto Paula Vinhas/Divulgação)

A protetora Maria Iara Oliveira já participa de ações realizadas pelo Bem-Estar Animal (Foto Paula Vinhas/Divulgação)

 

A Coordenadoria Municipal de Bem-Estar Animal está cadastrando protetores de animais de Canoas. A intenção é identificar voluntários e criar parcerias na construção de soluções e melhores condições de vida para os animais da cidade, em especial na defesa, proteção e controle populacional.

De acordo com o secretário especial de Bem-Estar Animal, Cristiano Moraes, com a iniciativa será possível localizar onde estão os protetores e conhecer as necessidades deles no trabalho que já executam.

“Hoje podemos disponibilizar a castração e a identificação por meio de chipagem, além de espaços nas feiras para encaminhar animais à adoção”, destaca Moraes.

Interessados devem contatar a Central do Cidadão, órgão da Prefeitura, pelo telefone 08005101234.

 

 

Bookmark and Share

Instituto Sierra é exemplo de amor aos animais em Gramado

04 de junho de 2014 7
Fotos Divulgação

Instituto tem estrutura para cuidar de até 500 animais (Fotos Divulgação)

 

Gramado tem um dos maiores e mais completos centros do Rio Grande do Sul para abrigo de animais carentes. O Instituto Sierra é um espaço mantido por uma empresa da região, que cuida de gatos e cachorros abandonados e os encaminha para adoção. O local possui canil, gatil, salas de consulta, exames e cirurgia.

É uma grande estrutura montada com muito amor e carinho para que os bichinhos abandonados e maltratados possam se recuperar física e psicologicamente de traumas que viveram na rua. O instituto oferece a esses animais uma nova chance na vida e a oportunidade de conseguir um bom lar para serem felizes.

Instituição não recebe doação de terceiros

A empresária Marisa Tissot, fundadora do local, faz questão de acompanhar todo o processo de perto, para que os animais tenham sempre um tratamento adequado e qualidade de vida.
Marisa não aceita doações de dinheiro ou de alimentos, nem resgata qualquer bichinho na rua. Mesmo tendo uma grande área – comporta cerca de 500 animais – , ela nunca lotou o local. Ela salienta:

“Tenho um limite e não sou depósito de animais. Não aceito ração nem dinheiro. Amo os bichos e faço tudo nas minhas condições. Não quero nem tenho a obrigação de fazer o trabalho que deveria ser realizado pela prefeitura.”

O instituto já ajudou 1,2 mil animais desde a sua inauguração, há quatro anos. Os resgatados passam por uma averiguação veterinária, fazem o tratamento necessário e, somente depois de serem castrados, vacinados e chipados, estão prontos para a adoção.

“Também ajudamos os bichinhos de pessoas com extrema necessidade. O instituto dá vacinas, castração e auxílio veterinário gratuito para alguns animais domésticos, quando se confirma que o dono não tem condições de pagar os cuidados com seu animalzinho.” acrescenta Marisa.

Cães têm um grande espaço para brincar e gastar energia

Cães têm um grande espaço para brincar e gastar energia

Uma verdadeira mãe

Fundadora e mantenedora do Instituto Sierra, a empresária Marisa Tissot também administra as lojas e a fábrica Sierra Móveis, na Serra. Casada com o também empresário Luiz André Tissot, é mãe de dois filhos, Gustavo, 17 anos, e Arthur, 11 anos, e divide com a família a paixão pelos animais.

“Meu marido é o maior apoiador. Nem poderia ser diferente. Eu não me apaixonaria por alguém que não gostasse de bichos. É pré-requisito (risos)! Todos são cachorreiros lá em casa, diz a empresária.”
Paixão esta que Marisa, garante, cultiva desde a infância.
“Costumo dizer que o meu destino e os dos animais foram traçados na maternidade. Quando eu nasci, cheguei em casa e já tinha um cachorro me esperando, revela.”

Chicão (D) foi o primeiro resgatado pela Marisa

Chicão (D) foi o primeiro resgatado pela Marisa

 

Natural de Blumenau, em Santa Catarina, hoje ela mora em Gramado, onde tem 15 animais, entre gatos e cachorros, fora o que ela chama de ‘agregados que aparecem eventualmente’. Mas destaca que amor aos animais também é desapego, por isso, resiste ao desejo e ao impulso de levar para casa os bichinhos que chegam ao instituto, por mais fofinhos e carentes que sejam.

“Tem que ter a consciência do desapego, de saber que o animal quer uma família, quer amor, quer cuidado. E eles não são meus, eu sou apenas uma casa de passagem. Quem vai fazer esse papel é a família para quem eu vou entregá-los, completa.”

Bichinhos têm área de lazer, canil seguro e confortável, cirurgias, exames e tratamento especial

Bichinhos têm área de lazer, canil seguro e confortável, cirurgias, exames e tratamento especial

 

Bookmark and Share

Brechó para ajudar os gatos do colégio Julinho é neste sábado!

22 de maio de 2014 1

Gatos do Julinho 2
Amigos, vai acontecer um brechó super especial para ajudar os gatos do Julinho. O evento será neste sábado, no Colégio Júlio de Castilhos, em Porto Alegre. A intenção é conseguir dinheiro para custear castração, medicamentos e alimentação desses gatinhos que ficam no local. Também é possível fazer doação de roupas, sapatos, livros, cd’s, dvd’s, brinquedos, bolsas, bijuterias, louças, entre outras coisas, para que sejam vendidos no evento.

Participe deste ação e ajude os bichinhos necessitados!! :)

CONFIRA:
O que? Brechó Gatos do Julinho
Quando? Sábado, dia 24 de maio
Onde? Colégio Júlio de Castilhos (Avenida João Pessoa, 1784, Bairro Santana, em Porto Alegre)
Horário? Das 9h às 12h

Bookmark and Share

PVL Perfumaria lança novos produtos para cães e gatos na Feipet em Novo Hamburgo

26 de abril de 2014 0
Produtos da Pet Style são os primeiros no mundo com a composição de argiloterapia

Produtos da Pet Style são os primeiros no mundo com a composição de argiloterapia

 

Mais uma ótima novidade rolando no meio pet. São produtos inovadores da marca Pet Style fabricados pela PVL Perfumaria, aqui em Porto Alegre, e inéditos no Brasil. O mais novo produto a ser lançado será a argiloterapia, método bastante usado no tratamento de pele em humanos, e que agora também irá cuidar da saúde de cães e gatos.

Essa linha é um novo conceito em produtos para animais criados para limpar, desodorizar, hidratar, dar brilho e também produzir o efeito “fluffy” (pelo armado). As composições são: argila branca – clareador, argila verde – adstringente, argila preta – rejuvenescedor, e argila rosa – hidratante. A linha também pretende lançar o xampu com Carvão Ativado, um excelente adstringente, com diferenciado poder de atuação na eliminação de as impurezas da pele e dos pelos dos animais, inclusive substâncias decorrentes de intoxicação por produtos com inseticidas. Vale conferir essas novidades e muito mais!

Kit de produtos 2
Todos estes produtos serão demonstrados por groomers renomados nacionalmente (especialistas em estética animal), na Feira de Negócios para Animais de Estimação (FEIPET), em Novo Hamburgo.
Mais informações sobre os produtos aqui: www.pvlperfumaria.com.br

SOBRE A FEIPET
É a primeira e única feira de negócios para animais de estimação da região Sul do Brasil. Realizada de 27 a 29 de abril, das 13h às 20h, na Fenac – Centro de Eventos e Negócios -, em Novo Hamburgo, a exposição é voltada para profissionais do segmento pet, movimentando clínicas veterinárias, pet shops e agropecuárias. O público visitante pode participar gratuitamente também das atrações do Espaço Grooming e da programação de palestras que ocorrem simultâneas à feira.

 

Feipet 2014

Bookmark and Share

Brechó em prol dos animais neste final de semana. Confira!

26 de abril de 2014 0
Foto Marcio de Almeida Bueno/Divulgação

Foto Marcio de Almeida Bueno/Divulgação

 

O final de semana em Porto Alegre reserva uma ocasião para os amantes dos animais se encontrarem e ajudarem os 150 cães e gatos amparados por uma tradicional ong gaúcha. A Bichos & Amigos promove, neste sábado e domingo, dias 26 e 27 de abril, um brechó beneficente para levantar fundos e saldar dívidas.

O evento acontece na Zona Norte da Capital. Roupas, calçados, livros, discos raros, bijuteria, enfeites e outros artigos estarão à venda no local. Também é possível ajudar os animais da ong doando ração. É só levar no dia do brechó.

Os animais agradecem! :)

CONFIRA!
O que: Brechó Bichos & Amigos
Onde: Rua Coronel Feijó, 33 (perto do Bourbon Assis Brasil), na Zona Norte de Porto Alegre
Quando: Sábado e domingo, dias 26 e 27 de abril, das 14h às 18h

*Mais informações pelo telefone (51) 8461-5077 ou pelo e-mail bichoseamigos@bichoseamigos.org.br


Bookmark and Share